Bammer: “Dia de Treino”

Decidiste que vai mesmo acontecer. Vais lá experimentar. O teu primeiro treino de Wrestling é já hoje, o equipamento está na mala há dias e encontras-te agora um pouco nervoso porque não sabes o que te espera. Será que vai ser aquilo que sempre sonhaste? Será que tens talento? Será que os outros são simpáticos? Será que o professor é mau? Será que vais aguentar até ao fim? Um dia potencialmente memorável te espera…

O momento chegou

O primeiro dia de treino é crítico e é isso que vou abordar esta semana. Existem muitas dúvidas, muitos receios e muitos preconceitos antes de entrar pela porta de uma escola de Wrestling. Espero, com estas palavras, esclarecer algumas das questões com que sou mais frequentemente bombardeado. Vou também partilhar algumas histórias e dar algumas dicas valiosas pelo caminho… como esta:

A importância da Pontualidade

A importância da Pontualidade

Regra #1: Pontualidade

Quem me conhece, sabe que estou longe de ser a pessoa mais pontual. Na verdade, tenho uma excelente reputação em não conseguir chegar a horas à maior parte dos compromissos. No entanto, até eu acho impensável chegar ao primeiro treino fora de horas. Nada é pior para um professor e um grupo de alunos do que ver um aluno a aparecer depois do aquecimento, a querer apresentar-se e a cortar totalmente o ritmo da aula.

Provavelmente, na primeira aula terás dúvidas, como é natural: “Onde fica o balneário?”, “Quem é o professor?”, “Onde me posso inscrever ou pagar?”… todas estas questões mostram como faz pouco sentido entrar a meio. Vais desestabilizar, vais pôr a atenção centrada em ti (mas não por um bom motivo) e vais tirar menor partido de algo a que tens direito.

Que fique claro: os atrasos fazem parte da vida e, se não acontecerem de forma sistemática, são perfeitamente aceitáveis. Mas não no primeiro treino.

Por fim, deixo-vos uma história relacionada com este tópico: quando a Academia do WP arrancou, em 2007, realizou um curso de Verão. As entradas eram limitadas a 12 pessoas e um dos suplentes, apesar de saber que tinha menos chances, decidiu aparecer… antes de todos os outros. Esse rapaz rapidamente subiu pontos na minha consideração, ao ponto de contar com ele mesmo se as 12 pessoas aparecessem. Na verdade, ele acabou por preencher o 12º lugar, mas teria sido aceite na mesma. Já agora, esse rapaz chama-se Ricky Santos e é hoje em dia um dos lutadores mais talentosos do país.

Ninguém sabe quem tu és… e isso não é necessariamente mau

Não sei quanto a ti, mas quando comecei não conhecia muita gente que gostasse de Wrestling. Identificava-me com pouca gente nesse aspecto e guardava o meu imenso fascínio por este mundo só para mim. Numa academia vais encontrar pessoas que, como tu, dedicam horas todos os dias a ver combates, ler artigos, entrevistas, jogar jogos de Wrestling etc. No entanto, isso não quer dizer que sejas já “da malta”. Primeiro, tens de conquistar um pouco do respeito de todos eles.

Poderia escrever 10 artigos sobre RESPEITO, mas por agora vou só referir isto: não estejas demasiado ansioso por deixar a tua marca. Apresenta-te, cumprimenta cada pessoa que vires com um aperto de mão firme e… por agora, não digas mais nada. Se as pessoas quiserem saber mais sobre ti, irão ter contigo. Equipa-te e apresenta-te ao serviço!

O Aquecimento

A tua prestação nesta primeira prova será muito variável. Se calhar és um rapaz (ou rapariga) com um enorme background desportivo. Se calhar, és o melhor da tua turma em Educação Física. Ou se calhar só te levantas da cadeira para ir fazer reset ao router, quando de repente ficas sem net. Se calhar nunca te lesionaste e adoras correr, ou se calhar estiveste 1 ano a recuperar de uma operação e estás finalmente a conseguir correr outra vez. Independentemente da tua história, uma coisa é praticamente certa: vai custar.

Não se espera este movimento no primeiro treino

Não se espera este movimento no primeiro treino

Podia partilhar aqui várias dicas: podia sugerir que fizesses flexões todos os dias ou que fosses correr 3 km para a rua todos os dias, mas não o vou fazer (se bem que devias). O que vou dizer-te é: “Sim, é normal que não consigas terminar o aquecimento, nem sequer é suposto. É A TUA PRIMEIRA AULA!”

O aquecimento não é uma prova de virilidade. Não é suposto ser o primeiro e o último exercício. O seu objectivo, a nível físico, é preparar-te para o que aí vem e tu próprio veres em que forma estás pelo caminho. Pessoalmente, enquanto professor, ganhei alguma reputação por conduzir aquecimentos exigentes. É frequente dedicar 30 ou 60 minutos a esta parte do treino de Wrestling. Já vi pessoas a ir para casa a meio, já conheci alguns que foram para a casa-de-banho vomitar e voltaram para mais, outros deixaram-se lá ficar e outros passaram a chegar consistentemente mais tarde ao treino (até perceberem que não se escapavam disso). Não me orgulho particularmente disso, mas o aquecimento é o espelho de muita coisa no Wrestling e se em cima falei de objectivos físicos, também existem mentais:
– o aquecimento mostra ao professor e ao grupo se queres mesmo isto;
– o aquecimento mostra como lidas quando ficas, de repente, muito humilde e até vulnerável;
– o aquecimento lembra-te o quanto tens de trabalhar diariamente fora da academia para te tornares o melhor atleta possível;
– o aquecimento une o grupo como poucas coisas no Wrestling.

Por estes motivos, é claro que o aquecimento é importante. É super-importante. Geralmente existe uma correlação entre esforço e resultados. Se não fores puxado na escola de Wrestling, vais acabar por ser puxado mais à frente, mas a função da escola é preparar-te para o futuro, certo? Lembra-te: as pessoas irão respeitar-te e apoiar-te se deres tudo o que tens, mesmo que seja pouco, não se cruzares os braços e achares que se ainda não é tempo de aprender a executar o bodyslam, é tempo perdido. Uma boa parte dos melhores alunos que treinei começaram sem conseguir fazer 15 flexões seguidas. Apesar do choque inicial, não desistiram e com esforço dentro e fora da academia mostraram progressos notáveis mês após mês.

Fizeste o melhor que conseguiste, o professor foi simpático e até te deixou ir beber água. As pernas doem, não sentes os braços e estás a ouvir a tua própria respiração? Então parece que podemos começar.

As primeiras quedas

O Wrestling é um desporto de cooperação e colaboração, onde a segurança é a prioridade máxima. Por este motivo, o mais provável é seres apresentado a quedas, de todo os tipos e feitios, logo a abrir. Provavelmente vai custar, primeiro porque o impacto é desagradável, segundo porque não é natural (não fomos programados para isso, a não ser que seja na nossa cama) e terceiro porque exige alguma coordenação. O meu conselho: não subestimes os movimentos mais básicos, vão ser um factor-chave para te manteres sem lesões a longo prazo!

As quedas são tão importantes que é algo que é repetido, basicamente, em todos os treinos. No primeiro dia que treinei Wrestling na vida fiz várias séries de 25 quedas. Ao início era doloroso, porque estava descoordenado, porque não controlava a respiração, porque não tinha os 100 Kg de massa muscular que conquistei com tempo. Mas tornou-se mais fácil treino após treino e claro, hoje em dia é um movimento totalmente natural. Ao início tive treinos em que apenas fazia o aquecimento e as quedas: dominares a arte de cair é meio caminho andado para estares sempre seguro. Há muita gente impaciente que assim que dá um par de quedas decente pensa que está pronta e malta preguiçosa que se esquiva das quedas da mesma maneira que teme o aquecimento, mas na verdade ao fugires deste exercício só estás a contribuir para que a probabilidade de uma lesão numa queda mal dada aumente.

No Wrestling, tens sempre de aprender a receber um golpe antes de saber como o executar, portanto gostes ou não, as quedas vieram para ficar.

No dia a seguir é aceitável que sintas algumas dores de cabeça, ou até do pescoço. Se deste o teu máximo no aquecimento também é provável que sintas os músculos doridos. Tudo isto é normal e, com o tempo, é expectável que fique muito tolerável, ao ponto de nem sequer te lembrares disso no dia-a-dia.

Lock-up entre Bammer e o administrador do Wrestling.PT, Luís Salvador

Lock-up entre Bammer e o administrador do Wrestling.PT, Luís Salvador

O primeiro lock-up

É tempo, finalmente, do primeiro “collar and elbow”. É a tua primeira interacção física com outro membro da academia (seja ele aluno ou professor). É normal que estejas nervoso, acredita que passei por isso vária vezes. Como podes passar esta prova com sucesso? Simples. OUVE o professor e segue as suas indicações.

Parece fácil, mas esse é raramente o caso, infelizmente. O mais engraçado é que nos meus 6 anos de experiência como treinador na academia do Wrestling Portugal, reparei que os que estão lá há mais tempo são aqueles que mais ouvem, ao contrário dos mais novos. Porquê?

Tenho algumas teorias:
– os mais novos chegam com a ideia (geralmente errada) de que já conhecem algumas manobras de Wrestling pelo que viram na televisão;
– os mais antigos sabem que há sempre algo a aprender no Wrestling, por mais experiência que tenham;
– os mais novos estão demasiado distraídos com tudo o que está a acontecer e perdem a concentração do que importa realmente;
– os mais novos estão ansiosos por mostrar serviço e vão querer executar as manobras como eles pensam que elas são, não como lhes vão dizer- portanto não estão realmente a ouvir.

Se conseguires ouvir a descrição dada pelo professor até ao fim, muito bem. Tenho mais outro conselho para ti: deixa outros irem primeiro. Na maior parte dos exercícios, apenas 2 estão no ringue, pelo que podes ficar para o fim e observar outros para aprender com os erros antes de chegar a tua vez. Quando fores finalmente chamado, faz o que te compete o melhor possível e não mais do que isso. Se sabes (ou pensas que sabes) mais manobras, deixa-as para depois. Faz apenas o que te pedem, não demonstres demasiada ansiedade em mostrar serviço.

Não confundir “não demonstrar ansiedade” com “ser preguiçoso”- por agora, limita-te a seguir as instruções do professor. A principal justificação vem já a seguir.

Regra #2: Segurança acima de tudo

No Wrestling, o elemento mais importante é claro, a segurança. Sempre que tocamos no nosso adversário somos responsáveis por ele. Quanto mais seguro fores, mais colegas quererão trabalhar contigo, portanto terás mais convites por parte de federações e mais pessoas dispostas a fazerem-te brilhar.

O conceito de segurança deve estar presente desde o primeiro minuto do treino: muitas vezes vejo alunos a “entusiasmarem-se” nos primeiros treinos e a fugir gradualmente ao que lhes é pedido. Muitos não têm noção disso, mas ao fazerem-no estão a contribuir para que algo acabe por correr mal, inevitavelmente: basta realizar uma manobra mal-executada ou apanhar de surpresa o colega para alguém se magoar. Dizer “Pensava que tinhas percebido a minha ideia” de pouco te vai servir quando o teu colega estiver agarrado à cabeça porque o enviaste às cordas e em vez de lhe dar uma clothesline, lembraste-te de “dar show” e tentaste um pontapé que viste uma vez na televisão. Ninguém está na tua cabeça, por mais evidente que a tua intenção possa parecer.

Por favor segue sempre as instruções dadas, fica-te pelo que te é transmitido e aplica-te ao máximo em cada movimento. Observa os outros, especialmente aquele colega da aula que parece fazer algo um nadinha melhor que todos os outros e tenta perceber o porquê. Não vai ser só o professor a ensinar-te, os alunos também têm um papel muito importante mas como ao início não saberás ao certo em quem acreditar, fica-te pelo professor e por aquele(s) que claramente mostrem que estão numa fase avançada do treino.

Tempo de reflectir

No fim do treino, terás certamente um misto de sensações e pensamentos. Uma coisa é certa: o primeiro treino de Wrestling dificilmente te deixará indiferente. É uma enorme transição, do Youtube ou da Playstation para a primeira aula. Wrestling na primeira pessoa é um mundo totalmente diferente e, como tudo na vida, não é para todos. Encontrarás o teu lugar no Wrestling muito em breve, mas por agora é tempo de ir para o banho, dizer adeus aos teus novos colegas e regressar a casa.

O passo mais difícil já está dado- festeja-o!

O passo mais difícil já está dado- festeja-o!

Parabéns, acabaste de dar um dos passos mais importantes da tua vida: festeja essa pequena vitória, porque bem a mereces!

Para a semana há mais, conto convosco. Obrigado por todos os comentários, tweets e mensagens a dar as boas-vindas ao Wrestling.PT, fiquei muito contente com o feedback e espero estar à altura!

Sobre o Autor

- Bruno “Bammer” Brito é português, treinou em Calgary, Alberta, Canadá e foi durante 6 anos treinador principal da academia do WrestlingPortugal. Durante esse período, foi responsável por formar alguns dos mais conhecidos e talentosos lutadores nacionais da actualidade e está agora a partilhar as suas experiências com a comunidade do Wrestling PT.

58 Comentários

  1. Ricardinhoo - há 3 anos

    Grande aula, Bruno!

    Infelizmente moro longe demais para ir fazer um treino sequer. Sei que para um wrestler normal, a distância significa pouco ou nada, mas como eu sou apenas um escritor de crónicas….

    Apesar disso, gostava mesmo muito de fazer um treino. Nem que fosse só o 1º. Nem que fosse só para tentar completar o aquecimento ou experimentar uma queda….

    Talvez um dia….

  2. Miguel Costa - há 3 anos

    Grande artigo Bammer, comecei agora a acompanhar o Wrestling Português e se há algo que não falta é talento, e acho que no WPT é um bom sitío para partilhares as tuas experiências.

  3. THFGPEREIRA - há 3 anos

    Olá chamo-me Tomás Pereira e tenho 15 anos e gostava de começar a praticar wrestling mas muita gente acha que é demasiado cedo e que devo primeiro acabar os estudos qual é a tua opinião?

    • Olá Tomás, eu não acho a idade assim tão relevante, depende sempre da maturidade de cada um. Treinei rapazes com 15 anos que tinham mais cabeça do que alguns com 25 (ou até mais). Os estudos podem sempre ser feito paralelamente a meu ver portanto um não impede o outro.

  4. GUILHERME Y2J - há 3 anos

    MUITO BEM, GOSTEI BASTANTE, DOIS ARTIGOS E JA ESTOU CHEIO DE VONTADE DE APRENDER A FAZER WRESTLING

  5. MR Perfection André Santos - há 3 anos

    Boa aula!O primeiro impacto é fulcral e acredito que muitas vezes ninguém aparece á segunda aula…

    • Depende realmente de como tudo corre. É uma questão de expectativas também, como refiro no artigo anterior. Mas mesmo que seja para não voltar, acho que a experiência vale a pena- a maioria nunca se fica só por uma aula, apesar de eu conseguir quase sempre perceber de imediato quem vai passar do 1º mês ou não.

  6. "The Game" - há 3 anos

    Artigo espetacular a mostrar muito bem que o pro-wrestling não é o mundo cor-de-rosa que a WWE aparenta ser.

  7. José Afonso Pereira - há 3 anos

    ” já conheci alguns que foram para a casa-de-banho vomitar e voltaram para mais” Lol, lembrei-me de mim quando fiz a vossa primeira ou segunda aula, aconteceu me isto mesmo. Mas como disse, e é verdade, qd se gosta, não se desiste. Os primeiros treinos sao mt duros, mas dps disso, é sempre cheio de adrenalina. Mais um bom artigo, keep going bro!

  8. João Cardoso - há 3 anos

    Ola a todos
    Existe alguma academia de Wrestling no norte de Portugal?

  9. Miguel Santos - há 3 anos

    Pessoalmente estou muito interessado nisto, mas trabalho nas horas que há treino :(

  10. Gabriel Hailan - há 3 anos

    Boa dicas,sempre sonho em me tornar em algum dia um wrestler de experiência na WWE.

  11. Diogo Mendes - há 3 anos

    Eu sou muito novato no que toca a wrestling mas poderias me ajudar com uma questão acerca das vitorias, se elas já são decididas antes de entrarem no ring?
    Obrigado e excelente artigo!

  12. Diogo Santos - há 3 anos

    Boas “Bammer”! Que limite “idade” darias a alguém sem experiência para começar este tipo de desporto? Mesmo com um “background” de desportos um pouco “limitado” no seu histórico?
    Achas que alguém com os seus 20’s já é um pouco tarde?

    • Sinceramente acho que nunca é tarde, porque cada pessoa tem um ritmo de progressão distinto. Conheço pessoas que começaram com mais de 25 anos que apanharam o jeito rapidamente, por exemplo. Também posso dizer o mesmo quanto ao background- conheci pessoas que praticamente nunca fizeram desporto e de repente entraram no Wrestling e mostraram um talento especial para a quase. O Wrestling está mesmo muito na mente.
      O que posso dizer é que se o teu sonho for a WWE, eu diria que se até aos 30-35 não fores alguém com muito a oferecer no Wrestling independentemente, é praticamente impossível ser escolhido para o NXT/WWE visto olharem para os seus wrestlers como um investimento a longo prazo.

  13. bernardo - há 3 anos

    excelente artigo!
    fico cada vez mais com o desejo de ser wrestler

  14. bernardo - há 3 anos

    tenho uma pergunta,eu fim-de-semana sim,fim-de-semana não vou visitar o meu pai a lisboa e talvez eu consiga ir a um treino. Mas se eu quiser continuar quase de certeza não posso porque teria de faltar quase sempre.Achas que mesmo assim não tem problema?

  15. Cast - há 3 anos

    Bammer, uma pergunta… A quase 2 anos faço exercícios físicos todos os dias, e são exercícios fortes… Porém sou obeso, isso afeta de uma maneira considerável os treinos?

    Ótimo artigo, abraços!

    • Não necessariamente, porque cada pessoa tem uma constituição diferente e todos têm o seu lugar no Wrestling. É óbvio que poderás ter maior dificuldade em efectuar algumas manobras mais arrojadas, mas podes sempre começar por meia dúzia de treinos e ver o que acontece. Há muitos “big men” no Wrestling com enorme talento, portanto nada te impede de experimentar e quem sabe encontrar o teu lugar no ringue :)

  16. EddyParera - há 3 anos

    Ainda me lembro dos treinos que tive no WP em 2012… Já la vão 18 meses mas lembro-me como se fosse ontem. Adorei os treinos e por mais ou menos puxado, sempre adorei cada treino e mesmo que o treino durasse das 3 da tarde até as 7, eu ficava sempre com aquele sentimento: Não quero ir arrumar o ringue porque quero treinar mais um bocado.

    Houve uma aula (a penúltima que fiz) em que treinamos “Back Body Drop”, já nas mãos do Bammer. Senti a coluna a estalar por completo porque quando cai, cai sentado em vez de deitado. Eu queria ter voltado o mais rapidamente a aula mas o Cougar achou que devia dar descanso a coluna para não agravar a dor e ficasse uma lesão. Portanto sei bem o que o Bammer quer dizer com a segurança.

    Senti-me triste quando a crise fez o meu pai perder o emprego e por opção propria deixei o Wrestling de lado com a promessa de voltar um dia. Esse dia está bem para breve pois agora trabalho em part-time, tenho disponibilidade ao sábado e a Rodoviaria de Lisboa fez-me o grande favor de fazer um passe unico fazendo com que o unico gasto é o treino em si.

    PS: Vou dar uma opinião em relação ao aquecimento… Nunca deixem o Bammer e o Korvo falarem sobre a WWE atualmente, são as alturas que ambos tem as ideias de nos por a imitar o “Head Lock” do Dolph Ziggler que ele se mete com ambas as pernas no ar a fazer equilibrismo… ;) (Tou a brincar em relação a WWE mas isto aconteceu mesmo).

    • Boas histórias, obrigado por partilhares! Fico muito contente em saber que vais fazer o teu regresso, força nisso! Eis aqui uma excelente história que prova a dedicação de alguma pessoas em seguir em frente :)

  17. JessieO - há 3 anos

    Eu adorava , mas e longe ):

  18. Paulo Martinho - há 3 anos

    Eu quero mesmo treinar wrestling, mas ainda estou a tratar do meu orçamento, de modo a que consiga fazer uma viagem de viseu a lisboa todos os sábados.

    Mas desistir, nunca foi o meu forte :D

    • Assim é que se fala :) força nisso, mesmo que não seja todos os sábados, acredita que verás resultados. Eu encontrei malta do norte que estava motivada e que absorvia as coisas depressa e depois treinava o que aprendia como podia até à próxima possibilidade e ficava bastante impressionado com a retenção de conhecimento!

  19. Conspo - há 3 anos

    ótimo artigo!

  20. Ana Luiza Nogueira - há 3 anos

    Primeiramente, parabéns Bammer, você está fazendo um ótimo trabalho com este quadro, li as duas edições e adorei ambas.

    Sou uma garota brasileira de 13 anos, porém já tenho o sonho de um dia ser uma campeã de Wrestling. Sobre isso, gostaria de saber algo: já com 13 anos eu posso treinar Wrestling, ou eu deveria esperar mais um três ou cinco anos?

    • Obrigado por leres. Eu diria que depende da maturidade e do desenvolvimento do corpo- há pessoas com muita maturidade aos 15 anos, que conseguem comportar-se melhor no ringue do que pessoas com mais 10 anos do que eles. Fisicamente, visto que é um desporto de impacto, convém ter algum cuidado mas pessoalmente não acredito em restrições de idades, até porque o mais difícil no Wrestling é a parte mental e essa quanto mais cedo, melhor.

  21. AWESOMEWARRIOR2000 - há 3 anos

    Onde fica? gostava de ir treinar para experimentar :P

  22. Roberto Barros - há 3 anos

    Parabéns pelo belo Artigo Bammer, apesar de ser Brasileiro e só ter academias do tipo em grandes centros, acho interessante você passar um pouco da sua vivencia.

  23. R8cha - há 3 anos

    Mais um excelente artigo.
    Infelizmente fico a apoiar de fora :) Pratico futebol e ultimamente tenho “coleccionado” varias lesoes e cirurgias nos joelhos e como não quero ser mais um Rey Mysterio, é melhor não arriscar.
    Gostaria de congratular e “tirar o chapeu” a ti e pessoas como tu que transmitem os seus conhecimentos as pessoas que querem aprender. Nota-se na tua escrita toda a dedicação e paixão pela Modalidade.

  24. Pereirinhaaa - há 3 anos

    Fiquei encantado com o que li! A 3 anos procuro uma escola no Brasil onde ensine wrestling. Parece uma coisa magica e ao mesmo tempo uma coisa muito rigidia, que necessita de esforço e dedicação.
    Excelente artigo!
    Treinar aos 19 anos seria demasiado tarde? Ou seria a idade ideal para que por ventura eu inicie meus treinos?

  25. Simao Rock - há 3 anos

    Moro bastante longe para fazer um treino mas eu só me deixo ficar a assistir já fui ver wrestling nacional e penso ir outra vez

  26. Y2J - há 3 anos

    Que escolas de wrestling existem em Portugal? Excelente artigo!! Um sonho meu era ser wrestler…

  27. Andre_ZiggyNation - há 3 anos

    Poxa..grande Artigo Bruno!Já conhecia um pouco do teu trabalho e fico muito contente por teres aqui um espaço.

    Tenho uma (duas…) dúvida que acho que me podes tirar: quem decide as manobras do combate, vocês conforme a química entre os dois ou os bookers?Já agora como controlam o tempo?

    Abraços e continua com o bom trabalho.

    • Obrigado por leres e pelas boas-vindas :)
      Quanto às (excelentes) questões:
      – Geralmente as manobras são decididas entre os wrestlers, trabalhando com as limitações de cada um (diferença de tamanho, manobras que conseguem ou não executar ou “vender” etc), mas os agentes podem intervir no que toca a momentos críticos do combate para passar uma ideia criativa de forma mais óbvia.
      – O tempo é geralmente dito pelo árbitro durante o combate, visto que tem relógio (ou auricular). Se for um house show há mais liberdade neste campo, mas se se tratar de um combate para a TV o árbitro transmitirá frequentemente os tempos.

  28. Andreia - há 3 anos

    Bom dia.
    Sei que os treinos já começaram, mas gostaria de saber o que seria preciso para fazer um treino.

    Obrigada

    • Basta apareceres (a horas, como o meu artigo aconselha!) com fato de treino e, idealmente, cotoveleiras e joelheiras. O primeiro treino é grátis pelo que não é necessário mais nada (refiro-me claro à academia do WP).

  29. Gonçalo Freitas - há 3 anos

    Sou da Madeira, mas desde muito pequeno queria ser wrestler, ainda so tenho 14 anos, queria saber a partir de que idade recomendas começar na academia do WP

  30. Com que idade se pode entrar pro wrestling?
    Eu sempre tive o sonho de ser lutador na BWF por inicio e ir progredindo pra academias profissionais e ir pro NXT um sonho meio impossivel mas n custa tentar

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador