Existem 2 vagas na Equipa do Wrestling PT para publicar notícias. Contacta-nos!

Bammer: “Quando Ser Fã Não Chega”

Olá e bem-vindo a este novo espaço do Wrestling PT.

Aqui, dedicarei as minhas palavras a todos aqueles que têm “o bichinho” de querer saber mais sobre Wrestling na perspectiva de lutador (ou aspirante a tal). A minha ideia é criar um pequeno manual que servirá de ajuda a qualquer pessoa que queira entrar neste mundo meio louco, mas sem dúvida apaixonante. Se um de vós tem o sonho de ser lutador e se achar algum destes artigos útil, o meu objectivo terá sido cumprido.

Antes de partir para o conteúdo propriamente dito, penso que é pertinente apresentar-me e estabelecer algumas regras (se assim o posso chamar) para estarmos alinhados no que diz respeito a expectativas.

Bruno Bammer Brito

Bruno “Bammer” Brito

Quem é este?

Falando um pouco de mim, sou conhecido no circuito por Bruno “Bammer” Brito. Posso dizer que sou um privilegiado, porque já alcancei todas as metas que desejava e, pelo meio, ainda tive oportunidade de fazer outras coisas inesperadas (mas muito gratificantes) neste pequeno mas fascinante universo. Para além de ter vencido o título de campeão nacional do Wrestling Portugal e o campeonato europeu da World Stars of Wrestling, orgulho-me de ter treinado lutadores como o Pégaso, o Cougar, os Irmãos Santos e tantos outros durante os 6 anos que passei na academia do Wrestling Portugal, em Queluz. Pelo meio, fui também comentador da TNA na SportTV durante mais de 2 anos com o meu grande amigo (e lutador do WP) Hugo Santos, representei um wrestler num anúncio da Vodafone Portugal e colaborei por diversas vezes com a Terra dos Sonhos, entre muitas outras coisas. Provavelmente por um conjunto destes motivos, alguns me chamem “A referência do Wrestling Nacional”.

No entanto, tudo isto só foi possível graças a 2 factores: a minha determinação e a formação que recebi. Apesar de ter começado em Portugal, foi na FWA em Inglaterra e especialmente mais tarde no Canadá, na Storm Wrestling Academy, que adquiri as ferramentas necessárias para passar dos meus sonhos à acção. E é disso que vos vou falar, semanalmente.

Algumas regras

Conto convosco para tornar este espaço melhor, mas para estarmos todos na mesma página, aqui ficam alguns apontamentos:

– Tenho uma opinião bastante vincada sobre muitas coisas, mas estou disponível para um debate construtivo. Se tiveres alguma questão ou dúvida, por mais ridícula que possa parecer, podes sempre referi-la num comentário ou pessoalmente na minha página do Facebook ou Twitter. Se a questão for pertinente o suficiente, talvez até mereça um artigo inteiro como resposta.

– A comunidade do Wrestling é apaixonada e, por esse exacto motivo, por vezes destrutiva. A minha opinião não vai agradar a todos, mas se discordares com algo aprecio que justifiques devidamente o teu ponto de vista se esperas obter uma resposta.

Introduções feitas, regras do jogo explicadas, vamos a isto!

O momento EUREKA

O momento EUREKA

O primeiro dia do resto da tua vida: o momento EUREKA

A palavra Eureka está geralmente relacionada com uma descoberta, o fim de uma busca. Como a famosa música “Sweet Dreams (Are made of this)” nos diz, “Everybody is looking for something”, certo? No meu caso, posso-vos dizer que aos meus 15 anos tive o meu grande momento Eureka até à data, quando percebi que queria mais do que apenas ver Wrestling na televisão do quarto: tornar-me parte dele.

Este momento foi muito importante para mim, porque encontrei o meu primeiro obstáculo: “mas se aqui em Portugal não há Wrestling, como é que vou aprender?”. Antes de ter resposta para tal, surgiram rapidamente outros dois problemas: “mas eu sou aluno de 12 a Educação Física e tenho uma alimentação miserável, não posso seguir algo relacionado com desporto…! Para além disso, a minha família não vai apoiar”.

De obstáculos para soluções

Esse dia foi muito importante para mim. Foi o dia em que, em vez de pensar confortavelmente nesses obstáculos como justificações para não seguir em frente com algo que adorava, decidi dissecar um a um os obstáculos que surgiam no meu caminho e encontrar as respostas. Qualquer um de vós sabe a resposta a qualquer um destes 3 problemas, portanto vou agora só realçar o óbvio:

– para o problema 1, “Se Maomé não vai à montanha, a montanha vai a Maomé”, certo? Portanto teria que ir para fora.
– para o problema 2, se não gostava de fazer desporto mas adorava Wrestling, teria que mudar a minha posição face a isso.
– para o problema 3, teria que partir do princípio que as pessoas à minha voltam iam acabar por se conformar com a minha escolha e, ao ver-me feliz, terem até algum orgulho na minha decisão.

Até hoje, acredito que o caminho para o sucesso consiste em encontrar os obstáculos, defini-los, entender as soluções e seguir em frente. TODA a gente tem obstáculos ao início (uns maiores que outros, claro) mas o sucesso é inevitável para quem o procura.

Citação de Michael Jordan sobre Obstáculos

Citação de Michael Jordan sobre Obstáculos

Apesar desta citação ser do mais famoso jogador de basquetebol de sempre, foi o Wrestling a ensinar-me isto e está aqui a primeira grande conclusão deste artigo:

Lição #1: Se achas que consegues, vais conseguir. Se achas que não vais conseguir, vais estar certo na mesma.

O senhor Henry Ford, fundador da Ford Motor Company, tem uma frase que gosto muito: “If you think you can do a thing or think you can’t do a thing, you’re right.” Tem toda a razão, porque no Wrestling a vontade e a determinação são os teus maiores aliados para o sucesso. Se fores em frente, levando tudo contigo, vais chegar lá (leve mais ou menos tempo); se pelo meio desistires, também não há vergonha nenhuma e ao menos tentaste. Se só se vive uma vez, porque é que não vamos em frente com os nossos sonhos, por mais ambiciosos que sejam?

Há aqui uma questão importante que vale a pena aprofundar: alguns dirão “eu até gosto disto, mas não sei até que ponto…” e ainda bem que assim é. Muitos não sabem o que fazer na vida, tenham 10, 20, 30 ou 50 anos. No entanto, seguir o instinto, experimentar aquilo que nos desperta a curiosidade e atirar o barro à parede é a melhor forma de encontrarmos um rumo e um significado a tudo isto. Antes de me comprometer num curso de 3 meses no Canadá, fui 11 dias a Inglaterra. Antes disso, tinha treinado em Portugal. Foram pequenos passos que me ajudaram a ter certezas quanto ao que queria fazer.

Eu compreendo que o GTA V pareça, por vezes, ter tudo o que precisamos na vida, mas de vez em quando temos de sair de Los Santos e viver a nossa própria vida também. Com pequenos passos, podes garantir certezas sobre seja o que for.

“Mas eu não tenho a certeza se o Wrestling é para mim…”

OK, então faz um treino (geralmente o 1º é grátis). Vê como te sentes. Se gostares, experimenta 1 mês. Experimenta 3. Experimenta 1 ano. Volta a avaliar as tuas aspirações nessa altura. É perfeitamente compreensível que os teus desejos mudem entretanto, porque terás mais informação para trabalhar. Em pouco tempo terás noção de muita coisa:
– perceberás se gostas de Wrestling na primeira pessoa ou se preferes apenas acompanhar enquanto fã;
– descobrirás se queres fazer disto um hobby ou uma profissão;
– entenderás a relação que vais estabelecer com o Wrestling a partir de agora.

São sem dúvida descobertas muito importantes e o esforço exigido vale a pena se te ajudar a tomar melhores decisões de vida a partir daí. Esta reflexão é importantíssima e traz-nos para a 2ª lição deste texto:

Lição #2: Define os teus objectivos e expectativas primeiro, faz o balanço depois

Em cima falei de expectativas e agora cá está este termo outra vez. Expectativas são importantes porque permitem-nos evitar desilusões ou surpresas inesperadas. Quanto mais informação do nosso lado, mais fácil é definir uma expectativa realista. Na minha experiência enquanto treinador, conheci muita gente que claramente não definiu objectivos ou expectativas- apareceu para um treino e pronto. Apesar de se tratar de um passo muito importante, sem expectativas torna-se difícil entender as motivações enquanto aluno e o grau de exigência que se pode ter, enquanto treinador.

O meu grande amigo- e actual treinador da academia WPRúben Branco falou recentemente neste podcast em detalhe sobre a filosofia dos treinos do Wrestling Portugal e apesar de recomendar todo o podcast, há algo que gostaria de destacar para esta lição: até um ponto, o professor guia-te. Até que ponto vamos puxar por ti, isso já não depende de nós.

Se és verdadeiramente ambicioso, em primeiro lugar dificilmente ficarás por Portugal. O teu principal objectivo neste país será absorver ao máximo o que a cultura do Wrestling nacional te pode dar e deves ajustar as tuas expectativas tendo isso em conta. Coisas que não podes esperar:
– ser inserido em espectáculos semanalmente para 5000 pessoas se em Portugal não existe esse mercado;
– ir directamente de Portugal para a WWE.,
– que uma escola de Wrestling se desloque até à tua cidade/vila/aldeia/rua/apartamento para não teres de andar muito (a não ser que tenhas o dinheiro de um bilionário russo).

Os pontos referidos podem parecer retirados de um livro de anedotas, mas a verdade é que recebi por várias vezes e-mails e telefonemas deste género. Nenhuma escola de Wrestling pode garantir contratações por parte da WWE, portanto essa expectativa tem que ser reajustada. O mesmo se aplica a tantas outras coisas. Mas vamos então pôr os pontos nos is…

O Ringue de Wrestling da academia do WP, em Queluz

O Ringue de Wrestling da academia do WP, em Queluz

O que podes (e deves) esperar de uma escola de Wrestling

Não há 2 escolas de Wrestling iguais. Cada grupo é diferente, onde o professor tem menor ou maior influência consoante a sua capacidade de introduzir dinâmica, de gerir conflitos e claro, o nível de respeito que consegue incutir.

Há 3 coisas que tens de observar rapidamente:
– a qualidade do professor;
– a qualidade do grupo;
– a qualidade da relação entre ambos.

O professor

Idealmente, deve ser uma inspiração para ti. Deve ser capaz de esclarecer todas as tuas questões e guiar-te durante todo o processo. Deve puxar o suficiente por ti sem ser demasiado duro e tem de conseguir manter um grupo, seja ele grande ou pequeno, controlado. Escusado será dizer, tem de ser dotado de enormes competências técnicas. Convém que goste realmente do que faz e, neste caso, ainda ser um fã de Wrestling penso que ajuda. O melhor professor que conheço, o meu mentor Lance Storm é claro, ainda nos dias que correm comenta semanalmente no seu Twitter tudo o que acontece no Raw e participa activamente em podcasts.

Conseguir sentir o que os fãs e os aspirantes a wrestlers sentem é algo muito importante e sendo o Wrestling uma arte que está sempre a evoluir, também é relevante acompanhar as novas tendências para não ficar obsoleto. Um professor “parado no tempo” é terrível para um jovem cheio de sonhos e ídolos que não são identificados. Pessoalmente, procuro sempre acompanhar um pouco de todo o Wrestling que se pratica no mundo para reduzir ao máximo este eventual “gap” professor-aluno.

O grupo

O grupo é muitas vezes subestimado pelo aluno, pensando na sua mente “se o professor for bom, o que é que isso importa?”- bom, não é bem assim. O grupo será o conjunto de alunos com que passarás a maior parte do tempo. Um senhor, de nome Jim Rohn, uma vez disse “You are the average of the five people you spend the most time with” (és a média das 5 pessoas com que passas mais tempo). Se o teu grupo for competitivo, habilidoso e partilhar o mesmo tipo de ideais que tu partilhas, o mais provável é identificares-te rapidamente e evoluires visto que será um ambiente propício a tal. Se por outro lado for um grupo repleto de pessoas com que não te identificas, pouco dedicadas e muito limitadas tecnica ou fisicamente, o mais provável será estagnares e tornares-te como elas- correndo o risco, até, de decidir que o Wrestling não é para ti baseado nessa má experiência.

A relação grupo-professor

É importante que haja uma boa relação entre o professor e o grupo. O respeito tem de ser bidireccional- os alunos têm de respeitar o professor e ouvi-lo quando ele está a falar, da mesma forma que o professor deve responder às questões de qualquer membro do grupo e responder às necessidades do conjunto. Idealmente, o professor deve ser apenas um guia que intervém quando necessário, que ensina quando tem de ensinar, tomando os alunos a iniciativa a partir daí. Um professor demasiado ditador ou um grupo demasiado desobediente fará com que a energia do grupo se perca.

É importante que avalies esta relação, porque de nada serve teres o José Mourinho, o Ronaldo, o Messi e o Rooney se a união entre todos não está lá.

Por esta semana é tudo. Para a semana continuamos, onde vou falar do que é importante ter em conta nos primeiros tempos enquanto aluno. Espero que tenham gostado e claro, fico à espera do vosso feedback!

Sobre o Autor

- Bruno “Bammer” Brito é português, treinou em Calgary, Alberta, Canadá e foi durante 6 anos treinador principal da academia do WrestlingPortugal. Durante esse período, foi responsável por formar alguns dos mais conhecidos e talentosos lutadores nacionais da actualidade e está agora a partilhar as suas experiências com a comunidade do Wrestling PT.

93 Comentários

  1. Marcelop98 - há 3 anos

    Gostei muito Bammer!

  2. Coisa - há 3 anos

    Pergunta: Achas os Wrestlers portugueses talentosos?

    • doh - há 3 anos

      Ele diz que se sente orgulhoso por ter treinado pegaso cougar etc. Achas que estaria orgulhoso se nao fossem talentosos?

      • São muito talentosos e de facto, tenho muito orgulho em alguns deles! Claro que, como em todo o lado, há lutadores mais completos ou talentosos e outros menos, portanto está longe de se aplicar a 100% dos casos, mas diria que Portugal não está nada mal servido no panorama europeu.

  3. José Afonso Pereira - há 3 anos

    Muito bom inicio de conversa, eu de experiência própria sublinho o que o Bammer diz, eu nem sempre tive professores pelos quais me identificava, mas a chave aqui é nunca desistires do teu sonho, seja como for, ou quais entráves terás ao longo desse percurso, o esforço vai sempre valer a pena, eu pessoalmente tive e ainda tenho alguns problemas financeiros, o que foi um entrave para treinar, tive muitas quebras de treinos, mas sempre que treinei, absorvi tudo, e agora passado estes anos, até já fui bookado para Espanha 2x, nada mau para alguém que treina desde 2008, e que só começou a fazer shows em finais de Outubro de 2012. Tive a sorte de ter algumas aulas com o Bammer, e para mim será sempre uma referência em Portugal, pois ele fez-me ver muita coisa de modo diferente que via. Querem ser wrestlers? Esforcem-se, treinem! Chegarão lá, como o Bammer diz, se queres mesmo, conseguirás!

  4. RuiStorm - há 3 anos

    Sou teu fã Bammer, parabéns por todo o teu trabalho ao longo destes anos.
    Já agora, não existe alguma academia de wrestling nos arredores do porto? É que fica muito longe para ir treinar aos sabados a queluz.

    • Obrigado pelas palavras! :)
      Infelizmente ouço/leio muitas vezes essa pergunta- parece que o Porto está mal-servido e não sei quando é que / se isso mudará. Mas considerando que o país até é pequeno, nem tudo está perdido, dependerá sempre da ambição claro. Mas é algo que vou sem dúvida “espremer” em futuros artigos, portanto fica atento :)

  5. Pedro - há 3 anos

    Ainda antes dos 15 anos já eu e o Bruno (na altura ele ainda não era banner, era o buni) bricavamos ao Wrestling nos intervalos, com cartões no chão e remendos nos joelhos la imitávamos o que víamos no fim de semana. Nos tempos da Delfim Santos em Benfica ele já era completamente vidrado neste desporto, todos gostávamos mas ele sabia os nomes, os truques, os movimentos.. dava para perceber que estava verdadeiramente fascinado por aquele mundo. Fico muito contente, saber agora, 15 anos depois, que ele conseguiu atingir o patamar máximo desta competição. Parabéns Bruno, um abraço do Santos.

  6. Foto de perfil de Facebook

    D'Leite - há 3 anos

    Muitos parabéns pela ideia, a sério. Com tantos fãs de wrestling em Portugal, é bom que alguém com uma visão “por dentro” do assunto possa mostrar o que a sua experiência lhe deu a aprender para que as pessoas percebam que não se tornam um Cm Punk de um dia para o outro só porque sabem fazer um GTS a um boneco qualquer que tenham em casa. O facto de escreveres fluentemente também ajuda bastante na leitura pois torna-a interessante e prende o leitor até ao fim. Isto, no que a mim diz respeito.

    Sinceramente eu não te conhecia. Já tinha ouvido falar do teu nome, mas nunca acompanhei o wrestling nacional ao ponto de saber o que até hoje tinhas feito. No entanto, agora que fiquei a saber um pouco mais daquilo que fizeste na tua carreira até aos dias de hoje quero congratular-te pois é preciso muita força de vontade para sair do país para perseguir um sonho. Os meus mais sinceros parabéns!

    Sem dúvida que seguirei os próximos artigos com o mesmo entusiasmo e vontade de aprender com que li este. Saudações :)

  7. Coisa - há 3 anos

    Nunca recebeste proposta de companhias do estrangeiro? Nem sequer tentas-te entrar em Indys?

    • Sim, aliás cheguei a lutar fora do país. A questão é que o Wrestling independente, como é natural, não tem grandes orçamentos portanto se não forem grandes eventos tens provavelmente de pagar do teu próprio bolso para chegar ao show e, se for de avião, raramente vai compensar face ao cachet.
      É um investimento que tem de ser feito de vez em quando, mas o retorno nunca me interessou muito.

  8. Pendragon84 - há 3 anos

    Bom texto, Triple B. Gostei bastante de ler este artigo e penso que é bom ter alguém que está bem por dentro desta modalidade a escrever sobre a mesma neste site. Só é pena que não existam mais escolas em Portugal. Torna-se um bocado complicado para quem pense seriamente em enveredar por este desporto, ter que fazer, por exemplo, 90 km para ir treinar.
    De qualquer forma os conselhos aqui deixados são muito bons.
    Um abraço.

    • Obrigado por leres!
      É pena não haverem mais, mas é difícil haver escolas com qualidade se falamos de um mundo ainda muito pequeno por cá. Como fui buscar conhecimento a Inglaterra, ao Canadá e a Espanha, pessoalmente não acho que 90 km seja um grande esforço para alguém que pense seriamente em seguir esta rota, especialmente porque a vida que o espera é, na sua maioria, na estrada ;)

  9. Rated R - há 3 anos

    Bammer ja tentas-te entrar na wwe?

  10. Eugen3 - há 3 anos

    Tenho uma dúvida e espero que não seja muito ridícula.
    Todos sabemos que os combates na WWE seguem um guião e o resultado é pré-definido.
    Quando tu dizes que foste (ou és) campeão nacional e europeu, como são esses combates?

  11. Jorge Rebelo - há 3 anos

    Bruno bem-vindo ao WPT e claro que para quem está mais ou menos atento ao que se faz no wrestling em Portugal conhece o teu nome e já viram o teu trabalho.

    Saúdo a importância de existir um espaço no WPT que olhe para o wrestling não só em Portugal, mas pelos olhos de alguém que está a construir o seu caminho nesta indústria e sente na pele os desafios, as barreiras, as conquistas e pode parecer um cliché, mas tenho a certeza que já deste muito sangue, suor e lágrimas.

    Espero que este artigo seja o elemento “Eureka” para muitos jovens que são apaixonados por wrestling, mas nunca deram o passo de experimentar entrar num ringue.

    Mais uma vez, bem-vindo e que tenhas vindo para ficar.

  12. MR Perfection André Santos - há 3 anos

    Bem…quando vi não acreditei…

    Gostei bastante de ler o artigo e estarei atento a outras edições.
    Faço uma pergunta se puderes responder, agradeço

    Já vi alguns combates teus e não é por teres agora o teu espaço que digo isto.Mostras uma grande classe em ringue especialmente quando defrontaste uma adversário japonês(desculpa mas não me lembro o nome).
    Aos meus olhos que sigo isto a 23 anos, gostava de ter um wrestler luso num circuito indy´s e penso que terias lá lugar de “caras”.

    Já tentaste entrar nesse circuito?Se já actuaste desculpa a pergunta porque realmente desconheço.

    Falando do artigo novamente,dás boas dicas para quem aspira ser wrestler.

    Até ao próximo artigo!

    • Falas do Makoto. Obrigado pelos elogios!

      Não tenho dúvidas que teria o meu lugar no circuito europeu, pelo que refiro no artigo: se uma pessoa quiser mesmo que algo aconteça, acontece. Já conheci lutadores de várias nacionalidades, estive no ringue com ex-WWE e nunca me senti a mais, apenas não foi algo que procurei activamente. Felizmente, acabei por realizar tudo e mais alguma coisa do que desejava em Portugal e viagens ocasionais.

      Obrigado por leres!

      • Deadman Walking - há 3 anos

        Com que ex-WWE já estiveste no ringue ?
        E uma pergunta, quando é que tiveste aquela noção, ‘ isto está mesmo a acontecer, sou mesmo lutador profissional’, quando ganhaste o 1º título?
        Excelente Artigo !

      • Chris Masters, Lance Storm e Pac (Adrian Neville no NXT).

        Não posso dizer que houve “um momento” propriamente dito. Nunca foi algo que fiz em full-time, apesar de a dada altura estar a dar aulas, participar em 3 shows por fim-de-semana e comentar na SPORT TV. Como havia sempre outros empregos envolvidos e o wrestling propriamente dito só me ocupava as sextas, sábados e domingos, acho que nunca deu para pensar assim.

      • Deadman Walking - há 3 anos

        Pois, compreendo, e agora o que te ocupa o tempo? Ainda treinas em allgum lado, sem ser profissionalmente?
        Ahah, sempre gostei muito do ‘Masterlock’, os outros nuna tinha ouvido falar :/

      • De momento não estou a treinar porque mudei de país, estou agora a trabalhar na Suíça e ainda não encontrei aqui grande actividade no que diz respeito ao Wrestling… mas quando for a Portugal claro que vou vestir as joelheiras para me divertir um pouco :)

  13. guilherme y2j - há 3 anos

    muito bom artigo e realmente inspirador

  14. bernardo - há 3 anos

    excelente artigo!
    eu gostaria de ser wrestler mas tenho o problema de ser do norte
    Há alguma escola no norte? Sabes se há possibilidade de ser criada uma no futuro?

  15. Mr. Anônimo - há 3 anos

    Muito bom esse artigo, parabéns!!!

  16. Conspo - há 3 anos

    Muito bom artigo!
    Eu de facto tenho uma amigo que gostava de ser wrestler, mas usa ocúlos de graduação muito alta e não vê nada sem eles

  17. danielLP21 - há 3 anos

    Bruno, muito bem-vindo ao Wrestling.PT, espero que fiques durante muito tempo. Grande aquisição para o site.

    O teu primeiro artigo está muito bom, dás aqui belas lições de vida, independentemente dos sonhos dos teus leitores estarem relacionados com Wrestling, Música, Arte, Representação ou com uma participação na casa dos segredos. Só não concordo contigo quando dizes que basta querermos e conseguimos sempre atingir o que pretendemos. Ainda assim, quantos mais o conseguirem, melhor.

    Nunca acompanhei o Wrestling Português, mas sei que és o principal nome da modalidade em Portugal. Gostava de saber como é ser treinado pelo Lance Storm.

    • Obrigado pelas boas-vindas, tenciono ficar por aqui muito tempo :)
      Relativamente ao Lance, não tenho elogios suficientes para ele. É sem dúvida alguma uma mente brilhante, um grande atleta e o melhor treinador que se pode ter, como certamente terei oportunidade de referir em futuros artigos!

      • Ah e relativamente ao “basta querer”, acredito verdadeiramente nisso. Como refiro, claro que ha barreiras maiores ou menores e cada pessoa tem um ponto de partida diferente… mas apesar de ser algo cliché, na minha opinião é dos poucos clichés que merece a fama que tem. Às vezes podemos não estar a encontrar resultados mas pode ser só uma questão de persistência e teimosia até aparecerem.

  18. akujy - há 3 anos

    Ora boas. Não tenho qualquer comentário para fazer ao teu artigo propriamente dito pq nao gostei e quando nao se gosta de algo mais vale passar ao lado e é isso, dentro da liberdade que me assiste, que eu vou fazer. Ainda assim, bem-vindo ao WPT e desejo o melhor possivel para o teu espaço.

    Apenas tenho uma questão não relacionada com o artigo: Os pro-wrestlers portugueses sentem uma necessidade de ir comentar WWE e TNA por uma questão de oportunismo e aproveitamento ou acham mesmo que estão a contribuir para a felicidade de alguém? É que se é por causa de quem não percebe Inglês, podiam sempre usar legendas, pq seria mt melhor e nao destruia a alma dos programas que tao a comentar. Como é que surgem essas oportunidades para comentar e quem acha q é boa ideia por comentarios em Portugues? Embora eu seja o unico a falar nisto aqui (rapidamente perceberás pq depois de me conheceres melhor xD) a verdade é que ha muita gente que simplesmente detesta os comentarios em Português. A pergunta é longa, eu sei, mas pedia que comentasses o tema. Acho que muita gente gostaria de ver o tema discutido.

    You Have Been Pipe Bombed. You’re Welcome.

    (Outras hão-de vir que não sejam tão amigáveis, mas isso verás quando m conhecers melhor como user, como já referi. xD)

    • joaop - há 3 anos

      Es um ridiculo, se tivesses cm este homem ao teu lado, como eu ja tive, nem abrias a boca. Nada do que dizes aqui é uma pipebomb pq 1 nao tem qualidade pra isso, e dp isso nem é teu. Inventa uma coisa tua e para de ser um toto da net. Ate borravas a cueca se o homem te desse um apertao…

      • danielLP21 - há 3 anos

        Tenho que concordar…

      • akujy - há 3 anos

        Audiencias garantidas. xD Epá, a sério, bebe menos café e relaxa. E aprende a ler as coisas pelo que elas são. O homem é melhor que eu em alguma coisa? Sempre parti do pressuposto que somos todos iguais em qualquer canto do planeta. Que me interessa estar com ele a meu lado, ou os apertões que ele me podia dar ou deixar de dar? Isso são argumentos válidos? Que eu saiba, a frase “You Have Been Pipe Bombed You’re Welcome” nunca passou por ser uma criação minha, é uma junção de frases de 2 wrestlers de quem gosto e nunca disse que as palavras eram “inventadas por mim”.

        O que me chateia é que quando aqui alguém não gosta de alguma coisa, ou está na minoria, tenha logo de ser atacado dessa forma ridicula e sem argumentos validos. Estou no meu direito de achar o que acho e dei a minha opinião, que, mesmo sendo dura, não teve o intuito de insultar ninguém. Não pretendo ter piada (nunca tive jeito para isso) e o facto de usar uma catchprase não é para fazer ninguém rir, é pq sou mesmo assim.

        Preocupa-me mais o facto de quando alguém vai contra os gostos da maioria, seja logo crucificado. Que eu saiba estou num pais livre e posso dar a minha opinião. Há problema?

        E tu Daniel, concordas com a afirmaçao do ridiculo e todos os argumentos “dourados” que ele despejou? Acho isso estranho, vindo de quem sempre gostou de desmantelar argumentos semelhantes.

        Como ja disse, não me ando aqui a armar em engraçado nem a tentar ter piada, sou como sou e estou no direito de não gostar de algo, mesmo que esteja na minoria. Preocupante é o facto de pelos vistos haver quem ache que a minoria não se tem direito a expressar. Haja bom senso “Senhor” João. Que eu saiba não te insultei, exijo-te o mesmo respeito, se faz favor!

      • akujy - há 3 anos

        Ja agora, o uso da expressão “totos da net” era algo que nem farias se soubesses o que significa e por quem foi inventada, tendo o sentido que tem e aplicando-se a quem se aplica. Mas isso é tema para outro dia.

      • joaop - há 3 anos

        Não te preocupes, eu depois pago os royalties ao Salvador.

      • danielLP21 - há 3 anos

        Não não, concordo apenas com a parte das “catchfrases”. Como disse no “chat”, já perdeu toda a piada… E se não era para ter piada, então ainda pior.

      • akujy - há 3 anos

        Ah ta bem, isso é outra história! Isso ja entendo e tas no teu pleno direito. Logicamente que não é para ter piada. Nunca tive jeito para comédia. É uma imagem de marca que começou por brincadeira e acabou por pegar. Não é por ai que deixo de ter direito a uma opinião. Independentemente dos apertos que pelos vistos me podem ou não dar. xD Nem sei quem pensa nessas coisas, (de apertos, quero eu dizer) mas eu não sou de certeza. loool.

      • joaop - há 3 anos

        Respondendo a tua primeira pergunta, sim. Ele e melhor que tu a praticar wrestling, com certeza. Ves, foi facil. E depois tu nao deste a tua opinião. O que fizeste foi um ataque gratuito aos wrestlers portugueses e mais especificamente um insulto sim! ao bruno, visto q ele comenta na sporttv. Isso nao foi opinião. Foi uma boca desnecessária e infantil. E tu… achas que vires aqui comentar contribui para a felicidade de alguem? Os meus argumentos sao tao validos como os teus. E devia te interessar os apertoes sim, se fosses corajoso de dizer as coisas na cara. Tal como fazem os teus idolos da wwe. Mas atras do teclado é tudo muita facil.

      • akujy - há 3 anos

        Primeiro o que tudo, o que é que o facto de ele ser melhor que eu a praticar wrestling tem a ver com o que quer que seja? Nem foi isso que disseste antes, mas mesmo que fosse, que é que isso tem a ver com o que quer que seja? Por ser wrestler é melhor que eu em alguma coisa? Não foi um insulto, nem um ataque gratuito, há muita gente que abomina os comentarios e em portugues e eu sou um deles e perguntei o que muita gente quer saber. Se fui duro? Sim, talvez, mas nao tive intençao de insultar ninguem e deixei isso bem claro.

        Mas parece que segundo a tua visão, só se pode falar se for para cobrir de elogios. Os meus comentarios nao contribuem para a felicidade de ninguem, tambem nunca disse q contribuiam. Mais uma vez, que argumento é esse? Uma cosia te digo, certamente ja contribuiram mais para bons debates do que os teus. Os teus argumentos deixa-me “maravilhado”. E ja agora, o Bammer é crescidinho e saberá responder, nao precisa que o defendas. E tenho a certeza que entenderá o meu comment bem melhor que tu.

        Mais uma coisa, s m conhecesses pessoalmente saberias que digo o que tenho a dizer na cara. Sempre o fiz, sempre o farei. Como podes afirmar o contrario se nem me conheces?! N acho normal. Nao discuto mais este tema, pq és daqueles que quer ter sempre razão, msm q n tenha argumentos para tal. Passar bem, “senhor” joao.

      • joaop - há 3 anos

        Meu bom rapaz de memoria curta, os meus argumentos são os teus, mas voltados pra ti. Se nao sao validos, tens de rever o que dizes. Eu não o tou a defender, tou é farto de te ver tentar humilhar todos os que escrevem aqui. Não dizes uma coisa que se aproveite à pala de queres dar umas bocas. Ate à Salgado, que ja foi considerada por alguns a melhor a escrever artigos em portugal e na europa, tu ja foste la dar um ar da tua graça. Para com isso, se nao gostas nao diz que nao gostas, tas no direito de fazeres o que quiseres, mas ao menos sê respeitoso com os que escrevem investem tempo para entretenimento de muita gente.

      • akujy - há 3 anos

        Tinha dito que nao respondia mais, mas uma vez q nao te insultei, e tu insistes em faze-lo, terei q responder até que um moderador te lembre as boas normas da educação.

        1º: Sabes ler?? É que se sabes nao parece. Aquilo que usaste nem argumentos são, quanto mais os meus!

        2º: Sabes ler?? È que ja disse muita vez que a Salgado é a minha escritora preferida deste site. E continua a ser. Isso nao significa que tenha que a idolatrar nem que tenha de concordar ou de gostar de tudo o que ela faz. Nao gostei do artigo dela a semana passada e nao concordei com tudo. Nem fui o unico.

        3º: Sabes ler?? É que se soubesses não dirias atrocidades como aquelas que dizes sobre os meus comentarios. Se tu és daqueles que gosta de alguem só pq foi considerado bom num pais ou continente, isso é problema teu, mas nao esperes que toda a gente se va reger pelos teus principios tao basicos. E nao esperes que toda a gente venha para ca fazer “ass kissing” como tu. Eu sou “blunt”. Sabes o significado disso? Não venho para cá insultar nem atacar nng, nem disso faço desporto. Digo o que penso e logico que isso nao agrada a ninguém.

        Sei o trabalho que passa um escritor BEM MELHOR QUE TU, meu amigo. E se nao entendes os meus comentarios, entao so me resta fazer uma pergunta…saber ler???

        You Have Been Pipe Bombed! You’re Welcome!

        E agora sim vou-me marimbar para o q dizes, pq embora me apetecesse ficar aqui a responder-te até um moderador te lembrar as regras da boa educação, (visto que me insulstaste sem eu te ter sequer dirigido a palavra) tenho mais que fazer da minha vida, tenho mais que fazer do que descer a esse nivel. Passar bem “senhor” joao.

      • akujy - há 3 anos

        E lógico que isso nao agrada a toda a gente.*

        Só uma pequena correcção.

      • MicaelDuarte - há 3 anos

        Não me quero meter nesta “guerra” entre vocês, mas como tocaste no artigo da Salgado, tenho de dizer que concordo com o que foi dito pelo akujy no tal artigo. Aliás, também expliquei lá o meu ponto de vista no OF. Talvez ele, por vezes, seja agressivo ou duro demais com as críticas, mas percebo-o perfeitamente. O akujy não parece ser um “lambe-botas”, logo é directo naquilo que diz.

        “Ate à Salgado, que ja foi considerada por alguns a melhor a escrever artigos em portugal e na europa, tu ja foste la dar um ar da tua graça” – os melhores também podem ter os seus momentos menos bons e a Marta não é excepção.

    • MarioF - há 3 anos

      Comentário infeliz akujy :(

    • Obrigado por leres e pelas boas-vindas! Lamento que não tenhas gostado e se tiveres alguma sugestão para ser melhor terei todo o gosto em ouvir.

      Achei o teu comentário bastante pertinente, é um tema interessante e vou-te dar o meu parecer sobre o Wrestling ser comentado em Português (por acaso tenciono falar sobre comentar Wrestling mais à frente, mas como não é sobre este tema em específico, vou já tratá-lo aqui). Não posso falar pelos outros comentadores, mas posso-te dizer como o meu convite surgiu e o meu raciocínio para aceitar ou não este tipo de desafio.

      Basicamente há canais televisivos interessados em transmitir Wrestling mas para que tal aconteça os programas têm de ser legendados ou adaptados para a nossa língua. Esse processo é bastante moroso e por uma questão de conveniência ou recursos, os senhores que tomam as decisões importantes dos canais de televisão optaram por recorrer a comentadores portugueses para que o produto fique disponível a tempo e horas (chegou a ser legendado, como provavelmente te recordarás, simplesmente já não o é). Como deves calcular, comentadores de Wrestling não é propriamente algo que encontres na rua com frequência, pelo que se recorre a especialistas da área, por ser algo muito específico. Visitam o meio e fazem perguntas. E foi assim que surgiu o convite.

      Apesar de não acompanhar Wrestling na televisão nacional (tal como tu e tantos outros, prefiro em Inglês e seria o mesmo do que ver um filme dobrado em Português, algo que evito totalmente) tive de tomar uma decisão: ou aceitava o desafio ou outra pessoa o iria fazer, mas que fique claro: seria sempre alguém de língua portuguesa a comentar. Considerei o desafio interessante, obviamente nunca tinha pensado nisso antes mas o Wrestling trouxe-me muita coisa inesperada. Apesar de não ser de certeza o melhor comentador da história, fiz o melhor que uma pessoa com uma licenciatura em Marketing e um bom background de Wrestling conseguiria fazer e, claro, orgulho-me disso. Garanto-te que não o fiz por “oportunismo” mas sim porque a estar alguém a falar de algo que adoro, prefiro alguém que realmente adore este mundo do que um comentador de futebol que precisa de uns trocos e aceita este trabalho só porque sim.

      Hoje em dia, nada mudou: continuo a ver Wrestling na sua língua original, seja inglês, japonês ou qualquer outra coisa. Tu provavelmente fazes o mesmo. O que importa aqui salientar é que esta é a única forma do Wrestling chegar a Portugal- pessoas como tu ou eu, que preferem a versão original, têm (felizmente) alternativas para tal. Assim, ninguém fica triste!

      • akujy - há 3 anos

        Obrigado pela rapida resposta, Bammer, era precisamente isso que eu procurava saber. Entendo os motivos pelo qual teras aceitado os convites e estava mesmo interessado em saber como é que estas coisas eram decididas, por assim dizer. Fico agradecido pela resposta e contente por nao me teres aplicado um headlock, ao contrario do que certas pessoas que eu nao digo quem sao nem que me cortem um dedo(joaop) esperavam.

        Tendo em conta a qualidade da tua respsota, fiquei com a certeza que ca estarei para a proxima edição (não sei s é semanal, mas ja agora podes esclarecer isso tambem, se faz favor?) para dar mais uma oportunidade (naquilo que á minha opiniao diz respeito, obviamente. E ela valo o que vale e nada mais) ao teu espaço, com possiveis sugestoes se achar que devo dar alguma, apos ler a proxima semana.

        Mais uma vez, obrigado pelo pronta resposta e boa sorte para a tua estadia aqui no WPT.

      • Obrigado e ainda bem que a resposta serviu :) sim será um espaço semanal!

    • joaop - há 3 anos

      Hahaha es blunt? Hahahahaha q significado de blunt es? Cego, obtuso, estupido (diz o dicionario, n eu) ou cigarra da canabis?

      • akujy - há 3 anos

        Oh moço, tu nem com um dicionario chegas lá? xD Como perdeste os argumentos (que nunca tiveste) mais acima, decidiste fugir um pouco do tema e tentar armar-te em engraçado. Mas so fizeste figura de…ignorante, sejamos sinceros. loool. Pensa bem antes de entrares numa discussao que n te diz respeito e na qual nem sequer tens razão, por isso nem t devias ter metido. Ainda nao percebeste que o troll aqui acabaste por ser tu? Cumprimentos Joao. E toma juizo. E obrigado pelas gargalhadas que me proporcionaste. Fica bem, rapaz.

      • joaop - há 3 anos

        Sr do conhecimento, ja vi que que tipo de blunt es.. tens de parar de cigarrar na cannabis… pq parece q es tuq n sabes o q é um blunt! Vai la.. pergunta ao google e vais ver.. hahahaha e tu como n tens piada passas a chamar nomes.. secalhar nao sou eu q preciso de ser lembrado da boa educação! Hahaha es mm blunt!

      • akujy - há 3 anos

        Amigo, quem insultou primeiro foste tu. xD Eu nao preciso do google, pq ao contrario de ti sei falar ingles e ja o falo desde o tempo em q provavelmente andavas de coeiros ou nem existias. Se nao sabes o q quer dizer blunt, a culpa n é minha, agora quem fica mal és tu. xD E la vens tu com insultos quando perdes os argumentos. Epa, tu ainda n reparaste que o troll aqui es tu. Mas pronto, ja chega, n quero que o artigo do Bammer seja mais vitima de spam. Nao te respondo, pq tu n sabes falar, nem ler, nem escrever (ja estabelecemos tudo isso anteriormente) e nem és digno de que eu continue este dialogo. A sério rapaz, nao te desejo mal nenhum, mas precisas pensar bem antes de te meteres em coisas q nem t diziam respeito, ainda por cima quando nem tens razao. Fica bem, Joao. Nao vou mais spammar o artigo do Bammer. Sugiro q faças o mesmo. Take care.

  19. AWESOMEWARRIOR2000 - há 3 anos

    Gostavas de Lutar na wwe

    • Claro que sim, quem não gostaria, mas não estou a fazer nada para que tal aconteça.

      • akujy - há 3 anos

        É algo que não ambicionas (pelo menos de forma fervorosa como muita gente sonha) ou simplesmente achas que estas numa fase da tua vida em que não é o mais importante para ti? E que conselhos darias a quem ambicionar um dia chegar à WWE, especialmente tendo em conta que é uma jornada extremamente dificil, ainda mais para quem provem de Portugal? É verdade que das dicas sobre como tentar perseguir os objectivos de ser wrestler no teu artigo, mas gostaria de saber se terias conselhos mais especificos para os jovens do nosso pais que sonham em conseguir chegar à WWE. Não é o meu caso, pq n sou wrestler, nem propriamente jovem (xD) mas acho que é uma pergunta que muita gente gostaria sempre de ver respondida por um wrestler.

      • Bom, conselhos seriam muitos e provavelmente dependeriam da idade, mas basicamente num cenário ideal:
        – concluir uma licenciatura primeiro, ao mesmo tempo que se prepara fisicamente e aprende inglês e/ou representação
        – trabalhar para juntar algum dinheiro e sair do país
        – ir para uma escola de Wrestling bem conceituada no mundo (StormWrestling leva o meu voto aí claro)
        – escolher um território, adquirir o máximo de experiência possível
        – estabelecer-se no circuito independente
        – encontrar o seu lugar no Wrestling
        – não desistir

        Cenário quase utópico e que vai requisitar muitos part-times pelo meio, mas alcançável. De qualquer modo, ficaria aqui toda a noite a escrever sobre isso e de certa forma o meu espaço vai andar à volta disso :)

        Pessoalmente neste momento não faz sentido para mim, adoro estar no ringue e tudo o que envolve Wrestling mas o estilo de vida que exige fez-me optar por este rumo e posso dizer que não me arrependo!

  20. danilo'-' - há 3 anos

    Gostei do artigo, a espera dos próximos artigos :)

  21. MicaelDuarte - há 3 anos

    Gostei do teu artigo e confesso que tenho curiosidade sobre o que daí está para vir. Já conhecia algum do teu trabalho, isto é, cheguei a ver um ou dois combates teus. Aliás, lembro-me de ter visto o “Bammer vs Cougar” pelo Título, no qual defendeste com sucesso num combate bastante agradável (tenho ideia que foi o ano passado). Lembro-me, inclusive, de uma participação tua num programa da TVI (há uns anitos) onde deste explicações sobre este Mundo do Wrestling. Como disse inicialmente, estou curiso pelos teus próximos artigos. Boa sorte Bruno.

  22. guilhas awesome - há 3 anos

    Os rapazes de 10 anos podem entrar na Wrestling?Se puderem abre uma academia em Gaia por favor

  23. cena_vs_rock2013again - há 3 anos

    Bruno tennho que te dar os parabens por este artigo…

    Por alguma razao és chamado a referencia do wrestling portugues…

  24. FAlmeida_10 - há 3 anos

    Bem vindo ao WPT Bammer. Dá sempre gosto ver opiniões alheias, ainda para mais quando vem de alguém dentro do “business” como tu estás. Os meus conhecimentos de Wrestling em Portugal também são os básicos, contudo sei que és uma das referências do mesmo, até porque me lembro de no WP8 teres defendido o título contra o Cougar num bom combate. Gostei bastante do teu artigo, é um espaço que acrescenta bastante ao WPT. Tens visões diferentes das nossas, já que vês as coisas de “dentro para fora”.

    Falaste aí de seres treinado pelo Lance Storm, e da conversa que o Rúben Branco teve no “Pontapé no Ceu da boca” então se não te importasses e não fosse pedir muito eu gostava de te fazer uma pergunta: Dizes que sentes uma grande admiração pelo Lance Storm que foi teu Mentor/Treinador. No Pontapé no Céu da Boca, o Rúben fala de como foi ser treinado por ti, e sendo assim também sente uma grande admiração por ti. Como encaras o facto do Rúben Branco olhar para ti da mesma maneira de que tu olhas para o Lance Storm? Peço desculpa pela pergunta, mas foi uma coisa que achei bastante curiosa, enquanto lia o teu texto.

    • Obrigado pelas palavras, antes de mais. Essa é uma excelente questão, nunca vi as coisas desse modo. De certa forma tenho noção que inspiro alguns dos meus colegas, da mesma forma que eles também me inspiram e me motivam. O Rúben é um grande amigo meu e sinceramente não esperava tantos elogios da parte dele como os que ouvi no podcast, o que me encheu de orgulho é claro.
      O Lance é um mentor para mim ainda nos dias de hoje e sem dúvida a pessoa que mais admiro no Wrestling. Basicamente, representa um ídolo. Não sei se é exactamente isso o que o Rúben sente, mas fico muito lisonjeado claro por querer de certa forma seguir as minhas pisadas e continuar o meu legado, digamos assim. É muito gratificante saber que o nosso trabalho teve impacto sério nas pessoas, sem dúvida!

  25. AWESOMEWARRIOR2000 - há 3 anos

    Pq não tentas entrar na wwe sendo tu o wrestler que seria mais facil…

  26. R8cha - há 3 anos

    Boas, antes de mais bem vindo e posso dizer que achei o teu artigo bastante “refrescante”. É sempre bom ter uma perspectiva do que se passa por tras deste desporto, e é sobre isso que queria perguntar.
    Posso estar a parecer a parecer ignorante mas tenho uma duvida: O resultado final esta previamente estipulado, mas o desenrolar do combate está ao cargo dos lutadores apenas? Ou está predefenido pela equipa criativa? Ou ambos?
    E já agora qual foi o/os lutador/es que mais te influenciou/aram na tua caminhada?
    Abc e continuação de bom trabalho

    • Obrigado pelas boas-vindas e ainda bem que gostaste do que leste :)
      Quanto à tua questão, a resposta é “depende”. É caso-a-caso, porque vai depender da importância do show, do tempo do segmento, peso do lutador na companhia etc. Um house show da WWE pode ter um guião que diz apenas “combate de 10 minutos, face ganha” e os lutadores têm praticamente total liberdade para montar o combate como bem entendem. Mas se for no Raw e existirem vários pontos importantes para a storyline, intervalos pelo meio e momentos em que a camera não pode estar a filmar a acção no ringue, há menos liberdade para os wrestlers, até porque o tempo de antena para os combates é tipicamente menor.
      Geralmente, na WWE a equipa criativa tem a ideia, os agentes traduzem a ideia em golpes e movimentações e os wrestlers são praticamente apenas os actores, os executantes. Mas claro, varia muito. No circuito independente os wrestlers têm muito mais autonomia.
      Influências, Chris Benoit e Lance Storm, mas há muita gente aí que me inspira, em aspectos diferentes.

      • R8cha - há 3 anos

        Obrigado pela resposta. Foi muito esclarecedora. Continuação do bom trabalho.

  27. Simao Rock - há 3 anos

    Gostei se houver mais vou ler sempre

  28. Rafael Silveira - há 3 anos

    Grande artigo, Bruno!
    Seja muito bem vindo ao WPT!
    Agora duas perguntas:
    – Já lutaste no Brasil?
    – Já lutou com algum wrestler Brasileiro? Se sim, qual?

  29. LuisMPBO - há 3 anos

    Gostei do artigo Bruno, e acho que se pouco faltava a este site em termos de diversidade de conteúdos (obviamente, dentro da sua temática, o Wrestling), agora falta ainda menos. Vai ser bastante bom ter um espaço escrito por alguém que está de facto por dentro deste mundo.

    Acho excelente que faças agora parte da comunidade, pois és um acrescento de peso. Confesso que não acompanho vivamente o Wrestling português (nem lá perto, devo admitir xD), mas tenho algumas noções, e como tal estou ciente de quem és e daquilo que significas para esta modalidade no nosso país.

    Quanto a praticar, não, não é de todo para mim xD. Deixo isso para quem sabe e talvez até para os aspirantes que aqui se encontram (talvez no meio dos sonhadores inconscientes haja alguém de facto interessado “na matéria”). Seja como for, como enorme adepto de Wrestling que sou, não me deixam de despertar interesse os conhecimentos e concelhos que aqui nos passas, daí que “estarei atento” daqui em diante.

    Por fim, bem vindo e boa “estadia” aqui no site.

    PS: Parece que teria sido algo oportuno ter mantido o meu avatar do Lance Storm mais dois dias xD.

  30. Almeidadxx - há 3 anos

    Bruno gostei bastante e bem-vindo ao WPT!
    Espero ler mais artigos teus. E uma sugestão que tal um perguntas e respostas com o Bammer?

  31. TTeixera - há 3 anos

    Gostei bastante de ler e admiro-te pelo teu esforço e dedicação a perseguires o teu sonho :)
    Tenho 2 perguntas, a primeira:
    Costumas acompanhar WWE regularmente ou vais vendo só algumas coisas de vez enquando?
    segunda: Achas que alguma vez irás para a WWE visto que lá o trajeto é bastante lento, metem-te no NXT e depois mais tarde poderás subir ao main roster, achas que serias capaz de ir pra lá e esperar esse tempo?

    • Obrigado pelas palavras :) relativamente às questões:
      1) Vejo semanalmente Raw/Smackdown/Main-event/Superstars/NXT bem como TNA e PPVs. Não vejo tudo é claro, apenas os segmentos que me interessam, mas acompanho sempre tudo. Se o card de um show da ROH, PWG ou NJPW me interessar é provável que espreite também.
      2) Acho o conceito do NXT excelente, especialmente agora com o novo Performance Center. Estaria lá com todo o gosto independentemente de ir ou não para a WWE depois, se estivesse a esforçar-me por tal :)

  32. Anónimo - há 5 meses

    Na questão Financeira, o wrestling pode ser uma boa ideia de Profissão ?

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador