Bammer: “Revoluções de Ano Novo”

E cá estamos para o primeiro artigo de 2014. Durante esta ausência de 2 semanas, em que aproveitei para visitar a minha “casa” (leia-se, a academia do Wrestling Portugal), reflecti um pouco sobre o que é começar no Wrestling e o que é treinar e decidi que o post desta semana seria um pouco diferente.

O motivo é simples: nos últimos dias, tudo o que tenho encontrado na internet é à base de 2 coisas: o resumo do ano que passou e guias sobre “como tornar 2014 o melhor ano das nossas vidas”. Este conteúdo é um espelho das conversas de café que ouço por aí, em que as pessoas reflectem sobre o que aconteceu, decidem mudar o que não está bem a partir do dia 1 de Janeiro e criam as populares “resoluções de ano novo”.

Calculo que por agora estejas a pensar “O que raio tem isto a ver com Wrestling?” – o que se segue, apesar de não ser nada de incrível e extraordinário, representa um dos melhores conselhos que um jovem (aspirante a) lutador poderá receber, pelo que terá obviamente de constar neste “manual do lutador”. Pode não parecer claro ao início, mas espero que à medida que fores lendo comece a fazer sentido para ti.

Convenci-te? Vamos a isto!

Aí vem a Revolução

Aí vem a Revolução

Resolução de Ano Novo

Perder peso. Deixar de fumar. Começar a estudar todos os dias. Ir para a cama mais cedo. Tudo isto são coisas que muitas pessoas definem que, a partir do 1º dia do próximo ano, passarão a acontecer. O ano velho já lá vai e agora vem um ano que vai ser “o nosso ano”, onde tudo o que é mau é substituído e dá lugar ao estilo de vida perfeito.

Depois acontece aquilo que não estavas a contar- acordaste no dia 1 com a maior ressaca da tua vida. Ou estava a chover. Ou está tudo fechado na rua por ser feriado. E agora? Fica para o ano? Começas no dia 1 de Fevereiro?

Não sou contra resoluções de ano novo- na verdade, em algumas alturas tentei mudar alguns hábitos na minha vida desta forma. Mas não acredito em revoluções, que é muitas vezes o que uma pessoa realmente espera quando cria a sua lista- alterações da noite para o dia.

Se tudo o que queres são palavras encorajadoras para seguir em frente com as tuas resoluções, então o que sugiro é que ouças o episódio 78 do “The Steve Austin show”. Mas neste post pretendo ir um pouco mais além…

Inspiração é para amadores

O ser humano é, por natureza, preguiçoso. Por esse motivo, prefere encontrar resultados rápidos e descobrir a forma mais fácil de chegar ao destino. No Wrestling, como já referi anteriormente, há muitas pessoas que preferem faltar aos treinos e à preparação de um combate porque pensam que “no ringue vai tudo correr bem”. “Logo se vê”. Se a situação for nova e desconfortável, então maior a motivação para só fazer uma vez e procurar o atalho mais próximo.

Isto é comum a muitos pseudo-artistas: aqueles que dizem que vão escrever um livro numa noite em branco, a música da vida deles em 2 horas ou o site mais incrível que a internet já conheceu à primeira tentativa. Vai tudo correr bem se for o dia certo, em que os astros estão alinhados e tudo é perfeito. Aí, terás o teu combate de sonho, digno de figurar em qualquer WrestleMania.

As más notícias? Esse dia para 99.99% das pessoas nunca chegará. É altamente improvável que tenhas o momento da tua carreira numa noite de inspiração louca. Ao lado da inspiração, existe o trabalho. Que o digam estes senhores…

Estas 2 frases explicam a minha perspectiva de uma forma bem mais sucinta

Estas 2 frases explicam a minha perspectiva de uma forma bem mais sucinta

Então como viramos este jogo a nosso favor? Definimos objectivos? Não exactamente… criamos um sistema.

A diferença entre ter um sistema e definir objectivos

Quando estamos a definir um objectivo, estamos a pensar “ainda não estou bom o suficiente, mas estarei quando alcançar o meu objectivo”. Ao fazermos isto, estamos a adiar a nossa felicidade: ela aparecerá no futuro, quando chegarmos lá. Aí seremos perfeitos. O problema é que não controlamos o futuro- muita coisa acontece entretanto- o que poderá contribuir para muita frustração.

Por outro lado, os objectivos podem desanimar-nos quando os alcançamos- “E agora? O que se segue?” pensas tu, depois de finalmente correr aquela maratona que tanto querias. Se estivesses a preparar-te para o evento da tua vida, depois do grande acontecimento o que farias? Treinarias com a mesma intensidade o resto do ano? Ou voltavas para o sofá? Os objectivos podem criar um “efeito yo-yo” em que as pessoas se aplicam a fundo durante uma altura e depois relaxam totalmente até ao próximo desafio, o que não é de todo ideal.

Contudo, que fique claro: estabelecer objectivos não tem nada de mal, muito pelo contrário; são necessários para entender o progresso. Mas o verdadeiro progresso, esse, vem do sistema que criamos. E esse sistema não é nada mais do que um conjunto de hábitos.

A importância dos hábitos

Há várias teorias sobre os hábitos- mas o consenso diz-nos que demoramos, geralmente, 21 dias (3 semanas) a formar um novo hábito. Depois deste tempo, o nosso organismo baixa as suas defesas face à nova prática e não contesta tanto a situação nova em que se encontra. É assim que, após algum tempo, tudo se pode tornar perfeitamente rotineiro, ou habitual.

Se de um escritor se espera livros, então este deve escrever diariamente. Se de um futebolista se espera golos, então este deve rematar à baliza diariamente. Um pintor pinta. Um lutador luta. Nesse caso, faz sentido que esse seja o seu dia-a-dia, certo?

Claro que o crescimento é lento- é suposto. Um dos melhores exemplos para tal é a musculação. Levei anos a fios a aumentar o meu peso, as medidas do meu bicep ou tricep e a minha resistência. Cada dia, estava 0.0001% melhor – naturalmente, é frustrante não ser da noite para o dia, mas lembra-te que será essa teimosia e perserverança que aumentarão as tuas chances de triunfar mais tarde, à medida que a tua oposição for cada vez menor (como o Clube da Matemática nos ensinou).

Com o tempo, fica consideravelmente mais fácil (ao ponto de nem questionarmos o que vamos fazer) mas ao início é difícil formar um hábito. Como é que o integramos na nossa já complicada rotina? Aqui, vamos pedir ajuda a um comediante…

O método de Jerry Seinfeld

Jerry Seinfeld é uma das pessoas com mais sucesso do mundo do entretenimento e responsável por uma série de humor absolutamente fantástica, de 9 temporadas, cujo nome era simplesmente o seu apelido, “Seinfeld”. O próprio afirma que quando começou, escrevia um par de piadas por semana. Mas a sua posição mudou quando reparou num conjunto de operários que, apesar de não quererem ir trabalhar depois do almoço, dirigiam-se para a construção. Foi aí que percebeu que se eles o fazem por ser o seu trabalho, ele também o devia fazer. E foi aí que começou a escrever bem mais do que uma dúzia de piadas por mês.

Para criar hábitos, Seinfeld está associado ao popular método “DON’T BREAK THE CHAIN” (apesar de ter referido recentemente num AMA que este método não é da sua autoria), que consiste em colocar uma cruz num calendário em cada dia que uma tarefa é completada.

Um exemplo prático:

Num calendário, em cada dia que fores ao ginásio coloca uma cruz- à medida que o número de cruzes aumenta, sentirás maior responsabilidade em continuar e o peso de faltar será cada vez mais insuportável.

O popular método de Jerry Seinfeld apela ao sentido de responsabilidade de cada um

O popular método de Jerry Seinfeld apela ao sentido de responsabilidade de cada um

Este é claro, apenas um método- pode ou não funcionar contigo. Mas ao desenvolveres estes mecanismos, contribuis para que as tais “revoluções” se tornem realidade.

Lembra-te, é uma questão de repetição: realizar pequenos passos sucessivamente, com frequência, surgindo o progresso gradualmente. O teu pior inimigo será a impaciência e pensar que isto é uma “fase”- vai ter de passar a fazer parte do teu dia-a-dia para chegares ao sucesso.

E agora, tudo isto aplicado ao Wrestling

Repete o movimento. Cada queda, cada ida às cordas, cada bodyslam conta. Quando um aluno mostrava frustração, o meu mentor Lance Storm dizia “15 minutes – 15 years” apontando para o aluno e depois para si.

Claro que a primeira queda não vai ser perfeita- é suposto. Não se espera que um aluno que deu as suas primeiras 20 quedas na vida faça-as tão bem quanto um veterano de 30 anos- se fores esse aluno, lembra-te disto para evitares frustração desnecessária. Simplesmente levanta-te e tenta outra vez.

Já ouvi o mesmo aplicado a outras linhas de trabalho, como fotógrafos, modelos e actores- a cada fotografia tirada, a cada cena gravada, o professional evolui. Porque haveria o Wrestling de ser diferente?

Ao mesmo tempo, esta é uma excelente forma de tirar pressão de cima de ti: não há um prazo específico, apenas tens de ficar gradualmente melhor cada dia, repetindo. Não tens de dar saltos e procurar atalhos, porque tudo o que tens de fazer é repetir algo diariamente.

E o que é esse algo?

No caso do Wrestling, eu dividiria o “trabalho de casa” da seguinte forma…

#1: Ver Wrestling

Esta é discutivelmente a parte mais fácil. Consome Wrestling, diariamente e em abundância. Mas cuidado: com a espectacular notícia da WWE Network, podes ficar sem grandes motivos para sair do sofá- portanto modera se necessário.

À medida que fores crescendo enquanto lutador, poderás começar a subestimar a importância de ser fã– sugiro que voltes a ler este artigo se tal acontecer.

#2: Praticar desporto

Não tem de ser sempre o mesmo. Um dia pode ser futebol, no dia seguinte musculação e ao fim-de-semana ténis. Mas é importante habituar o corpo a um trabalho contínuo. É mais relevante fazeres 10 minutos por dia todos os dias, do que 1 hora por semana ao sábado.

Falta de tempo não deve servir de desculpa. Podes começar com algo tão simples quanto o 7 Minute Workout para estares em forma. E podes ficar numa forma invejável seguindo religiosamente programas como o Focus T25.

Independentemente do método e das teorias, o que importa é mesmo FAZER.

#3: Aparecer no treino

Esta nem devia precisar de escrever. Mas infelizmente, poucos possuem uma assiduidade a 100%. Por vezes encontro jovens com muito potencial, mas que aparecem durante 2–3 meses, faltam outros 2 e depois regressam para mais um trimestre.

Obviamente, cada um prioritiza a sua vida da melhor forma: mas se o teu objectivo for ser um lutador, cada queda, cada flexão e cada clothesline devia contar.

Esses alunos revelam sempre quebras após uma ausência, que provavelmente poderia ter sido evitada.

Se não apareceres, não esperes milagres

Se não apareceres, não esperes milagres

#4: Combater sempre que possível

Como face. Como heel. Sem teres permissão para dar murros. Sem fazeres suplexes. Com número limitado de pins. Sem chegares às cordas. Sem subires aos cantos. Estilo japonês. Estilo mexicano. Contar uma história em 5 minutos. Contar a mesma história em 30 minutos.

No final de todos os treinos, sempre quis ter pelo menos um combate. Em eventos, era frequentemente o lutador que participava em maior número de combates ou era aquele que tinha o privilégio de passar mais tempo dentro do ringue.

Como podes querer ser o melhor se não quiseres o maior número de combates? Quantos mais fizeres, maior preparação terás. Se fizeres 2 combates cada treino e todos os outros só fizerem 1, no fim do ano terás passado pelo dobro de experiências dos teus colegas: obviamente, o mais provável é ficares melhor que eles.

#5: Experimentar tudo

Sou terrível em promos– é desconfortável e não é o motivo para o qual entrei no Wrestling. Por mim, resolvia-se tudo no ringue a partir do lock-up. Mas obviamente que percebo a sua inegável utilidade e muitas vezes enquanto fã até dedico mais tempo por semana a ouvir promos do que a ver combates.

No Wrestling, já passei um pouco por tudo. Já corri debaixo de um ringue num treino que mais parecia a tropa. Já andei com o Bruno “Korvo” Almeida às costas, na neve. Já tive treinos só de quedas. Já vi o Pegasus ter combates deliciosos com o homem invisível, em que conseguia perceber perfeitamente tudo o que estava a acontecer. Já pedi a colegas para lutarem como se tivessem mais 50 kg do que eu, só para ver o que conseguia fazer. Já cortei promos em que só podia utilizar uma palavra.

Aquilo que estou a querer dizer é: se não experimentares, não vais saber o que é desconfortável ou não. Se não te testares em todos os sentidos, não terás a versatilidade que se espera. E vais perder oportunidades com isso.

Se observares a WWE, a todas as alturas surgem coisas incríveis que superam em muito a job description de um wrestler tradicional. Quanto mais preparado estiveres, melhor!

O fenómeno Kurt Angle

Um Wrestler que dispensa apresentações é o natural de Pittsburgh, Pennsylvania. Antes da chegada à WWE, é mais do que conhecida a sua história de ter vencido uma medalha de Ouro em 1996. O segredo? Kurt Angle estava ciente de que não era o melhor lutador do mundo. Mas estava determinado em ser o candidato em melhor forma física e vencer a sua competição através do cansaço.

Para alcançar essa forma física, Kurt treinou 29–30 dias por mês (apenas 1 para descanso) dedicando cerca de 10 horas por dia ao seu treino. Durante o dia corria pelas montanhas com parceiros às costas, levantava pesos, fazia treino pliométrico e alocava cerca de 3–4 horas ao Wrestling. Os resultados estão à vista. E a razão pela qual ele decidiu participar na final lesionado? Kurt tinha noção do trabalho que tinha tido para chegar onde chegou e não pretendia passar outros 4 anos pelo mesmo exagero de treino.

Treinar até depois da exaustão todos os dias deu nisto

Treinar até depois da exaustão todos os dias deu nisto

Não penses que podes ser um lutador de topo dedicando 1 hora por dia a isto. Isso é o que eu faço quando leio um livro ou ouço música e chama-se hobby.

Lembra-te: por muito bom que fores, há sempre alguém no mundo que quer isto mais do que tu.

Conclusão: está tudo nas pequenas conquistas

Somos obcecados com resultados. Queremos perder 15 kg, perder 50 gramas num dia pouco nos diz. Queremos completar um combate, não nos interessa aprender a cair perfeitamente primeiro. Queremos sempre mais e mais, aqui e agora. Mas quanto mais cedo começarmos a entender que é uma questão de repetição, mais cedo estaremos no bom caminho. Bom ano a todos!

Até para a semana pessoal. Já sabem que podem chegar a mim através do Twitter, mensagens e comentários!

Sobre o Autor

- Bruno “Bammer” Brito é português, treinou em Calgary, Alberta, Canadá e foi durante 6 anos treinador principal da academia do WrestlingPortugal. Durante esse período, foi responsável por formar alguns dos mais conhecidos e talentosos lutadores nacionais da actualidade e está agora a partilhar as suas experiências com a comunidade do Wrestling PT.

17 Comentários

  1. Rubinho16@ - há 3 anos

    Bom artigo!

    Mesmo que não comente regularmente, leio sempre que posso e gosto bastante deste espaço; é algo que não só beneficia o site, como promove o wrestling português e os respetivos lutadores.

    Tinha uma pergunta para te fazer, mas como estiveste sem escrever duas semanas, só a consegui fazer agora, logo, aguardo pela resposta:

    Não sei se vais perceber ao certo a questão, mas tenho curiosidade em saber como é que um lutador define o seu move-set. Como é possível o Daniel Bryan usar 100 moves e o Big E usar apenas 10, foi uma dúvida que sempre tive, e queria expô-la agora. O move-set é definido de acordo com a gimmick ou é como as fintas no futebol, cada um faz a que sabe ?

    • Obrigado por leres e pelo comentário, antes de mais!

      É uma excelente pergunta- na verdade, ao pensar na resposta percebi que tenho aqui material para um artigo inteiro, porque este tema “dá pano para mangas”. Se puderes esperar mais 1 semana, que tal responder-te com o post da próxima semana? É pedir muito? :)

      • Rubinho16@ - há 3 anos

        É uma pergunta que já há muito me andava a fazer “comixão”. Para veres, quando estiveste ausente estas duas semanas, estive para mandar um mail ao Salvador, já que ele também já esteve no ramo e deve ter uma noção, mas acabei por recuar pois tens aqui um espaço para isso mesmo e as perguntas têm mais lógica ao serem feitas a ti.

        A pergunta é mesmo interessante, e vai-me custar muito esperar mais uma semana (xD), mas ainda assim prefiro uma resposta mais aprofundada. P.S – Como taxa a pagar, vais começar o artigo a dizer quem deu a ideia do tema ehehe

      • Claro, já tencionava dar o crédito hehe ;)

        OK, conta com isso na próxima 6ª. É realmente um óptimo tema!

  2. Dan - há 3 anos

    Olá Bammer, antes de tudo gostaria de parabeniza-lo por ter (na minha opinião) o melhor artigo de todo o wrestling.pt, agora sim…Gostaria de pedir um conselho, minha mãe e meu pai, não aprovam que eu lute Wrestling, inclusive conhecidos ja me chamaram para lutar numa academia gratuitamente com eles, porém mesmo assim não adiantou. Porém mesmo sem a permissão dela, eu faço o que posso em casa 7 dias por semana, como treinar promos sozinho ou falando comigo mesmo no espelho, exercitando os musculos levantando algo pesado uma sequencia de vezes etc.
    E eu gostaria de pedir um conselho, o que devo fazer para convence-los de que é isso mesmo que quero?

    • Obrigado pelo elogio e ainda bem que gostas deste espaço :)

      O que estás a fazer já é um bom exercício (treinar promos, exercício) e podes sempre dedicar algum tempo para outras coisas que não requerem um ringue (como ver Wrestling ou pensar na personagem). Acredito que com o tempo, se mostrares que queres mesmo, os teus pais acabem por ceder e mesmo apoiar-te mais tarde. Às vezes pensam que é só uma fase e podem estar apenas preocupados com o teu bem-estar.

      Se tens acesso a uma academia próximo, o meu conselho é combinares um acordo com os teus pais (por exemplo, se fizer isto então como recompenso gostava de fazer aquilo) ou levá-los contigo à academia para assistir. Envolvê-los no processo é provavelmente melhor do que colocá-los contra o Wrestling.

      Boa sorte! :)

  3. PMB - há 3 anos

    Um ótimo artigo como sempre =)
    Bruno tornei-me fã de wrestling á pouco tempo e queria perguntar-te algumas coisas se não for muito incómodo.
    Queria perguntar-te o que são promos? , também como é que escolhem o campeão já que as batalhas são combinadas? e qual é a diferença entre smackdow , raw e NXT
    Obrigado :D

    • Obrigado e já que és um fã recente, bem vindo ao fascinante mundo do Wrestling :)

      Promos são geralmente todas aquelas conversas (dentro e fora do ringue) a que assistes entre os combates, com o objectivo de PROMOver combates futuros.

      Os critérios/requisitos para um campeão já foram definidos num artigo anterior, que podes consultar aqui http://wrestling.pt/bammer-ser-campeao/

      O Raw/Smackdown/NXT são todos eles produtos da WWE claro, sendo que têm posicionamentos diferentes- o Raw é o show principal da semana onde as histórias evoluem consideravelmente, o Smackdown é mais para dar destaque a estrelas que não tiveram tanto tempo de atenta na 2ª feira e o NXT serve para apresentar as novas promessas e, claro, dar-lhes alguma experiência antes de seguirem para uma audiência maior.

  4. Talles - há 3 anos

    Otimo artigo
    Parabens!
    Más tenho uma duvida, uma pessoa que pratica Wrestling é só gosta do mesmo estilo de “luta”,teria uma desvantagem de uma pessoa que gosta de Wrestling,Judo,Karate,MMA,etc.

    • Obrigado por leres ;)
      Não acho que exista nenhuma desvantagem. Pessoalmente, nunca achei muita piada a judo, karaté ou kick-boxing (e experimentei todos esses), só me senti bem com Wrestling. A única coisa que pode ajudar é em condição física/disciplina, mas nisso qualquer outro desporto pode contribuir!

  5. MR Perfection André Santos - há 3 anos

    Optimo artigo.Tenho lido mas não comentado!

    Vou focar-me na realização de desporto:

    Excelentes dicas.Faço desporto só uma vez por semana, estou a ver que tenho que mudar isso…Talvez vá acrescentar mais uma hora noutro dia!

    Pode ser estranho, mas a modalidade que pratico é bastante cansativa e perdi bastante peso, e estou com uma forma física que já tinha perdido algum tempo.Pratico Zumba e aconselho a muita gente.Fandango Style…

    • Boas notícias, força nisso! :)
      Acho que qualquer desporto é bom – mas sim, sem dúvida que regularmente é melhor do que 1 hora por dia… se tens 2 horas por semana para dedicar à boa forma, então sugiro que faças por exemplo 6×20 minutos! ;)

  6. Mr. Anônimo - há 3 anos

    Mais um excelente artigo, parabéns!

  7. Will - há 3 anos

    Mais um grande artigo Bammer !

    Não costumo comentar muito, mas venho lendo seus artigos repetidas vezes, seguindo cada dica que você nos da nos seus artigos, pois isto vem me inspirando muito..

    Mas tenho uma pergunta, moro no Brasil, mas a algum tempo venho planejando e me preparando para me mudar para Portugal para treinar na academia da Wrestling Portugal…
    Como você foi treinar no Canadá e “abandonou” bastante coisa para seguir sua jornada no Wrestling, gostaria de saber como você lidou com as mudanças e quais as indicações que você daria?

    • Se te vais mudar para Portugal especificamente por causa do Wrestling, o meu principal conselho será escolheres um país com um cenário mais competitivo. A academia do WP só tem aulas aos sábados e terias maior rendimento se fosses para uma escola com mais aulas por semana, como por exemplo a do Lance Storm (que obviamente é muito mais cara, mas tem o melhor treinador do mundo e 5 aulas por semana, todas as manhãs).

      Independentemente do país/escola que escolhas, o meu conselho é não planeares muito porque nunca se sabe o que vai acontecer. Antes de ir para o Canadá vivi obcecado em ir na melhor forma física da minha vida e não sabia que a altitude de Calgary iria afectar tanto a minha prestação ao início, o que me surpreendeu. Outra surpresa foi ter adoecido lá durante alguns dias (e eu nunca estou doente, felizmente, logo nem sequer ter pensado nisso), tendo impacto no dinheiro que levava comigo e a sua utilização.

      Basicamente, assim que sentires que tens condições avança e não penses demasiado nos 1001 cenários que podem acontecer, porque a verdade é que nunca dará para planear a 100%!

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador