Beyond The Mat #18 – Do You Believe in Cargo Doors?

Passei dias, semanas e meses a ver os especialistas a falar sobre Daniel Bryan. Não só neste site, mas um pouco por toda a internet. Fui pacientemente recolhendo as suas opiniões, atento ao que diziam, à espera que alguém tocasse verdadeiramente na ferida, por assim dizer. Após todo este tempo verifiquei que poucos foram aqueles que realmente conseguiram perceber as dimensões de toda esta questão. O meu nome é akujy… (sim, com letra minúscula) Bem-vindos ao Beyond The Mat.

Created By: akujy & ThaGr8One
#18 Written By: akujy

Falar em Bryan Danielson (tratemos os bois pelos nomes) é falar num tema que irá gerar sempre opiniões diferentes. Todos têm a sua visão sobre o assunto, todos têm a sua opinião a dar. Aquilo que poucos percebem, mas que é importante realçar, é que Danielson serve como um perfeito exemplo para retractar o panorama actual do pro-wrestling. A sua ascensão enquanto singles performer, após o fim da Team Hell No, foi um dos momentos mais ansiados por muitos fãs da modalidade. Com curvas e contra curvas pelo meio, ao bom estilo da WWE, Bryan foi ganhando um merecido destaque e a sua popularidade, bem como a ligação que conseguia com o público, foram ganhando proporções impensáveis. Críticos, colegas de profissão e público… todos estavam rendidos a este pequeno grande homem. Toda esta evolução acabou por desaguar naquilo que toda a gente queria ver, ou seja, a perseguição ao título da WWE. Este era o momento dourado de Bryan…era chegada a sua hora de brilhar.

daniel

E assim chegávamos ao Summerslam e ao momento em que o performer Bryan Danielson, agora transformado em “herói do povo” Daniel Bryan, era tramado por Triple H, que iria ganhar destaque enquanto a cara da autoridade que iria perseguir Bryan, tentando impedi-lo de atingir os seus objectivos. Este era o ponto de partida para que Bryan pudesse ter em si concentradas as luzes da ribalta. Algo que foi confirmado por John Cena, na Raw a seguir ao Summerslam, onde o mesmo fazia uma “passagem de testemunho” que nos levava a acreditar em grandes coisas no horizonte de Daniel Bryan. Já todos sabemos o que aconteceu a seguir, já todos sabemos como evoluiu esta situação. Bryan acabaria por ser substituído por Big Show na storyline da autoridade, uma história que, tal como o push de Daniel Bryan, acabou sempre por ser atabalhoada e pouco consistente e que culminou, mais recentemente, com o mesmo a juntar-se à Wyatt Family.

Durante todo este tempo a internet entrou em milhares de debates, com toda a gente a querer dar a sua opinião sobre toda esta situação. A maior parte dessas opiniões prendiam-se com a eterna questão do título da WWE e se Bryan o devia ter ganho ou não, quando é que o devia ter ganho e que destaque devia ter tido enquanto campeão. Enquanto uns diziam que a rota seguida pela WWE era a melhor, porque culminaria numa conquista do título na Wrestlemania, com um Wrestlemania Moment, outros diziam que Bryan estava a ser queimado e que o facto de não ter vencido a autoridade, de não ter conseguido uma vitória decisiva que fechasse um capítulo, significava o fim das esperanças em vê-lo tornar-se uma figura de relevo na companhia. Basicamente as opiniões dividem-se entre uma dicotomia que existe sobre a premissa de que, independentemente das intenções da WWE, os caminhos para Daniel Bryan se cingiam a um retorno imediato enquanto campeão, ou a um plano de longo prazo que acabaria com uma possível vitória na Royal Rumble e respectiva conquista do título da WWE na Wrestlemania.

O que estas opiniões não tiveram em conta, ou assim parece, é que a questão aqui é bem maior do que o título e até da possível duração (longo ou curto prazo) do plano de ascensão de Daniel Bryan. O importante a reter de toda esta odisseia não será o número de títulos ganhos por Bryan, nem o tempo que ficou – ou ficará com eles – nem sequer o tempo que levou, ou levará a alcançá-los. Mas sim o facto inegável de que a WWE não soube gerir o lutador mais over do seu plantel. O booking de Daniel Bryan foi um perfeito exemplo da estagnação em que se encontra o panorama do wrestling actual. A WWE tinha à sua disposição um talento que encontrou uma ligação rara com a multidão e que facilmente se poderia ter tornado numa figura icónica da próxima década da indústria. Apercebendo-se desse facto, a companhia de Vince McMahon pediu-nos para acreditar na ascensão dessa figura, tentou dar-lhe obstáculos para ultrapassar e quis passar a ideia, sublinhada pelo próprio John Cena, de que Daniel Bryan tinha atingido a velha máxima de Ric Flair: “To be the man, you have to beat the man!” Esta ideia foi passada na Raw a seguir ao Summerslam, com a tal “passagem de testemunho” de que falei, após a vitória de Bryan sobre Cena no Summerslam.

http://dailywrestlingnews.com/wp-content/uploads/2013/08/john-cena-declares-daniel-bryan-the-legitimate-wwe-champion-raw-august-19-2013-620x350.jpg

Mas as semanas foram passando e Bryan acabou substituído por Big Show, relegado para fora do panorama do título principal e sem o destaque que uma personagem com a sua overness devia ter. As pessoas atribuem tudo isto a uma falta de vontade da WWE em apostar em Bryan, nas decisões em cima da hora que são tomadas na WWE e até mesmo nas indecisões de Vince McMahon, cujos critérios de decisão terão deixado a desejar. Outros insistem que o seu momento vai chegar e que só poderia ser atingido a longo prazo, criando a tal dicotomia de que vos falei, baseada na crença de que a situação actual de Bryan é uma situação de noite ou dia, de alegria ou de tristeza, de tempestade ou de bonança. E todas estas teorias assentam na premissa de que o problema é apenas da WWE, de que o problema é apenas de Vince McMahon. Tal não podia estar mais longe da verdade.

De entre todas as opiniões que surgiram sobre este tema, poucas foram as que conseguiram perceber que a situação de Daniel Bryan é apenas a imagem do panorama actual do wrestling de hoje em dia. A questão vai muito para além da WWE, ao mesmo tempo que se centra à volta desta, sendo esta a companhia que dita as tendências. Mas afinal qual é o problema? Qual o estado actual da indústria que tanto adoramos? Qual a melhor maneira de perceber toda esta situação? Para vos poder explicar tudo isto, terei de vos levar numa viagem pelo tempo, na qual iremos falar sobre…portas de carga (cargo doors). E para que não haja dúvidas, vou explicar que me refiro às portas de carga que estão situadas na traseira dos aviões. Deixo aqui uma imagem de exemplo, para que não subsista nenhum tipo de mal-entendido ou confusão. Olhem para a mesma por alguns segundos…

Já está? Então vamos lá viajar no tempo. A nossa viagem começa algures nos gloriosos anos oitenta, época em que eu era extremamente jovem, arrogante e inconsciente. E com a excepção de mais alguns anos em cima, pouco ou nada mudei. Mas não deixava de ser uma criança, com o meu cérebro ainda a desenvolver-se e longe de entender as complexidades da vida. Até ao dia, que já não recordo qual foi, em que vi um filme, que já não recordo qual era, que haveria de ficar para sempre na minha memória. Quer dizer… na minha memória, como quem diz. Do filme pouco ou nada recordo, excepto que eram desenhos animados. Talvez fosse o Yogi Bear, não posso confirmar, talvez fosse outra parolice qualquer. O que realmente ficaria gravado na minha mente seria uma cena específica. Não o seu conteúdo, esse também já lá vai esquecido, mas sim a sua mensagem. Como já não possuo quase nenhum “arquivo visual” da cena em questão, terei de me esforçar muito para a tentar explicar.

A dita cena passava-se num avião, onde os bons da fita perseguiam um qualquer objectivo que lhes permitiria vencer o mal. Pretty standard cartoon stuff, portanto. A dada altura, eis que os nossos heróis (Seriam os Top Cats? Não me lembro mesmo…) chegam à conclusão que, para conseguir atingir tais objectivos, necessitavam que o seu avião tivesse uma porta de carga. Infelizmente para eles, bem como para o destino do mundo, ou do bem no mundo – ou lá do que fosse que estivessem a tentar salvar ou preservar – o avião deles não possuía nenhuma porta de carga. Pelo contrário, a sua traseira era completamente fechada. Qual a solução que eles arranjaram para resolver esse pequeno contratempo? Simples! Decidiram acreditar na existência de uma, I kid you not. Porque não tinham mais nenhuma possibilidade de resolver o problema e o mesmo pedia uma solução imediata e urgente, os nossos heróis limitaram-se a pensar que se acreditassem em portas de carga, as mesmas apareceriam como que por magia…

E a páginas tantas, eis que um dos protagonistas pergunta: “Do you believe in cargo doors?” (Acreditam em portas de carga?) E todos acreditaram…e todos as desejaram… E não é que, como que por milagre, o avião passou a ter mesmo uma cargo door? Ao ver esta cena, o jovem akujy apenas pensou: “Mas vocês querem fazer de mim otário ou quê?” Admito que me senti insultado, ainda hoje me sinto. Talvez por isso essa cena me tenha perdurado na memória. Pediam-me a mim, enquanto criança, que me mentalizasse que se eu acreditar totalmente numa coisa, ela vai cair do céu. Que basta querer e desejar muito algo, mesmo que não se faça nada por isso, para se conseguir ter esse algo. Tristemente isso não é verdade, ou eu já estaria casado com uma Spice Girl há muitos anos.

Infelizmente vamos vendo este tipo de mensagens erróneas a serem transmitidas às nossas crianças até aos dias de hoje. Basta olhar, por exemplo, para um filme da Disney, geralmente protagonizado por modelos, antigos modelos, ou candidatos rejeitados de um qualquer casting de modelos, que nos dizem que a beleza não é o mais importante, mas sim o valor das pessoas. Ora  bolas… dizem isso e muito mais. Todas a mensagens que os mais novos recebem são tão enganadoras como essa. E todas elas pedem à criançada que acredite…seja lá no que for. Acreditem porque vai acontecer, acreditem porque só isso basta, acreditem porque só isso chega para ter tudo aquilo com que sonhamos. Só se esquecem de mencionar que daria jeito, mas só um bocadinho, fazer uso dos valores que eles tanto apregoam e usá-los da melhor forma possível para construir o nosso amanhã. O mesmo se aplica ao wrestling.

Olhar para o wrestling hoje em dia, e para o estado em que este se encontra, faz a minha mente voltar até ao avião que um dia vi nos anos oitenta. Mais que isso, faz-me sentir como se lá estivesse. Os anos passaram, mas as ideias permanecem as mesmas. Pedem-nos que acreditemos, pedem-nos que gastemos a nossa preciosa fé, pedem-nos para investi-la nas suas ideias que se baseiam no conceito de que tudo é uma simples luta do bem contra o mal, que se baseiam em tácticas que nos indicam que tudo é uma simples luta entre um herói e um vilão, que nos ensinam a acreditar na magia e nos contos de fadas, na história do super-herói que tem tudo contra si, que é o underdog que, mesmo estando num cenário em que o falhanço é iminente, avança sem qualquer medo no seu combate conta os vilões, munido apenas dos seus (supostamente) altos e verdadeiros valores. Valores esses que (supostamente) chegarão para derrotar qualquer adversidade. Basicamente somos presenteados com a noção de que um nobre cavaleiro irá derrotar todos os dragões que lhe puserem à frente, ou qualquer outro tipo de monstro que lhe surgir no seu caminho. Porquê? Porque ele acredita…porque ele tem fé, porque ele tem valores…e só isso chega!!!

Foi assim com Hulk Hogan, foi assim com John Cena e também foi essa a abordagem que tentaram com Daniel Bryan. Infelizmente…foi essa também a abordagem que tentaram com muitos outros, em muitas outras companhias de wrestling, mas não só. Como já disse, desde o início dos tempos que esta abordagem é tentada no mundo do entretenimento e, pior do que isso, na vida em geral. Para verificarmos que o problema não é exclusivo da WWE, basta darmos um saltinho à TNA e ver o que por lá se faz. Olhando para a história principal da TNA, rapidamente verificamos que a mesma também se cinge a uma luta que se baseia em conflitos com a autoridade, mas que, mais que isso, se baseia na eterna premissa de que acreditar será sempre a solução para todos os problemas. Fomos levados a acreditar na odisseia de AJ Styles, fomos levados a acreditar na sua batalha contra os poderes que reinavam na TNA, da mesma forma que nos irão fazer acreditar na luta contra o reinado de Magnus, bem como dos tiranos que o apoiam.

Duas companhias, duas realidades distintas, duas apostas em conflitos contra a autoridade que, na teoria, nada teriam de mal, se tivessem sido bem executados. Enquanto a WWE soube escolher um antagonista com capacidades, na pessoa de Triple H, um homem cujas mic skills seriam as mais indicadas para gerar heat, para ajudar a conduzir a história através das várias promos que seriam necessárias, a TNA espalhou-se ao comprido com os nomes que escolheu: Dixie Carter, cujo talento é inexistente, seja em que critério for, e AJ Styles…que ao microfone não é assim tão melhor do que a patroa da TNA. Vá…é melhor, mas não é bom, nem sequer possui as capacidades para carregar esta história no tipo de promos que a mesma iria exigir. Quanto à forma de contar a história, os papéis invertem-se. Enquanto a TNA escolheu o caminho certo, uma história que acabou por desenvolver-se de uma forma certa e bem contada, (salvo alguns momentos dispensáveis) a WWE espalhou-se ao comprido na sua narrativa. Não conseguindo contar uma história que justificasse sequer a inclusão das tais figuras de autoridade.

Assim sendo, é possível ver que ambas as companhias falharam. Em pontos diferentes, é certo, mas falharam. O que as une em comum – a elas e a toda a indústria do entretenimento – é o motivo pelo qual falharam e o motivo pelo qual hão-de continuar a falhar: Porque ambas continuam a tentar espalhar a crença de que acreditar é o suficiente, de que acreditar produz magia, de que a fé irá resolver todos os males. É verdade que ambas conseguem alguns momentos de destaque, como o último Impact, (que deixou todos a ansiarem pela semana que vem) no caso da TNA, ou como o turn de Daniel Bryan, que nos “obrigou” a todos a sintonizar na semana seguinte. Também é verdade que ambas as companhias conseguem ter storylines de qualidade, como é o caso da feud entre Bully Ray e Mr. Anderson na TNA, ou como é o caso da feud entre CM Punk e os Shield na WWE. Mas nenhuma destas companhias consegue atingir estes momentos de forma regular e consistente. Ainda por cima, ambas são histórias que acabam por ser desvalorizadas face às rivalidades principais, mas também por alguns fãs.

Vejo muita gente a criticar a rivalidade entre Punk e os Shield, vi até muita gente a queixar-se de que a mesma consistia nos Shield a serem enterrados semanalmente. Esta ideia é falsa e não podia estar mais longe da realidade. Em abono da verdade, é preciso dizer que é precisamente o contrário que está a acontecer. Esta rivalidade conseguiu dar uma personalidade distinta a todos os elementos dos Shield, conseguiu mostrar-nos os seus membros enquanto pessoas de características distintas. É verdade que, na minha opinião, esta história chegou cedo de mais, porque ainda considero que os Shield tinham mais tempo de vida na sua versão original.  Com mais algum destaque e um pouco mais de aposta, no que a conteúdo diz respeito, esta história podia ter sido um momento enorme e de muito maior importância. O mesmo se vai passando com a feud Bully Ray vs. Mr. Anderson. Uma história com dois executantes brilhantes (com destaque para Bully Ray) que nos mostra o tipo de conteúdos em que a TNA devia apostar para a sua rivalidade principal. É verdade que nem toda a gente é Bully Ray, nem toda a gente conseguirá carregar uma feud como ele, mas a personalidade que o mesmo traz a uma rivalidade é algo que a TNA devia aprender a tentar reproduzir com outras pessoas, de outras formas. Porque personalidade é aquilo que vai faltando no wrestling de hoje em dia.

Daniel Bryan foi apenas mais uma vítima do booking deficiente que vai existindo no mundo do sports entertainment. Foi apenas mais um vítima da mentalidade que nos tenta fazer crer em conceitos ultrapassados, em frases feitas e em ideias vãs. Pouco importa o que o futuro lhe reserva, os títulos que ganhe, ou as ideias que tenham para ele. O facto é que Daniel Bryan dificilmente se tornará naquilo que podia ter sido, um ícone de uma década inteira, de um período do wrestling em geral. Não quero dizer que ele poderia ter sozinho mudado toda a indústria, mas podia ter dado o primeiro passo nessa direcção. Gostava de estar errado, gostava de estar a ser pessimista de mais, mas a realidade mostra-me que dificilmente a WWE saberá lidar com um talento como Daniel Bryan, muito simplesmente porque continuam a trabalhar com uma fórmula gasta, que vai sofrendo a erosão do tempo e já deu o que tinha a dar. Uma fórmula que continua a ser usada pela maior parte da indústria do entretenimento e que nos tenta fazer acreditar em coisas que já ninguém acredita.

Os tempos mudaram e a era em que as pessoas acreditavam em monstros acabou. Já ninguém tem medo deles, já ninguém sequer acredita na sua existência. Mudar o panorama do pro-wrestling só será possível se os seus intervenientes perceberem que o caminho a seguir não se baseia em dizer às pessoas que os monstros existem, mas sim em produzi-los, em mostrá-los, em provar que os mesmos estão mesmo presentes na nossa realidade, mesmo que todos nós saibamos que não passam de ficção. Para isso não basta colocar-nos num avião e ensinar-nos a ter fé que as portas de carga do mesmo irão aparecer se nelas acreditarmos. Muito pelo contrário, essa táctica irá apenas fazer-nos crer que as mesmas cada vez menos terão possibilidades de surgir.

Chegou a hora de me despedir e marcar encontro com vocês para a semana, onde irei, juntamente com o Daniel, fazer as previsões do BTM para a Royal Rumble. Assim sendo, podem contar com os dois cronistas deste espaço no artigo da semana que vem, algo que não quererão perder. Antes de partir, partilho com vocês aquela que escolhi como sendo a imagem da semana e que, neste caso, nem está relacionada com wrestling.

BTM’s Image Of The Week

Para terminar resta-me apenas perguntar em que nível se encontra a vossa crença no mundo do wrestling, bem como no futuro do mesmo. E fá-lo-ei de uma forma muito especial. Levar-vos-ei a todos aos anos oitenta, ao interior daquele avião, com uma pergunta que servirá para avaliar a vossa fé não só no wrestling, mas na própria fé em si:

Do you still believe in cargo doors? (Ainda acreditam em portas de carga?) Pensem bem antes de responderem a vocês mesmos, ou na caixa de comentários – se assim o entenderem – e fiquem com a minha resposta, com a qual me despeço até à semana que vem: Eu já não acredito em portas de carga… mas ainda acredito em aviões. Pode ser que seja suficiente…só o tempo o dirá.

You have been metaphorically Pipe Bombed!

Sobre o Autor

- akujy é um seguidor de wrestling com 3 décadas de experiência, uma paixão pelo Benfica e uma mania de constantemente mudar a sua foto de capa do Facebook! Deal with it! É com muito orgulho que faço parte desta equipa do WPT como colaborador, a publicar algumas notícias e como co-escritor do artigo Beyond The Mat.

45 Comentários

  1. José Sousa - há 3 anos

    Excelente meu caro. Concordo totalmente contigo sobre o Bryan, ele podia ter sido caso a WWE quisesse o HBK desta década. O homem mais baixinho que com carisma iria marcar uma década do wrestling, com carisma e empatia com o público. Lá está, neste momento é justo dar-lhe muito, mas mais importante que o que lhe vão dar é como vão dar, que valor lhe vão dar.

    Na TNA o problema foi o inverso tiveste uma péssima actriz a criar o heat certo, a história tinha tudo para ser brutal, mas aqueles actores estragam tudo. Ao contrário da WWE que tinha os actores certos, e contou a história de forma errada.

    Sinceramente acho que a história da Autority podia ter sido épica, bastava a WWE ter feito aquilo com pés e cabeça. Podia ter sido uma viragem de Era, a WWE teve com o Bryan a oportunidade de dizer a Era do Cena acabou, entramos numa nova fase. E a prova disso foi quando eu e tu vimos na Raw a milhas que íamos ter a unificação dos títulos Mundiais.

    Ou seja, salvo as excepções que falas, muitas histórias são construídas actualmente em cima do joelho, e com reciclagens um pouco mal feitas porque são decidas em á última hora, o que leva a que as histórias estejam cheia de incongruências.

    Se acredito em Cargo Doors? Não porque a vida ensinou-me que elas não existem, e o wrestling não é diferente da vida. Claro que existem momentos em que acabo por acreditar na premissa, mas já não consigo olhar com o olhar de certezas inabaláveis que eles pretendem. Talvez só acredite em Hospedeiras(estou a brincar). O trabalho por si não te garante nada, mas também as coisas não te caiem do céu, acho que é um preciso um misto de sorte, contexto, trabalho e talento. O Wrestling é um espelho da nossa sociedade: apressa tudo, e por isso acaba por não valorizar nem potenciar.

    • akujy - há 3 anos

      Muito obrigado pelos elogios, José. Valem sempre muito, especialmente quando vêm de um dos mais conceituados cronistas do site. Já agora, gostava de dizer que o título original era “Do You Still Believe In Cargo Doors”, mas parece ter sido mudado, não sei pq. De resto fico feliz que tenhas gostado do artigo e que compartilhes da minha opinião. Como dizes e bem, há coisas que já tinhamos topado ainda antes de muitos outros as preverem e isso não abona nada em favor da WWE e mesmo da TNA. Esperemos q isto com o tempo melhore.

      • José Sousa - há 3 anos

        Sim espero que dia 26 marque um momento em que se percebe essa mudança, mesmo que uma vitória do homem nao seja tudo, já seria um passo muito importante.

      • akujy - há 3 anos

        Seria um passo importantíssimo, José. Mas lógico que a WWE precisa de melhorar mais do que apenas isso. Mesmo que lhe queiram dar destaque, têm de aprender a não cometer erros tão amadores como os que têm cometido.

      • José Sousa - há 3 anos

        Dai eu dizer era muito bom, mas não era suficiente. O Booking não podia ser tao trapalhão, aliás o mais notável nele é como consegue manter-se over depois de tanta borrada.

      • akujy - há 3 anos

        Pois é José. Só isso daria tema para outro artigo. A capacidade que ele tem d s manter over apesar de toda a trampa que ja fizeram com ele. O booking precisa mesmo de mudar e precisam de voltar a fazer planos com algum tempo e não apenas coisas em cima do joelho.

  2. MR Perfection André Santos - há 3 anos

    Estou a dirigir-me para a bilheteira, para tirar a passagem para os anos 80…Que bom que era…

    Bem…vamos começar, caro colega de quartas-feira:

    Um artigo estrondoso, bestial, fantástico, e com “pitadas” de vintage…mas em desenhos animados…Devo dizer que o teu artigo é deveras fenomenal, conseguiste escrever acerca do que é este fenómeno Daniel Bryan e, se a WWE, consegue gerir este alvoroço
    a volta dele.

    Gostava de acreditar em “cargo doors”, mas penso como tu, basta ver que, Bryan esta em questões de popularidade, ao nível de grandes nomes do passado, só que, na minha modesta opinião a WWE, não quer que Bryan se torne, ao mesmo patamar desses mesmos.

    A WWE faz acreditar os fás que aquilo que é evidente, raramente acontece, basta ver o que aconteceu no SummerSlam, com um
    “roubo” deliberado a Bryan. Tal como referes a WWE, ou mesmo a TNA, tem histórias muito semelhantes, onde um renegado, tenta vencer todo o mal, como fosse “John Rambo” e tivesse somente uma bala, mas com essa mesma, mata 100 inimigos.Bonito, mas raramente acontece…bem…Hulk Hogan nos tempos da WCW conseguiu sozinho destruir a Stable “Dungen of Doom”, mas isso, um dia entraremos os dois no avião, e puf! “Back to the Pass!” ok? Mas lá, está a crença do acreditar não é? De sentir que será possível, tudo gira a volta disso!

    Tal como Bryan, vitimas do Booking são aos “montes”, lembro-me de Sandow, Zack Rider, Dolph, bem não são casos iguais, mas mesmo assim sofreram na “pele” o resultado das más decisões dos guionistas.

    Falando novamente nos heróis, leva-me a pensar na rivalidade entre CM Punk e os Shield, onde estaria evidente o fim dos “Honds of Justice”, e sofreu uma viravolta positiva.Lá esta, existem decisões más e boas.

    Portanto, estou descrente que as portas do avião se vão abrir, e vamos começar a ver, depois do Royal Rumble, em plena “Road to Wrestlemania” , o cartaz a ser composto, e veremos onde se encaixa estes “workers” e talvez, o avião levante, mas portas, de facto, nunca se vão abrir.

    A imagem da semana é “priceless my friend!”

    Excelente Artigo!

    • akujy - há 3 anos

      Meu caro André….assim nem sei que dizer. Para além dos imensos elogios (que desde já agradeço) ainda me dás um comment com tanta qualidade. Espero q isso signifique que o BTM cumpriu o seu objectivo semanal, que é alegrar um pouco o dia de quem o lê, ao mesmo tempo que consegue tocar um pouco as pessoas falando não só de wrestling, mas também de vida. Nesta altura eu diria que tinhas sido Pipe Bombed e q tavas Welcome, mas quem tem que agradecer aqui sou eu. Qanto a essa nossa futura viagem conjunta aos eighties, e até mesmo a outras décadas do passado, fica marcada.

      • MR Perfection André Santos - há 3 anos

        It´s On My Friend! “Incha” Marty Mcfly!

      • akujy - há 3 anos

        Marty McFly doesn’t stand a chance! xD Por falar nisso, ja via uma maratona de Back To The Future. xD

      • joaop - há 3 anos

        Como sinal da “enterração do machado” entre nós e como prenda por este belo artigo, vou te oferecer um “doce” para as tuas cronicas aqui no BTM. Manda-me um mail para jonnybrabals@gmail.com que eu retorno. se quiseres claro está. haaa.. e já agora, mudaram o titulo do artigo pq era o “best for the business”, fizeram o mesmo comigo. O artigo era para se chamar “Onde Raio Paras Tu” mas ficou-se pelo que é. Confia que esta gente sabe o que faz.

      • akujy - há 3 anos

        Por acaso hoje foi mesmo por uma questão de espaço. São coisas que acontecem. Mas admito que “Onde Andas Tu” tem um apelo maior do que “Onde Raio Paras Tu”. Mas sendo eu rebelde por natureza, devo admitir que até curto o titulo original que tinhas planeado. Títulos de artigos para mim são mt importantes. Mas isso é conversa para outro…artigo. loool.

        “Enterração do machado”? Epá, gostei dessa. Por mim já tá enterrado há muito tempo, não sou pessoa de amuar, nunca fui. Digo o que tenho a dizer na hora e passa. Obrigado pelo elogio e espero que continues a seguir o BTM. E já te mandei o mail.

  3. Fandangooo!! - há 3 anos

    grande artigo akujy pode-se dizer que conseguiu as 5 estrelas. Agora akujy pode-se ver que estou sempre no chat quando possível e sempre que estou lá posso perceber que os assuntos por mais que sejam diferentes (Como Autoridade, Wyatt Family, Royal Rumble, Wrestlemania 30 entre outras) sempre o foco é o Daniel Bryan, sempre se chega a Daniel Bryan sempre com pessoas de diferentes opiniões e a debater o que a WWE fez com ele até hoje. Bom… Daniel Bryan sempre teve o apoio do público e de seus fãs o que conduziu ele a ser o campeão da WWE no SummerSlam um dos melhores momentos de 2013, mas a WWE o estragou dando o título ao Orton e agora a pouco tempo se aliado a família e no Raw abandonou a mesma com um grande impacto. Penso eu que isso tudo que ocorreu a Bryan foi tudo um teste, porque ele foi campeão, mas mesmo que a WWE soubesse que este teria o apoio do público ela não sabia ao certo até que ponto esse apoio aconteceria e agora ela tem a prova que mesmo com um heel turn a multidão ainda continua apoia-lo e que nada consegue parar o nosso querido Daniel Bryan e com isso a WWE tem o Wrestler mais querido em anos e se souber usá-lo será um dos maiores campeões de sempre quem sabe um Wrestlemania Moment no maior evento de wrestling onde se encontram fãs do mundo inteiro todos o fazer YES YES YES no final do evento. agora sabemos que isto não atrapalhou o Bryan mais só o ajudou a ser mais popular e mais incrível.

    • akujy - há 3 anos

      Ha realmente muito a dizer sobre o Bryan, mais ainda do que eu disse, mas como dizes e bem, basta ver que a maior parte das conversas acabam sempre por ir dar a ele. Isto mostra o destaque que ele conseguiu por mérito próprio. Gosto de pensar nele como sendo um self-made main eventer. Espero que tenhas razão e que ele ainda vá a tempo de grandes coisas, claro que também gosto de pensar que isso vai acontecer. Mas parte de mim achará sempre que ele poderia ter conseguido mais do que o que eventualmente conseguirá. E aí a culpa é da WWE e de todos os motivos que já foram falados e que já conhecemos.

      • Fandangooo!! - há 3 anos

        akujy hoje fique pensando muito sobre o Bryan depois deste artigo e pesnso que cada vez mais temos mais chances de ver o Bryan no main event da Wrestlemania como todos ou a maioria esperamos. Basta ver que o outro grande candidato a vencer( esse aí da sua foto) vai ter pela frente no Rumble provavelmente os The Shield e pelo que tudo indica os New Age Outlaws e também quem sabe Kane e Triple H, se isso acontecer ele terá pela frente 7 superstars no seu caminho enquanto o Bryan terá só a Wyatt Family

      • akujy - há 3 anos

        Tudo isso é mt subjectivo. Eu gostava que um deles ganhasse, admito, ou Punk ou Bryan. Se for o Bryan,como tantos queremos, que seja um momento épico e uma caminhada até à Wrestlemania que possamos recordar, para q dps o tal Wrestlemania Moment quando acontecer que seja mesmo único e ao nível que todos sonhamos.

  4. JoãoRkNO - há 3 anos

    Ora bem caro akujy, excelente crónica, a vossa ideia genial está a tornar este espaço num dos melhores do WPT.

    Acho que acabaste de dizer tudo sobre Sir Bryan. Carisma aos pontapés, moves geniais, aparência extravagante. Que se pode pedir mais a um wrestler para se destacar no ME ? Acho que é o bastante, agora eles tem é que aproveitar da melhor forma este talento todo, e dar-lhe verdadeiramente o que ele merece, o seu Wrestlmania Moment. E acredito que este ano irá tê-lo. Acho que nem preciso de dizer mais nada, já deves estar a ver o que imagino para o ME da WM 30.

    Em relação á TNA, acho que o booking e os protagonistas não foram os melhores. Em relação á Dixie, e também ao AJ, não desvalorizando todo o seu enorme talento in ringue, fica esta expressão vulgarmente conhecida: “É lindo/a, mas quando abre a boca estraga tudo.” Acho que ambos precisam de melhorar imenso, no que toca ao mic, apesar de que a Dixie está a conseguir criar o heat certo no público. Neste últimos tempos, posso dizer-te que o que mais tenho gostado é a feud Bully/Anderson. Opá, ambos tem desempenhado a sua personagem de uma forma extraordinária, mais o Bully, que é um monstro no acting.

    Cargo Doors? Nope, i don´t believe. A sociedade divide-se em dois estratos. Aqueles que conseguem alguma coisa da vida com a junção entre esforço, dedicação,um pouco de talento e sorte, e aqueles que tem tudo de “mão beijada”, que basta estalarem os dedos para terem tudo e todos a seus pés. Na sociedade em geral, um exemplo vai para o funcionário público e um político. É completamente o inverso, e o wrestling é o reflexo da sociedade capitalista do século XXI.

    Apesar de ter o sangue azul, foi uma bonita homenagem a que os jogadores do Benfica fizeram ao Rei Eusébio, imagem da semana sem dúvida.

    • akujy - há 3 anos

      Epá…esse sangue azul é que estraga tudo. xD Em relação ao Bryan, sim, imagino o que estás a pensar para ele. Acho que é o mesmo que muitos outros querem ver, incluindo eu. Espero que isso realmente aconteça e espero que, caso tal se verifique, seja feita de uma boa maneira, como ele merece, e não da forma atabalhoada que a WWE costuma fazer as coisas. Obrigado pelos elogios e espero ver-te cá para as sempre polémicas (ou se calhar nem por isso) previsões da dupla akujy & ThaGr8One.

  5. MicaelDuarte - há 3 anos

    Excelente artigo Akujy (para mim é com letra maiúscula e acabou! xD)

    Concordo com a analogia que fizeste. A WWE continua com a sua teimosia em criar heróis que são invencíveis, mesmo estando “against all odds”. Hoje, já ninguém acredita nisso, até porque os heróis têm as suas fragilidades e muitas vezes são derrotados.

    Ainda acreditam em portas de carga?

    R: Hoje, já não acredito que basta acreditar para que as coisas aconteçam. Claro que quando era mais puto, existia um certo conforto em pensar que as coisas eram desse modo, mas à medida que vamos crescendo a realidade abate-se sobre nós e rapidamente percebemos que as coisas não serão assim tão fáceis. Com isto, não estou a dizer que não acredito na permissa, na sua totalidade, mas estou a dizer que isso está longe de ser o suficiente para que as coisas se tornem realidade. Ou seja, a meu ver, é necessário existir uma conciliação entre as duas partes: trabalhar e acreditar.

    • akujy - há 3 anos

      Mas é com letra maiúscula porquê, pá? Deves ser daqueles que gosta de ser do contra. xD Em realação ao que dizes, concordo plenamente. A WWE continua a insistir numa fórmula gasta e que já não funciona. Infelizmente, como já disse no artigo, o problema não se singe apenas à WWE, nem sequer apenas ao wrestling.

      Em relação ás tuas cargo doors, acho que acreditar, trabalhar e querer são realmente partes fundamentais na perseguição do que se quer. Não são as únicas (talvez um dia fale nisso numa das habituais analogias vida-wrestling dos meus artigos) mas são importantes, sem sombra de dúvida.

  6. Mario Magalhaes - há 3 anos

    Grande artigo akujy.

    Realmente tanto a TNA quanto a WWE, tinha grande histórias em suas mãos, mas ambas não souberam aproveitar a oportunidade por problemas distintos.

    Bryan tem todas as qualidade para se tornar a cara da WWE, pois tem todo o apoio do público.

    • akujy - há 3 anos

      Obrigado, Mário. Ainda vamos realmente a tempo de ver Bryan ter um merecido destaque, esperemos que isso venha a acontecer em breve. Quanto ao que a WWE e TNA fizeram nas suas histórias, infelizmente é verdade. Tinham ali potencial que não aproveitaram nas histórias. Há vários motivos para isso, mas vamos a ver se eventualmente aprendem com os erros.

  7. Franciscoxb - há 3 anos

    grande artigo, brilhante mesmo

    Concordo com o que disseste sobre o momento atual destas duas companhias de wrestling.

    Acho que é mais que óbvio que o bryan vence o rumble e terá o seu wrestlemania moment

    • akujy - há 3 anos

      Muito obrigado, Francisco. Esperemos que sim Francisco, tmb quero acreditar nisso, mas como já disse, se tal acontecer, só espero que seja bem feito. Pq a gestão do Bryan por parte da WWE, msm quando a intenção é boa, n tem sido a melhor.

  8. Dolph Ziggler - há 3 anos

    Artigo fabuloso, akujy. Muitos parabéns!

    E sim, concordo contigo quando dizes que tanto a WWE como a TNA tiveram duas grandes histórias nas suas mãos mas que acabaram por não aproveitar da melhor da maneira. A WWE não conseguiu devido a falhas na storytelling enquanto que a TNA falhou na escolha de certas personagens, apesar da história ter sido bem contada. Acho que, apesar do run do Bryan no main-event ter falhado – culpa do booking da WWE -, este ainda pode dar a volta por cima e cada vez acredito mais nisso depois do fim do Raw desta segunda-feira. Alguns fãs proclamavam que este ia perder algum apoio do público com a sua entrada na família mas a verdade é que nada disso se sucedeu. O final do Raw foi espelho disso. Agora imagina se a história tivesse demorado mais tempo, a explosão que iria ser quando este, finalmente, se livra-se daqueles três. Agora é esperar que a WWE continue a apostar nele, continue a ter fé e que acabe por, de uma vez por todas, dar-lhe o tão merecido titulo da WWE na Wrestlemania (seria um momento fantástico).

    Quanto a cargo doors, what MicaelDuarte said. Sem tirar nem pôr.

    Bela imagem e parabéns pela vitória :)

    • akujy - há 3 anos

      Obrigado pelos parabéns, mas esperemos que também haja motivos para mos dar no fim da época, Dolph! Quanto ao resto, a situação do Bryan é realmente complicada no sentido de que ele tem tudo para ser alvo de destaque, desde que a WWE o saiba fazer. Porque mesmo quando têm boas intenções a WWE acaba ás vezes por fazer asneiras.

  9. AwesomeTheMiz - há 3 anos

    Próxima semana: KujOne’s Predictions!? Como já disse ao akujy, estarei a espera das previsões da próxima semana!

    Excelente trabalho, akujy! Ambas as majories tiveram oportunidades para desempenhar feuds e dar push a quem merecia, tanto o Genesis e o Royal Rumble poderiam ter cards melhores e invejáveis caso soubessem aproveitar melhor as oportunidades há tempos.

    WWE: Bryan tem tudo, popularidade é o que não falta. É genial! Tem carisma de sobra, a história dele com a Autoridade tinha tudo para ser bom, mas, como disse o Mário no último Visão Brasileira, talvez o fato de colocar muitos tenha atrapalhado a história.

    TNA: Para mim, o único problema foi a Dixie Carter mesmo, que concretizou um péssimo heel-turn. Hoje gosto da história e acredito que tenha ido bem, mas os protagonistas poderiam ser outros (até imaginei o Sting como heel).

    – Do you still believe in cargo doors?
    Não, é impossível neste sistema opressor em que vivemos, que prega que tem-se que conseguir tudo a medida que se trabalha e conquista, mas há os que “nasceram com a bunda virada para a Lua”, tem sorte e ganham (geralmente em trapaças) as coisas “de grátis”. Não vejo o Wrestling como algo diferente disto para se crescer, a maioria abandona família e vida para se dedicar ao esporte, os que mais se dedicam e têm talento conseguem chegar ao topo, uns chegam no mid-card e a maioria se torna um “nada”.

    • akujy - há 3 anos

      Folgo em saber q estás á espera das previsões, não prometo é que iremos acertar alguma. looool. Obrigado pelo elogio. Olha, acho que a TNA e a WWE devem deixar de fazer td em cima do joelho, esse sim seria o primeiro caminho para resolver as coisas,mas há mt mais a fazer.

      • AwesomeTheMiz - há 3 anos

        Também não prometo nada! xD, mas acredito e minha torcida vai para o CM Punk. De fato, há mais coisas há fazer para resolver as coisas, primeiro é parar de fazerem as coisas nas coxas…

      • akujy - há 3 anos

        Sem duvida. Eu sou fã do Punk e adorava q ele ganhasse, mas tmb gostava d ver o Bryan ganhar. Se for um desses 2 ta td bem. Se nao for, olha….nada d bom deverá sair dai. lol

  10. joao pedro - há 3 anos

    akujy esse tal primeiro ja foi dado, em 2011 pela mesma pessoa que está na tua foto, mas sim o bryan poderia evcentualmente ter continuado a revolução que o punk começou.

    • akujy - há 3 anos

      Não vou discordar, ou o senhor da minha foto nao fosse o meu wrestler favorito da actualidade, com o Bryan logo a seguir em 2º. Apesar de tudo a revolução do Punk conseguiu mudar mta coisa, mas ainda ha mt a mudar e o Bryan podia ter sido mais um passo nessa direcção.

  11. Dreamer - há 3 anos

    Que belo artigo, akujy(De letra minúscula, porque né…)!

    Bryan atualmente é “O cara”. Provavelmente o MELHOR Wrestler da atualidade. Tem um enorme talento no ring, boas mic-skills e um carisma altíssimo. Na minha opinião, o WrestleMania moment é o melhor pra ele, só acho que a feud com a autoridade poderia ter sido bem melhor. Sobre a TNA, o primeiro iMPACT que vi foi o da semana passada, então não posso falar muito dela. E quanto a sua pergunta, faça as palavras do AwesomeTheMiz as minhas. Há muitos por aí que recebem as coisas “de mão beijada”, enquanto verdadeiros talentos são desperdiçados, como o Ziggler, por exemplo.

    • akujy - há 3 anos

      Aconselho-te a continuares a seguir a TNA, são uma companhia com um produto diferente da WWE e que vale a pena conheceres. Gosto de ambas e sigo ambas e por isso recomendo sempre as duas. Quanto ao Bryan, esperemos q tenha o tal Wrestlemania Moment, mas q pelo menos seja mt bem executado.

  12. danielLP21 - há 3 anos

    Artigo fabuloso…

    Eu não acredito que basta acreditar para ter as coisas. Se é preciso “acraditar” (vai mesmo assim, à JJ xD)? Sem dúvidas que sim. Este artigo fez-me lembrar aquelas pessoas que ficam a rezar a Deus por dias melhores, por isto e por aquilo, como se fosse Deus ou outra força superior em que nós queiramos acreditar a acabar com crises económicas e, principalmente, crises morais.

    Em relação à tua visão do Wrestling actuall, concordo plenamente contigo. Acertaste “na mouche”.

    A imagem da semana é perfeita. Grande escolha, ainda que possa ser polémica. Meh, pensando bem: a polémica não é uma das tuas características? xD

    PS: agora vou ali rezar um “Pai Nosso” e um “Avé Maria”, a ver se amanhã tenho o pão em cima da mesa quando acordar :)

    • akujy - há 3 anos

      Ah Ah! Que comentário fabuloso, pa! Sim senhor.Começas por gozar com o JJ, (só ai ganhas imensos pontos xD) Dps falas bem da imagem da semana (ai d ti q n o fizesses) e acabas a coisa com um PS que me fez rir bastante. Sim senhor! É verdade que a polémica é uma das minhas caracteristicas, é inegável, mas acho que se havia imagem q merecia destaque esta semana, era aquela. Ainda bem que gostaste do artigo e agradeço o elogio. Já agora…esperemos que em Maio tenha mais uma imagem de festejos encarnados para aqui por! xD Olha…pode ser que se eu rezar…

      • danielLP21 - há 3 anos

        Ahahah, é melhor irmos rezando é xD

      • akujy - há 3 anos

        Já agora, acho que ele diz mesmo é “acarditar”. xD Vamos todos acreditar que sim e pode ser que o título caia do céu. xD

  13. john 3:16 - há 3 anos

    Gostei bastante, os meus parabens pelos artigos deixam-me sempre colado ao pc, em relação ao Bryan acredito que a sua hora de brilhar chegará adoro-o, no entanto acho que a corporation fez bem em pôr o orton como a cara da wwe,considero que no sumerslam o bryan ainda estava 80% cara da wwe, agora ta a 100%, acho que depois desta historia com os wayt family ainda ficou mais forte, e todos os fans da wwe devem gostar dele, eu tal como o punk gosto dele seja heel ou face, em suma gostava de recapitular que gosto bastante do bryan e considero que mais tarde ou mais cedo irá ter a sua recompensa de todo o sofrimento que a wwe lhe causou mas que a meu ver foi bem feito!

    • akujy - há 3 anos

      BEm, cada um tem a sua opinião, claro. Eu pessoalmente n tenho qualquer dificuldade em concordar q o booking dele n precisava necessariamente de um titulo mundial no imediato, naquela época, mas que foi mal feito, la isso foi. Esperemos q seja desta que ele tem a sua paga.

    • akujy - há 3 anos

      Ah e obrigado pelas gentis palavras. Ainda bem q gostaste do artigo e espero q continues a seguir o BTM.

  14. The Mentalist - há 3 anos

    akujy só posso mesmo é dar os parabéns pelo artigo, e não vou nem me atrever a a fazer um longo comentário porque infelizmente não tenho a capacidade que tem um José Sousa ou uma Salgado pra me expressar através da escrita. Só farei uma menção de que foi a primeira vez que vi alguém abordar a feud punk/shield do seu ponto de vista.

    Do you still believe in cargo doors? Acredito em dedicação, perseverança, esforço, paciência pra saber que a recompensa de trabalho árduo não vem de um dia pro outro. Até porque se só acreditar bastasse, era só ficar sentado o dia todo esperando as coisas acontecerem

    • akujy - há 3 anos

      Obrigado, The Mentalist e contamos ver-te na RTP 2 às segundas-feiras. (Tou a brincar) Falando a sério, agradeço os elogios e um dos motivos por ter abordado a feud Punk vs. Shield (para além d ter a ver com o tema do artigo) foi precisamente porque acho que muita gente tem subvalorizado esta feud e quis dar a minha visão sobre o tema e sobre uma rivalidade que é boa e que podia ter sido ainda melhor.

  15. Foto de perfil de Facebook

    Daniel "ThaGr8One" Leite - há 3 anos

    Bem, e como não podia faltar, vem aí o comentário da praxe.

    Mais uma vez, e como já é normal, que “estrondo” de artigo óh moço! O BTM ficou, claramente, melhor do que era com a tua inclusão, a todos os níveis. Já to disse em privado e digo agora perante toda a gente. Espero que concordem comigo (eu sei que concordam).

    Quanto ao Bryan: houve coisas muito bem feitas como a sua ascensão, mas depois aquele período depois do cash-in do Orton foi absolutamente ridículo, simplesmente ridículo. Aquela troca pelo Big Show apenas e só porque o Bryan é um indivíduo de proporções pequenas (a nível corporal, quanto ao resto perguntem à Brie que eu não quero saber xD). No entanto, ele é GRANDE, muito grande mesmo, e toda a porcaria que ele passou fez com que hoje ele seja o wrestler que é e tenha o apoio que tem. Espero que agora com esta mudança nele e com a emoção demonstrada pelos adeptos a WWE se aperceba que tem em mãos o próximo Cena (a nível de poder levar a companhia às costas, não me ataquem já).

    Podia estar aqui meia-hora a escrever sobre isto mas tudo o que poderia ter dito já te disse antes e já disse aqui, portanto, keep up the good work man, and we’re gonna rule the world ;)

    PS: A não perder, na próxima semana, o inédito “predictions” com a minha pessoa e o senhor que escreveu este artigo! Lá vos esperamos!

    • akujy - há 3 anos

      Obrigado pelos elogios Daniel, ainda para mais vindos do meu tag team partner. Sim, a gestão do Bryan não foi realmente nada bem feita, esperemos é q acordem para a vida. Ainda assim acho q nnc vai ser o q podia ter sido, mas espero que seja ainda significativo.

      Sim…para a semana it’s time…it’s time…it’s time for a Tag Team Article, naquela que será a 4a semana consecutiva de estreias no BTM. Não percam as nossas previsões, nem que seja pq estamos em época delas. xD

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador