Existem 2 vagas na Equipa do Wrestling PT para publicar notícias. Candidata-te!

Beyond The Mat #24 – A Tale Of Two Cities…

O Elimination Chamber já é passado, bem como a tão aguardada Raw do dia 24. Há considerações a tecer, análises a fazer, coisas a dizer. Foram dois dias significativos para a WWE, bem como para todos aqueles que a acompanham e a equipa do BTM não foi excepção. E se normalmente já somos um espaço com dois pontos de vista, hoje ainda o somos mais. Nós somos a World’s Greatest Tag Team…sejam muito bem-vindos a uma edição muito especial do Beyond The Mat.

http://i.imgur.com/uBeM7a1.jpg?1?7362

Created By: World’s Greatest Tag Team

#24 Written By: World’s Greatest Tag Team

Special Guest Stars: Elimination Chamber & Monday Night Raw

Pois é pessoal…o BTM de hoje vai analisar as duas últimas noites de programação da WWE. Muitas questões se levantaram após o último domingo, algumas delas sendo respondidas na noite a seguir. Entre os pontos altos dessas duas noites destacam-se os regressos de Taker, Lesnar e Hogan, a vitória de Del Rio sobre Batista, o grande combate entre os Wyatts e os Shield, entre várias outras coisas. Assim sendo, nós aqui no BTM decidimos sacudir definitivamente a apatia e vestir a farda de gala para mais uma edição diferente do habitual. Porque as únicas coisas certas na vida são a morte, os impostos e a imprevisibilidade deste espaço. Allow us to beg you indulgence for one moment…

#24: A Tale Of Two Cities…

O wrestling é um universo à parte, todos nós sabemos isto. Somos muitas vezes questionados (todos nós) sobre o porquê de tanta paixão que temos por esta forma de entretenimento. Somos muitas vezes postos em causa pela compreensão que temos deste mundo que existe no seu próprio tempo e espaço. Já por diversas vezes que eu (akujy) vos disse que o segredo do wrestling reside nas emoções e na dor, enquanto que eu (Daniel) vos fui expressando que esta forma de arte deve ser encarada de uma forma única. E ambos temos dito, nas últimas 24 semanas, que a vida é mais do que wrestling e que o wrestling é mais do que factos e números. Hoje olhamos para este universo de pontos de vista separados, vinculando as distintas opiniões que habitam neste espaço. É verdade que concordamos em muita coisa, mas não em tudo. E o BTM lá vai vivendo de toda esta dualidade. E hoje vive um pouco mais.

Prólogo:

Quero contar-vos a história de duas cidades, a história de dois momentos específicos. Quero contar-vos a visão de duas personalidades, de distintas visões sobre a actualidade. Quero falar-vos de duas noites, de dois momentos já perdidos, de sentimentos já vividos, de tudo o que vive e nasce para crescer, de tudo o que corre, na ânsia de viver. Quero falar-vos do wrestling que em duas noites se fez ouvir… Em duas cidades, em dois universos diferentes, em momentos que parecem permanentes, mas são seguidos por outros que sempre nos parecem mortais. Quero falar-vos de de wrestling… Ou melhor…queremos falar-vos de wrestling. E a vida? Dessa podemos falar noutro dia qualquer…

(23 de Fevereiro de 2014 – Visto pelo akujy)

O meu dia começou como outro qualquer, com muita preguiça á mistura e sempre com vontade de fazer pouco, mas a correr para conseguir fazer tudo. Era dia de PPV e por isso a noite ia ser dedicada ao wrestling. Ainda tive tempo para, antes, ver o FCP perder, naquele que foi sem dúvida um grande momento de futebol. Mas pronto…não estamos aqui para falar de bola, mas sim de wrestling e de como, em duas cidades distintas, foram vividas duas noites importantes no que à WWE diz respeito. Vamos lá a isso!

O PPV Elimination Chamber, segundo akujy:

O EC não foi um mau PPV, há que dizer isto logo na abertura. Como recebi várias questões no facebook a este respeito, deixem-me que vos clarifique a minha opinião sobre o PPV em geral: Foi bom, foi um espectáculo bem conseguido por parte da WWE. Teve os seus altos e baixos, de forma a não esgotar a multidão e é isso que se pede de um evento deste género. Mas não deixou de ser previsível. Penso que, estando nós a caminho de uma Wrestlemania, esperaríamos mais algumas surpresas, mas a verdade é que o grande momento da noite foi mesmo o combate entre as duas grandes facções da WWE. Já lá vamos.

A noite começou com um combate entre os irmãos Rhodes e a dupla Rybaxel. Um combate sem história que acabou por ser vencido pelos ex-campeões de Tag Team. Foi aquilo que foi, ou seja um combate de pre-show, sem grande tempo para contar uma história. O resultado foi, infelizmente, bastante previsível e em nada contribuiu para uma possível rivalidade entre os irmãos, deixando mesmo no ar a interrogação sobre quando o possível início da mesma. Esperemos que em breve.

Seguiu-se um combate entre Jack Swagger e Big E (Not Langston, como diria o Daniel) pelo IC Title. Não acho que tenha sido um bom combate, como vi algumas pessoas a dizer, acho que foi apenas um combate decente se pesarmos a participação de ambos os intervenientes. Swagger esteve bem da sua parte e, com mais ou menos sucesso em certos momentos, conseguiu arrastar Big E para uma exibição que não foi mais do que decente. Muitas shoulder tackles, muitas clotheslines e uma patente dessincronização continuam a ser as imagens de marca do campeão intercontinental e isso acabou por, mais uma vez, ficar patente. Big E ainda não me convenceu e terá de fazer muito mais até que um dia isso aconteça.

Seguiu-se o combate pelos títulos de tag team, entre os Usos e os NAO. Vou ser muito sincero: Esperava bem mais deste embate. Todos sabíamos que não ia ser o combate do ano, nem lá perto, mas Billy Gunn e Road Dogg já nos mostraram que, apesar da idade, ainda conseguem exibições decentes. Especialmente Gunn. E os usos são uma equipa com bastante qualidade. Ainda assim, acabamos por ter um combate básico e cujo final foi quase anti-climático. Esperava-se uma vitória dos NÃO, mas por desqualificação. Talvez tenha sido esta a maior supresa da noite, o que não abona muito a favor da imprevisibilidade do PPV. Preferia que os Usos não tivessem perdido, preferia que a história tivesse sido contada de outra forma. Não foi o caso. Adiante!

O terceiro combate da noite foi um frente a frente entre artigos parceiros, ou seja, Darren young e Titus O’Neil. Um combate sem construção, sem ímpeto ou histótria que justificassem a sua inclusão num PPV. E acabou por ser mesmo isso, ou seja, um combate para encher salsichas. O’Neill foi o vencedor, mas não é que isso interesse muito. Daqui a não muito tempo estarão os dois de volta ao habitual esquecimento a que estavam remetidos.

Seguiu-se o momento da noite. Um momento de magia entre os Shield e a Wyatt Familly. Um combate fenomenal, uma história contada de forma magistral, 6 intérpretes que estiveram ao seu melhor, sendo o melhor de uns mais merecedor de destaque do que outros, mas ainda assim tudo funcionou na perfeição. Pouco mais há a dizer deste combate senão o seguinte: Se não o viram, deviam mesmo aproveitar para ver. São momentos destes que justificam a nossa paixão pelo wrestling, a tal que foi mencionada nos princípios deste artigo. O PPV chegava assim ao seu auge cedo demais, admito, mas nem por isso deixava de haver interesse para o que ainda faltava acontecer.

http://nightmareprowrestling.com/wp-content/uploads/2014/02/Wyatt-Family-vs-The-Shield-EliminationChamber-Jondavidguerra.jpg

Era chegado o momento das Divas, num combate que nem anunciado foi. Há que dizer que seria impossível a alguém suceder ao combate anterior com sucesso, por isso não censuro a WWE por ter decidido escolher este momento como a pausa para ir à casa de banho. Goste-se ou não, infelizmente é para isto que as meninas da WWE vão sendo usadas. Destaque para um final que talvez indique uma possível rivalidade entre AJ e Tamina e é só. Combate para encher salsichas… Next, please!

Chegávamos ao pre-main event da noite, aquele combate que deve ser usado para preparar terreno para o que de melhor está para vir. Assim é suposto. Pode-se dizer que este combate cumpriu com esse objectivo, mas com nada mais. Mais um momento daqueles que ninguém vai recordar, até porque a simpatia por Batista neste momento é quase tanta como a que existe pelo programa da Conceição Lino. Quase…porque até os horríveis momentos dessa senhora conseguem ter mais adeptos do que o homem que vai integrar o main event da Wrestlemania. É triste, mas é verdade. Não foi nenhum clássico, nem sequer um bom combate. Foi uma tentativa desesperada de colocar Batista numa posição de simpatia para com os fãs…e falhou! Redondamente!

A noite avançava rápido e eis que era tempo de assistirmos ao Elimination Chamber Match. E ainda bem que o fiz, falando por mim. Foi um bom combate, com momentos de qualidade e que, juntamente como o clássico protagonizado no Six Man Tag Match, fez com que valesse a pena assistir em directo a este PPV. A surpresa da noite foi mesmo Christian não ser o primeiro a ser eliminado, porque tudo o resto correu conforme planeado, incluindo mais um merecido destaque para Cesaro. Ninguém esperava que Daniel Bryan fosse campeão e ninguém esperava que este combate terminasse sem duas interferências. E assim sendo, nada de surpreendente aconteceu. Só não gostei que um combate que, é suposto primar pelo cenário de “anti-interferências,” tenha sido overbooked desta forma. Acontece… Mas não deixou de ser um combate bem disputado, com Bryan a ser tramado, como se esperava, e com o (cada vez mais) paper champion, Randy Orton, a reter.

Concluíndo, o Elimination Chamber foi um bom PPV. Melhor que aquele desastre chamado Royal Rumble (que se perdeu especialmente pelo final) e que valeu a pena por dois momentos: O combate na câmara e o duelo entre Wyatts e Shields. Ajudou a contar a história que a WWE pretende contar para a Wrestlemania e só é pena que essa história seja previsível…porque de resto até vi bom wrestling e classifico o evento como tendo sido bom. Nada de extraordinário, mas também nada de mau.

Mais a sul, noutra cidade completamente diferente, estava o Daniel Leite. Vamos ver o wrestling, tal como foi visto nessa noite, da sua perspectiva.

(23 de Fevereiro de 2014 – Visto pelo ThaGr8One)

Bem, o meu dia consistiu em “Eat, Sleep, Conquer, Watch Elimination Chamber, Sleep Again”. Melhor lema para uma camisola? Talvez! Mas num tom mais sério, este foi um dia em que estive sempre ansioso que chegasse a noite para ver o PPV que mais esperanças de qualidade me trazia nos últimos tempos. O meu Domingo deu para um pouco de tudo: Estudar, ver séries, gozar novamente com o facto do Paulo Fonseca não saber com que equipa irá jogar, ver a equipa por ele treinada perder (não me crucifiquem, mas é algo que me dá sempre gosto de ver) e deu para estar na conversa com vocês leitores e amigos no chat do WPT, onde a conversa é sempre boa e a companhia também. Foi tudo uma forma de abrir o apetite para o que aí vinha, ou seja, o PPV.

O PPV Elimination Chamber, segundo ThaGr8One:

Foi um PPV que me encheu as medidas. Teve uma média de qualidade bastante acima do que tem sido praticado pela WWE nos últimos tempos e consegui fazer com que eu ficasse entusiasmado para ver o que vinha aí. Como alguém um dia disse mas com um twist à lá Beyond The Mat, “Faith in wrestling restored”.

KickOff sem nada que se lhe diga. Um combate de ritmo lento, de qualidade muito reduzida e que apenas serviu para passar tempo. Nada de avanço de storyline, nada de desentendimentos, apenas uma forma de fazer com que The Hax fizesse uma aparição especial acompanhando o seu neto que, diga-se de passagem, nada tem feito ultimamente. Portanto, nada de novo, Rhodes Brothers ganharam, let’s keep moving.

Combate pelo Título Intercontinental digno de abertura de PPV. Nada de muito especial, como é óbvio, mas que serviu para abrir a noite. Como foi dito pelo meu colega, muitas shoulder tackles que apenas serviram para guiar Big E a mais uma vitória. Previsível como a outra, mas mais renhida desta vez.

Combate pelos Títulos de Equipas decente. Nada de muito especial, nada de muito extravagante, mas um combate razoável entre as Lendas e os Usos que acabou de uma forma que, para mim, foi algo chocante porque sempre pensei que este combate acabaria em desqualificação porque era o que mais faria sentido. Como a lógica da WWE é diferente da minha, lá fizeram à sua maneira e redimiram-se depois, mas a isso já lá vamos.

Titus O’Neill vs DYoung foi o que se seguiu e foi uma maneira de acabar com esta rivalidade da separação e para demonstrar como Titus prevalece perante Darren. Isto será, talvez, uma forma de construir Titus como um dos próximos candidatos a um dos títulos secundários, quem sabe.

Chegamos então ao momento da noite. Foi um momento épico mesmo antes de começar e isso foi notório quando uma arena inteira canta “This Is Awesome” e a parte física ainda nem tinha sido excrutinada. Assim que a campainha tocou começou o festival de emoções e o combate foi algo de extraordinário! Qualquer coisa, comparada com o que ali se passou, será de um nível inferior pois muito dificilmente podemos ter, em um só PPV dois combates daquele nível (O SummerSlam 2013 não conta, fiquem já a saber antes de comentar!). Obrigado WWE por aquele momento, porque eu aproveitei-o de todas as maneiras que pude!

Vou ser muito sincero e contar exactamente o que se passou. Que esta é a pausa para casa de banho todos sabemos, mas isso é levado ao limite quando uma pessoa não demora nem três minutos na ida e na volta e o combate já acabou. Não vi como começou, não vi como acabou, não vi nada. Não que isso me faça espécie, de todo…

Batista vs Del Rio foi o que tinha de ser, ou se calhar não. Batista está tão em baixo de forma que nem um combate com Del Rio ele consegue tornar agradável. Sabe-se que Del Rio é um wrestler de qualidade, mas até a qualidade é pouca quando é preciso carregar o combate inteiro. Fico triste que assim seja, mas ou Batista aproveita este mês e tal que tem para recuperar alguma forma física, ou estaremos perante um dos maiores flops dos últimos anos na Wrestlemania que se avizinha caros amigos…

A Chamber foi boa tendo em conta que já estávamos à espera do que aconteceria, pelo que não fomos confrontados com algo inesperado e, acima de tudo, negativo. Começámos com dois wrestlers que embora sejam bons individualmente não me convenceram lá muito no que nos mostraram juntos. Muitos uppercuts, muito soco, muita chapada, mas nada que justificasse muito entusiasmo da nossa parte. Foi preciso o combate receber mais uns participantes para começar a ganhar ritmo e isso aconteceu após a entrada de Cena. Gostei dos confrontos Bryan vs Cena porque sentia-se que o público sustinha a respiração sempre que isso acontecia. Talvez a ter um flashback para o que se passou no último Verão. Correu como tinha de correr, ocorreram as interferências que tinhas de ocorrer e assim deu-se seguimento às storylines que disso precisavam. Orton é o vencedor, sem grandes surpresas.

 (24 de Fevereiro de 2014 – Visto pelo akujy)

Depois de um bom PPV, eis que era chegado o grande dia. O dia do lançamento da WWE Network. E esse lançamento fazia-se acompanhar de uma Monday Night Raw muito especial, ou pelo menos assim nos era prometido. De destacar mais um momento desportivo, a vitória do Benfica e consequentes 7 pontos de vantagem sobre o clube do senhor que diz que só os ratos é que fogem, mas que há uma década atrás fugiu para a Galiza, a fim de evitar ser preso. Não é que a vida tem destas coisas? Quem diria! Eis que chegava a hora de assistir à Raw!

A Raw de 24 de Fevereiro, segundo akujy:

Não vos vou maçar ao descrever todo o evento ao analisar segmento a segmento, até porque uma Raw e um PPV possuem estruturas diferentes e nunca mais saíamos daqui. Por isso vamos lá resumir os principais destaques da Raw, segundo o akujy!

– Regresso de Hulk Hogan: A WWE, quando quer, sabe como promover alguém. Não é segredo que não gosto de Hogan, mas o seu regresso foi feito da melhor forma possível. Sem interrupções que tentassem recorrer a simpatia fácil, sem grandes sobressaltos. Hogan foi igual a si mesmo (atropelando um bocadinho o guião, como de costume) e conseguiu fazer com que o público o aplaudisse pelos motivos certos, ou seja, pela nostalgia do momento. Eis como Hogan, em breves minutos, conseguiu estar mais over do que em toda a sua passagem pela TNA. Não é coincidência, nada disso! É a prova de que, quando quer, a WWE sabe fazer bem as coisas. E nesta caso fazer bem as coisas incluía não dar liberdades criativas a Hogan e não fazer dele o destaque principal da sua companhia, numa altura em que já não o pode ser. E assim assistimos à maior ovação da noite. Por muito que eu não goste do homem…essa é a verdade!

http://cdn.fansided.com/wp-content/blogs.dir/229/files/2014/02/hogan.gif

– Big E vs. Cesaro: (Not António) Cesaro consegue arrancarbons  combates a todos, até a Big E (not Langston!)  e provavelmente até a um cabo de vassoura. Big E voltou a não convencer o meu olho atento e opinativo, mas foi bem protegido por Cesaro e o combate acabour por beneficiar toda a gente. E até deu para aprofundar a história que ditará o fim dos Real Americans!

– As sagas de Daniel Bryan e Batista: A WWE teima em colocar Batista como único candidato ao título e vê-se forçada, cada vez mais, a antecipar o heel turn de Batista. Enquanto isso, lá vão teimando em afastar Bryan da rota do título principal. É triste, mas é verdade…e parece que HHH é mesmo a rota que Bryan vai ter de seguir! Estes são mesmo os grandes pontos negativos de uma boa Raw. E Batista, após um curto combate, nem falar quase conseguia… Só quero ver quando tiver que lutar mais que vinte minutos em plena Wrestlemania. Pelo menos o Del Rio venceu…

– Regresso de Undertaker:  A Raw fechou com chave de ouro, que é como quem diz, com o regresso mais aguardado da noite. Foi a única pop que rivalizou com a de Hogan e percebe-se porquê. Underaker é o fenómeno que todos conhecemos e é sempre bom vê-lo de volta. Agora sim, começou a época de Wrestlemania. Só acho que a contrução do combate podia ter sido feita de formas bem melhores que a escolhida, com o tal contrato aberto, mas até a isso Taker consegiu dar a volta, com a sua brilhante prestação. Destaco o momento pouco PG, em que “espeta” a caneta na mão de Lesnar. Priceless!!!

Resumindo, foi uma excelente Raw, facilmente a melhor do ano. Apesar de não ter sido perfeita, e de continuarmos a ver Bryan a ser relegado para um plano inferior ao que merecia, a WWE conseguiu manter o nível elevado que se esperava de uma Raw com estas proporções. E assim vale a pena ver wrestling!

(24 de Fevereiro de 2014 – Visto pelo ThaGr8One)

A ressacar das poucas horas de sono que dormi (totally worth it though), passei o dia em aulas como de costume. Esperava pelo fim do dia, não só pelo facto de haver Raw, mas porque me deslocaria à Luz para ver o meu Benfica jogar. O dia ficou essencialmente marcado por ter saboreado a melhor bifana que alguma vez comi. Nada tem que ver com wrestling, mas vocês sabem o efeito de uma boa bifana! Bem, adiante!

http://3.bp.blogspot.com/-Nvn9U4XNEL8/TxmyQfpnRgI/AAAAAAAAAOc/QJHH7Pl0Pu8/s1600/bifana.png

A Raw de 24 de Fevereiro, segundo ThaGr8One:

Para ser sincero, eu nunca vejo Raws em directo, pelo que só ontem, terça-feira, tive oportunidade de viver as emoções por ela transmitidas pela primeira vez. Uma Raw de um bom nível, esperemos que assim continue.

Tentarei não me focar apenas nos pontos falados pelo meu colega, vamos ver o que sai daqui:

– Títulos de Equipas: Depois de uma vitória inesperada e de uma aparente superioridade dos New Age Outlaws, eis que o cenário muda e os Usos ficam por cima. Num rematch sem os títulos em jogo a WWE conseguiu fazer com que os Usos continuassem candidatos aos títulos, criando assim o mote para que o derradeiro combate aconteça na Wrestlemania 30. Estou a gostar desta rivalidade, há faísca entre as equipas e isso é óptimo de se ver.

– The Wyatt Family: Como esperado, a rivalidade Cena vs Wyatt Family teve continuidade nesta Raw com Cena a chamar a Family para um confronto. Bray teve mais uma das suas geniais promos e começou o ataque. Tivemos então aqui o primeiro ponto a discutir nesta rivalidade, a lesão de Cena. Cena vendeu uma lesão que, até hoje, ainda não sabemos se é real ou não, mas uma coisa vos digo caríssimos, se a lesão for kayfabe os meus parabéns a John Cena porque a sua cara de pura agonia fez-me acreditar o tempo todo!

– Daniel Bryan e Batista, a saga continua: Com Daniel Bryan cada vez mais fora do main-event da Wrestlemania (coisa que, pessoalmente, acho que faz sentido e é a coisa certa a fazer tendo em conta os intervenientes actuais), o cerco aperta-se à volta de Randy Orton e Batista para que estes convençam o público de que a sua rivalidade tem pernas para andar e que pode proporcionar boas coisas. Pelo que a mim me pareceu, Randy Orton fez um face-turn e nem se apercebeu disso pois o pop que ele recebeu quando interferiu no combate de Batista foi maior do que alguma vez teve até agora como heel (neste reinado, obviamente). De qualquer forma, é esperar pelo que advirá desta situação toda e rezar para que Batista não continue a babar os microfones da WWE.

– Taker e Lesnar, contrato assinado old shool style: Tendo a história de Lesnar ser o candidato ao título principal logo a seguir ao Rumble ter-se revelado um enorme flop, algo precisava de ser feito a essa respeito. E olhem que algo foi esse! Num segmento em que Heyman fez o que melhor faz, reclamou e fez o seu tão conhecido “choradinho”, saiu na rifa quem Lesnar menos quereria, ou seja, Undertaker. No seu look badass Taker conseguiu pôr um olhar de receio na cara de Lesnar e trazer de novo a nostalgia dos velhos tempos aos dias de hoje. Um chokeslam através da mesa foi a melhor forma de acabar uma Raw cheia de pontos positivos.

BTM’s Highlight Of The Week:

O BTM desta semana não podia deixar de destacar o lançamento da WWE Network. Mesmo com algumas falhas, e estas coisas nunca se iniciam com total perfeição, a WWE Network é um marco para todos os fãs da WWE e de todo o produto alguma vez feito por esta. Seja do passado, do presente, ou do futuro. Quanto ao efeito que poderá ter no restante mundo do wrestling…é esperar para ver.

Não deixem de comentar o BTM desta semana e dêem as vossas opiniões detalhadas sobre o PPV EC, a Raw do dia 24, sobre o próprio BTM, ou sobre o que acharem melhor. E sejam minuciosos, porque o BTM vai ficando cada vez mais interactivo e no futuro os vossos comentários podem vir a ser usados num momento da semana, ou até mesmo como tema de um artigo. Quem sabe? Tudo depende de vocês. Quanto a nós, só nos resta despedir. Eu (akujy) estarei de volta para a semana e eu (Daniel) também! Porque o próximo BTM comemora o marco que é a vigésima quinta edição e não podíamos deixar de estar ambos presentes. Esta semana era suposto ser só o Daniel…mas digam lá se não gostaram da surpresa! Cada vez mais vamos dominado esta história dos artigos em tag team!

Prólogo:

Queríamos falar de duas cidades, de duas noites, de duas vivências distintas relativas a dois momentos. Queríamos falar de emoções, queríamos tecer belas analogias entre a vida e o wrestling, queríamos desenhar belas metáforas que vos descrevessem o panorama actual da WWE. Especialmente aquele que foi vivido nos últimos dias. Queríamos isso e muito mais…mas acabamos apenas por falar de wrestling… Porque a vida…a vida pode esperar mais uma semana ou duas.

The World’s Greatest Tag Team has left the building!

http://vintagecowa.com/temp/hi/worsethanlmao_files/DTBPHft.gif

Sobre o Autor

31 Comentários

  1. José Sousa - há 3 anos

    Excelente artigo. Uma vez não me posso adensar muito porque irei abordar alguns destes pontos no Smoke de Sábado, mas excelente trabalho e apresentam bem os motivos pelos quais tivemos uma boa Raw, aliás eu vi live e não me arrependo. Não tendo sido espetacular foi muito eficaz nas histórias que contou, o panorama ainda é negro, mas a Wrestlemania pode não ser um céu este ano mas não vai ser o nightmare.

    • World's Greatest Tag Team - há 3 anos

      akujy: Olá José e obrigado por mais uma boa participação no BTM. COncordo contigo, acho que o cenário já esteve pior. Claro que a pior parte, a do Bryan, n foi corrigida e infelizmente parece que isso não vai mesmo acontecer. Vamos ver o que isto dá.

      • José Sousa - há 3 anos

        Sem duvida, a parte pior não foi corrigida nem será, além que existem outras debilidades na historia principal que serão muito visíveis durante a construção.

  2. Miguel Carlos - há 3 anos

    Depois de uma triste derrota e do triste não despedimento do Paulo Fonseca e contratação do Vilas-Boas, nada melhor que ver a Wyatt Family partir a boca ao Cena para acalmar o stress. O PPV foi medíocre, devido à previsibilidade, ao entendimento dos Rhodes, à derrota por pin dos Usos. O que salvou o Elimination Chamber foi obivamente os dois combates de seis homens.
    Quanto à Raw, não gostei. Não gostei porque tinha as expectativas demasiado altas. O regresso do Hogan é me indiferente, eu respeito-o, e desde que ele não se mete demasiado nas storylines, tudo bem. E concordo com o akujy, a WWE faz mal em afastar o Bryan do título de Pesos Pesados da WWE e esperemos que não perca para o Trips. O main-event desiludiu-me, gosto muito do Paul Heyman, do Brock Lesnar e do Undertaker, mas quando vi que faltavam 10 minutos para a Raw acabar, fiquei desiludido pois estava à espera de um final mais empolgante e imprevisível. O Batista-Orton não pode ser main-event da WrestleMania pelas razões óbvias, mas acho que o Lesnar e o Undertaker também não podiam roubar o main-event da ‘Mania ao Bryan ou ao Punk. Portanto ou o Bryan entre na rota do título principal, ou o Bryan-Triple H é o main-event da WM, ou põe o Punk no main-event ou esta WrestleMania vai ser horrível.

    You’re Welcome!

    • World's Greatest Tag Team - há 3 anos

      akujy: Olá Miguel e que bela participação tiveste no BTM desta semana. Olha, tenho que ser sincero…cada vez mais vejo a possibilidade do Bryan perder com o Trips (embora ainda queira acreditar que a WWE n é assim tão estúpida) até porque, pelos vistos, a rivalidade com Vince está em banho-maria. Ou seja, se já não há luta pelo poder, já não há garantias de que o Bryan ganhe. Por isso, pior do que nem fazer parte do Main Event, e do Title Match, é ainda ter de perder para um part-timer. Isso seria (ou se calahr será mesmo) o cúmulo!

      You’re Welcome!

  3. MicaelDuarte - há 3 anos

    Excelente trabalho por parte de ambos.

    Daniel, tu achas que isto entre o Batista e o Orton acabará por dar em “double-turn”, é isso? É verdade que o Orton teve “pop” quando apareceu, mas acho que não será por aí. A meu ver, eles acabarão por juntar alguém ao, até agora, Batista vs Orton.

    O Shield vs Wyatt’s foi brilhante. Um combate para ver e rever muitas vezes.

    Já na Raw, o que mais gostei foram os segmentos que envolveram os Shield e a Wyatt Family, bem como o todo o segmento do Lesnar com o Heyman, até o Undertaker acabar aquilo com o “Chokeslam”. O pormenor da caneta foi muito bom.

    Para a WM:

    – Batista vs Orton (acho que alguém acabará por entrar neste combate, quiçá o Punk);
    – Bray Wyatt vs Cena;
    – Triple H vs Daniel Bryan;
    – Undertaker vs Brock Lesnar;
    – Usos vs NAO vs Rybaxel vs Brotherhood;
    – Cesaro vs Swagger;
    – Sheamus vs ?
    – Reigns vs Ambrose vs Rollins;
    – Big E vs ?
    – AJ vs Tamina;

    Nâo estou a dizer que serão mesmo estes os combates a acontecer, mas ainda faltam Rey Mysterio, Kane, Mark Henry, etc. O Mark Henry irá contra o Big E, mas quanto ao Sheamus não faço a menor ideia (ou talvez arranjem um Sheamus vs Reigns)…

    • World's Greatest Tag Team - há 3 anos

      akujy: Olá Micael e bem-vindo once more ao BTM. Achei interessante que ainda acredites que vão colocar mais alguém no combate Batista-Orton. Partilho dessa crença, admito, mas cada vez mais vou ficando com a ideia, através do que vou vendo nos shows da WWE, q talvez seja apenas wishful thinking. Esperemos que não. Esperemos estar ambos certos e que alguém, de preferência o Punk,seja adicionado ao ME.

  4. MR Perfection André Santos - há 3 anos

    Os dois repórteres estiveram muito bem! Ainda bem que nenhum de vocês teve um encontro com o Pinto da Costa senão levavam na “tabuleta” xD

    Nada acrescentar, uma leitura fluída que acabou rápido…só quer dizer uma coisa: Um artigo com MUITA qualidade!

    Em relação ao PPV concordo com a opinião dos repórteres da sport…não wrestling PT. Apesar de ter gostado do I.C match.

    Em relação á RAW tinha que dar o devido valor ao sr Undertaker (not Hogan) que foi simplesmente perfeito!

    Meus caros o que dizer! “keep the good work!”

    • World's Greatest Tag Team - há 3 anos

      akujy: Olá caro homónimo e obrigado pelas palavras de incentivo. Posso-te já dizer que se o senhor Bimbo me esticasse a mão daquela maneira, quem levava na tabuleta era ele! xD De resto apraz-me ver que partilhas da nossa visão das coisas. É sempre bom saber que há mais pessoas que pensam como nós. E continuaremos a trabalhar para manter o altíssimo nível que já se espera das 4as feiras de ouro.

      You’re Welcome!

  5. john3:16 - há 3 anos

    Antes de começar a escrever algo, queria deixar os parabéns ao artigo que esta fantástico.
    O Elimination Chambre foi um ppv razoável. Pra começar o combate tag team cody e goldust vs rybaxel surpreenderam-me, primeiro por que não estava a espera que os rhodes vencessem, esperava que começasse a feud entre eles, mas nem um sinalzinho de uma rivalidade entre eles e o inicio de uma historia ate a wrestlemania, não sei o que a wwe quer fazer destes dois, e depois por num ppv uma equipa tão rabeta como a rybaxel mas pronto.
    O intercontinental championship match foi razoável, não foi nada de muito especial, mas também nada que se deite fora.
    O combate pelos wwe tag team titles foi o que eu já estava a espera, uma vitoria final dos new, estava com receio que os USOS ganhassem porque acho que estes merecem os títulos na wrestlemania, achei o final do combate extremamente ridículo, mais valia ter sido como vocês referiram por desqualificação.
    A seguir vem um combate que nem para encher chouriços é digno de ppv antes da wrestlemnia, uma feud construída a pressa antes da elimination chambre para estes dois que não têm muito ímpeto na wwe, já que era para fazer uma historia apressada, podiam-se por lutadores que atualmente estão bem la em baixo e que mereciam não estar talvez o the miz ou o ziegler não sei.
    Chega o combate, que a meu ver o mais apaixonante da noite, não querendo dizer que o chambre match também não foi bom, mas estes 6 personagens fizeram e ainda fazem uma feud fantástica, a única coisa que não estava a espera foi o reigns ter sofrido o pin pois pensava que era o ambrose, mas pronto assim também não ficou mal, gostei de ver o reigns cercado pelos wyatt, enquanto os the shield não acabam a que acreditar neles, believe in the shield.
    Este combate foi como vocês referiam foi para fazer uma pausa para ir a WC.
    Achei piada e concordo com o akujy, prefiro mais estar a ouvir os homicídios no programa da conceição lima do que ver o batista a soar e quase a morrer que nem um animal num de dez minutos contra o del rio.
    Pronto o chambre match foi bom , não tenho muito a dizer, era o que já esperava, o que não esperava era que o sheamus fosse logo eliminado e não eliminasse ninguém.
    Quanto ao raw estava a espera de um bocado melhor, mas o que vi também não me chateou muito, o que me desiludiu mais foi a rivalidade entre o HHH e o bryan, foi a sentença que o bryan não vai estar no ME da WM.
    O ponto mais alto foi para mim foi mesmo o regresso do undertaker e o espetanço da caneta na mão do lesnar.
    Para concluir achei o regresso do hogan engraçado, e pronto queria de novo deixar os meus parabéns a esta tag team de escritores.

    • World's Greatest Tag Team - há 3 anos

      akujy: Muito obrigado, John, pelas tuas palavras. Realmente o tema Bryan parece ser aquele que mais continua a gerar emoções. Não sei até que ponto é que a WWE irá conseguir controlar isto, mas espero sinceramente que, caso não nos deem o que queremos, a WM XXX seja enxovalhada até não poder mais. E agradeço mais uma vez os teus elogios a esta tag team, bem como pelo excelente comentário que fizeste.

  6. don_ricardo_corlone - há 3 anos

    Já tinha dito antes, o pop recebido pelo Hogan é pura hipocrisia dos Hulkamaniacs. Se ele fossem fãs do homem tinham seguido o homem para a TNA mas não só não foram como insultavam o homem e o acusavam de tudo e mais alguma coisa. Eis que ele regressa…ficam todos contentes. Odeio hipocrisias! Pareço o Jericho de há uns anos. lol
    Muito me admiro que os putos o conheçam, o pobre do Jake Roberts não teve essa sorte…
    Tenho péssimas expectatativas para a Wrestlemania sendo a teimosia da WWE o principal factor.

    • World's Greatest Tag Team - há 3 anos

      akujy: Olá don_ricardo_corleone. Não acho que seja hipocrisia “Per se”, tendo em conta que o trabalho dele na TNA foi horrível, enquanto que na WWE n tem liberdades excessivas, como na TNA e por isso percebo que a sus presença agrade a alguns. N é o meu caso, n gosto dele, mas se este regresso for pautado por este tipo de comportamento em que é bem apresentado, n é o ponto central do show e n tem liberdade criativa, então n m importo que ele lá ande, até pq sei q há quem goste dele e tenha o direito de o ver.

  7. Roman28Reigns - há 3 anos

    Excelente artigo, mais um vez concordei com tudo.
    O EC foi razoavelmente bom, dou-lhe uma nota 7/10, Shield vs Wyatt Family e o EC Match foram com certeza os melhores combates. Já o Raw eu não tinha grandes expectativas, curti o regresso do Hulk Hogan mas ele provavelmente não vai ter um grande papel na WM, Taker vs Lesnar tambem foi um otima noticia mas um maneira um tanto estranha de acabar o programa. Triple H vs Bryan esta quase confirmado o que é bom e mau, bom porque sera sem duvida um grande combate, mau porque a WWE insiste em não tornar Daniel Bryan WWE WHC o que é muito burrice. Se a WWE nas próximas não mudar para melhor esta WrestleMania será um bonito fracasso, não em dinheiro mas sim em combatese,esta Era PG nunca mais acaba :(

    • World's Greatest Tag Team - há 3 anos

      akujy: Olá Roman e obrigado pela participação, bem como pelos elogios. O tema Bryan é cada vez mais incontornável. Mas infelizmente parece-me que ele vai msm entrar em feud com o HHH e que irá lutar com ele na WM. É pena, n acho que nd d bom vá sair daí, até pq nng se importa com o combate Orton vs. Batista…mas pronto. Será mais um ME de treta, infelizmente n é o único em anos recentes.

  8. Malco Canedo - há 3 anos

    Gostei demais desse artigo, parabéns ao World’s Greatest Tag Team.

    Atenção: Só irei opinar sobre o Elimination Chaamber, ainda não assisti o Raw.

    Concordo com as opiniões de ambos, pra mim, foi um bom PPV, previsível, mas bom, devo destacar o combate do Shield contra a Wyatt Family, Seth Rollins e Luke Harper tiveram uma performance incrível, o que me impressionou é que nesse combate, até o Rowan fez um bom trabalho (eu acho).

    A Chamber foi um bom combate (não tão bom quanto o 6-man Tag Team Match, mas foi bom), mas foi previsível e teve um final decepcionante.

    Mas pra mim o ponto alto (ou seria baixo) da noite foi o Batista VS Del Rio, com os chants de “Bootista” e “You can’t wrestle”, eu acho que a WWE deveria colocar o Bryan no main-event da Mania não só pelo fato do Bryan merecer ou pelos fãs (incluindo eu) quererem assim ou pelo fato de realmente ser o best for business, mas também pela qualidade técnica do combate, já que o Bryan, assim como Jericho e Cesaro, consegue ter um bom combate contra qualquer um, e convenhamos, o Batista está mais fora de forma que o Homer Simpson.

    Por falar em Homer Simpson, bifana…
    http://ts3.explicit.bing.net/th?id=H.4728206207287710&pid=15.1

    • Malco Canedo - há 3 anos

      *Elimination Chamber

    • akujy - há 3 anos

      Ah AH, essa imagem no fim foi brutal, Malo. E tem tudo a ver com o Batista acutal. Obrigado pelas palavras e por mais uma boa participação no BTM. Ainda bem que gostaste, ficamos sempre felizes quando gostam daquilo que temos a dizer. E lógico que concordo contigo, acho que o Bryan tem msm de ir para o Title Match ou a coisa vai acabar mal. Infelizmente n é isso que vamos vendo, parece msm q ele vai lutar com o homem da pá…

      • Malco Canedo - há 3 anos

        Me lembrei de uma coisa agora sobre o Triple H.
        Encontrei um vídeo bem interessante no Youtube, é uma música sobre o HHH chamada Burial Time.

        http://www.youtube.com/watch?v=p8P_rsUwVbk

      • World's Greatest Tag Team - há 3 anos

        akujy: O que eu me ri agora, Malco. NNC tinha visto esse vídeo ainda. A música está excelente. xD Só esperemos q n seja este o futuro do Danyel Bryan!

  9. JoãoRkNO - há 3 anos

    Belíssima revisão dos últimos dois shows meus caros. o EC foi razoavelmente bom, gostei de três combates em especial.

    O IC Match surpreendeu-me bastante pela positiva, apesar que vós não achaste lá grande coisa, mas acho que o Big E esteve á altura do Swagger, e sou a favor de uma Triple Threat pelo IC na WM, se a rivalidade entre ele e o Cesaro continuar, sempre é melhor que um Big E vs Mark Henry. Os outros dois nem será preciso dizer quais, apenas digo uma coisa, o 6 Tag Match poderá ser bem o combate do ano, apesar de que ainda faltam aproximadamente 9 para o fim.

    Em relação á Raw, posso dizer-te que apenas houveram dois momentos que eu realmente apreciei. O combate do Cesaro e a tensão dos Real Americans, acho que poderá sair daqui uma excelente feud. E por fim, o regresso de Sir Heyman, Sir Heyman Guy, e do Undertaker. É impossível ficar imparcial com estes três dentro de um ringue, prevejo uma feud e pêras. Em relação ao Hogan nem comento, nem me aquece nem me arrefece que tenha voltado, desde que não roube muito tempo de antena a outras superstars, deixai lá o homem ser feliz enquanto pode.

    • akujy - há 3 anos

      Obrigado João. Eu para te dizer a verdade não fiquei impressionado com o IC match e o Big E continua a não me convencer. Umas shoulder tackles, umas clotheslines e pouco mais. É pouco para quem tá a ter um push! De resto concordo contigo, acho que aquele momento com Heyman, Lesnar e Taker foi brutal e pode vir a sair daqui uma grande feud.

  10. AwesomeTheMiz - há 3 anos

    Excelente trabalho, caros cronistas! O Elimination Chamber foi bom, o pré-show não me convenceu por não vermos nada dos Rhodes fluir, quanto ao resto não há mais nada a acrescentar!

    Já a Raw foi mediana, os combates foram excelentes, a WWE Network foi lançada, mas infelizmente, Bryan estará cada vez mais distante do main-event do maior evento do ano e acredito que os regressos foram colocados mais em destaque do que deviam, daria um 7/10 à Raw…

    • akujy - há 3 anos

      Obrigado. Pois é , a grande verdade é que mesmo depois de tudo o que se passou, a WWE insiste em não dar aos fãs o que eles querem. Não entendo e espero que isto mude a tempo.

  11. Diogo Teixeira - há 3 anos

    Excelente artigo mais uma vez. Apesar de vocês serem excelentes cronistas individualmente, quando se juntam o artigo sai sempre um espetáculo. É o meu artigo preferido do BTM, a par do Opinião Feminina.

    Não vi o Elimination Chamber em direto , mas na segunda mal pude vim ver.
    O combate dos Rhodes Brothers só vi a parte do fim, para saber se era desta que começava a sua feud para a WM, mas não aconteceu, e não me parece que vá acontecer para já
    Combate dos ex-PTP e do Swagger com o Big E também só vi o fim (não estava com muito tempo, o Vitória jogava às 20.15 xD), mas quando cheguei aos Wyatt vs Shield não podia passar à frente nem um segundo, era um combate mais aguardado, e realmente não defraudou as espectativas, o combate foi espetacular, todos os elementos estiveram a um nível espetacular (sim, até o Rowan), e o Seth Rollins foi verdadeiramente espetacular. Cada vez gosto mais do Bray Wyatt, a mudança que ele teve desde o tempo do Husky Harris é assombrosa.
    No combate do batista x Del Rio, não me interessava minimamente, porque o resultado era previsivel, mas mesmo assim vi um bocado. Adorei as reações do público ao Batista, sem dúvida que está prestes a ser o Top Face da WWE …
    O combate Elimination Chamber foi bom, nada de especial mas foi bom. Adorei a expressão do Sheamus quando o Orton se refugiou no cubículo, e depois aquele Brogue Kick. Final previsivel.
    Até tenho pena do Cena. Mesmo quando ele foi fazer um 5 knuckle shuffle ao Orton (que é suposto ser o Top Heel), foi vaiado.

    A RAW, não resisti a não ver em direto, o regresso do Undertaker era motivo mais que suficiente para assistir.
    Gostei do segmento dos Wyatts contra o Cena, e acredito seriamente que o Wyatt vai vencer o Cena na WM (é uma previsão muito arriscada) mas a WWE tem que perceber que esta derrota para o Cena não belisca minimamente a sua carreira, enquanto que ia elevar e muito o Bray.
    Segmento do Undertaker espetacular, adorei a expressão do Brock Lesnar, ele queria qualquer menos aquele xD
    Aquele olhar do Taker pró Lesnar e depois prá WM é sempre espetacular. Muito bom o pormenor da caneta, e grande final. (gosto do visual à Ministry Of Darkness)
    Única coisa que me continua a dececionar é o facto do Bryan ir lutar com o Trips na WM, mas acho que já nem vale a pena chatearmo-nos com isso, ao menos rezemos para ser um bom combate.

    Mais uma vez , parabéns aos dois, mais um excelente artigo.
    (fiquei com fome só de ver essa bifana Daniel)

    • Diogo Teixeira - há 3 anos

      * artigo preferido do WPT, a par do Opinião Feminina

    • World's Greatest Tag Team - há 3 anos

      akujy: Muito obrigado Diogo. Para nós é sempre bom saber que estamos na lista de favoritos de alguns leitores. Tenho apenas de agradecer os teus elogios e esperar que no futuro continuemos a merecê-los. Quanto ao wrestling, não discordo do que disseste. Batista está tão over como face que já está a fazer o heel turn e msm assim mantêm o Bryan de fora do combate do título. Enfim, n vejo nada disto a acabar bem.

  12. GabrieLpNd - há 3 anos

    Para variar só um pouco, excelente trabalho dos dois. Parabéns!

    Eu não fiquei nem um pouco satisfeito com o PPV e muito menos com o Raw, mas estou ciente que os shows das WWE não serão muito melhores que isto.

    E a WWE insiste na ideia de pôr Batista vs Randy Orton pelo título na WM. E o pior é que com um heel turn do Animal eles acham que tudo vai melhorar. Triste realidade. Enquanto isso o Daniel Bryan está metido numa feud com o Hunter…

    • World's Greatest Tag Team - há 3 anos

      akujy: Olá Gabriel e obrigado pelas palavras, bem como pela tua assídua presença no BTM. Eu continuo chateado com a situação Bryan (que cada vez fica pior) e admito que o produto podia estar bem melhor, mas o EC foi o q tinha de ser e a Raw também serviu o seu propósito. Nem todos gostaram, como é normal, mas penso que infelizmente há certas decisões q n vão msm mudar por agora e n vamos ter melhor q isto durante uns meses.

  13. danielLP21 - há 3 anos

    Artigo demasiado gigante… Tirando isso, mais um excelente trabalho desta dupla-maravilha.

    Como já disse, não achei esta Raw nada de outro mundo. Foi boa, nada mais do que isso.

    • akujy - há 3 anos

      Obrigado. Foi grande, mas acho que com conteúdo, ainda assim fica a opinião registada. Quanto à Raw, foi boa, mas claro q n apaga td o q esta mal com a WWE. Nem lá perto. E pelos vistos as teimosias por lá continuam.

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador