Existem 2 vagas na Equipa do Wrestling PT para publicar notícias. Candidata-te!

Cult of Justice #10 – It’s time for the next step (…)

“(…)I´m going to do, what nobody is been able to do in twenty one Wrestlemanias. Tonight, I’m going to beat The Undertaker. And When I say that, you better believe that. If it´s the last thing that I do, I´m going to beat The Undertaker! Tonight injustice, not you, will be immortal. (…)” – Dean Ambrose

Finalmente chegamos á primeira dezena da vossa crónica preferida de segunda-feira. Comemorações? Nos tempos que correm, as contenções financeiras devem de ser salvaguardadas. Mas isso agora não é para aqui chamado.

Hoje, irei abordar um tema que me tem chamado á atenção, de uma forma bastante particular. Aliás, já os abordei numa crónica passada, ainda existia o velhinho Universo Wrestling. Aconteceu a seguir ao PPV Elimination Chamber. Já adivinharam? Sim, falo dos The Shield.

Mas afinal, qual a razão de eu voltar a falar nestes três homens? A resposta é simples. Primeiro, porque considero que Rollins, Reigns e Ambrose, formam uma stable das mais fortes dos últimos anos na WWE. Depois, esta mesma característica adjetivada acima, é passível de verificação com os resultados que estes têm vindo a obter. Juntando a tudo isto o meu gosto pessoal por estes três wreslters.

A abordagem de hoje, será um pouco correlacionada com o desenvolvimento que a stable tem vindo a ter ao longo dos tempos. Desenvolvimento esse que poderá ser visto em dois pontos de vista. Um mais positivo, outro menos, mas que rapidamente se transformará definitivamente em positivo. Acredito eu.

Sinceramente, quando estes três senhores se estrearam em Outono passado, a minha alegria com a WWE subiu consideravelmente. Por duas razões. Primeiro, estes três indivíduos trouxeram de volta a dita imprevisibilidade que faltava á WWE para os restantes meses até á Road to Wrestlemania, e mesmo durante essa mesma estrada que nos levou até NY/NJ.

Tal como já disse, a WWE prima pela imprevisibilidade. É certo nem toda a gente fica surpreendida com o que se passa regularmente. Olhem para nós, fãs mais dedicados. Dificilmente nos surpreendemos com o que se vai passando pela WWE. E se olharmos para o aconteceu desde a Royal Rumble até hoje, então isto ainda tende a piorar um pouco mais, pois acho que nada me surpreendeu verdadeiramente.

Mas nem sempre as ditas “surpresas” são sinónimos de algo que atinge o campo do positivismo. Basta relembrar o que aconteceu a Brodus Clay. Eu sei que já é num passado mais longo, mas mesmo assim o que quero frisar encontra-se perfeitamente visível no lutador em questão. Algo que ainda hoje se verifica.

Porém a intenção da WWE será sempre, a de surpreender e agradar o maior número de fãs. Certo, nunca vai acontecer, mas porque não tentar? Não recrimino o que a WWE fez com Clay, ou com outros lutadores, porém se algo não funciona, deverá ser corrigido imediatamente. Ou pelo menos deverá ser melhorado.

Na vertente oposta a isto tudo encontramos os The Shield. Era mais que obvio, que eles iriam estrear-se no plantel principal muito brevemente. Principalmente Ambrose e Rollins. São dois wreslters fantásticos e, não tenho duvidas nenhumas em afirmar, que serão duas das principais caras da companhia num futuro próximo.

Todos nós, fãs mais dedicados, não nos surpreendemos facilmente. Podemos gostar do que vemos, como um bom combate ou uma boa promo, porém não é nada que já não esperássemos que acontecesse. Falta, em muitas ocasiões, aquela estrelinha que nos permite agarrar á televisão e esperar por mais. Sempre mais.

É neste aspeto que entram os The Shield. A WWE estava “parada” até então. Tínhamos três lutadores numa luta pelo título da WWE. John Cena, CM Punk e Ryback. Sejamos francos, tal como já disse, praticamente todos nós sabíamos que CM Punk iria lutar contra The Rock na RR. E assim a dita imprevisibilidade não se encontrava presente.

Tal com o já foi possível de detetar, sou fã incondicional dos The Shield. E porque? Porque, pelo menos a mim, conseguiram devolver aquela estrelinha de me prender ao ecrã do computador. Conseguiram por um simples fã como eu, a pensar quando é que eles iriam atacar novamente, e quais as vitimas que iriam fazer. A dita imprevisibilidade.

Já todos sabíamos que estes lutadores se iriam estrear nos programas principais da WWE. Porém, nunca num formato de uma stable. Ainda por cima, juntar dois “arqui-inimigos”, como Rollins e Ambrose. Fantástico.

Para mim, o main event assenta como uma luva nestes senhores. Mas assenta como The Shield. Como lutadores individuais, penso que esta ascensão nunca teria sido tão abrupta. E se era algo que eles mereciam, era o main event. Todos queremos ver Rollins e Ambrose a repetir a sua rivalidade da FCW. Sem duvida que vai acontecer, porém á que ser paciente.

Apesar de ser uma stable que eu gosto imenso, penso que a evolução se estagnou um pouco. E agora falando dos planos que tinha para eles na Wrestlemania, esperava que eles já tivessem combatido pelos títulos de Tag-tem na mesma. Pelo menos era o que queria que acontecesse.

Não que não tenha ficado satisfeito, com o trabalho que eles desenvolveram para o maior palco do mundo, pois acho que foi brilhante e um dos pontos altos da noite. Mas quando se vence uma equipa que tem John Cena, Ryback e Sheamus na Elimination Chamber, o que mais se pode suceder?

Todos nós já sabíamos, o que os The Shield eram capazes de fazer em termos de combates de equipas, e penso que a WWE poderia ter arriscado um pouco mais para a Wrestlemania. Não digo que tivessem um forte impacto na Wrestlemania, pois acho que isso até poderia ser negativo para os três, porém algo mais poderia ser feito.

Tal como já disse várias vezes neste espaço, a construção de uma personagem, neste caso uma stable, deve ser realizada de uma forma gradual. E foi feito tudo como deve de ser. Se não vejamos. Primeiro, os ataques mortíferos a diversas superstars, a mostrarem que de facto esta stable, devia de ser tomada em conta, por todas as outras estrelas dentro do balneário da WWE.

Depois, os combates de Tag-Team. Primeiro com Kane e Daniel Bryan juntando-se a Ryback. Posto isto a substituição dos campeões de equipas, pelos dois principais babyfaces da companhia atualmente. Cena e Sheamus. Onde em ambos os combates, os The Shield, venceram e dominaram de forma clara os seus oponentes.

Então para quê, mais um combate de equipas na Wrestlemania? Não concordo com quem afirma que os The Shield, ainda não estavam preparados para outros voos. Eles já tinham provado ao longo de todos os anteriores meses, que deveriam ser levados a serio, onde tinham derrotado duas das mais fortes equipas que a WWE podia oferecer.

Por isto mencionei, que fiquei um pouco desiludido com o papel que eles tiveram na Wrestlemania. Mas não fiquei desiludido como o trabalho deles. Bem pelo contrário. Dentro da situação em causa, portaram-se de uma forma exemplar e mostraram mais uma vez que são uma força dominante dentro da WWE. Mas alguém ainda tinha dúvidas? Eu não.

É certo que os combates de Tag-Team não ficaram por aqui, e isso ficou bem visível na última Raw. Terei eu gostado do que vi? Sem dúvida que sim, tal como já disse, nesse tipo de papel são exemplares e mostraram que são capazes de vencer qualquer equipa. Mas mais que um simples combate, este teve uma razão para acontecer. Daí ser diferente do que aconteceu em 7 de Abril em NY.

Aqui estamos a falar de um combate que apresenta uma rivalidade que aparentemente deverá ser sólida e bem construída. Falo dos títulos de Tag-Team. Aqui concordo que tal aconteça. Ainda mais com Undertaker. Uma vez que além de estar a valorizar os The Shield, está a valorizar o que vai acontecer de seguida envolvendo os restantes intervenientes em questão. Mais uma vez, difere daquilo que aconteceu na Wrestlemania.

Se não viram o que aconteceu na Smackdown, então aconselho-vos a ir pesquisar aqui no Wrestling.pt. Pois foi sem dúvida um grande momento, aquele que envolveu os The Shield e The Undertaker.

Não podemos pedir ao Undertaker que perca para Ambrose. Afinal de contas não só estaria a por em causa o seu percurso ao longo dos anos na Smackdown e na Raw, como estaria a por em risco a credibilidade da sua streak na Wrestlemania. Nunca pensei por um segundo que Ambrose iria vencer. Afinal, Punk não o conseguiu vencer numa Mania, e Ambrose iria conseguir num show secundário? Não faria sentido.

Porém o que veio a seguir vem apelidar, mais uma vez, aquilo que eu venho proclamando, no que diz respeito ao próximo passo que estes intervenientes devem seguir.

Ninguém, após a última Smackdown, vai falar da derrota de Ambrose às mãos de Undertaker. Mas sim da forma brutal, com que estes derrubaram e dizimaram Undertaker, tal como já tinha acontecido com tantas outras estrelas. Mas esta não é mais uma estrela, é A estrela. Todo o crédito para os The Shield após esta ação.

A WWE conseguiu posicionar os The Shield exatamente onde esta queria. No topo da cadeia alimentar. E aqui quero salientar a capacidade de Undertaker para o fazer. A partir daqui os The Shield conseguiram, aos olhos de muita gente, ser os principais vilões da companhia. Algo que de resto é o objetivo da WWE. E neste campo, tenho que dizer que o trabalho de Undertaker foi magnífico. Sinceramente nunca pensei que tal viesse a acontecer, mas sendo assim, o meu respeito por Undertaker ainda conseguiu aumentar mais. Fiquei mesmo satisfeito com o papel desempenhado pelo homem morto da WWE.

Agora pergunto, e porque não tornar esta stable ainda mais forte? Aliás, arrisco-me a fazer a seguinte pergunta. Porque não colocar os The Shield como uma das principais stables da história da WWE? Porque não engrandecer ainda mais os The Shield?

Já toda a gente sabe que estes três “justiceiros” são capazes de derrubar qualquer lutador. Seja este individual, ou formando equipa com outras estrelas. Assim porque não partir para a conquista de títulos?

É certo que os títulos de Tag-Team já estão na mira dos The Shield, e com quase 100% de probabilidade irão conquistar os mesmos, no Extreme Rules. Porém o próximo passo não poderá passar única e exclusivamente pelos títulos de equipas.

Afinal de contas quantas vezes, é que estes já dizimaram Kane e Daniel Bryan? Principalmente este ultimo, já sofreu duas derrotas limpas (uma no TLC e outra na Raw passada) ás mãos deste trio. Sinceramente penso que os The Shield já percorreram um pouco mais de caminho, do que aquele necessário para serem campeões de equipas.

Quanto aos intervenientes em si, penso que Rollins irá participar no combate frente a D-Bryan e Kane no Extreme Rules. Sinceramente não gostaria de ver qualquer membro dos The Shield a poder defender os títulos, tal como já aconteceu com algumas stables no passado. E neste campo, o companheiro de equipa que penso vir a ser escolhido para Rollins será Roman Reigns.

Sim, eu sei que já afirmei que pensava que Ambrose e Rollins iriam ser a equipa dos The Shield, porém nas últimas semanas a minha opinião foi-se invertendo.

Não sei se é de forma propositada, mas a WWE tem dado mais destaque ultimamente a Deam Ambrose. Não diria que seja o líder dos The Shield, além de tal ser um erro, penso que nunca irá acontecer, mas as impressões encontram-se lá. Por três factos registados.

Primeiro, porque foi ele a efetuar o pin final na Wrestlemania sobre Randy Orton. Depois vimos que foi ele também que finalizou o combate na Raw passada. E foi, também Ambrose, a ser escolhido para o combate contra Undertaker. Não acredito que estejam a fazer Ambrose o grande líder do grupo, mas de facto o destaque está lá.

É através disto que afirmo que este poderia ser incluído na busca dos principais títulos da WWE. Não digo que ganhe já um título mundial, muito menos um título da WWE, mas já é tempo dos The Shield rumarem até á estrada que lhes garante a presença no main event. E aqui falo na disputa por títulos.

E não penso que passará por juntar os títulos de equipas, ao título Intercontinental ou ao título dos USA. Simplesmente porque enquanto grupo, eles estão muito acima destes títulos do mid-card. E como grupo, irão e deverão continuar durante mais um bom período de tempo.

Gostaria de salientar a evolução que Seth Rollins tem tido ao longo dos últimos tempos. Todos nós sabemos a capacidade que este apresenta durante um combate, porém era fortemente criticado no que diz respeito às suas Mic-skills. Neste campo, a meu ver Rollins evoluiu muito ao longo destes últimos meses. A cada promo que passa ele torna-se melhor, mais credível e a receber cada vez mais heat da parte do público. Ponto importante este para Rollins, onde acredito que a presença numa stable tenha-o ajudado bastante. Afinal, uma das funções de um grupo, passa por esconder as fraquezas dos seus intervenientes.

Quanto a Roman Reigns, penso que se encontra estabilizado. O que não sei se isto se apresenta verdadeiramente positivo, mas penso que a WWE se encontra bastante satisfeita com este. Ele tem sido brutal no trabalho desempenhado, dando o toque de credibilidade que os The Shield necessitam, para ser uma força totalmente temida.

Quando afirmei que a sua passagem para o main event aconteceria em primeiro lugar, afirmava numa tentativa de ele agarrar mais o microfone e também pelo seu tamanho em relação aos restantes membros (toda a gente sabe o que a WWE pensa em relação a esta temática) mostrando que seria o grande predador do grupo. A Metamorficamente falando obviamente.

Este destaque tem vindo a ser de Ambrose, o que a mim me satisfaz, pois é mais que justo. Simplesmente brilhante tanto nas Mic-skills, como no trabalho dentro do ringue.

Depois de tantos ataques isolados e de vencerem grande parte das estrelas principais em combates de equipas, está na altura de procurarem outros objetivos, até para manter a chama dos The Shield acesa.

Pois, tal como já disse, depois do que aconteceu até hoje, fica mais que provado que mingúem, em trabalho de equipa, consegue superar os The Shield. Espero que a WWE os faça prosseguir outros caminhos, mantendo sempre o grupo unido e coeso. Não seria bonito ver “ouro” á volta da cintura de cada um dos seus membros? Bonito seria, porém a decisão não depende de mim, pois se dependesse (…). Sinceramente tenho um bom felling em relação ao seu futuro e penso que o que afirmei aqui, tem uma grande probabilidade de se suceder. Agora é uma questão de ter paciência e esperar que a WWE não desperdice esta oportunidade. De uma coisa tenho a certeza. Está na hora de tal acontecer! Os fãs querem ver, e os The Shield merecem tal acontecimento.

“Believe in The Shield!”

Por hoje termino, voltarei para a próxima semana com um novo tema. Boa semana a todos e uma boa Raw :)

Sobre o Autor

5 Comentários

  1. danielLP21 - há 4 anos

    Excelente artigo.

    Eu já não seio que hei-de dizer em relação aos Shield, por isso não tenho nada a acrescentar.

    Também reaprei que o Dean Ambrose tem tido um destaque ligeiramente maior que Rollins e Reigns, mas penso que isso poderá ser apenas uma coincidência…

    • danielLP21 - há 4 anos

      Ah, e apenas um pequeno pormenor: os Shield estrearam-se em Novembro e não em Outubro.

      • Luis Laranjeira - há 4 anos

        Muito Obrigado :)

        Sim realmente é dificil adjetvar ainda mais os The Shield. Mas não acredito que seja uma simples coincidencia o que se vem passando com Ambrose. Mas todavia posso estar enganado. Mas gostava de não estar.
        Quem sabe ele se envolva num futuro pelos titulos de main event. Um pouco á semelhança com o que aconteceu com Wade Barret nos Nexus. Salvaguardando-se as devidas diferenças obviamente. E nunca Ambrose a ser o dito lider.
        É uma questão de ter paciencia e ver no que isto dá :)

  2. gonçalo " the best in the world" - há 4 anos

    Excelente artigo
    Os The Shield são fantásticos por isso concordo com o que tu disseste.

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador