Cutting Edge #24 – Mais do Mesmo

Volto a falar da divisão feminina na mesma semana em que tivemos um PPV do NXT, tal como da última vez. De lá para cá, tivemos algumas novidades: uma nova campeã, uma equipa desfeita, uma lutadora “renascida” e uma nova estrela em construção.

No entanto, antes de analisar a divisão de Divas não posso deixar de comentar o que aconteceu no mais recente Especial do NXT, Takeover: Respect.

Bayley e Sasha Banks voltaram a protagonizar um clássico de Wrestling. O storytelling que apresentaram já não é novidade para ninguém, tendo em conta o que já tinham feito em Brooklyn.

Para mim, o combate do Especial anterior foi melhor, mas o de anteontem foi muito, mesmo muito acima da média. Simplesmente o facto de ser um Iron Man faz com que saibamos quando vai acabar, o que tira algum do suspense que o combate possa ter. De resto, não só a história foi contada de forma soberba como a qualidade técnica evidenciada foi incomparável ao que estamos acostumados a ver no plantel principal.

Por falar no plantel principal, o último PPV confirmou aquilo que já se sabia há meses: Charlotte tirou o título a Nikki Bella depois de esta confirmar o seu recorde e a WWE nunca deu sinais de que os planos podiam ser outros, tão pouco tentou criar dúvidas nos fãs.

Não haja dúvidas de que Charlotte é uma atleta exímia. O seu trajeto no NXT prova-o e só alguém cego ou idiota pode dizer que a nova campeã não tem talento. Tem, e muito. O meu problema com ela – ou melhor, com a WWE – é a forma como a apresentam.

Ao fim de não sei quanto tempo, Charlotte continua a ser, no que a personalidade diz respeito, “a filha de Ric Flair”. Incontáveis segmentos ao lado do “Nature Boy”, constantes referências à expressão que o Hall of Famer tornou lendária (“Woo”), passando pelo seu tema de entrada, que mais não é do que um remix daquela que Flair usa.

Não há nada que a distinga das demais sem ser o facto de ser filha de quem é. Tem sido assim desde o início, até na sua passagem pelo NXT. Sinceramente, não me parece que seja a forma adequada de apresentar alguém.

Charlotte deveria usar todos estes fatores apenas quando assumisse a personagem de uma vilã, de forma a fazer com que não gostassem dela e a dar razão àqueles que a acusam de ser aposta só porque é filha de Ric Flair, como Paige tem feito.

A “Anti Diva” é outra das protagonistas das últimas semanas no que à divisão feminina diz respeito. Virou as costas às suas parceiras, mostrando inveja pelo sucesso de Charlotte, e pegou num microfone com o objetivo de dar conta da realidade atual desta divisão.

Pessoalmente, gostei muito da promo. Vimos uma Paige séria e focada, como há muito não se via (talvez desde a sua estadia no NXT). Ainda assim, temo que a mensagem não tenha chegado a muita gente – culpa também, indiscutivelmente, dos fãs presentes na arena. A partir do momento em que Paige faz referência ao facto de as Bellas dormirem com John Cena e Daniel Bryan, era suposto a arena abrir a boca de espanto e reagir. O que se notou, porém, foi a mais pura das indiferenças, simplesmente porque não estavam investidos no segmento. E se os fãs não reagem, já se sabe que o que acontece em ringue nos parece pior do que é na realidade.

Seja como for, Paige trouxe algum interesse a esta divisão, embora não se compreenda o facto de, neste momento, perder todos os combates em que participa. Talvez faça parte do booking. Isto, se houver algum booking. Depois da sua promo, na qual questionou se Natalya ainda trabalhava na WWE (mais uma vez, os grilos fizeram-se ouvir no meio do silêncio), a lutadora canadiana voltou aos ringues, tendo inclusive vencendo Paige na última Raw.

Tecnicamente, Natalya é das melhores lutadores na WWE. O seu ponto fraco sempre foi a falta de carisma, sobretudo como babyface, visto que nos tempos dos Hart Dynasty até mostrou uma personalidade interessante como vilã.

Com esta “segunda vida”, poderemos vir a vê-la com outro protagonismo, embora a prioridade deva passar pela nova geração de talentosas lutadoras, sem esquecer as Bellas.

Gostaria de ver Natalya a virar heel, juntando-se a Paige, e foi com essa ideia que fiquei na Raw da tal promo. Nas últimas duas semanas, no entanto, a WWE mostrou-nos outra direção.

O problema é mesmo esse: as constantes mudanças de direção no que toca a esta divisão.

Por mais que falem de uma “revolução”, por mais tempo de antena que deem às lutadoras, nada vai mudar enquanto as histórias não tiverem cabeça, tronco e membros e enquanto o booking não for coerente e consistente.

Nikki Bella vence a campeã na Raw, mas na SmackDown da mesma semana perde por submissão. Que sentido é que isto faz? Não só Charlotte perde um combate em televisão – embora tenha sido distraída, o que não a descredibiliza – como a candidata ao seu título é vítima de um booking incoerente, fruto da mentalidade de troca de vitórias entre wrestlers – algo que, como bem sabemos, se estende aos lutadores masculinos.

A única lutadora que está a ter uma construção com sentido acaba por ser, curiosamente, a que menos destaque tem tido das que subiram do NXT este ano.

Sasha Banks tem sido a única lutadora construída de forma coerente – ainda não sofreu nenhum pinfall nem perdeu por submissão. Não sei se é um acaso ou se a WWE estará mesmo decidida a criar uma estrela feminina.

No que depender de Sasha, tal vai acontecer. É a vilã perfeita, sabe contar uma história melhor do que ninguém naquela divisão e, mais importante, sabe manipular o público, o que é cada vez mais raro nos dias que correm.

Quando entra no ringue, Sasha é ovacionada. Durante o combate consegue que aqueles que a aplaudiram repudiem as suas ações. No final, volta a ser ovacionada porque fez magia.

Será que isto vai acontecer no plantel principal? Terá a WWE paciência para criar histórias destas e momentos tão emocionantes como os que temos visto no NXT?

Convém também referir que o público com que estamos a lidar conta bastante. Uma coisa são os apaixonados por Wrestling que se deixam envolver no que ocorre em ringue presentes na arena do NXT, outra são os públicos absolutamente miseráveis que vão ver uma Raw como se estivessem num teatro. E se calhar numa sala de teatro ainda há mais barulho.

Quanto a Bayley, quase tenho vontade de dizer que a sua lesão foi bem-vinda, visto que prolongou a sua estadia no NXT e proporcionou-nos estes meses de emoção, culminados com dois combates históricos, autênticos hinos ao Wrestling.

O problema é mesmo quando subir ao plantel principal. Bayley é a heroína perfeita, desde que a construção seja feita nesse sentido. Convém, igualmente, que os fãs não olhem para ela de lado e a discriminem devido à sua personagem. Infelizmente, a esperança é bastante reduzida.

O futuro da divisão feminina será semelhante ao que tem sido até aqui. É natural que os combates sejam cada vez melhores, mas não acredito que haja histórias com a qualidade da que Bayley e Sasha Banks nos deliciaram nos últimos meses.

Sobre o Autor

- Autor do espaço "Cutting Edge".

45 Comentários

  1. ANDRÉ - há 1 ano

    Bom artigo Daniel
    Charlotte é uma das melhores lutadoras da WWE mas ainda é a filha do Ric Flair, precisa sair da barra da calça do pai pra começar a ser a Charlotte ter o seu próprio nome
    Sou fã da Natalya pena que ela não consegue vender lutas como os tios
    Sem dúvida o futuro da divisão feminina é Sasha Banks ela faz jus ao apelido de chefona e impõe o seu ritmo como poucas conseguem ela tem que disputar o título no máximo ate o Royal Rumble

  2. Marques - há 1 ano

    “Ao fim de não sei quanto tempo, Charlotte continua a ser, no que a personalidade diz respeito, “a filha de Ric Flair”. Incontáveis segmentos ao lado do “Nature Boy”, constantes referências à expressão que o Hall of Famer tornou lendária (“Woo”), passando pelo seu tema de entrada, que mais não é do que um remix daquela que Flair usa.”- Tudo dito.

    “Charlotte deveria usar todos estes fatores apenas quando assumisse a personagem de uma vilã, de forma a fazer com que não gostassem dela e a dar razão àqueles que a acusam de ser aposta só porque é filha de Ric Flair, como Paige tem feito.” – Tudo dito outra vez.

    Disseste aquilo que toda a gente pensa e que está à vista de todos. Na divisão masculina o Roman também foi prejudicado com as constantes referências ao facto de ser primo do The Rock.

    • danielLP21 - há 1 ano

      No caso do Roman, não chegaram a tanto. Houve referências, mas ele tem a sua personalidade, a música de entrada não tem nada a ver com a do Rock e ele não refere o primo em todas as promos que faz.

  3. Dolph Ziggler - há 1 ano

    Bom artigo, Daniel. Concordo plenamente com o que tu disseste. A forma como a Charlotte é apresentada é errada – sempre com referências ao seu pai e mostra muita pouca personalidade. É muito atlética e talvez das melhores executantes no main-roster da companhia, mas em termos de personalidade e carisma, consigo encontrar uma mão cheia delas mais interessantes. Mas não é só culpa do booking, até porque a própria Charlotte ainda não me convenceu em qualquer outro aspeto que não seja in-ring. Tem de dar o turn mais cedo ou mais tarde até porque é mais interessante como heel e a Sasha ir no sentido contrário. Acho que teríamos aqui uma feud com grande potencial.

    Quanto à Natalya, de acordo também. Muito boa dentro do ringue, mas é um pãozinho sem sal.

    Tenho muito medo da transição da Bayley do NXT para o main-roster. Quase que nem quero que ela suba. Zero de confiança.

  4. BRUNOju - há 1 ano

    Excelente artigo Daniel. Posicionou-se bem sem ser muito pessimista e nem maquiou a realidade. Gostei principalmente da sua opinião quanto a Charlotte, ela é muito talentosa mesmo, o que lhe estraga é a sua personagem. Para mim o momento mais interessante quanto ao booking para ela foi no WWE MSG, quando ela e a Becky abandonaram a Paige, aí mostraram uma certa personalidade dela. Pelo menos eu vejo dessa forma.

    Quanto ao booking da divisão, até que está seguindo um sentido, mas não chega aos pés das histórias emocionantes do NXT. Aliás, a única verdadeira história que tem é entre Paige e Natalya, que até venho gostando, só espero que isso beneficie as duas. Nikki tem apenas sua revanche, e torna-se já óbvio que não vencerá.

  5. Kapparino - há 1 ano

    Lendo esse artigo(excelente por sinal) percebi qual meu problema com a nova campeã, eu não a conheço.
    Eu achava mesmo que o problema era carisma, mas não, falta personalidade. Infelizmente não conheço nenhuma Charlotte,conheço apenas a filha do Flair.
    Espero que um dia a Charlotte venha a aparecer e que cale não só a minha como várias bocas, porque até agora, ao menos pra mim, a revolução é uma grande besteira e algo que simplesmente me da vontade de trocar de canal.

    Um abraço Daniel

    • danielLP21 - há 1 ano

      Ela tem carisma, não tem é uma personalidade própria, e como babyface isso nota-se ainda mais.

      Também espero que sim.

  6. MR Perfection André Santos - há 1 ano

    Mais uma excelente edição.

    Concordo em pleno contigo acerca da Charlotte. Uma lutadora (na minha opinião a melhor actualmente).

    O “star power” é tanto nesta divisão que vamos ter muita coisa boa daqui adiante.

    Em relação a Natalya, acredito que ela esteja para apoiar as “novatas” :D

    • danielLP21 - há 1 ano

      Obrigado.

      O star power não serve de nada se as histórias não prestarem.

      Sim, é essa a função da Natalya.

  7. WWEdge - há 1 ano

    Bom artigo.

    Partilho da mesma opinião no que diz respeito à Charlotte.

    Sem dúvida alguma que Sasha Banks no futuro será uma das caras principais da divisão feminina.

    Sobre a Natalya, também gostava mais de quando ela era vilã. Também pensei que ela se ia juntar à Paige mas parece que a WWE tem outros planos, ou então não…

    Bom fim de semana.

  8. BRRM - há 1 ano

    Ótimo artigo.

    A diferença entre o tratamento que as wrestlers femininas têm no main roster e no plantel principal é uma das principais razões para eu estar mortinho para o HHH assumir o controlo total da WWE. Isto porque as rivalidades femininas no NXT deixam-me completamente agarrado ao ecrã mas no roster principal fazem-me adormecer. Sendo assim estou a torcer para que o Vince tenha consciência, passe o controlo ao Triple H e aproveite a (bem merecida) reforma.

    Sobre a Charlotte, concordo que ela devia usar esta “personagem” quando fosse heel, pois como babyface mais tarde ou mais cedo os fãs vão-se virar contra ela.

    Quanto à Sasha, não tenho dúvidas que a WWE queira fazer dela umas das caras da divisão. Aliás, seria muito estúpido não aproveitar uma wrestler que, na minha opinião, é a melhor do mundo e combate do último Takeover, mesmo concordando que o primeiro foi melhor, é prova disso.

    • danielLP21 - há 1 ano

      Obrigado.

      Sobre a Sasha, não podemos esquecer que ela é prima do Snoop Dogg, por isso pode ser que esse fator seja decisivo para a WWE apostar nela.

  9. Reigns one versus all - há 1 ano

    Ótimo artigo.
    Concordo em tudo.

  10. XBoss - há 1 ano

    Bom artigo Daniel..
    A Charlotte em termos de ringue skills é das melhores, mas em termos de carisma já não se pode dizer o mesmo,e esta constante intervenção do pai em tudo não a ajuda,penso também que estas promos/segmentos com pai é para ela ser mais adorada pelo publico pois até agora não vi muita ovação do publico em relação a Charlotte. Sem duvida que uma mudança de personagem só lhe iria fazer bem, pois no NXT ele teve uma parte que era heel e encaixou-lhe que nem uma luva. Em relação a Natalya concordo com tudo, ela é óptima em ringue mas em carisma nem por isso e sinceramente eu também pensei que ela iria fazer o turn heel e juntar-se á Paige.
    Neste momento acho que a Sasha deveria ser a próxima campeã, pois ela tem tudo o que uma boa diva deve ter desde o carisma ate ao ringue skill. Em relação á Bayley espero que fique ainda muito tempo no NXT, pois não estou muito confiante em relação ao seu futuro no Main Roster.
    Mais uma vez bom artigo

  11. AMajor - há 1 ano

    Exlente artigo
    Daniel esta tua rubrica é uma das que acompanho religiosamente

    Charlotte; tens toda a razão, esta muito ligada ao pápa, e assim não vai cativar o público, devia afastar essa imagem e criar a imagem CHARLOTTE
    Adoro a Becky Lynch (faz-me lembrar um daqueles figurantes do TomorrowLand) essas duas deviam continuar juntas.

    Paige ‘PipeBomb’ disse o que tinha de ser dito, 95% de acordo (foi cruel com a becky lynch), na semana a seguir fala nos maridos/namorados das Bella o que a levou a ter o reinado mais longo, para agora andar com a Natalya??
    Juntem essas duas anti-divas

    Team BAD, tem de acabar
    BOSS não precisa de ninguém, deixem a Sasha Bank sozinha a aparecer regularmente na Raw, continuando com a sua personagem, conquistando vitórias contra todas, e tem 50% do MAIN-EVENT da WRESTLEMANIA

    Bayley não pode subir, não enquanto não existir uma DIVA REVOLUTION na wwe, porque meter uma #DIVAREVOLUTION no quanto superior esquerdo, não faz com que as wrestler feminina sejam tratadas com respeito.

    • danielLP21 - há 1 ano

      Muito obrigado.

      De acordo. O que a Paige disse sobre a Becky Lynch era só para incluir esta última na sua promo.

  12. Miguel Carlos - há 1 ano

    Excelente artigo, Daniel. Concordo a 100%.

  13. you cant see me - há 1 ano

    Excelente artigo.
    Concordo contigo em tudo.

  14. gmanzarra - há 1 ano

    Grande Artigo
    Concordo com tudo apenas senti falta da tua opinião acerca do estado da Becky Lynch atual no main roster como por exemplo gostava de saber se concordas ou não com a mudança de gimmmick que lentamente se tem vindo a mostrar um comic relief ,com o facto de ela não ter tido a oportunidade de vencer o NXT Womens Championship e com isso se concordas que ela deveria ter ficado mais tempo a solidificar a personagem e a ter mais bons combates invés de subir e estar a fazer o papel irrelevante de ser a ajudante da Charlotte que a Paige sublinhou na Pipebomb dela

    • danielLP21 - há 1 ano

      Obrigado.

      Não era suposto a Becky Lynch subir logo. Diz-se que era para ser a Bayley a subir mas que, como se lesionou, a WWE apressou a subida da Becky.

      Acho que acontecerá um destes dois cenários: ou é traída pela Charlotte daqui a uns tempos, ou acaba por se fartar de estar na sombra dela e faz ela o heel-turn.

  15. Yan_Ribeiro - há 1 ano

    Tirou as palavras da minha boca! Excelente artigo, como sempre, Daniel.

    Eu nem sei o que posso falar aqui, já que disse quase tudo o que penso. Realmente, quando essa história de Revolução das Divas começou, eu já vi que não iria mudar muita coisa por causa da forma que a WWE organiza suas histórias. Tudo o que eu vi durante essa “revolução” foram trocas de vitórias entre as equipes tanto na Raw quanto na Smackdown, o que já apontava a total falta da direção da equipe criativa.

    Quando a Nikki perdeu o título, era suposto vir mudanças, como chegou a vir por um momento quando a Paige se rebelou contra a sua equipe e fez aquela excelente promo sobre as Bellas e sobre o estado atual da divisão feminina, a minha esperança de mudança cresceu ainda mais quando a Natallya entrou na história, ela pra mim é tecnicamente a melhor wrestler da divisão atualmente, porém o que vimos é que ela está na equipe de Charlotte e Becky, ou seja, lá vamos de novo para história de equipes trocando vitórias, com uma Paige um pouco mais “anti diva” a solta por ai.

    Sobre o público, bem, sabemos que são raros os públicos de apaixonados como o NXT, a maior parte do público da RAW e Smackdown parece que é de famílias que foram ali apenas para aproveitar um passeio, e se eles já não dão importância para algumas feuds masculinas, imagine para essa revolução de divas sem pé nem cabeça….

    Olha eu não vou dizer que estou sem esperanças, pois apesar de tudo, as novas divas possuem talento de sobra, até hoje fico espantado com a luta da Sasha Banks contra Becky Lynch no NXT TakeOver: Unstoppable. O que nos restas é esperar uma Revolução da Equipe Criativa.

    Novamente, bom artigo.

  16. José Sousa - há 1 ano

    Concordo contigo. Porém na minha opinião a melhor wrestler feminina é sem dúvida a Sasha, embora reconheça o talento da Charlotte e da Paige, e mesmo da Becky Lynch.

    Quanto à Bayley, subscrevo os teus receios.

  17. Vinícius Nunes - há 1 ano

    Bom artigo Daniel.

    Li um comentário em tom de gozo que pra mim não está tão longe da realidade, não me lembro direito, mas acho que foi o Doplh Ziggler que disse, porém eu li e achei uma grande verdade… O comentário foi sobre o choro da Sasha, pois apesar de ela estar tendo um bom booking, não sei até onde isso vai, já que eu acredito que logo ela vai ter o booking das outras e pelo que tenho acompanhado e lido, acho que essa Divas Revolution não mudou até porque a pessoa que conseguiu a promo mais impressionante na divisão das divas nos últimos tempos só faz perder e muitos fãs reclamam que a Charlotte não tem mostrado uma personalidade própria, tem sido apenas a filha do Flair, o que era triste, pois ela não era isso, além da incoerência no booking de pessoas como as Bellas, sobretudo a Nikki, e a sumida Natalya que volta e derrota a Paige logo de cara…

    Acho que toda essa diferença, esse clamor que existe no NXT, e os problemas do roster principal estão muito voltados a responsabilidade que o roster principal tem que conseguir números, tem que ser algo imediato, já no NXT, acho que as coisas são feitas, na maioria das vezes, com mais calma, mais paciência e têm melhor planejamento, por isso que as moças têm a possibilidade de brilhar por lá, o que muitas vezes não acontece na loucura que é a Divas Division da WWE.

    Por essas questões, acho que a WWE tem o material, porém acho que não vai ser aproveitado em sua plenitude pela mentalidade que a empresa tem e que acaba por afastar fãs e culminar com as péssimas audiências que eles têm tido nos últimos tempos.

    • danielLP21 - há 1 ano

      Obrigado.

      Sim, no NXT pensa-se a longo prazo e no main roster não. Mas devia acontecer o mesmo no main roster, porque é assim que se constroem estrelas, que mais tarde vão vender aquilo que a WWE espera deles.

  18. DMartins_WWE - há 1 ano

    Excelente artigo, Daniel.

    Estou de acordo com tudo.

  19. RFBM - há 1 ano

    Excelente artigo, concordo contudo o que referiste, principalmente quando dizes que a Charlotte tem uma personagem muito ligada ao Ric Flair.

  20. Be Qu!et - há 1 ano

    Artigo maravilhoso. Concordo plenamente com o que disse da Charlotte, eu gostava dela no NXT, mas quando subiu pro roster principal e começou aquele negócio de viver a sombra do pai eu perdi todo o “tesão” que tinha nela. Acho também que o booking da WWE, na questão das divas principalmente, é simplesmente pior do que história pra criança dormir, não tem coerência em quase nada, inclusive esse Heel turn da Paige deveria vir depois da revanche da Nikki Bella, porque agora a Paige já entrou em conflito com a Charlotte mas está lutando/perdendo pra Natalya em uma outra storyline ao mesmo tempo. É muito confuso. Quanto a Sasha, ela é simplesmente a melhor diva que a WWE tem no momento, eu amo ver ela em ringue, é fantástico.

    • danielLP21 - há 1 ano

      Obrigado.

      Completamente de acordo sobre a confusão de booking. Aliás, não existe booking. Eles mandam-nas para o ringue e acabou, para a semana logo se vê o que acontece.

      Quanto à Sasha, não há mais adjetivos.

  21. LTS - há 1 ano

    Excelente artigo, concordo com praticamente tudo que você disse acima.

    Acredito que a primeira a ser Divas Champion deveria ser a Sasha, devido ao carísma e qualidade nos ringues que possui. Levando em consideração que Charlotte(mesmo com bons ring skills) ainda não é nada além da filha do Flair como já disseste antes, deveria conseguir se credibilizar um pouco mais antes de tentar o título.
    Sei que a Boss teve excelentes combates contra Bayley, mas se a Nikki retesse o título até agora, Sasha poderia nos proporcionar excelentes combates se vencesse no HIAC, sendo que depois de dar a rematch a Nikki(em uma RAW já seria mais do que o suficiente), poderia finalmente começar o tal Divas revolution que na verdade só existe no NXT.
    Quanto a Becky, sinto pena dela na verdade, e para piorar concordo com a Paige, pois sei que ela possui talento, mas devido ao mal booking ela é a menos relevante das mais novas Divas e a WWE nem mesmo sabe como usa-la a não ser como sidekick da Charlotte, acho que a melhor coisa que poderiam fazer com ela seria uma heel turn, para pelo menos dar um pouco de credibilidade à mesma, já que isso é algo que lhe falta muito.
    Mas já que as coisas ficaram do jeito que estão, o melhor a se fazer é explorar o turn da CM Paige depois desta feudzinha que está tendo com a Natalya e separar o team BAD e a Becky da Charlotte(com hell turn da Becky).
    Flw.

  22. Kauê Souza - há 1 ano

    Daniel, excelente artigo parabéns. Sempre que quiser fazer sobre as divas agradeço rs

    Hoje vejo que não há uma mudança muito grande na divisão de divas, o que aconteceu de novo é o tempo de duração nas lutas. Essa rivalidade da Charlotte vs Nikki Bella não tem um interesse muito grande por parte das pessoas justamente por dois fatores. Primeiro: Charlotte está a lutar com Nikki Bella e Segundo: Todos sabem que ela vai reter o título por submissão.

    Não agrego a culpa somente às divas, mas também ao público, já faz um tempo que a crowd da WWE se mostra tão imatura e ridícula que me irrita, eles não dão uma única oportunidade as divas e não adianta apenas a WWE fazer sua parte se o público não está nem aí.

    Assim como todos tenho muito medo e preocupação da subida de Bayley ao main roster, até porque acho que equipe criativa vai boicotar a mesma para não ser uma John Cena na divisão de Divas.

    Ah só uma dúvida, você que entende do ramo, quando um lutador assina contrato com a WWE pela postura da pessoa e personalidade eles que definem quem será heel ou babyface?

    • Be Qu!et - há 1 ano

      Acho que isso não vem de personalidade, penso eu que seja aleatório. Porque a Bliss por exemplo era super fofa, agora ela virou Heel. Outro exemplo, Natalya, começou como Heel, hoje é babyface.

      • Kauê Souza - há 1 ano

        =D Obrigado, é que fica meio ‘confuso’ entender isso rs

  23. Ótimo artigo. Parabéns.

    Eu tenho MUITA PREGUIÇA das “Divas”. Li em algum lugar e alguma vez, que até o termo “divas” já atrapalha a ideia das mulheres do Main roster. No NXT é Woman, na WWE é Diva. Ah, faça-me o favor…

    As storylines do NXT são de mulheres. Bayley vs Sasha Banks foi uma IMM sobre RESPEITO, enquanto no roster principal falamos sobre vaidades.
    Team BAD (que veio para acabar de vez com as chances da Naomi ter algum push) são vilãzinhas invejosas, PCB (sem o P agora haha) são as mmocinhas inocentes que almejam ser alguém e o Team Bella são as que não sabem se é para agir como heel ou face. Que preguiça!

    Também li outra vez em algum lugar que “não se pode dar push para 9 mulheres”. Pois bem, agora são 10. E é praticamente todo o roster.

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador