Cutting Edge #34 – Roman (finally) Reigns

25 de janeiro de 2015. Filadélfia, Pensilvânia. Roman Reigns ganha um dos piores combates Royal Rumble de sempre e é vaiado de forma contundente.

14 de dezembro de 2015. Filadélfia, Pensilvânia. Roman Reigns conquista pela segunda vez o Título da WWE e é ovacionado pela esmagadora maioria dos fãs presentes na arena.

Em 11 meses, o que é que mudou na apresentação de Reigns e na sua ligação aos fãs?

Na verdade, muito pouco. Pelo menos até ao dia 12 de dezembro.

Bastaram dois dias, duas noites de rara inspiração por parte da equipa criativa da WWE para que Reigns recebesse as ovações que a companhia pretendia.

A rivalidade entre Reigns e Sheamus foi mal recebida pelos fãs. Por um lado, o vilão não tinha qualquer credibilidade; por outro, o herói vinha tendo um booking desastroso, baseado em longas promos e falas que só servem para irritar os fãs.

Sei que estamos numa Era em que o produto apresentado é direcionado para as famílias e tem que haver alguma moderação nas falas dos lutadores, o que impede Roman Reigns de fazer promos como as de The Rock ou Steve Austin (em termos de conteúdo e não de qualidade), visto que estes muitas vezes utilizavam expressões muito pouco PG.

Porém, tal não significa que Reigns tenha que utilizar expressões infantis. É algo que simplesmente não lhe assenta bem. Não lhe é natural. Deixem isso para os New Day.

O novo Campeão da WWE tem que ser apresentado como Batista. Uma besta imparável, sorridente q.b., sempre pronta a andar à porrada e parco em palavras.

No TLC, vimos esse Reigns. Agressivo, concentrado apenas em ganhar o Título da WWE e muito frustrado por não conseguir o seu objetivo. O ataque a Triple H levou os fãs à loucura. Os mesmos fãs que minutos antes o estavam a apupar porque não estavam investidos no combate, tendo em conta a construção pouco eficaz que este teve.

Estava dado o mote para uma enorme receção a Roman Reigns na Raw do dia seguinte.

O que os fãs não esperavam era que tivéssemos um novo Campeão da WWE logo a seguir ao TLC. A WWE habituou-nos de tal forma a ver o título principal mudar de mãos apenas em PPV’s que fomos apanhados de surpresa com esta decisão.

Foi uma jogada de mestre. Aproveitando o final do PPV da noite anterior, a WWE tornou Reigns num campeão que a maioria não se importa de ver: agressivo, de poucas palavras, focado apenas naquilo que tem que fazer em ringue. Pelo menos, até agora.

Não se pense que o mais difícil está feito. Roman Reigns começou apenas agora o seu caminho como estrela de topo. Sim, já tinha ganho o Royal Rumble e lutado contra Brock Lesnar no main-event da WrestleMania, mas não era visto pela maioria dos fãs como uma grande estrela. Agora as coisas começam a mudar.

Claro que tudo teria sido mais fácil se Daniel Bryan não tivesse voltado tão cedo, antes do Royal Rumble. Apenas com essa decisão a WWE teve que adiar os planos que tinha para Reigns: torná-lo campeão na WrestleMania.

Mas o que lá vai lá vai e o importante agora é o futuro. Sinceramente, tenho algum receio e ceticismo pelo que vai ser o reinado de Reigns.

Neste momento, não tenho grandes dúvidas de que vai entrar e sair da WrestleMania como Campeão da WWE. O seu primeiro reinado durou apenas cinco minutos, pelo que este segundo deverá ser bem mais longo (caso não se lesione).

O problema, a meu ver, é que ou muito me engano ou a WWE vai insistir num Reigns demasiado falador. Não me lembro do último campeão que não tenha tido enorme tempo de antena ao microfone e duvido que isso vá mudar com Reigns.

Na cabeça da WWE, o seu campeão tem que saber falar ao microfone. Os campeões têm que ser todos iguais, por mais que cada lutador se distinga dos outros pelas suas particularidades.

O ponte forte de Daniel Bryan não eram as suas promos mas sim as suas performances em ringue, assim como no caso de Seth Rollins; o de John Cena são as mic-skills (quando está inspirado…); e o de Reigns é a sua presença e carisma.

Porém, para a WWE o seu campeão tem que ter sempre muito tempo com o microfone na mão, sobretudo desde que a Raw tem a duração de três horas (de forma a ocupar tempo). Até Sheamus, reconhecido por ser um brawler, teve demasiado tempo de antena com o microfone na mão naquele segmento horrível na Raw da semana passada.

A WWE tem que insistir nos pontos fortes de Roman Reigns, principalmente agora no início do seu reinado, de modo a que este “agarre” os fãs. Mais tarde, caso ele vá evoluindo nesse parâmetro e os guiões sejam decentes, poderão então tentar dar-lhe mais tempo ao microfone, até porque ele tem de facto que melhorar nesse aspeto e ser testado. Mas com calma.

Irá a WWE ter essa paciência e proteger Reigns dos seus pontos fracos? Duvido muito.

O mais provável é continuarem sem perceber (ou a fingir não perceber, o que vai dar ao mesmo) aquilo que os fãs querem de Roman Reigns.

Durante esta semana, foi incrível o número de pessoas que admitiu começar agora a apoiar o novo campeão porque teve um booking decente. Ou seja, está nas mãos da WWE fazer com que estes fãs continuem do lado de Reigns ou voltem a virar-lhe as costas fruto de decisões duvidosas.

Nenhum lutador é 100% consensual. Há quem nunca tenha gostado de The Rock. Há quem nunca tenha gostado de Steve Austin. Há até quem nunca tenha gostado de The Undertaker. Mas a esmagadora maioria gosta deles.

Roman Reigns nunca será 100% consensual. Esperar isso é esperar uma utopia. Porém, com um booking decente e uma exploração dos seus pontos fortes, tem tudo para ser aquilo que a WWE quer que ele seja, de forma orgânica e natural.

Sim, o TLC e, sobretudo, a Raw foram duas grandes noites. Mas não nos podemos esquecer do mês anterior, constituído por eventos fraquíssimos e frustrantes. Não podemos pensar que está tudo bem agora, tal como não estava tudo mal na semana passada (embora nos maus momentos a tendência seja para destacar apenas o lado negativo).

Muita da qualidade do produto da WWE no futuro vai passar por aquilo que acontecer no main-event e, por consequência, com Roman Reigns. Se o construírem de forma simples e correta, se forem ao encontro daquilo que os fãs querem ver nele, o produto será muito mais fácil de assistir.

Se, por outro lado, insistirem nos mesmos erros cometidos até aqui, então a paciência dos fãs esgotar-se-á novamente e as audiências, que apresentaram uma subida notável esta semana, voltarão a descer.

Se eu fizesse parte da equipa criativa da WWE, propunha aos meus colegas um desafio: tentar que, até ao Royal Rumble, a audiência da Raw chegasse aos 3.0 (a desta semana obteve 2.6). Não tanto por achar que as audiências correspondem sempre à qualidade dos programas, mas por considerar que essa seria uma forma de se superarem e esforçarem-se por apresentar boa televisão.

Quando o TLC acabou, os fãs ficaram ansiosos por ver o que ia acontecer na Raw. Quando esta acabou, os fãs ficaram ansiosos para ver o que vai acontecer na próxima semana (era melhor se os principais intervenientes não aparecessem na SmackDown, mas não se pode ter tudo). E é isto que tem de acontecer todas as semanas. Dar um significado aos programas semanais, fazer com o que os fãs acreditem que tudo pode acontecer na Raw e não tratar o programa apenas como um filler até aos PPV’s, onde tudo acontece.

Não se exigem combates pelo título todas as semanas, como é óbvio. Ainda assim, os fãs têm que ter motivos para ver a Raw e para não mudarem de canal durante a mesma. É difícil manter um bom nível durante três horas, é verdade (sobretudo quando há tantos lesionados), mas uma equipa criativa tem que fazer jus ao seu nome e alguma ginástica para nos proporcionarem bons eventos.

Foi uma semana positiva para a WWE. À medida que se aproxima a Road To WrestleMania e alguns nomes importantes estão quase a voltar, as expectativas dos fãs aumentaram.

Já se sabe, no entanto, que a inconsistência é a palavra de ordem naquela companhia, por isso nada nos garante que na próxima semana não tenhamos uma queda abrupta de qualidade.

Roman Reigns é o novo Campeão da WWE e é agora sobre ele que recaem as maiores responsabilidades. Vai ter que provar que merece o cinto, precisando, igualmente, da ajuda de quem manda. Cá estaremos para ver o que o futuro nos aguarda.

Por hoje é tudo. Na próxima semana vou fazer uma avaliação ao ano de 2015. Os destaques positivos e negativos, as surpresas e as desilusões serão analisadas por mim, talvez usando algumas das categorias que a WWE irá utilizar nos seus Slammys. Até lá, tenham uma excelente semana e boas férias para quem as tem.

Sobre o Autor

- Autor do espaço "Cutting Edge".

50 Comentários

  1. Tibraco - há 12 meses

    Bom artigo.

    A minha opinião é, basicamente, a mesma que a tua. Aliás, acho que a esmagadora maioria do pessoal revê-se nas tuas palavras. Lá está, gostei do artigo mas deixou, na minha opinião, pouco espaço ao debate.

  2. Galloway - há 12 meses

    Concordo com o artigo, exceto na parte em que introduzes o Daniel Bryan.

    Se a “culpa” fosse dele, teria vencido o combate no Fast Lane e não foi isso que aconteceu.

    Na minha óptica, muito por causa do booking que teve também, o Roman não foi campeão na WM porque havia um Seth Rollins mais bem preparado para o ser, daí o cash-in.

    E na 11ª frase, não é molde, mas sim mote :)

    • danielLP21 - há 12 meses

      Obrigado. Corrigido.

      Se a WWE queria que o Reigns fosse apoiado, devia ter manipulado a situação. Sem o Bryan, a reação dos fãs à vitória dele no Rumble seria bem melhor, mesmo que houvesse algum pessoal a apupar.

  3. Marques - há 12 meses

    O Roman pode estar over agora mas duvido muito que daqui a 2 ou 3 meses continue a ser ovacionado como foi esta semana. Ele ficou assim over muito graças aos ataques ao Triple-h e ao Vince e já se sabe que a popularidade deles ( principalmente a do Vince) não é a melhor. Arrisco-me mesmo a dizer que até a Eva Marie conseguia uma reação positiva caso ataca-se o Vince.
    Quando ele começar a enfrentar (e provavelmente a vencer) nomes como Owens, Seth Rollins, Bray Wyatt duvido muito que continue a ser apoiado, a não ser que as feud dele sejam só contra gajos dos quais o publico está farto ( Sheamus, Big Show etc).

    Outra possibilidade é, como disseste, que a equipa criativa se encarregue de estragar aquilo que fez de bom até agora com ele.
    Só o tempo dirá o que vai acontecer.

    • danielLP21 - há 12 meses

      A popularidade do Vince não é a melhor? Não deves reparar bem na reação do público cada vez que ele regressa.

      Não tem tanto a ver com os adversários (embora também conte) mas sim como a forma como é apresentado. Se o Reigns continuar a ser apresentado desta forma, não vejo porque não pode ser ovacionado.

  4. Dolph Ziggler - há 12 meses

    Bom artigo, Daniel.

    O final do TLC e o Raw foram um ponto de viragem na personagem do Reigns, mas será preciso que a sua personagem continue a levar este rumo e, tal como tu referiste, tenho as minhas duvidas quanto a isso. Acho que, agora que é campeão da WWE e se lhe exigirá mais tempo no microfone, os seus pontos fracos vão acabar por ser mais expostos.

    Mas quem sabe, com o decorrer do tempo e com cada promo que faz, este até pode melhorar significativamente nesse aspeto. O Rollins era medíocre no mic mas melhorou de tal forma que sacou das melhores promos do ano em várias ocasiões. O Reigns, apesar de ter uma personagem diferente e que, idealmente, requer menos conversa, é como tu disseste: eles vão sempre exigir que o campeão faça promos com bastante frequência. O ideal no contexto da sua personagem era isso não acontecer, mas eu diria que é inevitável.

    Concordo plenamente com a parte dos fãs precisarem de uma motivação para continuar a ver o Raw ao longo das 3 horas. É importante contar uma história ao longo do programa de forma a que se dê aos fãs um motivo para continuar a ver e ficar para o main-event. O último Raw é um bom exemplo – contaram uma história interessante que levou a que o main-event tivesse algo em jogo e desse motivos à audiência para se investir no combate e nas personagens. Muitas e muitas vezes o main-event é um simples combate de tag-team com 2 ou 3 feuds metidas ali no meu que não interessa a ninguém.

    • Dolph Ziggler - há 12 meses

      Esquece o “no meu” no fim!

    • danielLP21 - há 12 meses

      Obrigado. Exatamente, o Rollins evoluiu bastante. O problema com o Reigns é que os fãs não têm tanta paciência para o deixar evoluir ao mic como tiveram com o Rollins, por isso o risco de o colocar a falar bastante ao mic é maior. O facto de o Rollins ser heel também ajudou. Se os fãs por acaso não gostassem, ao menos tinha aquela atenuante de “ser para isso que um heel serve”.

      O problema é arranjarem todas as semanas uma história que faça os fãs não mudarem de canal durante as 3 horas, até ao main-event.

  5. BRRM - há 12 meses

    Excelente artigo. A meu ver, tens razão em tudo o que disseste.

  6. Anónimo - há 12 meses

    Bom artigo. resumindo: tirem o microfone do Reigns.

  7. filipepc - há 12 meses

    Boa tarde. Não sou nem fã, nem anti Roman Reigns. Sou da velha guarda, vejo wrestling praticamente desde que ele foi “lançado em TV. Por isso lembro-me de quase todas as eras e dos grandes lutadores dos últimos 30 anos.
    Desde que vi o Reigns achei que estava ali um top guy. Não por o achar brilhante, mas porque tinha fisionomia e ar de campeão. Há coisas que se tem ou não se tem, pode se trabalhar, mas… Raramente se dá a volta. A mesma noção que tenho sobre toda a sua imagem, carisma ( calado), é a mesma noção que tenho sobre as suas fracas e acima de tudo forçadas promos e expressões. Por isso concordo que foi durante o ano muito mal trabalhado, levarem a fora um atleta a ser o mais eventer acaba por ser complicado para o público engolir. Posso dizer que no meu caso o que menos tenho gostado é exactamente isso. Não achei portanto assim tão brilhante este último PPV e RAW, mas admito que está mais dentro do que se espera da sua imagem, uma imagem que é de Gladiador. Se ele não é a bom a falar, que fale pouco, se faz expressões ridículas a dizer coisas que provavelmente não faz parte da imagem dele, então evitem isso. O resto terá que ser o tempo a ditar. A sua evolução em ring e no micro podem fazer dele ou não uma estrela ainda maior do que aquela que a WWE quis a força dar ao universo. Tenho que confessar que quando apareceram os The Shiel gostava mais do Rerigns do que do Rollins, mas foi exactamente o tempo e as actuações brilhantes que me levaram a pensar que o Rollings está um passo a frente nestes aspectos do que o Reigns. Mas… Sim há sempre o MAS… É que a imagem dos grandes campeões é quase sempre de alguém maior, mais poderoso, e por isso tudo, cabe a WWE perceber que tem ouro nas mãos, mas se não o souber trabalhar, esse ouro vira aquilo que virou quase o ano todo de 2015. Um lutador esforçado mas apenas satisfatório. Para se ser CENA ( Que nem gosto nada, lol) há que crescer muito e ser muito melhor… Um abraço.

    • Anónimo - há 12 meses

      Tio Vince adora essa linha de pensamento: deem cinturões só para caras com mais de 1,90m e 120Kg…

      • Miakuda - há 12 meses

        Porque os Heavyweights são mais críveis e realistas como campeões principais, e também colocam mais bundas nos assentos, logo, geram mais dinheiro.

    • danielLP21 - há 12 meses

      Completamente de acordo.

  8. Anónimo - há 12 meses

    É por estas coisas que os smarks da internet são considerados hipócritas. Durante meses, tínhamos em todo o lado pessoas a dizer que o Reigns não merecia estar sequer no main event porque ele não tinha mic skills, personagem e acima de tudo in ring skills para lá estar. O que eu pessoalmente acho e sempre achei. Com evolução talvez, mas não tem as qualidades que eu considero necessárias para isso. No entanto, muitas pessoas que tinham esta opinião fundamentada começaram a dizer que o Reigns é o maior e que o problema era só o booking. Desculpa? Ouvi isso muito muito poucas vezes antes. Havia quem o dissesse (e aí te incluo a ti, Daniel, não te estou a abranger nesta crítica) mas a larga maioria apontava falhas que iam além do booking.
    O booking feito do Reigns está a ser bastante básico e simples e resulta para fãs mais básicos esquecerem as suas falhas. Mas isto não vai resultar bem a longo prazo. As falhas do Reigns ainda estão lá e vão voltar a aparecer. No dia em que o Reigns largue o Sheamus, o Triple H e o Vince para ir contra pessoas como Brock Lesnar, Seth Rollins e até o próprio John Cena, as pessoas vão começar a comparar os performers, ver como o Reigns fica aquém destes e as reacções negativas vão voltar. E aí vou-me rir. Vou-me rir quando vir muitas das pessoas que agora vão com a maré e dizem que o Reigns é o maior e só precisava de ser bem bookado a voltar à conversa de antes. Mas aí vai ser demasiado tarde para voltar atrás. O Reigns é o novo Cena, as reacções positivas deste Raw e do TLC serão vistas pelo Vince e companhia como a validação de que necessitavam. Quem mudou de opinião em 5 minutos, sem justificação para isso, e agora bate palmas é bom que nunca mais se queixe.

    • danielLP21 - há 12 meses

      É uma maneira de ver as coisas, sim. Só nos resta ver como é que tudo se desenrola. Continuo a achar que se souberem explorar os pontos fortes dele, esconder os fracos e o colocarem em histórias interessantes não terão tantos problemas.

    • Nem mais. As falhas do Reigns vão além do booking, ele continua a ser o Reigns. Mas o booking influencia, e muito, a forma como “vemos as coisas”.

    • FrancisDreezPT - há 12 meses

      Concordo.. Eu já disse… Não desgosto nem gosto do Reigns, mas o booking dele e uma mrd… Fale mt, fale pouco vai ser sempre o Cena 2.0…
      O superhome…quando foi a última vez que o Reigns saiu por baixo?? Não contando com o cash-in, foi antes do Hell in a Cell…
      Eu acho que e grande abuso o que estão a fazer com o Reigns…e isso e vdd… Há muita gente que antes criticava o Reigns por tudo e por nada e agora do nada passam a ama-lo como se fosse um deus…é a tal manipulação da WWE…ela conseguiu manipular mt gente… Mas a mim não.. Para mim o Reigns continua a ser o mesmo e tal como disseste,por agora ainda se esconde um pouco as suas falhas, mas mais tarde, elas vao ser muito nítidas e aí vai ser pior… Espere.os para ver…
      Pessoal como Cena,Orton,Punk,Bryan,Rollins faz mesmo muita falta….Mas muito por culpa da WWE…

  9. Lucas - há 12 meses

    Uma coisa que além de tirar o microfone dele , e a WWE nos próximos na fazer dele um John cena, tendo diversas chances por título ou ficar com ele por diversas vezes, pois isso pode prejudicar muito ele,devido a ter grandes nomes sem receber chance ou tendo a oportunidade de ser campeão. Teremos no futuro muitos bons main eventos se wwe utilizar certo, como Ambrose, owens, bray, e os membros do nxt

  10. The Cobra 619 - há 12 meses

    Ótimo artigo Daniel. Concordo com você eu tudo que disse.

  11. PuraVdd - há 12 meses

    bla bla bla reigns lixao

  12. Ronaldo EDGE - há 12 meses

    Bom artigo e concordo ctg.

    Neste momento não há ninguém melhor que o Roman para ser campeão, devido as lesões de muitas estrelas e de algumas ausências, acho que o K.O. ou o Dean ainda é muito cedo para eles.

    A única coisa que não concordo muito é o Roman sair campeão na WM. Isso claro depende do vencedor do RR mas estou com um feeling que o vencedor será entre Cena ou Lesnar e se for Lensar o vencedor não o estou a ver a perder em duas WM seguidas

    • danielLP21 - há 12 meses

      Obrigado.

      Se o Lesnar ganhar o Rumble, temos um Reigns vs Lesnar 2.0 e aí o Reigns fará o que não fez em 2015 por não ter os fãs do seu lado: vencer o Lesnar de forma decisiva. É esse o objetivo da WWE e a estrela que eles querem que o Lesnar eleve é o Reigns. Resta saber se o Reigns vai ter os fãs assim tanto do seu lado.

  13. Reigns one versus all - há 12 meses

    Ótimo artigo,Daniel.
    Nunca se sabe o que esperar da WWE,tão depressa estão a dar-nos um bom show e no dia a seguir estão a dar-nos algo péssimo.acho que a WWE tem de começar a fazer algo consistente para dar interesse aos fãs para ver cada RAW com motivação.

    Roman Reigns campeão foi algo que me deixou muito satisfeito

  14. RFBM - há 12 meses

    Óptimo artigo, acabo por concordar com todos os aspetos.

  15. Half man half amazing - há 12 meses

    Subscrevo na integra aquilo que foi dito. Não sou nem fã nem hater de Roman Reigns. Na verdade ele é-me totalmente indiferente mas admito que o Reigns que foi apresentado no final do ultimo PPV muito mais agressivo e dominante e de poucas falas é o Reigns perfeito e aquele que reune o maior concenso entre o wwe universe e se for esse reigns que a wwe nos continuar a apresentar nao tenho grandes duvidas de que vai ganhar o respeito e admiração da maioria das pessoas (nunca sera unanime).

    O unico problema que eu vejo na construçao de Reigns agora está mais voltado para o fato de este ser o “escolhido” e de a wwe deixar isso bem claro tão claro que acaba por causar revolta nos fãs a quem nao está a ser permitido fazer a sua escolha quase como que obrigados a levar com reigns e a gostar dele. No fundo o verdadeiro corporate champion não é Sheamus nem o foi seth Rollins. Por tras dos bastidores Roman Reigns é esse personagem por muito que a wwe em storyline diga o contrario e apenas vejo isso como um entrave a reigns triunfar.

    O unico aspeto que eu nao concordo no artigo é no fato de o main event girar em torno de Roman Reigns. A meu ver o main-event nao deve girar em torno de um wwe superstar mas sim de varios capazes de proporcionar segmentos à altura e rivalidades interessantes. É a unica forma de agradar a todos. Tal como foi dito nem todos vao gostar do Reigns isso é inevitavel e como tal urge essa necessidade de colocar mais nomes no topo de modo a tentar agradar à grande maioria so assim havera audiencias quando os fas se sentirem de alguma forma recompensados com o sucesso de wwe superstars de quem sao fas. Porque muito pessoal que nao é fã do Reigns nao vai ter interesse em ver os shows.

    • danielLP21 - há 12 meses

      Se não concordas com algo não podes subscrever na íntegra :P

      Eu falei no futuro próximo. Com o Reigns no topo, o main-event vai tê-lo como figura central. Isso não impede que se construam outros main-eventers.

  16. TENDEU - há 12 meses

    Isso é absurdo pare de crtiicar a wwe poxa vida. a wwe faz o melhor que eles podem :(

  17. Frederico_WWE - há 12 meses

    Muito muito bom… continuas a mostrar que vale apena ler os teus artigos todas as semanas e parabéns por isso apesar da vida não permitir comentar com frequência aqui no site e revejo me em tudo o que disseste mas lá está o Reigns como suposta “nova” cara da companhia vai ter que falar muito ao microfone… e isso de facto é um problema porque definitivamente esse não é o ponto forte dele… enfim a ligação dos fãs com ele vai depender muito da forma como a WWE o apresentar todas as semanas.

    • danielLP21 - há 12 meses

      Seja bem aparecido!

      Obrigado por leres e pelos elogios.

      Exato. Vai tudo depender da apresentação, das histórias, do booking… Isso tem que compensar o ponto fraco dele. Por sua vez, o Reigns vai ter que tentar evoluir como outros evoluíram ao microfone.

  18. Telespectador - há 12 meses

    Do jeito que a WWE tenta colocar o Reigns como um destruidor imbatível, não seria nenhuma surpresa se na Wrestlemania ele vencesse sozinho um time formado por Randy Orton, John Cena, Batista, Brock Lesnar, Triple H e Undertaker em uma handcap elimination match, mesmo com várias interferências do League of Nations e da Watty Family a favor do time Orton. A WWE quer colocar o Reigns como a maior estrela de todos os tempos que chega a ser ridículo.

    • danielLP21 - há 12 meses

      Nem era para responder, mas não consigo evitar.

      Decidam-se. Se a WWE coloca dificuldades no caminho do Reigns é porque ele não serve para underdog (concordo com essa visão); se ele domina na esmagadora maioria das vezes, é porque é um super-homem.

      Queixavam-se de o Rollins não ganhar muitas vezes sozinho e sem ajudas e de ter derrotas escusadas e agora que temos um campeão que, em princípio, será dominante, acusam-no de ser o novo Cena.

      Por falar em novo Cena, quando comparam o booking dos dois eu rio-me. Durante 10 anos levamos com o Cena a sair por baixo nos shows semanais e a ganhar nos PPV’s depois de levar uma surra. Isto aconteceu ano após ano após ano.

      O booking do Reigns não tem nada a ver. Ponto final.

      Por fim, aconselho-te a veres todas as Raw’s de 2005 (fiz isso há pouco tempo) e a contares o número de vezes que o Batista saiu por baixo. Uma pista: basta uma mão para contar o número de vezes em que isso aconteceu e nem deves precisar dos dedos todos.

      Realmente, se há coisa que a WWE faz é tentar mostrar que alguém da nova geração é melhor do que outras lendas do passado. É mesmo isso que eles fazem!

  19. filipepc - há 12 meses

    Resposta ao anónimo…

    Não me viste a dizer que eu acho que os tipos campeões têm que ser somente os tipos “grandes”. Não penso assim. Embora acredite que na situação de um WWE champion faz mais sentido ser alguém mais poderoso fisicamente, o que não quer dizer que tenha que ser um tronco… Por favor… Tivemos ao longo dos anos excelentes campeões sem serem troncos, mas também é natural que alguns deles cheguem lá acima por esse factor.
    Mas há coisas que nascem com a pessoa. Outras que se altera trabalhando. Eu não faço ideia se o Reigns vai algum dia me convencer a 100% a lutar e a “criar” uma boa história da forma que ele me impressiona e cativa só pelo look. Esse é o ponto forte dele. O ponto fraco é as deficiências que ainda apresenta em ring para quem sabe ser um grande campeão. Nem o vaio, nem o apoio, estou a espera de ser ou não surpreendido pelas suas actuações, como já referi foi assim que me senti com o rollins. Não fui de certeza o único a achar que ele esteve brilhante ao longo do ano. Foi realmente um digno campeão. Soube “contar” a sua história. O Wrestling é isso…

    O resto entendo que possam existir opiniões e gostos diferentes. Enfim, nem todos podemos gostar dos mesmos atletas, embora ache que devemos ser lúcidos a avaliar as suas capacidades. E por vezes o problema não é só de booking, mas também é de booking, porque a sensação que se cria com a fasquia muito elevada acaba muitas vezes por se virar contra alguns dos lutadores. Vou gostar de ver como isto vai correr, os tempos mudaram, o produto é outro, e embora eu gostasse mais dos anos 90 e inicio de 00, continuo a ver wrestling com paixão e gosto.

    Não sei se me faço entender pois alguns de vós vivem isto de uma forma um pouco “cega” tal é a paixão ao wrestling, mas resumindo tudo o que pretendo transmitir na minha opinião é que vejo qualidades no Reigns como atleta e com um look muito poderoso, no entanto não sou fã das suas performances gerais este ano, e acho que alguém o deve ajudar a minimizar as suas fraquezas e que tanto irritam os fãs. Provavelmente vamos ver o Reigns contra o Lesnar em breve… Espero que construam bem a história. Cumprimentos.

  20. Rolf - há 12 meses

    Bom artigo , Daniel .

  21. Miguel Carlos - há 12 meses

    Excelente artigo, muito bom! É impressionante e irónico como em 2 dias a WWE consegue fazer o que não conseguiu em 12 meses: dar um booking acertado ao Roman Reigns e torná-lo championship material aos olhos dos smarks. Pessoalmente, nunca embirrei muito com ele, embora achasse que não merecia ser campeão até ao Survivor Series, onde ele era a estrela mais over de entre os disponíveis (muito devido às lesões e ausências) e até teve uma boa performance contra o Alberto del Rio, acrescentando à boa feud e combate final com o Bray Wyatt. E sem dúvida que o booking desses dois dias foi espetacular, ao ponto de levar a cidade mais exigente em termos de wrestling (tendo em conta que tinham a ECW), discutivelmente, a apoiá-lo totalmente. Porém, também acho que a WWE lhe vai dar demasiado tempo ao microfone, e isso irá certamente prejudicá-lo, apesar de discordar que é comparável ao Daniel Bryan e ao Seth Rollins, pois este último sempre mostrou (pelo menos quando começou a solo no main-roster) que era um bom talker, e o Daniel Bryan melhorou bastante ao microfone desde que se tinha estreado. Claro que nestas situações as mic-skills eram boas antes de começarem os seus reinados. Por fim, concordo quanto à Raw, acho que mais do que um show de construção, os programas semanais devem ser também para apresentar momentos interessantes, trocas de título, combates por títulos, combates importantes sem acabarem em desqualificação ou “no contest”, cash-in’s, turns, etc. E achei genial a mudança de título na Raw, pois ninguém estava à espera, e calhou num momento em que as audiências estavam em queda abrupta. Acredito que a qualidade se mantenha na próxima Raw, tendo em conta que é o fall-out da vitória do Reigns e ainda para mais os Slammy Awards. Eu caí no erro de vir ao Wrestling.PT pesquisar uma coisa e soube sobre a troca de título antes de ver a Raw, mas não vos culpa obviamente, o disparate foi meu. De qualquer forma, é um momento que fica para a história.

    • danielLP21 - há 12 meses

      Obrigado.

      Eu não disse que o Reigns está ao nível do Bryan e do Rollins ao microfone. Disse apenas que o ponto forte do Bryan e do Rollins é a sua qualidade em ringue, por mais que tenham melhorado ao mic (acho que a evolução do Rollins foi maior, visto que ele era péssimo nesse aspeto).

  22. fish - há 12 meses

    Ele estragou tudo no smackdown

  23. Anónimo - há 12 meses

    A verdade é que o reigns tem que ser hell pq ele sabe fazer muito bem isso
    A wwe quer fazer ele como um superman mais sei la ele faz bem a mistura de hell-face pq ele sabe ser e fazer o papel de hell e tambem face ele ñ é tipo brock lesnar que é aquele hell do caralho de bom ele é exemplo de john cena quando ele tinha o papel de hell ele fez super bem o problema desde o começo é que a wwe queria que ele fosse o campeão de qualquer jeito se o rollins ñ tivesse aquele contrato o reings consertesa poderia ser campeão na wrestlemania ai o que a wwe fez pegou um cara de ser odiado a ser ovacionado pela wwe batendo quebrando tudo e em todos foda-se qualquer um o meu negócio é ser campeão de qualquer jeito foi o que fez a wwe com ele poriso que hj é campeão mais eu tenho uma desconfiança que ele possa ser um campeão temporária para que outro maior possa tomar o lugar dele exemplo: brock lesnar, john cena, Randy Orton até mesmo o seth rollins vai que volta a tempo.

  24. Reuben - há 12 meses

    Reigns é o maior, roman’s empire is on fire

  25. Excelente artigo. Gosto muito da análise que fazes e concordo que apesar de tudo há uma forte possibilidade da WWE voltar a errar no booking de Reigns. A história mostra que raramente a WWE aprende as lições a tempo.

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador