Existem 2 vagas na Equipa do Wrestling PT para publicar notícias. Candidata-te!

Cutting Edge #47 – Will the show ever be on again?

“I want to be the best ever. And everything single day, whether is The Authority or The McMahons themselves, in my face they’re letting me know: ‘we know how great you are. We dare you to go out there and do better’. I’ll do better… Give me the chance and I’ll do it. I’ll take and I will do it. I promise you: with six inches I will take a mile every night of the week (…) I can win big, I can seal the deal, I can become the best (…)” – Dolph Ziggler, 7 de março de 2016.

Colocando de parte os seus tempos nos Spirit Squad e como caddy de Chavo Guerrero, Dolph Ziggler estreou-se na WWE no final de 2008. Lembro-me das suas aparições nos bastidores, dizendo “Hi, I’m Dolph Ziggler” e de como achava que aquele idiota arrogante não chegaria a lado nenhum.

Uns meses mais tarde, começou a proporcionar-nos grandes combates com o Título Intercontinental em jogo e as opiniões dos fãs começavam a sofrer alterações. A minha não, até porque foi nessa altura que o meu interesse pela WWE se começou a desvanecer.

No início de 2011, apenas dois anos e pouco depois da sua estreia, Dolph Ziggler conquistou pela primeira vez o Título Mundial, ainda que este lhe tenha sido “oferecido” por Vickie Guerrero e ele o tenha perdido para Edge na mesma noite.

É verdade que não se deve tratar um título desta forma e, para mim, este “reinado” nem devia ser considerado como tal, como o de Edge. Ou seja, neste momento Ziggler devia ser campeão por uma vez e não duas, enquanto Edge seria um Campeão Mundial por dez vezes ao invés das onze que estão nos registos.

Seja como for, julgo que ficou aqui demonstrado que a WWE tinha planos de futuro para o “Show Off”. Ou pelo menos assim parecia.

Meses depois, na WrestleMania esteve envolvido num combate desinteressante em termos de Wrestling mas que envolveu uma celebridade (Snooki), o que, de certa forma, lhe deu alguma visibilidade em termos de fãs casuais ou pessoas que só quiseram ver o combate por causa da participante de reality-shows.

Depois de mais um ano no mid-card, janeiro voltou a ser um mês de push para Dolph Ziggler: desta vez, desafiou CM Punk pelo Título da WWE no Royal Rumble, saindo derrotado.

Até aqui, não vejo nada de mal em termos de construção da sua personagem. Dolph Ziggler estava bem posicionado no card, somando títulos de mid-card e indo ocasionalmente ao main-event. Os fãs sabiam que, mais cedo ou mais tarde, Ziggler chegaria ao topo.

Em 2012, no Money In The Bank, Dolph ganhou o Combate de Escadote e garantiu uma futura oportunidade pelo Título Mundial. Aqui, os fãs tiveram a certeza de que ele ia ser campeão, visto que até àquela altura ninguém tinha falhado um cash-in (curiosamente, John Cena falhou o seu no mês seguinte, por desqualificação).

Porém, foi também a partir daqui que Ziggler começou a ter um booking questionável e, sobretudo, bipolar.

Sendo verdade que foi o sobrevivente do combate tradicional do Survivor Series, todo o ímpeto conquistado nessa noite perdeu-se na rivalidade com John Cena no mês seguinte. Essa vitória serviu apenas para ganhar credibilidade de forma a entrar numa feud com Cena, perdê-la e dar ao rival ímpeto para o segundo combate com The Rock.

Enquanto detentor da mala, Dolph Ziggler teve apenas uma rivalidade com um lutador importante, e o protagonista nem foi ele.

O pior não foi o facto de perder a rivalidade. Foi mesmo a forma como Ziggler foi retratado: no Combate de Jaula entre ambos numa Raw, John Cena precisou apenas de um “F-U” para derrotar o adversário, ao passo que Ziggler aplicou por três ou quatro vezes o seu finisher e não conseguiu vencer. Pormenores que fazem toda a diferença, mais até do que a questão vitória/derrota.

Na WrestleMania desse ano, Dolph Ziggler esteve pelo terceiro ano consecutivo num combate de Tag Team (desta vez, com os títulos em jogo), quando podia ter tido uma rivalidade minimamente relevante e que lhe desse ímpeto para o momento da noite seguinte.

A melhor noite da sua carreira.

Lembro-me como se fosse hoje do momento em que Dolph Ziggler fez o cash-in. Faço parte do grupo de pessoas que não acreditava que ele o fizesse naquela noite, visto que era demasiado previsível, mas a verdade é que essa teoria se confirmou e eu tive um dos momentos mais emocionantes de sempre como fã de Wrestling.

Naquela altura, Dolph Ziggler já me convencera de que pertencia ao topo.

Mesmo não tendo as melhores mic-skills, está longe de ser dos piores nesse aspeto (não o considero pior do que Randy Orton, por exemplo), ao mesmo tempo que em termos de carisma, presença e capacidades como wrestler não há quase ninguém melhor do que ele. Ao mesmo nível? Alguns. Melhores? Poucos.

O que se seguiu a esse grande momento foi uma daquelas lesões que vêm na pior altura possível, embora o curto reinado nem tivesse sido uma má opção, visto que no dia em que perdeu o título para Alberto Del Rio virou babyface, enquanto o mexicano virou heel, numa decisão muito inteligente e que só pecou por tardia, tendo em conta as enormes ovações que Ziggler já ouvia há quase dois anos.

Depois disto, a WWE devia ter arrastado a rivalidade até ao SummerSlam, onde Ziggler atingiria o seu grande momento e encerraria a rivalidade por cima do rival, partindo finalmente para um reinado decente e que lhe permitisse chegar ao patamar seguinte (mesmo sabendo que o Título Mundial nessa altura não estava ao nível do Título da WWE, não deixava de ser o Título Mundial). Mas não.

No SummerSlam já Ziggler tinha voltado ao mid-card, num combate de Tag Team envolvendo Kaitlyn, AJ Lee e Big E. De lá para cá, conquistou mais títulos de mid-card e teve fases como jobber, devido, segundo rumores, a palavras pouco abonatórias sobre John Cena e Randy Orton (não tenho a certeza em relação ao segundo).

Em pleno 2016, será legítimo sonhar com o regresso de Dolph Ziggler ao topo, desta vez de forma duradoura?

Na última Raw, Ziggler defrontou Triple H, o que tem de ser considerado como um grande momento, já que o atual Campeão da WWE não lutava em televisão há quase três anos e o “Show Off” foi o escolhido para esse momento.

Além disso, tem tido interações com a Autoridade. Significará isto um push? Sinceramente, não creio.

A WWE está apenas a utilizar a popularidade de Dolph Ziggler de forma a ganhar heat e, consequentemente, fazer com que Roman Reigns seja mais apoiado. Duvido que isso resulte, mas mesmo que tal acontecesse Ziggler seria um pião e nunca o protagonista.

Já há quem fale em interferências de Dolph Ziggler num dos combates mais importantes da WrestleMania (Hell In A Cell ou main-event), mas não vejo nada disso a acontecer. Muito provavelmente, estará mais uma vez num combate com vários intervenientes, visto que é demasiado bom para ficar fora do maior PPV do ano mas não suficientemente bom para ter um combate de verdadeiro destaque.

Por mim, Ziggler teria virado heel na Raw a seguir à WrestleMania do ano passado, iniciando uma rivalidade com Daniel Bryan pelo Título Intercontinental. Mas mais uma vez não foi ele a prioridade, optando a WWE por dar esse destaque a Sheamus.

Neste momento, um heel-turn (para mim, a única forma de ele voltar a ser relevante nos próximos tempos, caso fosse aposta) só teria resultados com o regresso da Brand Split, visto que nunca na vida Ziggler terá um push até ao main-event com a existência de um único título principal. Nem mesmo com estas lesões todas um veterano respeitado e adorado como Dolph Ziggler conseguiu arranjar um combate individual na WrestleMania, onde teremos, por exemplo, um Ryback vs Kalisto pelo Título dos EUA… Sintomático.

Dolph Ziggler continuará a ter os seus momentos aqui e ali, mas não vai passar disso. Até porque, segundo alguns rumores, não vai durar muito mais tempo na WWE, pelo que se nunca recebeu um grande push não seria agora que isso ia acontecer, correndo a companhia o risco de perder um grande draw, como aconteceu com CM Punk.

Ex-Campeão Mundial, ex-Campeão dos EUA, ex-Campeão Intercontinental por quatro vezes, Mr. Money In The Bank e duas vezes sole survivor no Survivor Series, Dolph Ziggler é também aquele lutador que nunca teve um combate individual na WrestleMania (nem que fosse por um dos títulos de mid-card) e que tem… uma vitória no maior evento do ano, sendo que nem foi ele a obter o “pin” decisivo… Este ano, caminha para mais uma participação num combate com muita gente e para mais uma derrota.

É impossível acreditar (e até ao ano passado eu acreditava) num futuro melhor para Dolph Ziggler e levar alguém com um currículo destes a sério. Infelizmente.

Sobre o Autor

- Autor do espaço "Cutting Edge".

41 Comentários

  1. Tibraco - há 9 meses

    O Ziggler é o meu favorito da atualidade. Pelo menos é aquele que eu mais gostava de ver a conquistar Títulos e a realizar grandes feitos. Portanto, claro que fiquei entusiasmado com a última Raw, embora tenha a noção de que serviu, única e exclusivamente, para “ajudar” o Reigns.

    Concordo contigo. Nesta fase já será difícil “salvar” o Ziggler. Mesmo com um heel turn, não o vejo a ter mais destaque do que o que tem atualmente. É uma pena e o seu desperdicio em 2012 mostra a incompetência que vai naquela empresa.

    De resto, bom artigo e com um tema excelente!

    • danielLP21 - há 9 meses

      Obrigado.

      2012 e, sobretudo, 2013. Quando ele fez o face-turn podia ter chegado muito mais longe, mas trataram de o mandar logo para o mid-card de forma a termos Christian e RVD a rivalizar com o Del Rio pelo título… Grande desperdício.

  2. Reigns one versus all - há 9 meses

    Bom artigo,Daniel.
    Eu pessoalmente gosto da personagem do Ziggler,ele tem um grande carisma e é ótimo em ringue.
    Sinceramente nao sei o porque de não terem apostado nele para o main event, agora nemm sequer faz algo de relevante no midcard.
    Nesta altura o Ziggler não passa de um eterno midcarder com talento desaproveitado pela WWE,e pena dizer isto,mas é a realidade.

  3. RybackChampion2016 - há 9 meses

    Não há como salvar o Ziggler mais, TODAS as vezes que ele chegou perto do main event + todas as outras oportunidades que ja teve não foram aproveitadas pela WWE. Depois de inumeras chances, que graça teriamos de ver ele com um imenso push sendo que ele está estagnado e desgastado pela WWE?
    Não há mais jeito, só se alterarem drasticamente sua Gimmick, o que não acho que vai acontecer. Nem um heel turn ajudaria mais, pois ele iria ter uma feud com alguém, depois iria perder e depois sumiria no card.

    A WWE estagnou ele a partir de sua rivalidade horrível com Summer,Lana e Rusev. Essa rivalidade cansativa encerrou o momentum e o impeto que Ziggler estava a ter, acho que foi por volta do Summerslam de 2015.

    • danielLP21 - há 9 meses

      Ele está estagnado há muito mais tempo do que isso.

      Discordo. Ele não teria que mudar de gimmick. Sou da opinião de que qualquer um teria “salvação”, desde que tivesse o booking certo.

  4. TNA Best Wrestling - há 9 meses

    Acho que ele aceitou essa posição quando renovou com a WWE em 2015 ao invés de ir para TNA , ROH , Lucha Underground ou outras indys então ele de certa forma merece está nessa posição .
    Quem não aceita vai em buscar de melhorias como vai fazer Wade Barrett.

  5. Ultimate - há 9 meses

    Push DZ

  6. João Cruz - há 9 meses

    Para mim ele recebeu a maior ovação de sempre quando fez o cash.in.

  7. RFBM - há 9 meses

    Bom artigo Daniel. Gosto do Ziggler e acho que este poderia ter sido um nome de relevância no main-event, neste momento, apenas um heel-turn o poderá alçar a novos voos, mas sinceramente, penso que até ao final da sua carreira na WWE, não passará do mid-card.

  8. Miguel Carlos - há 9 meses

    Excelente artigo. O Dolph Ziggler é dos meus lutadores preferidos, mas também não tenho esperanças para ele. Se ele fosse trabalhado como aposta séria, acho que poderia em breve ser campeão mundial como face, pois o público gosta dele e seria o seu grande momento, sendo que ninguém o iria apupar. Mas no mundo WWE em que vivemos, só com um heel-turn é que ele poderia recuperar a credibilidade para se estabelecer no upper mid-card, com algumas oportunidades pelo título mundial e quiçá combates com lendas como o Brock Lesnar. Porém, penso que ele simplesmente vai ficar mais alguns meses/anos na WWE e depois vai-se embora, colecionando mais momentos tipo combates contra o Triple H ou ser sole survivor, e esperemos que ao menos na WrestleMania 33 possamos ver o Ziggler num combate minimamente digno e com algum destaque. Mas talvez, mesmo para ficar no mid-card, um heel-turn seria refrescante para a sua personagem.

    • danielLP21 - há 9 meses

      Obrigado.

      Duvido que ele alguma vez tenha um combate de relevância na WrestleMania, o que é muito triste.

  9. Breninhosf10 - há 9 meses

    Bom artigo,gosto muito do Ziggler mas não quero mais me iludir com a WWE com o fato de ele receber algum push,por mim esse ano ele poderia ter rivalidades pelo US Title ou IC Title e até mesmo quem sabe ser Mr.Money in The Bank mas óbvio que é só um sonho..
    Eu comecei a ver a WWE em 2014 e por coincidência o primeiro combate que vi foi da vitória dele contra o Harper (ainda como campeão do IC),fui pesquisar vídeos e tudo mais e acho que não desperdiçaram ele apenas em 2013,mas também no fim de 2014,onde ele terminou como campeão e sim,era pra ter vencido o Royal Rumble de 2015 e ser ME de WM,ao invés disso tiraram o IC dele e deixaram ele como um eterno mid-card.
    De qualquer forma,ele deixou um pequeno legado na WWE pelos seus feitos..

    • danielLP21 - há 9 meses

      Obrigado.

      Sim, ele tem o seu legado e será um Hall of Famer, simplesmente devia e merecia ter chegado mais longe.

      Cheguei a sonhar com essa vitória no Rumble… Tanta ingenuidade!

  10. The NOTORIUS - há 9 meses

    Bom artigo, mas esqueceu do SS de 2014 em que achamos que ele teria um push no final do ano e na começo de 2015

  11. Frederico_WWE - há 9 meses

    O Ziggler é uma mistura de Mr. Perfect, Val Venis, Billy Gunn e Shawn Michaels xD

    Como já disse recentemente… de 2009 a 2013 ele acumulou uma série de derrotas enorme… com uma média (permitem me falar em médias ou vou ser preso por um determinado “comediante” daqui?) de quase 70 & de derrotas se olharmos para 2013 com 65 %, 2012 com 78,2 %, em 2011 com 58,3 %… ou seja de facto a WWE nunca se preocupou em torna lo credível… e apesar dele ser sempre daqueles que mais vezes combate por ano… porque faz quase sempre mais de 150 combates por ano … e em 2014 fez 196 combates tornando se o gajo que fez mais combates naquele ano… mas apesar disso tudo a WWE não o coloca com um booking criterioso que o ajude a cimentar se rumo ao topo e quando assim é as coisas tornam se difíceis.

    “O pior não foi o facto de perder a rivalidade. Foi mesmo a forma como Ziggler foi retratado: no Combate de Jaula entre ambos numa Raw, John Cena precisou apenas de um “F-U” para derrotar o adversário, ao passo que Ziggler aplicou por três ou quatro vezes o seu finisher e não conseguiu vencer. Pormenores que fazem toda a diferença, mais até do que a questão vitória/derrota.”

    Esse momento foi chave… lá está a percepção e os pormenores são tudo nesta indústria… e é verdade que isto do Ziggler vai muito para além de ganhar ou perder mas quer se queira quer não perder afeta e muito a ascensão dos superstars e a meu ver a onda de derrotas enorme que ele teve durante anos a fio fez com que o mesmo chegasse a uma fase em que poucos (fãs) se importam com ele.

    Eu admito que sou um deles que não se importa porque a WWE fez tudo para isso e o Bray Wyatt poderá ser o próximo… mas isso fica para outro artigo se assim entenderes como é óbvio.

    • Tibraco - há 9 meses

      Eu gosto dessas estatísticas, até as uso de vez em quando, mas deve-se fazer uma análise mais analítica.

      Um Zigggler pode perder mais de 50% dos combates e, ainda assim, ser credível(que, na atualidade, não é o caso). Um Bray, devido à sua personagem, se perder 50% dos combates está completamente tramado.

      • Frederico_WWE - há 9 meses

        Consigo concordar com esse ponto decerta forma…

        O Edge em 2005/2006 teve uma média assustadora de 61.8 % de derrotas (2005) e 75.7 % (2006) … e no entanto 2005/2006 foram os anos em que ele deu o “salto” para o main event… mas lá está ele era um heel maléfico e malandro com uma personagem com “espinha vertebral” por assim dizer e era super carismático e tinha mic skills e expressões faciais do melhor que se podia oferecer naquela época e no entanto apesar de perder tanto isso não influenciou muito.

        Lá está há sempre casos em que o perder pode não influenciar muito… mas a personagem tem que ter uma linha orientadora e um determinado critério… e o Edge tinha e o Ziggler não tem nada disso… daí que as derrotas ainda o “magoam” mais… além do mais uma coisa era o Edge perder com um John Cena, Chris Benoit, Chris Jericho, Shawn Michaels ou um Randy Orton e outra coisa é o Ziggler perder com o mid card e upper card e low card atual… tipo Rusev, Sheamus, Del Rio, The Miz. Tyler Breeze, Kevin Owens… a diferença é muita.

        Sinceramente no contexto atual acho a derrota algo muito mais grave e que pesa muito mais do que há anos atrás… em que a qualidade, quantidade e credibilidade dos superstars era tanta que era mais “desculpável” perder – se.

      • Tibraco - há 9 meses

        Concordo. O Edge é um exemplo muito bem sacado porque, de facto, tinha uma personagem que “permitia” essas derrotas. Infelizmente, o Ziggler não tem personagem nenhuma lol

        Ah, e nem todos os Faces têm que ter essas percentagens de vitórias. Depende do tipo de Face. Um Bryan, por exemplo, era um gajo que convinha ir perdendo uns combates para manter a aura do underdog. Assim como, em tempos, o Mysterio.

    • Dante_edy - há 9 meses

      Gosto também das estatisticas, mostra bem o lugar que o DZ teve na WWE, Mid-Card com algum spotlight aqui e ali e quando se trata de enfrentar os top guys, serve perfeitamente para levar deles (Cena ou HHH ou qualquer outro).

      Se por algum milagre apostassem fortemente nele, mesmo com todas estas derrotas, ele conseguiria ser credível por ser um underdog e pelo seu estilo de luta e forma de estar no ringue. Estas % altas de derrotas é muito fatal em personagens como Taker, Wyatt, Lesnar, e qualquer top guy, pois essas mesmas derrotas não tornam alguém em top guy, afinal de contas Undertaker tem uma percentagem de 67.58% em 762 combates, HBK 67.29% em 587 combates, Lesnar com 71% em 171 combates, Cena com 77,97% em 1221 combates, etc…

      • Frederico_WWE - há 9 meses

        Em 1986 o Hulk Hogan teve 90.4 % de vitórias numa altura em que estava a ser catapultado para a feud na WrestleMania 3 com o Andre The Giant e precisava de tornar se credível.

        Em 1998 o Stone Cold Steve Austin teve 88.7 % de vitórias quando estava no topo do topo da WWF passe a expressão.

        Em 2005 o John Cena teve 93.8!% de vitórias quando estava a se estabelecer como a próxima cara da companhia para os próximos 10 anos (2005-2015).

        Em 2015 o Roman Reigns teve 87,8 % de vitórias e em 2016 já vai em 89.7 % quando o objetivo é torna lo o próximo “cara” da companhia.

        Quando se quer apostar num babyface de topo dá se vitórias e consequentemente credibilidade/legitimidade…

        Em 2000 o Triple H como heel de topo teve 51.1 % de derrotas… mas lá está era heel.

        Em 2015 o Seth Rollins teve 70.5 % de derrotas… mas tinha uma personagem tipo “Edge” em 2005/2006.

        As derrotas são menos irrelevantes para os heels… mas quando tu queres colocar algum babyface no topo não o podes dar tantas derrotas e o Ziggler como babyface que é está por isso a ter um booking muito mau… mas também a WWE não o quer no topo portanto o Ziggler é um “saco de pancada” como o Booker T por exemplo tantas vezes o foi no passado.

        O Bray Wyatt apesar de heel tem um estilo de personagem tipo Undertaker com aquela mística e aquela aura… portanto esse tipo de heel é daqueles em que perder afeta e muito.

        Lá está uma coisa é também verdade… é que cada caso é um caso.

      • Frederico_WWE - há 9 meses

        “As derrotas são menos irrelevantes para os heels”

        Correção: As derrotas são menos relevantes/importantes para os heels embora repito cada caso é um caso.

  12. Eric Cartman - há 9 meses

    Um grande wrestler pena que a WWE não enxergue isso.

  13. Sorlei Rui Oltramari - há 9 meses

    Bom artigo, Daniel!

    Pessoalmente, perdi as esperanças em uma aposta duradoura no Ziggler. Deveriam tê-lo aproveitado antes. Ele é ótimo, tem carisma, presença e é bastante habilidoso. Gosto bastante da sua Mic Skill, pois transmite emoção nas suas promos. Não digo que é fora de timing apostar nele, mas dá para ver que eles o consideram um bom Midcarder, e só. Não querem dar combates de alto calibre em grandes eventos. Infelizmente, acho que o único Main Event que o Ziggler ainda vai provar é o programa de sábado da WWE.

  14. Dante_edy - há 9 meses

    Bom artigo Daniel,

    Gosto de DZ, tornou-se pouco a pouco um dos meus favoritos. Já foi desperdiçado ano após ano. Com apenas um título principal e não ter sido aposta forte nestes últimos 5 anos, faz-me acreditar e ter certeza que a tendência e para continuar.

    Também penso igual a ti e tenho certeza disso: DZ na última raw apenas serviu para aumentar o heat contra HHH. Ambrose serviu para isso, mas deixaram-no com o mínimo de credibilidade para Lesnar.

    No entanto, noto que sempre que possível, a WWE arranja-lhe pequenos destaques, que mesmo quando vira jobber, até parece jobber de luxo xD:
    2012 – MitB & Rivalidade com Cena
    2013 – Wort Title
    2014 – Títulos Intercontinal x3 + Sole Survivor no SS2014.
    2015 – Pequenos destaques como o despedimento, Bryan, Sheamus e Rusev/Lana.

    Estano ano, já conseguiu ganhar do KO por duas vezes (após 9 derrotas consecutivas)e já enfrentou HHH no raw.

    Enfim, parece-me que isto é e será sempre o nivel do booking do DZ.

    • danielLP21 - há 9 meses

      Obrigado

      Claro que ele tem esses momentos de glória (tirando a feud com o Rusev, credo!), daí eu na semana passada ter chamado “zona Dolph Ziggler” ao lugar no card que o Chris Jericho ocupou entre 2002 e 2005: grandes momentos aqui e ali, mas sem continuidade, sem que a WWE capitalize esses momentos.

  15. Half man half amazing - há 9 meses

    Sinceramente nao me pareceu que a wwe tivesse planos de futuro para Dolph Ziggler depois daquele “reinado”. Parecia-me sim que os tinha mas não por aquela segmento pois na minha opiniao resumiu-se a isso mesmo a uma forma de a wwe construir a rivalidade mas nada que indicasse que Ziggler poderia vir a ser alvo de um push, aliás quando estava a ver o segmento previ desde inicio que Dolph Ziggler nao ia aguentar muitos minutos com o cinturão pois para alem de ate entao nao gozar de destaque para tal era meio que sem logica ter uma conquista daquela forma, conquista que nao o beneficiava em nada aos meus olhos pois a imagem dele naquele momento continuava a ser de uma estrela com apenas algum destaque no midcard da wwe quer tivesse o titulo quer nao e a superioridade de edge face a ele era por demais evidente. Se deveria ser? Claro a historia fala por si só mas tão grande como era aí já ponho as minhas duvidas.

    Discordo relativamente ao booking ter começado a ser questionavel depois da vitoria no mitb. Se bem me lembro a primeira metade do seu percurso pela mala foi pautada por grande destaque, sempre em rivalidades importantes e gozando de um certo estatuto como portador da mala nos shows semanais, coisa que nao se viu em quase nenhum momento com Damien Sandow ou Daniel Bryan por exemplo. A segunda etapa do seu periodo como mr.mitb sim devo dizer que foi horrivel e com um pessimo booking. No entanto parece-me exagero condenar todo o processo quando a primeira parte foi de um nivel bastante positivo.

    Em relação ao personagem penso que é muito mais interessante como heel que como face pelo menos na minha opiniao. Nao tem promos ao nivel de por exemplo de Damien Sandow, The Miz ou Cody Rhodes mas nao é dos piores do roster e depois compensa essa ligeira debilidade com o carisma e com a habilidade no ringue. Como heel e quando venceu aquela rivalidade com Chris Jericho (nesses tempos sim o Y2J era util a elevar novos talentos!) ele era extremamente interessante, a aderencia do publico à sua personagem era enorme e ele tinha todas as condiçoes para estar no topo. Quando faz o face turn a meu ver torna-se desinteressante gradualmente até chegar a este ponto. Sinceramente nao sei se o fato de ser desinteressante se deve a pouca aposta na sua personagem como face se é que existe ou mesmo ao fato da sua gimmick anterior ser melhor. Aquilo que sei é que Ziggler enquanto heel cativou-me e claramente foi dos meus favoritos ao passo que como face e salvo as suas performances em ringue nao conseguiu ter o mesmo efeito.

    • danielLP21 - há 9 meses

      A run dele como face não teve tanto sucesso porque o booking foi demasiado mau.

      Que sentido fazia ele continuar como heel quando recebia das maiores ovações todas as semanas? Aliás, virou face muito mais tarde do que devia, visto que já ouvia essas ovações há quase dois anos.

  16. Goncaloriscadodias98@hotmail.com - há 9 meses

    Eu sempre vi o ziggler como o herdeiro de shawn m. Jericho ou mesmo o edge e verdade que as mic skils nao sao comparaveis aos anteriores mas de resto acho que poderia ser aproveitado pois tem se arrastado estes anos todos sem um bom booking e continua a ser um dos favoritos dos fans arriscaria a dizer futuro hall of fame

  17. gfggg - há 9 meses

    Sei que é um sonho mas se a rivalidade dele se manter com a autoridade bem que ele poderia custar o titulo do HHH na Wrestlemania.

  18. Marques - há 9 meses

    O mesmo se aplica ao Miz.

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador