Get Ready To Fly #14 – X-Confusion

No primeiro artigo que escrevi, falei do campeão da X-Division na altura, Kenny King. Estava ainda a começar o seu reinado de campeão após ter tirado o título ao veterano RVD e tinha ainda muito a provar ao universo TNA. Punha no King as minhas maiores reticências sobre o futuro da divisão, mas mal sabia eu o que aí vinha.

Quando esta mudança de título se deu, a TNA aproveitou também para introduzir as novas regras que iam comandar a divisão. Esta expressão não foi usada, mas acima de tudo a TNA tornou a X-Division um torneio. Além de todos os combates serem Triple Treath Matchs, seriam sendo feitos combates de qualificação para decidir quem iria desafiar o título da divisão. No combate do título quem sofresse o “pin” decisivo teria de voltar a tentar qualificar-se para outro combate contra o campeão, enquanto que o outro concorrente que não tivesse sofrido o “pin” continuaria como candidato para o combate seguinte pelo título da X-Division. Isto apenas mudava quando era o campeão que tinha sofrido o “pin”, e portanto perdido o título, e nesse caso teria sempre direito a desforra sem precisar de passar por um combate de qualificação.

Ora isto implicava que a TNA tivesse pelo menos 5 atletas, incluindo o campeão, na divisão para puderem preencher todas as vagas nos combates pelo título ou apenas de qualificação. Naturalmente que a TNA não se ficou por esses 5, para ir dando também alguma dinâmica e variedade aos combates, e foi fazendo alguns regressos sonantes que inicialmente deram a entender que o futuro da divisão ia ser outro.

Nomes como Petey Williams ou Sonjay Dutt que, apesar de terem tido a sua oportunidade de chegar ao ouro, pouco mais fizeram que 2 ou 3 combates e nunca mais foram vistos. Custa ver a TNA ter a facilidade que teve em ter de volta um nome mundialmente conhecido como é o Williams e depois não aproveitar para o manter permanentemente no roster, tornando-o umas das caras da divisão. Acabou por servir para chamar à atenção ao novo modelo da X-Division e ser um dos primeiros grandes reforços que aí vinham, pelo que não se deve menosprezar a importância do seu contributo.

Ou seja, por esta altura tínhamos uma divisão reforça com nomes de pesos, combates com um bom nível técnico e muita velocidade e uma X-Division entregue às suas origens: puro wrestling. Contudo, de modo a não cansar o formato e não ter o campeão a defender o título a cada duas semanas, a TNA começou a ter os combates da divisão intervalados com uma semana, pelo que num mês, tínhamos dois combates da X-Division: um de qualificação e um pelo título.

O grande mal disto é que nessas semanas de intervalo, raramente ou nunca, tínhamos qualquer aparição do campeão ou de qualquer atleta da divisão, o que prejudicava os combates nas semanas seguintes pois não havia nenhum de trabalho de bastidores, não havia construção de feuds.

E com uma divisão com pouco ímpeto, muito “morna”, eis que a TNA decide voltar a puxá-la para as luzes da ribalta com o regresso de um dos grandes nomes que a empresa viu nascer: Chris Sabin. Deu-se literalmente um “boom” na divisão e o título do King ficou em risco mais do que nunca. Estava lançada a expectativa para o regresso do prodígio técnico que é Chris Sabin.

Regresso consumado, com direito a novo “look” e novo “finisher”, estava na altura de trazer o título de volta para onde ele merece estar. E é aqui que se voltam a notar as fragilidades do novo modelo da divisão. Se até então, nas tais semanas de intervalo, não havia direito a qualquer segmento de bastidores para construir o combate pelo título, a TNA após a vitória do Sabin dá tempo de antena a um segmento no ringue entre o mesmo e o campeão King.

Então mas o combate não era suposto ser um Triple Treath? Onde é que está o outro candidato? Não faz sentido passar por cima dessa forma de alguém que também está no combate do título, e só prova que os combates de Triple Treath têm esta complexidade de serem construídos e preparados e tal, neste caso, só é disfarçado pelo antigo hábito de se passarem Impact’s inteiros sem qualquer presença da X-Division na programação.

E com os planos que a TNA já mostrou entretanto ter para a divisão, um modelo que não permite haver construção de feud’s, deixando a X-Division sem ímpeto e expectativa junto do público, não é aconselhável. De todo.

E apesar de pela primeira vez, em muitos meses,  termos um combate da X-Division verdadeiramente rodeado de expectativa, ainda não foi desta que o Sabin voltou a ser campeão. E para sincero, esta foi uma boa decisão por parte da TNA pois era demasiado óbvio que tal ia acontecer.

Não gostei de como o King ganhou mas gostei da vitória em si. E assim ficou para o Slammiversary a consagração do novo campeão. Entretanto regressa o Suicide, que vem completar o combate de Triple Treath e vem ser um verdadeiro candidato, tendo boas hipóteses de chegar ao título. E é no terceiro PPV do ano, que se instala confusão total na divisão.

Se até agora, a X-Division vinha a atravessar um bom momento, com grandes nomes da divisão, com um card para o Slammi muito prometedor e com o modelo de combates a ganhar mais fãs, o que aconteceu após o combate matou completamente o ímpeto da divisão.

Este não é o primeiro ano que a TNA tem o Verão ocupado com as Bound For Glory Series. Não é o primeiro ano que sabe que tem de arranjar ocupação para o campeão mundial enquanto as Series decorrem. Pelo que o regresso do Destination X é perfeitamente justificável e faz todo o sentido, nem que seja porque mostra que o legado do Aries na X-Division continua bem vivo.

Contudo, a forma como foi anunciado foi completamente ridícula, não consigo encontrar outra palavra para o descrever. Então só depois de o combater acontecer é que anunciam o que estava em causa? E ainda por cima com o Hogan em registo de quem anuncia um combate tag team para daqui a bocado?

Por mais que se perceba que estávamos em pleno PPV e a TNA queria torná-lo memorável, a verdade é que não podia haver pior altura pois finalmente o modelo da X-Division estava a convencer, e com isto morreu. Ou pelo menos, ficou em stand-by. Nada de combates de qualificação ou defesas pelo título. Nada de nada, na verdade.

Durante 2 semanas, e logo em época pós-PPV, além de uma mera aparição do Sabin a dizer que era complicada a escolhia que tinha de fazer (ui então não), a X-Division tirou férias. Isto enquanto a TNA  pela primeira vez pensava o que fazer, depois da decisão de fazer aquele anúncio estar tomada. Fica a dica: pensar antes de tomar decisões, boa? Boa.

E quando parecia que a divisão não podia ficar mais confusa, eis que começamos a perceber que as decisões caídas do céu ainda mal tinham começado. Temos direito a ver apenas na 3ª semana após o Slammi, um segmento de bastidores filmado à distância em que o Hogan diz aos três que estiveram no combate pelo título da X-Division que iriam voltar a competir pelo título e pela oportunidade de lutar no Destination X.

A TNA lembrou-se que convinha o campeão vir com algum ímpeto, pois afinal estava em questão ser o próximo 1º contender ao título mundial. Mas isso não pedia um anúncio decente para compensar aquele pesadelo que foi ouvir o Hogan no Slammi? Foi melhor um segmento de bastidores que mais parecia alguém a pedir indicações sobre onde podia encontrar o WC mais próximo?

A X-Division continuava assim confusa, perdida e longe, bem longe, de qualquer tipo de destaque maior. Ao menos o King lá ia ter a sua desforra e as regras do novo modelo eram respeitadas… Mas não por muito tempo.

Na semana seguinte, lá se dá o combate, logo a abrir o Impact. Chocante o resultado, chocante o que aconteceu. Chocante ou… só estúpido? O Sabin perde o título, o Suicide ganha de forma tosca e… O quê? Não era o Suicide? Então agora passámos de estar em questão a oportunidade de lutar pelo título do Bully Ray e dar ímpeto ao Sabin, para uma história à moda do Vince Russo?

Mais, o Hogan traz-nos quem desempenhou supostamente sempre o Suicide, cuja identidade foi sempre secreta como parte da gimmick, e até nos diz quem é? Isto tudo completamente caído do céu? Isto é que é trazer de volta vida à X-Division… E se já era muito para um só Impact, ainda mal sabíamos nós o que aí vinha.

Depois de 3 semanas com a divisão bem afundada e sem qualquer tipo de direito a ocupar algum espaço que seja na programação, a X-Division passa a estar do nada a abrir um Impact até estar no main-event do mesmo… Coerência acima de tudo.

E se podia ser só um segmento para dar mais expectativa em volta de quem era este falso Suicide, a TNA nem nos deu tempo de processar toda a informação e criar expectativa em volta do assunto. No mesmo dia (hora, quase!) é revelado quem roubou a máscara de Spider- perdão, Suicide.

Austin Aries…! É-me complicado dizer que acho mal meterem o Double A na rota do título mundial, porque é na actualidade o meu wrestler favorito, mas qual o sentido disto? O Aries está nas BFG Series, não precisa disto para nada.

Se ainda tivessem arranjado forma de ele não entrar nas Series, aí assim aplaudia de pé esta decisão, agora isto? Para quê? E sem criar expectativa nenhuma à volta da revelação? Querer logo despachar as coisas a cem à hora? Pois, se calhar não tiveram tempo antes para digerir melhor a história… A X-Division não teve 3 semanas “morta” nem nada.

Uma decisão completamente caída do céu, muito mas muito mal trabalhada e pensada. Demasiado amadorismo da parte do booking numa empresa como a TNA.

E com o Aries campeão, o Sabin ainda sem saber bem o que aconteceu e o Suicide a mudar de nome para Caroli- perdão, Manic, na semana seguinte, o Sabin tem logo direito à sua desforra. Toca a andar que já se faz tarde.

E é aqui que a TNA manda oficialmente o modelo da X-Division ir para o carvalho maior, para que os mais distraídos não tenham dúvidas.  Ou melhor, lá mantém o Triple Treath porque ter Aries vs Sabin deve prometer pouco.  Mas combate de qualificação para o 3º membro? Qué isso? Siga para o combate.

Fantástico, candidato a melhor do ano até agora e…. O Aries perde o título. Volto a perguntar: Para quê, TNA? Para quê? É assim que dão ímpeto ao Sabin, que à primeira defesa do título perde-o? É assim que trazem vida à X-Division tornando-a numa confusão dos diabos? Se queriam acabar com o Suicide, bastava tirá-lo do mapa como fizeram com outros nomes.

Para quê esta novela toda? Para quê envolver o Aries que devia estar focado nas BFG Series? Precisam de reforços na X-Division? Usem o Rockstar Spud, o Petey Williams, o Dutt, o Batatinha, quem tiver de ser. Mas isto é só ir pelo caminho da novela, da imprevisibilidade forçada e, principalmente, pelo caminho errado.

Temos assim no Destination X frente-a-frente um Bully Ray cuja construção como líder dos Aces & Eights foi das melhores histórias que já vi e um Chris Sabin, que chega  após uma das histórias piores em termos de booking que já tive a infelicidade de acompanhar. A partir daqui só espero que o modelo da X-Division volte à carga ou pelo menos o título volte a ganhar estabilidade, o Sabin continue o seu caminho rumo ao Destination X e as novelas de mau gosto fiquem para outro tipo de coisas.

Top 3 da Semana

Com a X-Division agora a precisar de recuperar de toda esta confusão, que nomes esperas ver serem a cara da divisão? Sejam regressos ou atletas que já estejam de momento na divisão e na TNA.

Antes de me despedir, queria deixar aqui um pequeno recado. A razão pela qual a semana passada não houve artigo não teve de todo relacionado com nenhum problema pessoal ou simplesmente não ter tempo ou tema. A verdade é que numa altura em que ando com menos atenção para o wrestling, e principalmente para a TNA que acompanho mais de perto, custa-me mais saber certas coisas como soube na última quinta.

Acontece que a TNA, num sentido de cortar nos custos, despediu uma série de atletas, sendo a maioria Gut Checkers. Já me expressei sobre o GC e como tem sido mal aproveitado, pelo que percebo esta decisão. Os resultados não aparecerem e que há que haver alguma exigência.

Contundo, no meio da lista de despedimentos vi o nome do Crimson. Fui apanhado completamente de surpresa, e acho que nunca fiquei tão desiludo com algo relacionado com o wrestling. O Crimson é o rookie que me lembro de ter mais gostado ao longo dos anos, tem um enorme potencial e nos últimos tempos evoluiu ao nível dos seus pontos mais fracos.

É uma máquina de wrestling que tem tudo para ser um dos nomes da TNA reconhecidos mundialmente. Ou melhor, tinha. Espero sinceramente que ainda voltem atrás na decisão, porque é um disparate tremendo. Não gostava de o ver em mais lado nenhum, o Crimon é TNA. E a TNA precisa do Crimson.

Este tipo de coisas deixa-me ainda com menos vontade de acompanhar o produto pelo que não prometo que o fim deste espaço não esteja para breve. Não faz sentido continuar se o vir como um fardo e não tiver o gosto em ver a TNA e wrestling de outros tempos.

Para já, têm aqui o GR2F desta semana. Até à próxima.

Sobre o Autor

14 Comentários

  1. BRRM - há 3 anos

    realmente o modo como o Sabin se tornou Noº1 contender é desapontante e com uma história mal feita e para além disso eu não percebo porque é que os Main Event Mafia queriam que fosse o Sabin a lutar contra o Bully porque eles disseram que um dos seus objetivos principais era tirar o titulo ao Bully e preferem que seja alguém que, se não me engano,que nunca derrotou o Bully desde que ele tem esta gimmick do que alguém que já o derrotou 2 vezes. para mim isso não faz sentido mesmo o Aries sendo heel.

  2. MR Perfection André Santos - há 3 anos

    Francisco concordo contigo!

    O que me levou acompanhar mais a TNA foram as histórias que foram brilhantes e ainda continuam a ser…mas…
    Ou seja a X divison começa a deixar de ter lutadores suficientes o método usado já não é eficaz e agora também encostam o TV Title…
    Ok a TNA por vezes surpreende-nos mas acho que ultimamente tem sido pela negativa.
    Concordo contigo que Sabin veio dar uma vida nova a X-division mas é assim … ele ganha ao Bully…creio que não… e depois….volta para a X-division?

    Em relação aos despedimentos quase toda gente fala do Crimson, sinceramente só conheço quando fazia dupla com o Morgan mas é sempre pena ver um lutador tão novo posta na rua.

    Com a X-Division agora a precisar de recuperar de toda esta confusão, que nomes esperas ver serem a cara da divisão? Sejam regressos ou atletas que já estejam de momento na divisão e na TNA.

    Franciso nem sei mas acredito que não haverá muita escolha deixo para ti as sugestões!

    Espero que continues a escrever!

  3. Vinícius Nunes - há 3 anos

    O que dizer mais Francisco, o booking da X-Division é dos piores já existentes, é um absurdo o que a TNA está fazendo com essa divisão de Chris Daniels, de AJ Styles, de Samoa Joe e de Austin Aires. A divisão que tinha total marca TNA, a divisão que diferenciava a TNA em tudo que se tratava de wrestling masculino, agora as novas regras, e essas trocas de cinturões mataram completamente o título e a divisão como um todo, e isso é algo para se lamentar bastante. Uma verdadeira pena, enfim, mas isso é a TNA nesse momento, o que me deixa muito triste.

    O meu top 3 é composto de gente da casa que tem melhorado as prestações ou que poderiam ser mais utilizados.

    1- Zema Ion

    2- Petey Willians

    3- Chris Sabin

  4. DanielBR - há 3 anos

    Principais nomes para X division seriam
    1-Zema Ion(o cara é simplesmente foda no ringue e tem futuro)
    2-Rockstar Spud
    3-Sonjay dutt/Petey Willians

    A TNA deveria acabar com este conceito ,a ideia até que era boa ,mas não funcionou ,a melhor opção era terminar com isto logo.

    Destruiu por complemento o GutCheck após as demissões,e demitiram o Crimson,o cara recebeu um tremendo push ,era o novo Goldberg e talz,ai perde uma luta é mandado para o freezer e depois despedido,a galera fala até que ele não tinha talento ,não tinha o IT Factor ,mas a TNA deveria apostar nele,colocar ele na rota do TV Champ(esqueci aposentaram este title para o Hogan ter mais espaço no show)ou colocar ele em uma feud com alguem como o Roode ou o Angle.

    Espero que a TNA pare de fazer tanta burrada ,uma boa coisa seria mandar embora alguns dinossauros que estão por lá…

  5. danielLP21 - há 3 anos

    Francisco, seria mau para o Universo se os teus artigos deixassem de existir.

    Em relação ao desta semana, fantástico. Resumiste na perfeição o estado caótico da X-Division.

  6. don_ricardo_corleone - há 3 anos

    Concordo com tudo. Infelizmente vejo a TNA a estragar todo o bom trabalho que tem feito no último ano! Será que o Vince Russo está de volta e ninguém percebeu? Destaco a forma como desmascararam o Suicide, penso que mataram completamente o personagem. E de repente: “mudei de nome e voltei a pôr a máscara. Pronto, já ninguém sabe quem eu sou outra vez”. É o mesmo que o Sin Cara de repente mostrar que tem cara. E no dia a seguir voltar mascarado com outro nome. O Con Cara. A WWE também gosta de no fazer esquecer coisas (como por exemplo, que em 2011 o Vince McMahon perdeu todo o poder de controlo sobre o RAW para o Triple H), mas costuma esperar uns meses ou anos. Serei o único a achar que depois de desmascarado, acabou? Só podia ser o TJ Perkins?
    E depois o despedimento do Crimson. O homem anda invencivel durante um ano, perde um combate, desaparece durante um ano, reaparece com grande destaque com direito a promo e tudo…perde, ninguém sabe dele durante mais de um mês, é despedido. Hã?! Investe-se no homem durante um ano para isto? E achava eu que as derrotas do Ryback em PPV, depois de meses invencivel, tinham sido patetas. E atenção, nem gosto do Ryback.
    Espero que a TNA volte a despedir o Vince Russo, ou pelo menos, chame os caça fantasmas para caçar o fantasma do Russo.
    Quanto a caras da X-Division, gostava que a TNA contratasse o Shelton Benjamin, o Carlito e o Ken Doane já que a WWE não lhes liga, e fosse às Indys ver talentos jovens e de qualidade, e os construisse como deve ser, podia vir à Europa, era mudar o nome da nossa águia, para algo que possa ser apreciado por mais gente, e não só adeptos de um clube. E temos outros, com certeza.

    http://www.youtube.com/watch?v=g4uxIo4t7xM

    • don_ricardo_corleone - há 3 anos

      E o problema do Gut Check é mais grave do que parece. A TNA acaba por dar uma boa ideia para uma T-Shirt: Arrive, Wrestle, Impress Judges, Win TNA Contract, Leave. Que moral terão os participantes do Gut Check sabendo que serão os primeiros a cair? E desiludiu-me, acaba por sair o Silva, o único tipo com sangue português nas grandes promotoras de wrestling.

      • FranciscoAP - há 3 anos

        O Silva também foi dispensado? Não me surpreende, sendo o primeiro Gut Checker foi dos que menos mostrou. Tenho pena pela razão que apontaste mas tenho de ser sincero quando digo que esteve longe de me convencer

    • FranciscoAP - há 3 anos

      Agora sou eu que concordo completamente com o teu comentário. Sem tirar nem pôr. Acho que a justificação para isto é terem planeado as coisas com pouca antecedência porque o Destination X faz todo o sentido. Sem PPV’s no Verão e com as BFG Series a decorrer o campeão mundial tem de estar ocupado com alguma coisa… E felizmente isso para já não é a história da Brooke Hogan porque caso contrário acho que não é muito difícil adivinhar quem acabava como 1º contender ao título… brother. E com o MEM ainda a ganharem forma, isto vai ocupando um Bully que até agora só defendeu o título duas vezes num reinado de 4 meses. Por isso esta história tendo o oportunismo que tem, podia ter sido muito melhor planeada. Muito melhor mesmo

      • Jorge Rebelo - há 3 anos

        O problema é que a TNA não olhou para a X division, aliás desde há uns anos para cá nunca olham atempadamente. Com o aproximar do Destination X (quando ainda era PPV) é que se lembravam de fazer alguns torneios, trazer algumas caras novas e para felicidade da TNA e dos fãs as coisas funcionam.

        Aliás, a TNA ainda não percebeu o potencial que tem nesta divisão, é que mesmo com a preparação a ser feita “em cima do joelho” que lá está consegue em pouco tempo cativar a atenção do público, dar grandes combates e até fazer carreira (veja-se o Austin Aries). Imaginem se a TNA usasse a X Division de forma regular ao longo do ano…

  7. Jorge Rebelo - há 3 anos

    Francisco eu espero que não deixes de escrever. Eu percebo que quando algo nos deixe frustrados seja necessário algum afastamento para refrescar as ideias e tentar voltar com um novo ânimo.

    Apesar de tudo não me parece que a situação da TNA esteja má, nem nada parecido. Sim a X Division continua a ser caótica (mas lembro que em 2010 e 2011 nem existia). Sim o Gut Check já provou ser um segmento falhado e a história com os Aces está há muito parada.

    Mas quando temos um dos melhores momentos do AJ Styles, quando temos os novos MEM com um push ao Magnus e com o destaque do Joe, quando a divisão feminina está em alta, com o regresso da BFG, com a qualidade dos combates a ser muito boa e com o futuro a deixar muitas perguntas em relação ao Sabin, Aries e ao Daniels (que está em 4º na BFG Series), assim como ao Roode que segue nos últimos lugares…eu diria que estamos bem.

    O problema é que por vezes há ondas de negativismo e sobretudo quando eu que não assisto a WWE leio nos comentários que coisas boas estão a acontecer por lá, parece haver uma ideia entranhada em algumas pessoas que se algo é bom, então tudo o resto tem de estar a ser pior. Dai eu tantas vezes dizer que não vale a pena comparações. Porque não pode um fã de wrestling gostar daquilo que a WWE e daquilo que a TNA faz e daquilo que a ROH faz, ou a PWG, ou a Chikara, ou a Dragongate USA?

    Espero que reconsideres, eu sei que é frustrante ter tanto trabalho e muitas vezes gerar pouquíssimos comentários e reconhecimento quase-nulo, mas pelo menos para mim o GR2F é tremendamente importante. Mesmo que sejam muitas as vozes negativas, tens aqui uma que te pede para continuares.

    • FranciscoAP - há 3 anos

      Obrigado pela atenção Jorge. Percebo que o contexto não foi o melhor porque foi logo num artigo onde me mostrei desapontado com parte da actualidade da TNA, mas a única razão para o meu repensar sobre o futuro deste espaço passa apenas por aquela saída do Crimson. Percebo se me disserem que estou a exagerar, mas como disse acho que é um erro tremendo mas que felizmente ainda a TNA vai a tempo de corrigir. Assim espero que o faça.

      Não tem de todo a ver com o feedback que tenho recebido e muito menos com o produto de outra empresa. Simplesmente tenho perdido o interesse, mas se o produto na TNA entrar nos eixos naturalmente que posso voltar a interessar-me como antes. E logo quando o próximo Impact promete tanto… Mas sendo este um site tão informal e com uma relação mais próxima entre escritores e leitores, achei que era justo justificar-me pela semana passada.

  8. LuisMPBO - há 3 anos

    Excelente artigo Francisco.
    Concordo com tudo o que disseste a 100%. É uma pena ver uma das principais atrações da TNA, a X-Division, ser bookada da forma vergonhosa como tem sido. A X-Division é crucial na TNA. Eu percebo que a ideia fosse inovação, mas olha, não resultou, e há que saber quando desistir de uma ideia. É que nem sequer levaram a ideia muito a sério, a julgar pela quantidade de incoerências que cometeram no seu booking. Afinal, as regras são para ser levadas ou sério ou não? Sim, mas só quando lhes apetece…
    Isto não é nada bom. Se formos ver os melhores combates da história da TNA, quantos combates da X-Division estão lá? Pois, muitos…
    É bom que façam uma mudança radical rapidamente.
    Quanto à situação do Aries, se tiver servido para promover uma rivalidade para o BFG com o Sabin, ainda lhes dou o benefício, mas não deixa de ser estúpido. Se não serviu para nada a não ser acabar com o Suicide, então é dos maiores amadorismos de booking que eu já vi… Quer dizer, porque o Aries? Não faz sentido.
    “Foi melhor um segmento de bastidores que mais parecia alguém a pedir indicações sobre onde podia encontrar o WC mais próximo?” – gostei desta parte xD.
    Não comentei os artigos anteriores porque é muita coisa aqui no site, e às vezes não me apetece comentar ou simplesmente não tenho nada para dizer, mas li e gostei, por isso espero que continues a escrever. Até porque há poucos artigos sobre a TNA aqui no site, e é importante que os poucos que hajam não deixem de existir.

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador