Impacto! #135 – Conference Call com Rockstar Spud

Esta semana trago-vos uma edição especial do Impacto! onde irei apresentar os principais momentos da conferência de imprensa com a presença de Rockstar Spud. O Wrestling.PT é o representante Português no TNA Conference Call que todos os meses traz uma entrevista em exclusivo com lutadores da TNA.

Na Quarta-feira dia 31 de Julho, o WPT voltou a ser convidado para o TNA Conference Call, uma iniciativa mensal onde vários órgãos de informação da Europa, Ásia e Oceania, são convidados a estar “presentes” por via de chamada telefónica e assim podem colocar algumas questões a alguns dos nomes mais importantes da TNA. Este mês, dada a proximidade ao TNA One Night Only Xtravaganza, gravado Abril e que será tranmitido a 1 de Agosto, foi o Chief of Staff Rockstar Spud a marcar presença.

Este evento tem uma duração aproximada de uma hora hora e durante esse tempo houve sempre diferentes orgãos de informação a colocar questões. O evento teve a presença de vários países, mas foi dominado pelos media Britânicos, com uita gente interessada no British Bootcamp 2. A ideia que fico do Spud é que ele é um tipo simpático, muito conversador e muito natural a lidar com as pessoas. Ficam as perguntas Wrestling.PT:

Olá Spud como estás? Eu sou de Portugal e penso que conheces uma compatriota minha, a Shanna – Portugal’s Perfect Athlete, que ao que sei ela treinou contigo e esteve na Tour Britânica da TNA este ano. Pensas que ela seria uma boa contratação para a TNA?

“Em relação à Tour Britânica e à Shanna eu não ouvi nada de positivo, nem de negativo, por isso não sei…Talvez ela possa vir ainda a receber uma chamada de quem está responsável pela divisão feminina, mas se não…eles estão sempre a procurar potenciais lutadores e potenciais Knockouts por o mundo fora, teremos de esperar e ver.”

O que pensas dos nomes já anunciados para o TNA British Bootcamp 2 e já há alguns nomes a serem divulgados como o Noam Dar e o Rampage Brown?

“Sim, sei que o Noam Dar é um dos nomes já confirmados o que é excelente, ele recebeu o convite no seu dia de aniversário e isso é muito porreiro e ele é um jovem muito bom. O Rampage Brown foi escolhido pelo Juiz Samoa Joe quando esteve lá no ringue com ele e penso que talvez o Rampage seja o favorito, mas quem sabe? Este é um enorme elogio.”

Eu tenho que te fazer uma pergunta muito complicada, mas este é um dos temas do momento. Há muitos rumores sobre a situação actual entre a Spike TV e a TNA que indicam que as negociações entre as partes podem não estar a correr bem, apenas queria saber o que pensas disto.

“Eu não tenho grandes ideias sobre esse assunto, porque obviamente esse não é o meu departamento como pro-wrestler. Tanto quanto sei, há negociações que estão a decorrer entre a Spike TV e a TNA, sempre foi essa o caso e já o caso há muito muito tempo e estas duas organizações trabalham muito bem juntas e têm uma excelente relação, mas o meu trabalho é estar na televisão, fazer o meu trabalho para vocês e ser o Rockstar Spud. Eu senti sempre uma energia positiva na TNA desde que aqui estou e o resto não me diz respeito, não é a minha preocupação. Eu só tenho que fazer o que faço melhor…é isso.”

Fica aqui o resumo da Conference Call:

Sobre a sua carreira na TNA desde que ganhou o British Bootcamp:

“Tem sido simplesmente maravilhoso. Desde que fui trazido para a televisão como Chief of Staff da Madam Dixie Carter tem sido uma correria constante. Nas últimas duas semanas é que finalmente tenho estado de folga e nem sei como ocupar o meu tempo. Estou a viver o sonho, está a ser excelente o British Bootcamp tornou-se aquilo que prometia ser. Foi um tempo fantástico para mim, para o Marty Scrull e para as Blossom Twins e nunca iremos esquecer esses dias. Eu tenho visto imagens da primeira temporada por causa da publicidade que tem sido feita e ainda me lembro de tudo o que senti desde o início até quando me disseram que era eu o vencedor.”

Sobre os lutadores que vão estar envolvidos no British Boot Camp:

“Eu não os invejo, mas a pessoa que ganhar esta temporada vai ser uma superestrela, pois vai destacar-se de todos os talentos que existem neste país. Estas pessoas têm de tentar captar a câmera, tem de se mostrar, tem de entreter…e se forem capaz de entreter, se forem capazes de ser interessantes e de as pessoas querem ver mais deles então vão conseguir continuar a sua viagem. Eu vou estar atento ao processo. É muito raro ter-se uma janela para as grandes empresas olharem para um wrestler e esta é uma grande oportunidade, ainda para mais num país onde é raro alguém vir e decidir olhar de forma tão extensa como neste British Bootcamp.”

Sobre o seu papel no TNA British Bootcamp 2:

“No Bootcamp eu não posso dizer qual será o meu envolvimento se é que vai haver algum envolvimento, mas não pode haver British Bootcamp sem o vencedor original – Rockstar Spud.”

Sobre um TNA British Bootcamp na Austrália:

“Não ouvi nada sobre isso recentemente, mas ouvi há algum tempo a ideia de se realizar um British Bootcamp lá. Sei que há muitos talentos na Austrália e também na Nova Zelândia, por isso espero ouvir mais sobre isso e espero que venha a acontecer. O que é fantástico neste processo é que podemos ir à India e fazer um BBC Indiano, podemos fazer um Bootcamp Germânico, um Bootcamp Canadiano, este é um conceito global e se houver alguma novidade vão ouvir a TNA a divulgar.”

Como a experiência no circuito independente ajudou na transição para a TNA:

“Eu lutei cerca de 10 anos no circuito independente por todo o mundo, antes de aparecer no TNA British Bootcamp e aprendemos as coisas com o tempo, mas é muito complicado treinar, lutar e ter de voltar para o teu emprego normal no dia seguinte, porque tens contas para pagar e no fim-de-semana voltas a lutar. Ao mesmo tempo, lutei sempre com pessoas que tinham o mesmo nível de experiência que eu, por isso há algumas barreiras que não sentes como se tivesses a trabalhar com pessoas mais experientes ou a ser treinado por veteranos. Quando fui para a OVW eu passei a treinar wrestling todos os dias, lutava 2 ou 3 dias por semana e trabalhava constantemente wrestling, por isso pode mentalmente focar-me nisto e dedicar-me exclusivamente ao wrestling, a aprender e essa é a grande diferença. O British Bootcamp serviu para mostrar que eu tinha potencial, mas não garantia que eu viesse a ser o que sou hoje, foi muito importante a experiência com a OVW para ser bem-sucedido e ver o wrestling como a minha profissão.”

Sobre a sua constituição física:

“Quando eu era pequeno eu identificava-me com o wrestling porque adorava os personagens, as histórias e tudo aquilo que todos nós gostamos certo? Mas todos me diziam na escola que eu era pequeno demais para qualquer desporto que quisesse fazer. Era muito pequeno para o futebol, para o rugby, para o criquet, não interessa, era pequeno para tudo. Mas quando tentei o wrestling e claro que me disseram que era muito pequeno para aquilo eu dessa vez respondi que não, não era. Eu acreditava mesmo que podia fazer a diferença no wrestling, mesmo sendo pequeno e nunca me escondi, nunca neguei qual era o meu aspeto. Sabia que tinha de me cuidar fisicamente e claro cosmeticamente , mas nunca escondi que era baixo, leve. O que nunca ninguém tirou de mim foi a minha personalidade e eu tenho uma que é do tamanho dos maiores tipos que estão nesta indústria e esse é o meu ponto forte e precisava de alguém que reparasse nisso. O British Bootcamp permitiu isso mesmo. As pessoas certa, no tempo certo, com a oportunidade certa. Fiquem a saber disto, comigo eu sei que as pessoas julgam o livro pela capa. Eu já tive muita gente que está há anos nesta indústria a dizer-me que quando me viram não pensaram que eu tivesse qualquer futuro, mas ao assistir ao que eu faço acabaram por compreender e isso é excelente quando percebem o meu valor.”

Sobre a sua aparência:

“Eu visto-me assim fora do ringue, acreditem ou não. As pessoas adoram quando me vêm a sair de uma maçã…Os fatos  não foram nenhuma ideia plantada ou imposta por alguém e é isso que adoro na TNA. Eles dão total liberdade de direcção para os personagens em termos do visual, da apresentação, dos maneirismos e eu sou eu mesmo. Olhem, eu sou um estupor dentro e fora do ringue, perguntem a quem quiser…eu ajo como se tivesse 2 metros dentro ou fora do ringue. Quanto aos fatos eu mando vir de uma loja que já conhece o que pretendo e há uma loja que vende gravatas e laços para várias celebridades e são eles que me enviam uns presentes para aquilo que pretendo. Tem sido excelente e vou ter umas surpresas para as gravações de Agosto em Nova Iorque.”

Sobre como surgiu a ideia de ser o Chief of Staff de Dixie Carter:

“Eu estava na OVW e ligaram-me, disseram que me iriam pôr na televisão e que eu estava pronto. Disseram-me o que eu ia fazer, eu aceitei, vesti o fato, pus o laço ao pescoço e aconteceu. Desde então tem sido uma loucura e tem sido fantástico, mas se vires alguém a dizer que é chief of staff da Dixie Carter e não sou eu, então é uma mentira , porque eu sinto que ganhei essa posição, é minha e não a vou perder para ninguém.”

Sobre o seu trabalho ao lado de Dixie Carter:

“A única que me deixa nervoso com estou junto dela é quando a tenho de a salvar de uma experiência quase-mortal, mas são esses momentos que me fazem pensar que eu tenho de estar aqui, porque eu estou literalmente a salvar a vida daquela mulher. Eu sou um herói e sou também o herói da Sr. Carter (EC3), nasci um herói e nasci para fazer isto. Nunca me senti intimidado, porque sinto-me confortável em frente de uma câmara e aprendi que o wrestling é isso. Não tem a haver com ser um grande wrestler técnico ou excelente atleta, tem a haver com a capacidade de estabelecer uma ligação com o público e levá-los a sentir algo sobre mim. Por isso sinto-me bem a fazer isto e sou herói e sempre que ela ou o Sr. Carter estiverem em perigo em vou sálva-los, até porque senão perco o emprego…”

Sobre o destaque que recebeu ao vir para a TNA:

“Eu não penso muito nisso (na reacção dos outros lutadores). O meu trabalho é ser chief of staff e continuará a ser até a Madame Dixie dizer o contrário e gosto de pensar que toda a gente faz o que lhe é pedido e eu faço também o que me pedem. Por isso espero que as pessoas compreendam que este é o meu trabalho. Se calhar há ressentimentos por eu estar perto da presidente da organização e do seu sobrinho e toda a gente quer estar debaixo da asa da Team Dixie, mas não é algo que me preocupe. Eu estou rodeado pelos Carters e estou protegido. Quem tiver algum problema que venha esclarecer comigo.”

Sobre como vê o seu futuro na TNA:

“Eu sou um wrestler profissional e o meu trabalho é aparecer e fazer o que me mandam fazer. Eu sou eu e quando me pedem para fazer algo será feito da forma como o Rockstar Spud faz as coisas compreendes? O que acontecer daqui para a frente será sempre o que eu trouxer, por exemplo, fizemos shows na Flórida, em Nova Iorque e estou sempre ansioso para vir trabalhar e mostrar o meu valor. Quero ser um mais-valia para estar organização, sinto que o serei daqui para a frente, com todas as coisas que exigem de mim e que agradeço, quero continuar a melhor que sei.”

Sobre trabalhar com a Team 3D, Tommy Dreamer e Rhino:

“O combate que tive com eles teve muitos momentos em que não conseguia sequer andar, houve muita dor, mas foi dos melhores momentos da minha carreira até hoje. Estas são as pessoas que crescemos a ver, e um dia tê-las a descer aquela rampa para lutar contigo ou contra ti é uma bênção e estou muito feliz por estar na TNA. Estes são os momentos em que os meus amigos que estão em casa e que não estão nesta indústria vão perceber. Os meus amigos saiam de casa, conviviam e falam de desporto, mas para mim era o wrestling que era interessante, eram estes lutadores que admiriva e hoje estar no ringue com eles é uma honra e a honra maior é derrotar estes lutadores na televisão.”

Sobre o ringue de seis lados:

“Acho óptimo! Tenho mais espaço! Eu quando via a TNA enquanto fã sempre achei que o ringue de 6 lados dava à TNA uma certa identidade, em que assim que aquilo aparecia nós pensávamos o que era aquilo que estava a dar, vamos ver. Penso que gostamos do que é diferente e o ringue tinha esse poder e depois a X Division deixava-me aos pulos. A TNA era algo impressionante de se ver e penso que a TNA está a fazer em procurar essa identidade e não tenho problema algum com o ringue de 6 lados, acolhi bem essa opção.”

Sobre a TNA trazer um PPV para o Reino Unido:

“Eu adorava que acontecesse e se acontecer será incrível. Honestamente adorava estar na minha cidade natal em Birmingham. Se a TNA alguma vez trouxer um PPV para Inglaterra eu quero estar num combate por um título. Eu disse no British Bootcamp que queria ser campeão e quero ser um dia campeão com esta organização, por isso se pudesse ter um PPV e na minha terra natal seria um sonho e penso que a casa vinha abaixo, mas em qualquer cidade do Reino Unido os fãs puxam muito pelos talentos britânicos e querem muito ver um lutador britânico a lutar por um titulo. Se acontecesse, a Inglaterra iria surpreender a TNA.”

Sobre Vince Russo:

“Não podia sentir-me mais lisonjeado por alguém que está na indústria ao tempo que ele está me achar interessante. Sei que o Vince sempre apoiou aquilo que eu fazia e é bom pôr uma cara associada a um nome. Eu nunca conheci o Vince  a não ser nessa altura (na semana passada Spud foi convidado para um podcast com Russo) e é uma pessoa muito simpática.”

Sobre quem são as suas referências no wrestling:

“Eu tornei-me fã de wrestling com aquela imagem do Hulk Hogan e da Hulkamania, com a bandeira dos EUA a esvoaçar, foi ai que me tornei fã. Depois disso tornei-me mais um estudante de wrestling.”

Sobre quem mais aprecia na TNA:

“Essa é fácil – o senhor Carter, Ethan Carter III. Muito fácil, olhem para ele parece esculpido em pedra, lindissimo e é o tipo mais carismático que já conheci além de ser o melhor amigo que se pode pedir. Todas as semanas podem ver como ele me trata no Impact, é o melhor amigo que se pode pedir e vai ser uma das maiores estrelas na indústria do wrestling. Claramente houve uma organização que deixou escapar este talento e todas as semanas basta ver a química que ele tem com qualquer um dentro do ringue. Ninguém lhe toca, ninguém lhe consegue tocar. É uma das melhores pessoas com quem já passei tempo. Penso que o Bully Ray é um performer incrível apesar de não concordar com as intenções dele de me pôr através de uma mesa. Se o Hulk Hogan existisse nos anos 80 ao lado Bully Ray, o Bully Ray seria maior que o Hulk Hogan nos anos 80, porque a forma como ele se mexe e como ele fala, leva as pessoas a acreditarem no Bully Ray o que é fantástico. O Bully Ray é dos melhores no mundo hoje mas é lixo no toca ao comportamento dele com a Madame Dixie. Os BroMans DJ Z, Jessie Godderz, Robbie E, são fantásticos, muito talentosos. O Sanada é um pedaço de lixo e quem se atraver a falar no nome dele na minha presença será esmurrado sem piedade. O Magnus e o Bram são uma equipa tremenda e estão a crescer…os Wolves são incríveis…pensando nisso não há quem não se destaque no Impact Wrestling, Gunner, Anderson, Aries, Bobby Lashley é um grande campeão do mundo e está a fazer um bom trabalho para a nossa organização…MVP, Kenny King…não há quem não faça um bom trabalho. Não no mundo um roster como o nosso, a sério que não.”

Sobre qual o clube de futebol que apoia:

“Sou um fã do Everton, desde pequeno que apoio o Everton. (se és do Manchester United) então nunca mais fales comigo e nunca mais me digas isso, pois és uma glória do passado.”

Video da Semana

Preview do TNA ONO Xtravaganza!

Até ao próximo Impacto!

Sobre o Autor

- Colaborador do Wrestling.PT para os conteúdos da Total Nonstop Action!

7 Comentários

  1. Zé Pedro Delgado - há 2 anos

    Porque é que ele disse aquilo sobre o Sanada?

    • Por causa dos combates pelo titulo da X Division. O Spud perdeu sempre quanso o Sanada esteve envolvido.

      • Zé Pedro Delgado - há 2 anos

        ah ok mas ele tambem ta farto de levar coça do Bully e no entanto fez-lhe elogios

      • Sim é verdade. Ele elogia Bully, mas diz que não concorda com as acções dele. Atenção que nessa parte do evento ele estava claramente a falar em modo “personagem”. Tenho a certeza que o Spud respeita igualmente o Sanada :)

      • Zé Pedro Delgado - há 2 anos

        Espero bem que sim, não há motivo nenhum para desrespeitar o Sanada assim, espero bem que seja só mesmo em personagem….

  2. JoãoRkNO ® - há 2 anos

    Excelente trabalho Jorge .

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador