Impacto! #30 – Análise ao TNA Slammiversary

A TNA festejou 10 anos de existência da melhor forma. O Slammiversary foi um sucesso, elogiado por muitos e na minha perspectiva sem falhas a apontar. Quando assim, não há melhor prenda que a TNA possa dar aos fãs. Nesta edição do impacto, decidi fazer uma breve revisão do que foi o Slammiversary X.

Austin Aries vs Samoa Joe: Este combate chegou a ser retirado do cartaz, mas de véspera voltou a ser marcado. E ainda bem, pois foi provavelmente o combate da noite (a par da disputa dos títulos de tag team). Até diria que um sério candidato a combate do ano. Um dos aspectos mais interessantes a sair deste combate foi a vitória de Aries, pois muito provavelmente abre as porta dos main-events ao campeão da X division. Aries conseguiu vencer de forma limpa Bully Ray e agora Samoa Joe. A sua credibilidade para roubar o titulo a Bobby Roode é total. Esperemos para ver se será essa a direcção. Quanto a Samoa Joe, parecia que tinha recuado 5 anos e estava novamente na X division. Ele moveu-se com paixão, com determinação e com a agilidade que lhe estava a faltar. Sem dúvida que este combate também servirá para que muitos olhos se voltem a focar em Joe e talvez este regresse aos main-events. O que falta a Joe agora é uma boa storyline, que lhe devolva a intensidade dos seus anos dourados de 2005 e 2006. Por último, a TNA anda esquecida da X Division e mais uma vez a X Division ganha vida. É uma prova que esta divisão é um diamante que a TNA não pode deixar abandonado. Espera-se que com o aproximar do Destination X, a TNA volte a reanimar um dos pontos fortes do Impact Wrestling.

Kid Kash vs Hernandez: Á partida este era um combate sem qualquer nexo. Ambos os lutadores estavam há muito arredados dos palcos da TNA. Kid Kash porque se tem dedicado mais à sua carreira na MMA, deixando de lado a perseguição a Aries na X division e Hernandez porque viu os Mexican American serem desmembrados, resultando até no despedimento do colega Anarquia. De Kid Kash espero sempro uma prestação interessante. É um lutador carismático e habilidoso. Mas para grande surpresa minha, Hernandez foi extremamente competente neste combate. Não só mostrou uma intensidade como há muito não via (talvez desde o inicio da sua feud com Matt Morgan há dois anos), como ainda executou manobras de alto risco extremamente complicadas para alguém da sua estatura. Fiquei a saber mais tarde, que a TNA planeia dar um empurrão a Hernandez na próxima edição da Bound for Glory Series. Se normalmente eu diria que Hernandez deveria deixar a TNA, a verdade é que depois deste combate fiquei curioso para saber se ele será capaz de manter o ritmo.

Devon e Garett vs Robbie E e Robbie T: A TNA já percebeu que cometeu um erro com Garett. Não só porque ele não se consegue descolar da imagem de filho de Eric Bischoff, como as suas habilidades deixam muito a desejar. A solução possível (que não envolva o despedimento ou o “empréstimo” à OVW) passa pela figura de um tutor. Devon, usa bem da sua capacidade de ensinar e liderar (ele que tem com Ray uma academia de wrestling – 3D academy ), e é ele o escolhido para dar um push a Garett. Contudo a fórmula não parece estar a surtir efeito. Nem mesmo o talento de Devon consegue esconder que falta muito a Garett e dá que pensar…a TNA tem apenas 2 horas por semana para mostrar os seus talentos, valerá a pena desperdiçar em Garett? A única coisa que a TNA parece que conseguiu foi desgastar a imagem de Devon e dos Robbies pelo caminho. Por falar nos Robbies, a TNA tem que decidir, se quer oficializar esta dupla como uma tag-team legitima ou se continuará a insistir numa espécie de comedy act. Como os PPVs não tem intervalo, este combate serviu para isso, mas quem o viu também não ficou de todo descontente.

Mr Anderson vs Jeff Hardy vs RVD: A única coisa que falta a qualquer um destes lutadores é uma boa storyline. Mr. Anderson continua a ser um personagem cinzento. Não é face, não é heel e tal como Hardy e RVD não tem ninguém com quem lutar. Se o combate não tiver uma razão de ser, não tem emoção e sem emoção parece que falta algo…O combate em si foi dos melhores que este três fizeram. Anderson esteve intenso e Hardy continua a fazer combates impecáveis. Mesmo o RVD parece ter recuperado alguma agilidade que lhe faltava. O público esteve em grande e só faltou aquele emoção para que os fãs soubessem por quem torcer.

Crimson vs James Storm: A TNA nunca conseguiu fazer nada de significativo com a série de invencibilidade de Crimson. Aliás, curiosamente só nas últimas duas semanas apareceram algumas promos e alguns clips a referir essa invencibilidade. Se Crimson tinha que perder, então perder com Storm não é vergonha nenhuma. Se por um lado se desconfiava de um regresso de Storm, pessoalmente não achava possível este atacar Crimson, pois nunca houve uma feud entre ambos. Ao mesmo tempo, é uma boa opção a TNA manter Storm afastado de Roode. É uma rivalidade que toda a gente sabe que está inacabada e se a TNA desgastar o duelo entre ambos, quando chegar ao confronto final (que acredito ser no Bound for Glory) o impacto nunca seria tão grande. A minha opinião em relação a Crimson mantém-se como na sua estreia e que aliás referi numa edição do Impacto. As suas habilidade dentro do ringue são inquestionáveis, as suas promos são positivas, faltava-lhe interacção com o público. Curiosamente, ao assumir-se como heel, Crimson revelou-se presunçoso como um vilão deve ser. Espero que continue a desenvolver-se como heel. Num pequeno à parte, a música de entrada de James Storm é fantástica.

Brooke Tessmacher vs Gail Kim: Finalmente a mega campeã cai aos pés de Tessmacher. Era inevitável, mas não esperava que acontecesse já. Brooke já tinha ameaçado a vitória algumas vezes e as suas qualidades no ringue estavam a crescer a olhos vistos, mas esperava que Kim ainda segurasse o titulo por mais um PPV. Embora esteja satisfeito com a mudança de titulo, gostava que a TNA tivesse sido mais coerente na construção desta feud. Houve demasiados combates para se decidir a nº1 contender…Veremos agora se a Brooke conseguirá segurar o titulo por algum tempo. Se continuar a evoluir com a rapidez que demonstrou nos últimos 3 meses, Brooke arrisca-se a entrar na história da TNA. Para um combate da divisão feminina, foi muito agradável ver wrestling. Duas lutadores competentes, capazes de arrancar manobras de alto risco. É digno para toda a divisão.

Bully Ray vs Joseph Parks: Apesar de estar um pouco cansado do gimmick de Abyss, mesmo passado tanto tempo, consegui ver este combate como muito positive. Bully Ray continua a ser um heel incrível e impressiona-me a capacidade dele em se reinventar e Abyss conseguiu criar um alter-ego que nada tem a haver com o seu antigo personagem. Park convence como alguém fraco, mas determinado.  A TNA já anunciou que irá manter Abyss e Parks em simultâneo no roster e parece uma decisão positiva. Aliás, porque esta dança a três parece estar muito longe do fim e até agora a história está a ser muito bem contada.

AJ Styles e Kurt Angle vs Christopher Daniels e Kazarian: Outro sério candidato a combate do ano. Um combate fenomenal do qual nunca esperei ver Angle e Styles sair com os títulos, até porque ainda não existe nenhuma razão satisfatória para estes dois terem formado uma dupla de tag team. Daniels e Kaz precisavam mais destes títulos que Angle Styles e imagino que os devem recuperar em muito pouco tempo. Se assim for só poderemos esperar mais um combate épico. Não sei até que ponto a recente lesão de Angle não poderá ter precipitado a decisão de se formar esta tag-team. AJ consegue assim carregar o combate, se expor Angle. A história entre Dixie Carter e AJ Styles parece estar a encher as medidas de algum público e a TNA já prometeu algumas reviravoltas. Se a storyline funciona (e parece que funciona pois o público estava concentradíssimo no combate) então que a TNA continua a manter a sua lógica.

Bobby Roode vs Sting: O combate mais criticado da noite. Mas de uma forma simples e resumida vou explicar porque penso que teve o final que deveria ter. A noite foi de Sting, com a introdução no TNA Hall of Fame e com a escolha do público para o maior momento da história da TNA (quando se estreou na organização). Após duas vitórias sobre Roode e com a noite perfeita, muita gente previa o fim do reinado de Sting. Aliás, a quando do primeiro scorpion death lock parecia que Roode iria mesmo desistir. O que ocorreu é que a TNA iria atirar o ouro todo para cima de Sting…mas a TNA resolveu o problema. Sem estragar a noite de Sting, dá a Roode uma vitória heel. Se é verdade que uma vitória limpa credibilizava Roode, desta forma Sting sai por cima e Roode continua a semear antagonismo entre os fãs.

TNA Hall of Fame: É um passo importante para a TNA ter o seu hall of fame. É uma forma de valorizar os seus talentos e o seu produto. O meu receio estava em que a TNA poderia simplesmente querer copiar o modelo da WWE, sem grande significado. A verdade é que a escolha de Sting só mostra a gratidão da TNA pelo ícone do Wrestling. Dizem as más línguas que a TNA se antecipou à WWE, mas não acredito que seja essa a razão. Durante muito tempo, Sting foi a única lenda viva na TNA. Ele personifica a rivalidade de uma organização de wrestling contra o monopólio da wwe e mesmo hoje aos 53 anos continua a saber entreter o público. A escolha não foi mais apropriada e claramente a TNA soube justificá-la. Este deve ser o sentido do Hall of Fame – a TNA a prestar homenagem a quem fez da organização o que ela é hoje. Espero que rapidamente Jeff Jarrett se junte a Sting na lista de induzidos.

Christian Cage: Se por um lado foi bom ver Christian de regresso a casa, por outro claramente que o sentimento não foi mútuo. A presença de Christian fez parte do acordo entre a wwe e a TNA que permitiu a Ric Flair comparecer na cerimónia de Hall of Fame da wwe. Agora é sabido que Christian não ficou muito contente com a ideia de aparecer no Slammiversary, mas awwe pressionou o atleta a aceitar as condições. É lamentável a atitude de Christian, que só mostra uma falta de segurança enorme em si próprio. Percebo que um lutador que dê um salto para a wwe, encare o regresso à TNA como um passo atrás, sobretudo se estiver a tentar afirmar-se. Mas já diz o povo que não se cospe no prato onde se comeu. A auto-estima de Christian mostra fragilidade, talvez por pensar que a wwe poderia tornar este regresso definitivo, ou que ao associar-se à TNA ele nunca terá oportunidade de vingar na wwe. No entanto, é importante não esquecer as raízes e a TNA só mostrou gratidão por Christian, ao querer a sua presença no aniversário da organização. Seria bonito uma resposta na mesma moeda, pena que Cage não esteve à altura do gesto. Ouvi várias sugestões de pontes entre a WWE e a TNA para futuras colaborações. Honestamente não é algo que queira ver. A TNA deve co-existir com a wwe, mas não vejo que tenham que se cruzar tão cedo.

O Público: Estar fora da Impact Zone diante de quase 6 mil pessoas e ao vivo faz maravilhas para a motivação dos atletas. A arena composta e todo o cenário ajudaram a criar o ambiente certo e o público esteve muito animado. A TNA nunca esteve em tão grande plano este ano.

Apreciação Global: Resumidamente, o melhor PPV do ano até à data. É preciso dizer mais?

Sobre o Autor

- Colaborador do Wrestling.PT para os conteúdos da Total Nonstop Action!

21 Comentários

  1. Silva - há 4 anos

    Gostei do artigo, mas tenho uma critica a fazer:

    Tu és demasiado tendencioso para a TNA. Neste artigo nem tanto, mas nos reports demonstras imensa parcialidade! Neste artigo em questão, considerar um combate de 10 min candidato a combate do ano, deve ser brincadeira. O combate foi bom, foi muito bom, mas nao com capacidade de candidato! O Tag foi melhor, mas mesmo assim, nao tem categoria para figurar lá. Alias, a menos que aconteça alguma coisa, o combate do ano deve passar por um da Mania(hhh vs taker/ punk vs Jericho) ou o do Over the Limit. Candidatos da Tna é qualquer coisa que o Aries faca com outro bom worker

    • Jorge Rebelo - há 4 anos

      Silva é claro que sou parcial, quer nos reports, quer nos artigos tento espelhar a minha opinião (menos nos reports claro). Mas não entendo o que tem haver esse combate da wrestlemania para o assunto. Eu quando digo que combate do ano, é combate do ano para a TNA e não em comparação com a WWE.

      Eu não faço comparações com a WWE por duas razões:
      1 – não vejo a wwe há alguns anos.
      2 – não tem comparação possivel.

      Por isso se achas que sou parcial por defender a TNA ou por criticar a TNA, talvez estes dois pontos anteriores te ajudem a refletir no quanto estavas errado no raciocínio.

      • Silva - há 4 anos

        Um jornalista/escritor deve ser o mais imparcial possível, vendo ou nao a concorrência! Isto nao é um fanboy a falar, senão nem me dava ao trabalho para tar a escrever isto, digo isto como se fosse uma critica.

        Queres saber o que a Mania tem a ver com isto? Fácil, tu propuseste 2 candidatos a MOTY(no geral), e eu discordei, e expressei alguns que considero mais. Referi esses, tal como podia referir da NJPW, e do ROH.

      • Jorge Rebelo - há 4 anos

        Eu não sou jornalista, no máximo sou um colaborador. Se eu não tivesse opinião, esta secção não faria sentido não achas? Podes e deves concordar ou discordar com a minha opinião, mas não é correcto pedir imparcialidade quando a própria secção se chama Impacto. Se esperas que total imparcialidade nos reports, então apenas diria quem ganhou o combate.

        Como te disse, o combate do ano refiro-me ao combate do ano na TNA. Não é em comparação com nenhuma outra organização, seja a wwe, a nwa, a dragongate, a ovw, o roh, a NJPW, chikara ou qualquer outra coisa que exista. Em comparação com tudo o que a TNA fez este ano, o combate entre o Aries e o Samoa Joe ou o tag team match entre o AJ/Angle contra Kaz/Daniels serão certamente candidatos a combate do ano, da mesma forma que este é para já o PPV do ano.

        Sempre deixei muito claro que não comento a wwe e não faço comparações entre a TNA e seja o que for. Aqui no WPT a minha “preocupação” é a TNA.

      • Guilherme - há 4 anos

        So tenho a dizer obrigado pelos teus exelentes artigos… eu so via a a wwe quando era miudo e por causa do edge . e desde que vejo tna um pouco antes do BFG em que o sting ganhou o antigo nwa world championship…nao quis outra coisa até hoje…A par da Roh a TNA é wrestling….e como muito agrado vejo alguem(neste caso tu) a dar importancia a Tna da qual num monopólio viciado pela wwe

      • Jorge Rebelo - há 4 anos

        É sempre bom ver que quando a TNA faz as coisas bem feitas consegue atrair novas audiências. Como disse num comentário antes, sei que a “plateia” da TNA é muito reduzida, mas nem por isso menos dedicada.

      • Guilherme - há 4 anos

        Reduzida em relação a wwe mas ano para ano tem vindo a crescer…e o fâs da Tna sao fieis…alias a Tna é uma familia….e espero daqui a 10 anos a Tna seja grandiosa com um wrestling , que é mesmo puro wrestling….a wwe é o que é devido a falencia da wcw …e a compra dela

  2. Jim_Rodrigues - há 4 anos

    Nao que eu queira defender ninguem, mas Jorge Rebelo é um dos pouquissimos (e bota pouco nisso) a falar tão bem e abertamente da TNA em um blog.
    Nao vou citar nomes mas a maioria dos colaboradores tem um desprezo quase absoluto pela TNA e endeusa a WWE, logico que nao é por menos afinal de contas a WWE é a grande empresa de pro wrestling.
    Eu particularmente defendo a TNA desde muito tempo, eu defendi a TNA desde que os argumentos eram TNA=LIXO da WWE, WWE vai comprar TNA, e mais outras idiotices por parte de fãs e colaboradores.
    Nao quero puxar sardinha do WRESTLING.PT mas é o unico blog que se diz de wrestling que da o mesmo valor em termos de materias tanto pra TNA quanto pra WWE, e isso graças e muito ao JOrge Rebelo, pq os demais colaboradores daqui penso que ainda são muito WWE-FÃS.
    A TNA desde muito tempo vem fazendo grandes ações, ousaram e erraram muito, fizeram idiotices também, mas é indiscutivel a capacidade de fazer bons matches desde sua origem.
    E o combate ANGLE/STYLES VS Kazarian/DANIELS foi sim um dos melhores do ano perdendo no meu ponto de vista pro END OF ERA, pq ai é até convardia comparar.
    Eu nao concordo com o Tiago de forma alguma, pois normalmente quem é fã da TNA sempre está e ficar desconsolado com artigos que vivem para desmerecer a msm, e muito das vezes injustos e o Rebelo, faz justamente ao contrario, ele sempre da razões para pelo menos assistir os eventos da TNA, e esse é o grande trabalho do colunista.

    • Jorge Rebelo - há 4 anos

      Da minha parte só posso agradecer o incentivo.

      Mas mais que isso, Jim disseste algo muito importante. É que o cuidado que o WPT tem com a TNA é diferenciador de outros sites/blogs. Desde reports, ao Impacto, aos PPVs, às noticias. Esta tem sido uma aposta diferente, certamente para uma plateia mais reduzida, mas nem por isso menos empenhada.

      O universo da WWE é quase infinito e não deixa muito espaço ao que está de fora. Mas o WPT tem conseguido manter o foco (e acredito de uma forma construtiva), quer na TNA, quer no ROH que o Tiago tem trazido todos os reports.

      Quando o wrestling é bem tratado, seja WWE, TNA ou ROH, seja pela visão portuguesa ou brasileira, seja pelo género masculino ou pela opinião feminina, sejam por fãs ou por atletas, então estaremos certamente no caminho certo.

      O meu contributo para o WPT é com aquilo que vejo, penso e sei sobre a TNA e acredito que a TNA tem dimensão e qualidades suficientes para, por si só, merecer destaque sem ser numa base de comparação com qualquer outra empresa.

  3. danielLP21 - há 4 anos

    Excelente artigo,quase perfeito,só tens um erro (“muita gente previa o fim do reinado de Sting.”),o que é fantástico.

    Para mim o Samoa Joe vs Austin Aries foi o melhor combate do melhor PPV do ano,por isso sim,concordo que seja um candidato a melhor do ano. Nem me vou dignar a comentar o que o Silva disse…

    Concordo que o que falta a Mr.Anderson,RVD e Jeff Hardy são boas storylines,e que tal um deles (por mim era o Jeff Hardy) fazer um Heel-Turn? Eu percebo que ele seja um dos mais idolatrados mas há demasiados Faces no plantel da TNA e eu gostava que o Hardy tivesse ma história interessante,de modo a não se perder no pelantel. A TNA tem que definir alguma coisa para estes 3 e para Samoa Joe (outro Face).

    Continua o bom trabalho e acredita que se não fosses tu eu não teria voltado a ver a TNA,eu acompanhava apenas os teus reports mas não via os shows e a verdade é que me arrependo de não ter voltado a ver a TNA mais cedo,aliás,arependo-me de ter deixado de ver! Parabéns e continua assim.

    • Jorge Rebelo - há 4 anos

      Daniel bem visto o erro. Claro que seria o reinado de Roode…

      Eu já o referi aqui, o Jeff Hardy tem um potencial enorme como heel. Sobretudo, porque ele não precisa de fazer uso das mic skills. Basta aquele ar arrogante e alguns maneirismos. A forma como ele estava a desenolver o seu personagem heel, mesmo nos Immortal, foi para mim das melhores coisas que a TNA fez em 2010. O problema de Hardy chamou-se Matt. Acredito que se o irmão não se tivesse juntado à TNA (e claro sem o incidente do Victory Road), hoje teriamos um super heel Jeff Hardy. Não me importava nada de o ver a tentar esse gimmick novamente, se ele se sentir bem mentalmente para o fazer.

      Penso que a melhor forma de avaliar a TNA é começar a assistir e esta é uma boa altura para o fazer. Os PPVs têm estado com uma qualidade impressionante e o facto do IW estar a ser ao vivo confere um ritmo e um profissionalismo que há muito faltava.

      • danielLP21 - há 4 anos

        Concordo,eu nem sei o que é que o Matt Hardy foi fazer para a TNA,deve ser de família o facto de não aproveitarem as oportunidades que têm.

        O que aconteceu no Victory Road foi um passo atrás na carreira do Jeff,acredito,tal como tu,que o Hardy hoje podia ser superior ao Bobby Roode e ao Bully Ray como Top Heel,ou pelo menos ao mesmo nível. Agora que ele tem este lado mais obscuro (adoro as pinturas dele) a TNA podia aproveitar para fazer dele um grande Heel.

  4. Farnight - há 4 anos

    Gostei bastante do artigo, bastante directo. Porém, tenho uma questão, Jorge Rebelo. Não achas que o show foi demasiado à base do Sting? Quão mais over é que ele pode estar com os fãs? Penso que ele deveria ter cedido uma derrota limpa, ou como aconteceu, Roode ganhou com batota, mas não levava a porrada que levou. É que ainda por cima, deu a ideia que ele, um rapaz de 35 anos, não consegue vencer um homem de 50 anos, visto que perdeu para o Sting 2 vezes no Impact com desistências e ainda voltou a fazê-lo no PPV.
    Cumps.

    • Jorge Rebelo - há 4 anos

      Farnight excelente questão e estou de acordo contigo quanto ao facto de a TNA se ter precipitado ao colocar novamente o Sting no caminho de Bobby Roode. Já o disse repetidas vezes que se a TNA quer crescer e que esse crescimento seja sustentável tem que ter capacidade de criar as suas estrelas. É bom ter nomes como Sting e Hogan, mas não para que a acção gire em torno deles. As lendas são fantásticas para fazer aquilo, que por exemplo, o Hogan fez esta semana com o Austin Aries. Aqueles discurso do hogan “onde tu queres chegar eu já estive, mas tenho que admitir que és a melhor coisa que eu já vi num ringue…” é isto que eleva os novos talentos. Por isso neste ponto, totalmente de acordo, Sting vs Bobby Roode não deveria ter acontecido novamente.

      Agora onde talvez discorde um pouco. Acredito que esta foi a forma de “encaixar” Sting no Slammiversary, dando a Bobby Roode um main-event com alguém que ele já tinha tido um feud antes (e isto tendo em conta que a TNA quer guardar Storm vs Roode para mais tarde). Pode não ter sido a melhor decisão, mas já que a TNA a tomou vamos então ver se foi bem “gerida”:
      Quando eu vi o Roode a perder 2 combates com o Sting pensei exactamente o mesmo que tu. Cá está novamente a TNA a tirar o foco dos seus originais e dar a lutadores com nomes e carreiras já consolidadas. A verdade é que quando o Sting aplica aquele scorpion dead lock no Roode quase que sustive a respiração…Pensei mesmo que teriamos o fim do reinado do Roode.

      A razão para ter esta sensação é porque a TNA fez um bom trabalho em dar a Sting a credibilidade que poderia chegar ao Slammiversary e vencer. Repara já esta semana, dúvido que alguém apostasse alguma coisa numa vitória do Mr. Anderson…O resto eu explico no artigo.

      Por isso e respondendo à tua pergunta: A TNA fez bem em colocar Sting no caminho Roode novamente? não. Soube gerir bem a situação? Sim. Não só o Sting sai bem visto, como o Roode continua campeão e esta semana já teve mais uma vitória limpa (outra aspecto positivo nesta gestão).

      Quanto ao show ter tido muito Sting, penso que houve alguma destaque natural dado o anuncio de ser o primeiro Hall of Famer da TNA, mas isso não afectou a qualidade do PPV.

      Espero ter respondido à tua questão Farnight.

  5. Vinícius Nunes - há 4 anos

    Artigo excelente Jorge Rabelo, gosto muito dos seus artigos, comecei a ver TNA a partir do Sacrifice, e vi que é muito mais do que encontra ex-lendas da WWE, tem Bobby Roode, AJ Styles, Austin Aries, Gunner, Crimson, James Storn… Estou gostando demais, vejo que é o wrestling real, tá evoluindo nas histórias, essa do Sting me parece que vai ser ótima. Aprendi que WWE e TNA não podem ser comparadas, são produtos diferentes. Parabéns pelo espaço.
    Bem só não gostei da parte em que se referia a Christian, bem sou fã Christian e tenho que defendê-lo, eu na mesma situação não me sentiria nada bem, tipo, ser moeda de troca, acho bastante ruim isso, ainda por cima do Ric Flair, que no passado fez muito, mas hoje, eu acho que ele não deve ser mal interpretado, porque ele tá voltando pra WWE e tá querendo consolidar a sua imagem por lá mais uma vez, e ter o nome ligado uma vez mais a TNA não ajuda nada nisso, na minha opinião, mas opinião é livre, cada um tem a sua!

    • Jorge Rebelo - há 4 anos

      Vinicius eu percebo a posição do Christian, penso que qual pessoa é sensivel a isso. Mas repara, se o contrato fosse o Christian ter que lutar ou ficar alguns meses na TNA, francamente até eu faria má cara.

      Tendo em conta que o acordo foi estabelecido para uma noite apenas e ainda para mais é no aniversário da TNA, só mostra que o Christian está mesmo muito inseguro quanto à confiança que a WWE deposita nele.

      Esta opinião nada tem a haver com o que possa gostar ou não do Christian em si ou caso contrário eu não teria ficado contente de o ver no Slammi. Simplesmente, o Christian também poderia pensar que se a TNA o convidou para a festa, porque não retribuir o convite? Foram apenas 5 minutos.

      • Vinícius Nunes - há 4 anos

        O pior é que ele está muito inseguro mesmo na WWE, ele recebeu um push, tudo bem, mas os reinados que conseguiu foram de 3 dias ou de 1 mês, e depois ele virou mid-cader, foi cancelado o push, que disseram que ele ia ter pelo título mundial, deram um título intercontinental, mas talvez ele perca nesse próximo PPV, então eu acho que ele ainda não está seguro com a WWE, porque parece que Vince tem mágoa por ele ter ido pra TNA, quando Christian disse que queria descansar, mas entendendo o seu lado fã da TNA, esse lado meu que aflorou depois de alguns Impacts de 2 PPV, também não gostou da reação de Cage, mas acho que entendo a insegurança dele, apesar de que a TNA, diretamente, não tem nada a ver com isso!!

      • Jorge Rebelo - há 4 anos

        Vinicius não fazia ideia que as coisas estavam assim com ele na WWE. Já tinha lido qualquer coisa sobre esse reinado de dias, mas não fazia ideia do que se tinha passado.

        Farnight, baseando-me apenas nas noticias que sairam, a TNA negociou com a WWE algo em troca da presença do Ric Flair no HOF. Esse algo aparentemente foi Christian. Nada me leva a crer que a ideia de ser Christian tivesse partido da WWE, até porque já se soube que a TNA tinha autorização para publicitar na TV que Christian ia estar presente. Ora se a wwe autorizou é porque alguém pediu…

        De qualquer forma, mesmo que a ideia não partisse da TNA, a TNA aceitou o que significa que considerou que o Christian no Slammi fazia sentido e que o próprio Christian era apelativo para a organização. Eu considero isto um elogio e tendo em conta o passado entre a TNA e Christian, nâo vejo razão nenhuma para ele se recusar (a não ser por uma insegurança enorme em relação ao seu futuro na WWE, como parece que é o caso de acordo com o que disse o Vinicius).

      • Farnight - há 4 anos

        O que te faz pensar que a TNA não o incluiu só para cumprir a troca com a WWE? Imaginemos a negociação das duas companhias, a WWE queria o FLair, mas a TNA queria algo em troca e que aceitou foi o Christian. O que quero dizer é, a TNA só aceitou para não ficar a perder. Se calhar até planearam inclui-lo logo no Slammiversary, ou então, foi à ultima da hora que decidiram-no incluir, que parece que foi o que aconteceu, porque a sua presença em nada acrescentou ao segmento e não acho que tenha sido culpa do Christian, a própria TNA não lhe quis dar muito tempo de antena, compreensível, por não ser um lutador seu.

  6. Willian Silveira - há 4 anos

    Apesar de nunca ter dito, adoro esse espaço…Todas semanas é de auto nive!

    Estou olhando TNA desde do Sacrifice deste ano, e junto comecei a ler o Impacto. Parabéns.

  7. Gostei bastante deste teu artigo.

    Sem dúvida que foi o melhor PPV da TNA em 2012 e com dois grandes combates que marcam 2012, Samoa Joe vs Austin Aries, Kurt Angle e AJ Styles vs Christopher Daniels e Kazarian.

    Ao contrario de ti eu já esperava que Angle e AJ se tornassem campeões só não pensei é que fosse assim tão rapido.

    Em relação ao ME devo dizer que percebo o teu ponto de visto e devo concordar mas para quem esperava ver um grande combate sai desiludido mesmo que ninguem tenha saído mal visto desse combate.

    O Público foi brutal e espero que a TNA tenha visto isso e que a Impact Zone não serve para os seus objectivos pelo menos em PPV melhorar isso mesmo. O Hall Of Fame foi mais que merecido a escolha de Sting e sem dúvida que dou os meus parabens à TNA por esta escolha. Em relação a Christian isto de estar numa empresa “rival” pode ter condicionado a sua participação e a sua maneira de pensar mas ainda acho que podiam ter usado a participação dele noutro momento.

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador