Existem 2 vagas na Equipa do Wrestling PT para publicar notícias. Candidata-te!

Impacto! #34 – Novo sangue na X Division (Parte 2)

Na sequência do Impacto da semana passada, divulgo hoje a segunda (e última) parte deste artigo, que mostra uma lista de 10 lutadores com o perfil exacto para a X division. Como referi a semana passada, seguindo a mesma lógica de recrutamento da TNA, esta lista apenas constará nomes do circuito de wrestling independente, atletas estes que tenho vindo a acompanhar em diferentes promoções e que com a oportunidade certa poderão trazer um enorme valor a qualquer organização.

Ficam aqui os último 5 nomes para a X division:

El Generico

El Generico é um lutador canadiano, com uma forte inspiração mexicana no seu gimmick. A sua carreira começa na promoção canadiana International Wrestling Syndicate, que em 2004 extendeu os seus shows aos Estados Unidos. Desde esse ano que El Generico faz parte do roster regular da Pro Wrestling Guerrilla, tendo segurado o titulo de campeão de tag-team por 5 ocasiões, todas com diferentes parceiros, entre os quais Paul London e Kevin Steen. Em 2007 Generico derrotou Tornado e sagrou-se campeão da PWG. Foi o primeiro lutador a deter os títulos de campeão da PWG e campeão de tag-team, em simultâneo. Mais tarde, repeteria o feito. Em singulares Generico teve algumas feuds memoráveis com Kevin Steen e Cabana Colt. Já em tag-team, geralmente ao lado de Paul London, uma das duplas rivais mais frequentes foram os Young Bucks (conhecidos na TNA por Generation ME). Generico perdeu recentemente o titulo de campeão da PWG num three-way match contra Eddie Edwards e o campeão Kevin Steen. Generico tem estado também associado à organização CHIKARA, apesar das suas aparições não serem tão frequentes. Na sua estreia em 2005, Generico associou-se a Steen para atacar o titulo de tag-team, mas seriam derrotados por Chris Hero e Quackenbush. Generico voltou a ter cerca de meia-dúzia de aparições nos anos seguintes, geralmente em torneios, quer de singulares, quer de tag-team e sem grande sucesso. Um dos nomes mais reconhecidos que defrontou na Chikara foi Jigsaw (que recentemente lutou na X division com o nome Rubix). A carreira de El Generico teve o maior reconhecimento a partir de 2005 quando se estreou na Ring of Honor. Contudo, Generico não teve vida fácil. Meses após se estrear, os fãs da ROH criticavam o lutador, sobretudo pelo seu gimmick pouco sério e depois de alguns combates menos conseguidos, ele esteve um ano fora da organização. Foi já em 2007 que Genérico e Steen se juntaram e enfrentaram os Briscoe Brothers. O resultado foi uma série de combates que finalmente deram a Generico e devido reconhecimento. Ele teve então a sua oportunidade de lutar em singulares, enfrentando lutadores como Claudio Castagnoli, Chris Hero e Davey Richards e chegou a sagrar-se TV champion derrotando Christopher Daniels em 2011. Nesse mesmo ano El Generico teve dois combates (Dark Matches) na TNA. No primeiro perdeu para Amazing Red e na semana seguinte venceu TJ Perkins. Contudo, a sua prestação não terá sido suficiente para o segurar na organização.

Generico é hoje um dos nomes mais respeitados do circuito independente. Apesar de o seu gimmick ser muitas vezes comparado a um comedy act, o seu estilo de combate rapidamente deixa cair essa ideia. Ele tem uma mistura interessante um combate mais técnico e o estilo de manobras de alto risco que caracteriza a lucha libre. Este equilíbrio, faz dele um lutador capaz de combates memoráveis e seria uma excelente adição à X division. O mais curioso é que a TNA nunca chegou a contratar Generico apesar das criticas muito positivas aos seus tryouts. Um bom cartão de visita para conhecer El Generico é o seu finisher – Brainbustaaaa! Quem sabe se não ficou uma porta aberta para o futuro…

Roderick Strong

A carreira no wrestling começou em 2000 para Strong, no circuito independente do estado da Flórida nos Estados Unidos da América. Ele começou a lutar com o nome The Jester (o seu nome real é Chris Lindsey), mas rapidamente mudou o seu nome para Rodrick Strong quando se juntou à Independent Profissional Wrestling e formou uma dupla de tag-team chamada The Strongs, com a participação de Cedrick Strong (que nessa storyline fez de irmão de Rodrick). A dupla ganhou os títulos de tag-team em 2003, mas perdeu meses mais tarde por culpa de más prestações de Cedrick. Rodrick Strong acabou por atacar o irmão e assumiu-se como heel. Strong acabou por mudar para a NWA Florida onde se sagrou cruiserweight champion e um ano mais tarde junior heavyweight champion. Ainda em 2003 Strong juntava-se à Ring of Honer, onde em 2004 formaria um stable juntamente com Austin Aries, Alex Shelley e Jack Evans chamado Generation Next. O stable dominou sobre nomes como CM Punk, Jimmy Jacobs e Ace Steel. Dado o seu estilo de combate intenso, Strong passou a ser o enforcer do grupo. Ele e Jack Evans formaram uma dupla de tag-team regular que teve alguns combates pelo titulo, mas sem sucesso. Como singular, Strong chegou a tentar roubar o titulo principal a CM Punk, mas sem sucesso e meses mais tarde voltou a perder num combate pelo titulo com Bryan Danielson. Nessa altura, Strong era apelidade de “MVP” do Ring of Honor. Strong finalmente chegaria ao ouro, mas em tag-team, quando se juntou com Austin Aries. Em 2010, Strong voltou a assumir-se como heel e acabou mesmo por ganhar o titulo principal da ROH num combate contra Tyler Black. O titulo foi defendido por 6 meses até ser conquistado por Eddie Edwards. Em Março deste ano, Strong venceu o TV title a Jay Lethal sagrando-se o segundo lutador a vencer o triple Crown (TV Title, World Title e Tag-Team Title) na história da ROH.  Strong teve algum contacto com a TNA. Em 2005 perdeu para Austin Aries no PPV Unbreakable. Foi anunciado que Strong teria assinado contrato com a TNA, mas para além de ter participado em algumas tours, não foi possível ver muito mais dele. Em 2006 formaria um Stable com Aries e Shelley, mas o facto de ter chegado atrasado ao PPV Against All Odds, levou a uma suspensão de dois meses e posteriormente foi dispensado da TNA. Em 2010, Strong participou num Dark match, mas não foi suficiente para o seu regresso.

O que mais me agrada na ideia de Strong vir para a X division é o seu estilo de luta. Ele é um enforcer, recorrendo a manobras de alto impacto e coloca muita intensidade nos seus combates. Numa divisão que geralmente é marcada pelo ritmo elevado nos combates e pelas manobras acrobáticas, ter um lutador mais “frio” e “calculista” é um óptimo equilíbrio para a divisão, além de ser uma óptimo oportunidade para mostrar que quem está na X division pode também aspirar ao titulo principal da TNA.

http://www.youtube.com/watch?v=Rsgbqgo8wTw

Adam Cole

Austin Jeskins, também conhecido como Adam Cole, luta actualmente por diferentes promoções independentes, nomeadamente CZW, Dragon Gate USA, Chikara e ROH. A sua carreira começou há relativamente pouco tempo, em 2008 na Combate Zone Wrestling, primeiramente como parceiro de tag-team de Tyler Veritas. Só dois anos mais tarde, Cole iniciou a solo a busca pelo junior heavyweight title, que viria a conquistar num  three-way match contra o campeão Sabian e Rucus. Nesse mesmo ano, Cole viria a vencer o torneio Best of the Best X. Cole viria a estreiar-se na ROH em 2009 num dark match contra Kerman. Mais tarde, teria uma oportunidade para defrontar os Kings of Wrestling (Chris Hero e Claudio Castagnoli) ao lado de Westgate. Em 2010 Cole assinou contrato e esteve focado na divisão de Tag-team, mas sem grandes sucesso. Este ano, Cole passou a combater a solo e roubou o TV Title a Rodrick Strong, sendo ainda o actual TV champion da ROH. A parceria entre Cole e O’Reilly na ROH transitou para a Pro Wrestling Guerrilla em 2011. Nesta organização, a dupla luta pelos titulo de tag-team, já tendo tido a oportunidade de segurar o ouro, mas perderam para os Young Bucks. Cole já teve algumas aparições muito interessantes na Chikara e na Dragon Gate USA, sendo um lutador que está em clara fase de aprendizagem, mas sendo já apontado como um dos nomes de futuro no wrestling.

Adam Cole é um dos nomes que mais tem crescido de reconhecimento no circuito independente. Com apenas 24 anos seria certamente um valor para o futuro da TNA e uma certeza na X division. O estilo rápido, energético de Cole merece a X division e o seu Panama’s Sunrise (um super flip piledriver) é uma manobra que caberia em qualquer main-event, em qualquer PPV. Além disso Cole é um lutador bastante carismático e será naturalmente um forte candidato a face na divisão.

http://www.youtube.com/watch?v=D_xMfwrVVAk

Prince Devitt

Fergal Devitt, é um lutador Irlandês que luta sob o nome Prince Devitt e teve a sua estreia na NWA UK em 2000. O talento de Devitt levou a sagrar-se o mais jovem campeão heavyweight da história da organização com apenas 18 anos. Dois anos mais tarde, Devitt iniciaria a sua própria promoção na Irlanda – a NWA Ireland. O nome Prince Devitt foi adoptado em 2006, quando este se estreou na New Japan Pro Wrestling. Um dos elogios feitos a Devitt na sua estreia foi o de o considerarem o Pegasus Kid 2 (o primeiro Pegasus Kid foi Chris Benoit). Numa storyline memorável, Devitt foi associado a um stable – CTU (Control Terrorism Unit) onde sofreu uma série longa de derrotas consecutivas. Devitt recebeu um teste final, sendo obrigado a vencer o seu combate ou seria afastado do stable. Devitt não só venceu, como acumulou um registo impressionante de vitórias, chegando a vencer alguns torneios. Devitt teve contato com a TNA em 2007, ao participar na tournée que esta fez no Japão. Devitt e Minoru foram derrotados por Daniels e Senshi. Este seria o inicio de um reinado de Devitt na divisão Tag-team ao qual juntou alguns títulos como singular. Recentemente, A New Japan Pro Wrestling assinou uma parceria com a CMLL que levou a que Devitt fosse um dos escolhidos para lutar no México. Devitt fez equipa com Corleone e Rush, derontando Mephisto, Volador Jr e Ultimo Guerreo. Também este ano, Devitt sagrou-se NWA historic middleweight champion ao vencer Volador Jr.

Prince Devitt é um lutador com um reconhecimento tremendo no Japão e no Reino Unido, dois mercado tremendos para a industria do Wrestling. Se é verdade que Devitt não é um high-flyer comum, o seu estilo intenso confere uma competitividade e agressividade que levariam a X division a um novo patamar. Devitt é um comunicador nato, as suas mic skills são fundamentais e é um daqueles lutadores que tem uma arrogância heel natural. O potencial de storylines que alguém como Devitt cria deve ser bem aproveitado na X division.

http://www.youtube.com/watch?v=UZm1vQiIu7k

Kenta

Kenta Kobayashi é um lutador Japonês. A carreira de Kenta começa no kickboxing, sendo que em 2000 tem a sua estreia no Wrestling no All Japan Pro Wrestling.Kenta esteve poucos meses na organização, pois após uma batalha de bastidores, o então presidente despediu-se e fundou a Pro Wrestling NOAH, levando consigo Kenta. Um dos focos da nova promoção era divisão junior de pesos pesados, que se tornou na principal atração e Kenta era o campeão. Uma lesões no joelho afastou Kenta do titulo, mas a sua popularidade atingiria níveis elevados quando meses mais tarde, formou uma parceria com o seu mentor Kenta Kobashi, num stable chamado Burning. Ao longo de dois anos, Kenta menteve-se activo a solo, mas também em tag-team, vencendo diversos títulos na organização. Kenta teve então a sua oportunidade de se mostrar ao público americano. A Ring of Honor estabeleceu em 2007 uma parceria com a NOAH e alguns dos nomes mais importantes da ROH viajaram até ao Japão. Kenta teve oportunidade de lutar com Davey Richards, os Briscoe Brothers e Bryan Danielson. O joelho voltou a ser um problema para Kenta que acabou por ficar quase um ano sem combater. Kenta regressou em 2010 e com uma vitória num torneio de tag-teams, junto com Aoki, venceu Davey Richards e Eddie Edwards. Meses mais tarde, Kenta fez um heel turn e formou uma nova stable – os No Mercy que chegaram a ser campeões de tag-team diversas vezes. Kenta procurou durante os anos de 2011 e 2012 chegar ao titulo de junior heavyweight, como singular. Apesar de ter inovado ao criar uma nova manobra de submissão chamada Game Over, as lesões voltaram a interromper a sua carreira e Kenta mantém-se até hoje afastado dos ringues.Kenta passou pela Ring of Honor em 2005 e 2006 , sobretudo em combates de tag-team onde chegou a vencer Bryan Danielson e Samoa Joe. Kenta chegou a ter oportunidade de lutar pelo titulo principal da ROH, mas perdeu para Brian Danielson. Kenta voltaria à ROH em 2009 onde lutou ao lado de Tyler Black contra Nakajima e Austin Aries. A lesão de Kenta levou a que após esse combate, este se mantivesse afastado dos ringues.

A escolha de Kenta baseia-se na possibilidade da TNA abrir portas ao mercado asiático. Apesar de muito desvalorizado, a Ásia e sobretudo o Japão têm uma história muito rica no wrestling. Não só em termos de lutadores, mas até de storylines que são adaptadas com enorme sucesso ao mercado americano (um exemplo disso é a nWo na era WCW, conceito adaptado da New Japan Pro Wrestling). É um mercado com o qual a TNA muito poderia aprender e também se expandir. Pelo lutador em si, Kenta é uma referência no estilo shoot wrestling. A sua formação em kickbox permite-lhe misturar um estilo muito próprio aos seus combates de wrestling, usando muitas manobras que parecem sair de um combate de artes marciais. Aliás, Kenta é o criador do finisher Go 2 Sleep, celebrizado por CM Punk como GTS. São muitos os motivos para o ver na X division, o único senão será o problema das lesões.

http://www.youtube.com/watch?v=BuTSiGk-Hgs

Termina aqui este Top 10, com as minhas 10 escolhas para reforçar a X Division. Deixo então a questão, que outros nomes do circuito independente se poderiam juntar a estes 10?

Até ao próximo Impacto!

Sobre o Autor

- Colaborador do Wrestling.PT para os conteúdos da Total Nonstop Action!

6 Comentários

  1. joao costa - há 4 anos

    seth e o cougar . . . lol

  2. João Macedo - há 4 anos

    Pessoalmente, não acompanho o circuito independente (apenas sigo WWE e TNA), de todas as formas é um bom artigo, tal como a outra parte, em que analisaste ao pormenor cada possível nova “peça” para a X-Division.

  3. Vinícius Nunes - há 4 anos

    Bom artigo, seria muito bom se a TNA pegasse algumas desses wrestlers, a X-Divison precisa disso, atletas talentosos capazes de voos e manobras eletrizantes, e estes citados podem fazer essas coisas…

  4. O El Generico já esperava que tu o incluises nesta lista por isso é que não o inclui eu naqueles nomes que te disse na última edição. Mas surpreendeste-me com o Prince Devitt eu tinha dito esse nome é certo e tu disseste que dessa lista tinha um que estava nesta lista mas não pensava que fosse ele. Muito bom.

    • Jorge Rebelo - há 4 anos

      O Prince Devitt é um lutador incrivel, muito tecnicista, com óptimas mic skills e simplemente tem aquele carisma…é estranho ainda não ter dado o salto para a TNA ou para a WWE até porque já caminha para os 30 ou 31 anos…

      • Por acaso também acho estranho nunca se ter falado nele para ingressar tais companhias. Ou ele está lá muito bem no Japão e não aceita nada ou então as companhias não conhecem este talento.

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador