Impacto! #37 – O Estado da Arte

Com o maior PPV do ano a aproximar-se, chegou o momento de analisar o que tem sido o ano de 2012 para a TNA e assim espero conseguir dar um pequeno contributo para todos aqueles que estão dispostos a dar uma oportunidade à TNA, às portas do Bound for Glory.

A maior mudança que a TNA sofreu este ano foi nos bastidores. O polémico líder da equipa criativa – Vince Russo – deixou (finalmente, diga-se de passagem…) a TNA e Bruce Prichard assumiu a função. Juntaram-se a Prichard, os experientes Dave Lagana e Matt Conway.

A mudança sentiu-se logo após o Bound for Glory 2011. Grande parte do produto que a TNA estava a oferecer até então foi terminado e construído de novo, tendo havido várias mudanças de títulos. A maior evidência destas mudanças resultou num conjunto novo de campeões, nomes que finalmente eram associados à marca TNA como Bobby Roode, Austin Aries, Velvet Sky, Eric Young, Robbie E, AJ Styles ou Christopher Daniels.

Mas o momento que marcou a revolução girou sem qualquer dúvida em torno do Titulo Mundial e de Bobby Roode. Após James Storm ter conquistado o titulo mundial diante de Kurt Angle, num momento chocante Roode mostrou uma falta de desportivismo ao atacar o seu antigo parceiro dos Beer Money com uma garrafa. Tudo isto aconteceu durante um combate pelo titulo mundial que iria coroar Roode como campeão. Nascia aqui aquele que já é um dos mais fortes e marcantes heels da história da TNA.

O final de 2011 foi excitante para a TNA. O Impact Wrestling estava novamente fresco com novas caras a liderar a organização. Enquanto AJ Styles regressava ao main-events, Kurt Angle colocou-se como um sério candidato ao titulo principal, onde a grande feud acontecia entre James Storm e Bobby Roode.

Os primeiros meses de 2012 foram de reconstrução do produto, aliás, esse processo ainda se mantém. Prichard e companhia decidiram apostar em fórmulas antigas, mais simples, levando mais tempo a construir cada história e focando-se num grupo mais restrito de lutadores. Sem ser inovador, a TNA consegue agora captar a atenção dos fãs ao manter uma coerência e lógica nas histórias que estão a ser contadas e ao ter a paciência para as desenvolver com o tempo necessário para cativar os fãs.

Uma das ideias da nova equipa criativa foi de colocar em jogo, pelo menos uma vez por mês, os principais títulos da organização: o Titulo Mundial, o titulo da X division e da KO division. No diz respeito aos campeões, percebeu-se que a TNA os quis construir como sendo bastante fortes. Roode e Austin Aries (por exemplo) bateram records ao defender os títulos por meses a fio.

Enquanto o produto tinha lógica e significado, faltava (e talvez ainda não esteja aperfeiçoado) alguns elementos que trariam emoção a cada história. O roster não está a ser usado em todo o seu potencial, não há muitas storylines e alguns resultados pecam por previsíveis.

Contudo, a TNA aprendeu com muitos dos seus erros. Além de ter dispensado nomes que nada acrescentavam à TNA como Ric Flair e Tommy Dreamer, a organização aprendeu a usar corretamente o veteranos Hulk Hogan e Sting. Ambos assumiram cargos de General Managers e em várias promos foram responsáveis por elevar talentos originais da TNA sem lhes “roubar” protagonismo. Exemplo perfeito, quando Hulk Hogan diz a Austin Aries nas vésperas do PPV Destination X: Eu já ganhei tudo aquilo por que agora lutas, mas posso dizer que és a melhor coisa que já vi num ringue de wrestling.

Enquanto empresa a TNA apostou no mercado externo com uma tour no Reino Unido que bateu records de bilheteira, para além de se terem intensificado a troca de talentos com a AAA e a OVW. A TNA produziu ainda um programa na India denominado Ring Ka King que foi um sucesso de audiências.

No Impact Wrestling, a TNA construiu dois heels fortíssimos: Roode e Bully Ray e lançou James Storm e Austin Aries como os faces da empresa. Num emocionamente PPV – Lockdown – Roode e Storm encontraram-se para o titulo mundial, naquele que parecia ser o momento em Storm iria recuperar o titulo. Contudo, num golpe de  sorte, Roode manteve-se campeão.

Seguiram-se os melhores meses de Impact Wrestling dos últimos anos. A TNA fez regressar Hulk Hogan como General Manager, e preparou o inicio da Bound for Glory Series fazendo regressar The Pope , RVD e Mr. Anderson para o torneio. Eric Bischoff deixava os ecrãs e remeteu-se ao papel de produtor ao lado de Jason Harvey e da sua equipa.

O roster começou a ser mais diversificado, novamente graças à Bound for Glory Series, mas o conceito vencedor para a TNA foi o Open Fight Night. Uma vez por mês a TNA, permite que um lutador amador tente ganhar um contrato na organização num segmento chamado Gutcheck. Para além disso, a OFN permite que qualquer lutador possa nessa noite pedir um combate com qualquer atleta do roster e este é obrigado a aceitar.

A TNA fez um claro investimento numa espécie de “telenovela”, ao envolver AJ Styles, Dixie Carter, Kazarian e Christopher Daniels numa história centrada em torno de Claire Lynch – uma ex-toxicodependente que até à data parece estar grávida de AJ Styles.

Ao mesmo tempo, Joseph Parks apareceu na TNA como um advogado à procura do seu irmão Abyss e do responsável por quem o fez desaparecer. Estava aqui a origem da feud entre Parks e Bully Ray.

A 31 de Maio, a TNA passou a ser transmitida ao vivo e em directo. Só este “detalhe” foi suficiente para entusiasmar os fãs e todo o roster. O produto melhorou significativamente, pois toda a gente passou a estar mais concentrada e empenhada. Prichard e companhia optaram por mudar os segmentos de bastidores. Todas as promos são agora feitas de improviso.

Em termos de PPV, o Slammiversary e o Destination X foram dos melhores que se viram na TNA, não só pela qualidade dos combates, mas também pela coerência dos resultados. Estamos perto do No Surrender, onde sera conhecido o vencedor da Bound for Glory series e assim o nº1 contender ao titulo mundial. 12 lutadores disputam um lugar entre os 4 finalistas. AJ Styles, Samoa Joe, James Storm, Kurt Angle, RVD, Mr. Anderson, Pope, Robbie E, Bully Ray, Magnus, Jeff Hardy e Daniels.

A X division conheceu novas caras após uma debandada de talentos. Sairam nomes como Amazing Red, Brian Kendrick, Alex Shelley, Suicide, Shark Boy ou Jay Lethal e estrearam Zema Ion (actual campeão) e Jesse Sorensen, além da divisão ter sido reforçada com Kenny King e quem sabe se mais alguns nomes não irão assinar…

Recentemente, a TNA viu sair alguns talentos como Matt Morgan, Angelina Love e Velvet Sky. Por outro lado, Chavo Guerrero fez a sua estreia na organização, ao lado de Hernandez para já numa feud com Kid Kash e Gunner.

Há no entanto ainda alguns aspectos a melhor. Na sequência desta re-estruturação a TNA perdeu a divisão de Tag-team, ficou com uma desfalcada divisão feminina e mesmo a X division ainda precisa de estabilizar o seu roster.

A caminho do Bound for Glory, a principal storyline  neste momento envolve um grupo que tem feito ataques aleatórios a vários lutadores. O grupo conhecido como Aces and Eights, ainda não deu a conhecer o seu líder, nem as suas motivações. Os seus membros actuam mascarados e para já as suas identidades são desconhecidas.

A TNA está focada, com histórias lógicas e construídas com tempo e significado. Mantendo a direcção, só se pode esperar um futuro positivo para a organização.

Este é o estado actual da TNA, espero que sirva de motivação para quem quiser se juntar à família TNA.

Até ao próximo Impacto!

Sobre o Autor

- Colaborador do Wrestling.PT para os conteúdos da Total Nonstop Action!

21 Comentários

  1. João Macedo - há 4 anos

    Excelente artigo, gostei muito de ler.

    Ainda há poucos anos, ouvia falar de TNA, que era uma empresa de wrestling, quanto semelhante à WWE, que era (e é) um grande vício meu naquela altura.
    Então fui pesquisar um pouco sobre a TNA no YouTube e lá fui encontrando alguns vídeos e achei muitas coisas estranhas.

    Em primeiro lugar, obviamente, o ring, nunca tinha visto aquilo. Em segundo, aquele senhor mascarado dos pés à cabeça que descia por uma corda até ao ring (uns tempos depois descobri que se chamava Suicide).
    O que mais me motivou a interessar e a continuar a pesquisar sobre a TNA foi o Sting, a tal lenda da WCW. Vi ainda alguns combates dele e, obviamente, foram também aparecendo alguns vídeos de comparação entre WWE e TNA, falavam em Sting vs. Undertaker, Abyss vs. Kane, AJ Styles vs. Cena, entre muitos outros.

    Uns meses depois, estava a procurar algo para ver na TV e vi a TNA a dar na Sport TV, então deixei estar e isto foi há não muitos meses.

    Na altura, lembra-me que o Angle era heel e o Roode (pelo que parece, vencedor da Bound For Glory Series) iria enfrentá-lo…Depois voltei a largar a TNA, só soube uns dias depois que o Roode tinha perdido o combate.

    E pronto, assim foi, em Fevereiro descobri este site e o PPV que mais gostei da TNA até então foi o LockDown, em que o Storm iria vencer o título mundial, “supostamente”. Mas nada disso aconteceu e Roode continuou como campeão heel. Nessa altura, em Abril, via todas as edições do iMPACT à risca, estava mesmo por dentro do assunto.

    Com o passar dos meses, lá fui caindo outra vez, sendo que nas últimas semanas nem tenho visto os iMPACT’s completos, apenas vejo 1/2 combates e os resultados, para não ficar completamente desnorteado.

    Vamos lá ver se o “vício” volta para o Bound for Glory!

    Até à próxima edição.

    • Jorge Rebelo - há 4 anos

      João Bem-vindo à familia TNA e convido-te a assistires ao Bound for Glory dia 14 de Outubro, é um evento que promete.

  2. Frederico_WWE - há 4 anos

    Tal como a WWE eu também já vejo a TNA há muitos anos só que a WWE foi sempre com regularidade e a TNA nem tanto… no Eurosport começei a ver e desde aí o AJ Styles e o Abyss eram os meus preferidos e o Jeff Jarrett e o Sting têm sido referências da TNA sempre.
    Combates como o Steel Asylum e o Monster’s Ball por serem conceitos diferentes cativaram e a inclusão de grandes WWE Superstars do passado como: Kurt Angle, Jeff Hardy, Christian Cage, Kevin Nash, Mick Foley, Booker T, Bully Ray e Devon, Rob Van Dam, Pope, Matt Morgan, Hulk Hogan, Mr. Anderson, e ainda o Tazz a Tara ou a Mickie James contribuiram e de que maneira para ganhar gosto ao produto… no entanto continuava a não ser assiduo e de há uns meses para cá as coisas realmente têm sido bem feitas que até dá gosto de ver!

    Dizer apenas que como nem tudo é perfeito há pormenores que faltam há TNA:
    A qualidade do roster é tal que é suficiente para termos um show semanal de 3 horas e assim titulos como Knockouts Tag Team Championship, World Tag Team Championship, Television e o próprio X Division que já teve melhores dias podiam ter ainda mais destaque mas também é verdade que com o Bound for Glory os combates por pontos impedem um pouco que algumas possiveis feuds interessantes por esses mesmos titulos avançem…

  3. Vinícius Nunes - há 4 anos

    Comecei a ver a TNA no Sacrifice desse ano, graças a esse site… e desde então tenho gostado muito e pesquisado sobre os lutadores e sobre a empresa, hoje eu gosto mais da TNA do que na WWE, apesar que os últimos 3 Impacts achei meio que descendo o nível, mas mesmo assim ainda prefiro a TNA, parece um pouco a WWE nos tempos antigos… e não essa coisa para crianças… vejo mais por alguns caras que gosto como: The Miz, CM Punk, Daniel Bryan, Dolph Ziggler, John Cena, Mark Henry, Randy Orton, Damien Sandow e Chris Jericho ( que vai sair…), mas não com tanta empolgação como a TNA, que tem melhorado várias coisas, piorado umas, mas espero que continue a evoluir e que venha o final da Series e a Bound For Glory ( o maior PPV de todos).

    Grande artigo Jorge, e que venha o No Surrender…

  4. The Charismatic Enigma - há 4 anos

    Fabuloso Artigo Jorge Rebelo, o Impacto! é o melhor artigo que ja li dedicado a TNA. Não tem como discordar do seu artigo, e o modo como você nos apresenta a saber mais sobre a empresa, é excelente. Parabéns, e como fã da TNA, espero que ela melhore bastante, principalmente a X-Division, que é uma das coisas que mais gosto na TNA desde sempre. Acho que ela está bem desfalcada.

    • The Charismatic Enigma - há 4 anos

      Tenho uma pergunta pra fazer e alguém por favor me responda, Aqui no WPT vocês transmitem os Shows ao vivo por alguma Stream aqui pelo site ou vocês só passam o resumo do que aconteceu nos shows ? Isso serve para os PPV’S Também, WWE/TNA, alguém pode me responder? E se transmitem, em que lugar aqui do site ? Porque procurei e não achei nada sobre..

      • danielLP21 - há 4 anos

        Sim o WPT tem stream para todas as Raw’s,iMPACT’s e PPV’s da WWE e da TNA,e até para a SmackDown! quando é em directo.

      • The Charismatic Enigma - há 4 anos

        Muito obrigao Daniel, vou assistir por aqui agora, mais uma pergunta se poder responder, aqui no WPT tem algum chat ?

      • Sempre que o WPT disponibiliza stream também disponibiliza chat só nesses dias.

      • danielLP21 - há 4 anos

        Sim o WPT tem stream para todas as Raw’s,iMPACT’s e PPV’s da WWE e da TNA,e até da SmackDown! quando dá em directo.

      • João Macedo - há 4 anos

        A Raw, iMPACT Wrestling e PPV’s são transmitidos aqui no site. Quando as SmackDown’s são em directo, acontece o mesmo.

        Para veres, basta clicares no aviso que costuma aparecer lá em cima (“Hoje há evento X às X horas), na hora em que o show estiver para começar e pronto.

      • The Charismatic Enigma - há 4 anos

        Obrigado João Macedo, vou acompanhar por aqui agora.

  5. LHZF - há 4 anos

    Vejo TNA desde de 2008, quando descobri a mesma, e a qualidade tem melhorado muito desde aqueles tempos.

    Naquele tempo tinha Christian Cage, Scott Steiner, Daniels(como Curry Man), Main Event Mafia, LAX, Rhino, Booker T, começo dos Beer Money eram tempos bons, mas nem se compara com os dias atuais.

  6. danielLP21 - há 4 anos

    Excelente artigo Jorge,já é normal vindo de ti mas o desta semana mostra mesmo muita paixão. Quase que aposto que enquanto o estavas a escrever tinhas os olhos a brilhar.

    Eu acompanhava a TNA em 2006 (acho que era isso) quando dava na Eurosport e fiquei fascinado com o ringue hexagonal,mas depois deixei de acompanhar. Na altura adorava o Samoa Joe,o Christian Cage e o AJ Styles e desde que voltei a acompanhar a TNA (este ano) estou a gostar cada vez mais e gostava de saber como vou fazer quando estiver na faculdade para acompanhar TNA e WWE… Espero não ter que escolher entre uma delas,tenho que gerir o tempo.

    Prevejo um futuro muito bom para a TNA,tem tido muitas melhorias e ainda há algumas coisas para melhorar,mas estão num bom caminho!

    • Jorge Rebelo - há 4 anos

      daniel é complicado de facto conciliar os shows com a faculdade. Já o tive de fazer e hoje em dia é ainda mais compplicado quando se tem uma vida pessoal e profissional. Mas como qualquer gosto que se tem, há sempre forma de o fazer e já diz o povo que quem corre por gosto não cansa.

      Boa sorte com os estudos assim que recomeçarem e espero que continues a contribuir aqui no WPT e sobretudo aqui na familia TNA.

  7. LikEaBosS - há 4 anos

    Eu vejo tna a pouco tempo para ai 1 mês! e adorei!!! Tna niguem me tira da cabeça mais!

  8. VinceYESYES - há 4 anos

    Excelente artigo !!

    Muito resumidamente, tenho acompanhado a TNA à já bastante tenho
    adorado a TNA, sinto que está a evoluir imenso tanto em PPV’s como nos shows semanais, prevejo se esta evolução continuar e a qualidade se mantiver ou continuar a subir, um grande futuro para a TNA.

    E sei que não é o tema mas se me dessem a escolher entre TNA e WWE de momento, não iria hesitar em escolher a TNA.

  9. Flash2012 - há 4 anos

    Sou um maior fa da WWE do que da TNA.Mas em 2009 houve ali um ano em que acompanhei um pouco da tna (acho que foi na altura da feud aj styles vs daniels) pelo que vi da Tna gostei mais do wresstling que as superstars praticam na TNA do que na wwe.

  10. Flash2012 - há 4 anos

    Podem dizer me em que dias e horas é que a TNA da em portugal na sport tv?sff

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador