Existem 2 vagas na Equipa do Wrestling PT para publicar notícias. Candidata-te!

Impacto! #58 – Recapitulando

Esta edição do impacto tem um conceito muito simples por detrás e está mais direccionado para todos os que querem assistir à TNA com regularidade ou ficar mais confortáveis com toda a acção. A ideia é apresentar todas as histórias que neste momento estão a decorrer, dando algum enquadramento e a minha opinião sobre cada uma delas.

World Heavyweight Championship

Vamos começar pelo titulo principal. Austin Aries era até Outubro o campeão mundial da TNA. Graças a uma vitória na Bound For Glory Series (um torneio com 12 lutadores que competem entre si e com inicio marcado em Junho culminando no PPV No Surrender em Setembro) e consequente uma oportunidade de lutar pelo TNA World Heavyweight title, Jeff Hardy conquistou o titulo em Outubro no maior PPV do ano – Bound For Glory. Nas véspera deste PPV, Aries completou o seu heel turn assumindo-se como o vilão, que iria defender o titulo contra o herói Jeff Hardy. No PPV seguinte – Turning Point, Hardy conseguiria defender o titulo novamente contra Aries num ladder match, enquanto ficava a saber que James Storm, ganhava um title shot, graças a uma vitória num triple threat-match, contra Bobby Roode e AJ Styles (que por sofrer o pin fica impedido de lutar pelo titulo mundial durante 1 ano). No impact wrestling após o Turning Point, Roode conseguiu enganar Storm, forçando-o a pedir um último combate. A condição para Roode lhe dar esse combate era de Storm colocar o title shot em jogo e este aceitou. Nessa mesma noite, Bobby Roode venceu James Storm para se sagrar o novo #1 contender.

Joey Ryan/Matt Morgan

A TNA exibe mensalmente no Impact Wrestling um segment chamado TNA Gut Check, onde lutadores independentes têm a oportunidade de lutar por um contrato na TNA, sendo avaliados por um grupo de 3 jurados. Ryan foi um desses concorrentes e a sua prestação não convenceu o júri, apesar de numa votação levada a cabo no site oficial da TNA, 87% das pessoas terem votado a favor de Ryan. Durante meses Ryan invadiu a Impact Zone e deixou mensagens indignadas nas redes sociais, reclamando o seu contrato. Al Snow (um dos jurados) deu a Ryan uma oportunidade de ganhar esse contrato se o vencesse no Bound For Glory. O combate acabou por receber uma interferência inesperada. Matt Morgan, que esteve meses ausente da TNA, supostamente por ter terminado o seu contrato, aparece e ataca Snow. Ryan capitalizou e venceu o combate. Desde então, Ryan e Morgan têm sido inseparáveis e enquanto Ryan tem os olhos no titulo da X Division, Morgan por diversas vezes ameaçou Hulk Hogan e claramente está a querer um combate pelo titulo mundial, arrancado a ferros.

Aces and Eights

Esta é a principal história a decorrer neste momento. Os Aces and Eights são uma stable inspirada nos gangs de motoqueiros. O grupo mostrou-se pela primeiras em Junho, ao atacar Sting quando este fazia o seu discurso de agradecimento por saber que seria o primeiro induzido no TNA Hall of Fame. O grupo tem feito um esforço tremendo para esconder a identidade dos seus membros, quantos são e quais as suas intenções. Ao longo dos meses, os Aces and 8s têm atacado vários membros do roster da TNA, chegando mesmo a raptar Joseph Parks. A condição para o libertar seria se Hogan e Sting organizassem um tag-team match contra o grupo no Bound For Glory. Em caso de vitória, os Aces ganhavam acesso livre à Impact Zone.  No BFG, 2 membros mascarados defrontaram Bully Ray e Sting e acabaram por sair vitoriosos graças à acção do primeiro membro a ser desmacarado – Devon. Devon esteve semanas longe da TNA, supostamente sem contrato e reapareceu como membro dos Aces. Recentemente, um segundo membro viu a sua identidade revelada – DOC (Director Of Chaos) – que na WWE ficou conhecido como Luke Gallows ou Isaiah Cash no TNA Ring Ka King. Até agora, pouco mais se sabe sobre o grupo, sendo ainda muita a especulação sobre lideres e objectivos. A verdade é que os Aces continuam a escolher (aparentemente de forma aleatória) membros do roster da TNA.

Joseph Parks

Parks surgiu na TNA apresentando-se como advogado e irmão de Abyss (há muito ausente da TNA). Depois de uma feud com Bully Ray, Parks viu-se envolvido na história dos Aces and Eights. Parks é um personagem supostamente não-lutador, mas no último PPV – Turning Point, Parks pediu a Hogan um combate contra os Aces e acabou mesmo por lutar e perder contra DOC. O interessante no personagem de Parks é que este se parece transformar quando vê o seu próprio sangue ou quando perde o controlo psicológico num combate. Essa transformação leva-o a assumir os moves do irmão Abyss.

Bully Ray

Ao longo do ano Bully Ray foi um dos heels mais temidos do roster, mas as sucessivas agressões que foi alvo por parte dos Aces and 8s levaram-no a ajudar Sting no combate contra os Aces (no BFG). Desde esse momento Ray tornou-se um face assumido. Actualmente, além da sua preocupação com os Aces and Eights, Ray foi diversas vezes apanhado nos bastidores em conversas algo codificadas com Brooke Hogan (filha de Hulk Hogan e Executiva para a divisão feminina da TNA). Por agora, ainda não se conhece mais desenvolvimentos desta história, mas presumo que será dado a entender que há algum tipo de relação amorosa entre ambos. Contudo, o que Brooke ou Ray irão ganhar com isso é algo que teremos que esperar para ver. Desde já posso dizer que não sou fã de histórias românticas em wrestling. Que me lembro não conheço nenhuma que me tivesse agradado ou que dai resultasse em algo positivo.

AJ Styles

O “Mr. TNA”, o fenomenal AJ Styles voltou recentemente a ter uma oportunidade de lutar pelo titulo mundial. No PPV Turning Point, AJ Styles defrontou Bobby Roode e James Storm num #1 contender’s match. Contudo o resultado foi terrivel para Styles. O combate tinha a estipulação de que quem perdesse (quem sofresse o pin ou quem desistisse – tap-out) iria ficar afastado de combates pelo titulo mundial durante 1 ano. Styles acabou por perder para James Storm e logo após o combate era possível ver um AJ destroçado nos bastidores. Styles apareceu nas últimas semanas nervoso, rancoroso. Chamou ao ringue Kazarian e Daniels e ameaçou uma dupla, que no últimos meses tentou sabotar Styles, mas que pareciam ter enterrado as suas diferenças. Se o combate entre Styles e Daniels no Final Resolution será apenas uma re-edição de um combate que já aconteceu dezenas de vezes e tem sempre enorme qualidade, claramente a TNA está a preparar terreno para uma mudança no comportamento de Styles. O que está a ser construída é uma imagem de um Phenomenal One que sente a ingratidão e a injustiça de estar longe do principal titulo da companhia, de alguém a quem a TNA tudo deve e nada perdoa. Esta é uma oportunidade de ouro para a TNA – se a empresa conseguir que o seu maior talento original perca sucessivamente pode construir uma história muito interessante, que mude por completo o próprio gimmick de AJ. O caminho para já parece ditar que AJ quer mostrar o seu valor e está a reacender rivalidades passadas.

X Division

A X Division é um conceito original da TNA, que a apelidou de “Wrestling Reinvented” ou seja Wrestling Reinventado. Uma divisão em que as manobras  acrobáticas e de alto-risco estão nos seus genes. Desde o último Bound For Glory, que Rob Van Dam é o campeão da divisão. Durantes largos meses, Zema Ion reinou sem contestação, arrasando a concorrência e chegando a causar a lesão de alguns lutadores. Quando este parecia não ter adversário para defrontar no BFG, RVD respondeu ao desafio e conseguiu mesmo o titulo. De momento, Zema Ion, Kenny King e Kid Kash são os mais frequentes candidatos ao titulo de RVD que foi igualmente ameaçado por Joey Ryan e Sonjay Dutt. A divisão está algo desfalcada, mas é de prever em breve algumas mudanças, incluindo algumas estreias.

Knockouts Division

A divisão feminina da TNA é sempre elogiada e uma das jóias da coroa da organização. Com combates equilibrados, histórias coerentes e tempo de destaque, a divisão é respeitada a nível global e actualmente é Tara que detém o seu titulo principal. Tara tem sido acompanhada nos seus combates pelo namorado Jesse Godderz, que lhe tem concedido alguma vantagem sobre as adversárias. Mas as babyfaces Mickie James, Miss Tessmacher e a regressada Velvet Sky estão na lista para atacar o principal titulo. A divisão conta ainda com as heels Gail Kim, Madison Rayne, Sarita e Rosita (as últimas três há alguns meses afastadas da televisão por causa de projectos pessoais). A divisão tem a sua própria General Manager – Brooke Hogan e a sua árbitra Taryn Terrell. Em termos de história, Velvet Sky e Mikie James regressam recentemente à televisão e estão a colocar-se na rota do titulo de Tara, que se mantém solidamente como campeã da KO Division. A divisão tem ainda um titulo de tag-team, que está em claro momento de reforma, muito perto da sua extinção.

Tag-Team Division

Depois de vários meses como campeões de Tag-team, os The World Tag-Team Champions Of The World – Kazarian e Christopher Daniels perderam os títulos no Bound For Glory para a dupla latina Chavo Guerrero e Hernandez. A divisão de tag-team está actualmente muito desfalcada e apesar de os combates de defesa dos títulos se sucederem a cada PPV, as únicas equipas permanentes são Kaz e Daniels (os Bad Influence) e os actuais campeões Chavo e Hernandez. Outras duplas são construídas para temporariamente tentarem chegar ao titulo, mas têm tido pouca duração (exemplo disso são Matt Morgan/Joey Ryan; AJ Styles/Kurt Angle ou Kid Kash e Gunner). Claramente a divisão de Tag-Team é a que mais urgentemente precisa de ser repensada e de receber alguns talentos novos.

Penso que ficam aqui alguns dos principais argumentos para compreender o estado actual da TNA. Fica igualmente o convite a todos para darem uma oportunidade e já esta Quinta-feira assistam ao Impact Wrestling.

Até ao próximo Impacto!

Sobre o Autor

- Colaborador do Wrestling.PT para os conteúdos da Total Nonstop Action!

12 Comentários

  1. Sharpshooter - há 4 anos

    Otimo artigo Jorge

  2. Vinícius Nunes - há 4 anos

    O espaço mais didático do wrestling.pt foi mais uma vez muito legal, confesso que se não assistisse a TNA, iria começar a assistir agora, mais uma vez, ótimo trabalho do Jorge Rebelo e do wpt, estão mesmo de parabéns, nunca vi um site de língua portuguesa, tratar tão bem da TNA, que esse ano teve um ano estupendo e merece todo o destaque.

  3. Sin Nick - há 4 anos

    E realmente um bom show, eu acompanharia se tivesse tempo

  4. Opportunist - há 4 anos

    Belo artigo Jorge gostei da sua recaptulacao das storylines atuais e tambem gostei do grande destaque que a TNA recebeu desse site pois para mim foi a melhor empresa de wrestling desse ano de 2012.Parabens pelos artigos desse ano.

    • Jorge Rebelo - há 4 anos

      Obrigado Opportunist e espero continuar a contribuir para que quem goste da TNA possa encontrar aqui no Wrestling.PT um fonte segura, interessante e actual de conteúdos em língua portuguesa.

  5. Vince It Factor - há 4 anos

    Excelente artigo Jorge, como é habitual ou não seria por nada que este não é o meu espaço favorito no site :)

    Em suma abordas-te todos os temas da atualidade da TNA e faço aqui também eu o apelo a quem ainda não assitiu à TNA, que o faça e com olhos de ver pois a companhia está num excelente momento e não há como não gostar !

    Muitos parabéns Jorge !

    • Jorge Rebelo - há 4 anos

      Obrigado Vince e esperemos que o próximo ano seja no minimo tão bom quanto este para a TNA. Aqui no W.PT a familia TNA tem crescido muito lentamente, mas acredito que opta por dar uma verdadeira oportunidade à TNA não sai desiludido.

      Mudar hábitos é sempre dificil e mudar de algo que dominamos para algo desconhecido é ainda mais, mas é mesmo por essa razão que procuramos dar a conhecer o que a TNA faz de melhor, o que tem de original e o que é preciso saber para quem quiser começar a assistir.

      • José Sousa - há 4 anos

        Sem dúvida até podem querer ver os dois produtos, mas nunca ficarão desiludidos com o trabalho da TNA, que tem sido muito bom entao este ano foi muito bom. Mas olha que a familia tem crescido pelo menos tens mais pessoas que veem os dois produtos Jorge. Eu sou um desses casos mas existem mais e olha que as votaçoes nos prémios comprovam isso. E ainda bem.

      • Jorge Rebelo - há 4 anos

        Espero que nunca interpretem este meu entusiasmo com a TNA como um pedido “deixem de ver WWE e vejam a TNA”, muito menos como algo do género “a TNA é melhor que a WWE”. Penso que os fãs de wrestling gostam da modalidade, independemente de ela ter o rótulo A ou B. É precisamente para que gosta de wrestling que eu me dirijo – vale a pena dar a oportunidade a outras promoções e outros produtos, para além daquele que nos habituamos a ver no último ano, ou nos últimos 2, 5, 10 anos.

      • José Sousa - há 4 anos

        Eu sei Jorge nem eu entendi dessa forma. Claro eu dei a hipotese á TNA e ROH desde 2008 e não me arrependo em nada pelo contrário. Todos nós começamos pela WWE, agora se queremos ficar só por lá, ou deixar e passar para outras, ou conciliar com mais é a nossa opção.

        Na minha perspectiva eu vejo Wrestling como vejo séries: eu vejo o Dexter, mas também vejo o Mad Man e o Teria do Big Bang. Sõa produtos piores? não apenas diferentes. Faz-nos bem conhecer a diversidade e no wrestling isso também se aplica nao podemos ficar presos somente á WWE podemos alargar o gosto a outras mantendo onde começamos.

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador