Existem 2 vagas na Equipa do Wrestling PT para publicar notícias. Contacta-nos!

Impacto! #59 – Uma prenda no sapatinho!

O ano de 2012 está praticamente a chegar ao seu fim e numa das últimas edições deste ano do Impacto (se não mesmo a última) trago-vos os meus desejos para a TNA em 2013.

Sem qualquer ordem particular de preferência, decidi colocar algumas ideias no sapatinho e quem sabe se 2013 não nos irá presentear com algumas novidades muito interessantes. A Total Nonstop Action teve um ano extremamente positivo em 2012, e estas são as minhas sugestões para um ainda melhor 2013:

X-Division

A X Division é para mim um elemento totalmente diferenciador da TNA. É o que distingue o produto que a TNA oferece, de tudo o resto. Uma divisão criada sob o lema “It’s not about weight limits, it’s about no limits!” (não tem a haver com o limite de peso, tem a haver com o não existir limites!). A divisão foi criada para evitar a existência do tradicional titulo cruiserweight. Em vez do foco estar no peso dos lutadores, passou a estar nas manobras arrojadas e acrobáticas que estes eram capazes de executar. 2012 viu três reinados nesta divisão – Austin Aries, Zema Ion e Rob Van Dam. Em 2013 a TNA precisa de focar-se mais nesta divisão. Para isso precisa de 2 elementos muito importantes: um conjunto de lutadores estáveis e dedicados a ganhar o titulo da X Division e rivalidades construídas e com significado. Salvo raríssimas exepções, todos os combates da X Division em 2012 foram agendados “em cima do joelho”, regra geral com um combate para determinar o candidato principal ao titulo na semana anterior a um PPV e com um combate pelo titulo no PPV. Este tipo de lógica de luta pelo titulo, sem qualquer tipo de construção dos personagens dos lutadores não funciona para mim. As rivalidades têm que fazer sentido e como tal, em 2013 gostaria de ver Jesse Sorensen a regressar à TNA para vingar a sua lesão causada por Zema Ion e espero que Kenny King se desenvolva como o presunçoso heel que aparenta ser. Espero ainda que Christian York e Joey Ryan se dediquem à divisão, que poderá ainda conta com os vencedores do Gut Chrck Sam Shaw e Alex Silva. Claramente que a divisão está hoje desfalcada e na minha opnião prefiro ver Kid Kash e Chris Sabin a juntaram-se a Gunner e Alex Shelley respectivamente, na divisão de tag-team. Não é segredo para ninguém que defendo há muito a saída de RVD da TNA. A X Division é a divisão perfeita para a estreia ou regresso de atletas, que devem permanecer e ter tempo de TV – falo de casos como Brian Kendrick, TJ Perkins, Petey Williams, Adam Cole, Prince Devitt, Kenta, Aero Star, Low Ki, Jack Evans, etc etc. A TNA precisa de trazer sangue novo a esta divisão e não apenas por uma noite. Precisa de construir o futuro da organização e a X Division é um excelente trampolim para o titulo mundial, como provado pelos casos de AJ Styles, Samoa Joe e mais recentemente Austin Aries.

Tag-Team

A divisão de Tag-team é a que mais problemas levanta para mim, actualmente. A divisão está claramente desfalcada com apenas duas duplas legitimamente a lutar pelo titulo – os Bad Influence e a duple Chavo/Hernandez. Uma forma rápida de reforçar esta divisão era recorrendo à parceria Kid Kash/Gunner, mas esta dupla teria que encontrar um nome de equipa que a legitimasse. Mas claro, que a TNA vai ter de ir ao “mercado” para reforçar a divisão e ficam aqui as minhas sugestões – as mais óbvias são o regresso de Alex Shelley juntado-se a Chris Sabin nos MotorCity  MachineGuns. Também no capitulo do regresso, os Generation ME e uma dupla gimmick formada por Suicide e Shark Boy seria interessante. Olhando para a OVW – território de desenvolvimento da TNA – os Gut Checkers Alex Silva e Sam Shaw são os campeões de Tag-team daquela organização e opção para reforçar a TNA, juntamente com a dupla Wayne/Coleman. Por último, da ROH os Briscoe Brothers tardam em dar o salto para a TNA.

Knockouts Division

A divisão feminina não precisa de grandes alterações. 2012 foi um ano com algumas baixas, entre elas Winter, Angelina Love e temporariamente Velvet Sky. Mas neste momento, com Tara, Gail Kim, Mickie James, Sky, Tessmacher, ODB, Sarita, Madison Rayne e Taylor Hendrix, bastará à TNA apostar em mais um dois talentos (quem sabe nas Blossom Twins e na Alpha Female) para reforçar a divisão. O resto é dar tempo a estas atletas para desenvolverem as suas rivalidades.

Títulos

A TNA precisa de rever os seus títulos. Em particular sugiro duas mudanças: a mais urgente na divisão feminina – os titulo de tag-team das Knockouts simplesmente deve ser extinto. É um titulo que nunca teve credibilidade e tendo em conta o pouco tempo que a TNA tem por semana para apresentar e desenvolver todas as histórias, não faz sentido preencher esse tempo com um titulo que só é disputado aleatoriamente em PPVs. A segunda mudança tem a haver com o TV Title. Se é verdade que os reinados de Devon e Samoa Joe trouxeram alguma credibilidade a um titulo que parecia irrecuperável, a verdade é que acredito que um novo conceito poderia ajudar a TNA a consolidar-se e ao mesmo tempo daria uma boa história aos lutadores mid-card da organização, podendo até servir como entrada de novos talentos. Fica a ideia para 2013, de o TV Title ser extinto e em vez disso a TNA poderia trazer de volta a World X Cup. Basicamente um conjunto de atletas seriam recrutados para defender as cores dos seus países e lutavam pela Taça de campeões. Era uma excelente oportunidade de a TNA usar inclusive talentos oriundos de países tão diferentes como México, Japão, India, Inglaterra, Irlanda, Alemanha…e porque não Portugal e Brasil? Fica a sugestão.

Entradas

Além dos nomes que referi anteriormente, há um conjunto de atletas que gostaria de ver em 2013 com as cores da TNA, entre eles Kevin Steen, Brian Cage, Jay Bradley, Cliff Compton, Colt Cabana, Tommaso Ciampa, El Generico, Chuck Taylor e John Morrisson são alguns nomes que podem acrescentar muito valor à TNA. Devo ainda dizer que espero o regresso de Crimson à TNA.

Saídas

Se há entradas, precisam igualmente de haver saídas. Garett Bischoff apesar de esforçado é um nome a mais no roster da TNA. Outro lutador que me parece que está na hora de abandonar a TNA é RVD que pouco acrescenta ao que a TNA está a desenvolver. Nas Knockouts, Rosita também está claramente a mais.

iMPACT Wrestling

A grande mudança para 2013 no show semanal da TNA é que este deixe em definitivo a Impact Zone. Claramente, este estúdio localizado na Universal Studios em Orlando, Flórida, tem apenas capacidade para 2 mil pessoas, que na sua maioria são visitantes do parque de diversões. O grande constrangimento é que se percebe claramente que independente da TNA oferecer um bom combate ou uma boa promo, o público simplesmente não reage como deveria – não identifica quem são os bons e os maus e até arrisco dizer que parecem nem sequer saber ao que vêm. 2012 mostrou que os shows na estrada têm um ambiente totalmente diferente e esse investimento é muito importante para o crescimento na TNA. Se a TNA já conquistou a transmissão do Impact Wrestling em directo e ao vivo, o próximo passo é colocar o show na estrada.

Pay-Per-Views

Terei a oportunidade de falar mais alongadamente deste assunto noutra edição do Impacto, mas desde há alguns anos a esta data que várias personalidades dentro da TNA defendem a redução do número de PPVS – desde Dixie Carter a Hulk Hogan, Eric Bischoff e James Storm. Esta redução permite que nenhuma história seja acelarada só para ter um combate num PPV. Além disso, inevitavelmente muitos PPVs têm combates sem qualquer construção, ou seja, apenas preenchem o cartaz desse PPV, geralmente em modo de defesa de um titulo. A ideia de ter mais tempo entre PPVs deixa certamente espaço a que as histórias sejam contadas com muito mais calma, mas a responsabilidade também é maior na execução de cada PPV. A minha sugestão para 2013 é que o número de PPVs seja reduzido, com o objectivo final de passar dos 12 PPVs actuais para 6 (na minha opinião – Lockdown, Slammiversary, Bound For Glory, Destination X, Hardcore Justice e Final Resolution).

Xplosion

Para mim em 2013, espero que o Xplosion possa ser transmitido na Spike TV, dando à TNA mais uma ou duas horas de programação por semana. Esse programa adicional, daria mais tempo para que todos os lutadores estivessem em competição, com histórias relevantes, dando espaço para desenvolver cada personagem e cada rivalidade. Desta forma, o Xplosion tornar-se-ia a segunda marca TNA.

Novos conteúdos

2012 foi um ano cheio de novidades no Impact Wrestling. A TNA estreou a Open Fight Night, o Championship Thursday e trouxe para a televisão uma versão dos seus tryouts – o TNA Gut Check.  Outra ideia não são propriamente conteúdos novos, mas sim o regresso de segmentos já não usados há algum tempo. Exemplos disso, são os gimmick matches – Monster’s Ball, King of the Mountain, Ultimate X Match, Elevation X e Blindfold Match.

Melhorias

Em termos de melhorias no que a TNA está actualmente a fazer, o segmento Championship Thursday pode ter algumas afinações, por exemplo, em vez de termos 4 lutadores a argumentar junto do General manager porque merecem um Title shot, preferia que a TNA desenvolvesse um sistema de votação online, em que fosse o público a fazer essa escolha. O TNA Gut Check é um segmento muito interessante, mas a TNA tem que encontrar uma forma de dar ao público uma razão para apoiar aquele lutador e mantê-lo relativamente activo no roster da TNA para que o público não se esqueça dele. Talvez realizando esse segmento de dois em dois meses, mostrando com antecedência quem será o atleta a receber o tryout e caso consiga ficar no roster da TNA, é importante que se vá mostrando algumas imagens do seu treino na OVW.

Storylines

Começo pelos Aces and 8s e repito o que tive oportunidade de afirmar numa edição do Perguntas e Respostas: a TNA poderia criar um grupo que se mantivesse activo ao longo dos anos e penso que poderia funcionar sem se tornar cansativo. Tudo passaria por uma história bem contada. Os Aces podem ser um grupo que estão sempre abertos a receber novos “prospects” ou seja lutadores que terão que mostrar o seu valor para fazerem parte do grupo. Não vejo problema em que hajam lutadores que abandonem o grupo (e por exemplo fiquem na TNA como lutadores regulares) e logo temos várias histórias que podem conduzir a isso mesmo, desde traições, a incompetência…Aliás essas saídas até podem ser usadas em storylines que deixem a dúvida sobre quem é leal a quem. Mais, os Aces podem lutar pelos títulos ou não, podem igualmente apenas querer controlar a TNA. No caso do roster da TNA ameaçar destruir os Aces, tal como acontece com a série de TV, podemos ter a participação de outros “gangs”. Imaginem uma espécie de filial de Aces and 8s mas vindos do México e aí teríamos os talentos da AAA a juntarem-se aos Aces para defrontar a equipa TNA. Em determinadas alturas os Aces têm até condições para aceitar ajudar a TNA ou o Hulk Hogan e serem temporariamente faces. O próprio grupo pode ter as suas histórias internas, lutas pelo poder, intrigas resolvidas dentro do ringue. Eu vejo imenso potencial no que a TNA pode fazer com este grupo e penso que funcionaria. Se a TNA voltar a pegar em mais alguma história ao estilo invasão que seja uma luta entre empresas – TNA vs OVW, TNA vs AAA ou a melhor das hipóteses TNA vs ROH. Em termos dos atletas, espero que 2013 seja um ano muito positivo para Bobby Roode e Austin Aries. Que Bully Ray e Magnus venham a estar na rota do título mundial e que Matt Morgan continue a afirmar-se finalmente como um potencial main-eventer. Queria ver ainda algumas feuds relevantes na X-division e que AJ Styles e Samoa Joe voltem a estar em pleno destaque.

World Tour

Por último, fica este desejo que a World Tour da TNA possa efectivamente passar por Portugal em 2013. http://youtu.be/Ke5_GvpeLq4

Foi um ano óptimo para a TNA e devo dizer que foi ano igualmente positivo para a família TNA aqui no WPT. Sinto que estamos em crescimento e que há cada vez mais leitores a par do que se vai passando no Impact Wrestling e interessandos comentar os shows, em participar no chat e em deixar as questões que têm sobre tudo o que a TNA tem vindo a fazer. Da minha parte só posso agradecer a todos os que activamente têm vindo a contribuir de forma decisiva para que os conteúdos TNA sejam importantes aqui no WPT. Sem a vossa colaboração, nunca teria sido possível desenvolver estas edições do Impacto, mais os reports semanais, reports dos PPVs, edições especiais do Perguntas e Respostas, noticias sempre actuais e credíveis e em breve algumas edições do Match of The Week dedicadas também à TNA. Obrigado a todos!

Uma questão, o que gostavam de ver desenvolvido aqui no Impacto e que pudesse contar também com a vossa opinião/colaboração?

Desejo-vos Boas Festas e que o 2013 chegue com Impacto!

Sobre o Autor

- Colaborador do Wrestling.PT para os conteúdos da Total Nonstop Action!

21 Comentários

  1. danielLP21 - há 4 anos

    Óptimo a artigo a fechar (?) 2012!

    X-Division: Nada a acrescentar. Esta é uma das marcas TNA ( senão mesmo a principal) e há que voltar a apostar seriamente na divisão. Jesse Sorensen, Kenny King e Brian Kendrick são nomes que eu gostaria de ver a brilhar na X-Division em 2013.

    Tag Team: Para além das ideias que tu propões eu acrescentaria ainda uma ou duas uniões entre lutadores que estejam mais ou menos perdidos no card. Um exemplo? Mr.Anderson, apesar de eu achar difícil que ele renove o seu contrato… Não nos podemos esqucer também que os Aces and Eights podem ter uma ou duas equipas a representá-los nesta divisão.

    Knockouts Division: Sinceramente, não vejo grandes problemas nesta divisão. Miss Tessmacher, Tara, Mickie James, ODB, Madison Rayne, Velvet Sky, Gail Kim, Taylor Hendrix… Uma entrada ou outra durante o ano e o assunto fica resolvido. Eu nem me lembrava da Sarita e da Rosita. Então tu gostarias que uma delas ficasse e a outra saísse da companhia? Seja como for, esta divisão está, em princípio, mais que segura.

    Títulos: Portugueses a lutarem na World X Cup? Gosto! Agora mais a sério, não há dúvidas de que o KO’s Tag Team Championship tem que acabar. Não faz sentido nenhum. Em relação ao TV Title, não sei. Há algum tempo atrás, defendia que a TNA lhe pusesse um fim. Agora, até nem me importo que continue a existir. Desde que a TNA continue a dar-lhe importância, óptimo.

    Entradas: Se contarmos com os Aces and Eights, aqui estão algumas que eu queria ver: Mike Knox ( praticamente certo), Chris Masters ( estes dois fazendo parte do grupo) e, fora do grupo, Brian Kendrick, Colt Cabana, Jay Bradley e Kevin Steen. Principalmente estes. Ah, e o regresso do Crimson, claro!

    Saídas: A minha prioridade neste aspecto: Rob Van Dam. Preferia que ficasse o Garrett Bischoff, só para veres o quanto eu suporto a lenda da ECW! Já não dá mais para aguentá-lo, ele já deu o que tinha a dar. Acabou. Tirem-lhe o título!

    iMPACT Wrestling: Disseste tudo. É exactamente isso que a TNA tem que fazer. Ir para a estrada, e ir conquistando fãs por esse país fora. Há muito por onde escolher! A IZ é uma valente porcaria, diga-se em abono da verdade.

    PPV’s: Não concordo. 6 PPV’s é um número demasiado reduzido. Por mim, seriam 8: Genesis em Janeiro, Lockdown em Março, Sacrifice em Abril ou Maio, o Slammiversary em Junho, o Destination X em Julho, o Hardcore Justice em Agosto, o Bound For Glory em Outubro e o Final Resolution em Dezembro. Resumidamente, era muito semelhante ao que a TNA tem planeado para 2013, tirando o Final Resolution em Novembro.

    Xplosion: E porque não fazer deste programa uma segunda brand? Uma espécie de SmackDown nos seus primeiros tempos, onde apareciam os lutadores do programa principal mas, principalmente, dava-se tempo de antena aos que não o têm no iMPACT Wrestling. Sem dúvidas de que teria de ter transmissão na SpikeTV.

    Novos conteúdos: Eu só digo isto: quero ver Monster’s Ball e King OF The Montain. Tenho muita pena que ainda não tenha ocorrido nenhum destes desde que acompanho a TNA.

    Melhorias: Não concordo com votações on-line. Seja na TNA, seja na WWE, seja na ROH, seja na China ou na Somália. E porquê? Porque nunca é o público a decidir… Se me garantissem que era o público a decidir, então sim, eu concordava com essa decisão. Concordo em relação ao Gut Check.

    Storylines: Eu gosto da ideia que deste no que aos Aces and Eights diz respeito. O problema é que é demasiado arriscado e aposto que a maioria dos fãs se ia fartar. No entanto, continuo a achar que seria uma ideia com pernas para andar.

    World Tour: É muito difícil mas… queremos a TNA em Portugal! Espero um dia ver o Bully Ray com a camisola do Benfica, tal como neste vídeo tem a do Liverpool vestida. Que sonho!

    Feliz Natal para ti e para a tua família Jorge.

    • João Macedo - há 4 anos

      Bully Ray com a camisola do Benfica?

      http://www.youtube.com/watch?v=nEdPhRa0k_A

      • danielLP21 - há 4 anos

        Hehe muito bom :D

        Já agora, um bom Natal para ti e para a tua família e que o teu SCP te comece a dar mais alegrias… Mas isso não é o mais importante!

    • Jorge Rebelo - há 4 anos

      Daniel em primeiro lugar um Feliz Natal para ti e para os teus:)

      Apenas em relação ás votações. Não é um segmento que eu goste, até porque é óbvio que são decididas pela organização (apesar de em 2010 a TNA ter experimentado esse conceito para definir um nº1 contender e tiverem que engolir um resultado supresa – ganhou o Desmond Wolfe! E a votação do público foi respeitado, contra a vontade de parte do staff da TNA). O que a votação pode trazer é uma alternativa ao facto de ser o Hogan a decidir quem luta pelo titulo. Evitamos assim de todas as Championship Thursday sermos sobrecarregados com mais Hogan e muitos fãs criticam o porquê de ter atletas a apelar a ele como se tivessem a pedir esmola…

      A minha sugestão vem exatamente para passsar o peso da decisão do GM para o público (já que em ambos os casos o resultado está viciado).

      • danielLP21 - há 4 anos

        Ah, então assim está bem! Apoiado! Tudo o que sirva para dar menos destaque ao Hogan, apoio!

  2. PAC - há 4 anos

    Excelente artigo Jorge, estás de parabéns. Espero que 2013 seja um grande ano para a nossa família da TNA e que pelo menos alguns dos nomes sugeridos por ti entrem no roster.

    Boas Festas.

  3. Vinícius Nunes - há 4 anos

    Muito bom artigo Jorge, conseguiu mostrar muito bem que tem coisas para melhorar mesmo na grande fase do produto da TNA esse ano, a minha preocupação maior é a tag team division, e a extinção do título de tags das KO, além da Impact Zone. De resto só precisa ampliar aquilo que foi feito em 2012, a TNA tem tudo para ter um 2013 melhor.

    Feliz Natal Jorge e para toda família TNA que só faz crescer, graças a esse aumento de qualidade contínuo dessa jovem empresa de apenas 10 anos.

    • Vinícius Nunes - há 4 anos

      Respondendo a sua pergunta, eu queria mais torneios envolvendo os títulos secundários, como o TV Title, Tag Team ( essa terá que ter reforços) e o das KO’s seria bom também…

    • Jorge Rebelo - há 4 anos

      Feliz Natal Vinicius :)

  4. EnigmAA - há 4 anos

    Que belo artigo!

    Kevin Steen vs Samoa Joe no Main Event do BFG 2013 pelo World Title :)

    Sem mais, não tenho nada a acrescentar.

  5. Jorge Rebelo - há 4 anos

    Aproveito desde já para revelar que estou a trabalhar numa surpresa para 2013, que se acontecer vai ser fantástica para o Impacto! e para o WPT. Veremos.

  6. danielLP21 - há 4 anos

    Jorge, acabei de ver uma notícia n’ A Bola.pt sobre a Leticia Cline. Lembras-te dela na TNA?

    “Leticia Cline tem 34 anos, é modelo mas saltou para a ribalta nos… ringues de wrestling, onde dá a cara nas entrevistas aos profissionais.
    A norte-americana, nascida no Kentucky, chegou ao Total Nonstop Action Wrestling em 2006, como entrevistadora, juntamente com Jeremy Borash.
    Em 2008, Cline participou na 5.ª temporada do Beauty and the Geek, onde ficou no terceiro lugar.
    Mais recentemente, Leticia Cline posou para a Maxim e… Playboy.”

    Pode não ter nada a ver com o assunto, mas achei curioso ver uma notícia dela num site desportivo Português :)

  7. Vince It Factor - há 4 anos

    Excelente artigo Jorge !

    Resumindo, não tenho nada a acrescentar, dizes tudo e abordas todos os temas da atualidade da TNA duma forma muito boa.

    Foi um grande ano para a TNA e esperemos que 2013 seja ainda melhor, como todos por aí adiante !

    Boa ano novo Jorge :)

  8. José Sousa - há 4 anos

    Olha Jorge espero que o Natal tenha sido bom. Claramente excelente artigo com os teus pedidos no sapatinho:
    Na X-division gostava de ver o York e o King com mais destaque e virem para a TNA eu destacaria o Adam Cole, o Ciampa, o Jay Lethal e Homicide,Jack Evan, Low Ki seriam boas aquisições para esta divisão.

    Nas tags concordo também gostava de ver o regresso do MCMG, Generation Me, os Gutcheckers seria boa ideia depois os Briscoe Brothers e quem sabe podia ser boa ideia trazer o Edwards e o Richards para serem os American Wolves na TNA.E talvez podes rir-te mas gostava de ver a Colony e os 3.0 na TNA.

    Knocouts é como tu dizes fora uma pessoa ou outra a divisão está segura nada mais a dizer.

    Por mim nos titulos a KO Tag acaba por mim ,o TV Title depende mas gostava de voltar a ver a World X-Cup eu vi as anteriores e apoiei o Mexico;)

    entradas: Além dos que disse para X-Division queria o El Generico, o Kevin Steen, Chris Masters, Kendrick, Colt Cabana, o Averno,Eddie Kingston, Roderick Strong. O Morrison era bom para a TNA sabes que concordo, mas pelos vistos essa guerra parece estar perdida e ele no Rumble deve estar de volta á TNA.

    Sobre as saídas nada a dizer nem a acrescentar concordo.

    Eu concordo com a IZ para mim quanto mais estiver na estrada e live melhorp porque mais ãs vais conquistando e isso só pode trazer melhorias.

    Nos PPV’s: Não concordo sou como o Daniel para mim seria entre 8 a 10 PPV´s por ano acho que seria um número já bom e aceitável.

    Xplosion: Sim claramente poderia ser uma segunda brand onde os menos usados teriam tempo para apresentar -se com feuds e storylines antes de chegaram ao Impact Wrestling.

    Novos conteudos e emlhorias concordo contigo, e nos Aces poderia ser uma ideia continuarem durante anos, embora não me acredito muito que seja esse o plano da TNA.

    World Tour era boa ideia: Podia vir ao Porto ou ao Multiusos de Guimarães assim eu ia ver e comprava a minha t-Shir do It Factor;)

    Sim foi um bom ano para a familia TNA, apesar de também fazer parte da familia WWE no site, também faço parte da da TNA, gosto das duas, e apesar de modesta espero que as minha contribuições nas análises da TNA tenham ajudado ao crescimento da TNA no W.Pt. Mas nada que se compare ao teu trabalho claro.

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador