Impacto! #93 – Um Grito de Liberdade!

Há duas semanas atrás, AJ Styles veio ao ringue, agradeceu à Main Event Mafia o ter chamado, mas pediu para este se retirarem. Consta que o que se passou a seguir foi improvisado por AJ, apesar da direcção da TNA ter concordado que AJ Styles pudesse falar de alguns aspectos de bastidores, nomeadamente da sua renovação de contrato. Hoje iremos abordar a situação de AJ Styles que me parece ser um grito de liberdade…

 

A promo de Styles não é fantástica, nem é memorável, pois as “mic skills” de AJ nunca o tornaram famoso (mesmo que tenha aprendido alguma coisa com Ric Flair, talvez uma das únicas coisas positivas que Flair trouxe para a TNA, mas não vou misturar temas…). No meio de um discurso, por vezes desorganizado, Styles conseguiu mostrar as suas preocupações face à sua situação na TNA e quem sabe da própria TNA.

Mas antes de falar sobre a situação do AJ, vou fazer um ponto da situação actual. Várias histórias actuais começaram a aumentar o ritmo. Não porque assim estivesse planeado, mas porque as recentes renegociações de contratos levaram à saída de vários atletas, forçando a mexer nos planos originais. Uma das mudanças recentes é a nova parceria entre Christopher Daniels, Kazarian e Bobby Roode. Não tenho nenhum problema com esta nova aliança, bem pelo contrário. Faz todo o sentido que na recta final da Bound For Glory Series Roode, Daniels e Kaz procurem unir esforços, uma vez que todos eles pareciam irremediavelmente afastados da possibilidade de esta Quinta-feira estarem presentes no especial No Surrender. O que não fez tanto sentido foi a forma algo atabalhoada como terminou a fase regular da Bound For Glory Series. Claramente a TNA teve que remediar várias situações de bastidores (entre negociações de contratos, saídas e vistos de trabalho) resultando num série de combates que deitaram a perder alguma credibilidade da BFG Series.

Começando pelo combate entre Kazarian e Jeff Hardy. Numa situação normal Hardy sairia vencedor e aliás foi isso que aconteceu, mas eu não posso deixar de me perguntar onde andava Daniels e Roode? Porque não provacaram a desqualificação do Hardy ou no mínimo porque não ajudaram o Kaz a vencer o combate? Houve claramente um ângulo que não foi explorado. Mesmo assim, a derrota do Kaz contra aquele que é o atleta que mais vendas de marchandising gera, não desonra ninguém.

Mas as mesmas perguntas se levantaram no combate entre Daniels e Austin Aries? Onde estava Kaz e Roode? O problema destas questões é que tiram a atenção daquilo que realmente importa – o combate. Daniels e Aries deram um espetáculo incrível desde as promos até ao final do combate. Logo na entrevista do Aries com o JB, o Daniels interrompe e lança aquela frase genial “I dare to interrupt you and show you when i knock you flatter than Miley Cirus’s ass”. Roode seguiu a mesma estratégia com AJ Styles, interrompendo uma promo e lançando o combate, que também acabaria por perder e novamente a questão, onde estavam Daniels e Kaz? Finalmente e feitas as contas, AJ Style estava de fora do lote de 4 finalistas, mas um anúncio de um Gauntlet match valendo 20 pontos deixava antever que o Fenomenal ainda tinha algo para dizer na competição.

Toda esta conversa serve a esta reflexão: apesar de todos os contratempos, a TNA não pode apressar o final das storylines. Isso leva a problemas na lógica das histórias e sobretudo leva os fãs a levantarem muitas questões de coerência quando deviam estar a disfrutar de toda a acção.De qualquer forma, estou totalmente satisfeito com os 4 atletas que chegam ao final desta BFG Series – Bobby Roode, Austin Aries, AJ Styles e Magnus. 4 histórias diferentes, 4 motivações diferentes e todos com trunfos diferentes.

Voltando a AJ Styles que é o foco deste Impacto! e seu suposto “shoot”. Como referi no início, as informações que tenho neste momento é que a TNA sabia que o Styles referir algo na sua promo que teria a haver com a sua situação na TNA e isso foi autorizado. Contudo, o conteúdo desse segmento era desconhecido a todos nos bastidores e pela organização do discurso (ou falta dela) provavelmente terá sido improvisado por Styles. O AJ está na TNA desde o seu nascimento e conquistou tudo o que havia para conquistar. Ele passou do futuro da TNA a Mr. TNA e é com toda a certeza um dos futuro induzidos no TNA Hall of Fame.

Styles começou na TNA mais próximo da divisão que hoje conhecemos com X Division, mas foi graças às feuds com Jeff Jarrett que ganhou um lugar nos main-events. Aliás, o peso de AJ na TNA é hoje tão grande, que é impossível separar o nome AJ Styles da própria organização. Contudo, ao longo dos anos, a TNA sempre mostrou muita relutância em colocar Styles no topo da “cadeia alimentar”.  Basta olhar para a história mais ou menos recente e ver a forma como a TNA apressadamente colocou Styles em stables, não como líder, mas na sombra de outros lutadores, fosse na Christian Coalition liderada por Christian ou nos Fortune de Ric Flair. Aliás, um grito de revolta surgiu quando Styles assumiu a liderança dos moribundos Fortune ao lado de Kazarian, James Storm e Bobby Roode.

O reconhecimento do talento de AJ Styles junto dos fãs infelizmente tem sido mal usado pela TNA ao longo dos anos, quando a intenção é promover alguém que acaba de chegar à TNA vindo de outras promoções (sobretudo da WWE). Basta recordar que a TNA apressadamente retirou o titulo mundial a Styles em 2010 para o entregar a…RVD (revoltante!) , como já tinha acontecido sofrer derrotas contra estreantes como Christian Cage ou Jeff Hardy. O próprio AJ referiu que várias vezes acaba por ser sacrificado pela direcção, quando é o mais trabalhador e mais dedicado dos atletas. Nada conclui melhor esta ideia que a afirmação de AJ sobre ter sido a principal solução da TNA ao longo de 11 anos, só para a TNA trazer a próxima estrela, a próxima grande vedeta que acaba por falhar miseravelmente.

É importante perceber que apesar de todos estes erros, o AJ sempre mereceu o respeito e carinho dos fãs e sempre esteve ao mais alto nível, dentro e fora do ringue, mantendo o estatuto de Sr. TNA. Aliás, com a recente detenção de Kurt Angle por conduzir embriagado e consequente entrada numa clinica de reabilitação, foi para AJ Styles que a TNA se virou para completar a Main Event Mafia. Esta recente união de Styles à MEM foi executada de forma apressada, mas a isso obrigavam as circunstâncias. A minha curiosidade era perceber como a TNA iria gerir a recente gimmick de AJ Styles que se mostrava mais sombrio, mais solitário.

Neste aspecto e, novamente, tendo em conta tudo o que aconteceu nos bastidores alheio à TNA, penso que a imagem do AJ foi muito bem gerida. Basta ver o segmento em o AJ entra na rampa ao som da sua nova música e quando “rebenta” o Get Ready to Fly, o público tem uma reacção fabulosa. A TNA consegue assim um hibrido que poderá ser muito interessante no futuro.

A pergunta é que futuro é esse? E em todo aquele segmento, AJ Styles fala exatamente da forma como a TNA parece continuar a hesitar em colocá-lo no topo, mesmo depois de tudo o que conquistou e de tudo o que aceitou fazer pela TNA. Actualmente, o AJ viu o contrato renovado por mais três meses, ou seja, por um período de tempo necessário a que se possa negociar uma verdeira extensão do contrato. Aqui no WPT noticiamos que a TNA não está a propor menos dinheiro ao AJ, mas está a sim a propor um contrato por 2 ou 3 anos com um vencimento anual fixo (em vez do vencimento actual que pressupõe um aumento automático todos os anos). Se por um lado a TNA está a tentar negociar de acordo com aquilo que é melhor para a sua tesouraria, o AJ está a usar os trunfos que têm, sejam eles ameaçar com uma saída para outra promoção, ou apelar ao apoio dos fãs. Na sua promo, é possível ouvir AJ dizer “I’m better than the best in the world, i’m the fenomenal one”, talvez uma tentativa de aliciar a WWE e ao mesmo tempo ameaçar “bater com a porta”) e mais tarde acrescentar, que acrescentar que apesar de amar estar naquele ringue, estar ali é um trabalho e esse trabalho por vezes…”sucks”. Curioso quando AJ Styles diz que afinal a nova direcção criativa da TNA acabou em estilhaços e é ele que tem que voltar a carregar a TNA aos ombros. Seja como for, AJ afirma que gosta de ser a solução, gosta de carregar a empresa aos ombros e termina a prometer que estará mais intenso e empenhado que nunca e que não lutará por ninguém, só por ele próprio. Esta mudança em AJ Styles é igualmente uma forma de acordar a equipa criativa da TNA para o potencial que ainda tem à sua disposição.

Este “shoot” de AJ Styles pode não ter tido o eco de outros segmentos, mas não deixa de ser marcante na actualidade da TNA e para AJ Styles é claramente um recomeço, um grito de liberdade, que daqui a alguns anos vamos perceber qual a verdadeira dimensão.

Até ao próximo Impacto!

Sobre o Autor

- Colaborador do Wrestling.PT para os conteúdos da Total Nonstop Action!

7 Comentários

  1. MicaelDuarte - há 3 anos

    Eu até gostei da “promo” do AJ. É claro que não foi nada por aí além, no entanto, e tendo em conta as suas “mic-skills”, a “shoot” teve pontos chave de que eu gostei, tal como ele referir que gosta de ser o “guy” de quem a empresa está dependente para ter algum sucesso. Também foi interessante ele ter mandado algumas “farpas” a outra companhia. Não foi algo que fique na memória de todos os fãs, mas acabei por gostar.

    Continua a fazer os teus artigos porque é das poucas formas que tenho de saber alguma coisa de TNA :)

    • Jorge Rebelo - há 3 anos

      Só posso agradecer o teu incentivo Micael.

      Em relação a este “shoot”, penso que não é um momento memorável, mas daqui a uns anos vamos olhar para trás e perceber que afinal até tinha bastante relevância. Penso que o que o Samoa Joe fez em 2007 foi muito mais importante em termos de expôr os problemas da TNA na altura e o próprio Joe exprime-se muito melhor que o AJ. Mesmo assim, temos aqui matéria para reflectir.

  2. MR Perfection André Santos - há 3 anos

    Jorge o tema do impacto desta semana não podia ser melhor!

    Saliento que os teus artigos, isto é a minha opinião, tem o tamanho ideal de leitura. Ficamos a perceber a tua opinião e ao mesmo tempo actualizamos a nossa cronologia mental, se por algum motivo não vimos algum episódio do TNA impact. Por isso dou-te os meus parabéns!

    Em relação ao tema, não podia deixar de ler, porque está no lote dos meus favoritos(lá estou eu a repetir-me outra vez), mas é verdade, juntamente com Daniels, e Aries.

    AJ é a cara da companhia?Para mim sempre o foi, juntamente com outros originais da TNA, será sempre ele o salvador ou a solução?Acho que sim, porque o estatuto dele é enorme dentro da companhia.

    A TNA na minha opinião gosta de ver AJ como o caçador e não a presa, ele quando está focado para ser campeão,é bem melhor do que quando está nesse posto.

    Esta renovação de contrato de 3 meses foi estratégica, do tipo…”Pensa bem”, mas não devia de dizer isto…Bem voçes sabem que adoro a TNA e estou a gostar ainda mais…mas passa pela cabeça de toda gente ver AJ na WWE, não digo isto querendo que ele esteja lá, mas dá que pensar não dá?

    Aguardo anciosamente o rematch de Aries vs AJ Styles, espero que Aries ganhe, mas acho que não ganha…espero um final menos confuso pelo menos

    Bom artigo e tudo farei para estar online convosco hoje a noite!

    • Jorge Rebelo - há 3 anos

      André muito obrigado pelos teus elogios e vou começar só por referir que em qualquer dos espaços dedicados à TNA, tento sempre fazer algum enquadramento, coisa que eu sei que é praticamente desnecessária pra quem escreve sobre o que aconteceu a semana passada num qualquer show da WWE. Eu tenho a perfeita noção que são muitos mais aqueles que não vêem a TNA de todo, e como tal tento sempre que quem quiser começar a ver não seja obrigado a começar do zero e tenha algumas referências. Se resulta ou não, não sei, mas a intenção está lá e é por isso que tento sempre que possivel olhar para o passado, recapitular a semana, fazer listas de combates ou finishers ou músicas, fazer a antevisão dos shows…a intenção é tornar tudo o mais familiar possível para quem quer começar a ver, para quem deixou de ver e quer recomeçar, para quem vê de vez em quando e até para quem acompanha regularmente.

      Em relação ao AJ concordo contigo. A renovação por 3 meses é claramente um sinal de que ambas as partes querem negociar (e isso é bom) e nessa negociação cabe os argumentos de ambos os lados. Eu percebo que a TNA coloque em cima da mesa coisas como “estamos a reduzir custos, porque investimos bastantes este ano” ou “és importante e esta é a tua casa, mas já tens a idade que tens…” e o AJ claro que se vai “vender” caro apelando à simpatia dos fãs, ameaçando que a WWE ou a ROH estão interessadas e ele pode sair, que ele ainda tem muito para dar, etc.

      Vejo isto sem nenhum dramatismo. É uma negociação.

  3. FAlmeida_10 - há 3 anos

    Bom Artigo Jorge! O Tema surpreendeu-me, pensei que ias falar do “No Surrender” ou de como ficou a BFG Series em si. Mas gostei do tema, aquela “shoot”, não foi bem uma shoot como tu referes devido ao Mic Work do Styles.

    Sim, o nome do Styles está logo associado á TNA, assim como o Daniels, o Joe… Mas a TNA sempre teve “problemas” em fixar-lo completamente no ME. Passou de TNA WHC para TV Champion nos Fortune, a junção ao Flair é má, porque tira spotlight ao Styles, tal como tu dizes é sempre o que fica em segundo plano nas Stables.

    Aquelas “ameaças” que ele faz em “ir” para outra empresa… Isso, se eu estivesse no lado “TNA” sinceramente pouco me afetava, o Styles sabe que não atingia o ME direto quando chegasse á emrpresa, e a idade tambem nao ajuda… O Próprio Styles sabe que não teria o mesmo sucesso noutra empresa…

    • Jorge Rebelo - há 3 anos

      Eu não quero dar a ideia errada que o Styles é mal-utilizado na TNA, aliás a prova que não é assim acaba por ser a associação natural do seu nome ao nome da TNA. Mas eu tenho que concordar com o Styles quando ele se apelida de “Go-to guy”, basicamente é o tipo a quem a TNA recorre para resolver algum problema e de certa forma isto tem prejudicado o Styles, já que ele acaba por ser usado para credibilizar nomes em que a TNA deposita muita fé ou para fortalecer uma stable, mas sem nunca ser veradeiramente a estrela. O Styles acaba por ser o Mr. TNA quase sem a TNA realmente acreditar que ele pode carregar a organização sozinho.

      Eu no artigo dou o exemplo da utilização dele na Christian Coalition em que não só acaba por estar na sombra do Christian, como a TNA lhe dá uma gimmick de um tipo meio…limitado…acentuando o sotaque dele e quase que o faz parecer um idiota. Já nos Fortune, o Flair liderou o grupo com o Styles a servir como uma espécie de protegido que vivia na sua sombra. Curiosamente quando o Styles passou a liderar o grupo, este durou mais 2 ou 3 meses e já não era relevante. Até posso dar outro exemplo em que o Styles foi usado como lider, mas mesmo assim com pouco significado – os Frontline. A stable liderada por AJ e Joe foi criada em resposta à versão original dos MEM, ou seja, mesmo os Frontline já estavam à sombra do grupo rival.

      Eu acredito que a TNA é a melhor casa que o AJ poderia ter hoje e a TNA precisa hoje desesperadamente do AJ, mas penso que a TNA também tem que encher o peito de coragem e colocar a responsabilidade nos nomes da casa, sem ajudas de nomes ligados a outras organizações.

  4. don_ricardo_corleone - há 3 anos

    Não se constroi uma personagem heel de lobo solitário e depois faz-se um face turn de uma hora para a outra. Esta situação foi muito mal gerida.

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador