Existem 2 vagas na Equipa do Wrestling PT para publicar notícias. Contacta-nos!

Long Horn Peep Show #17 – For the Peeps, By the Peeps

So many things I have to say to you right now“, CM Punk
[Friday Night SmackDown, 30/08/2011]

Assim se resume o cenário atual, uma vez que não faltam assuntos que mereçam ser abordados aqui na Long Horn Peep Show, ao contrário do que se tinha verificado nas últimas semanas. Desde o regresso como face de CM Punk para rivalizar com Brock Lesnar, até à coroação de Curtis Axel como novo Campeão Intercontinental seguindo o caminho do seu pai, passando inevitavelmente pela derrota inesperada de Dolph Ziggler contra Del Rio. Isto, sem falar do segmento que nos apresentou Mark Henry como novo candidato ao WWE Championship, do facto de Antonio Cesaro ter agora Zeb Colter como seu manager, do regresso de RVD à sua casa, nem do melhor momento que atravessamos na divisão das Divas da WWE nos últimos anos. Divisão das Divas que está verdadeiramente entusiasmante de acompanhar (nem me acredito que estou a dizer isto) muito graças ao trabalho de AJ.

Tal como já estão habituados, neste espaço marca-se pela diferença e como o prometido é devido, nesta semana com tanto por falar o foco vai 100% para o regresso muito antecipado de Christian que ocorreu no passado Raw. Não querendo tornar a edição desta semana numa ode ao Captain Charisma, analisando as suas caraterísticas enquanto wrestler, irá ser analisada a carreira deste lutador pouco valorizado.

Começando exatamente pela parte mais debatida e (mais ou menos) consensual, não há nada que Christian não tenha para ser uma estrela. Extremamente talentoso dentro do ringue, com um bom físico e aspeto para lutador de cartaz, sempre foi carismático e era dono de uma versatilidade que lhe permitia atuar como face e heel, algo que é uma grande vantagem para uma carreira de sucesso. Por outras palavras, para além de muito bom lutador, Christian sempre foi sinónimo de entretenimento e um lutador dedicado ao negócio que ama, condimentos que faziam dele um exemplo do que a WWE idealiza num wrestler.

Então, o que falhou? O que correu mal a Christian para não ter tido uma carreira de main eventer? Porquê tão pouco sucesso? Porquê a demora para a conquista do World Heavyweight Championship? Isso é o que vamos tentar entender dentro dos possíveis, leia-se dentro do que chegou a público e da minha perspetiva dos acontecimentos.

Depois de uma fantástica dupla com Edge que lhe rendeu inúmeros títulos tag-team, inúmeros combates de espetacular qualidade e exponenciou uma dupla (E&C) para a imortalidade, seguiu-se a inevitável separação e rivalidade entre ambos pelo Intercontinental Championship.

Ao passo que Edge rapidamente se viu envolvido em rivalidades com mais destaque, que lhe garantiram um bom apoio da multidão e que o catapultaram para o mainevent, Christian foi ficando um pouco para trás passando a ideia que era o weak link da equipa. Enquanto Edge ia subindo o escadote passo a passo, Christian parecia ficar retido no mesmo nível, com vários ajustes até encontrar a sua verdadeira identidade: Captain Charisma.

Foi enquanto heel que Christian se afirmou e em 2005 eram um dos heels mais bem-sucedidos na WWE, entrando numa rivalidade com John Cena e Chris Jericho pelo WWE Championship, que se materializou numa Triple Threat pelo WWE Championship no Vengeance 2005, que viria a ser ganha por Cena após aplicar um FU em Christian.

Isto aconteceu por volta da altura em que existia o Draft e John Cena foi a primeira escolha para o balneário do Raw. A rivalidade de Christian com Cena foi fantástica de acompanhar, especialmente com as constantes provocações e batalhas de rap, exponenciadas pelo facto de Jericho e Christian já terem rivalizado anteriormente pela disputa do título Intercontinental.

I’m Captain Charisma, read ‘em and weeps, I’m gonna throw ya out, for all my Peeps.
To John Cena, Royal Rumble 2005]

Christian estava no topo em termos de reação do público e depois dessa oportunidade pelo WWE Championship, foi misteriosamente retirado do main event. Curiosamente, o seu contrato encontrava-se a expirar e Christian recusou naturalmente renovar devido à falta de reconhecimento e ao tratamento a que foi sujeito, pelo que acabou a lutar no… Velocity.

Foi em Novembro de 2005 que Christian deu o salto para o outro lado e se juntou à TNA, onde lhe foi prometida a liberdade e confiança para se afirmar como maineventer. Se alguns tinham dúvidas quanto à capacidade para (na altura) Cage se afirmar ao mais alto nível, o tempo viria a dissipar toda e qualquer dúvida.

Foram aproveitados todos os cenários e mais alguns à volta de Cage, que se tornou num autêntico ícone para todos os fãs da TNA, incluindo o regresso de Tomko, o seu problem solver em 2005 na WWE. Porquê tanto sucesso?

 “Cause I’m Captain Charisma, bitch!
[Interview 2005]

Na primeira noite de Cage após ter conquistado a Jeff Jarrett o já ultrapassado (mas histórico) NWA World Heavyweight Championship ao fim de 12 anos da sua carreira, o Instant Classic divulgou alguns dos motivos pelo qual foi retirado do main event na WWE. Motivos que passo a analisar de seguida:

– “You don’t have the right look” – começando pelo fator que me faz rir às gargalhadas, Christian não tinha o look de maineventer? Isso é especialmente engraçado quando na altura nos apercebemos que Cena andava a passear-se enquanto WWE Championship vestido como um rapper.

– “You don’t have it!” – o tal «it factor» que tanto salta à vista hoje em dia, por exemplo, em Dean Ambrose, foi apontado como uma falha de Christian. A julgar pelas reações que Christian conseguia obter como heel (comparável ao apoio que Orton obteve enquanto heel antes de se tornar uma cobra mansa) e pela frescura e originalidade (algo raro no wrestling) dos seus promos, o «it factor» era uma das valências e não fraquezas de Captain Charisma.

– “You’re not big enough” – por fim o motivo que algum fundo de verdade pode ter, embora por culpa da WWE. Em 2005, antes de sair para a TNA, Christian era um heel apreciado por muitos fãs, tendo conseguido reunir um conjunto de peeps que seguiam a “visão” do Captain Charisma. Quando a WWE se deslocou ao Canadá (país onde nasceu), Christian foi recebido como se Deus se tratasse. Se o apoio desapareceu ou diminuiu, foi simplesmente porque o retiraram do main event e o começaram a tratar como um lutador vulgar que ele nunca foi.

Terminada a aventura recheada de sucesso e títulos na TNA, após o seu contrato ter terminado em 2008, Christian decidiu não renovar com a TNA e voltar à WWE, para se afirmar como nunca antes. O problema sucedeu exatamente no seu regresso.

Christian viria a regressar na ECW em Fevereiro de 2009, com muito pouco impacto, fraca reação do público e marcado pelo enorme entusiasmo de Todd Grisham e Matt Striker, então comentadores da ECW, no momento em que Christian interrompeu Jack Swagger, soltando um apocalíptico “Its… Its Christian!”. Nunca se sentiram tantas saudades de JR como nessa noite.

O objetivo era claro: tornar-se ECW Champion. Objetivo que cumpriu, sendo que Christian viria a ser transferido para o Raw quando a ECW fechou portas. Todavia, só após ter sido sorteado para o Friday Night SmackDown é que Christian iria receber o destaque que merecia ao ter sido envolvido numa rivalidade com Del Rio, embora apenas em função de uma lesão que Christian sofreu e o levou a estar afastado alguns meses dos ringues. A sua propensão a lesões devido ao seu estilo de luta old school é talvez um dos poucos verdadeiros motivos pelos quais Christian não obteve tantos Campeonatos Mundiais como deveria, bem como o facto de nunca se ter juntado a alguns special clubs.

O resto, como se diz, é história. Edge viria a ser forçado a retirar-se e Christian seria coroado pela primeira vez ao fim de inúmeros anos ao serviço da WWE, World Heavyweight Champion. Com tal conquista, Christian tornou-se no primeiro homem na História a ter conquistado o NWA, ECW e World Heavyweight Championship.

Incompreensivelmente, o reinado durou apenas cinco dias e o desdém de Vince McMahon por Christian tinha-se voltado a fazer sentir em grande escala. Christian reunia um considerável apoio da multidão, tirando partido do momento de realização de carreira que foi a conquista do World Heavyweight Championship que lhe tinha fugido durante tantos anos. Tal ímpeto foi-lhe retirado com a mudança de Orton (como face!) para o SmackDown, como suposta “nova-cara” das sextas-feiras.

Christian iria rapidamente efetuar o heel turn após ter perdido o título para Orton, sendo que o viria a reconquistar por desqualificação (DQ) tornando-se no primeiro e único homem até à data a ter conquistado um Título Mundial dessa forma. Depois seguiu-se o famoso promo de “One More Match”, que serviu para mais uma vez apenas passar uma imagem degradante de Christian, constantemente a choramingar por mais uma oportunidade pelo título até que se viu novamente afastado da ação.

Desde então até hoje, Christian desapareceu, voltou e conquistou pela quarta vez o Intercontinental Championship, lesionou-se novamente no seu ombro e fez o seu regresso no último Raw defrontando e derrotando Wade Barrett, que está em maré de derrotas. Prevê-se que Christian continuará como uma função de consolidar jovens talentos e provavelmente não passará da divisão de mid-carder, envolvendo-se de novo no panorama do Intercontinental Championship agora retido pelo jovem Curtis Axel.

Isto, numa altura em que Del Rio ainda não tem adversário definido e Christian, já que regressou como face, seria certamente uma alternativa válida a lutar novamente pelo Título Mundial. Não tenho dúvidas que vai estar mais uma vez envolvido num dos combates MITB, mas tal será apenas para proporcionar experiência e brilhantismo ao mesmo, pois não se prevê (por muito que me custe) um push rumo a um Campeonato Mundial ou ao WWE Championship, título que Christian nunca irá conquistar, encabeçando assim a lista de lutadores fantásticos que injustamente nunca atingiram o prémio mais alto do mundo do wrestling.

Resta rezar para que as lesões não voltem a atacar tão cedo e esperar por mais uns combates clássicos que ainda nos irá proporcionar, bem como por mais um ou outro título que sirva para melhor compor o currículo do Captain Charisma, que será sempre reconhecido como um lutador que construiu o seu percurso pensando nos fãs e não nele, literalmente levando a cabo o lema que resume na perfeição a sua carreira: “For the Peeps, By the Peeps”.

I’ve been in this business for 17 long years, and over that time I’ve had a laundry list of amazing matches. The stuff of legends, the type of matches that people will be talking about for years and years to come.
[Night Of Champions 2011]

Assim reza a crónica de um apaixonado pelo que faz que certamente terá o melhor título que um wrestler algum dia poderá se gabar de ter: o reconhecimento dos fãs. Peço desculpa, dos seus Peeps, que lealmente o irão seguir. Resta-nos a nós retribuir cerca de vinte anos de uma carreira com poucos holofotes, mas recheada em qualidade com outro lema: “Once a Peep, Always a Peep”.

E em mim terá sempre um desses leais Peeps. Porquê?

Cause that’s… HOW I ROLL!

Sobre o Autor

- Já escrevi no espaço “Long Horn Peep Show”. Atualmente publico notícias, sou moderador do chat e ajudo no que puder o WPT a ficar cada vez melhor.

10 Comentários

  1. LuisMPBO - há 3 anos

    Excelente artigo!
    Apesar de todos nos recordarmos Christian independentemente dos titulos mundiais que teve, tambem acho que ele merecia um bocadinho mais. Mas agora que ja vao tarde para grandes coisas. Quando muito um ultimo reinado como WHC, mas nao agora, porque nao ficaria muito bem enquadrado dado o panorama atual. Talvez daqui a uns meses, mas duvido… Fiquei mesmo chateado naquela SD em que ele perdeu o titulo para o Orton, foi ridiculo!
    Pode ser que ainda nos proporcione mais bons momentos, de qualquer maneira

  2. FranciscoAP - há 3 anos

    Que grande artigo, os meus sinceros parabéns. O Christian é de longe o wrestler que tem mais estado de uma forma constante no meu lote dos favoritos ao longo dos anos, por isso partilho da tua frustração e tristeza por ver aquilo que a WWE tem reservado para ele. No Smackdown desta semana pelo que percebi o Christian terá tido um encontro com os Shield, o que para mim é muito bom sinal visto que se há coisa que esta stable não tem tido são adversários que não sejam main-eventers. Mostra que a WWE o tem em boa conta, e mesmo que inicialmente vá para o USA Title, talvez depois possa voltar a um dos grandes títulos. Vou mantendo a minha esperança, porque afinal “Once a Peep, Always a Peep” :)

  3. danielLP21 - há 3 anos

    Artigo fantástico! O Christian é um dos meus favoritos, não fosse ele o melhor amigo do meu ídolo no Wrestling e aquele com quem ele partilhou tanta coisa, fossem alegrias ou tristezas. Além disso, e principalmente, o Christian tem tudo o que um main-eventer deve ter: o “look”, o carisma, as ring-skills, as mic-skills, capacidade para ser face ou heel com igual qualidade…

    O regresso dele em 2009 deu-me voltas ao estômago. Aquele Todd Grisham… O Matt Striker ainda tentou dar alguma emoção àquilo quando ouviu o parceiro tão empolgado ( acho, até, que o Striker ficou tão surpreendido como nós com a reacção do Grisham), mas tanto o público como o Todd não ajudaram em nada. Ridículo. Não me admirava nada que tivessem sido dadas ordens ao Todd para não mostrar grande emoção no regresso do Christian.

    É frustrante ver tipos como o Big E envolvidos em histórias com o Título Mundial no meio ( mesmo que não tenha lutado pelo título) e depois ver o Christian com reinados de dois dias e a ganhar o título por DQ… Não me lixem.

    Para mim, é um dos melhores de sempre. “Once a Peep, Always a Peep”!

    • Ricardo Silva - há 3 anos

      Ohhhh caro Daniel, tive de responder ao teu comentário porque é o melhor que já li!
      Escusado será dizer que concordo a 101%, especialmente quanto ao Striker que ainda mandou a indirecta “This moment has become Instantly Classic!” para contrabalançar com a cena do Tood. E prefiro nem imaginar que lhe deram ordens para reagir daquela forma!
      Partilho da frustração em relação ao Big-E (que se estende ao Ryback), que se explica apenas pelo o que Punk diz quanto à “panca” pelos body-builders.
      Até de hoje a 8!

  4. Miguel Silva - há 3 anos

    Excelente artigo! É impressionante como um wrestler tão completo como o Christian nunca teve um reinado de jeito como campeão mundial e como nunca foi WWE Champion.

    Aliás, na rivalidade com o Del Rio eu via esse “push” ao Christian apenas devido à lesão do Edge, um pouco como deram o “push” ao Mysterio aquando da morte de Eddie Guerrero.

  5. Dolph Ziggler - há 3 anos

    Excelente artigo. Sempre fui um grande admirador do Christian e tenho a certeza que caso o Christian tivesse levado o push do Edge, teria tanto ou mais sucesso que o mesmo. É um worker fantástico, que já esteve envolvido em momentos fantásticos, e apesar de já ter vencido alguns titles do mid-card, nunca teve o seu run tão merecido no main-event. Aquele reinado como WHC durante 2 dias foi nojento. A WWE esteve muito mal nessa situação.

    E graças a deus que o Christian está de volta. Não sei se vai ter algum run como main-eventer, mas tenha ou não, o que importa para mim é vê-lo na televisão. Ele é o que chamo um full package.

  6. Evandro Monari - há 3 anos

    Ricardo apesar do Orton seu meu lutador preferido não tem como não rir quando você disse que ele virou um “cobra mansa” mas tomare que logo ele deixa de ser . Sobre o Christian eu não acompanhei a carreira dele toda mas eu o respeito por tudo que ele fez, e não sei qual a opinião de vocês eu prefiro ele como heel .

  7. Matheus Moia - há 3 anos

    Excelente artigo, em 7 anos acompanhando a wwe eu nunca vi um wrestler tao completo como o christian, ele foi o primeiro wrestler q eu me tornei um fã, aquela derrota pro orton naquela sd foi ridicula sim, o christan pode nao estar no main event, mas ele tem as caracteristicas de um, ele sempre vai ser o meu wrestler favorito.
    “Once a peep, always a peep”
    Ps: eu acho legal a just close your eyes como theme song, mas eu acho melhor o take over da tna como theme.

  8. Enigma - há 3 anos

    Artigo maravilhoso.

    Ainda tenho um restinho de esperança :’)

    “If you close your eyes, your life, a naked truth revealed,
    dreams you never lived and scars never healed…”

    ONCE A PEEP, ALWAYS A PEEP!

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador