Existem 2 vagas na Equipa do Wrestling PT para publicar notícias. Candidata-te!

Long Horn Peep Show #25 – One More Time

Como o prometido é devido, apresento-vos uma segunda opção para o possível logo deste espaço. Levei em conta as vossas observações nos comentários e espero que este seja mais do vosso agrado. A vossa opinião é a mais importante, portanto aproveito para agradecer a vossa honestidade e peço-vos para que esta semana voltem a comentar da mesma forma.

Quando faltam apenas dois dias para o SummerSlam, eis que o cartaz surpreendentemente ainda não está completo. Porém, esta semana houve progressos positivos que merecem ser analisados, embora um deles ainda esteja por confirmar (para quem, como eu, ainda não viu o SmackDown de hoje).

Começando por algo que, curiosamente, já estava definido e não foi aproveitado tão bem quanto poderia ter sido, a rivalidade Rhodes vs Sandow despertou em mim um interesse invulgar, porque não se baseia no comum dos motivos. Esta semana Cody Rhodes foi comentar um combate de Damien Sandow, que teve um final idêntico ao que se tinha realizado há poucas semanas num Friday Night SmackDown – desta vez à volta de uma mala bem mais à medida do seu dono.

Ora, devo confessar que durante a segunda versão Orton vs Sandow prestei mais atenção aos comentários que foram proferidos por Cody Rhodes, do que ao combate que estava a acontecer. Tanto JBL como o próprio Michael Cole fizeram questões bastante pertinentes a Cody Rhodes, que o levaram ao limite das suas justificações para o que fez. Depois da habitual pergunta quanto ao facto de Rhodes ter roubado a mala original de Sandow, Cody justificou os seus atos com base no sentimento de traição. O melhor viria a seguir.

Cole reforça o facto de no combate MITB ser cada um por si, ao que o Mr. Lovestache respondeu com o desejo de provar que Sandow está enganado quando afirmou que era o melhor elemento da Team Rhodes Scholars. JBL aproveitou para contra-atacar e questionou se isso não fazia dele um mau perdedor, tendo Cody evitado responder a essa questão.

Enquanto o ex-melhor amigo de Sandow manifestava a sua surpresa pela traição que foi vítima pelo seu parceiro, JBL rapidamente se intrometeu para virar a coisa ao contrário e fazer a one million dollar question: não teria Cody feito o mesmo a Sandow, caso os papéis estivessem invertidos? Questão à qual o ainda jovem Rhodes respondeu que, provavelmente, também o teria feito. E fico por aqui quanto ao resumo do que foi dito e parto para a minha análise, mas convido-vos a voltarem a ver o combate estando particularmente atentos aos comentários.

Se Cody teria feito exatamente o mesmo do que Sandow, numa imaginária situação invertida, porquê o sentimento de traição que reina entre eles? De facto, se formos a analisar a fundo esta rivalidade, ou como ela surgiu, a verdade é que ela não faz sentido. Isto, porque a mesma foi construída à volta de um sentimento que o próprio Rhodes, nas suas palavras, acabou por invalidar.

Por outro lado, é certo que se há forma de separar os Team Rhodes Scholars definitivamente e aproveitar para dar o face-turn a Rhodes, esta foi certamente a melhor forma possível. Todavia, não deixa de ser à volta de um sentimento que não tem qualquer lógica de existir, por muito que esta rivalidade seja conveniente e até bastante interessante de se seguir. Ora cá está um exemplo perfeito da expressão “uma faca de dois gumes”.

Reforço o facto que o build-up desta rivalidade foi bem realizado no que diz respeito a quem merece ser o Mr. MITB, mas incompreensivelmente tal não foi aproveitado e não consigo compreender como o a mala não vai estar em jogo no SummerSlam. Parece que a WWE decidiu apostar na parte errada, ou menos boa, da rivalidade, pois tudo ficou um pouco perdido no ar com os comentários de Cody, já que o motivo “Quero provar que sou melhor do que Damien!” não chega para cobrir tudo que foi dito quanto à suposta traição entre melhores amigos num combate em que era, reforçando esta ideia, cada um por si.

Incrivelmente, JBL ainda voltou à carga e levantou a possibilidade de Cody ir enfrentar o novo Campeão Mundial, caso Damien fizesse o cash-in antes do combate deles no SummerSlam. Cody afirmou que adoraria enfrentar o próximo Campeão Mundial, o que vai no sentido oposto do que tinha dito antes quanto ao seu desejo em se tornar World Heavyweight Champion antes de Damien Sandow.

Sem surpresa, King não quis ficar de fora da brincadeira e também se chegou à frente para perguntar a Cody que se ele não culpa nenhum Mr. MITB por esperar pela melhor oportunidade para fazer o cash-in, então porque culpa Damien por lhe ter empurrado do escadote para ganhar um combate em que era cada um por si? Ao qual Cody retorquiu com algo que já tinha dito antes, afirmando que estava chateado com o facto de Damien se andar a gabar de ser o melhor homem dos dois.

Desculpem ter voltado a analisar o que foi comentado, mas digamos que durante a duração do combate Cody Rhodes esteve perante um ataque constante numa situação handicap 3 vs 1, da qual se acabou por safar com nota positiva dentro dos possíveis. Pela forma como as perguntas foram disparadas e como Cody reagiu a algumas delas, creio que nem tudo que foi questionado estava previsto, mas sem dúvida que foi uma situação em que os comentadores exageram no questionário que fizeram, embora tal tenha servido para testar o filho do American Dream em direto quanto às suas mic-skills. Aprovado.

Como resposta à edição da semana passada deste espaço, um dos nomes que eu defendia que merecia estar no cartaz eram precisamente os Usos, que fizeram o 2-1 em vitórias sobre os Real Americans e basicamente têm representado a divisão tag-team durante as últimas semanas. Infelizmente, o regresso de Big Show aconteceu uma semana antes do que devia e antecipou a esperada e mais do que natural formação de uma nova tag-team face que garantidamente serão os homens que vão roubar os títulos a Rollins e Reigns. Resta saber quando.

A WWE parece estar decidida em fazer uma das melhores edições do SummerSlam, pelo que decidiu apostar já nesta poderosa dupla de Henry & Show, que reúne o World Strongest Man e o World Largest Athlete. Não faltam nomes porreiros para dar a esta equipa. Caso se confirme o combate pelos títulos tag-team no SummerSlam, tendo em conta que Rollins e Reigns deixaram um desafio em aberto a qualquer tag-team que os quisesse enfrentar pelos títulos, poderemos muito bem ter novos campeões já no Domingo.

Creio que é seguro afirmar que o último Raw foi bastante caricato e teve um pouco de tudo, inclusivamente polémica a nível de arbitragem. Em primeiro lugar, foi incompreensível o que se passou no final do combate entre Big-E e AJ contra a equipa de Khali e Natalya. Ainda agora não consigo decifrar muito bem quem é o verdadeiro culpado por aquele embaraçoso segmento, mas não há inocentes. AJ pode ter pecado na demora em desistir, Natalya não devia ter soltado AJ antes de ouvir a campainha (quase que voltava a cometer o mesmo erro da segunda vez) e o árbitro poderia certamente ter improvisado melhor do que fez e ter terminado o combate.

Contudo, é sempre bom ver alguém a seguir as regras de wrestling e como AJ desistiu depois de Natalya ter libertado a manobra, o combate prosseguiu. Tal respeito pelas regras deveria estar presente em todos os combates, desde que não fossem combates verdadeiramente importantes para efeitos de storyline, como certamente não era o caso do meu segundo exemplo.

Refiro-me ao combate entre Del Rio e Kofi, no qual existe uma vitória por pin de Kofi, que não valeu apenas porque a contagem do senhor árbitro foi convenientemente mais lenta antes do “3”. São pormenores, a dúvida acaba por ficar no ar e os comentadores safam sempre esses momentos com uma típica expressão como “two and seven eights”, embora contribuísse para o realismo do combate caso as contagens passassem a ser legítimas.

Algo que chegou a assustar-me, mas acabou por ser muito bem realizado foi a 20-Man Battle Royal para determinar o Number One Contender ao US Championship de Dean Ambrose, que necessita claramente de uma defesa do título que o credibilize. A WWE levou-nos a querer que o vencedor da Battle Royal seria Mark Henry, algo que não fazia qualquer sentido e era completamente desnecessário tendo em conta que já se encontrava em feud com os Shield e ainda não tinha desafiado nenhum membro dos Hounds of Justice por algum dos seus títulos.

Dean Ambrose vai enfrentar no Kickoff do SummerSlam o seu maior obstáculo enquanto US Champion, o homem que tem estado em alta desde que regressou à WWE e um dos lutadores do momento, Rob Van Dam. Certamente que estão reunidas todas as condições para termos um grande combate, uma vez que RVD é um lutador bem mais versátil do que o último que enfrentou Ambrose pelo título (Kane). O facto do One of a Kind estar inserido no Kickoff (adivinham-se recorde de vendas) do PPV só evidencia o quanto a WWE está a apostar em ter um cartaz repleto de combates que atraem a atenção dos fãs pelos mais variados motivos.

Com estas confirmações, acabaram por se confirmar igualmente as ausências do cartaz de Wade Barrett, Layla (vai ficar surpreendente à margem do combate marcado entre Natalya e Brie Bella), Fandango e Curtis Axel, que nos proporciona o único ponto negativo à partida para o SummerSlam: a ausência do Intercontinental Champion. A não ser que Axel se envolva, de alguma forma, no Punk vs Brock, esta será uma jogada que poderia facilmente ter sido contornada caso se preferisse investir um pouco no Intercontinental Championship no último Raw.

Aquele dance-off entre R-Truth e Fandango foi o pior momento da noite, pois revelou não ter sido nada mais do que tempo perdido, uma vez que o facto de Fandango ter voltado à Battle Royal de propósito justamente para eliminar R-Truth, servia por si só para criar uma rivalidade entre eles.

Outra decisão que, no mínimo, é bastante questionável trata-se da inclusão de Triple H como Special Guest Referee no WWE Championship entre Daniel Bryan e John Cena. Não restam dúvidas que esta decisão tem como foco o aumento da rivalidade pelo poder da WWE entre Hunter e Vince, mas por favor não tentem desesperadamente vender a imagem de que Triple H, de repente, é a pessoa mais indicada para essa função… Ou sou o único que se lembra do final do combate pelo Undisputed WWE Championship entre o WWE Champion John Cena e o WWE Champion CM Punk precisamente no SummerSlam de 2011? Deveras, um Raw repleto de altos e baixos.

Por fim, quero dedicar uma parte desta edição para abordar, pela primeira vez neste espaço, o combate pelo World Heavyweight Championship entre Del Rio e Christian, que tem toda a razão em se realizar, mas não deixa de ser de estranhar.

Quando surgiu aquela notícia de que Vince McMahon prentendia envolver Rob Van Dam na rota do título de Del Rio, as minhas esperanças quanto ao One More Match de Christian desvaneceram-se. Finalmente, Christian tem a oportunidade pela qual reclama há muito tempo e o coloca ao nível do qual ele não deveria sair: main-eventer. Especialmente no que diz respeito ao panorama do SmackDown, pois excluindo Del Rio não existe um lutador experiente envolvido pelo título mundial, o que torna a subida de estatuto de Christian a opção com mais sentido.

Curioso verificar como ainda há poucas semanas se especulava um provável Christian vs Dean Ambrose pelo US Championship, enquanto se apontava RVD como próximo oponente de Del Rio, agora definitivamente por sua conta depois de ter cortado relações com Ricardo Rodríguez. Alguns dirão que os papéis deviam ser exatamente esses e não os que se verificaram, mas reparem nisto: ver Christian vencer outra Battle Royal para ter uma oportunidade por um título secundário era um filme repetido; Christian já tem história com Del Rio e esta era a oportunidade perfeita de continuar a manter o World Heavyweight Championship verdadeiramente relevante, quanto ao seu valor, importância e impacto.

Uma das agradáveis surpresas do último Raw foi precisamente o promo de carreira de Christian que foi realizado com natural foco no seu One More Match. Tanto destaque à volta desta nova possibilidade para Christian se tornar Campeão Mundial, quase que me leva a crer que a WWE está a considerar em apostar nele para vencedor do combate, algo que só me acredito quando vir, para não começar já a deliciar-me com a previsão de um Christian vs Dolph pelo World Heavyweight Championship.

Independentemente do vencedor, independentemente de que como as coisas se vão desenrolar no pós-SummerSlam, aproveito para aplaudir de pé esta decisão inteligente e lógica de nomear o companheiro de carreira de Edge como Number One Contender pelo título que tanto anseia em reconquistar e, assim, reatar a rivalidade com Del Rio.

No final, veremos se este combate tratou-se apenas da concretização do One More Match ou se efetivamente serviu para enriquecer o currículo do Captain Charisma com um One More Reign enquanto Campeão Mundial. Para já, mais importante do que isso é fazer o sublinhado da única certeza que temos: Christian está envolvido pelo World Heavyweight Championship… One More Time!

Sobre o Autor

- Já escrevi no espaço “Long Horn Peep Show”. Atualmente publico notícias, sou moderador do chat e ajudo no que puder o WPT a ficar cada vez melhor.

5 Comentários

  1. MicaelDuarte - há 3 anos

    Gostei bastante do teu artigo e fiquei satisfeito com a forma algo pormenorizada com que analisaste os comentários durante o Orton/Sandow. O “logo” do teu espaço agora já está mais interessante! :D

    Até tenho alguma curiosidade em ver uma “tag-team” formada pelo Big Show e Mark Heny, mas ao contrario de ti, espero que não sejam eles a retirarem os títulos aos The Shield, pelo menos, para já!

    Sinceramente, não sei o que esperar do resultado do combate pelo Título Mundial.

    1. Christian vence o título, sendo vítima do “cash-in” do Mr. Sandow e depois talvez queiram pôr o Rhodes ao barulho (isso iria agradar-me);

    2. Christian vence e FINALMENTE tem o seu merecido reinado, sendo só mais tarde vítima do “cash-in” do Sandow;

    3. Alberto Del Rio retém o título e irá envolver-se de novo com o Ziggler, acabando este por conquistar o título mais uma vez (reinado decente, se não for pedir muito).

  2. Shawn Michaels - há 3 anos

    Excelente artigo ! Incrivelmente o axel ainda não esta no summerslam mas deveria estar num combate com fandango e truth , espero que não se envolva no match do Lesnar e punk !

  3. Respect the beard - há 3 anos

    christian vence del rio,numa smackdown duas semanas ou três depois o sandow fazia o cash-in com o cody a tentar impedir e nas smackdowns k restavam o ziggler tmb se metia ao barulho ATACANDO alguns dos que mencionei e havia uma championship scramble entre os cinco no NOC.

  4. LuisMPBO - há 3 anos

    Bom artigo Ricardo!

    Uma das coisas que me está a deixar intrigado é a situação dos Teddy Long Championships. Irá haver combate no SummerSlam ou não? Com a mania que a WWE tem dos combates surpresa (mania essa que eu detesto) não me admirava nada. Mas, e se não houver, há quando? Na Raw? Por mim tudo bem, mas não sei, está um pouco incógnito. Outra coisa, porque é que achas que, de certeza, o Show e o Henry vão tirar os títulos aos Shield? Eu nem provável acho que seja… Mas isso são opiniões. Mas “de certeza” parece me um pouco exagerado, não é algo que esteja muito evidente.

    Outra coisa, o Mark Henry, ainda que não fosse uma escolha que me agradasse muito, não seria um candidato despropositado ao US Championship. O motivo que apresentaste: “algo que não fazia qualquer sentido e era completamente desnecessário tendo em conta que já se encontrava em feud com os Shield e ainda não tinha desafiado nenhum membro dos Hounds of Justice por algum dos seus títulos.” – mas o Ambrose faz parte dos Shield. Isto dar lhe ia o desafio que dizes que ainda não teve.

    Concordo com a parte do Christian e do RVD, ambos estão bem onde estão.

    A feud Cody Rhodes vs Damien Sandow está a ser bastante boa, o problema é que, para um face, o Rhodes está a fazer demasiado ao Sandow à custa de nada. É apenas um pequeno problema, pois acaba por não interferir. Isto porque o Sandow é um bom heel e o Rhodes é um bom face, e as pessoas acabam por se convencer que aquilo é legítimo. Mas não deixa de não ser. Agora, que ele se saiu bem nos comentários, isso saiu.

    Quanto ao logo, gosto muito mais deste! Se for este, já não me importo nada. Mas queria deixar uma sugestão, experimentemos: aplica aquele fundo da “tira” a toda a imagem e põe as letras de “Long Horn” iguais às de “Peep Show”. Se resultar mal, faz o oposto: tudo fundo preto e as letras e a seta iguais a “Long Horn”. Se nenhuma resultar, lamento, mas foi uma ideia que tive.

    Bom trabalho, como sempre.

  5. akujy - há 3 anos

    Mais um bom artigo. E gostei deste logo. Talvez seja este o tal.

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador