Existem 2 vagas na Equipa do Wrestling PT para publicar notícias. Contacta-nos!

Long Horn Peep Show #35 – Everything Can Happen

Numa altura em que estamos a pouco mais de dois PPV’s de começar a Road To WrestleMania – como o tempo voa – ainda muito está por definir no que vai acontecer na WWE, o que só pode ser encarado como boas notícias quando nos recordamos da definição do ano passado. Por esta altura vivia-se o reinado histórico de CM Punk como WWE Champion, mas todos nós já suspirávamos pela repetição do Main-Event da WrestleMania28 com o título em jogo e com um vencedor mais do que declarado.

Porém, nós fãs temos uma imaginação fértil e começávamos a construir cenários que acabassem por tornar interessante um combate que ninguém queria ver repetido, muito menos com o WWE Championship envolvido. Imaginamos que seria a altura ideal para o tão badalado heel turn ocorrer, mas só se viu o previsível passar de testemunho.

Um ano mais tarde a situação da WWE é precisamente oposta. Não se deslumbra qual será o Main-Event da WrestleMania30, embora os rumores apontem para um suposto combate destinado à unificação dos títulos principais no qual o World Heavyweight Champion irá enfrentar o WWE Champion, com ambos os títulos em jogo e com o vencedor a arrecadar o Undisputed WWE Championship à moda de Jericho.

Rumor, que tal como a maioria deles, espero que seja mentira. Não vale a pena refletir quanto à desvalorização do World Heavyweight Championship, mas sim quanto às soluções para esse problema. Soluções que passam por todo o lado menos pela extinção do WHC que, aliás, vai contra a criação do Performance Center, bem como contra a aposta no NXT. Os motivos para a unificação dos Títulos Mundiais são, para além da situação do WHC, a inevitável subida de valorização do WWE Championship, bem como a recuperação do prestígio de outrora do Intercontinental Championship.

Contudo, esta solução só irá dar problemas a médio-longo prazo à companhia. A unificação dos títulos pode parecer o mais correto a se fazer, tendo em conta a falta de star power e de main eventers consolidados, mas é uma emenda que vai sair pior que o soneto. Teremos quatro crónicos candidatos ao Undisputed WWE Championship (Bryan, Orton, Punk e o poster boy), mas o que acontece depois desses quatro todos terem sido campeões? Vão meter alguém que ganhe o Money In The Bank como Undisputed WWE Champion? Não me parece…

Ora, essa é outra das questões que se levanta com a unificação dos títulos. Qual vai ser o papel do MITB? Vai continuar a existir MITB? Vai passar a ser só um combate que tem lugar na WrestleMania com um maior número de concorrentes? Ou vai ser extinto como o WHC? Porque o conceito do MITB, pelo menos a forma como olho para ele, é que qualquer um pode entrar naquele combate e, portanto, qualquer um pode vencê-lo. Encaro-o como a lotaria da WWE. O ideal seria apenas restringir os participantes a quem nunca antes venceu um Título Mundial ou, no máximo, a quem já o ganhou mas tem estado afastado dessa rota. Em vez disso, todos podem agarrar a mala que praticamente garante o WHC ou o WWE Championship, a não ser que enfrentes aquele alguém lesionado num braço.

Com a unificação dos títulos perde-se exatamente aquele devia funcionar como o primeiro elo da afirmação de um mid-carder como main-eventer, perde-se um título histórico e perde-se espaço para os imensos talentos que a WWE tem nas suas fileiras e teima em não conseguir a fórmula para os aproveitar. Constantes notícias são publicadas quanto ao tipo de wrestlers que Triple H está à procura para contratar para a WWE, quando na verdade não repara que já tem os ovos necessários para produzir omeletas de grande qualidade.

De facto, o problema não reside na falta de talento do plantel: o problema reside na falta de capacidade da equipa criativa. Seja Vince, Stephanie ou o próprio Triple H ou mesmo os três que estejam envolvidos na direção da mesma, os planos estão a ser mal concebidos. A preocupação principal da WWE deveria ser renovar a equipa criativa – para a qual, desde já, manifesto a minha total disponibilidade para a integrar – e não em acrescentar novo talento ao seu plantel vasto, jovem e com muita qualidade por explorar.

Contudo, devemos nos focar no presente e num futuro mais próximo: Survivor Series. Futuro do PPV que passa pela aposta em dois Campeões Mundiais e, acima de tudo, dois nomes consolidados, duas estrelas por oposição ao que seria esperado de ver, ou seja, pelo menos um novo talento inserido no estatuto de main-eventer (Damien Sandow enquanto WHChampion). A profecia não se concretizou e para além do já marcado Randy Orton vs Big Show pelo WWE Championship, teremos Alberto Del Rio a ter a sua devida desforra pelo WHC.

Ou talvez não. Se ninguém espera que Big Show conquiste o WWE Championship frente a Orton, especialmente agora que a Corporation conta com Kane como Diretor de Operações pronto a intervir em caso de necessidade, do outro lado as dúvidas são mais do que as certezas. Se bem que seja certo e sabido que o atual WHChampion seja aquele que tem sempre menor probabilidade de perder, pelo que o cenário de ambos campeões manterem os respetivos Títulos Mundiais é deveras o mais provável.

No entanto, não nos podemos esquecer do fator Sandow. O fator que mais abrilhanta a história à volta do WHC, não pelo que lhe aconteceu, mas pelo que está a fazer desde então: se há boas reações a derrotas pesadas, esta foi certamente uma delas. O homem que mais está em foco no que ao título diz respeito nem sequer está previsto, até ao momento, fazer parte do combate pelo WHC no SS, mas não nos podemos esquecer que o Intellectual Savior ainda vai mais do que a tempo de levar a um Triple Threat Match ou não fosse o seu objetivo público terminar com o reinado do atual campeão.

Afinal de contas, Sandow efetivamente merece uma nova oportunidade pelo título… Ou não? O que fazer quando se concretiza um cash-in e não se ganha o título? Uma coisa é o combate terminar por DQ, outra é uma derrota limpa. Deve Sandow ter uma oportunidade pelo WHC ou voltar ao fim da linha? A resposta é óbvia, o que me leva a manter a ilusão viva de ainda ver o uncrowned World Champion ser coroado. Mais, a ilusão de termos um novo campeão, seja ele Del Rio ou Sandow, já é uma ilusão que vale a pena ter e seguir. Como eu gostava de ver Sandow a interferir no combate do SS e custasse o título ao poster boy.

Se nos dois títulos principais os campeões são claramente favoritos, nos títulos secundários verifica-se o contrário. Começando pelo caso mais flagrante, o reinado de Curtis Axel tem os dias contados. Agora que se viu privado de Paul Heyman como consequência da rivalidade deste com Punk, Axel vai queimando os últimos cartuchos enquanto Intercontinental Champion, restando a dúvida de saber quem vai ser o escolhido para ocupar o seu lugar.

Lugar para o qual surgem dois nomes como fortes candidatos: Dolph Ziggler e Big-E Langston. Esta seria a oportunidade ideal para o Show Off poder voltar a brilhar e relançar a carreira, embora no nível inferior ao que merece (main-event), e fazer brilhar consigo o título, porque para todos os efeitos Dolph é um Ex-Campeão Mundial e tem mais do que capacidade para defender o título contra outros Ex-Campeões Mundiais (Miz, RVD, Christian). Não é o ideal ver Ziggler voltar ao mid-card, mas no panorama atual é mesmo o melhor que se consegue arranjar e pode muito bem servir para o catapultar definitivamente para voos mais altos.

Por outro lado, este pode muito bem constituir o momento de afirmação para Big-E no main-roster. Momento que pode chegar através da conquista do Intercontinental ou do US Championship, de Ambrose, que também está na sua reta final. Pior notícia do que essa é o facto do Baddest Man on the Planet – belo nickname para Ambrose – parecer ter igualmente os seus dias contados como membro dos Shield, grupo que à semelhança da storyline principal não vai ser tão bem explorado quanto podia ter sido. A questão é que Big-E não fez o suficiente para merecer a conquista de nenhum destes dois títulos e, caso vença qualquer um dos dois, será somente um caso de tentar afirmar um atleta pelo título que detém.

A verdade é que hoje em dia não é preciso muito para se merecer essa oportunidade. Langston parece que caiu ali de para-quedas graças a um face-turn contra Paul Heyman que, por muito bem-sucedido que tenha sido, não dá direito por si só a oportunidades por títulos, embora Big-E esteja destinado a ter uma das duas: ainda não lutou contra Axel, conforme previsto, pelo Intercontinental Championship e ainda não teve a sua desforra pelo US Championship, tendo em conta que o seu combate contra Ambrose no Hell In A Cell terminou em DQ.

Entre todos os títulos secundários, aqueles em que os campeões estão melhor são os títulos de Tag Team que pertencem aos Rhodes. Depois de uma surpreendente vitória dos Real Americans, estes apresentam-se como os principais candidatos aos títulos, pese embora as duas derrotas consecutivas nos combates 6-Man. Resta saber se o combate será entre estas duas equipas ou se vamos ter um Fatal 4-Way Tag Team Championship Match com as equipas dos Usos e dos Shield também inseridas na luta pelos títulos. Seja como for, mais uma vez não faltam possibilidades para termos um grande combate de equipas, tal como felizmente tem acontecido nos últimos tempos.

Nas Divas a situação volta a estar a favor das candidatas e não da Campeã. Seja ela Brie, Natalya ou até mesmo uma das novas meninas no plantel principal, AJ também parte com menor favoritismo para a sua próxima defesa do seu Divas Championship, caso esta se confirme no SS, apesar da força que a presença de Tamina lhe trouxe. Isto, porque a WWE pode muito bem realizar aqui um típico Survivor Series Match Tag Team 5 vs 5 Match e deixar AJ sem defender o seu título no PPV, até porque ela o tem feito regularmente e bem.

Ora, um típico SS Match é algo que ainda não se avista no horizonte e espero que rapidamente se chegue a esse bom porto. Não é assim tão difícil: com a rivalidade Wyatt Family vs Punk e Bryan ficam a faltar apenas 5 homens. Ryback podia facilmente se juntar aos Wyatt, bem como um regressado Wade Barrett (ou mesmo a inclusão de Sandow). Do outro lado, os PTP (vítimas constantes de ataques dos Wyatt) e The Miz (com possibilidade para vermos o seu heel turn) seriam alternativas perfeitamente adequadas para termos o combate 5 vs 5.

Certo mesmo, é algo que se pode concluir deste conjunto de dúvidas: a indefinição reina na atualidade da WWE. Neste momento, ainda muitas decisões estão por tomar e o futuro de vários títulos está por clarificar. E isso é o que nós queremos. Sentir que realmente na WWE, everything can happen. E isso é bom… Não é?

Sobre o Autor

- Já escrevi no espaço “Long Horn Peep Show”. Atualmente publico notícias, sou moderador do chat e ajudo no que puder o WPT a ficar cada vez melhor.

4 Comentários

  1. MicaelDuarte - há 3 anos

    Bom artigo Ricardo.

    Teve uma certa piada a tua “recusa” de referires o nome Jooooooooohn Cenaaaaaaaaa xD

    Sinceramente, acho que esta (ainda) não é altura certa para o Big E vencer o Título Intercontinental, nem o Título dos Estados Unidos. Tal como referiste, este ainda não mostrou o suficiente e pô-lo já neste patamar apenas devido ao “face-turn” não me agrada. O Ziggler sim, esse sim deve vencer o Título IC pela 2.ª vez. Seria apenas um “rebuçado”, mas é melhor do que andar com Títulos invisíveis xD

    Quanto à situação do Título Mundial, seria espectacular se o Sandow, caso não entrasse no combate, interferisse no mesmo e custasse a o Título ao Cena. No entanto, isto faria com que a história se prolongasse mais e não penso que isso seja o melhor caminho. Por isso, quero acreditar que o Sandow irá dizer/fazer algo que justifique a sua inclusão no combate, porque, para todos os efeitos, este não era Campeão, logo não merece uma desforra (calma, é claro que quero ver o Sandow no combate e, se possível – porque ainda não se paga para sonhar – ganhar o Título Mundial!).

    A unificação dos dois Títulos Principais é algo que faz sentido, tendo em conta o contexto actual da companhia, mas as desvantagens superam claramente as vantagens caso essa decisão seja tomada.

    No geral, a companhia está numa situação em que a poeira ainda está a assentar, existem algumas coisas que não estão bem definidas e, portanto, é esperar para ver o que lhes dá na cabeça…

  2. danielLP21 - há 3 anos

    É… mas também pode não ser! :D

    Quando as coisas estão tão indefinidas, eu fico sempre de pé atrás. Tanto pode sair algo de fantástico como, por outro lado, pode ir tudo pelo cano abaixo ( que é o que acontece mais vezes).

    Sinceramente, tenho muitas dúvidas de que o Sandow lute pelo Título Mundial no Survivor Series… No TLC talvez isso aconteça – fruto de uma interferência no combate entre Cena e Del Rio – mas no próximo PPV duvido que tal aconteça.

    O Big Show, a meu ver, é um forte candidato a tirar o Título da WWE ao Randy Orton. Sem ironias.

    Excelente artigo Ricardo, continua assim.

  3. MR Perfection André Santos - há 3 anos

    Poster Boy…Muito Bom!

    Excelente Artigo.Sou contra qualquer unificação de titulos. Acho que é algo de contra-censo e, tu explicas e bem no teu artigo.Agora podem achar estranho…mas sou a favor de uma evolução do Intercontinental title e dei a minha opinião num artigo do vintage. Na minha opinião o I.C devia de estar no patamar de onde está o world title, e este ultimo, devia de estar ao nivel do WWE title.

    Mas vamos aguardar…

  4. José Sousa - há 3 anos

    Concordo contigo. Eu concordo contigo sobre a unificação dos títulos, seja o Punk, Bryan, Cena e Orton não concordo. Acho que a WWE devia tentar reabilitar o titulo Mundial como fez com as Tags, e se conseguiu com as Tags não é impossível que o aconteça neste caso.

    Sobre o Big E eu concordo, até porque o pop que ele tem não é tão grande como isso, ou seja, não tenho tanta certeza que seja um fenómeno e o face ideal para tirar o titulo ao Ambrose. Eu acho que deveria ser um dos Shield(como face) a tirar o titulo ao Dean.

    Sobre o Axel, por mim pode ser o Ziggler o novo campeão é melhor que nada sinceramente. Caso não seja o Ziggler, que seja o Tyson Kidd ou mesmo o Fandango o próximo IC Champion.

    Os Rhodes devem ser campeões até ao Rumble pelo menos, caso o objectivo seja mesmo um match entre eles. Porque podemos ter perfeitamente um caso semelhante aos Hell No, e ele irem defender os títulos na Mania.

    Sobre o WHC, eu acho que o Sandow ou conquista o lugar na Raw, ou vai acabar por ganhar o lugar no TLC custando o combate ao Cena, ou mesmo atacando-o no pós combate no Survivor Series.

    WWE Title é importante que o Orton defenda e com RKO, ele não pode ficar mais por baixo e como um campeão fraco. Nesta altura ele está muito descredibilizado como campeão, e o Survivor tem que o valorizar.

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador