Opinião Feminina #101 – The Devil’s New Favourite Son?

Sejam todos bem-vindos a mais uma edição do “Opinião Feminina”, onde – tal como foi explicado na semana passada – serão discutidas as mudanças que a personagem de CM Punk, o campeão da WWE, sofreu recentemente, assim como o seu combate de hoje no Hell in a Cell e os possíveis factores que o possam influenciar.

Um dos aspectos que tenho defendido veementemente relativamente a CM Punk é que este não pode ser apenas mais um heel vulgar ou repetitivo. Ultimamente na WWE, os heels têm sido retratados de forma inconsistente, o que acaba por fazer deles personagens fracas e pouco credíveis, o que por consequente acaba com a dinâmica mais simples e importante das histórias criadas. Afinal, quanto mais malvados foram os heels, mais estes serão odiados pelos fãs, mais os fãs quererão que os faces vençam. É uma correlação bastante simples e essencial nesta indústria.

Também é verdade que os heels existem na indústria para perder, para assim elevar os heróis com quem se debatem. Contudo, tal só acontece se os fãs acreditarem que vencer tal heel é complicado e dificil. E tal é provado através da inteligência e cuidado com que se escolhe as derrotas dos heels e a forma como as mesmas decorrem.

Como é natural, não existe uma regra de ouro ou um número limite de combates/confrontos que um heel deve ganhar para se manter consistente. Cada história é diferente, assim como cada personagem é interpretada à sua maneira, sendo por isso necessário fazer adaptações. Adaptações essas que penso que foram extremamente mal feitas à personagem de CM Punk e à sua história actual.

Tal como referi no último artigo que escrevi sobre o campeão, não era da minha preferência que CM Punk se tornasse um heel mais “cobarde”. Não que os heels “cobardes” sejam obrigatoriamente maus heels. Maus heels são aqueles que são construídos de forma inconsistente, sem serem valorizados o suficiente para serem temidos e sem serem capazes de fazer com que o público os odeie. A cobardia é apenas uma característica de um heel, não um factor determinante da sua qualidade.

O meu problema com o facto de CM Punk se ter tornado mais “cobarde” é o facto de tal o ter tornado mais susceptível a erros da companhia. Visto que ultimamente a WWE não tem apresentado um bom histórico com este tipo de heels, é natural que tema por Punk. Afinal, qualquer passo mal dado, por mais pequeno que seja, pode estragar a personagem mais importante e determinante da indústria.

Contudo, foi exactamente isso que aconteceu nas últimas semanas. Na realidade, se olharmos para a situação de forma objectiva, CM Punk nunca iria conseguir durar muito tempo como heel sem chegar a este ponto. Não possui nenhuma stable ou grupo que o apoie, não é afiliado a nenhum General Manager, nem possui um físico impressionante. CM Punk não possui nada que possa intimidar os outros lutadores e que faça crer os fãs de tal. É também verdade que a WWE poderia não fazer de CM Punk um heel completo, mantendo-o como um rebelde, como no ano passado, mas tal como expliquei na altura, tal não era uma situação aceitável para a companhia. Afinal, não é bom para a WWE ter como “herói” alguém que é suposto arrasar tudo o que fazem em todas as suas promos.

Mais recentemente, tenho vindo a afirmar que a WWE tem prejudicado gravemente a personagem de CM Punk. Ao contrário do que muitos fãs pensam, não acho que o erro em si tenha sido torná-lo mais cobarde, pois tal como acabei de explicar, tal coloca-o apenas numa situação mais delicada, que acabava por ser inevitável. Os meus problemas com a WWE relativamente a CM Punk consistem na incapacidade da companhia de provar que CM Punk está errado sem cair em dualidade de critérios e o facto de ter estragado o propósito do combate de Ryback e CM Punk no pay-per-view antes do mesmo ocorrer. Passo a explicar.

Durante as últimas semanas, CM Punk protagonizou interacções extremamente interessantes com três personalidades de renome da nossa indústria: Mick Foley, Jim Ross e Vince McMahon. Sendo CM Punk um heel “cobarde”, os fãs precisam de querer vê-lo a ser vencido. Precisam de acreditar que este está errado naquilo que diz, que as suas acções são erradas e que este merecerá tudo aquilo que lhe acontecer. E foi exactamente isto que as três interacções que CM Punk teve nas últimas semanas não fez.

Quando temos babyfaces como Mick Foley e Jim Ross a interagir com o vilão mais importante da WWE esperam-se promos emotivas, de grande qualidade e, acima de tudo, marcantes. Emotivas foram certamente, contudo essa não é a única característica que tornam uma promo boa. Devo ter sido das poucas fãs a não gostar destas promos, não porque estas não movem os fãs a um nível emocional, mas porque quando as promos são feitas é suposto os fãs também ouvirem o que está a ser dito. É suposto o discurso em si transmitir a mensagem correcta, caso contrário não servirá de nada.

Num dos pontos principais da sua promo, Mick Foley deu a entender que Paul Heyman estaria a influenciar CM Punk e a desviá-lo do seu, supostamente, bom caminho. Portanto, estará a WWE a dizer-me que o grande vilão da companhia, aquele que irá fazer com que os fãs paguem para o ver ser vencido é, nada mais, nada menos, que um fantoche nas mãos de Paul Heyman? CM Punk, o rebelde que no ano passado revolucionou a sua carreira através de uma promo épica, está agora a ser influenciado por Paul Heyman? Não sei porquê, mas sempre julguei que embora cobarde, a personagem de CM Punk consistisse também em apresentar um pouco de inteligência.

Ao invés de ser um heel inteligente, manipulador e “velhaco”, CM Punk é agora susceptível, fraco e influenciável? Com todo o respeito a Heyman, julgo que que o foco e a atenção devam estar em CM Punk, não no seu manager. Aliás, não duvido nem um pouco que Heyman concorda comigo. Sinceramente, tendo em conta o talento e perspicácia de Foley, estava à espera de mais. Muito mais do que colocar as culpas em Heyman. Afinal, pensava que para manter o título durante tanto tempo – grande parte desse reinado sem Heyman – CM Punk precisaria de saber pensar por si.

Na semana seguinte, é a vez de Jim Ross fazer frente ao campeão da WWE numa esperança de convencer este a enfrentar John Cena. Infelizmente, também Jim Ross me desiludiu. Ross, tal como muitos antes de si, caiu na pior das armadilhas que se pode cair quando se está a ter um confronto verbal com um heel: dualidade de critérios. Para convencer os fãs de que CM Punk é um verdadeiro vilão, além do que as acções deste já implicaram, é necessário que este esteja errado sem qualquer sombra de dúvida. CM Punk não poder ser criticado apenas “porque sim” e, em caso algum, pode ter razão. Mas não porque lhe recusam atribuí-la, mas porque este não a merece. Ter um face a cair em contradições quando enfrenta um heel num confronto verbal arruina a promo, arruina a credibilidade do heel e em nada eleva o face.

Desde o Money in the Bank em 2011, CM Punk enfrentou John Cena directa e indirectamente quarto vezes. A primeira no próprio Money in the Bank de 2011, a segunda no Summerslam do mesmo ano, a terceira no Summerslam deste ano e a quarta, e última, no Night of Champions, também deste ano. Todos os combates tiveram alguma diversão pelo meio ou confusão, tendo por isso CM Punk nunca derrotado John Cena de forma limpa e indiscutível.

No primeiro, tivemos Vince McMahon e John Laurinaitis a aparecer no fim, causando a distracção de Cena, no segundo CM Punk fez o pin em John Cena quando este tinha o pé nas cordas, no terceiro o combate teve que ser recomeçado e nem foi John Cena que sofreu o pin e no quarto foram, supostamente, aplicados dois pinfalls. Estas razões são perfeitas para justificar mais um embate entre ambos. Este é o argumento ideal para defender mais um combate entre ambos. Porquê? Porque é verdade. São factos indiscutíveis e que sempre foram usados, desde o início dos tempos, para justificar a criação de uma desforra.

Por isso, pergunto porque é que ninguém os usa agora? Porque é que ao invés de atacarem Paul Heyman, atacarem o ego de Punk, não atacam nestes detalhes que definitivamente mostrarão o lado mais negativo de CM Punk? Dizer repetidamente que CM Punk precisa de vencer Cena mais uma vez para ser considerado “Best in the World” é um acto de desespero, sem qualquer nexo, que tira qualquer credibilidade ao face em questão. Se formos por essa linha de raciocinio, então CM Punk já venceu John Cena quatro vezes, portanto não faz sentido desafiá-lo outra vez. Logo, são Foley e Ross que estão errados. Logo, porque é que as pessoas devem vaiar CM Punk?

Além deste beco em que a WWE se enfiou, outro argumento extremamente engraçado que Jim Ross usou foi o facto das “estatísticas”, neste caso relativamente à duração do reinado de CM Punk, não significarem nada e não criarem estrelas. Realmente, para que é que interessam as estatísticas no Wrestling? Não é como se a WWE dedicasse todos os anos um combate ao Undertaker na Wrestlemania para que este aumente a sua… Também não é como se os comentadores dessem enfâse ao número de reinados que uma pessoa possui quando esta está a combater. Realmente, para que é que interessam as estatísticas?

Teoricamente, usar estas Lendas para elevar CM Punk é a ideia perfeita. São personalidades estabelecidas e acarinhadas por parte do público, sendo por isso fácil virar os fãs contra Punk. Nestes confrontos, CM Punk precisa e pode agir como cobarde, pois se os argumentos dos seus adversários forem lógicos, as acções de CM Punk só irão incitar mais a raiva dos fãs e o desejo de o ver ser castigado. Agora, quando os faces não fazem o seu trabalho e aquilo que vemos é CM Punk a ser um cobarde, mesmo tendo razão no que diz, é naturalmente mais complicado torná-lo um heel credível e sério. Estas interacções com as Lendas são oportunidades de ouro que só trazem vantagens, mas mesmo assim a WWE consegue desperdiçá-las.

A última Lenda a interagir com CM Punk foi Vince McMahon. Numa Raw de qualidade extremamente negativa, cujo post cheguei a comentar, Vince McMahon veio acrescentar absolutamente nada. A diferença entre este e Mick Foley e Jim Ross? É que de Vince McMahon já esperávamos que não viesse nada. Com as audiências baixas, é típico de Vince lembrar-se que tem algo a comunicar sobre a companhia, apenas porque acredita que a sua presença será o suficiente para subir as audiências. E teve razão, pois estas subiram.

Mas também voltaram a descer na semana seguinte, portanto a sua promo desnecessária e o seu combate ainda mais desnecessário valeram absolutamente de nada. Foi apenas mais uma semana usada para empatar tempo, de forma a dar oportunidade a John Cena para recuperar a tempo do Hell in a Cell. Já para não dizer que para alguém que se preocupa tanto com as aparências, colocar-se em ringue poucas semanas depois de um homem sensivelmente da mesma idade se ter sentido mal após um combate é terrivelmente de mau gosto para Vince. Mas lá está, Vince é Vince e faz o que quer.

Estando a dualidade de critério explicada, vou agora tentar explicar porque penso que o objectivo do combate de Ryback e CM Punk no Hell in a Cell se tornou maioritariamente nulo. Se tirarmos o título da equação – partindo do principio que este não sairá dos braços de CM Punk – o objectivo do combate será ver se Ryback conseguirá castigar CM Punk fisicamente, ou se este terá hipóteses de escapar. Ora, sendo essa uma das perguntas de ouro e das mais importantes para “vender” o pay-per-view, é apenas rídiculo da parte da companhia dar a resposta de graça na Raw. Não faz qualquer sentido, pelo menos, a meu ver, deixar Ryback destruir CM Punk de forma tão decisiva antes do pay-per-view, quando é exactamente para ver isso que os fãs vão pagar! A não ser que a WWE esteja a planear uma mudança de título.

Quero reforçar o que disse no início do artigo, apresentar CM Punk como alguém “cobarde” não é o problema, se for bem feito. Pois, se tudo correr bem, o face em questão torna-se num novo herói que as pessoas pagam para ver arrasar o vilão. Se não for bem feito, a WWE arrisca-se a estragar uma personagem e, neste caso, a mais importante da companhia. Em momento algum achei que o problema fosse CM Punk “fugir” de Ryback depois de ter atacado Foley, ou durante o confronto com Jim Ross. A fuga de CM Punk reforçou o seu estatuto de heel e valorizou imenso Ryback. E embora tivesse preferido que ambos não se tivesse tocado antes do Hell in a Cell, também não achei que fosse um problema por aí além ter Ryback a aplicar a sua manobra depois da assinatura do contrato. Mas o que se passou na última Raw foi simplesmente um insulto ao pay-per-view de hoje.

Há quem defenda que tal era necessário acontecer para que CM Punk pudesse sair por cima no Hell in a Cell. Dessa forma, Ryback já tinha tido o seu momento de glória. Não concordo com isto, pois já não faz diferença se CM Punk sai por cima no pay-per-view. Desde que Ryback seja protegido no final engedrado pela WWE e desde que Punk retenha, qualquer final é aceitável. CM Punk poderia perfeitamente ser brutalizado fisicamente no pay-per-view, pois valeria a pena, pois era aquilo que os fãs estavam à duas semanas para ver.

Para compreender isto basta olhar para o primeiro Hell in a Cell da história. Shawn Michaels, o heel engenhoso, contra o monstro babyface Undertaker. Shawn Michaels sofreu imenso nesse combate, mas também foi quem ganhou o mesmo. Não estou a dizer para a WWE trazer o irmão perdido de Ryback para interromper o combate, apenas estou a defender que existe forma de ver Punk castigado sem perder o título, permitindo dessa forma que Ryback continue em alta. É claro que tal faria mais sentido se Punk não tivesse já sido brutalizado antes do pay-per-view.

Em relação a factores exteriores que possam ter algo a dizer neste combate, penso que os mesmos são: The Rock, Brock Lesnar, John Cena, Paul Heyman e AJ Lee.

Como já se sabe, AJ Lee já não é General Manager da Raw e a sua relação com CM Punk tem sido bastante agreste nos últimos meses. Isto poderá não significar nada, mas fiquei bastante curiosa com o facto de AJ Lee ter sido despromovida do seu cargo na “véspera” do Hell in a Cell. Ou a WWE fazia mesmo questão de lhe pregar esta partida na sua cidade natal, como fez com tantos outros, ou a WWE tem algo bastante engenhoso planeado para CM Punk no Hell in a Cell e não quereria que a General Manager tivesse motivo para intervir e fosse depois argumento usado pelos fãs. Neste momento, a personalidade que possui poder na Raw é Vickie e a mesma é heel, portanto se esta não fizer nada contra CM Punk tal não irá levantar suspeitas.

Paul Heyman é um factor activo que possui altas probabilidades de ajudar CM Punk de alguma forma. Seja por alguma manha planeada com o árbitro, ou algo parecido, certamente terá uma toque de cobardia. Se ocorrer, não irá surpreender os fãs. É esse o trabalho de Heyman e dessa forma Ryback não fica descredibilizado.

Um factor que me assusta consideravelmente tem de seu nome Brock Lesnar. Originalmente, Brock Lesnar não estava incluído neste artigo, mas depois de notar que o rumor da sua suposta aparição no Hell in a Cell estava a tornar-se cada vez maior, tornou-se apenas natural a necessidade de o abordar. A possível inclusão de Brock Lesnar nesta história assusta-me por vários motivos. Primeiro que tudo, temo que a ideia do seu regresso no Hell in a Cell prejudique o combate e ofusque os participantes do mesmo. O facto dos fãs terem chamado por Brock Lesnar na noite após a Wrestlemania tornou o seu regresso ainda melhor, mas se por acaso outra pessoa tivesse escalada para aparecer, que não Lesnar, então os cânticos teriam arruinado a noite. E esse é o meu grande problema com rumores.

Nunca se sabe quais deles é que possuem ponta de verdade e quais é que foram inventados por um fã que só precisou de adicionar os termos “fontes internas da WWE” ao início da sua teoria. Teorias que todos nós podemos criar! Ora, quando esses rumores se espalham da forma que se espalharam durante a Road to Wrestlemania deste ano, estes deixam de ser inofensivos. Aliás, tornam-se apenas mais um exemplo de como os fãs arruínam a experiência para si mesmos. Ficar entusiasmado com um rumor, irá levar a desilusão e revolta para com a companhia quando este não se concretiza, o que acaba por ser rídiculo e inútil, pois talvez a companhia nunca tenha planeado aquilo em que consistia o rumor. Acredito que isto acontece mais vezes do que os fãs pensam, sendo por isso a razão de que não acredito em 95% daqueles que leio.

Em segundo lugar, se Brock Lesnar de facto regressar para interagir com CM Punk e se aliar a este, temo pela consistência da história. Quer dizer, quando regressou à WWE depois da Wrestlemania XXVIII, Brock Lesnar não demonstrou qualquer interesse pelo campeão ou pelo título. Aliás, foi como se este nem existisse. Tal posição manteve-se até hoje. Portanto, visto que Heyman é só o representante legal de Lesnar e nunca deram a entender algo mais, penso que o manager será um motivo bastante fraco para justificar uma aliança. Contudo, quem sabe se a WWE não arranjará de facto um motivo credível? Duvido que Lesnar apareça assim tantas vezes, para interagir com Punk, especialmente se tivermos em consideração que este terá um papel essencial na Road to Wrestlemania XIX.

Em terceiro e último, temo que, se de facto esta aliança se concretizar, Lesnar acabe por ofuscar CM Punk. Contudo, embora seja algo que me deixe receosa, ainda deposito confiança no talento de Paul Heyman e acredito que este pudesse fazer um bom trabalho a distribuir as atenções dos fãs entre os dois.

Por fim, em relação a Lesnar, espero que este rumor não se tenha espalhado ao ponto de monopolizar as atenções dos fãs presentes na arena. Ryback merece uma oportunidade justa para ser julgado e CM Punk merece “carregar” este main-event com os olhos dos fãs postos em si. Ter os fãs a criticar este pay-per-view apenas porque Lesnar não apareceu quando nunca houve indicações de tal será extremamente injusto.

Um factor bastante mais provável de se envolver que Brock Lesnar é John Cena. Agora curado e até com uma presença no pré-show do pay-per-view confirmada, é mais que natural considerar a ideia de que Cena poderá tentar prejudicar CM Punk no main-event. Ora, Cena tem sido absolutamente rídiculo e inconsistente nas últimas semanas, já para não dizer inútil. Não deu qualquer importância à sua derrota com CM Punk, os argumentos certos estavam à sua disposição para usar, mas não o fez e a forma como decidiu desistir da sua oportunidade ao título e concede-la a Ryback foi ridiculamente óbvia, chegando mesmo a gozar com a inteligência dos fãs. Preferia que ao menos nesse segmento Cena se mostrasse minimamente aborrecido por não poder lutar pelo Título. A forma leviana como deixou passar essa oportunidade e deixou de exercer pressão sobre a mesma descredibiliza o título da WWE. Na assinatura de contrato, nunca deveria ter sido dado a entender que a decisão era de Cena. Vince estava presente, portanto este tinha que ter tido o controlo da situação.

Acredito que John Cena seja também a razão pela qual CM Punk ainda é ovacionado. É certo que, tal como referi acima, a WWE não tem feito muito para ajudar a personagem de CM Punk, contudo considero que ir contra John Cena não o ajuda. CM Punk representa tudo aquilo que Cena não é. Ou seja, CM Punk é tudo aquilo de que muitos fãs não estão saturados. Ou seja, mesmo que CM Punk seja um heel terrivelmente convincente, acredito que será preciso mais do que isso para que os fãs o apupem quando este se encontra contra John Cena. Quando não estiver contra Cena e estiver contra, por exemplo, The Rock, CM Punk será odiado na perfeição. Se CM Punk e Paul Heyman fizerem das suas, é bem provável que John Cena tente interferir, o que me leva a crer que CM Punk não irá mesmo sair por cima.

O único factor que ainda me faz acreditar que Vince McMahon não enlouquece de vez e, numa tentativa desesperada de chamar a atenção do mundo, dá o título a Ryback é The Rock. No milésimo episódio da Raw, CM Punk e The Rock começaram a construção de algo. Esse algo não inclui Ryback. É certo que CM Punk e The Rock poderão se enfrentar na Wrestlemania 29, ao invés de no Royal Rumble como todos pensam, mas mesmo assim, dificilmente será Ryback a enfrentar The Rock, pois este não possui história com ele. É apenas natural acreditar que Rock irá enfrentar CM Punk e John Cena. Um no Royal Rumble e outro na Wrestlemania. Se tudo correr bem a Ryback no Hell in a Cell e este continuar em alta, a meu ver, será ele a ganhar o Royal Rumble Match.

Não consigo visualizar e prefiro não acreditar que a WWE desperdiçaria todo o trabalho que teve e investiu com CM Punk desde Junho do ano passado apenas para que este ande a brincar à “batata quente” com o título da WWE antes do Royal Rumble. Portanto, por essa razão apenas, acredito que o título não mude de mãos.

Tal como já disse, não ganhar o Título não irá prejudicar Ryback, desde que a WWE saiba protegê-lo. E tal como disse a semana passada, fazer isso com tantos factores diferentes envolvidos num gimmick match é fácil.

Para quem defende que CM Punk deveria perder o Título para Ryback, só posso dizer que tal faria sentido se CM Punk fosse John Cena, Triple H ou Undertaker Se CM Punk já tivesse atingido o auge da sua carreira, o máximo que poderá atingir na sua vida, então sim, faria todo o sentido e eu talvez apoiasse essa ideia. Mas, como fã, sinto que tal ainda não aconteceu. Também sinto que esse momento está cada vez mais próximo. Perto estão os dias em que será CM Punk a valorizar e elevar outras estrelas, mas esse dia ainda não é hoje. Tudo pode acontecer a Punk hoje, menos perder o Título, seja para quem for.

O facto de Ryback estar no main-event, num combate de Hell in a Cell, com a personagem mais importante da actualidade da indústria é o suficiente para elevá-lo. E se a WWE o proteger depois e continuar a valorizar, certamente este não ficará com a credibilidade prejudicada. Perder para CM Punk, tendo em conta o trabalho que a sua personagem já teve ao longo do último ano, não é embaraço nenhum. E tal como disse na semana passada, a grande vantagem deste combate é não saber bem o que pode acontecer. A meu ver, deveria ser assim mais vezes. Enfim, por hoje é tudo, bom fim-de-semana e pay-per-view a todos e votem na League! Até para a semana!

Sobre o Autor

- Administradora. Publico parte das notícias, faço a gestão da League, dos Passatempos e ainda sou escritora do artigo “Opinião Feminina”.

13 Comentários

  1. The Hurricane - há 4 anos

    Grande artigo aeee

    Parabens pela ediçao 101#

  2. Pantallica - há 4 anos

    Artigo fantastico mais uma vez. Parabens!

  3. Vinícius Nunes - há 4 anos

    Grande artigo Salgado, concordo com quase tudo menos com Ryback ganhar o Royal Rumble, acho que Miz, Rhodes e Daniel Bryan merecem mais, e claro que o título não pode mudar de mãos temos que ter Rock e Punk no Royal Rumble.

    • Pantallica - há 4 anos

      Divido que um desses ganhe. Na minha opiao quem vai ganhar o Rumble vai ser ou o Cena ou o Punk, para lutarem contra o The Rock na WM pelo titulo da WWE.

      • Vinícius Nunes - há 4 anos

        Também acho, e creio que vai ser o Cena, já que Punk vs Rock será o Main-event do Royal Rumble.

  4. danielLP21 - há 4 anos

    Bom artigo.

  5. Master-of-Puppets - há 4 anos

    Ótimo artigo ,um dos melhores que já li neste site XD

  6. TheCodebreaker11 - há 4 anos

    Grande artigo!!!

  7. Master of Chaos - há 4 anos

    Incrível Salgado. Incrível mesmo.
    Como alguém pode escrever um artigo com tanta perfeição?
    Desculpe Tiago Silva, desculpe Ricardinho0, desculpe a equipa do W.PT, mas o “Opinião Feminina” é um artigo 6 estrelas.

    Concordo em boa parte do que disseste, mas não acredito que Ryback vença o Royal Rumble, espero que seja alguém que possa enfrentar o Ziggler pelo WHC na WrestleMania.
    Para o combate pelo WWE Championship no RR, espero que ocorra Cena vs. Rock, e que Cena vença Punk no SS e ganhe o título, para que aí enfrente Rock no RR.
    Ou se ocorresse Cena vs. Rock de novo, o termo Once in a Lifetime vai por água abaixo.

    Enfim, continue assim Salgado.

  8. DDNN - há 4 anos

    Ótimo artigo.

  9. Y2J pastor - há 4 anos

    Bom artigo e concordo contigo

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador