Existem 2 vagas na Equipa do Wrestling PT para publicar notícias. Candidata-te!

Opinião Feminina #102 – The Fall of the Apex Predator

Bom-dia a todos e sejam bem-vindos a mais uma edição do Opinião Feminina que, finalmente, irá falar de um tema há tempos prometido: Randy Orton. Nesta edição será debatido o último ano da carreira de Orton, as suas rivalidades e influências noutros lutadores e todas as ramificações que daí poderão surgir.

Mais do que talento, mais do que trabalho, mais do que dedicação ou paixão, o mundo do wrestling profissional é feito de oportunidades e de estar no momento certo à hora certa. Mesmo que essas não surjam da forma mais conveniente ou agradável. Até podem nem passar de meros acidentes que se transformam em algo mais, mas a verdade é que tudo pode ser transformado numa oportunidade para subir os degraus na escada da glória.

Lesões, castigos, reformas, necessidade de apresentar mais estrelas são, entre muitas, alguns dos aspectos que podem proporcionar uma oportunidade a um outro lutador. Oportunidade essa que se não for agarrada com ambas as mãos e levada a sério pode causar arrependimentos eternos e a garantia de que não voltam a aparecer mais como estas. Todas as oportunidades são únicas à sua própria maneira nesta estranha indústria de que somos fãs.

Ora, por muito bela, lucrativa e gratificante que seja a ascensão na escada da glória, tal não significa que a mesma seja fácil. Por vezes existem revés na carreira dos lutadores, momentos que travam a sua ascensão ou que a dificultam.

Ao contrário da maioria das estrelas actuais da companhia, Randy Orton não é um “novato” nos main-events da WWE. Não é lutador que chegou “ontem” à companhia e também não é alguém que se possa queixar de falta de oportunidades e apoio, mesmo quando todas as razões apontavam para não o fazer.

Ora, mesmo depois de ter sido o main-event de uma Wrestlemania, vencedor de um Royal Rumble, detentor de múltiplos reinados por títulos principais, no último ano Randy Orton tem andado numa fase menos positiva da sua carreira.

Muitos fãs alegam que tal começou a partir do momento em que Randy Orton tornou-se oficialmente um face e embora tenha de concordar com tal ideia, acho que de forma mais subtil os problemas começaram quando foi vítima do cash-in de Miz, perdendo assim o Título da WWE.

Depois de ter perdido o título da WWE e a desforra, Orton começou a rivalizar CM Punk com base numa desculpa que, por muito verdadeira e lógica que seja, já ninguém se lembrava que existia. Aliás, nem a própria WWE se lembrava de tal coisa, pois segundo CM Punk foi este mesmo que se lembrou de usar o pontapé que Orton lhe deu no Unforgiven 2008 como motivo para esta rivalidade.

Ora, embora esta rivalidade tenha fornecido excelentes combates, foi sempre pautada pelo facto que ninguém acreditava que CM Punk ia vencer – chegando o próprio a não obter mesmo uma vitória – acabando assim também com o potencial que tinha o grupo que CM Punk liderava.

Embora os combates tenham sido bons, o facto de não ter existido dúvida na cabeça dos fãs em relação ao vencedor e o facto do motivo para a mesma estar há muito esquecido, acabou por tornar uma potencial excelente rivalidade em algo inconsequente. No fundo, serviu apenas como rampa para lançar Randy Orton como face.

Depois da Wrestlemania 27 e da sua consequente “ressaca” ter passado, como estrela principal da Smackdown e agora como face, estava na hora da WWE voltar a colocar Randy Orton no topo. Pena que tal tenha que ter acontecido obrigatoriamente dois dias depois de Christian vencer o Título World Heavyweight pela sua primeira vez, num combate completamente banal, sem qualquer história ou lógica, apenas porque o público queria que acontecesse. Realmente, entre Randy Orton e mais dois heels, a escolha do público era difícil de prever.

Ao contrário da comunidade cibernauta de Wrestling, a larga maioria dos fãs de Randy Orton não se ressentiu com tal situação, sendo isto óbvio pela excelente reacção nas arenas que Orton continuou a receber. Acontece que embora tal não tenha afectado a percepção de Orton para a maioria dos fãs, contribuiu também para um problema que referi na última edição em que participei do “Perguntas e Respostas”: falta de reinados marcantes e significativos. Este reinado começou apenas porque sim. Não houve história, não houve rivalidade marcante e não houve certamente um percurso árduo a percorrer até chegar ao título.

Resumindo e concluindo, de marcante este reinado não teve nada. Não é surpreendente quando uma das maiores estrelas da indústria vence um dos títulos mais importantes da companhia sem nada que marque tal acontecimento? Pelo menos, não que o marque de forma positiva. Acho que mais triste do que fazer esta pergunta é notar a quantidade de vezes que a mesma ocorre.

Depois de terminar a rivalidade com Christian, Randy Orton – de forma surpreendente, segundo muitos fãs – perdeu o título de forma limpa para Mark Henry, falhando também em recuperá-lo no pay-per-view seguinte. É normal que os fãs estranhem este tipo de atitudes por parte da WWE, pois é frequente ver Randy Orton ganhar apenas porque é Randy Orton. Não interessa que os outros lutadores precisem mais da vitória, não interessa que a rivalidade seja insignificante, continua a ser Randy Orton – um dos lutadores mais protegidos por Vince McMahon. Aliás, tal situação irá continuar a aparecer de forma constante ao longo deste último ano.

Lembro-me de ter criticado, na altura no “Opinião Feminina”, o facto de Orton vencer Cody Rhodes de forma limpa num pay-per-view, sem o Título Intercontinental em jogo e sem qualquer rivalidade que desse azo ao mesmo. Porquê? Suponho que tenha sido porque Orton tinha perdido no pay-per-view anterior para Mark Henry.

É esta necessidade rídicula que a WWE possui em compensar uma derrota de uma estrela que considere importante com uma vitória sem qualquer sentido ou razão de ser contra outro lutador que, geralmente, precisa mais da vitória do que a suposta estrela de topo. Este é um ciclo vicioso e ridículo no qual a WWE tem Randy Orton e, por exemplo, Alberto Del Rio. Qual era a primeira coisa que a WWE fazia com Alberto Del Rio depois deste perder em pay-per-view com Sheamus? Vencer na Raw por squash contra Zack Ryder, Justin Gabriel, Santino Marella, entre outros.

A questão é que são estas vitórias que levam à inconsistência das personagens e, por consequente, à falta de preocupação dos fãs no que toca às histórias. Afinal, para quê darmos importância a um combate, se não interessa quem perde. Afinal, essa pessoa pode muito facilmente vencer um jobber no dia seguinte que o assunto deixa de importar.

Não é assim que se protegem os lutadores e o seu estatuto. Perder não é o problema. Nunca foi o problema. A forma como se perde, a história que está a ser contada com essa derrota, o significado da mesma e aquilo que acontece depois é que faz a diferença. Randy Orton e Alberto Del Rio são os exemplos puros de como as vitórias magoam a credibilidade do lutador e diminuem o seu estatuto aos olhos dos fãs. Este medo da WWE em ver os lutadores supostamente mais “valiosos” perder sem ter algo com que contrabalançar a situação prejudica não só os main-eventers, como os mid-carders que são sujeitos a tais situações. É caso para dizer que assim sendo mais vale perder.

Ora, enquanto rivalizava com Wade Barrett, Randy Orton sofreu um desaire, desta vez um que não foi provocado inadvertidamente pela WWE. Randy Orton sofreu uma lesão que o colocou de fora até à véspera do Royal Rumble. Como é natural, não existem confirmações oficiais, mas pessoalmente acredito que a WWE tenha trazido Orton de volta para a sua participação no Royal Rumble sabendo que este podia não estar a 100%, voltando a tirá-lo de televisão pouco tempo depois do evento. Afinal, porque outra razão se daria tão pouco tempo a um dos lutadores de topo, uma das estrelas com mais renome do evento Rumble e um nativo da cidade em que o mesmo realizou?

Contudo, mesmo sem estar a 100%, acho que a WWE devia ter colocado Orton mais cedo no Rumble. A ovação que este recebeu no evento foi absolutamente ensurdecedora e a sua participação uma desilusão completa. Acho que seria possível protege-lo ao longo do Rumble visto estar sempre tanta coisa a acontecer ao mesmo tempo e ser muito difícil manter os olhos só num lutador. Infelizmente, não foi o que aconteceu. Randy Orton entrou assim com o pé esquerdo nesta Road to Wrestlemania.

Mesmo estando a passar por uma fase menos positiva da sua carreira, a sua presença na Wrestlemania era indispensável. Como sabemos, a WWE não planeava um combate muito complexo pelo Título World Heavyweight, sendo por isso Randy Orton emparelhado com um veterano, Kane. Muito à semelhança do que se tinha passado com a sua rivalidade com CM Punk na Wrestlemania 27, Randy Orton era mais uma vez protagonista de uma história sem objectivo concreto além do colocar no card do maior evento do ano.

Já disputei várias vezes depois do evento que, a meu ver, Randy Orton devia ter ganho. Está certo, o combate que tiveram no Extreme Rules foi consideravelmente melhor que o da Wrestlemania, assim como tantos outros, terminando assim a rivalidade em alta, mas face a realidade e o estatuto de Kane, penso que a vitória no maior evento do ano podia ter lançado Randy Orton de volta aos main-events. Nem que não seja porque Orton, claramente, precisava da vitória. A Kane não lhe acrescentou absolutamente nada.

Mesmo ficando atrasado um pay-per-view daquilo que estava a pensar, Randy Orton voltou a lutar pelo Título World Heavyweight no Over the Limit numa excelente Fatal Four-Way. Embora não estivesse escalado para continuar nesse caminho, Orton estava mais uma vez a ganhar relevância e notoriedade. Contudo, mais uma vez, as coisas correram mal e Orton foi suspenso por ter violado as regras da Wellness Policy.

Ora, é fácil atacar Orton neste sentido. Foi o eu fiz e foi o que a maioria dos fãs da WWE fizeram. Depois de todos os problemas que já teve, depois de um DVD que dava a entender que o pior já tinha passado e que Orton era um homem diferente, tomar conhecimento de que este tinha sido suspenso novamente fez com que muitos fãs, eu incluída, se sentissem insultados e manipulados por terem de facto acreditado nas mudanças de Orton.

Teoricamente, não sabemos o que realmente se passou. Confirmações nem vê-las e já deixei bem clara a minha posição em relação a rumores da edição da semana passada.

Temos como factos que a WWE possui à sua disposição clínicas de reabilitação e uma equipa de médicos habituais. Falhar os testes da Wellness Policy por distracção ou por acidente parece-me muito pouco provável ou sequer aceitável, tendo em conta os recursos que possuem, contudo neste campo ainda há muito por explicar.

Facto é que a carreira de Orton sofreu mais um revés. Este faltou ao milésimo episódio da Raw e também não lutou no Summerslam. Se a sua ausência do Summerslam foi o castigo que a WWE arranjou para a WWE, terá sido este justo?

Sinceramente, se é isto o que a WWE chama a castigo, então as nossas definições da palavra são muito diferentes. Ou então, ou como de costume, a WWE sentiu que não podia castigar demasiado Orton, sendo este uma das estrelas da topo da companhia.

E este é um dos pontos em que discordo imenso da WWE. Orton foi uma das estrelas mais importantes da companhia e, de certa forma, tal pode ser defendido como facto neste momento. Contudo, mesmo com a falta de star power no roster principal e mesmo com uma das suas estrelas mais importantes numa fase menos boa, a WWE não foi prejudicada. Sim, o produto tem ficado mais saturado no último ano e vários problemas começaram a mostrar-se, mas facto é que por muito que a WWE julgue o contrário, a verdade é que a companhia não depende de X ou Y. Sim, John Cena, CM Punk e Randy Orton são extremamente importantes e são os “homens” da companhia. Uma perda definitiva de qualquer um destes três iria causar danos, contudo não seria nada de que a WWE não conseguisse recuperar.

Isto porque a WWE possui um monopólio tão grande sobre a indústria e é uma companhia de tanto renome que a sua história, a sua fama, o seu valor adquirido ao longo dos anos, fala por si.

Acho uma hipocrisia imensa sujeitar os lutadores mais importantes, como Randy Orton, às suspensões da Wellness Policy para que estes depois regressem e volte tudo a ser como dantes. Quero com isto dizer, que voltem às vitórias e a ser protegidos de forma irracional. Faz-me crer que os castigos da Wellness Policy, para os mais valiosos, não passam de burocracias que têm de ser feitas para manter as aparências, quando na realidade não é nenhum castigo. Sim, Randy Orton faltou ao Summerslam, mas no Night of Champions venceu Dolph Ziggler, alguém que se tem esfolado a trabalhar – tal como é exigido pela indústria – ao longo dos últimos anos, sem fraquejar independentemente dos adversários, e que ainda não viu o seu objectivo concretizado.

Portanto, o que foi a suspensão da Wellness Policy para Randy Orton? O que foi este “castigo” – partindo do pressuposto que foi essa a intenção da WWE? Umas férias. Nada mais, nada menos que isso. O que é de lamentar, não só pelos supostos valores da companhia e pela importância da Wellness Policy, como também para aqueles que são castigados duramente, ao invés de terem apenas umas férias. Orton não é indispensável, logo não deve ser tratado como tal. Causa um péssimo precedente para o futuro e alimenta o sentimento de dependência da companhia.

Voltando ao início, pode-se dar ao caso da suspensão de Randy Orton ter sido provocada de forma acidental e a WWE não o culpe do sucedido. De qualquer das formas, tal como disse acima, acho tal ridículo de acontecer numa companhia que, não só possui, como se orgulha de possuir excelentes equipas médicas ao seu dispor. Acho também estranho que Randy Orton tenha ficado de fora do Summerslam, caso se confirme que a sua violação foi acidental.

E se até quisermos esquecer a sua violação da Wellness Policy e a forma como esta teve um impacto na sua carreira nos últimos meses, continuo a achar que não fez sentido algum Dolph Ziggler perder no Night of Champions. É certo que, tal como disse acima, não são as derrotas em si que interessam, mas sim a forma como as mesmas são construídas e apresentadas. Contudo, facto é que Dolph Ziggler perdeu para alguém que tem estado numa fase decadente da sua carreira. O que é que isto diz de alguém que está a ascender? Que está a tentar chegar ao topo? Acaba por não passar uma percepção muito positiva e, como já muitos sabem, nesta indústria a percepção é realidade.

Randy Orton não precisava disto, até porque com as gravações do 12 Rounds pelo meio, Orton não iria conseguir estar a sério numa rivalidade, portanto, embora o combate no Night of Champions entre ambos tenha sido muito bom, a verdade é que não foi marcante de forma positiva na carreira de nenhum dos dois. Prejudicou Dolph Ziggler que adia assim a oportunidade de se provar como ameaça decisiva ao título e para Randy Orton foi apenas mais um vitória sem “sabor”.

A mesma situação aplica-se a Alberto Del Rio que, tal como referi, está preso num ciclo vicioso. A WWE não lhe quer dar reinados como campeão, mas não suporta vê-lo perder. Como tal, este precisa de compensar todas as semanas ao vencer um jobber, mesmo que este jobber esteja no caminho da ascensão. Basicamente, assistimos à WWE a dar um passo para a frente (elevar os mid-carders) e logo de seguida dois para trás (arrasá-los em squashes). Tudo isto porque crêem que assim magoam menos a credibilidade de Del Rio, quando na realidade estão a fazer exactamente o contrário.

A forma como a WWE tem lidado com a personagem de Randy Orton no último ano tem sido absolutamente desastrosa. Orton já afirmou que sente mais confortável como heel, o que é bastante óbvio. Tudo em Orton se adapta melhor quando este é um heel. O facto de ser face impede-o de ser e fazer algumas coisas que fizeram com que as pessoas gostassem dele em primeiro lugar.

A sua volatilidade passou a tornar-se previsível, os seus maneirismos deixaram de parecer maléficos e aterrorizadores, para agora serem apenas parte de uma rotina gasta. Ao passo que, como face a WWE sente-se tentada em dar mais vezes o microfone a Orton, mesmo sabendo que as mic skills deste são absolutamente pavorosas, como heel tal não era necessário, pois as suas acções eram o suficiente para falar por si.

Depois de ter virado face oficialmente, Orton tornou-se, pelo menos para mim, um pouco enfadonho de acompanhar, porque tal como expliquei, a volatilidade e imprevisibilidade das suas acções – que era algo que me mantinha atenta e fã – desapareceu. A partir do momento que é face, a lista dos seus adversários e vítimas torna-se limitada, assim como as suas atitudes.

Ao contrário de muitos fãs, não acho que Randy Orton deva regredir e voltar à época de 2008/2009. Por principio, acho essa filosofia absurda. Orton precisa, claramente, de evoluir. De avançar no tempo e se renovar. Todos têm que o fazer a determinada altura da sua carreira e, parece-me que esta seja a vez de Orton. Acho que deve evoluir como heel, mas isso não quer dizer que Orton se torne igual ao que era dantes. Muito pelo contrário.

Embora seja uma das grandes estrelas da WWE, a ascensão de Orton na escada da glória não terminou ainda. Ainda há degraus que este precisa de subir e este é um deles: renovação. A não ser que, tal como muitos outros aspectos, a WWE se sinta confortável em apenas deixar a situação como está até ter a corda à volta do pescoço, sendo assim forçada a tomar uma atitude. Acho que é o que vai acontecer, pois Orton, mesmo nesta fase menos positiva da sua carreira, continua a ser um draw e a vender imenso merchandise.

Em relação ao futuro próximo, mais especificamente a Wrestlemania 29, não acho que Orton vá ter um papel significativo, tal como nos últimos três anos. Aliás, o main-event da Wrestlemania 25 onde este não ganhou parece ter ditado mesmo o início da sua queda, pelo menos nesse evento específico. Para a Wrestlemania 29, vejo Orton a lutar pelo combate pelo Título World Heavyweight, no máximo, contudo para as massas, esse combate não irá ter muita relevância/destaque. Num evento onde teremos CM Punk, The Rock, Brock Lesnar, Triple H, John Cena e talvez Undertaker, tal situação é apenas lógica de esperar. Ao menos com Orton no combate garante-se que o mesmo irá ter uma duração superior a 18 segundos, o que já não é mau de todo.

Enfim, estes são os meus pensamentos em relação a Randy Orton e ao estado actual da sua carreira. Como referi, é possível ir ainda mais atrás no tempo para determinar os momentos que começaram a prejudicar Randy Orton, contudo penso que a sua mudança para face e a consequente perda das suas características mais valiosas foi mesmo o momento que definiu o início deste problema. Como é natural, Orton ainda é um lutador de renome e ainda é visto como um dos principais da WWE, de forma justa. Afinal, Orton é um main-eventer estabelecido. Imortalizado não, ao contrário de Punk que está nesse caminho, mas estabelecido está sem dúvida alguma. Resta-me desejar uma excelente semana a todos e até ao próximo “Opinião Feminina”!

Sobre o Autor

- Administradora. Publico parte das notícias, faço a gestão da League, dos Passatempos e ainda sou escritora do artigo “Opinião Feminina”.

26 Comentários

  1. Jhon William - há 4 anos

    Excelente artigo sobre um dos meus preferidos superstars!
    Espero que não caia mais…

  2. danielLP21 - há 4 anos

    Excelente artigo.

    Eu ainda ontem disse no “Smoke And Mirrors” que o Randy Orton,por incrível que pareça,e depois de tanto tempo no Main-Event,ainda não teve o seu momento de glória,aquele momento que define uma carreira. Esse momento,para mim,tinha que ter sido uma vitória sobre Triple H (o seu mentor) na WrestleMania 25,mas lá está,80% das vezes têm que ser os Faces a vencer na WrestleMania e isso para mim é uma estupidez. Ainda por cima,o Orton ganhou o título um mês depois num combate de Tag Team! Enfim,mais uma das excelentes decisões que a WWE teve em 2009…

    Voltando ao tópico principal,a decadência do Orton começou a notar-se de forma mais vincada quando ele fez o Face-Turn em 2010,e teve um combate Triple Threat contra o Cody Rhodes e o Ted Dibiase na WrestleMania,o que para mim foi ridículo. Nas últimas 3 WrestleManias,o Orton tem estado completamente tapado e não me parece que essa situação vá mudar tão cedo.

    Eu não considero que a derrota com o Kane tenha sido muito grave,acho mesmo que o combate foi tão irrelevante que o resultado se tornou completamente indiferente. Caso tivesse vencido na última WrestleMania,duvido que essa vitória fosse alterar o que quer que fosse na carreira dele. Sim,é óbvio que não alterou nada a carreira do Kane,que,por incrível que pareça,ainda não teve uma grande vitória numa WrestleMania,e não vai ter…

    Caso o Orton lute pelo Título Mundial na WrestleMania,espero que seja como Heel e contra o Dolph Ziggler. A sério,sonho mesmo em ver o Dolph a entrar na ‘Mania como campeão… Mas duvido que o Sheamus fique de fora da rota do título na WrestleMania,aliás,duvido que ele fique muito tempo sem recuperar o título.

    Enfim,temos que esperar que o melhor Orton regresse,e concordo também quando referes que aquelas personagens que perdem em PPV’s e no dia seguinte vencem jobbers ficam muito inconsistentes e isso não os ajuda em nada.

    • José Sousa - há 4 anos

      Sim falamos sobre isso e eu concordei Daniel, naquela Wrestlemania o Orton tinha ganho ao Triple H e tinha tido o seu momento Wrestlemania que o glorificava, até porque tudo o que fez até lá na construção do combate justificava( porque o buid-up para o tornar um mito nesse combate foi bem feita). E nos combates com o Undertaker já sabiamos que não iria ganhar mesmo sendo dos meus combates do Undertaker em Wrestlemanias preferidos admitos. E a rivalidade dos Legacy muito menos. Mas ele precisa do heel turn para a personagem mudar, o lado face está saturado e não sei como mas gostaria de o ver perder a estribeiras com alguem tipo Sheamus e virar heel.

      Este ano acho que vai ser Orton contra Ziggler na Wrestlemania Daniel, o Sheamus está a cheirar-me a Lesnar contra ele na Wrestlemania, acho que o Ryback nao vai ter o tal combate contra Taker e Lesnar, pelo menos espero que não, porque apesar de estar a melhorar ainda é cedo para o arriscar para esses patamares. E mesmo que o Orton ganhe ao Ziggler não é um momento épico, alias a acontecer o combate eu espero que seja com o Ziggler face( e algo me diz que vai ser face) depois do cash-in no big Show, e como dizes noutro comentario ele pode ser um face arrogante a históra da WWE teve alguns como tu referes, e olha que tal como o Miz que poderia ser um face com esta gimmick e seria um face gabarolas mas com impacto junto do público. Eu espero que no final desta história toda o Ziggler faça o cash-in depois da feud com o Cena, porque ele merece esta consolidação como um dos superstars do futuro e pode ser perfeitamente face porque” It´s not Showing off when you back it up everynight”.

      Uma coisa é certa se for Ziggler contra Orton é sinal que o Orton ou ganha o Rumble ou que do lado do título da WWE ganharia o Rumble o Cena para ir atrás do The Rock ou o Punk. Sinceramente nunca como para o ano tive dúvidas sobre quem poderá ganhar o Rumble e olha que o ano passado ja tinha alguns candidatos, e já imaginava um Cena ou um Jericho, ou Sheamus a ganhar o Rumble.

  3. andré_rodrigues - há 4 anos

    Muito bom artigo, é pena que ele nao tenha estado de forma bem construída, na rota do WHC, pois eu acho um grande lutador. Mas segundo rumores ele vai voltar, e espero que a WWE nao erre nesse ponto , de contruir um história sólida e que faça o universo crer na “verdade” dessa mesma história. a ver vamos . . .

  4. The Charismatic Enigma - há 4 anos

    Ótimo texto.
    Minha opinião é praticamente a mesma, Randy Orton Face é desinteressante.
    Eu ao contrário de muitos, acho que uns Nasceram para Ser Heel’s, e outros pra serem babyface.

    Ziggler perder para o Orton no Night of Champions foi absolutamente ruim, para o Ziggler.
    Apesar de o combate ter sido bom,Dolph devia ter ganho, porque isso seria um grande passo de credibilidade ao “Show-Off” e não magoaria tanto a de Orton.

  5. João Macedo - há 4 anos

    Mais um bom artigo, abordaste um tema interessante.

    Eu penso que este problema só irá ser resolvido quando o Orton fizer o heel-turn, a tal “renovação” que falas. Esta gimmick está gasta e a WWE tem que fazer alguma coisa. Eu associo também muito uma renovação no Orton a uma renovação na SmackDown, o Orton é um dos grandes impulsionadores da brand e creio que o seu heel-turn traria mais interesse ao show, especialmente se estivesse na rota do World Heavyweight Championship.

    Obrigado por mais um artigo fabuloso, ao domingo até aprendo de wrestling ao ler isto.

  6. Gman - há 4 anos

    Se pudesse Salgado, fazer um artigo onde fala dos Superstars mais inconsistentes da WWE e outros que possuem personagens firmes e com futuro, abordando diversos pontos das mesmas personalidades, o que ha de bom e o que se pode melhorar em cada.

    Para termos um balanço do futuro da companhia, parece um pouco confusa e dificil a ideia, mas tenho certeza que vocÊ realizaria ela de forma magnifica.

    Pode-se fazer da TNA também, mas acredito que o ideal seria falar com o Jorge.

  7. Bill Rods - há 4 anos

    Óptimo artigo, Salgado, como sempre!

    É certo e sabido que o Orton foi talhado para ser heel, por isso, não me admira o seu momento “menos agradável”, digamos assim… Sim, porque ele, pelo menos, ainda recebe tremendas ovações por todas as arenas aonde passa.

    Acho que o seu grande momento está para breve… Talvez, numa possível feud com o Dolph Ziggler, como se tem especulado, sendo Orton heel e Ziggler face…
    Mas, só espero uma coisa: que o Orton não ganhe a Rumble este ano, como alguns já têm comentado… Na minha opinião, a Rumble de 2013 deveria ser usada para catapultar um talento para o Main-Event, como o Cody Rhodes, o Barrett… (Se isso acontecer, o meu pressentimento diz que o Barrett é o vencedor…)

    • danielLP21 - há 4 anos

      Eu estou esperançoso que o vencedor do Royal Rumble esteja entre Wade Barrett e The Miz.

      • Bill Rods - há 4 anos

        Quase de certeza que irá ser um destes dois, porque se for um main-eventer a ganhar, então vai ser um desperdício… A WWE está a precisar de criar mais star-power…

      • RuiDionisio - há 4 anos

        mesmo, por acaso tambem sao as minhas previsoes, The Miz, Wade Barrett ou Mark Henry (se o campeao for o Big Show, para fazerem um last match, e o que perder acabava a carreira) para vencedores do Royal Rumble

      • Bill Rods - há 4 anos

        Sejamos realistas: achas que a WWE lhe dá a Rumble ao Mark Henry, que, por esta altura, já está velho e cansado? Um “last match”, como tu dizes, até acredito que aconteça algum dia, mas sem nenhum título, nem a Rumble, à mistura.

      • RuiDionisio - há 4 anos

        Se nao for o Wade Barrett nem o The Miz, a nao ser que uma superstar volte, neste momento para além daqueles dois tenho a certeza que seria o Mark Henry num last match entre Big Show vs Mark Henry e especialmente se o Big Show for campeao nessa altura é praticamente certo

      • José Sousa - há 4 anos

        Eu acrescento o Rhodes, a WWE ia mesmo dar-nos um Ziggler vs Miz ou Vs Barrett na Wrestlemania. Eu gostava e até acho viável porque tal como o ano passado o WHC não deverá ser um dos 3 combates principais da noite, o que pode levar a esse tipo de situações. Desde que o combate dure mais que o do ano anterior. Outro receio que tenho é que seja Ziggler vs Ryback com o Ryback como face para lhe dar o título num combate curto.

      • Bill Rods - há 4 anos

        Eu cheguei a pensar no Rhodes, mas não me cheira que ele ganhe a Rumble. Possivelmente, ganha o Money In The Bank no próximo ano, mas veremos…

      • João Macedo - há 4 anos

        Eu apostaria mais num Cody Rhodes ou assim. Mas creio que o Wade será o melhor colocado para vencer.

      • The Charismatic Enigma - há 4 anos

        E eu estou esperançoso que o vencedor seja Daniel Bryan ou mais improvavelmente Chris Jericho.

        Pensando bem, nem tão esperançoso assim…
        Mas são os 2 que eu queria que ganhasse a próxima Royal Rumble Match.

      • Vinícius Nunes - há 4 anos

        Pra mim vai ser Cena ou Orton ou quem sabe Punk, se a WWE me faz um favor de colocar o Royal Rumble match como main-event…

      • Bill Rods - há 4 anos

        Ah?? Acho que a Royal Rumble match foi sempre o main-event do PPV, desde que me lembro… Ou estavas a ser irónico, Vinícius?

      • Vinícius Nunes - há 4 anos

        Quando se trata de The Rock eu não duvido de nada que o Vince faça, eu acho um acinte não colocar o Rumble Match como main-event, mas do jeito que Vince é ass-kisser do The Rock, é capaz da match de Punk vs Rock ser o main-event. Duvido que The Miz ganhe o Rumble ano que vem, duvido mesmo, infelizmente, e assim como 2007, 2008, 2009,2010.. o Rumble será de um main-event, como vocês percebem, estou muito pessimista com relação a WWE.

      • José Sousa - há 4 anos

        Foi quase sempre Bill Rods e deve ser novamente, para mim é entre Barrett, Orton, Ryback, Rhodes, Punk e Miz.

        Daniel Bryan não porque deve lutar contra o Kane na Wrestlemania, e o Jericho esqueçam porque acho que tem concertos nessa altura segundo li há algum tempo.

      • Bill Rods - há 4 anos

        Hmm… Quase sempre? Estive quase lá! :D

        Épico era o Punk perder o título para o The Rock e, logo a seguir, ganhar a Rumble. Mas, mesmo assim, mantenho a minha: não gosto desse cenário. Há superstars a precisarem da Rumble mais que ele.

        Entre Barrett, Orton, Ryback, Rhodes, Punk e Miz, como tu disseste, José, acho que o Punk é o único que não encaixa muito bem nesse cenário… Mas, também, é só a minha opinião!

      • The Charismatic Enigma - há 4 anos

        Entre os que você disse José, os unicos que eu queria que fosse o próximo Royal Rumble Winner seria o CM Punk ou Miz.

      • José Sousa - há 4 anos

        Eu não disse que são os que eu queria disse os que acho mais provaveis é diferente. Tipo quem falou foi o José( quee escreve artigos), e ai tenho que analisar imparcialmente.

        O José fã queria que fosse entre Bryan, Miz ou Barrett mas sei que é improvável.

  8. Linkin - há 4 anos

    Simplesmente concordo uma vez mais e com aquela pergunta que te fiz no perguntas e respostas, esclareceu me logo a dúvida que tinhas sobre o Randy Orton. Randy Orton é um excelente lutador e sem dúvida para a carreira dele ficar excelente precisa de um “momentum” e a WWE estragou o em dar várias vezes o título máximo da WWE a Orton. Parabéns uma vez mais Salgado.

  9. RuiDionisio - há 4 anos

    “estava na hora da WWE voltar a colocar Randy Orton no topo. Pena que tal tenha que ter acontecido obrigatoriamente dois dias depois de Christian vencer o Título World Heavyweight pela sua primeira vez”, nao foram dois dias, mas sim 6, segundo a televisao porque sim na realidade foi mesmo só dois porque o Smackdown é na terça.

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador