Opinião Feminina #126 – Back to the Status Quo

No mundo do Wrestling Profissional, os Títulos são tão importantes quanto a importância que lhes é associada. Quanto melhor a sua representação e cuidado, mais valioso este parecerá para os fãs. Afinal, no fim do dia, Wrestling não passa de um mundo das ilusões. Tudo tem exactamente o valor que lhe é atribuído, seja assim tratado pelos fãs ou não. O que significa que tão depressa um Título pode ser a honra mais importante e significativa da actualidade, como pode não passar de apenas mais um acessório para os lutadores usarem.

Certo é o facto que essa representação irá ter um impacto nas carreiras dos lutadores que têm a honra de possuir Títulos. Se a representação actual do Título for positiva, o lutador em questão terá expectativas elevadas a que corresponder, a par de que se a representação for negativa, o mesmo poderá tornar-se numa desvantagem para o próprio lutador que têm assim em mãos uma reputação contra a qual terá de lutar.

Tendo em conta que o seu efeito é tão importante, é apenas natural concluir que os Títulos deveriam ser tratados com mais cuidado. E a meu ver, nada é mais importante do que torná-los verdadeiramente relevantes para os fãs. Nada é mais importante do que fazer com que os fãs se interessem pelos lutadores em questão, pelas rivalidades e pelas mudanças de título para que ests não se limitem à ovação da praxe sempre que o mesmo muda de mãos.

Esse deveria ser o objectivo principal para o 90% da WWE que não é constituído pelo roster principal e pelos respectivos dois Títulos. Não só porque dá destaque ao resto do roster, como dá oportunidade aos fãs de terem acesso a um produto mais completo e consistente.

Infelizmente, não é assim que a WWE pensa ou funciona. Pelo menos, não é o que parece. A meu ver, a WWE continua a mostrar os mesmos típicos sinais de uma criança aborrecida que sempre que se farta de brincar com o boneco novo, regressa ao antigo. Ora, esta metáfora está a ser usada para introduzir o tema desta edição: a vitória de Kofi Kingston pelo Título de Estados Unidos contra Antonio Cesaro.

Comecemos então por identificar os indíviduos em questão. Um das poucas coisas que se pode dizer que Antonio Cesaro e Kofi Kingston têm em comum é o facto de terem falhado a Wrestlemania. É certo que Kofi apareceu no pré-show para comentar o evento, mas tal dificilmente se considera capacidade que qualifique um candidato a qualquer título. Por outro lado, ambos perderam imenso ímpeto nos últimos meses na WWE, sendo as suas ausências da Wrestlemania apenas uma prova disso.

Ao longo destes primeiros meses de 2013, Antonio Cesaro – campeão de Estados Unidos até à passada segunda-feira – foi derrotado em vinte combates, de um total de trinta e um em programação televisada. Aliás, não só isso, como Cesaro viu tudo o que o tornava diferente dos outros a ser-lhe tirado – as exibições de força diárias através de The Great Khali, entre outros – assim como os seus discursos feitos em várias línguas. Já por sua vez, o grande destaque de Kofi Kingston foi no Royal Rumble pela sua original forma de regressar aos ringues.

Portanto, podemos concluir que nenhum dos senhores em questão é minimamente relevante dentro da companhia, portanto presumo que seja seguro e razoável afirmar que a mudança de Título não representou uma melhoria. Ora, o mesmo argumento poderia ser usado para justificar que a mudança também não representou uma despromoção do Título. E, no fundo, concordo com isso. Kofi Kingston é practicamente tão irrelevante quanto Antonio Cesaro com a diferença que ainda consegue obter algumas reacções por parte de uma porção do público da WWE, embora seja facilmente ignorado pela maioria, logo o título não sofreu uma despromoção, por assim dizer.

À primeira vista, parece não ter feito qualquer diferença. Aliás, Kofi Kingston, como midcarder consolidado e campeão de múltiplos títulos secundários, teria – supostamente – a capacidade de trazer alguma credibilidade ao Título de Estados Unidos, correcto? O seu repertório claramente defende isso, afinal não é todos os dias que se é três vezes campeão de Tag Team, quatro vezes campeão Intercontinental e três vezes campeão de Estados Unidos.

Então, com este repertório tão significativo e com alguma adoração dos fãs, como é que é possível que nos seis anos que esteve na WWE, os momentos mais marcantes e relembrados de Kofi Kingston são as duas manobras acrobáticas no Royal Rumble e por ter sido chamado de “estúpido” por Randy Orton, em ringue?

Que Título, de todos os que já teve múltiplas vezes, é que Kofi Kingston valorizou? Que reinado é que foi verdadeiramente marcante? Colocando o seu estilo high-flying de parte e todas as vantagens que o mesmo trás para criar momentos importantes em combates de Money in the Bank e Royal Rumble, que razões é que os fãs têm para apoiar Kofi Kingston? O que tem a sua personalidade de especial? Melhor ainda, em que é que se baseia a mesma?

Posso estar a ser um pouco inflexível e talvez a memória me esteja a falhar, mas não me lembro de ver Kofi Kingston a fazer ser responsável por algum impacto positivo nalgum dos Títulos que possuiu. Recordo-me do seu reinado de Tag Team com Evan Bourne ter tido potencial para ser algo mais, mas todos sabemos como é que isso acabou. Recordo-me de Kofi ter ímpeto significativo após lutar contra The Miz num episódio da Raw há uns meses, mas tal também se esvaiu rapidamente, porque – intencionalmente ou não – a WWE rapidamente acabou com isso. Não conheço a personalidade/personagem de Kofi Kignston, porque a mesma não é merecedora de atenção, se é que existe de todo.

Kofi Kingston é o típico midcard babyface. Não precisa de personalidade, não precisa de histórias, só precisa de ser de confiança para fazer alguns spots marcantes todos os anos. Só precisa de ter um estilo animado e empolgante para que, quando todos os outros planos à última hora falhem, a WWE possa ter alguém em quem confiar para fazer um combate rápido que acorde o público. Ou, alguém que irá estar sempre na posição de gastar tempo ou relaxar os fãs em pay-per-view. Ou muito me engano, ou Kofi Kingston está eternamente condenado a esta posição no card.

E não há nada de mal com isso. Todos querem chegar ao topo, mas nem todos são feitos para lá chegar. Nem todos têm o potencial para lá chegar. Nem todos têm o potencial de Antonio Cesaro.

É verdade que nem tudo abona a seu favor. Pode falar múltiplas línguas, pode ser extremamente competente dentro de ringue, ter uma força absolutamente impressionante e até ter o físico que – segundo reza a história e a má língua – a WWE idealiza para os seus lutadores, mas Antonio Cesaro não consegue conquistar o público através do microfone. Pelo menos, não com esta personagem. Esta é a sua grande desvantagem e grande fraqueza.

Graças a essa sua fraqueza, este está a ser culpado pela falta de sucesso do seu reinado como campeão de Estados Unidos e pela falta de heat por parte do público, o que é visto como gravíssimo, sendo este um heel.

Ora, é verdade que esta sua fraqueza é um problema e terá a sua quota parte de culpa nos seus subconsequentes fracassos. Porém, acho incrivelmente rídiculo e imaturo culpar tudo isto num só factor. Admitindo que a falta de mic skills de Antonio Cesaro é um problema com consequências significativas, que outros factores podem existir para contribuir para este problema?

Vou responder a esta questão com outra questão: o que é que a WWE tem feito ultimamente para promover e valorizar Antonio Cesaro como um heel convincente?

Sim, deu-lhe a cliché e, tipicamente fácil de odiar, gimmick do “estrangeiro que julga que é melhor que todos”. Algo que raramente se vê na WWE, certo? Algo pelo qual grande parte dos lutadores estrangeiros passa na WWE, certo? Deu-lhe um microfone e deixou-o usar as suas capacidades multi-linguísticas para irritar o público. E, enquanto aconteceu, resultu. Não foi um sucesso estrondoso, mas resultou. Contudo, essa capacidade rapidamente deixou de ser usada. As provas de força extrema também aconteceram durante várias semanas, também chocaram, também resultaram, apenas para depois desaparecerem rapidamente.

Antonio Cesaro passou de midcarder com potencial com um problema ao microfone, para uma das pessoas mais derrotadas em televisão na WWE. Seja por The Miz, Randy Orton, Alberto Del Rio… Não interessa. Nos últimos meses, Antonio Cesaro tem perdido repetidamente. E o problema é que não foram derrotas favoráveis. Não foram o tipo de derrotas que deixam com que Cesaro abandone o combate com alguma valorização.

Não, foram apenas derrotas sem sentido em combates repetidos que, na maioria das vezes, nem tinham nada a ver com o Título de Estados Unidos. E que mensagem é que isso passa aos fãs? Quando os adversários de Cesaro o vencem repetidamente, mas nunca o chegam a desafiar pelo Título? Como é possível os fãs darem importância a este Título, quando todas manobras da WWE apontam para o contrário?

O mesmo se aplica a Antonio Cesaro. Tantas derrotas repetitivas em pouco tempo tornaram Antonio Cesaro num dos lutadores mais derrotados destes primeiros meses de 2013. Isso causa danos. Porque é que os fãs se iriam cansar a apupar um vilão que nunca vence? Porque é que os fãs irão vaiar alguém que lhes dizem que é vilão, mas não se comporta ou é retratado como um? Como é que os fãs são suposto recear ou odiar alguém que nem sequer é tratado como uma ameaça? Não estamos a falar de um veterano consolidado como Chris Jericho, estamos a falar de alguém que há quase um ano se estreou no roster principal. Alguém que está a tentar construir carreira e reputação, não alguém que já pode disfrutar dos louros da mesma.

Ora, se a sua personagem não estava a ser um êxito no início e apenas a evidenciar possíveis vislumbres de sucesso, ainda mais díficil é fazê-lo depois deste passar três meses a ser completamente arrasado. Não só todas as poucas coisas que funcionavam foram-lhe removidas, como passou a ser apenas mais um jobber, o que faria todo o sentido se a WWE não possuísse já imensos nos bastidores.

Se as mic skills, ou falta deles, são um problema de Cesaro? Sim, sem dúvida alguma. Mas para resolver o problema existem managers, como por exemplo, Zeb Colter. Visto que Jack Swagger valoriza tanto todo o trabalho que a WWE teve para que este voltasse como um membro relevante de main-event ao ponto de ser detido poucos dias depois de vencer a Elimination Chamber, porque não usar Zeb Colter em Antonio Cesaro?

É certo que Antonio Cesaro também deveria, por si próprio, procurar melhorar e fazer a sua personalidade resultar. Isso é um facto indiscutível. Mas, este estreou-se há quase um ano! Não é como Jack Swagger ou Kofi Kingston que há cinco/seis anos estão na WWE e apresentam as mesmas mic skills do dia em que estrearam! Os casos simplesmente não são comparáveis.

É anedótica a teimosia que a WWE tem para fazer certas coisas funcionarem ou para fazer com que certos lutadores se tornem populares, contudo com outros, desistem sem razão aparente. Suponho que seja porque lhes passou a vontade? Arranjaram uma nova predilecção? Ou será que Cesaro de facto se “portou mal” e por isso agora precisa de fazer mau “yodeling”? Ou isso, ou a WWE está simplesmente a testá-lo e, nesse caso, não há muito a fazer além de simplesmente aguentar.

Contudo, enquanto a WWE testa ou não testa uma das suas estrelas com maior potencial, o Título de Estados Unidos continua absolutamente irrelevante, nas mãos de alguém que não fez nada para provar ou mostrar que de facto poderá ser mais que um campeão de transição.

Fala-se que Kofi Kingston poderá fazer um heel-turn. Sinceramente, não acredito por múltiplas razões. Primeiro, Kofi não têm nada de heel em si. Gostava que me provasse errada, não o quero ver falhar por razão alguma, mas se como babyface Kofi Kingston é puramente genérico, como é que se pode sequer considerar a hipótese de o ver como heel? Será que este é capaz de o fazer? É uma questão de esperar para ver, é certo, mas pessoalmente, não acredito que seja capaz.

Mais uma vez, tal não é obrigatoriamente uma qualidade negativa. É certo que os melhores da história conseguiam ter ambos os lados dentro de si e usá-los de forma igualmente espectacular para terem sucesso, mas nem todos são assim. Nem todos têm essa capacidade e nem todos conseguem obtê-la, por mais prática que tenham. É apenas um facto da vida.

Segundo, não acredito que a WWE se arriscasse a perder um dos poucos midcarders que consegue, de forma sólida, obter algumas reacções da multidão, ao mesmo tempo que pode participar em qualquer tipo de combates necessário para motivar a multidão. Kofi Kingston é necessário num evento. O seu estilo é necessário. Especialmente na ausência de Evan Bourne. E é um estilo que funciona em babyfaces. É um estilo que impressiona os fãs e que, de forma alguma, os motiva a odiá-lo.

Por isto é que não acredito ser possível que este reinado seja algo mais do que apenas de transição. Se com Cesaro poderia ser diferente? Claro! Como também não poderia, mas a verdade é que ao apostar em Antonio Cesaro como campeão de Estados Unidos, a WWE tem muito mais a ganhar do que em dar a oportunidade a Kofi Kingston.

Kofi Kingston já foi rotulado como midcarder eterno, ao passo que Cesaro ainda se está a desenvolver e procurar o que funciona. Uma aposta em Cesaro como campeão de Estados Unidos resolvia dois problemas: a credibilidade de Cesaro e a credibilidade do Título. Esta aposta apresenta muito menos dificuldades e muito mais vantagens, caso resultasse. Pois, não só a WWE estaria a salvar um Título que poderia mais tarde ser usado para ajudar outro talento, como estaria a salvar um possível futuro main-eventer da companhia de um rótulo que este não merece ter! E como Cesaro é relativamente novo no roster e uma novidade, não seria nada díficil corrigir já os erros. Facilmente pode ser alterado, melhorado e alvo de nova aposta!

Mas ao invés de fazer isso e resolver um problema que já se arrastava à meses, a WWE decidiu ignorar parte do mesmo e encontrar uma falsa solução que apenas serve para encobrir, temporariamente, o problema. Ao invés de progredir e não correr os mesmos riscos com talentos que podem ser futuros main-eventers, a WWE decidiu regressar à rotina. A rotina em que Kofi Kingston possui um dos Títulos secundários sem qualquer razão aparente.

Os fãs estariam extremamente mais receptivos a tal, ao contrário do caso de Kofi Kingston. Apostar neste como campeão apresenta inúmeros obstáculos, pois a quantidade de reinados irrelevantes que teve é enorme e nada abona a seu favor, no sentido que possa ser diferente desta vez. Com Kofi Kingston existem antecendentes que funcionam contra si! Antecedentes que em nada prevêm um reinado significativo.

É fácil usar agora a época pós-Wrestlemania para valorizar novamente Cesaro, logo foi uma péssima altura para ter feito esta mudança. Especialmente quando não teve qualquer pré-aviso importante e foi feito sem qualquer pompa e circunstância. É um facto que o reinado também não tinha sido construído como sendo muito importante, mas tal não é motivo para não fazer do dia de mudança de Título algo importante!

Outra razão que me leva a pensar que a WWE cometeu um erro ao trocar os campeões é o facto que Cesaro poderia ter tido o maior reinado com o Título de Estados Unidos da história! Sempre era algo para este se gabar e algo inegável! Algo que realmene provava que este era melhor que todos os outros americanos. Algo que encaixava na sua personagem. Algo definitivamente mais inteligente que uma mudança sem significado.

Sinceramente, julgo que a mesma se deve à tentativa desesperada da WWE de criar surpresas na Raw para manter alguns dos espectadores ocasionais. Talvez numa tentativa de manter o nível animado que a Raw pós-Wrestlemania estabeleceu. Além disso, não vejo outra justificação razoável para tal decisão. Independentemente da intenção, a verdade é que esta foi a estratégia errada e, sinceramente, adorava que me provassem errada e que Kofi de facto fizesse algo pelo Título. Mas, tal como já disse, os seus antecedentes jogam contra si. Enfim, por hoje julgo ser tudo, portanto excelente semana a todos e até à próxima edição!

Sobre o Autor

- Administradora. Publico parte das notícias, faço a gestão da League, dos Passatempos e ainda sou escritora do artigo “Opinião Feminina”.

30 Comentários

  1. Tibraco - há 4 anos

    Não há assim muito a acrescentar ao que disseste. Penso que esta questão é quase consensual entre os fãs, isto é, ninguém consegue perceber o que a WWE ganha ao enterrar um dos seus (ex) campeões. Embora ele nunca me tivesse convencido na totalidade, reconheço que também nunca teve grandes oportunidades para tal. Que rivalidades importantes lhe deram? Qual foi o combate com mais de 10/12 minutos em que ele esteve envolvido?

    Tendo em conta o que tem acontecido ultimamente, não seria de estranhar que lhe dêem 2/3 meses de férias e depois regresse com um push importante como foi o caso do Swagger. Se isso ocorrer e for bem feito, estes últimos meses rapidamente serão esquecidos pelos fãs. O que conta é o momento e a WWE tem muita facilidade em passar uma borracha no passado. Lembro-te novamente do exemplo do Punk. Em 2010, acho eu, não venceu um único combate em PPV e hoje em dia é o que se vê.

    Concluindo, apesar de considerar esta história do Cesaro ridícula, não me parece que o seu futuro na WWE esteja perdido. Está estagnada, como está 90% do roster (Sandow, Rhodes, Miz, Barrett…and counting), mas basta a WWE querer e conseguem-no pôr, de novo, na ribalta.

    • Salgado - há 4 anos

      A questão é que eles, por uns tempos, mostraram uma aposta nele. Ele vencia constantemente ou tinha as suas promos noutras línguas, ou até aplicava o seu finisher em lutadores de grandes dimensões. A aposta esteve lá, o problema é que a WWE – sem razão aparente – desistiu disso e cancelou tudo o que fez com este tratamento rídiculo.

      Como Cesaro não é nenhum veterano consolidado, é natural que estas mudanças de vontade da WWE o afectem.

      Também não acredito que o futuro dele na WWE esteja perdido, muito longe disso. Aliás, não disse isso. Apenas acho que a WWE tem no roster demasiados exemplos de lutadores nos quais apostaram e depois pararam do nada e que agora já não têm qualquer credibilidade ou atenção por parte do público, logo não precisavam de mais um. Se já sabem que falham ao fazer estas coisas e exemplos estão à vista, porquê voltar a cometer o mesmo erro?

  2. MicaelDuarte - há 4 anos

    Muito bom artigo Salgado! Quando é que fazes um mau artigo? Parece-me impossível :)

    Tens toda a razão e mais alguma relativamente ao que disseste.

    Na Smackdown quando o Kofi tinha derrotado o Cesaro, estava de caras que iria haver um embate entre eles, desta feita pelo US Title. Esta ideia que é atribuída aos títulos secundários (e por vezes não só aos secundários…) do “Eu dei-te porrada e venci-te, agora quero um combate pelo título!” é absolutamente ridícula! Como é que a WWE não aguenta DOIS meses sem pôr um título nas patas do Kingston?! Eu estou mesmo farto de ver este gajo, seja como campeão ou não…

    Para mim o único reinado do Kofi Kingston que teve alguma história foi na altura em que ganhou o IC da feud com o McIntyre (que saudades daquele McIntyre…), de resto não houve, a meu ver, qualquer coisa de interessante num reinado dele, nem mesmo os de tag-team! Ao início o Kofi tinham aquela gimmick de jamaican que o diferenciava um pouco do resto, aquele seu “accent” que do nada virou “Aren’t you supposed to be jamaican?”, tornando-se então em mais um que lá andava, um genérico Face como referiste. Não sei se ele está realmente destinado a ser um eterno mid-carder, mas se existisse um heel-turn (algo que não consigo visualizar mesmo nele, o que não é necessariamente mau, pois poderia ser surpreendido!) ou uma forte aposta nele como em 2009 na feud com o Orton, talvez as coisas mudassem. Aquele Kofi que fez um Boom Drop no Orton sobre uma mesa, aquele Kofi que lixou o carro todo ao Orton, esse aí talvez pudesse trazer algo positivo…

    Como solução para o US Title, aposto numa conquista do Fandango frente ao Kofi, pois eu acho que este reinado é mesmo de transição. Acho mesmo que o Fandango pode trazer “aconchego” ao US Title. O Fandango está com um sucesso enorme, já tem um finisher mais a sério, portanto basta ele provar um pouco mais em ringue e é dar-lhe logo o título…

    Quando ao Cesaro, é certo que as mic-skills dele são muito más, mas quantos já não chegaram ao topo com essa adversidade? O Cesaro é homem que satisfaz o “fetiche” da WWE por homens altos e fortes, portanto, continuo a achar que não será isso que o vai pôr “lá para trás” (assim espero!). Por agora, uma solução para o Cesaro seria introduzirem o Kassius Ohno no main-roster e fazerem os Kings of Wrestling aparecerem!

    Não sei bem o que “matou” o Kofi em 2009. Terá sido o “wake up” cedo demais para o RKO, levando a que o Orton, com poder que na altura já deveria ter, arruinasse o caminho para o topo do Kofi? (Stupid, STUPID! xD) Pois, não sei…Só sei que já não aguento ver o Kingston, esteja ele de amarelo, vermelho, azul ou de outra cor qualquer; Quanto ao Cesaro, só espero que não o “encostem à box” e voltem a apostar nele a sério…

    • Salgado - há 4 anos

      Obrigado :)

      Foi o que referi: é o regresso à rotina. A cada dois meses, o Kofi precisa de ter um título secundário, sem razão aparente. É apenas uma sequência de reinados sem significado que acontecem porque sim. A WWE, provavelmente, queria manter a aura de surpresas no ar depois da Raw pós-WM e como confia em Kofi para ter o Título, deu-lhe o mesmo. O Kofi é a arma deles para fazerem as experiências que quiserem.

      A questão é que, pessoalmente, mesmo na rivalidade com o Orton, Kofi não me convenceu. Simplesmente não consigo vê-lo como main-eventer. Não há nada nele que me tenha dado a entender que possa ser main-eventer. Mas quem sabe, talvez venha a provar o contrário.

      Tal como já disse, não acho que o futuro de Cesaro esteja em perigo, apenas acho que foi mais um erro típico e desnecessário que a WWE podia perfeitamente ter evitado. Com os The Shield, fazem um booking genial e promovem-nos melhor que ninguém. Com o Cesaro, cometem os mesmos erros do passado. Não parecem atitudes da mesma companhia. Um passo para a frente e dois para trás!

  3. José Sousa - há 4 anos

    Sinceramente, acho que este tema é quase unánime junto dos fãs da WWE, pelo menos dentro do pessoal que debato mais aqui no site. Ou seja, para mim o Kofi pode ter o número de reinados com títulos de midcard que quiser,mas raramente algum desses reinados significa algo, pelo menos, no sentido de trazer evolução na carreira.

    Como disse o Micael,o Kofi quando teve o push inicial falhou com o Orton, e provavelmente aí queimou as hipóteses de ser main-event, pelo menos com esta gimmick face. E esse momento, para mim é o cerne da análise da carreira do Kofi, porque ele vinha de uma excelente fase como campeão Intercontinental e de Tag Team com o CM Punk. Alías onde para aquele Kofi que venceu num combate fantástico o Chris Jericho pelo título?

    Mas, depois quando falamos do Kofi, temos que nos lembrar que o heel turn seria complicado, uma vez, que é um dos wrestlers mais populares juntos do público mais novo. E por isso, espero que este reinado seja mesmo de transição, e tal como disse o Micael, eu também acho que o próximo campeão será o Fandango, ou quiçá o Damien Sandow(mas acho mais provável o Fandango).

    Quanto ao Cesaro, eu acho que desde do inicio que a WWE falhou com ele,uma vez que preocupou-se demasiado nas wrestling skills dele, descuidando-se na criação de uma personagem credível para ele. A isso, junta-se o facto das promos dele serem fracas, e por isso mesmo o heat dele é nulo. Claro, que para isso, também ajuda nunca ter tido, uma rivalidade séria durante todos estes meses como campeão.

    O futuro dele na WWE não está, para mim totalmente perdido, embora precise de uma redefinição da sua personagem. E isso, passa na minha opinião, ou por uma mudança de personagem, trazendo no seu regresso um manager que o auxilie na criação de impacto. Ou, por outro lado, seria uma óptima ideia a WWE trazer o Kassius Ohno para o roster principal, e junta-lo ao Cesaro, e dessa forma trazer os Kings of Wrestling para a divisão de Tag Team.

    Que achas dessa ideia?

    • Bruno Rafael - há 4 anos

      A verdade é que Cesaro não faz o padrão WWE,Cesaro poderia ter muito sucesso em uma ROH,uma NJPW ou outra companhia de wrestling SÉRIA,pra começar a WWE não quer um wrestler e sim um ”superstar” como ela mesma define,e o Cesaro não faz esse tipo,ele tem 0 de carisma,tem mic-skills comparáveis as do Jeff Hardy,não tem pop nem heat do público que o reage indiferente,não adianta o cara ter uma gimmick definida se o mesmo não sabe interpretá-la ou não tem carisma suficiente para dar credibilidade a mesma,o Cesaro não convence como uma Anti-América que odeia os Estados Unidos,uma gimmick parecida com a do Rob Van Dam nos seus tempos de WWE e um manager do seu lado já funcionaria horrores no Cesaro. Mas verdade seja dita,tirando as sua inegáveis ring-skills o que mais tem o Cesaro? ele é nulo em todo o resto,na WWE não importa se você é um deus das ring-skills e ser um completo nulo seja em carisma,mic-skill,e não ter nenhum outro trunfo como o Jeff Hardy que apesar de ser terrível com um microfone sempre teve o trunfo dos spots loucos. Cesaro me lembra o Dean Malenko,que era MUITO melhor que o Cesaro nas ring-skills porém tinha os mesmos problemas de carisma e mic-skills e acabou fracassando na WWE,mesmo com essa lhe dando chances. Agora tem uma coisa,porque diabos nego diz que o Cesaro merece o Main-Event? Os únicos motivos que eu vejo para isso são sua ring-skills e sua valorizada ao United States Chmapionship,porém o MVP teve um reinado maior e um pouco melhor que o do Cesaro mas nem por isso nego o queria no main-event,mesmo esse tendo mic-skills razoáveis e uma gimmick definida. Fico puto com esse negócio de que o Cesaro merece o Main-Event,vamos parar de sonhar e sermos realistas,o máximo que eu vejo no Cesaro é um top midcarder,isso com um manager do lado e uma gimmick menos bagunçada,senão ele vai ser um top jobber,esperem e verão.

      • Vinícius Nunes - há 4 anos

        Muito bom comentário, digo que foi o melhor que vi aqui e traduz bem a situação do Cesaro, parabéns e espero ver mais dos seus comentários.

    • Salgado - há 4 anos

      Sinceramente, discordo. NO início, e em várias fases e momentos, a WWE tratou bem o Cesaro. Deu-lhe oportunidades. É um facto. Apenas conseguiu anulá-las por completo antes que as mesmas dessem frutos.

      Não acho que a sua personagem precise de ser já alterada, acho que ainda pode ser salva. Não estamos a falar de Jack Swagger que passou 5 anos a agir quase sempre da mesma forma. Estamos a falar de uma pessoa que se estreou há pouco tempo. Que é uma novidade. Mudar a personagem sempre que se vai contra o primeiro obstáculo é sinal de inconsistência e tira credibilidade ao Cesaro, porque assim os fãs nunca levarão nada a sério. Se ele muda por qualquer motivo, porque é que devem prestar atenção ao que ele faz agora?

      A meu ver, a personagem pode ser salva. Uma simples adição de um manager, o regresso das promos em várias línguas e os spots com lutadores de grandes dimensões podem ajudar a resolver o assunto. Uma rivalidade consistente e vários combates de boa qualidade também ajudavam bastante. As pessoas têm que se habituar a esperar boas coisas de Cesaro, não de uma mudança sempre que tudo parece correr mal.

      Toda a gente fala do regresso dos Kings of Wrestling, mas têm noção que tal ideia só irá ‘fazer sentido’ para uma pequena parte da audiência, certo? Não digo que não seja uma excelente dia e que não possa fazer maravilhas por ambos, mas Cesaro já começou este caminho e estar a mudar repetinamente só porque enfrentou o seu primeiro obstáculo não o vai ajudar em nada. Tira-lhe ainda mais credibilidade. A ele e à WWE.

      • José Sousa - há 4 anos

        Eu compreendo a tua perspectiva Salgado. Eu não digo que não possa ser salva,o que digo é que precisa de um manager Salgado. Ele não tem promos é simples. E concordo quando dizes que ele tem talento porque tem. A questão maior são as promos, e é isso que o impede de dar o salto. Mas claro que tens razão ao dizeres que não ter tido uma rivalidade séria também ajudou.

        Sobre os Kings of Wrestling, discordo. Porque acho que o Ohno merece subir ao roster principal, e não seria prejudicial para o Cesaro. Se o Rhodes não foi mau para o Sandow, aqui poderia ser feito igual. Os dois conhecessem e podiam ajudar. ao inicio, seria uma minoria mas com uma aposta bem feita, seria uma tag com impacto na divisão. Até porque quando os Hell No acabarem a divisão fica entregue a quem? Aos Shield, Tons of Funk, Prime Time, e Epico e Primo só?

      • danielLP21 - há 4 anos

        Acrescento ainda que os Kings of Wrestling não são uma marca da WWE… A WWE raramente utiliza equipas que brilharam nas empresas independentes mesmo tendo os membros em simultâneo no plantel.

      • José Sousa - há 4 anos

        Isso é verdade. Eunão disse que vá acontecer, só disse que a WWE só tinha vantagens em fazê-lo Daniel, apenas isso. E depois, não tinha que ser com esse nome, a WWE poderia criar um novo nome para a dupla.

  4. danielLP21 - há 4 anos

    Olha, porque é que em vez de te queixares tanto não deixas logo de ver a WWE? Ahahahah estou a brincar :D

    Bom artigo, não há muito a acrescentar.

    Sinceramente, não concordo que o Fandango deva ganhar o Título dos EUA nesta altura ( como já vi alguns fãs a propôr). E porquê? Porque com o ímpeto que ele tem neste momento, seria desastroso dar-lhe um título tão descridibilizado. Em vez de ser a ele a credibilizar o título, seria o título a descridibilizá-lo a ele.

    Sejamos sinceros, os campeões individuais de mid-card, hoje em dia, em vez de serem os mais importantes do mid-card, são “jobbers” dos main-eventers. Cesaro, Barrett, Kofi, Miz, Ziggler, etc… Nos últimos anos, os campeões de mid-card servem praticamente apenas para “ocuparem” os lutadores de main-event.

    Por isso, seja quem for o campeão, ninguém pode valorizar um título quando não é utilizado da melhor forma. É simplesmente impossível.

    Eu já não suportava o Cesaro como campeão e, admito, gostei que ele tivesse perdido o título. O problema é que perdeu o título para alguém que não é capaz de credibilizar o título… Ainda assim, não me importo. Já que, seja quem for o campeão, o título fica sempre descridibilizado e irrelevante, ao menos que se proteja o lutador, a ver se se “salva” alguma coisa. Espero que a personagem do Cesaro seja pensada a partir do zero para que o homem tenha algum destaque.

    Em relação ao próximo campeão, gostava que fosse o Damien Sandow, mas apenas e só se o objectivo fosse voltar a tornar o Título dos EUA relevante. Julgo que ele tem a personagem ideal.

    PS: Fiquei chocado quando li, no artigo, os títulos que o Kofi já ganhou. Eu não tinha a noção de que eram assim tantos! O que só prova a relevância que esses reinados tiveram…

    • Salgado - há 4 anos

      LOOOOOL. Obrigado!

      “Sejamos sinceros, os campeões individuais de mid-card, hoje em dia, em vez de serem os mais importantes do mid-card, são “jobbers” dos main-eventers. Cesaro, Barrett, Kofi, Miz, Ziggler, etc…” Concordo.

      Ficaste tu e fiquei eu. Eu também não tinha a ideia de que fossem assim tantos. Pensava que tinham sido só um ou dois.

  5. danilo'-' - há 4 anos

    gsotei do artigo é obvio que como campeão dos estados unidos ele foi fraco isso é fato pra um cara que perde 20/30 vezes, eu fiquei feliz com a derrotado cesaro mesmo gostando dele porque o que a wwe estava a fazer com ele e com o titulo é algo que não tem outra palavra a não ser falta de inteligência,para uma pessoa que perde um titulo de midcard só a três coisas a fazer subir , descer , fica onde está e aparecer so para ser derrotado

    enfim kingston ao titulo dos estados unidos não sei nem o que falar concordo ao que diz sobre kingston salgado

    acredito que ele irá subir ou ir pra tag team division mas na tag team division so á um titulo e não sei se a wwe iria da o titulo a ele mas enfim acho que não seria uma má ideia

    olhando por um outro fato ele ter perdido o titulo poderá libera-lo para coisas maiores acho que cesaro não precisa do titulo nem o titulo precisa do cesaro (até porque o cesaro já provou ser bom em ringue , pensei tbm do barret ja erá main event mas não sei se é falta de oportunidade ou mais uma ideia fantastica de deixa-lo lá não sei sinceramente)

    • danilo'-' - há 4 anos

      podem ate falar que cesaro tem falta de carisma mas isso é meio que pela falta de definição do seu personagem na minha opinião

    • danilo'-' - há 4 anos

      gostei*

    • Salgado - há 4 anos

      Obrigado :)

      Gostava de ver as coisas por esse prisma. Mas não estou a ver a WWE a dispôr espaço no main-event para o Cesaro neste momento, especial depois deste tratamento lamentável dos últimos meses.

  6. El Shaarawy - há 4 anos

    Concordo com tudo o que foi dito! e espero que a wwe recupere o Antonio Cesaro e seria um grande erro nao o fazer porque ele é das super-estrelas mais talentosas do plantel

  7. Evandro Monari - há 4 anos

    Ola Salgado, antes de mais nada quero dizer que tomei conhecimento desse site a pouco tempo, mas logo de cara gostei muito.

    Mas tambem tenho que confessar que quando vi o post de um artigo com o titulo Opinião Feminina, veio logo a mente deve ser somente frescurinhas de alguma garota.

    Agora por intermedio desse comentario, quero dizer que estava completamente enganado e pedir sinceras desculpas. Desde que li seu primeiro artigo fiquei adimirado com seus conhecimentos de wrestling e tambem com a maneira como voce consegue expor seus argumentos com tanta maestria e coerencia.

    Entao para finalizar quero te parabenizar e dizer muito obrigado, porque com voce aprendi um pouco mais sobre a arte de escrever.

    Ficarei aguardando anciosamente pelos proximos artigos !!! Beijos pra voce.

    • Salgado - há 4 anos

      Antes de mais, muito obrigado pelos elogios :) Não tens que pedir desculpas nenhumas e sinto-me extremamente lisonjeada por ter conseguido mudar uma opinião pré-concebida. Quero também agradecer-te por teres tentado ler os artigos, mesmo sendo a tua ideia inicial menos positiva. Muitos cumprimentos e até à próxima edição :)

  8. Vinícius Nunes - há 4 anos

    Eu acho que se o Cesaro tivesse o maior reinado da história do USA Championship, aí que esse cinturão ia para a rua da amargura, mas isso é a minha opinião.

    Concordo com o Daniel sobre o Fandango ganhar o USA Title, mas só vejo isso para o Kofi ter retirado o título do Cesaro, creio que a WWE se empolgou com o Fandango, e visto que ele não está ainda no nível de dançar com os main-eventers, querem dar um título de mid-card logo para ele, justamente por esse sucesso que ele está tento. Portanto acredito que o reinado do Kofi, mais uma vez, não será muito lembrado, pois será um reinado de transição.

    Acho que o problema do USA Title ou do IC Title não é a qualidade dos lutadores, no caso do USA até era visto que não me lembro do Cesaro ter tido grandes reações, tirando os casos que levantou o Brodus ou Khali, mas mesmo assim… e o campeão anterior era o Santino, então… Voltando, acho que a maneira ridícula que os campeões são usados é que mata completamente os títulos. O campeão de mid-card serve basicamente para jobbar para os main-eventers e perder para outro mid-card para defender o seu título. Não existe história, não existe feud, nada… Só isso, campeão perde para os main-eventers que não querem nada com o título; depois perde para um mid-card e este tem a oportunidade pelo título, simples assim, infelizmente.

    Bem, mais um ótimo trabalho Salgado, continue assim, apesar desse artigo não ter merecido tanta reação porque o Cesaro foi abordado XD

    • Salgado - há 4 anos

      Se fosse bem feito, bem promovido e com a pessoa certa, qualquer lutador poderia ter o reinado mais longo com o Título de Estados Unidos que o Título só iria ajudar. Cesaro precisa de limar algumas arestas e assim que a WWE tratasse disso, ele seria um dos lutadores ideias para fazer isto.

      Muito obrigado pela apreciação :)

  9. Darth Mordred - há 4 anos

    Bom artigo, não discordo de nada. Só vou acrescentar algumas coisas que eu já disse em outros tópicos.

    Kofi sofre pela sua gimmick estigmatizada de jamaicano negro, bobo alegre com dreadlock’s, a WWE pensa nestas gimmicks caricatas para atrair públicos dos mais variados que enxergam esses povos “jamaicanos” dessa maneira, assim como o Brasil está ligado a Capoeira, Carnaval, praias e futebol, logo, se um dia forem fazer um gimmick “brasileira” iriam fazer de um jogador de futebol LOL, logo, Kofi tem uma gimmick para compor a infeliz tendência da WWE a casualidade de suas feuds, voltadas claramente a um publico leigo e volátil.

    Em relação ao título, ele é o reconhecimento dos FÃS a um talento, e não o contrário. E a WWE anda a fazer o contrário. Mas eu entendo o lado dela, ela precisa agradar dois públicos: o primeiro é dos fãs tradicionais que acompanham o produto dela desde a attitude era, responsavel pela WWE ser o que é hoje. E o segundo, é o público casual, responsavel pela pretensão da empresa em expandir, e ser reconhecido como uma empresa modelo educacional que irá colocar algum mcmahon na política Americana. Logo, é importante ela criar personagens caricatos que defina facilmente a personalidade dos personagens de sua novela. E Cesaro é uma vitima desse sistema, que limita a habilidade in-ring do lutador, que obriga a ele a ter um hoster limitado de movimentos, e encarnar uma gimmick um tanto chata. Enquanto que sua principal habilidade é relegada a segundo plano, que é seu talento incontestavel dentro do ring. Afinal, qual público se importa com isso? As crianças de Cena ou os fãs da attitude era? Isso é que não adianta dar murro em ponta de faca. A própria WWE, torce o nariz qdo ouve as criticas. A WWE atual, é um produto a outro público. E o que parece incoerente e disperdicio para agente, é extremamente produtivo ao outro público, que ama ver o Cena campeão, e babyfaces obvios e resultados previsiveis, sem espontaneidade e combates extremamentes ruins tecnicamente.

  10. MR Perfection André Santos - há 4 anos

    Bem o Benfica ganhou…

    Grande artigo salgado!

    Na minha opinião estas cheia de razão, em relação a kofi nem vou dar opinião porque concordo contigo..Kofi será um eterno mid-card sem potencial para ser elevado a main – eventer!

    Agora Para Antonio Cesaro esta nova epoca vai ser fulcral no seu desenvolvimento…senão poderá ser um lutador com o desfecho de um Drew Mc., Lance Cade, Paul Burchill,mark Jindrak entre outros que prometeram e nada foram(lance cade infelizmente já faleceu).

    Na minha opinião Cesaro precisa de um manager para potenciar a sua personagem pois talento tem que sobra.

    Espero que a WWE perceba isso porque gosto muito dele como lutador senão só teremos bons mic-skills e poucos lutadores com bons moves!

    parabéns

  11. GJD - há 4 anos

    Concordo em tudo , a Wwe erra com os títulos secundários e muito , o Cesaro poderia ter o reinado para se concretizar igual ao Cody Rhodes com o Intercontinental (que teve partes negativas como a derrota para o Show que pelo menos foi melhor que a derrota do Barrett para o Miz), ou poderia construir uma feud com alguém esquecido do mid card como Alex Riley, Justin Gabriel e etc, ou então um retorno do Christian que teria bem mais autoridade por ser um veterano e ex-Whc.

  12. Lol - há 4 anos

    um artigo da TNA é que já era fixe!

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador