Existem 2 vagas na Equipa do Wrestling PT para publicar notícias. Candidata-te!

Opinião Feminina #152 – Wrestling’s Fun

Há pouco mais de um ano fiz um artigo abordando o novo projecto da WWE para o seu território de desenvolvimento, uma versão alterada do NXT. A Junho de 2012, o NXT tinha-se tornado numa plataforma televisiva de pequeno alcance onde novos talentos tinham oportunidade de explorar as suas capacidades criativas, verbais e dentro de ringue, com a ajuda de vários elementos preciosos dos bastidores e uma audiência ao vivo.

Rapidamente depois de começar o futuro pareceu promissor. Mais um ano de NXT apenas reforçou tal ideia. Numa perfeita combinação, os talentos da WWE, e por consequente a própria companhia, beneficiam bastante de um projecto que entretêm bastante os fãs. A hora semanal de NXT que a WWE apresenta todas semanas é o exemplo perfeito de todas as qualidades desta indústria que apaixonaram tantos de nós.

As personagens que compõem o NXT são extremamente simples, mas convincentes e carismáticas, conquistando facilmente os fãs que assistem todas as semanas. Há vários exemplos de talentos no roster principal que não possuem a simplicidade e qualidade das personagens do NXT. Aliás, tal discrepância é extremamente notória quando se avalia a diferença entre as lutadoras do NXT e as Divas do roster principal.

Esta situação apenas poderá dar a entender uma melhor organização e consolidação das personagens do roster principal num futuro próximo, o que é seria uma excelente solução para alguns dos problemas actuais.

E, também ao contrário do roster principal, no NXT não existe um pequeno grupo selectivo de talentos de quem depende a qualidade do programa. Por outras palavras, o roster do NXT é tão talentoso e competente que não precisam de aparecer as mesmas pessoas todas as semanas para a qualidade se manter.

Esta rotatividade impede que os fãs se cansem de uma história ou personagem em particular, assim como mantém o interesse para a semana seguinte, pois nunca se sabe ao certo que história poderá ser desenvolvida. Se os fãs evitarem os spoilers que inevitavelmente surgem online, a forma como o NXT é produzido torna-o, de facto, imperdível.

Embora existam estrelas que se destacam mais que outras, tal não dita nem determina a forma de produzir o programa, o que é uma prova da qualidade do programa e das pessoas por ele responsáveis. Tal só pode ser visto como um sinal extremamente positivo para o futuro da companhia.

Ora, apenas possuir personagens cativantes e carismáticas não chega, é necessário que as histórias que as envolvam sejam interessantes.

E essa é outra das grandes vantagens do NXT. As histórias, tal como os envolvidos, primam pela simplicidade e lógica, sendo construídas semana a semana com todos os segmentos a serem importantes. O NXT não precisa de apresentar um card que potenciais fãs estejam dispostos a pagar para ver de quatro em quatro semanas e, parecendo que não, tal detalhe faz imensa diferença.

Logo, como não existem pay-per-views a ditar o ritmo das histórias ou programação semanal em demasia a exigir segmentos desnecessários para fazer passar o tempo, tudo o que acontence no desenrolar de uma história em específico tem razão de ser e significado.

A direcção é óbvia e é seguida à risca, sem distracções ou momentos desperdiçados.  Esta é outra característica que diferencia o NXT da restante programação da WWE, pois a mesma é exclusiva ao NXT. As histórias podem assim desenvolver-se naturalmente, ao ritmo dos talenos que as protagonizam, dando um ar revigorado e completamente diferente ao produto.

Porém, como é natural, embora não tenham pay-per-views, as rivalidades continuam a ser retratadas com importância. Aliás, como se pode ver na edição desta semana, o NXT conseguiu apresentar a culminação de várias histórias que estavam a ser apresentadas até agora, assim como a dar justificação e motivo para as que começaram.

Isto faz-me voltar ao ponto que referi anteriormente: NXT é imperdível. É certo os fãs podem sempre consultar os spoilers disponíveis, mas tal não invalida o facto de tudo o que decorre nos episódios semanais ser importante e possuir uma razão de ser. Nem um minuto é desperdiçado. Todos os combates e segmentos são usados para promover os talentos ou desenvolver uma história e os fãs que as queiram acompanhar não podem perder nem um momento.

Outra característica de notar do NXT é o público presente nas gravações. Como é natural, o hábito das gravações do NXT no Full Sail University e as várias estrelas do roster principal que aparecem para dar autógrafos fazem com que as gravações tenham sempre muitos fãs. A animação e dedicação destes é uma das vantagens da sua presença, pois a sua vivacidade melhora a apresentação do produto.

Cânticos como “Let’s go this guy!”, a facilidade com que aderem às personagens dos lutadores ou o favoritismo que apresentem para com outras tantas é um dos aspectos mais divertidos de notar, o que torna o programa ainda mais divertido.

Tal interacção com os lutadores apenas os força a melhorar e manter a sua ligação com o público, assim como ajuda o lado criativo do NXT a decidir a direcção de algumas personalidades.

Outro factor que realça as diferenças do NXT com o roster principal da WWE é a equipa de comentadores. Embora a mesma esteja também a ser desenvolvida e tenha a função de preparar futuros comentadores, é possível destacar já duas estrelas. Uma delas é, de facto, uma potencial futura comentadora, Renee Young.

Desde que chegou à WWE que Young tem obtido cada vez mais destaque e, a cada oportunidade dada, tem mostrado que as mesmas são merecidas. Com uma absoluta naturalidade, Young consegue ser engraçada, inteligente e cativante. Juntando isso ao facto de ser uma legítima fã do que está a ver com experiência em dar as suas opiniões e expressar-se verbalmente só joga a seu favor.

Enquanto no roster principal os fãs frequentemente se queixam dos comentadores não falarem do combate que está decorrer, das piadas desnecessárias, comentários sem fundamento ou  promoção excessiva de algo em particular, tal não parece ocorrer no NXT.

De forma surpreendente, Young tece comentários interessantes e engraçados de forma relaxada e descontraída, o que acaba por facilitar o visionamento do espectador.

Embora não seja um potencial comentador do roster principal, quem também ajuda bastante neste aspecto é William Regal. As informações que fornece, assim como o seu humor particular ajudam a tornar este aspecto do NXT outra das suas vantagens.

Um dos aspectos que recordo ter elogiado no passado é o uso da figura de autoridade, o General Manager, que na altura era Dusty Rhodes. Ao contrário do que acontece no roster principal com frequência, Dusty Rhodes raramente aparecia e nunca recebia muito destaque, ficando os fãs apenas com a informação que é este que toma as decisões.

Desta forma, a atenção mantinha-se nos lutadores e nas suas histórias, sem cair na rotina bastante usada no roster principal. Contudo, recentemente, em coerência com uma das histórias da actualidade, Triple H apresentou JBL como o novo General Manager – embora numa posição temporária, destituindo Dusty Rhodes do seu papel.

Embora seja grande fã de JBL como heel e do seu potencial com este papel, não deixei de sentir algum receio da possibilidade da WWE começar a exagerar no uso do General Manager num ambiente que estava a funcionar bem sem isso.

Tendo em conta a audiência presente, a apresentação de JBL foi extremamente engraçada, tal como se esperava. Foi complicado para JBL obter apupos dos presentes, mas se há alguém que o consegue é ele.

Acredito que JBL se mantenha nesta posição até existir uma mudança significativa no roster principal relativamente à “Autoridade” (Triple H e Stephanie McMahon) e espero que durante esse período de tempo as capacidades de JBL sejam usadas para elevar e destacar os talentos presentes. Tendo em conta que o NXT já tornou infundados vários receios meus, acredito que o façam mais uma vez e estou algo curiosa para ver o que pode sair desta inclusão.

Um dos receios que se tornou infundado foi a inclusão de Títulos. A início temia que complicassem demasiado o NXT, mas também é verdade que eventualmente estes teriam de surgir para dar um motivo às rivalidades entre os lutadores. No espaço de um ano surgiu o Título principal do NXT, os Títulos de Equipas e o Título da divisão feminina.

Começando pela Divisão de Equipas não é novidade que os preferidos dos fãs são os The Ascension. Embora tenham tido um percalço com o antigo membro, a ideia para os Ascension já era demasiado popular para ser abandonada, portanto satisfazendo as vontades dos fãs, a equipa continuou e agora são campeões.

Aliando o facto dos Ascension terem sido promovidos de forma dominante nos últimos tempos à falta de equipas, a fasquia acaba por se tornar extremamente elevada para futuros campeões.

Os antigos campeões, por sua vez, nunca conseguiram evitar a impressão de que eram apenas campeões de transição, ao contrário dos Ascension que estavam destinados a ser campeões desde o primeiro dia. A equipa de Neville e Graves foi assim dissolvida, numa decisão inteligente que beneficia ambos, pois agora possuem agora a sua própria história para desenvolverem.

Os papéis na história encaixam na perfeição a ambos, pois não só Graves é melhor como vilão, como não existe forma de promover Neville como um de forma convincente, pois a sua capacidade atlética apenas instiga os fãs a torcerem mais por si.

Desta forma, a urgência de desenvolver e criar mais equipas para justificar esta Divisão e a criação destes Títulos faz-se ouvir. Contudo, até tal acontecer, espera-se um reinado decisivo e dominante para esta equipa que já terá um lugar garantido no main-event.

Quem também tem lugar garantido no roster principal são a maioria das lutadoras do NXT, senão todas. A divisão feminina é claramente melhor que a sua homóloga no roster principal.

Embora não apresentem combates, nem rivalidades da qualidade de Trish Stratus e Lita, que é o que os fãs querem, como é natural, as bases para que tal volte a acontecer um dia estão lá. Todos os elogios que fiz no início relativamente à forma como o NXT é produzido possui um impacto notório nesta Divisão e as diferenças para com a Divisão do roster principal estão à vista.

No NXT, o Título feminino não é apenas um acessório que muda de mãos aleatoriamente, pois existem histórias a serem promovidas e desenvolvidas semanalmente, assim como existem personagens que os fãs conhecem e querem apoiar ou odiar.

Enquanto no roster principal a maioria das Divas são confundíveis entre si e sem quaisquer qualidades que as façam destacar-se, as lutadoras do NXT não sofrem desse problema.

Os fãs sabem muito bem quem são as personagens, como elas funcionam e, em certos casos, porque as apoiam. No NXT as personalidades não são apoiadas apenas porque a WWE informa os fãs que é assim que devem reagir, mas sim porque os fãs de facto são conquistadas por elas.

Como, por exemplo, é o caso de Bayley. Embora a sua personagem limite e tire atenção das suas capacidades dentro de ringue, Bayley é uma personagem que os fãs adoram pelo seu comportamento adorável e engraçado.

Outro exemplo é Emma. Uma dança que, originalmente, muitos julgariam estranho ou ridículo acabou por conquistar tudo e todos. E a partir do momento em que assim o é segmentos de dança com Summer Rae, que no roster principal levam os fãs a revirar os olhos pela forma exageradamente ridícula que a WWE organiza estes momentos, acabam por ser de facto agradáveis de assistir.

O mesmo caso se aplica ao seu combate de Tag Team com Santino Marella contra Fandango e Summer Rae. Santino Marella já foi a personalidade mais engraçada do roster, contudo o tratamento exagerado da WWE e contínua repetição tornou o seu envolvimento algo a recear por parte dos fãs.

Contudo, no NXT, juntamente com Emma, Santino voltou a ter um dos seus momentos e um momento de comédia foi criado. Não a comédia forçada e e exasperante que a WWE tende a produzir no roster principal, mas comédia relaxada que é suposto divirtir os fãs. No Wrestling também existe comédia, contudo para esta não ser receada pelos fãs é necessário que seja bem feita. E, neste caso, foi. Pois, duas personagens naturalmente engraçadas que os fãs adoram tiveram química e conseguiram divertir os presentes.

Enquanto no roster principal assistimos a Vickie Guerrero, Tensai, Jim Ross e William Regal a dançarem em momentos que é suposto eles serem embaraçados, no NXT Emma e Santino não estão a ser embaraçados, estão a divirtir-se. Enquanto no roster principal é suposto os fãs rirem-se e gozarem com as personalidades em questão, no NXT é apenas suposto divirtirem-se com elas.

Esse pormenor faz toda a diferença e transforma segmentos desconfortáveis e exasperantes em segmentos de pura diversão.

Tanto Bayley como Emma são adoradas por razões semelhantes, mas no entanto conseguem ser personagens distintas e que os fãs não confundem. E, melhor que tudo isso, ambas continuam a trabalhar e melhorar em ringue, algo que muitas Divas da WWE não sabem o que é. A perspectiva para o futuro desta Divisão é extremamente positiva e ainda só foram analisados dois casos.

Além de Bayley, quem também estado a obter mais destaque é Sasha Banks que se aliou a Summer Rae. Tal como Summer Rae e várias outras lutadoras no NXT, Sasha Banks não é impressionante dentro de ringue, mas a possibilidade da WWE estar a desenvolver e melhorar mais estrelas, ao invés de se focar apenas nas que já conquistaram o público, não só vai de encontro ao que referi acima, como só melhora as capacidades dos indíviduos e o futuro da companhia.

Seria bastante fácil para a WWE simplesmente basear toda esta Divisão em Paige, a estrela feminina do NXT, mas visto que isto é o território de desenvolvimento, o objectivo é criar e preparar várias estrelas, não apenas uma de cada vez.

Paige, tal como os Ascension e vários outros talentos, está garantida no roster principal, a não ser que algo pessoal o impeça. Embora tenha alguns deslizes aqui e ali com as suas promos, é notório que é a melhor da Divisão em todas as áreas.  Aliás, a atitude de Paige e o seu carisma são os pontos que se destacam mais e, mais do que nunca, o roster principal precisa de alguém como ela para ajudar a revitalizar a divisão.

Ora, se Paige é a estrela da Divisão feminina, Sami Zayn é a estrela masculina. Graças às suas diferentes e convicentes personalidades, no NXT há vários talentos que se destacam, contudo é Sami Zayn quem brilha mais.

A cada performance sua, seja em ringue ou verbalmente, Zayn prova repetidamente que é quem está mais pronto para ir de imeadiato para o roster principal. A sua passagem pelo NXT deveria ser o mais breve possível, pois não tenho quaisquer dúvidas que Zayn será um sucesso assim que chegar ao roster principal.

Com ou sem máscara, com ou sem o legado de El Generico, Zayn é daqueles talentos que vai singrar independentemente das adversidades.

Além de ter tido o melhor combate de sempre do NXT com Antonio Cesaro e de ter dado a Bo Dallas o melhor combate da sua carreira, Zayn é extremamente popular, possuindo uma facilidade em comunicar e estabelecer uma ligação com os fãs. Para muitos isto não foi novidade nenhuma, dado tudo o que mostrou no circuito independente, mas não deixa de ser uma capacidade a elogiar. Este possui presença, sabe como se comportar e agir e tal é algo que o distingue de todos os outros talentos que estão no NXT para melhorar.

E o mais impressionante é que Zayn ainda não ganhou nada significativo, mas as suas performances têm sido tão boas de uma forma tão consistente que os fãs não querem saber.

Na realidade, não há muito a dizer sobre Sami Zayn, este pode não ser o campeão, mas é a estrela do NXT e os da WWE devem prestar-lhe atenção, pois tudo nele grita “estrela”. Sinceramente, espero que a única razão pela qual Zayn ainda não está no roster principal é porque a WWE possui algum plano brilhante para a sua estreia e consequente futuro, porque Sami Zayn já provou que não precisa de estar no NXT para nada.

Ao contrário de Zayn, o campeão do NXT não reúne tantos elogios e unanimidade entre os fãs. Já há muito tempo que Bo Dallas não impressiona ninguém a qualquer nível, seja verbalmente, seja em ringue, seja com o seu inexistente carisma. Durante algum tempo, Bo Dallas foi um babyface odiado, recebendo um tratamento que lhe valeu as comparações com John Cena e com a forma como este é tratado pelos fãs.

Afirmei na altura que não faz qualquer sentido este continuar a ser babyface e, felizmente, a situação foi alterada pouco depois. Bo Dallas passou assim de um babyface insuportável para um vilão insuportável.

Antigamente, não via nada em Bo Dallas que justificasse este investimento, e embora continue sem ver, admito que tenho adorado a sua performance como vilão. A sua dissimulação e sonsice é, ao mesmo tempo, hilariante e extremamente irritante de ver. É este o tipo de personalidades que irritam as pessoas e que faz com que as pessoas os queiram ver sofrer.

E adoro isso em Bo Dallas, pois quando eventualmente Sami Zayn, ou outro herói, o castigar e obter a sua grande vitória, todos nós vamos adorar ainda mais o momento só pela sua performance dissimulada. Não considero que Dallas seja um talento para o roster principal, mas esta nova mudança de personalidade tornou-o mais interessante.

Enfim, tal como tenho vindo a referir ao longo do artigo, a meu ver as estrelas que já estão preparadas para o roster principal são Paige e, sem qualquer dúvida, Sami Zayn. Na minha opinião, ambos possuem as capacidades necessárias para singrar nas divisões em que irão lutar e um deles (Paige) é extremamente necessitado neste momento.

Os Ascension também têm recebido os seus elogios e muitos os querem no roster principal, mas julgo que lhes fará bem um reinado com os Títulos do NXT para se continuarem a consolidar de forma dominante.

Reitero o que já afirmei anteriormente relativamente às estreias no roster principal. Considero que a WWE apenas o deve fazer quando planear a estreia e a direcção do lutador em questão.

Além das personalidades mencionadas ao longo do artigo, destacam-se pela positiva Aiden English, Alexander Rusev, Mojo Rawley, Tyler Breeze e Enzo Amore. A maioria destes talentos são recentes e estão agora a desenvolver e adaptar as suas personalidades. A meu ver, todos apresentam um excelente potencial. Talvez daqui a um ano, ou seis meses, esteja a falar de como estes talentos se destacam pela positiva, ou não.

Como se pode ver, não tenho nada a não ser elogios a dar ao NXT. É um programa que, embora tenha os seus altos e baixos como todos os outros, semanalmente me relembra porque sou adepta desta indústria. Em apenas numa hora, personagens com as mais variadas características desenvolvem histórias interessantes, em frente a um público incrívelmente animado que apenas me dá vontade de me juntar a eles também.

Aconselho a todos os fãs de Wrestling que consigam encaixar uma hora por semana no seu horário a dar esquecer todas as ideias pré-concebidas sobre personagens cómicas ou dançarinas, as pausas que se devem fazer sempre que é dado destaque à divisão feminina é para as pausas ou os receios de ver Títulos a serem desvalorizados, e a darem ao NXT uma oportunidade. Não se vão arrepender. Eu não me arrependi! Enfim, divirtam-se com o Bound for Glory da TNA, apostem na League e até à próxima edição!

Sobre o Autor

- Administradora. Publico parte das notícias, faço a gestão da League, dos Passatempos e ainda sou escritora do artigo “Opinião Feminina”.

9 Comentários

  1. MicaelDuarte - há 3 anos

    Excelente artigo, Marta.

    Pessoalmente, adoro ver o NXT e fascina-me o facto de poder acompanhar os progressos daqueles que, mais tarde, irão ingressar no “main-roster”.

    Neste momento, gosto bastante de ver Aiden English. Acho que tem uma personagem bastante interessante, revelou-se um bom “seller” e parece-me que tem uma grande margem para evoluir. Além disso, o público adora a personagem e até cantam com ele!

    Depois, temos o Sami Zayn que é simplesmente incrível. Em relativamente pouco tempo, conseguiu convencer a grande maioria dos fãs, é um bom “talker” e em ringue é fenomenal. Aliás, alguns dos melhores combates que existiram no NXT foram protagonizados por ele (combates com Cesaro, Hawkins, Swagger e Bo). Apesar de estar preparadíssimo para ir para o “main-roster”, acho que não lhe faria mal estar mais uns tempinhos e conquistar o Título do NXT ao Bo, até porque o final do combate entre eles pediu uma continuação da “feud”.

    Relativamente à Paige, acho “estupidamente estúpido” como é que alguém como a JoJo e Eva Marie vão parar ao “main-roster” primeiro do que ela. Enfim…

    Tal como referiste, é de realçar o público fantástico que está sempre presente no NXT. Conseguem dar ainda mais piada a algumas coisas do que não verdade elas têm.

    Enfim, o NXT é mesmo um bom programa para acompanhar.

  2. Evan Callaway - há 3 anos

    Quando li o título achei que era sobre a companhia WIF! (Wrestling is Fun). LOL.

  3. Suicide - há 3 anos

    Óptimo artigo, não podia concordar mais com aquilo que disseste. O NXT tem-se tornado um dos programas de mais interesse da WWE, e tem-nos proporcionado grandes combates. Uma das coisas que mais me agrada no NXT é que as vezes esquecemos-nos que estamos a ver um produto da WWE, o NXT tem o aspecto mais familiar e acolhedor de uma Indy, aliado aos grandes wrestlers e uma organização soberba dos combates e rivalidades. É o único programa da WWE que acompanho rigorosamente todas as semanas, enquanto a Raw ou a Smackdown fico-me pelos resultados e algumas vezes quando tenho mais tempo vejo os videos. Mas é um show bastante cativante e faz-nos realmente lembrar o porque de termos começado a acompanhar esta industria em primeiro lugar. Acho que a WWE podia beneficiar bastante se começasse a usar as ideias e a organização que tem no NXT nos shows principais.

  4. FAlmeida_10 - há 3 anos

    Mais um Excelente artigo Salgado.

    Realmente, 1 hora de NXT, é sinónimo de tempo bem passado. O NXT agarra-nos por tudo aquilo que falaste. As mais variadas personagens, as storylines consistentes, os grandes combates, os comentadores, a crowd… Tudo isto nos atrai no NXT.

    Principalmente as personagens na minha opinião. Ascencion, Corey Graves, Russev, Aiden English, Tyler Breeze, CJ Parker (nem por isso, não gosto muito da gimmick de moonchild), Tyler Breeze. E depois aqueles com que podemos sempre esperar algo de espetacular Kassius Ohno (achei curioso nao abordares o Ohno, pela polemica em que esteve), Adrian Neville, Sami Zayn….

  5. akujy - há 3 anos

    Bom artigo.

  6. danielLP21 - há 3 anos

    Nos últimos meses, delisguei-me um bocado do NXT. Vejo um programa de vez em quando, simplesmente por falta de tempo. Ainda assim, não será de descurar que volte a acompanhar o programa.

    Em relação aos nomes que destacas, concordo. Não há muito a discordar.

  7. Tunes9 - há 3 anos

    Excelente artigo Salgado, Parabéns!!!. :)

    O Sami Zayn não engana, é fantástico, muita qualidade no ringue e é bastante bom nas suas promos, é um Superstar que nos faz adora-lo, as pessoas simpatizam com ele com facilidade, é daqueles Wrestlers que faz com que o combate seja excelente, seja qual for o adversário, nota-se que se sente á vontade no ringue, é uma aposta segura e ganha pela WWE, para o futuro, é o meu Wrestler preferido da NXT, depois há outros como Rusev, The Ascension, Adrian Neville, Corey Graves, Aiden English, Leo Kruger, Kassius Ohno e mais alguns, que têm também talento e qualidade e que vão, seguramente, subir ao Main Roster quando a altura certa chegar.

    É ridículo ver a Paige na NXT quando a WWE anda a contratar divas sem nenhum talento ou “amor” pelo Wrestling como a Eva Marie e a JoJo, pessoas que só querem é fama e que se acham superiores ás outras, acham que não precisam de aprender, já sabem tudo e no fim não sabem é nada, falavam que era da idade, pela Paige ter menos de 21 anos e logo a seguir metem a JoJo, que tem 19 anos e é muito mais imatura que a Paige, quem diz a Paige, diz a Emma, Charlotte, Summer Rae (que anda a dançar no Main Roster), etc, que são divas com talento e qualidade e que gostam deste desporto e que merecem muito mais que essas duas, sei que a Paige vai subir ao Main Roster, é só mesmo uma questão de tempo e oportunidade, tenho acompanhado os seus combates e promos na NXT, para além de muito Bonita e de ter um sotaque muito fixe, tem muita qualidade, quer em ringue, quer no resto, uma coisa que aprecio nela é a sua agressividade, faz lembrar o Sheamus numa versão feminina nesse aspecto, é a minha diva favorita por tudo que já vi dela e sei que é uma futura divas champion, espero que suba brevemente e que outras divas como as que falei também subam e sejam bem aproveitadas, há muita qualidade e talento nesta divisão feminina e vamos ter um bom futuro se souberem aproveitar este talento.

    Tenho também gostado do trabalho da Renee Young, muito bonita, muito profissional e envolveu-se no ambiente nas entrevistas e no seu trabalho em geral, dá gosto de vê-la trabalhar, achei uma óptima ideia por-la a fazer comentários na NXT, merece e espero que continue a ter destaque e ser utilizada com regularidade pela WWE.

  8. gonçalo " the best in the world" - há 3 anos

    Grande Artigo!

    Adoro o NXT é claramente uma hora bem passada.

    Dos talentos do NXT os que mais gosto são a Paige, Emma, Ohno, Sami Zyan,Rusev, The Ascension, Adrian Neville, Corey Graves e Aiden English!

  9. Matheus - há 3 anos

    Cara eu prefiro El Generico do que o sami zyan ,eu seu que nao faz diferença e a mesma coisa mais a guimick dele como el generico ia atrair mais publico , por que muita gente conhece ele graças ao circuito independete , tanto é que no nxt , todo mundo fica gritando , ole ole ole ole , por que conhece ele como el generico , e tem mais o fato dele nao usar mais a mascara e por que pessoas dentro da wwe falou que tinha muita gente mascarada , sin cara e rey mysterio , depois a wwe vem com los matadores .. aff

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador