Existem 2 vagas na Equipa do Wrestling PT para publicar notícias. Candidata-te!

Opinião Feminina #153 – He’s Back!

Nos dias que correm o actual campeão World Heavyweight, Alberto Del Rio não tem a vida facilitada. Desde a sua estreia que sou fã de Alberto Del Rio e do seu trabalho. Embora a construção e promoção da sua personagem não tivesse sido sempre a mais clara e coerente, Del Rio sempre conseguiu impressionar pelo seu carisma, trabalho dentro de ringue e ao microfone.

Alguns detalhes que geralmente são ofuscados pelo seu trabalho dentro de ringue e que não é usual os fãs notarem é o trabalho facial de Del Rio, todos os pequenos pormenores que este usa para constituir a sua personagem.

Embora não tenha conseguido estabelecer uma ligação com os fãs ao ponto de ser um herói que estes conseguem apoiar verdadeiramente, ou um vilão que conseguem odiar mais do que todos os outros, Del Rio possui algo que muitos não conseguem entender: presença. Del Rio sabe como agir, quando o fazer e porquê.

A sua personagem pode não ser a mais credível, as suas histórias podem não ser as mais interessantes e o Título que possui pode ser uma fraca amostra do que já foi em tempos, mas tais qualidades sempre foram consistentes em Del Rio.

Talvez seja por esta fiabilidade e competência que a WWE insiste em destacar Alberto Del Rio. Talvez seja pela sua ligação latina e falta de outras personalidades fiáveis com a mesma origem.

Facto é que, desde que se estreou, a WWE sempre se esforçou por apostar em Del Rio e mantê-lo nas luzes da ribalta. Entre vencedor do Royal Rumble, vencedor da Mala de Money in the Bank, campeão múltiplas vezes e candidato ao Título outras tantas, Alberto Del Rio já foi de tudo um pouco e continua a sê-lo. Após lutar pelo Título World Heavyweight várias vezes ao longo de 2012 em pay-per-view, em 2013 Del Rio foi o campeão durante grande parte do ano.

Penso que a mentalidade por detrás de tal atitude é o simples facto da WWE não saber o que fazer com o Título World Heavyweight sob as circunstâncias actuais. Após o fim da brand-split, a existência de dois Títulos principais tornou-se absolutamente infundada. É certo que o roster é enorme e a WWE sente a necessidade de ter mais Títulos, mas facto é que sem brand-split, o interesse no segundo Título é pouco ou nenhum.

E tendo em conta a forma como a história principal  – envolvendo o Título da WWE – tem monopolizado a programação semanal da companhia, a forma mais prática que encontraram de gerir este Título é apenas mantê-lo com alguém que gostem e em quem confiam.

Tudo isto é um resumo simples da situação mais recente do Título World Heavyweight. Os combates são sólidos, os envolvidos competentes, mas as histórias em questão e o destaque que vão ter nunca irá ser surpreendente, a não ser que um dos envolvidos – ou ambos – seja bastante especial.

Exemplo mais recente de tal foi a rivalidade de RVD e Alberto Del Rio. Combates aceitáveis, mas pouco marcantes, com finais questionáveis e expectativas desiludidas. Foi assim no Night of Champions.

A caminho do Battleground, nada mudou. Tudo envolvendo Alberto Del Rio consiste numa rotina, onde apenas muda o actor secundário. A WWE sente a necessidade de o fazer vencer combates insignificantes que ninguém se irá lembrar no fim da Raw ou Smackdown, arrasta a rivalidade ao longo de vários pay-per-views com combates decentes, mas finalizações duvidosas, apenas para o Título ficar onde está, sem qualquer emoção ou aspecto especial que fique para recordar.

A atitude mais agressiva e implacável que tem sido a sua imagem de marca ultimamente é interessante, mas tal não é um detalhe forte o suficiente para prender a atenção do telespectador comum e ausência de outros aspectos positivos e interessantes também não ajuda.

Alberto Del Rio é um excelente lutador para se usar em combates mais violentos, mas infelizmente nada em si e nas suas rivalidades exige esse tipo de emoção e investimento. Muito pelo contrário, tudo transmite uma sensação de repetição constante e cumprimento de obrigações.

A WWE não quer desfazer-se do Tìtulo World Heavyweight, logo alguém tem que o ter. Se alguém o tem, este precisa de ser defendido. Não passa tudo de um conjunto de obrigações, onde uma leva à outra, e para as satisfazer a WWE segue o caminho mais fácil.

A questão é que valorizar um pouco mais este Título e Alberto Del Rio não seria muito mais complicado do que já estão a fazer. Um pouco de coerência e consistência pode fazer maravilhas por uma personagem e na realidade, é disso que Alberto Del Rio e este Título precisam para que os fãs voltem a acreditar neles.

Porém, admito que é bastante mais fácil simplesmente introduzir a maior figura de companhia nesta embrulhada. Contudo, é uma solução a curto-prazo, quando as medidas sugeridas acima visam uma solução a longo-prazo.

O combate no Battleground foi consideravelmente melhor, mas tal não fez dele bom, por assim dizer. Tal como referi anteriormente, o ambiente hardcore fez a diferença e ajudou ambos os lutadores a brilhar, mas não fez mais do que isso. A falta de química, não só entre os heróis, foi notória e fez os seus estragos.

Por outro lado, Alberto Del Rio foi o grande valorizado do combate, o que faz todo o sentido, visto que do outro lado estava RVD. É de notar que ver um vilão a vencer de forma decisiva, além de ser diferente do normal, também valoriza a veia implacável e agressiva que Del Rio tem exibido recentemente.

Este combate marcou também a separação de Ricardo Rodriguez e Alberto Del Rio, pelo menos por agora. A meu ver, tal deveria ter sido bastante mais marcante e, sinceramente, continuo com reservas relativamente aos benefícios desta decisão. Compreendo que nada pode durar para sempre e Ricardo Rodriguez teria que, eventualmente, experimentar ser um lutador individual no roster principal, contudo a dupla funcionava tão bem que dá pena vê-los separados.

A caminho da edição seguinte da Raw, nada fazia prever o anúncio que iria ser feito. Nada fazia prever que, pela primeira vez em meses, Alberto Del Rio iria ter um adversário, que não só possuí ímpeto a caminho do combate, como é extremamente importante no panorama da WWE. Estou a falar, claro, do anúncio de John Cena como adversário de Alberto Del Rio no Hell in a Cell.

Quando na terça-feira seguinte li que Vickie Guerrero tinha anunciado John Cena como adversário de Alberto Del Rio, não acreditei que de facto fosse acontecer. Durante os primeiros dias acreditei que era apenas uma manobra que a WWE tinha arranjado para aumentar as audiências da edição da semana seguinte – algo que é mais que notório que os aflige – e que ultimamente, tal iria ser revelado como uma tramóia de Vickie.

Como se pode constatar, estava enganada e John Cena de facto conseguiu surpreender tudo e todos, mais uma vez, com mais uma recuperação milagrosa. Embora fique feliz por ver que John Cena está bem, pois não lhe desejo qualquer mal, não deixo de ter algum receio nos efeitos a longo-prazo que o desgaste físico e as recuperações rápidas de lesão têm em John Cena.

É certo que o mais provável é que a lesão que este teve não fosse tão grave quanto fomos levados a crer, contudo a dimensão da sua dedicação, esforço e sacrifícios não é algo que a WWE se coíba de promover e, a longo-prazo, esses aspectos irão ter efeito.

O envolvimento de John Cena vem, obviamente, ajudar o Título World Heavyweight, pois garante que um número significativo de fãs esteja de facto interessado em ver o combate, porém receio que as vantagens mais óbvias terminem por aí.

Não é novidade nenhuma que há muito tempo que a personagem de John Cena e a forma como a mesma é apresentada e promovida se encontra estagnada. Também não é novidade que tal aspecto aborrece, exaspera e irrita muitos fãs.

Contudo, infelizmente para os fãs em questão, a quantidade de fãs que se encontram exasperados, irritados e aborrecidos com a situação de John Cena não é grande o suficiente para justificar uma mudança de atitude por parte da WWE. Enquanto render, é assim que vai ser.

Do ponto de vista destes fãs insatisfeitos, o regresso de John Cena é demasiado prematuro. Dois meses não é tempo suficiente para gerar saudades de um indivíduo que era tão fortemente promovido e envolvido nas histórias principais. O cansaço que estes fãs possuem de John Cena não desaparece em dois meses e tal é absolutamente legítimo e compreensível.

Porém, também é verdade que para alguns talvez não desaparecesse nem daqui a dez anos, mas essa é outra conversa.

No fim de contas, tal como tudo na carreira de John Cena, muitos vão gostar deste regresso, outros vão detestar e os restantes ficarão indiferentes. O único consenso que existe relativamente a John Cena é o respeito que este merece por todo o seu esforço, dedicação e trabalho.

Tal como já referi, o regresso de John Cena irá beneficiar o Título World Heavyweight que ganha assim algum destaque e, indirectamente, irá beneficiar a situação envolvendo o Título da WWE. Actualmente, a mesma possui demasiados indivíduos envolvidos a roubarem protagonismo e destaque ao que realmente é importante e a inclusão de John Cena apenas iria desviar mais as atenções.

Desta forma, John Cena mantém-se à parte de tudo o que se passa e dedica-se apenas a tentar melhorar uma situação infeliz. Com tudo isto posto, coloca-se a questão mais importante: irá John Cena vencer o Título no seu combate de regresso?

Sendo John Cena o adversário em questão, nunca se pode excluir por completo uma vitória e reinado seu. Visto que é a maior estrela da companhia, não precisa de qualquer justificação, promoção ou construção para ganhar mais um Título e ter mais um reinado. É certo que existem, e existirão sempre, candidatos mais apropriados, visto que este não precisa mais de se colocar nessa posição, mas facto é que John Cena pode tornar-se campeão – de qualquer um dos Títulos principais – a qualquer momento, por qualquer razão, que não iria chocar ninguém ou destoar.

A meu ver, John Cena não precisa de vencer o Título no Hell in a Cell por duas razões. Primeiro, nos últimos meses Alberto Del Rio tem promovido uma faceta implacável e agressiva que seria absolutamente descredibilizada se este perdesse o Título logo no primeiro embate com John Cena. A maioria dos fãs espera isso e Alberto Del Rio poderá beneficiar do contrário.

É certo que como maior estrela da companhia, a vitória de John Cena é sempre um dado adquirido, mas nesta situação iria prejudicar Del Rio, mais do que poderia ajudar John Cena. Uma vitória de John Cena por desqualificação, devido a um ataque implacável de Del Rio ao braço de Cena, por exemplo, iria fornecer um motivo muito mais interessante e emocionante para a desforra do que apenas a tradicional desforra que se dá aos ex-campeões quando perdem o Título.

Segundo, John Cena apenas está incluído nesta história porque não convém envolvê-lo na história principal, pelo Título da WWE. É apenas uma situação de contingência até que a situação do Tìtulo da WWE se resolva. Visto que já o podem usar para atrair fãs e audiências, esta é a forma mais aceitável do fazer, visto que continuará a lutar por um Título principal. Não creio que exista qualquer plano a longo-prazo ou rivalidade pensada.

Resumindo, não seria surpreendente se John Cena vencesse o Título, mas seria mais benéfico se tal não acontecesse, pelo menos já no Hell in a Cell.

Por outro lado, existe um terceiro cenário que deve sempre ser considerado: cash-in do Money in the Bank.

Creio que a WWE acredita piamente na noção que a mala de Money in the Bank é uma borracha que, assim que o cash-in é feito, apaga automaticamente todas as derrotas e situações ridículas a que o indivíduo em questão foi submetido. Ou isso, ou julgam que ter a mala perdoa e ajuda a balançar o que referi acima.

O que é certo é que os fãs da WWE – ou pelo menos um bom número deles – e a companhia não partilham a mesma opinião sobre o que significa ser Mr. Money in the Bank e como este deve ser promovido.

Os fãs esperam que isto signifique um investimento sério da WWE e a preparação do indivíduo em questão para ser campeão, enquanto a WWE apenas o vê como alguém que se pode dar ao luxo de perder vários combates sucessivos, alguns deles em apenas dois minutos.

É a famosa maldição da mala de Money in the Bank e, infelizmente, o condenado desta vez é Damien Sandow.

Ao longo dos anos,  tornou-se um hábito da WWE usar a época mais calma do ano – pré-Wrestlemania – para apostar ou experimentar lutadores que, noutras ocasiões, não teriam quaisquer hipóteses.

Não seria, por isso, de todo surpreendente que, para evitar escolher uma derrota decisiva de Alberto Del Rio – o implacável vilão que têm promovido ao longo dos últimos meses – ou de John Cena – o grande herói acabado de regressar, a WWE escolhesse  realizar o cash-in de Sandow.

É um cenário quase perfeito, visto que protege ambos os envolvidos que estão em situações que – aparentemente – não podem perder. O problema é que possui um simples senão: Damien Sandow não é um credível campeão World Heavyweight e depois de tantos meses a levar os fãs a acreditar nisso, esta imagem não irá desaparecer da noite para o dia.

O que significa que, embora protegesse John Cena e Del Rio, a situação do Título World Heavyweight perderia ainda mais credibilidade se Sandow fosse o campeão.

Resumindo e concluindo, na sua relutância em promover estes talentos a quem escolhe dar as malas de Money in the Bank, a WWE acaba de tornar inviável uma situação perfeita para resolver o problema que o combate desta noite coloca.

O cash-in é sempre algo que pode acontecer a qualquer momento, pois a WWE por vezes gosta de surpreender apenas pelo prazer do fazer, mas hoje receio que irá tudo ser decidido apenas entre John Cena e Alberto Del Rio. E, a meu ver, embora seja uma aposta complicada, acho que deste pay-per-view, Alberto Del Rio ainda sai como campeão.

O Hell in a Cell é o terceiro pay-per-view que a WWE realiza no espaço de seis semanas.Como é natural, as rivalidades não mudaram muito, sendo esta a que se destaca com a mudança mais significativa – envolvimento de John Cena. No entanto, até mesmo essa mudança é banalizada pelas razões que levaram à sua existência. Além disso, embora John Cena vs. Alberto Del Rio não tenha acontecido há três ou seis semanas atrás, já aconteceu várias vezes num passado recente.

No geral, espero um bom combate, dentro de aquilo que ambos já nos apresentaram, e aguardo ansiosamente o desfecho que a WWE escolher para este combate, pois irá, sem dúvida, dar que falar, especialmente porque envolve John Cena. Enfim, da minha parte é tudo, desejo um excelente Hell in a Cell a todos. Não se esqueçam de apostar na League e até à próxima edição.

Sobre o Autor

- Administradora. Publico parte das notícias, faço a gestão da League, dos Passatempos e ainda sou escritora do artigo “Opinião Feminina”.

5 Comentários

  1. MicaelDuarte - há 3 anos

    Bom artigo Salgado ;)

    Para mim, o regresso do Cena trará alguma atenção ao Título Mundial. É certo que é algo temporário e que é bem possível que o Título volte a ter a mesma importância que tem tido até então, mas quem nos garante que não é a partir daqui que o Título Mundial volta a ter algum destaque? Sim, eu sei que o Cena está a servir quase como um “penso rápido”, mas isto é a WWE e nunca se sabe o que poderá vir depois.

    O Sandow, neste momento, não possui qualquer credibilidade (sim, porque não é a ganhar um combate ao Ziggler que a coisa vai lá) e, por isso, talvez seja melhor esperar mais algum tempo.

    Enfim, na generalidade, acredito num bom PPV, até porque, mais uma vez, reina a imprevisibilidade que todos nós gostamos.

  2. danielLP21 - há 3 anos

    Bom artigo.

  3. Tunes9 - há 3 anos

    Bom artigo Salgado, Parabéns!!!. :)

    Acho que é bom para o WHC que o Cena vença, só vai aumentar a sua importância e trazer alguma atenção para o titulo, o Cena pode não ser o melhor em ringue (que não é), pode ter uma gimmick gasta (que tem), mas, que é um superstar de top e de enorme renome (isso ele é), por isso, se há alguém que consegue elevar um titulo para um novo nível de importância, esse alguém é o Cena, assim a WWE pode começar a preparar o Sandow (e dar-lhe mais credibilidade) para ele fazer o Cash-in e vai ser muito positivo para o Sandow fazer o Cash-in num babyface de enorme importância como o Cena e num titulo que será mais relevante depois do Cena o ter. Acho uma boa ideia. :)

    Acho que, em geral, vai ser um PPV de bastante qualidade, com tudo a que temos direito, que é: “emoção”, imprevisibilidade e combates interessantes.

  4. don_ricardo_corlone - há 3 anos

    Temo que o regresso do Cena para lutar por esse titulo signifique o Undispited WWE Championship. Duvido que o Sandow faça já o cash in.

  5. "El Pistolero" Luis Suarez - há 3 anos

    Sempre achei este Del Rio um superstar muito interessante desde a sua estreia!! Gostava bem mais da sua primeira atitude, do sua musica e entrada antiga do que agora mas por outro lado este supera-se a cada dia e proporciona cada vez mais e melhores combates! Acho que ele merecia um booking decente pois continuando nesta situação nunca se irá tornar o superstar interessante e que chame a atenção do publico quer seja como face quer seja como heel!! Concordo plenamente relativamente a Ricardo Rodriguez! Nada pode durar para sempre mas a quimica entre eles era perfeita e de facto nao teve o final merecido em termos de destaque! Sinceramente nao vejo o que farão com Del Rio quando este perder o titulo o que me preocupa! Colocar John Cena foi uma jogada inteligente da wwe pois será certamente um combate a seguir mas o unico resultado que espero é a vitoria do del rio que bem precisa para ainda ir a tempo de construir o reinado que ele merece!

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador