Opinião Feminina #197 – Pretty Ineffective Little Words

Quando tudo parece bom demais para ser verdade é porque, provavelmente, é mesmo. A mística e surpresa criada pela situação que a WWE apresentou no Summerslam, envolvendo John Cena e Brock Lesnar, terminou uma semana depois com a forma como a WWE apresentou o seu lutador mais valioso.

John Cena levou a tareia da sua vida, mas escapou sem quaisquer fraquezas, mazelas ou novas lições de vida. Resumindo, a vida continua e para o garantir, Bray Wyatt teve que ser usado para o provar.

Não é, propriamente, uma surpresa que a WWE tenha tentado restaurar a imagem de John Cena o mais depressa possível para provar que não há nada que este não consiga ultrapassar. Também não é uma surpresa que o tenha feito às custas da credibilidade de Bray Wyatt, uma estrela em ascensão.

Infelizmente, a verdadeira surpresa seria se a WWE se tivesse conseguido conter e evitado esta situação. Não deixa de ser, porém, incrivelmente frustrante que de todas as pessoas que tinha no roster, a WWE escolheu alguém que, neste momento, precisa de ser protegido ao máximo.

Alguém que, por acaso, tinha vencido de forma decisiva um veterano num dos maiores eventos do ano. Tudo isto não passa de uma questão de mera consistência. Que peso tem a derrota de Chris Jericho para Bray Wyatt, depois da forma dominante como John Cena lidou com ele? Absolutamente nenhum. A WWE conseguiu tornar uma das maiores vitórias da carreira de Bray Wyatt absolutamente insignificante.

Que sentido faz John Cena aparecer mais forte que nunca, apenas uma semana depois de ter sido dominado mais do que nunca? John Cena continua a ser a personagem mais surreal que a WWE possui neste momento, pois esta invencibilidade simplesmente não é realista.

E no momento em que o roster apresenta enormes faltas no main-event, não é de todo altura para sacrificar um dos potenciais futuros main-eventers. Este momento é crucial para estabelecer e proteger novas estrelas, não sacrificá-las para restaurar qualquer noção imaginária de credibilidade que John Cena tenha perdido, porque este não perdeu absolutamente nada no Summerslam. Nada.

Tal como teve em 2012, com a derrota com The Rock e o combate com Brock Lesnar no Extreme Rules, a WWE voltou a ter no Summerslam uma oportunidade de ouro para revigorar a personagem de John Cena. Não me refiro a um heel-turn, não precisa de ser uma mudança brusca, apenas algo que mostre que a sua personagem evoluiu e aprendeu com o seu sofrimento.

Tal não aconteceu e Bray Wyatt não foi o único a sofrer, pois os restantes membros do seu grupo foram alvo do mesmo tratamento. Porém, neste caso os danos não são muitos. Luke Harper e Erick Rowan, como seguidores de Bray Wyatt, têm a função de sofrer o que o seu líder não deve. É a forma mais segura de atacar Bray Wyatt sem, na realidade, o prejudicar. Aliás, se o ataque se tivesse resumido apenas a Luke Harper e Erick Rowan, a situação deixaria de ser um problema.

Todavia, embora seja bastante fácil culpar a forma como John Cena foi retratado na passada Raw pelos desaires da carreira de Bray Wyatt, a verdade é que os problemas começaram antes disso. O que se passou na Raw foi, simplesmente, a WWE a atirar mais lenha para um fogo que estava bem aceso há meses.

É inegável a intenção da WWE em tornar Bray Wyatt num dos grandes nomes da companhia. Embora as suas decisões relativamente à personagem sejam frequentemente questionáveis, a verdade é que por alguma razão Bray Wyatt venceu Daniel Bryan, foi o escolhido para enfrentar John Cena na Wrestlemania e dois outros pay-per-views e está neste momento a rivalizar com Chris Jericho.

Os nomes com que Bray Wyatt está envolvido são, na maioria das vezes, sonantes e isso é um sinal do investimento da companhia. No entanto, a companhia tem grandes dificuldades em manter-se focada no objectivo, deixando por isso que Bray Wyatt sofra as consequências.

Bray Wyatt ganhou bastante por ter rivalizado com John Cena, mas também perdeu muito. Podem ter existido momentos brilhantes, mas a ausência de vitórias decisivas e combates com confusão a mais tornaram Bray Wyatt pouco efectivo aos olhos dos fãs.

É certo que este fala muito e bem, mas as suas palavras deixam de ter qualquer significado quando não existem feitos para as defender. E quando isso acontece, este acaba por não ser mais do que um pobre heel de midcard como The Miz que, também fala muito, mas há anos que não faz nada de relevante.

Na noite em que Chris Jericho regressou, enquanto os fãs gritavam “This is awesome!”, outros – nomeadamente a responsável por este espaço – respiravam de alívio. Chris Jericho não é só alguém que quer beneficiar outros, como poderia influenciar os oficiais da WWE a tomarem as melhores decisões relativamente a Bray Wyatt. Para não falar da certeza que a WWE não iria tentar proteger Chris Jericho como protegeu John Cena.

Chris Jericho voltava à WWE para beneficiar e ajudar Bray Wyatt e isso era exactamente o que este precisava na altura.

Infelizmente, a forma como esta ideia foi aplicada ficou bastante aquém do seu potencial. Foi mais uma ideia que, em teoria, parecia absolutamente brilhante, mas os frutos que tem dado têm sido desapontantes. Uma das provas destes péssimos frutos é a impaciência que os fãs têm demonstrado perante as promos de Bray Wyatt.

Bray Wyatt é um orador extremamente cativante e hipnotizante, mas, tal como referi anteriormente, as suas palavras perdem toda a força e mística quando este não tem nada que as apoie. E os fãs já começaram a acusar o ressentimento.

Esta situação piorou depois da derrota de Bray Wyatt contra Chris Jericho no Battleground. Ora, mais uma vez, a WWE provou não ter aprendido nada com a rivalidade que tinha apresentado meses antes, entre John Cena e Bray Wyatt, e voltou a colocar-se entre a espada e parede.

Novamente, o herói da rivalidade venceu o primeiro encontro o que, por sua vez, tira a Bray Wyatt a aura ameaçadora, dominante e perigosa que este devia ter. Depois de tantas conversas, jogos psicológicos e momentos arrepiantes que levam os seus adversários a questionar a natureza do seu oponente, Bray Wyatt continua a perder no primeiro embate.

Não existe qualquer lógica que suporte essa dinâmica. O próprio Chris Jericho, assim como John Cena, afirmou que nunca tinha enfrentado nada como Bray Wyatt, mas isso não o impediu de vencer. Este era o argumento ideal para justificar uma derrota que não existiu.

Isto é prova da ineficácia do poder de Bray Wyatt e dos seus jogos psicológicos e, por consequente, das suas palavras o que, por sua vez, leva a que os fãs percam interessem em ouvi-lo falar.

A decisão mais fácil e óbvia seria ter Bray Wyatt a vencer o primeiro embate de ambos no Battleground. Porém, tendo a WWE estipulado três combates em pay-per-view para esta rivalidade – algo que Chris Jericho nunca escondeu – com Bray Wyatt, presumivelmente, a vencer a rivalidade, Chris Jericho tinha de obter uma vitória em algum deles.

Chris Jericho pode ser um veterano adorado sem nada a perder, mas numa questão de consistência e para contar uma boa história, o herói precisa de vencer pelo menos uma vez para justificar o terceiro embate. Mas, não faria sentido nenhum dar a vitória a Chris Jericho no Summerslam, um pay-per-view historicamente mais importante. Faria mais sentido ter Bray Wyatt a vencer no evento, o que deixou a WWE sem escolha.

A vitória no Battleground sorriu assim a Chris Jericho no Battleground aniquilando assim um pouco mais a aura de Bray Wyatt. Uma das soluções para este problema era ter Chris Jericho vencer, mas com um ataque de Bray Wyatt após o combate. Não nos bastidores, como este fez pouco depois, mas no ringue. Um ataque vicioso e impressionante que deixasse Chris Jericho em mau estado.

A última imagem que os fãs precisavam de ter do primeiro embate era a de Bray Wyatt a aniquilar Chris Jericho, não a de Chris Jericho a cumprimentar o filho depois de ter vencido o combate. O foco precisava de estar na forma como Bray Wyatt é perigoso.

Não basta retratá-lo como perigoso e louco, é preciso que existam acções para suportar estas descrições. Perder para Chris Jericho com um Codebreaker num combate pouco estimulante e algo decepcionante simplesmente não é a forma do fazer.

Ou seja, depois da péssima forma em que a rivalidade com John Cena o deixou, Bray Wyatt perdeu contra um veterano num combate decepcionante. Se a derrota tivesse ocorrido num combate excepcional e memorável, este não teria sido tão prejudicado, mas infelizmente tal não foi o caso e ambos presentearam os fãs com um combate marcado por falta de química. A personagem de Bray Wyatt sofreu assim mais um duro golpe e o investimento dos fãs na personagem continuou a sofrer.

A falta de capacidade da WWE para prever esta situação e a urgência do caso de Bray Wyatt não são as únicas falhas. Esta rivalidade tem pecado, bastante, pela falta de drama e motivação. Bray Wyatt e Chris Jericho são excelentes oradores, como ambos provaram no segmento que tiveram frente a frente, mas sem um motivo forte e convincente que justifique a rivalidade, não existe qualquer razão para os fãs se investirem emocionalmente.

A ausência desse investimento tem feito mossa, não só em Bray Wyatt, como no combate que ambos tiveram no Battleground que não teve qualquer apoio dos fãs.

A segunda grande razão para a falta de drama nesta rivalidade é a previsibilidade da mesma. A rotina é a mesma há anos. Chris Jericho regressa por alguns meses, ajuda uma estrela em questão e volta a partir. Os fãs já sabiam a forma como a rivalidade iria decorrer e o seu final no momento em que a Wyatt Family cercou Chris Jericho na noite do seu regresso.

Ora, previsibilidade não impede os fãs de apreciar um excelente combate ou uma história emocionalmente cativante. No entanto, essas são características que esta rivalidade não tem tido. Com todas as suas boas intenções, que os fãs apreciam, a rotina que Chris Jericho segue está tirar o drama que qualquer história em que está envolvido podia ter.

Por fim, algo que também prejudicou bastante a componente dramática da história foi a atitude jovial que Chris Jericho apresentou por vezes. Afinal, quando John Cena o fez também prejudicou Bray Wyatt, e Chris Jericho não é diferente. Depois de mal ter sido levado a sério na rivalidade com John Cena, esta era uma situação que Bray Wyatt definitivamente não precisava e, infelizmente, esta existiu algumas vezes ao longo desta rivalidade.

Numa ocasião, depois de ter sido tão promovido o momento em que Chris Jericho iria exigir respostas de Bray Wyatt, o momento adequado para este exibir alguma raiva e emoção, este apresentou-se com piadas e uma atitude extremamente descontraída. Foi, sem dúvida, um segmento extremamente interessante de assistir, pois as piadas de Chris Jericho, ao contrário das de John Cena, têm mesmo piada.

Porém, ambas prejudicam Bray Wyatt da mesma forma, porque piadas é tudo o que este não precisa.

Isto aliado a uma derrota limpa no Battleground não ajudou os fãs a desenvolverem interesse pelo combate de ambos no Summerslam que, por acaso, terá a vitória de Bray Wyatt.

O caminho para o Summerslam e vitória de Bray Wyatt encontrou-se assim minado. Minado pelo desinteresse. Minado pela falta de argumentos convincentes e cativantes. E, acima de tudo, minado pelos erros do passado que estão finalmente a mostrar os seus efeitos.

Bem à semelhança do que aconteceu durante a rivalidade com John Cena, a WWE também falhou em usar os seguidores de Bray Wyatt, Luke Harper e Erick Rowan, de forma lógica. Depois de terem sido expulsos do combate no Battleground, onde mal interferiram, Chris Jericho enfrentou ambos os lutadores individualmente para os expulsar também do combate no Summerslam.

Ora, se Chris Jericho venceu Bray Wyatt de forma limpa, num combate com pouca interferência e, onde pouco depois de começar, os seguidores de Wyatt foram expulsos, porque razão iria dar-se ao trabalho de os eliminar individualmente?

É um facto que uma vitória de Bray Wyatt contra Chris Jericho sem qualquer ajuda é um cenário inteligente e que em muito ajuda Wyatt. Porém, Jericho continua sem motivos fortes o suficiente para se dar a este trabalho.

Fê-lo porque a WWE não tinha nada melhor em mente. Fê-lo porque é um herói, enquanto os outros são vilões, nada mais, evidenciando assim a natureza básica e pouco elaborada da história que estão a tentar contar.

O combate no Summerslam foi melhor do que aquele que ambos tiveram no Battleground, mas a falta de emoção e sentimento de verdadeira animosidade impediu-o de se tornar algo mais. O combate teve excelentes momentos, mesmo assim, como as palavras que Bray Wyatt dirigiu a Jericho durante o mesmo.

Mesmo assim, o combate memorável que Bray Wyatt precisa na sua carreira para justificar a sua essência e os seus discursos continua sem ocorrer. A sua apresentação é brilhante e visualmente intrigante, agora com os fãs a usarem os telemóveis durante a sua entrada, mas não passa disso. E precisa de desenvolver para algo mais se Bray Wyatt for, de facto, uma das futuras estrelas de main-event.

Uma boa apresentação leva os fãs a usarem os telemóveis durante a entrada, mas não os impede de ficarem aborrecidos durante uma longa promo. É preciso convencê-los a prestar atenção e a acreditar que as palavras de Bray Wyatt devem ser levadas a sério. Até ao momento, a WWE não tem feito nada nesse sentido e as consequências estão à vista.

A WWE tem três semanas até ao Night of Champions. Três semanas até ao último combate da rivalidade. Três semanas para levar os fãs a esquecer o disparate que aconteceu na última edição da Raw e convencê-los que um terceiro combate entre Chris Jericho e Bray Wyatt é algo digno do seu interesse.

A WWE tem três semanas para tentar tornar Bray Wyatt mais do que um mero vilão que fala muito, mas não faz nada. Porque se esta rivalidade não ajudar Bray Wyatt significativamente, a WWE terá passado grande parte de um ano a desperdiçar o talento de uma das suas melhores estrelas.

Em três semanas, a WWE precisa de tentar tornar a rivalidade mais interessante que nunca, para que a vitória de Bray Wyatt tenha alguma relevância. Não tenho muita fé que o consigam fazer, depois de tudo o que tem acontecido este ano com Bray Wyatt e com a desforra de Brock Lesnar e John Cena no card, mas era bastante importante para Bray Wyatt que o fizessem.

Reservo assim as minhas dúvidas. Desejo uma excelente semana a todos e até à próxima edição!

Sobre o Autor

- Administradora. Publico parte das notícias, faço a gestão da League, dos Passatempos e ainda sou escritora do artigo “Opinião Feminina”.

16 Comentários

  1. MicaelDuarte - há 2 anos

    Muito bom artigo.

    “[…] Luke Harper e Erick Rowan, como seguidores de Bray Wyatt, têm a função de sofrer o que o seu líder não deve. É a forma mais segura de atacar Bray Wyatt sem, na realidade, o prejudicar. Aliás, se o ataque se tivesse resumido apenas a Luke Harper e Erick Rowan, a situação deixaria de ser um problema.” – concordo que o Harper e o Rowan devem ser os mais sacrificados da “stable”, mas perderem todos os combates em que participam, tal como tem acontecido nas últimas semanas, em prol de dois gigantes que já nada fazem na WWE, deixa-me revoltado… O Harper e o Rowan deviam, neste momento, ser Campeões de “tag-team”. Depois do enorme combate com os Usos no Battleground, esse teria sido o derradeiro momento para se sagrarem os novos Campeões.

    Tal como referiste no texto, e muito bem, eu também fiquei com a mesma ideia em relação à postura menos séria do Jericho, ou seja, se estivemos numa de criticar o Cena por fazê-lo várias vezes, o Jericho também deve ser criticado nesse sentido. Acrescento, ainda, o facto de o Jericho ter sido repetitivo em algumas das suas “promos” (cheguei a debater estes tópicos várias vezes com o José).

    No “roster” actual, a par do Dean Ambrose, não existe alguém que esteja mais preparado para o “main-event” do que o Bray Wyatt. Por isso, toda esta situação ainda me entristece mais…

    • José Sousa - há 2 anos

      Exactamente. Eu ia comentar mas tu disseste tudo o que eu ia dizer meu caro, aliás só acrescento mais uma coisa( se quiseres comentar por aqui é na boa Marta). Esta situação só tem uma solução, e seria radical: ou dão o turn a todos, ou turnam a Tag no Bray. Sim é cedo para o fim dos Wyatt, mas esta situação pede uma solução extrema.

      De resto concordo contigo em tudo Marta, mais um artigo excelente.

      • MicaelDuarte - há 2 anos

        Também já tive este debate com o Tiago Correia… Na teoria, um “turn” não faria nada de diferente visto que o problema reside no terrível “booking” que têm feito. Mas, por outro lado, e tendo em conta que a “gimmick” gira em torno de um culto, não é difícil de imaginar o “turn” e todos os fãs começarem a apoiar ainda mais a “stable”.

        Vamos a um exemplo. A situação do Swagger (enquanto “heel”) e do Wyatt têm, na minha opinião, mais semelhanças do que possa parecer à primeira vista. Ao longo dos anos, o Swagger fora altamente descredibilizado, e isso ajudou muito a que o público ficasse indiferente àquilo que ele fazia. Depois do recente “turn”, o Swagger ganhou uma nova vida e começou a ter mais apoio por parte dos fãs. Ou seja, o Swagger como “heel” já não dava frutos, mas um “turn”, embora usado para valorizar o Rusev, trouxe uma outra esperança à sua carreira. Por isso, mesmo existindo as diferenças óbvias entre um e outro, acredito que, seguindo a mesma linha de raciocínio, toda a “stable” poderia vir a beneficiar com um “turn”. Ah, e quando falo em “turn”, falo no sentido de continuarem exactamente com a mesma postura, só que contra os “heel’s”.

        Não concordo com um “turn” do Harper e do Rowan no Wyatt… Primeiro, porque não vejo a “tag-team” a sair por cima numa “feud” com o Bray. Segundo, porque isso seria uma bola de neve e iria acabar com a própria “tag-team” do Rowan e do Harper…

    • Salgado - há 2 anos

      Obrigado!

      Compreendo o que dizes e concordo, mas Luke Harper tem a oportunidade de recuperar um pouco desses problemas sempre que surpreende os fãs com um excelente combate. Essa questao já é outra prova de como a divisão de Tag Team é bastante mal gerida.

      Entristece-me também, especialmente porque perderam grande parte de um ano só a fazer disparates. A aura de Bray Wyatt está a perder-se e a apresentação é a única coisa que o está a aguentar.

  2. Mafi - há 2 anos

    Gostei muito do artigo, tenho uma visão muito semelhante à tua sobre o Bray Wyatt e esta rivalidade.

    Quanto à RAW passada acho que já não há muito mais a acrescentar ao que já foi dito aqui e nos restantes espaços do site e de lá fora. Não entendo mesmo como é que a WWE possa pensar que um combate (mesmo que tenha sido um squash) iria tirar alguma credibilidade a alguém que em 10 anos foi campeão 15 vezes. Não faz mesmo sentido, a não ser para o Vince.

    Tal como tu, na RAW de 30 de Julho, também suspirei de alívio quando vi que o Jericho regressava para feudar com o Wyatt. Acho que este último perdeu mais do que ganhou com a sua feud com o Cena e o Jericho apareceu mesmo na altura ideal. Bem, acho que no Battleground (ou até antes) a WWE viu-se ali “com um pau de dois bicos”. Apesar do Jericho aparecer e desaparecer várias vezes, era à mesma um regresso esperado pelos fãs, portanto percebo a sua vitória no primeiro combate entre os dois, voltar e perder logo no 1º combate também não era boa ideia. O Bray também precisava..ainda mais que o Jericho mas até eu preferi que a vitória tivesse sido dada ao Bray no SummerSlam, até pela magnitude do PPV. Poderia dizer que assim ia com embalo para rematar a feud e sair por cima no NOC mas depois do que vi na segunda-feira, não sei se vai assim com tanto ímpeto para o 3º e último combate da rivalidade. Também temos de notar que limitar a feud a 3 meses (3 PPVS) estragou um pouco a conduta da mesma.

    Nunca percebi quando dizem que o adversário é o mais perigoso que já enfrentaram e depois metem-se com segmentos cómicos ou mais leves, isso não ajuda em nada o oponente e não ajudou de certo o Wyatt, que tinha de ser levado a sério…a repetição de segmentos e as promos deste que cada vez tornaram-se mais “muita parra e pouca uva” também não abonaram em favor do líder da Family. Até agora a feud está aquém das expectativas.

    Ainda faltam 3 semanas mas não tenho muitas esperanças em termos criativos para o resto desta feud e estou um pouco pessimista quanto ao futuro do Bray. Já li que passará por uma rivalidade com o Sheamus mas é isso que o irá restabelecer? Acho que não, sinceramente. :/

    Bom resto de fim de semana.

    • Salgado - há 2 anos

      Ainda bem :)

      Infelizmente, faz sentido para ele e é ele a tomar as decisões.

      O problema é que os fãs, no Battleground, já estavam a perder o interesse e Bray Wyatt precisava de uma vitória decisiva, depois da rivalidade com John Cena. O timing daquela derrota foi terrível e em vez de remediarem a situação após o combate, não fizeram nada.

      Também não tenho muitas esperanças, mas nunca se sabe.

      Obrigado e igualmente :)

  3. David Silva - há 2 anos

    Excelente artigo
    O grande problema em questão Bray Wyatt e seus comparsas deveriam ser uma estable capaz de levar o medo a qualquer lutador do roster más infelizmente por culpa de más decisões dos oficiais o que anda a se ver é lamentavel,raramente ganham um combate sem ser por desqualificação.

    E em apenas uma semana os coloca numa situação a beira do abismo.
    Primeiro Super Cena na segunda feira mesmo em trio praticamente os massacra sozinho para infelizmente mostrar a todo mundo que ele perdeu más continua forte e não satisfeitos os colocam contra o candidato a futuro Superman da empresa Roman Reigns no Smackdown e vemos uma situação semelhante se repetir.

    Resumindo a stable tinha tudo para ser uma stable dominante principalmente após sair por cima contra os The Shield ,más WWE torna a fazer asneiras e tira praticamente todo o crédito o que faz os fans pensarem que a mesma nunca vai passar de uma stable de Jobbers fadada a permanecer no midcard.

    Cris Jerichó era a esperança de revigorar a imagem de Bray Wyatt más as coisas até aqui não tem saído do modo como queriamos que saísse.
    E só nos resta o ultimo combate deles no Night of Champions para alimentar nossas esperanças.

    Ou a WWE põe Bray e sua stable em over ou os afunda de vez.
    E não escondo que tenho meus receios em relação ao futuro da stable.

    • Salgado - há 2 anos

      Obrigado :)

      Exacto.

      Tinha muitas esperanças para a rivalidade com Chris Jericho e a desilusão tem sido muita por causa disso.

      A WWE precisa de acordar rapidamente e fazer algo em relação ao grupo depressa, porque quanto mais tempo passa, mais o interesse em Bray Wyatt desaparece.

  4. Galloway - há 2 anos

    Bom artigo, gostei do tema abordado.

    A seguir ao Dean Ambrose, de momento, o Bray Wyatt vem a seguir no ranking das minhas superstars favoritas.

    Tem um carisma brutal, as suas promos só são superadas pelas do Heyman e no ringue até tem vindo a evoluir.

    O que aconteceu naquela Raw em que o Cena o demoliu foi ridículo demais.

    Não queria acreditar que para restabelecerem a credibilidade (que não foi perdida) do Cena, tiveram que o meter a dar porrada no Bray e na restante família.

    Um Superman autêntico. Ridículo demais, como já disse.

    Apesar da intenção ser boa, com o regresso do Y2J, nunca me parece que a feud estivesse vibrante, por parte de nenhum deles, até.

    Muito insonsa, um ou outro ataque no Jericho, uma ou outra promo mais bem conseguida e nada mais.

    Mesmo os combates não têm sido aqueles grandes combates que se esperavam, o do Battleground então foi decepcionante, pelo menos para mim.

    O do SummerSlam foi melhor, teve bons spots e um grande momento com o que o Bray disse ao Jericho, mas de resto foi normal.

    Falta agressividade, animosidade, intensidade à feud, e não é com a duração que vai ter que ainda vamos ver isso incluída na rivalidade.

    Bray sairá, normalmente, por cima, mas não muito credibilizado.

    A sova que levou do Cena veio prejudicá-lo e muito, juntamente com isso.

    Se em 3 meses não se faz nada de especial, não é em 3 semanas que o vão fazer.

    E a julgar pelo futuro do Bray depois desta feud, também não parece ser nada de mais.

    A pouco e pouco vai perdendo o ímpeto que teve em certos momentos da feud com o Cena, onde este estava perturbado pelo o que o Bray dizia e fazia.

    Só espero que não o enterrem ainda antes de o lançarem no Main-Event, que capacidade para isso ele tem, tal como o Dean, apesar de não concordarem na WWE, vá se lá saber o porquê.

    Bom artigo :)

    • Salgado - há 2 anos

      Obrigado :)

      Foi uma palhaçada autêntica.

      Também senti isso. Não foste o único que achou o combate do Battleground desapontante, acredita.

      Exacto, falta isso tudo e sem uma boa razão que justifique a rivalidade, nada disso vai aparecer e, por isso, a rivalidade acaba por ser só mais um.

      Também acho que não, mas ainda tenho esperanças.

  5. Tunes9 - há 2 anos

    Excelente artigo, como sempre, bem escrito e organizado e com as ideias certas e realistas, gosto de sinceridade e é um tema que merece ser debatido e criticado, muito bom, gostei bastante.

    – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – –

    Isto é completamente ridículo, então trazem o Chris Jericho de volta para ter uma feud com o Bray Wyatt e eleva-lo, conseguem o objectivo e depois de uma excelente vitória do Bray no Summerslam, 2 semanas depois perde desta maneira contra o Cena, será que estão a gozar com o Bray ou o Cena está acima de tudo e para o valorizar novamente vale tudo, nem que seja passar por cima de um talento e banaliza-lo, tornando irrelevante a feud que está a ter com o Jericho, a WWE tem o poder de estragar o que está bem feito em apenas um combate e isso irrita-me.

    É verdade que a WWE tem escolhido o Bray Wyatt para enfrentar nomes sonantes, mas qual é o sentido de por o Bray a perder com o Cena na Wrestlemania e no MITB, sendo que no Extreme Rules só conseguiu ganhar com a distracção do miúdo que cantou?! Qual é o sentido de um Homem, o Cena, destruir três Homens de força bruta e “monstros” (é assim que são retratados) sozinho e como se não fosse nada?!

    Não é suposto a WWE ser retratada com realista/realidade?! Sim, é scripted e o final é pré-determinado, mas é suposto esquecermos isso e a WWE ser retratada como uma coisa séria, e os jovens talentos que são aposta da companhia devem ser bem aproveitados e elevados, mas onde fica isto tudo que acabei de dizer se estão constantemente a por o Cena a humilhar o Bray Wyatt e destruir três Homens sozinho?! É uma patetice, enfim, acho que o Bray Wyatt perdeu mais do que ganhou com a feud com o Cena, mas é só a minha opinião.

    – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – –

    Quanto ao Y2J, é um dos melhores de sempre e regressa para ajudar os jovens talentos e eleva-los e mais uma vez foi isso que fez, compreendo que a WWE tivesse de dar a vitória ao Jericho no primeiro combate, mas depois o Bray venceu no 2º e de forma convincente, concordo que o ataque, no Battleground, podia ter sido no ringue, mas no backstage também não foi mau, agora não podemos retratar o Bray Wyatt como um “monstro”, um deus todo-poderoso e perigoso, e depois no ringue retrata-lo com um adversário fácil de vencer, isso tira-lhe credibilidade e passa a ser um maluco fala barato que não prova nada nas suas acções.

    A feud também tem estado aquém do esperado, umas vezes há uns ataques dos Wyatts ao Jericho e outras vezes nem aparecem e o rivalidade parece não existir, a WWE não está a dar a atenção devida à feud e a sua construção tem sido fraca, eu admito que me esqueci sempre do Bray Wyatt vs Jericho como combate do Summerslam, falava nos combates e só no fim depois de pensar bastante é que me lembrava do combate, isso demonstra o interesse nesta feud, nada de positivo.

    Essa das piadas continuo sem perceber, então o Bray Wyatt não é o nov “Undertaker” ou “Kane”?! não estou a dizer em termos de “gimmick” e assim, mas o próximo fenómeno da WWE, é que o que é teria acontecido ao Taker ou Kane se fossem gozados com piadas secas no seu tempo?! Nada de bom, presumo, basta ver que o Kane a partir do momento que começou a entrar em parvoíces, a falar normalmente e a dizer piadas e ser alvo de chacota, a sua carreira foi sempre a descer, já o Taker manteve-se no topo, o Bray Wyatt corre o risco de ir pelo mesmo caminho do Kane, os adversários do Bray Wyatt devem leva-lo a sério e ter receio dele, teme-lo, e acreditar no que diz, não nas palavras extravagantes, mas no objectivo das mesmas, e dar credibilidade ao Bray, e não goza-lo e humilha-lo, querem fazer dele um mid-carder ou jobber?! Ou querem acabar com a personagem?!, decidam-se.

    – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – –

    Por fim, tenho receio que a WWE estrague esta personagem e acabe com o Bray Wyatt, estes altos e baixos não são positivos, o Bray Wyatt tem que ser temido e dominante em todas as feuds e combates que faz, e só isso resultará, mas não me acredito que a WWE faça algo de positivo nestas três semanas e dê credibilidade ao Bray e interesse ao combate com o Y2J, será mais do mesmo, mas espero estar enganado e ser surpreendido, é esperar para ver.

    (Como sempre e mais uma vez) Bom trabalho Salgado. :-)

    • Salgado - há 2 anos

      Muito obrigado :)

      – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – –

      Estão a gozar com os fãs também. Não acredito que o Jericho tenha ficado contente com esta decisão, também. Eu não ficava.

      Pior ainda, fizeram-no para restaurar uma noção imaginária de credibilidade que Cena tinha perdido, quano se sabe perfeitamente que este não perdeu nada.

      Também acho que perdeu mais, mas ganha-se sempre qualquer coisa por ser o adversário de John Cena na Wrestlemania e alguém que rivaliza com ele durante vários meses.

      – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – –

      A questão do ataque no Battleground é que a última imagem com que os fãs ficaram do combate foi de Chris Jericho a cumprimentar a família e a vencer Bray Wyatt sem dificuldades. Se Jericho tinha de vencer, como já vimos pela situação apresentação, então que a última imagem fosse dominante e fosse de Bray Wyatt por cima. Os fãs precisavam disso depois dos meses que este passou a ser humilhado por John Cena.

      Infelizmente, Bray Wyatt é pouco mais que um heel de midcard. Portanto, isso já conseguiram.

      – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – –

      Não acho que a companhia vá acabar com a personagem. Podem é precisar de ir a extremos para a revitalizar e esperar que os fãs simplesmente já não suportem Bray Wyatt.

      Muito obrigado :) Ainda bem, não há problema :)

      • Tunes9 - há 2 anos

        No problem. :-)

        Já somos dois, realmente o Y2J às vezes até deve apetecer-lhe sair da WWE e não regressar mais, mas pelo amor ao Wrestling, ao WWE Universe e por gostar de ajudar os jovens talentos continua a regressar, é uma parvoíce o que fizeram com ele, a WWE faz tudo para proteger o Cena e não se lembra que ele está no intocável e de lá não desce por nada, mas enfim.

        – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – –

        Sim, sim, claro, ganha-se sempre qualquer coisa ao enfrentar alguém com o calibre do Cena numa Wrestlemania, mas nesta feud o Bray também perdeu muito, antes da feud com o Cena estava em alta e podia sair como um Main-Event dessa feud, mas acabou por ficar à nora e ser dizimado, como acontece (quase) sempre com os jovens talentos que enfrentam o Cena, detesto.

        – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – –

        Sim, subscrevo o que disseste com a última imagem do Y2J vencer o combate e estar a festejar com a família, um ataque dos Wyatts que fosse dominante e deixasse o Jericho no chão e inconsciente, seria o ideal e o melhor para o Bray Wyatt, mas não aconteceu e o ataque no backstage acabou por ser um mal menor em vez de ser mau de todo.

        – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – –

        Sim, eu exagerei ao dizer que a personagem acabava, mas não estou a gostar do rumo que está a levar, mas podem descredibiliza-la tanto e tanto que podem ter que ir a extremos, como disseste e bem, e depois não será nada fácil “revitaliza-la” e o que pode ser fenomenal passa a ser muito bom apenas, é isso que temo.

        – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – –

        De nada, digo o PS porque às vezes penso que estou a ser chato e não quero aborrecer ninguém, apenas isso, mas é bom saber que não te estou a chatear, sendo assim, ainda bem, e é sempre um gosto “discutir” Wrestling contigo. :-)

  6. danielLP21 - há 2 anos

    Muito bem, nada a acrescentar.

    Sinceramente, nunca mais vou dizer “não nos precisamos de preocupar com este, é óbvio que um dia vai ser main-eventer. Mais cedo ou mais tarde, vai ser um main-eventer”. Dizíamos isso com o Damien Sandow (tinha “main-eventer” “escrito na testa”, lembras-te?), e onde está agora?

    Até o futuro dos ex-Shield já me começa a preocupar. Sem ser o Roman Reigns, será que os outros dois vão MESMO ser main-eventers ou mais cedo ou mais tarde vão ser mais dois brinquedos deitados fora? Eu quero acreditar que não e ainda não sinto que sso vá acontecer, mas a forma inconsciente, quase anedótica, como tratam potenciais main–eventers deixa-me de pé atrás. O que aconteceu com o Bray Wyatt na Raw não pode fazer sentido na cabeça de ninguém, nem mesmo do Vince McMahon e do Triple H. Não tem cabimento, não tem explicação! Aliás, a única explicação que encontro é o facto de gozarem com os fãs de há uns tempos para cá de forma constante.

    Bray Wyatt, Dean Ambrose, Seth Rollins, Roman Reigns… Veremos quantos destes serão main-eventers no espaço de um ano, já para não falar de Cesaro, Sheamus, Rusev, etc. Será que só conseguem construir um main-eventer de cada vez?

    • Salgado - há 2 anos

      Obrigado :)

      Também já não digo isso! Já disse demasiadas vezes no passado e sai desiludida! A fazer de duplo para o Miz!

      Acredito que, a certa altura, irão todos – talvez com excepção do Reigns, a não ser que falhe miserávelmente – passar uma fase em que são usados de forma mais questionável. Acho que é uma sina que vai mesmo tocar a todos, esperemos que é estes tenham talento para sobreviver. Eu acho que, por exemplo, o Bray sobrevive, o problema é que isso continua a não ser justificação para esta palhaçada.

      Oh Daniel, o Cena precisava de credibilidade! Tens que dar o desconto! :P

      Nem de cada vez conseguem! O coitado do Reigns até já foi vaiado, porque a WWE ignora completamente os fãs que tem!

  7. Superstars - há 2 anos

    Realmente Bray Watt não tem mais aquela aura que teve na Feud com Jhon Cena.

    https://www.youtube.com/watch?v=GehiXCpDCMc

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador