Opinião Feminina #198 – Numbers vs Quality

É uma tarefa bastante complicada produzir um programa, uma série televisiva ou uma série de filmes, que mantenha a sua qualidade e consistência desde o seu início até ao fim. Séries bastante aclamadas como Simpsons vêem os seus dias áureos bastante distantes, enquanto outras como Breaking Bad acabaram antes de terem passado o seu prazo de validade e quando ainda estavam no auge da sua qualidade.

Outras séries conseguiram sobreviver vários anos graças à estrutura que apresentavam, como por exemplo Dexter, onde cada temporada tinha apenas 12 episódios, não deixando por isso, que uma história se arrastasse mais do que o necessário, independentemente da sua qualidade. “Short and sweet” é o lema que mais se aplica neste caso.

O mundo do Wrestling Profissional, embora se promova também como entretenimento – e o seja, é um animal completamente diferente. Não há período de descanso, nem pausas. Introduzir uma época de descanso à indústria, um pouco maior do que a semana de férias que todos têm após a Wrestlemania, seria diferente e arriscado, com a WWE a apostar todos os lucros que poderia ter durante esse período de tempo, mas poderia trazer algumas vantagens.

Essas vantagens não serão testadas, pois actualmente a WWE caminha para o extremo oposto, onde quer envolver cada vez mais os fãs no seu produto. A WWE App, a WWE Network, as imensas horas de programação semanal e o uso das suas redes sociais são tentativas de envolver cada vez mais os fãs, de forma a que estes incorporem cada vez mais o produto na sua vida e consumam sem parar.

A palavra de ordem tornou-se assim “números”. O que fazer para subir as audiências? Ou, como está a ser feito para a próxima edição da Raw com o regresso da Monday Night Football, o que fazer para que não desçam tanto? Que número de subscrições alcançar antes do fim do ano? Quanto tentar receber nos novos contratos pelos direitos televisivos?

Números, números e números. É normal que estes números, entre outros, sejam a grande preocupação da WWE. Também seria a minha se tivesse um império milionário para gerir. No entanto, ao tornar “números” na palavra de ordem, a WWE esqueceu-se de como é que esses números surgem.

Quando é que as redes sociais são mais usadas pelos fãs para comentar o produto da WWE? Quando é que esses números disparam? Quando os fãs estão muito chateados, como foi o caso da vitória de Batista no Royal Rumble, ou quando estão muito felizes/estupefactos, como foi com o Summer of Punk em 2011.

Atrevo-me a dizer que as redes sociais não lucram significativamente com a forte promoção de que são alvo, caso contrário o pobre Tout teria sido um sucesso tremendo, em vez da parceria ter chegado ao fim.

Muito pelo contrário, a melhor promoção que a WWE pode fazer, seja das redes sociais, seja da WWE App ou da WWE Network, não passa por tornar o preço da Network num slogan que precisa de ser repetido constantemente em todas as promos por todas as pessoas do roster.

Passa sim por gerar interesse e criar um burburinho em torno do seu produto. O resto vem por acréscimo, porque se a WWE criar um produto interessante, empolgante e de qualidade, serão os fãs que quererão associar-se e envolver-se cada vez mais nele.

Afinal, os fãs passaram grande parte da última década e meia a tentarem infiltrar-se cada vez mais na indústria e saber muito mais do que noutros tempos seria permitido. É um facto que a curiosidade que tinham era fortemente instigada pela forte protecção de que a indústria era alvo até então. Mas também é um facto que é mais provável as pessoas sentirem curiosidade e quererem envolver-se em algo de qualidade e empolgante.

Por alguma razão as pessoas compram os DVDs com as edições de Coleccionador, tendo assim direito a horas exclusivas de extras, de filmes que gostaram muito e que as impressionou, e não de filmes que não planeiam ver novamente.

O que quero dizer com tudo isto é que na ânsia de fazer os números subir, de fazer com que os fãs adiram, a WWE esqueceu-se de lhes dar bons motivos para o fazer. Esqueceu-se que, para os fãs se envolverem no produto, a WWE precisa de fornecer algo em que os fãs se queiram envolver. A palavra de ordem deveria ser “qualidade” e, de preferência, consistente.

Com qualidade, os fãs irão, de bom agrado, aderir a tudo e fálo-ão porque não se conseguem conter e só querem ver mais e mais, ao mesmo tempo que discutem com mais e mais pessoas.

A última edição da Raw foi exemplo de como a companhia está completamente desligada da audiência que tem e de que tanto precisa. Foi exemplo de como a companhia cada vez menos se preocupa ou interessa com aquilo que apresenta, mesmo que isso insulte os seus fãs. Foi um exemplo de falta de profissionalismo, falta de preocupação e, acima de tudo, falta de dedicação.

Há várias razões para explicar a falta de interesse da WWE. A primeira é, claro, a que já foi explicada. A sua obsessão em tornar tudo o que promove um sucesso cegou a companhia, ao ponto de se esquecer o mais importante para o alcançar.

A segunda é, claro, o facto da passada segunda-feira ter sido um feriado americano. A WWE contava em ter poucos fãs a assistir, portanto não se dignou a apresentar um pouco mais que a pura das misérias.

A terceira e a mais triste é a sua própria arrogância. A WWE conhece a audiência que tem. Sabe que os fãs são criaturas de hábito e que embora seja mais complicado convencê-los a aderir a novos serviços, podem contar sempre com a sua presença, seja para falar bem ou mal. Afinal, são os fãs mais dedicados e aqueles com quem a companhia mais gosta de gozar.

É preciso chegar a extremos muito negativos para afastar por completo uma audiência e a WWE, por muito condescendente e desinteressada que esteja, ainda não atingiu esse extremo.

Todavia, não deixa de ser incrivelmente insultuoso que uma companhia simplesmente se deixou de esforçar ou permitiu que certos programas fossem transmitidos, sem fazer o mais pequeno esforço para honrar os fãs que lealmente acompanham o produto. Esta última Raw foi o exemplo mais recente, mas para quem se lembra dos últimos cinco pay-per-views de 2013 sabe que exemplos não faltam.

Infelizmente, exemplos de como a WWE insulta a inteligência dos fãs não faltam. Na passada Raw existiram muitos. Desde um segmento de abertura, onde seis estrelas, três delas notórios oradores, receberam ordens para empatar os fãs e atirar-lhes areia para os olhos. Este foi o primeiro sinal de que a companhia já tinha descartado a edição.

Que Triple H queira tornar a vida de John Cena complicada, depois de recorrer a Brock Lesnar para lhe tirar o Título, é compreensível e aceitável.

Que questione se John Cena será capaz de enfrentar Brock Lesnar novamente, depois deste ter humilhado a Wyatt Family na passada edição, também se aceita, embora com alguma dificuldade, pois Bray Wyatt precisava de tudo menos ver o seu ataque minimizado.

Mas a WWE nunca deveria ter tentado fingir que John Cena não iria ter direito ao seu combate com Brock Lesnar. Os fãs nunca acreditariam, pois é absolutamente absurdo considerar que depois de um década onde teve mais reinados que qualquer outra pessoa no roster actual e mais oportunidades do que o roster todo junto, John Cena não iria mesmo ter direito à sua desforra.

Esta situação piorou significativamente quando, na sua promo, Paul Heyman falou apenas de John Cena como adversário de Brock Lesnar. Resumindo, a WWE gastou meia hora de programação usando seis dos seus lutadores como marionetas para discutirem um cenário que nunca iria acontecer e que, pior que tudo, os fãs nunca acreditaram poderia acontecer. Se essa não é uma das melhores definições de perda de tempo, então não sei o que é.

Noutra estratégia extremamente questionável, John Cena – babyface de topo da companhia – ameaçou processar Triple H se não lhe dessem o seu combate com Brock Lesnar. Porque processar o vilão da história é exactamente a forma como um bom herói lida com a situação, especialmente John Cena, não é verdade?

Afinal, funcionou na maravilha para Big Show, Christian, Randy Orton ou Alberto Del Rio. Não há dúvida que ameaçar com processos legais é uma estratégia com um rácio de sucesso garantido e perfeita para qualquer babyface decente usar.

Outra estratégia bastante questionável deste segmento envolveu Chris Jericho e o seu alegado interesse em Randy Orton. Porque é que Chris Jericho se lembrou da forma como Randy Orton nunca teve de lutar por nada durante a sua rivalidade com Bray Wyatt, e logo depois de ter perdido de forma decisiva no WWE Summerslam – um dos maiores eventos do ano?

De onde é que este interesse veio e qual é a justificação plausível para ele existir? Especialmente porque não levou a lado nenhum e a WWE anunciou um terceiro combate entre Jericho e Bray Wyatt para a próxima semana, sem Jericho nunca ter promovido o combate.

Tantos detalhes que, se tivessem sido tratados com um pouco mais de cuidado e dedicação teriam tornado esta meia-hora num segmento bastante mais útil e interessante. Mas lá está, a WWE não só insulta a nossa inteligência semanalmente ao apresentar um produto que fica aquém das suas capacidades, como acha que os fãs não notam a forma como estes pequenos detalhes arruínam o que podia perfeitamente ser uma edição razoável da Raw.

Afinal de contas, se os fãs não notam – de acordo com as impressões que Dave Batista tem dos bastidores da WWE e partilhou no Talk is Jericho – que os lutadores deveriam estar mais lesionados do que realmente mostram estar, depois das provações a que foram sujeitos, porque iriam notar que um segmento com seis estrelas perfeitamente capazes não alcançou rigorosamente nada e onde, cada um, apenas disse as suas falas à vez, enquanto esperavam que o tempo passasse?

Estes são os mesmos fãs que assistem, semanalmente, a séries de grande qualidade e com histórias bastante mais complexas do aquelas que a WWE apresenta. Mas, no mundo de Vince McMahon, tal não existe e os fãs apenas pensam e acreditam naquele que ele pensa e acredita.

Se ele prestasse atenção aos fãs que tem, em vez de dizer que presta como costuma fazer nos vídeos bonitos que por vezes transmite, não teria colocado Roman Reigns, uma estrela que está claramente a ser preparada para ser um grande babyface, numa posição em que os fãs o querem vaiar por atacar Seth Rollins na sua cidade natal.

Em todos estes exemplos, a WWE poderia ter facilmente corrigido as suas falhas se tivesse dedicado um pouco do seu tempo e atenção. Mas, a despreocupação e desinteresse falou mais alto.

Este segmento de abertura levou a um combate no main-event de qualidade aceitável, mas, mais uma vez, de lógica questionável. Primeiro, não tinha sido estabelecido como se impressionava Triple H, visto que todas as estrelas iriam ser avaliadas. É certo que John Cena teve o maior momento do combate, mas não foi ele a conseguir a vitória. Como Triple H não tinha dado detalhes, tornou-se cada vez mais claro que a história principal seria apenas para empatar e que nada relevante iria mudar, embora a WWE tivesse tentado fingir o contrário.

Para o crédito da WWE, o combate conseguiu o efeito desejado que foi levar os fãs a celebrar o momento em que John Cena entrasse no combate. No entanto, para alguém que se mostrava tão aborrecido por não lhe darem a tag e tão desejoso de provar o seu valor, a decisão de John Cena deixar Roman Reigns obter a vitória é no mínimo questionável.

Não seria essa a melhor forma de provar a Triple H que conseguia? Afinal, se isto fosse uma história minimamente lógica, Roman Reigns deveria surgir na próxima Raw e exigir desafiar Brock Lesnar, pois tinha sido ele a obter a vitória.

É caso para dizer que a história principal da WWE foi um absoluto desastre na passada segunda-feira, o que significa que um terço do programa foi exasperante de assistir. O outro terço foi dedicado a um anúncio publicitário extremamente longo do regresso do Total Divas.

Este anúncio publicitário começou com um combate absolutamente horrendo que, mesmo tendo durado apenas um minuto, demorou tempo demais. Cameron, Eva Marie e Rosa são as piores divas que a Divisão de Divas da WWE tem, portanto colocá-las a todas na mesma equipa para um combate de Tag Team é tudo, menos uma ideia inteligente.

Quando as Divas não possuem talento para lutar ou quando não foram treinadas o suficiente, até um minuto consegue ser um sofrimento para os fãs. Infelizmente, nada disto é novidade, nem irá mudar. Graças ao Total Divas, Rosa irá lutar cada vez mais e, por isso, os fãs serão sujeitos a ainda mais sofrimento. Porque é que uma Diva que não mostra qualquer evolução desde 2006 e nunca deu qualquer lucro à companhia aguentou o emprego durante tanto tempo, é algo que gostaria de saber.

Enquanto este pequeno anúncio durou apenas uns minutos, por muito horrendo que tenha sido, grande porção da Raw foi dedicada à história envolvendo as Bella Twins. Esta história, como já se sabe, tem como objectivo promover a estreia da nova temporada do Total Divas. Ora, como seguidora do reality-show, devo dizer que a WWE não poderia ter feito pior trabalho.

O Total Divas existe para trazer alguma audiência que não é familiar com o mundo da WWE para a WWE e para levar alguns dos fãs da companhia para o E!. Por alguma razão, a WWE está a gastar tempo para promover um programa com uma audiência de pouco mais de um milhão de telespectadores em frente a uma audiência de mais de quatro milhões.

Esta promoção precisa de existir e faz todo o sentido. Porém, a melhor forma de promover um programa é dar aos fãs motivos aliciantes para o acompanharem, não é expor as fraquezas e falta de personalidade das duas maiores estrelas do programa em questão.

Brie e Nikki não sabem representar. E, infelizmente, está a ser-lhes dado meia-hora – ou perto disso – todas as semanas para mostrar como são péssimas actrizes. Não só esta horrível desculpa para representação leva os fãs a quererem mudar de canal e de planeta, como lhes dá tudo menos vontade para ver um reality-show onde, novamente, são elas a representar nos papéis principais.

Rivalidade entre irmãos é das histórias mais complicadas de vender aos fãs e, por isso, precisa de que um dos irmãos ou ambos seja incrivelmente talentoso para convencer os fãs. Nenhuma das duas tem esse nível de talento e, pior que isso, têm sido ambas expostas como sendo absolutamente miseráveis.

Os problemas na apresentação de Brie já foram discutidos a fundo em edições anteriores, mas no que toca a Nikki, devo dizer que a sua definição de representação é gritar e gesticular. Porque à excepção disso e do seu beicinho característico, esta ainda não mostrou ser capaz de mais.

As rivalidades entre irmãos, embora sejam incrivelmente complicadas de vender aos fãs, são das mais fáceis de justificar. Os irmãos até podem usar histórias legitimas de antigas brigas para tornar a história mais realista. Todas as pessoas com irmãos se vão identificar, ou pelo menos compreender o que está a ser debatido. Mas, até em dar a motivação certa a WWE falhou.

Os segmentos Growing Up Bella foram terríveis e, infelizmente, não no sentido cómico. Vamos imaginar que, por qualquer milagre, a WWE conseguiu com esta história angariar mais um telespectador para o Total Divas. Esse telespectador, como não quer perder nada, resolve ver tudo do início e, quando o fizer, vai chegar a várias conclusões.

Primeiro, Nikki não é a mais esperta das gémeas e era preciso Brie ter muita falta de conhecimentos para precisar de ajuda para passar na escola. Afinal, Nikki é a gémea que confundiu o cancro da próstata com o cancro dos testículos e que não fazia a mais pequena ideia do que é o escroto. O próprio namorado, John Cena, já reconheceu que o sistema de ensino falhou Nikki Bella.

Ora, pode-se defender que as histórias no Total Divas são diferentes do que se passa na WWE, mas esse não é o caso, porque frequentemente – tal como neste caso – vemos o Total Divas a usar a WWE para avançar com as suas histórias e vice-versa. Portanto, Nikki não pode ser mais inteligente que Brie num universo, e depois trocarem novamente no outro.

Segundo, há a história de Nikki ter um problema com o facto da sua irmã ter estado com o seu companheiro do baile de liceu, quando na realidade Nikki casou-se com o seu namorado de liceu bastante jovem. Esta história foi um dos focos principais da última temporada.

Resumindo, em vez de procurar motivos minimamente credíveis para justificar a zanga entre as gémeas, a WWE preferiu insultar tudo o que fãs viram nas restantes temporadas do Total Divas. Agora, com isto em mente, como é que alguém pode ser convencido a assistir? Esta história precisava de existir, graças ao Total Divas, mas não precisava de ser tão má. É má porque a WWE não quer fazer melhor.

Houve mais um aspecto que este segmento provou e é algo que cheguei a mencionar há algumas semanas. Esta rivalidade entre as Bellas não existe apenas para promover o Total Divas, mas também para dar a Stephanie McMahon o divertimento que esta bem precisa. Pois, afinal, se há alguém que se tem divertido durante o último ano a embaraçar e humilhar o roster inteiro, sem nunca ser castigada é Stephanie.

Não só Stephanie teve a oportunidade de fazer de babyface durante o combate no Summerslam, claramente valorizando-se enquanto deveria ser Brie Bella o destaque, como agora divertiu-se a humilhar e menosprezar AJ Lee. Porque o que todos os babyfaces fazem quando são ordenados a fazer algo é mesmo obedecer, não é verdade?

Babyfaces a ameaçarem processar os vilões e a obedecerem-lhes sem questão… Não há dúvida que a última edição da Raw foi excelente para retratar os supostos heróis que a WWE possui.

O último terço da Raw foi indiferente e serviu apenas para gastar tempo. Combates repetidos pela enésima vez e grandes talentos limitados a um combate de dez minutos foram apenas alguns dos exemplos. No fundo, à excepção do anúncio publicitário ao Total Divas e da história principal, a WWE não apresentou nada de interessante ou empolgante. Nada, para além do que estão focados naquele momento, tem o direito de se tornar interessante.

Várias situações, como a promo de Bo Dallas e a luta entre Heath Slater e o coelho, teriam sido aceitáveis se apresentadas numa edição de boa qualidade, mas quando toda a edição é terrivelmente desapontante, estas situações acabam por deixar os fãs ainda mais amargurados.

A WWE não precisa de avançar com histórias todas as semanas. Quando, criativamente, não tiver as melhores ideias para avançar com as histórias, dê oportunidade a alguns talentos de entreterem os fãs da forma que os fãs esperam ser entretidos: Wrestling.

Além do combate de main-event e do desastre de um minuto que durou o combate de Divas, foram realizados mais seis combates. Destes seis combates, apenas dois chegaram aos dez minutos. Os restantes quatro duraram entre meros segundos a pouco mais de dois minutos. Qual é a necessidade de ter combates tão curtos?

Compreendo que, para avançar com algumas histórias, seja necessário que alguns combates sejam curtos, mas não precisa de ser a grande maioria. Se a companhia vê que precisava de gastar tempo, então que tivesse gasto o tempo do segmento inicial – que foi completamente inútil – e o tempo de alguns destes combates e segmentos, como o das Bellas, com outros combates mais longos.

Porque é que talentos como Dolph Ziggler e Cesaro ficam reduzidos a um combate de Tag Team, durante dez minutos, sem ter qualquer exposição, quando podiam perfeitamente ter tido quinze ou vinte minutos sozinhos e colocado os fãs muito mais felizes com o que estava a ser apresentado.

Qual é o problema de, nalgumas noites menos inspiradas, simplesmente deixar estes talentos mostrar que são bons e tentar convencer os fãs dessa forma? Ou será que a WWE está receio que outro fenómeno semelhante ao de Daniel Bryan surja? É assim tão mau deixar os fãs escolher em quem gastar o seu dinheiro? Aparentemente é.

Se a WWE fizesse jus ao talento que tem e deixasse o midcard brilhar um pouco mais, esta Raw teria sido muito melhor. Sem qualquer comparação. O problema da Raw foi ter-se apoiado em apenas duas histórias e ambas terem sido uma absoluta miséria. Quando na realidade, se poderia ter apoiado no roster maravilhoso que tem e ter deixado a arte que todos amamos fazer o seu trabalho.

Como é que é mais fácil recorrer a manobras desesperadas para combater a descida das audiências com o regresso de Monday Night Football ao convidar um jogador para dizer de sua justiça em directo, em vez de simplesmente tirar proveito das qualidades que o roster tem? A WWE não sentiria a necessidade de exibir o seu vergonhoso desespero se investisse um pouco no que está a fazer e tornasse o produto algo que os fãs estão empolgados para assistir.

Cada vez mais a companhia parece ser um meio para os que estão no poder se divertirem à custa dos fãs que, de facto, gastam dinheiro com eles. Stephanie McMahon diverte-se fazendo da Divisão de Divas, e do restante roster, o seu parque de diversões, embaraçando toda a gente e não deixando que alguém capitalize e se torne numa estrela maior.

Já Vince, por sua vez, usa JBL para se divertir às custas do talento que está dentro de ringue, menosprezando e ofendendo tudo o que fazem. Como é que é suposto os fãs investirem-se num produto tão mal apresentado e estimado?

É perfeitamente aceitável dar o melhor dos melhores e falhar. Não é, de todo, desculpável mostrar uma falta de preocupação e interesse, não só pelo que se apresenta, como por aqueles que perdem tempo das suas vidas e dinheiro a acompanhar lealmente o produto. É uma triste realidade a que vivemos.

Da minha parte, penso que me alonguei o suficiente. Desejo uma excelente semana a todos e até à próxima edição!

Sobre o Autor

- Administradora. Publico parte das notícias, faço a gestão da League, dos Passatempos e ainda sou escritora do artigo “Opinião Feminina”.

57 Comentários

  1. Tiago Correia - há 2 anos

    Óptimo de artigo como habitual. Aliás, o que falta à WWE é precisamente aquilo que tu tens: Consistência.

    “A WWE não precisa de avançar com histórias todas as semanas”. Esta talvez seja a frase chave de todo o artigo. Que histórias? Só vejo uma, por sinal péssima, a que envolve as Bellas. Tudo o resto são rivalidades, é verdade, mas que não têm uma história. Pelo menos não com a complexidade que já vimos outrora.

    Já não é a primeira vez que manifestas a opinião de que o produto actual é extremamente pessoal, na medida em que serve para agradar os patrões. O tempo, infelizmente, tem-te dado razão e, embora seja relativamente fácil mudar esta situação, não me parece que tal vá acontecer no curto prazo.

  2. MicaelDuarte - há 2 anos

    Excelente trabalho, Marta.

  3. DX Rules - há 2 anos

    Grande artigo. Concordo com tudo o que disseste.

    Eu não vejo o Total Divas e por isso nem tinha ideia dessas falhas mas é caso para dizer: http://cdn.meme.li/instances/500x/47874194.jpg

  4. José Sousa - há 2 anos

    Excelente trabalho. Eu já falei com pessoas sobre isso e esse tal fenómeno tipo o Bryan poderá acontecer para o ano. Tipo se a WWE não enterrar o Ambrose ele têm tudo para ser um bomba em crescimento junto dos fãs. E nessa situação caso vai ser inevitável apostar nele como foi no caso do Bryan.

    • Salgado - há 2 anos

      Obrigado! Embora Ambrose não seja a primeira escolha da WWE, não vejo a companhia a mostrar tanta relutância em apostar nele como mostrou no caso de Daniel Bryan.

  5. Galloway - há 2 anos

    Excelente artigo, gostei de ler.

    Concordo com tudo o que disseste, mas vou-me centrar apenas num aspecto que me pareceu interessante de analisar: o “receio” que surja outro Daniel Bryan.

    Acredito que isso possa de facto existir, e porquê?

    Porque a WWE tem receio de apostar num talento que volta e meia se lesiona e faz com que o principal plano a médio/longo prazo vá por água abaixo, como aconteceu com DB?

    Essa foi a justificação para não se dar um push maior ao Dolph durante tanto tempo, ele que teve que ficar sem o WHC por causa da lesão causada pelo Swagger, que fez o mesmo ao Barrett (não o estou a culpar, claro, apenas a constatar factos).

    Ou será que já definiram quem querem que seja o futuro top babyface (Reigns) e não querem outro?

    Seja como for, no essencial concordo, há muito talento mal aproveitado no roster e que deveria e podia fazer da Raw mais interessante sem ter que recorrer a histórias de irmãs, que como apontaste e bem, são o oposto do que foram retratadas, ainda por cima, mostrando que não se importam de o fazerem, nem estão aí para isso.

    • Salgado - há 2 anos

      Muito obrigado :)

      Então assim a WWE não deveria apostar em ninguém, porque todos os lutadores estão em risco de se lesionar. A relutância da WWE em apostar em Daniel Bryan vem de muito antes da sua lesão.

      Por essa lógica, a WWE não deveria ter voltado a apostar em John Cena, depois deste se ter lesionado em 2007 – interrompendo o seu reinado – apenas para depois se voltar a lesionar no Summerslam 2008.

      Acidentes acontecem e com os anos de carreira que Daniel Bryan já leva em cima, especialmente com o estilo em que muitas vezes lutou, penso que uma lesão é desculpável.

      O Dolph Ziggler foi diferente, o Dolph sofreu dois traumatismos – se não me engano – num curto período de tempo. Acho que é razão para ter redobrados cuidados, mas não vamos agora fingir que Dolph Ziggler era alvo de grand push e investimento por parte da WWE.

      • Galloway - há 2 anos

        De nada :)

        É só a prova da incoerência da WWE nestas coisas.

        A questão do Daniel Bryan, para mim, é mais porque não querem correr o risco de haver outra superstar que ofusque a cara da empresa, o Cena.

        Ainda para mais alguém que não seja o protótipo de o ser, como o Bryan.

        E para mim existem alguns, como Dean Ambrose, o próprio Bray Wyatt e claro o Roman Reigns, já para não falar do Cesaro e até do Seth Rollins.

        Foi uma maré de azar para o Dolph, ter que ficar sem o título por causa de um super kick, perdeu completamente o comboio aí, por isso já dou graças a Deus por voltar a ter um título, espero que seja para continuar durante algum tempo.

      • Salgado - há 2 anos

        O problema é que não querem que uma estrela que eles NÃO escolheram ofusque John Cena. Desde que seja escolhido por eles, não há problema.

      • Galloway - há 2 anos

        Exacto, exacto.

        Foi o que aconteceu com o Daniel Bryan.

        E se não o estragarem, é o que vai acontecer com o Dean.

      • Salgado - há 2 anos

        Não acho que a WWE se vai opor a Dean Ambrose da mesma forma que se opôs a Daniel Bryan. Poderá mostrar alguma relutância, mas não será a mesma briga que foi com Bryan. Penso eu!

      • Galloway - há 2 anos

        Até ao momento tem sido mais pela separação dos Shield e porque o Dean anda atrás do Seth, algo que vai continuar a acontecer quando o primeiro regressar das gravações do filme.

        Espero bem que não se oponham, é que têm um diamante em bruto nas mãos, e como ele há mais.

      • Salgado - há 2 anos

        E o Dean tem tirado grandes frutos dessa história. Os dois têm estado lindamente.

  6. Kauê Souza - há 2 anos

    O artigo está ótimo e eu digo apenas uma coisa, A WWE tem medo de arriscar, porquê se eles fossem mente mais aberta, com certeza a empresa não estaria nesta situação.

  7. Tunes9 - há 2 anos

    Excelente artigo, mais um e com a verdade pura e crua e bem escrito, gostei bastante de ler e partilho da tua “dor”, é positivo termos pessoas a criticar o que está errado e não só elogiar (que é a parte mais fácil), portanto os meus Parabéns.

    – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – –

    Começo por dizer o que penso, portanto digo que antigamente não havia WWE apps, tout´s, Networks e blá, blá, blá, as redes sociais começavam a aparecer e nem existiam camaras HD alta definição, e eu até preferia assim, não tinha net e só conseguia navegar na biblioteca da escola, a WWE dava na sic radical e até dava com 3 ou 4 semanas de atraso em relação à América, mas eu nem sabia desse facto e apenas via como se fosse em directo porquê não tinha net e não havia Wrestling.PT, de vez em quando lá conseguia ir ao WWE.com, mas era raro e sempre que conseguia parecia uma “mina de ouro” de tão poucas vezes que conseguia.

    A WWE era algo único para mim e adorava ver, havia a tal qualidade e consistência, não era apenas números, mas isso mudou e acho que a tecnologia, que é positiva na maior partes dos casos, em termos de WWE até passou a ser negativa, a única coisa boa é o facto de podermos socializar e falar de Wrestling, de resto, até acho que a tecnologia piorou o Wrestling, pelo menos a minha paixão era maior antigamente, mas é assim e os tempos mudam, às vezes para pior, penso que este é um desses casos.

    Subscrevo a parte em que dizes que os fãs da WWE são os mais leais, eu falo por mim e adoro WWE e nunca deixarei de ver, o que pode ser mau em certos casos, mesmo que o produto esteja mau, eu continuo a ver e é de fãs como eu, tu e a maioria aqui no WPT que a WWE se aproveita e se desleixa no produto, cumprindo os mínimos, acho que é uma injustiça e falta de respeito e consideração, mas enfim.

    – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – –

    Uma equipa com Rosa Mendes, Eva Marie e Cameron quer dizer que estamos perto da apocalypse?! É que parece-me que sim, que ideia estupidamente estúpida, é mau demais.

    Quanto à Rosa Mendes, é simples, basta mostrar as suas partes íntimas em shows e no “Total Divas” e parece que é suficiente para se manter na companhia, dá a sensação que estão a fazer de propósito e, se isso é mesmo verdade, então é completamente ridículo, primeiro a Rosa Mendes que não tem talento e está disposta a qualquer coisa para subir na carreira e depois a WWE que por causa do seu estúpido reality show está disposta a tudo para haver audiências, é uma parvoíce completa, aqui o PG já não importa para nada, o que interessa é os NÚMEROS, eu vi o “Total Divas” na 1ª season e até achei divertido e interessante, depois perdeu a piada e nunca mais vi, eu quero é ver bom Wrestling, feuds e histórias interessantes, e combates de qualidade, assim como aproveitamento ao máximos dos (verdadeiros) talentos.

    Quanto às Bellas, a Brie é a simples, inteligente e trabalhadora, a Nikki é a
    fútil, ignorante (ser pouco inteligente ou até burra é uma coisa, mas ela é pior que isso, basta ver o que disseste acima) e que pensa que vai chegar ao topo sem evolução e sem trabalho e dedicação, mas, em geral, numa divisão feminina inteira, ambas seriam apenas mid-carders a descer para o low, e pô-las em histórias destas, com 30 minutos, e a ocupar uma fatia importante da programação da Raw, é simplesmente horrível e eu não tenho interesse nenhum por esta feud, pelo menos a Stephanie ainda aparece, menos mal.

    – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – –

    Por fim, concordo que é inadmissível ter a Stephanie a sair sempre por cima e humilhar o roster e ter o JBL a falar mal de tudo e todos, e o pior é que a WWE põe os talentos a fazer coisas embaraçosas com esse objectivo, e subscrevo a parte em que dizes que devem fazer combates com os talentos, de 15 ou 20 minutos, e com liberdade, se estão desinspirados ou simplesmente não lhes apetece trabalhar nas histórias, o mínimo exigível é dar qualidade nos combates que apresentam e utilizar os talentos da melhor maneira, mas nem isso são capazes, e eu admito que não vejo a RAW em directo, e às vezes até me esqueço e só vejo no fim-de-semana uns dias depois, e à Smackdown até já falhei 1 ou 2 vezes, e eu adoro WWE e há 2 ou 3 anos atrás via muitas vezes em directo, outras vezes no dia seguinte ao directo e via sempre e sempre, mas a qualidade e consistências tem diminuído e os NÚMEROS é que interessam, é uma pena.

    Se a WWE tivesse mais pessoas inteligentes, conscientes e preocupadas com os fãs e o que eles querem, assim como com a qualidade e consistências do produto, pessoas como tu e outras, se calhar a WWE seria mais interessante e estaria sempre no topo, e juntariam a qualidade aos números, assim é só números e é uma tristeza, mas enfim.

    – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – –

    (Como sempre!) Bom trabalho Salgado.

  8. gonçalo"the best in the world" - há 2 anos

    Excelente Artigo, Salgado!

    A WWE anda a fazer Raws de “cortar a respiração” mas no mau sentido porque uma pessoa prefere não respirar do que ver estas raw.

    Será que é assim tão difícil fazer uma boa raw? Qual é a dificuldade de apresentar bons combates e de darem promos com sentido e logica para cada rivalidade?

    A WWE tem um Roster brutal pode perfeitamente dar bons(grandes) combates com o midcard que tem ex: Cesaro vs Ziggler, Swagger vs Sheamus, Sheamus vs The MIz, Bo Dallas vs Cesaro, Usos vs Wyatts, Usos vs The Miz e Damien Sandow, Ziggler,Sheamus e Swagger vs Cesaro, The Miz e Bo Dallas, Natalya vs Brie há muitas maneiras de estes combates fazerem sentido nas rivalidades e todos eles com algum tempo podem ser excelentes.

    Para promos a WWE tem no midcard gajos como o Ziggler, o Miz ,Sheamus, o Sandow, o Bo Dallas, AJ lee e outros que são capazes de nos darem segmentos muito divertidos, eficazes para as historias em questão.

    Atenção e eu só falei do midcard por isso a WWE tem obrigação de nos dar todas as semanas uma boa Raw.

  9. Diogo7 - há 2 anos

    Excelente artigo, Salgado. Concordo com tudo.

    Ao ver a RAW da semana passada em directo, senti-me insultado e embaraçado. Querem que as pessoas subscrevam à Network com um produto destes? Se fosse eu, não lhes dava um cêntimo depois das últimas duas RAW’s. Qualquer um fazia melhor que aquilo.

    Não há histórias interessantes neste momento. A história principal está desinteressante porque temos um campeão ausente e um Cena a mostrar-se muito forte para conseguir a “redemption” na sua rematch mais importante da sua vida. Isto já não foi a mesma coisa com o Rock?
    A história das Bellas ninguém quer saber porque elas são péssimas actrizes e a própria história não está a fazer sentido nenhum.
    O resto é o costume. Squash match atrás de squash match atrás de squash match.

    A WWE precisava de uma forte concorrente para ver se acordavam para a vida. Parece que estamos a voltar a 1994/1995…

    • Salgado - há 2 anos

      Completamente de acordo.

      Ora aí está! Com John Cena, é sempre a mesma história! É sempre ele à procura da sua redenção, quando ninguém acha que ele precise de uma porque ele é JOHN CENA! A maior estrela da última década!

      Era mesmo de competição que a WWE precisava, mas isso não vai acontecer.

  10. Francisco Correia - há 2 anos

    Mais um artigo fantástico :). Concordo com tudo.
    Não me lembro da wwe ter um plantel tão talentoso como agora. É pena é o booking e do Vince querer ver o que lhe interessa e que o faça rir e não o que as pessoas querem.
    Não achas que devido ao facto de haver a Network, o Vince não devia dar ainda mais atenção ao produto que apresenta tendo em conta que precisa de pessoas que assinem o canal? É que parece que não. Se o produto continuar a ser mau, as pessoas podem cancelar a subscrição

  11. danielLP21 - há 2 anos

    Excelente artigo. Tens MESMO que começar a traduzir e a enviar os teus artigos à WWE ou a sites internacionais ou algo do género.

    Neste momento, a WWE está numa situação que eu nunca imaginei ver. Está pior do que em 2009/2010. Nesses anos, o “booking” foi lastimável, mas ao menos tinham Star-Power suficiente para disfarçar. O problema, neste momento, é que não há como disfarçar isto. Com as saídas do CM Punk e do Daniel Bryan, a WWE ficou sem main-eventers pelos quais os fãs tenham interesse. “Ninguém” quer saber do John Cena, do Randy Orton, do Kane, do Big Show, do Triple H… O Brock Lesnar e o Chros Jericho vêm de vez em quando e não contam para estas contas.

    Neste momento, a WWE podia ter, consolidados no main-event, os seguintes lutadores: Bray Wyatt, Dolph Ziggler, Cody Rhodes e os 3 ex-Shield (estes, só à cabeça, porque senão podia estar aqui a falar de Damien Sandow, Cesaro, etc). Parece difícil? Não é, de todo! No ano de 2000, surgiram 5 ou 6 novos main-eventers, bastando para tal credibilizar o maior número de lutadores possível e dar-lhes liberdade e tempo de antena para mostrarem o que valiam (Kurt Angle, Chris Jericho, Chris Benoit, Big Show, a consolidação do Triple H…). Claro que não se fixaram de vez no main-event logo nesse ano (tirando o HHH), mas o facto de interagirem com main-eventers sem serem completamente enterrados permitiu que os fãs olhassem para eles de outra forma e se investissem naquilo que viam. Por outro lado, a WWE garantiu logo aí que nos anos seguintes podia apostar neles à vontade, para o caso de necessitar (como veio a acontecer, com as saídas do Rock e do Austin), visto que os fãs já os conheciam e acreditavam no seu valor.

    Hoje em dia, passa-se completamente o oposto. Bray Wyatt, Seth Rollins, Damien Sandow, Dolph Ziggler… Tudo completamente enterrado pelo John Cena (principalmente), por outros main-eventers e/ou pela própria companhia, através de um “booking” completamente asqueroso, exasperante, ridículo…

    Quando, após a WrestleMania (curiosamente, a melhor dos últimos anos, a meu ver), muitos elogiaram o destaque dado aos novos talentos, eu avisei que seria sol de pouca dura – embora também tenha elogiado esse destaque e, até, o próprio produto que vinham a apresentar – e que na altura do SummerSlam e da próxima WrestleMania voltaríamos a ver part-timers a estar nos combates principais. No espaço de 3 meses, conseguiram estragar TUDO o que vinham a fazer. Mesmo apresentando falhas (o típico descuido em relação aos títulos de mid-card, etc), notava-se uma melhoria significativa. Quem, depois de ver a Raw em que vimos os regressos do Miz, do Chris Jericho e da AJ Lee e o face-turn do Jack Swagger, diria que nesta altura o produto estaria neste estado? Desde essa noite, não voltámos a ter uma Raw, no mínimo, razoável, e os PPV’s também não têm sido nada por aí além.

    Já o digo há bastante tempo: “eles” gostam de gozar com os fãs. Não sei o que pensam que ganham com isso. Se sabem que os fãs nos abandonam apesar de tudo? Acredito que sim, mas de certeza que perdem dinheiro – o tão aclamado dinheiro – com isto. Ver o Triple H a gozar com o “choro” dos fãs dá-me vómitos, e ver esses mesmos fãs a acharem piada quando estão a ser gozados, dá-me vontade de vomitar em cima deles.

    Eles fazem um produto para eles, de dentro para dentro. Não sei se é só o Vince que faz isso ou não, não estou lá para ver e só posso falar do que vejo, mas não me parece que isto vá melhorar assim tanto quando ele deixar de mandar. Quem nos garante que, com o Triple H, isto vai melhorar SIGNIFICATIVAMENTE (sim, porque melhorar um bocadinho não chega, seria passar de um produto lastimável a um produto mau)? Não nos podemos esquecer que a Stephanie McMahon também vai dar, ou não fosse ela uma McMahon, e também ela terá que ver o seu Ego a ser satisfeito de alguma forma.

    A criação da Network, o total “caganço” para as divisões de Tag Team e mid-card (o que causa danos no main-event), estas mudanças repentinas de rumo (o Jericho, do nada, está numa feud com o Orton, que por sua vez, do nada, já não está numa feud com o Reigns? Será que o Orton não aceitava perder mais uma vez para o Reigns e tiveram que lhe arranjar uma garantia de como sairia vencedor no PPV? Ou é mesmo “só” mais um desleixo por parte da WWE?), os segmento de pseudo-comédia presentes em programas horríveis – e que os torna ainda mais horríveis, porque segmentos de descontracção durante programas de qualidade nem são criticáveis -, todas esta falta de profissionalismo deixam-me cada vez com mais vontade de acompanhar o produto. Não vi a última Raw, e pelo que já li (incluindo neste artigo), não perdi nada. Aliás, cada “review” que vejo/leio é mais crítica (no mau sentido) que a anterior…

    Não vejo a SmackDown há um mês, Main Event e Superstars nem pensar, o próprio NXT deixou de fazer parte da minha lista… Só falta a Raw, e se isto continuar assim, vou continuar sem ver os programas. Estou farto de chegar ao fim de uma Raw e pensar “que perda de tempo!”. Ser fã não é estar sempre a ver independentemente do que apresentam. Ser fã é estar lá nos bons e nos maus momentos. Mas isto não é um mau momento. Eles apresentam isto porque querem apresentar isto. Não há desculpa possível. Têm talento a transbordar por todos os lado, têm mais dinheiro do que nunca, condições invejáveis… Ser fã é gostar muito disto e apoiar, mas aguentar gozos e ofendes de inteligência não é ser fã. Não é por deixar de acompanhar o produto actual que deixo de gostar tanto disto como quem continua a ver tudo. Aliás, eu vejo Wrestling TODOS os dias, por isso o “bichinho” ainda está presente. Simplesmente não vejo o que apresentam na actualidade.

    PS: Adorei a parte do “Não só esta horrível desculpa para representação leva os fãs a quererem mudar de canal e de planeta (…)”. Muito bom :D E não conhecia essas incoerências relativas ao Total Divas… Mais uma para a lista.

    • Salgado - há 2 anos

      Muito obrigado! :) Já estive bastante perto de começar a contribuir para sites internacionais, mas desisti porque é algo que não conseguiria manter a longo prazo. Há semanas em que tenho de fazer grande ginástica para ver WWE, quanto mais para fazer dois artigos sobre isso. À WWE não mandava de certeza, seria descartado como quaisquer ideias criativas que os fãs mandem. Sou apenas mais uma fã, na internet ainda por cima, com opiniões a mais!

      O Kurt Angle e o Chris Benoit tiveram alguns revés quando rivalizaram com o HHH nesse ano, mas quando as situações envolvem HHH, já sabemos que o caso muda de figura.

      É, de facto, impressionante. A Wrestlemania foi uma noite bonita, mas não foi a noite que eles tinham planeado e temos que manter isso em mente. Essa Raw foi linda… Desde Jericho/Wyatts, ao regresso de AJ Lee, ao segmento espectacular com Rusev e Swagger.

      Pois gostam! Por isso é que o HHH às vezes se mete às bocas. Poucas indústrias tratam pior os seus fãs como a WWE trata os seus. Chega a ser vergonhoso, em certas situações.

      Acho que é que tem poder para o fazer, ou seja Vince e poucos mais. Não vai, isso podem já tirar o cavalinho da chuva. O NXT é muito bonito, mas é algo em quem a WWE não está a depender todo o seu lucro, portanto é fácil para eles ser diferente e deixar que os outros tomem conta da situação.

      É só por isso que o NXT é tão bom! Porque eles não interferem e só não interferem porque não esperam que aquilo dê lucro. Só metem na Network porque sempre é mais programação.

      O NXT só serve para isso e para a WWE dizer aos fãs, daqui a muitos anos em vídeos e DVDs bonitos, que os lutadores de sucesso que tem foram todos criados por eles no sistema de desenvolvimento. Porque, é claro que vai ser a WWE a ensinar storytelling ao Sami Zayn e não os anos e anos que este passou no território de desenvolvimento.

      Foi apenas para empatar, porque no fim da noite já tinham anunciado dois novos combates para o Orton e o Jericho para a próxima semana. Isso é que é ainda mais insultuoso! Tudo foi feito APENAS para empatar e eles tinham consciência disso! Eles descartaram a Raw de propósito e, aparentemente, não têm problemas de consciência em dar treta aos fãs! É o quanto eles nos respeitam.

      O NXT é o melhor programa da semana e o que mais me custa perder, quando sou forçada a fazê-lo.

      PS: Ahaha foi um desabafo e conseguiu escapar à revisão! Normalmente, quando me deixo levar pelas emoções, coloco algumas bocas do género, mas depois tiro-as porque não quero que isto se torne demasiado vulgar. Essa sobreviveu!

      É o castigo de querer mandar vir… Temos que ver também e o Total Divas não escapa :P

  12. Salgado - há 2 anos

    Muito obrigado pelo elogio :)

    Bem, na Raw focaram-se muito na história principal envolvendo John Cena. Não está a ser muito bem contada, mas é uma história.

    A meu ver, é por fases. Há alturas em que eles se envolvem mais do que outras, mas como não estou a ver nenhum fruto do envolvimento de Stephanie McMahon, numa altura em que já deviam existir.

    Já o uso dos comentadores, essa situação não é de agora e nota-se pelas piadas que fazem, pelas conversas que têm e por algumas bocas que mandam, que não são completamente deles.

    Simplesmente não há direcção, nem objectivo estabelecido para estes envolvimentos. Os comentadores não estão a ajudar ninguém e a ajuda que a Autoridade deu a Daniel Bryan não foi intencional. A única ajuda intencional que Stephanie deu a alguém foi a Vickie Guerrero.

    Ora, a minha questão é, com todas as falhas que Brie Bella tem – porque as tem – qual foi a necessidade de a usarem única e exclusivamente para valorizar uma figura que nem sequer luta?

    Perante estes exemplos, é complicado tirar outra conclusão.

  13. Salgado - há 2 anos

    Muito obrigado :) É mesmo caso para dizer isso!

  14. THE_WOLVERINE - há 2 anos

    Como já disse antes e repito, acaba de vez com a divisão de divas, pelo amor de Deus quem hj em dia se interessa por alguma coisa em relação as divas??? historia fracas, rivalidades fracas, lutas fracas e o pior de tudo divas fracas( modelos q não sabem lutar!!) . Paige foi a maior decepção minha este ano em relação as divas, eu esperava tanto dela mas tanto, q achei q no momento da sua estreia ela iria revolucionar a divisão das divas, mas o q ela esta fazendo??? reinado ridículo e lutas ruins (bem longe do q ela fazia no NXT).

    e sobre os babyface, o ÚNICO HERÓI de verdade naquele roster é Dean Ambrose, o resto é tudo bando de cuzão submisso.

  15. Salgado - há 2 anos

    Muito obrigado :)

    – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – –

    Também pensei o mesmo.

    A questão é que não é tentarem promover o Total Divas que está mal. Acho bem que o promovam, que criem novas rivalidades e façam das Divas algo mais útil. Não podem é expô-las desta forma e gastar tanto tempo a apresentar coisas que SABEM que são miseráveis! Isso é que não se aceita!

    É que se aqueles trinta minutos gastos tivessem sido bons, se elas tivessem a fazer boas promos e se a história fosse minimamente interessante, não tinha absolutamente nada a apontar! Eu não quero saber se é para promover o Total Divas ou não, quero é ver programação de qualidade! E colocar aquelas duas num segmento extremamente mal feito e pensado apenas para poderem dizer, no fim do dia, que promoveram o Total Divas e fizeram o trabalho deles é insultuoso e a pura lei do menor esforço.

    – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – –

    A questão é que nem nas pequeninas coisas ela valoriza os outros. Ela podia perfeitamente ter vencido no Summerslam, mas não precisa de ter prejudicado a Brie tanto quanto o fez. Ela podia ter valorizado muito mais a Brie e ter vencido, mas não, tiveram que fazer dela uma pobre desgraçada que os fãs não têm quaisquer motivos para apoiar.

    É isso mesmo. A WWE precisa de pessoas conscientes que tenham alguma responsabilidade e apreço ao que apresentam.

    – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – –

    Como sempre, muito obrigado :)

    • Tunes9 - há 2 anos

      Sim, eu também entendo que queiram promover o “Total Divas”
      (para mim até acabavam com o programa, não acrescenta nada de útil, a meu ver, mas pronto), agora o programa existe e portanto fazem bem em promove-lo.

      No entanto, é impossível promover algo quando há feuds e histórias deste nível e onde as intervenientes não são assim tão talentosas (refiro-me às Bellas, as outras três nem comento, são banais), quem não conhecer a WWE depois de ver esta “promoção” nunca irá ver o tal “reality show” (Total Divas), nem perto, visto que não acrescenta interesse nenhum e não atraí as pessoas a ver o programa para ver o resto, mas enfim.

      – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – –

      Eu revolta-me ter combates com Rosa Mendes, Cameron e Eva Marie numa equipa, acho patético, detesto pessoas sem talento na WWE, é preferível ter um combate de 15 ou 20 minutos com mid-carders talentosos a valorizar o Wrestling, a qualidade e consistências, mas a WWE tem uma visão limitada e pronto.

      – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – –

      Exactamente, há várias maneiras de vencer sem descredibilizar o adversário, mas a WWE já nem se importa, põem quem querem a vencer e depois humilham os outros e fazem deles desgraçadinhos (caso do Bray Wyatt e da Brie Bella, isto é, falando apenas em casos recentes), o que é uma tremenda palhaçada, mas é mais do mesmo, nem vale a pena.

      – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – –

      Por fim, não tens de quê, são elogios merecidos e desejo-te uma excelente semana e até ao próximo artigo. :-)

      • Salgado - há 2 anos

        Dá audiências ao E! e uma desculpa para a WWE fazer alguma coisa com as Divas. Não me oponho à existência, mas preferia que a WWE usasse esta “desculpa” de forma produtiva e não que fingisse que trabalhava.

        – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – –

        A Rosa é a mais frustrante de todas, porque já anda nisto desde 2006 e não consegue fazer rigorosamente nada! A Eva Marie, com toda a sua falta de prática, é melhor que ela! Como é que isto é possível?

        – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – –

        Muito obrigado e igualmente :)

      • Tunes9 - há 2 anos

        Sim, eu entendo isso das audiências ao E! e compreendo que dê NÚMEROS à WWE.
        No entanto, o “reality show” não deveria ser a desculpa para fazerem alguma coisa com as “Divas”, visto que a divisão merece mais respeito e, olhando para o seu passado, já teve bastante qualidade, a WWE devia utilizar o “Total Divas” para dar continuidade a certas feuds e para lucrar financeiramente, mas a divisão feminina devia ter mais atenção por parte da WWE e ter qualidade por ser uma divisão de Wrestling e não apenas pela existência do “Total Divas” e é aí que a WWE peca, a meu ver.

        Não deveria ser possível, tens toda a razão,mas infelizmente, é a realidade e quando se diz que a Eva Marie, nada de especial, é superior à Rosa Mendes, está tudo dito.
        Desculpa-me a comparação, mas é como dizer que um saco do lixo é melhor do que um X carro (imaginemos a qualidade desse carro…).
        A Rosa Mendes serve para exibir a sua beleza e qualidades físicas (basta ver o que tem acontecido e o “push” que está a ter) e entrar no Total Divas para dar audiência, é uma tristeza.

        Muito Obrigado. :-)

      • Salgado - há 2 anos

        Pois, e esses números transformam-se em dinheiro. Se o E! está contente com as audiências, como dizem que está, vai continuar a pagar. É uma fonte de lucro.

        Pois merece, mas antes do Total Divas não tinhas três histórias diferentes envolvendo Divas ao mesmo tempo, como tiveste a certa altura. Eles não se vão investir na divisão por vontade própria, tal como não se vão investir em vários talentos masculinos só porque sim. É assim que a WWE funciona.

        :)

      • Tunes9 - há 2 anos

        Subscrevo tudo o que disseste, compreendo e concordo, mas é pena que a WWE pense assim, gostava que fosse diferente, mas somos meros fãs e temos que levar com estas tretas e más gestões, resta-nos ter esperança que algo mude, embora seja improvável, mas é ir e vendo, às vezes tenho menos vontade de ver, mas adoro WWE e vou ter de aguentar, enfim.

        Não te aborreço mais, hoje já fui chato demais, até ao próximo artigo e bom trabalho. :-)

      • Salgado - há 2 anos

        Exacto. Ou aguentamos e temos esperança, ou dizemos adeus!

        Não me aborreces :) Até à próxima semana e obrigado :)

      • Tunes9 - há 2 anos

        Pois, como fãs assíduos e leais que somos, vamos aguentar e ter esperança, é assim e para a frente é que é o caminho.

        Ainda bem :P, não tens de quê, e Obrigado e (mais uma vez) até à próxima semana. :-)

  16. Salgado - há 2 anos

    Muito obrigado :) Exemplo de Vince apenas querer ver o que o entretetém? Lembram-se de quando Stephanie McMahon vomitou em cima de Vickie? Aposto que isso só o divertiu a ele.

    Devia, mas em vez de se focar na qualidade para atrair mais subscrições, Vince prefere fazer do preço da Network um slogan para meter em tshirts. Em vez de associar a Network a produto de qualidade, Vince faz exactamente o contrário. Estas últimas semanas em nada motivam os fãs a quererem gastar mais dinheiro na WWE e esse é que é o problema.

  17. Lord of Darkness - há 2 anos

    É verdade que todos os shows têm os seus up ao down’s. Referiste, e bem, os Simpsons. E, obviamente, a WWE, e concretamente o Raw também têm altos e baixos. O problema é que, ultimamente, não há altos. Eu já tive oportunidade de ler a carta aberta do Vince Russo, e identifico-me com tudo o que foi dito. Eu nasci em 97, e desde os 5, 6 anos que vejo Wrestling, mais concretamente WWE, que era o que passava em Portugal, quando eu desconhecia completamente a dinâmica de um computador. Apesar de quase sempre ter visto o Undertaker como Deadman, ainda tenho recordações do Big Evil, a forma como tudo acabou, e como recomeçou na WM 20 contra o Kane. A verdade é que muitos de nós foram “mal-habituados” pela WWE se compararmos com o panorama atual. Há 8, 9, 10 anos, tínhamos excelentes main-events do Raw, tínhamos algumas aparições de estrelas da SmackDown que davam garantias de um excelente main-event, tínhamos rivais na mesma equipa… Lembro-me de um main-event do Raw, se não estou em erro, que era Undertaker e Batista vs Cena e Michaels, o Undertaker deixou o Batista sozinho no ringue, mas o Michaels traiu o Cena e o Batista acabou por vencer o combate. O Vince Russo disse, na carta aberta, que o lema era fazer melhor sempre no programa seguinte, o que não acontece, de forma alguma, atualmente. É tão evidente que eles estão-se a cagar e não têm ideias nenhumas sobre o que verdadeiramente se quer, que todos os main-events ultimamente, quer do Raw, quer da SmackDown, têm sido sempre huge tag team matches, sempre com os mesmos intervenientes, o que, apesar de não podermos negar que estão lutadores talentosos no ringue, se torna repetitivo. E ainda é mais repetitivo o facto de ser sempre a mesma equipa a vencer. De facto, falta consistência aliada a qualidade, como tu bem dizes, porque consistência eles têm tido, porque a maior parte dos shows tem sido maioritariamente medíocre. Acho que, quem acompanha a WWE à tanto ou mais tempo que eu, tem de ficar decepcionado com isto, porque além de não darem qualidade ao show, em todos os programas, umas vezes de forma mais, outras vezes de forma menos direta, nos têm quase “forçado” a comer a cantiga da WWE Network, pelo JBL, Cena, Jericho, todas as figuras de maior importância fazem esta publicidade subliminar, e já chateia, porque se passassem menos tempo a fazer publicidade e mais tempo a dar-nos razões para aderir seria muito melhor. Eu não minto, estou a pensar adquirir o serviço, mas se fosse há 10 anos atrás, antes de pensar em adquirir, já o tinha feito.

    Agora, começando pelo Highlight Reel, que foi o kick-off do Raw. Eu, quando vejo o Raw, geralmente não me foco em edições anteriores, isto é, quando eu vejo abstraio-me de pensar e concentro-me totalmente no que vou ver, pelo que quando tens 6 performers de qualidade, mais o patrão que já foi um destes performers, todos no mesmo ringue, ficas entusiasmado. Eu admito que me deixei levar na conversa do Triple H sobre o Cena não lutar com o Lesnar. Só depois do segmento, durante o intervalo, é que vi que tinha caído numa tanga autêntica. Para começar, pelo que referes em cima. Não faz sentido o John Cena ter 15 reinados para não ter uma desforra, não faz sentido ter ganho o MITB com 6 outros lutadores talentosos para não ter uma desforra. A verdade é que, poucas horas, se tanto, após o Raw, a WWE mudou a sua foto de capa no facebook para uma relativa ao combate entre o Lesnar e o Cena. E como Lesnar não pode estar presente, temos assistido às promos, e de facto não é inteligente estarem ali meia hora a deitar areia para os olhos das pessoas para depois vir o Heyman desmentir tudo o que foi dito. Como dizia um cartaz de um fã, “I could be at home watching Nitro for 9,99”. E é verdade, e aqui vê-se outra das tentativas desesperadas da WWE atrair pessoas para o produto. Porque é legítimo pôr o Nitro na Network, o timing é que suscita muitas dúvidas. Mas continuando com o show em si, se o acordo da WWE com o Lesnar mudou, seria muito mais interessante, em vez de termos um campeão que faz promos todas as semanas, termos um campeão que era o último a entrar no Highlight Reel, e que se sentaria no ringue a ver o combate tag-team, se a ideia que queriam passar era a de que o Cena não ia ao NoC. E deixaria as pessoas muito mais curiosas, ver como o Cena reagiria lutando num combate tag-team, estando a ser observado pelo homem que o destruiu no último PPV. E a verdade é outra, que também foi exposta por ti, é que se o John Cena tinha de provar algo, não resultou claramente quando ofereceu o Kane ao Reigns.

    Passando à questão Total Divas, e começando pela Eva Marie, Rosa Mendes, e Cameron, a verdade é que são as piores que lá andam, e como a Paige deu bem o salto, acho que talvez esteja na hora de a Charlotte deixar a NXT para começar a ser integrada no grupo das Divas. A verdade é que estou à espera que ela suba depois do Takeover, e se ela perder aí fico com quase a certeza que a subida está para breve. Sobre as Bellas, tenho de concordar que não sabem representar. A Brie ainda me convence um pouco, a Nikki é que é zero mesmo. Apesar de uma feud entre irmãos ser fácil de fazer, porque pode invocar argumentos do passado, a verdade é que, só com gritarias de uma e outra a pedir desculpa as coisas não se resolvem. Eu já estava a prever que esta feud entre irmãs fosse desinteressante. Para mim, não há rivalidade entre irmãos que supere a do Undertaker e do Kane, e muito em parte porque os 2 são excelentes atores, sabem argumentar, apesar de pouco o fazerem, sobretudo o Taker. Sabem cativar a atenção. A rivalidade das Bellas podia ser mais interessante se não fosse só gritos da Nikki, e ataques contra a irmã, e se a Brie mostrasse alguma ofensiva, o que eu pensei que iria fazer, depois do Raw. Mas vendo o SmackDown, e vendo a Brie perder o combate por ir salvar a Nikki, eu até já aposto numa Nikki campeã. A verdade é que, como dizes, este produto, atualmente, é muito pessoal. Todos os que se juntam à Steph acabam por sair promovidos, enquanto a Steph menospreza a seu bel-prazer quem está contra ela. É nestas alturas que faz falta um Undertaker, que como sabemos é conhecido por sempre ter sido uma figura que se opôs à autoridade e às regras que sempre lhe impuseram, e toda a direção da WWE já sentiu isso na pele, o Vince, o Triple H, a Steph, e depois os GM’s Teddy Long e a Vickie Guerrero. A verdade é que eu me contentava, nem que fosse só um bocadinho por episódio, com uma promo do Taker, e com uma interferência à uma ação da Autoridade. E isso daria outra storyline interessante. Se o Undertaker voltasse, ousaria o Kane ficar do lado da Autoridade? A verdade é que, felizmente, acho que não vimos tudo da parte do Undertaker, e eu em cada show fico em pulgas a pensar “será agora que vou ouvir o sino?”.

    Sobre o Total Divas, que acaba por ser um paralelismo com a storyline em si, não faz sentido fazerem a feud no modo em que se apresenta. O “Growing up Bella” foi horrível. Eu não acompanhei outras temporadas do Total Divas, a 3 vai ser de facto a 1ª que vou acompanhar, mas como acredito no que escreveste, nestes moldes o segmento da Nikki não faz qualquer sentido. Uma coisa tenho de focar sobre o que disseste, pois tenho uma opinião não total, mas parcialmente diferente: a verdade é que é legítimo acreditar que a Brie passou a noite com o namorado da Nikki, pois se estava de noite, acaba por ser compreensível confundir a Brie com a Nikki. Não é compreensível a Nikki ter casado com o gajo se ele passou a noite com a Brie.

    Deixa-me frisar que tenho ficado desiludido com o que a WWE tem feito com o Cesaro. Um gajo que esteve no main-event do MITB, com uma boa ascensão, desde que rompeu com o Heyman tem somado derrota após derrota. Se ainda houvesse Brand Split, eu acredito que o Cesaro já tinha sido uma vez WHC, e acho que isso é uma das coisas onde a WWE está a falhar. O fim da Brand Split e a unificação dos títulos não beneficia em nada a marca, sobretudo agora, quando o campeão não aparece para dar provas que merece ser o campeão. E esta unificação, o facto de não haver um WWE Champion, e um WH Champion, faz com que gajos como o Miz não sejam tão expostos ao ridículo, na minha opinião. A verdade é que o Miz é um desperdício, cada vez mais. A história do duplo e do “Not the face” só dá ao público vontade de lhe mandar um kick mesmo na face, e está a tirar espaço a bons talentos, na minha opinião. Por exemplo, o Bray. Se é verdade que a unificação tira espaço a outros lutadores excelentes de serem campeões, e de haver um feedback, é verdade também que há pouquíssimos lutadores que, desde que entraram, nunca foram mid-cards, e foram logo WWE champions antes de serem US ou Intercontinental. Um deles foi o campeão mais jovem da altura, foi 7 vezes campeão mundial, à excepção do Hardcore nunca foi minor champion, e até Abril estava 21-0 em WM, e é só, talvez, o melhor de sempre. Como não coloco o Bray nesse patamar, para mim ele tem de competir por um título urgentemente, antes de passar a algo maior. E a WWE está a dar cabo da oportunidade para voltar a promover o Bray, dando uma oportunidade ao Miz, que nunca fez nada, e que foi campeão da WWE com cash-in de uma das maneiras mais ridículas que já vi. A verdade é que não dão oportunidades aos talentos de medirem forças entre si, e em vez de colocarem Ziggler one on one com um Bray, ou um Cesaro, ou até mesmo um Ambrose, se não tivesse de fazer o filme, colocam um combate de tag-team horrível, com o Miz a fazer mais uma vez a palhaçada de duplo com o Sandow, o que, a bem da verdade, daria uma desqualificação ao Miz. É estúpido, e irrita-me ver este tipo de combates, quando sei que, se a WWE se esforçasse só um pouquinho, eu estaria a ver um bom combate. Para mim, o Miz e o Sandow eram corridos, e subia logo o Kevin Steen e outro lutador da NXT.

    Depois, eu já referi acima, mas de facto o que se passa é que a Stephanie espezinha toda a gente que não os seus favoritos, e por isso é que eu disse que era preciso um Taker regressar, alguém que nós sabemos que não cede a pressões e é impossível ser espezinhado como ela faz ao resto do roster. Eu até fico intrigado, se a WWE contratasse mesmo a Ronda Rousey, o que iriam fazer com ela… Como tu rematas e bem, por culpa da Stephanie e outros ninguém, no panorama atual, se tem conseguido capitalizar como uma estrela maior. E, mais uma vez estou de acordo contigo, dar o melhor e falhar é compreensível. Não se esforçar, falhar redondamente e achar que se fez uma grande coisa é inaceitável.

    E finalizo dizendo que um segmento com o Bo Dallas ou com o Heath Slater só vale a pena se eles estiverem a levar na boca

    • Salgado - há 2 anos

      Durante o ano passado, também tinhamos excelentes combates quase todas as semanas. Fosse com Daniel Bryan ou com The Shield, haviam bons combates com regularidade.

      A questão aqui é que a WWE, deliberadamente, abusa dos fãs que tem ao apresentar um produto que sabe que não é bom, apenas porque sabe que os fãs não vão a lado nenhum. É uma falta de respeito e de profissionalismo.

      “porque se passassem menos tempo a fazer publicidade e mais
      tempo a dar-nos razões para aderir seria muito melhor.” Exactamente.

      Não é só não fazer sentido, o Randy Orton também ainda não teve a sua desforra da WM. O problema é que ninguém acredita que John Cena, a pessoa que mais oportunidades recebeu na última década, não iria ter a sua desforra contra Lesnar depois do combate do Summerslam. Ninguém engolia essa história!

      A Autoridade precisa de chegar ao fim às mãos de alguém jovem e do roster actual, não às mãos de Undertaker.

      O Cesaro é um dos muitos nomes que a WWE tem usado mal e que tinha tudo para ser uma das estrelas do ano.

      A meu ver, Damien Sandow foi excelente nas suas promos quando se estreou e provou no combate com John Cena que sabe perfeitamente o que faz. É mais um talento que a WWE desperdiça.

      Eu gosto das promos de Bo Dallas, mas nesta Raw caiu mal pelas razões já apontadas.

      • Lord of Darkness - há 2 anos

        Sim, é verdade, tínhamos muitos bons combates, a verdade é que o Bryan lesionou-se, e não procuraram algo de novo para fazer frente à implosão dos Shield.

        Depois, concordo. Eles sabem que o produto não é bom, mas também sabem que já conquistaram os fãs com o que bom fizeram nas últimas décadas, e que, em princípio, terão sempre uma boa audiência, pelo que apresentam qualquer coisa.

        Sim, o Orton ainda não teve, mas o Batista também não tive, razão pela qual se “demitiu”. A verdade é essa: um gajo com 15 reinados e com mais title shots nunca iria ficar sem esta.

        Eu compreendo também quando dizes que a Autoridade deve cair às mãos de alguém jovem do roster atual. Eu sou suspeito, porque eu adoro o Taker, é o meu favorito, e continuo sempre com esperança que ele regresse. Até porque, para todos os efeitos, ainda faz parte do roster, ainda que lute pouco. Mas a questão principal é: quem, neste momento, para além de Cena, Reigns, Bryan e Ambrose, sendo que estes 2 estão indisponíveis? Talvez um Sheamus, um Ziggler… Eu veria isso com bons olhos, mas vamos por partes e encarar os factos. Uma storyline que tenha o Undertaker envolvido vende, porque ele próprio vende, ainda para mais sendo um regresso após quase meio ano de ausência. Mais, uma storyline com o Undertaker é, regra geral, sinónimo de qualidade. Também teve as suas fracas, mas no geral são sempre fortes, muito por culpa dele. E 3º, porque não há uma figura contra a Autoridade, neste momento, que tenha as características dele, de não seguir as regras, de não obedecer a ninguém, de impôr medo e respeito a todos, basicamente de fazer o que lhe apetece. Mais uma vez friso que percebo quando dizes que tem de ser alguém jovem a parar a Autoridade. Apesar de tudo, eu não me importava, e até ficaria contente se algo disto acontecesse. Mas, como disse anteriormente, sou suspeito, porque gosto bastante dele, e gostava de o ver regularmente.

        De facto, desde que Cesaro saiu da alçada do Paul Heyman, que a WWE tem destruído tudo o que ele fez para trás. Estou desiludido, pois o Cesaro é talentoso e, como dizes, tinha tudo para ser uma das figuras do ano.

        Eu admito que o Sandow podia ser um lutador interessante, mas com uma gimmick decente. A gimmick do bailarino é má, esta agora de copiar estilos dos outros pior ainda. Se lhe derem uma boa gimmick ele é capaz de ascender.

        E, por último, eu não gosto de nada que venha do Bo Dallas, acho de facto uma perda de tempo, e acho que deveriam substituí-lo por alguém que de facto tenha talento. E quem diz Bo Dallas diz Heath Slater, Miz, etc

      • Salgado - há 2 anos

        Sim, o Bryan lesionou-se, mas os lutadores com quem ele tinha bons combates continuam lá e são bastante talentosos! Tens o Cesaro, por exemplo! Como disse no artigo, porque é que o Cesaro e o Ziggler não andam a dar excelentes combates todas as semanas?

        Mas o Batista nunca foi campeão! Ele ganhou uma oportunidade para lutar pelo Título e perdeu. O Orton era campeão, perdeu o Título quando a submissão nem lhe foi aplicada e não recebeu a desforra! O Orton tem mais direito ao combate que o Batista.

        Sim, eu compreendo que seja mais agradável para nós quando os nossos favoritos são colocados na mó de cima. Todos somos assim!

        Acho que Reigns e Ambrose serão os nomes a indicar. Ou então um Rollins, com um face turn e uma rivalidade com Triple H.

        Undertaker impõe uma aura de respeito porque a WWE protegeu-o. Assim como Brock Lesnar. Se protegerem bem uma personagem, mesmo que não seja fisicamente impressionante, irás ter um bom resultado na mesma.

        Sim, o Bo Dallas não se encontra a transbordar de talento, mas as caras que ele fez e as promos dele entretém-me.

      • Lord of Darkness - há 2 anos

        Concordo contigo, o Ziggler e o Cesaro podiam dar excelentes combates todas as semanas, assim como o Sheamus, etc. Eu gostaria que houvesse grandes combates, de 10 minutos, com o Ziggler e o Cesaro, seria melhor do que fizeram com aquele tag team match.

        Também concordo, o Orton tinha mais direito a uma 2ª oportunidade do que o Batista. O Orton era campeão, merecia de facto essa 2ª chance, ainda não teve.

        Quanto aos favoritos, já tudo foi dito, é sempre bom vê-los triunfar.

        Reigns e Ambrose são, de facto, nomes a indicar, mas são nomes que sempre estiveram lá, sobretudo depois da implosão dos Shield. E, muito sinceramente, não estou a ver o Rollins fazer um face turn, pelo menos até cobrar o contrato.

        O Undertaker foi protegido pela WWE, é verdade, mas não foi protegido só porque sim. Foi protegido porque em menos de 1 ano teve uma ascensão brutal, e mostrou, claramente, que não era qualquer lutador. É, como já foi dito muitas vezes, uma “once in a lifetime superstar”. A verdade é que ninguém do roster teve esse tipo de ascensão nem o mesmo talento, mas há, ainda assim, bastante talentosos, que com um bocadinho de proteção poderiam dar excelentes resultados. O Bray é um deles.

        Quanto ao Bo Dallas, não consigo achar nada do que ele faz entretenimento, mas são opiniões.

  18. Edjandro Martins - há 2 anos

    Ótimo artigo como sempre!
    Realmente o produto da WWE está horrível nesse momento, tem que se fazer um esforço enorme para assistir um Raw inteiro, SmackDown e Main Event nem se fala!e esse momento ruim é simplismente culpa da própria empresa, que tem um ótimo roster nas mãos e não sabe aproveitar, vive uma crise no main event onde tem que recorrer a part-times e nomes nem interesse algum como Big Show,Kane para serem contender´s ao titulo por não ter nomes solidificados.
    Wrestlers como Cody Rhodes e Dolph Ziggler já deveriam ser top guy´s credibilizados nesse momento, mais estragam o reinado do Ziggler como World Champion e por alguma razão oculta que só os McMahon devem saber nunca deram a chance para o ótimo Rhodes dar o próximo passo, nunca nem Money in the Bank ele venceu, nem uma luta single por titulo mundial acho que teve, deve ser o sobrenome que pesa contra ele acredito eu.
    Novos nomes como Rollings, Ambrose e Reings estão sendo trabalhados para se tornarem main eventer´s nesse momento, Reings já garantido como top guy level Cena, Ambrose com todo seu talento em mic, gimming e story selling será top heel brevemente e já se safa lindamente como face agora, e o Rollings parece estar sendo preparado para ser o próximo grande top heel da companhia e parece ter Tiple H ao seu lado como seu protetor, o que já é meio caminho andado, sem falar no Bray Wyatt que é ouro puro e já estão fazendo de tudo o que é possivel para descredibilizá-lo, pórem eu como bom otimista acredito que ele com seu talento fora do comum irá passar por isso e atingir grande sucesso futuramente.
    A WWE tem matéria prima em mãos, só não sabe como usá-la corretamente, sempre recorre a Cena´s, Orton´s,Lesnar´s, Rock´s, Show´s para liderarem os PPV´S, não criam novos main eventer´s e vem a sua programação atingir uma crise total em um momento que precisam convencer os fãs a se inscrever na WWE Network para não terem um prejuízo brutal nas suas finanças, como o produto é ruim, os fãs não se inscrevem no canal, a WWE tem grande prejuízo, começa a cortar despesas em todos os lados, e tem de implorar inscrições repetindo de maneira ridicula uma catchprase do preço do canal para atrair fãs, não compreendendo que eles tem que mostar uma boa programação de maneira total, com mid-card, divas, tag-team e main event equilibrados e com boa qualidade, agora com nomes como Kenta, Devitt, Steen eles tem ouro em mãos pela milésima vez nessa década, mais provavelmente irão estragar tudo e continuar a recorrer aos mesmos de sempre.
    OBS: que saudade que tenho do Edge e do CM Punk que eram o diferencial e traziam qualidade e interesse ao produto.

  19. Salgado - há 2 anos

    Eu interesso-me pela divisão e sou fã de várias Divas. Tal como acontece com o roster masculino, existe talento que é desperdiçado e mal usado. A Paige é exemplo disso.

  20. JoãoRkNO ® - há 2 anos

    Excelente . Não tenho tempo nem disponibilidade para ver as Raw´s em direto , e sinceramente , ainda bem que não . Sinto-me tão desmotivado em ver o produto que já nem vejo os full-show , vejo apenas os resumos no canal da WWE no youtube . Enquanto eles não deixarem de baterem na mesma tecla , no que toca a intervenientes do título maior da companhia , nada irá mudar . E entristecesse-me bastante quando eles próprios se queixam , e depois tratam como autênticos palhaços gajos com o Sandow , Slater , o despedido Drew , etc etc .

  21. Salgado - há 2 anos

    Muito obrigado!

    De acordo, Cody Rhodes e Dolph Ziggler já mostraram que merecem estar muito mais acima no card do que estão.

    Não sabe mesmo, ou então não quere.

    Também tenho saudades desses dois!

  22. Francisco Correia - há 2 anos

    Uma coisa é talento, outra coisa é como esse talento é usado. Se formos pela tua lógica, o Cesaro e os Wyatts não valem nada porque andam a perder combates atrás de combates nos últimos tempos.
    Se tivessem continuado com o push ao Cesaro depois da Mania, ele seria um adversária muito credivel contra o Lesnar. Como a wwe não lhe apeteceu apostar nele, começa-se a ouvir rumores de cepos.

    • THE_WOLVERINE - há 2 anos

      se tirase o tempo que as modelos passam no ring, aposto que daria tempo para trabalhar não apenas o Bray e Cesaro mas muitos outros superstars como Ryder por exemplo ou qualquer outro, e daria para voltar com a divisão cruiserweight championship

      • Francisco Correia - há 2 anos

        Concordo contigo. Neste momento os titulos midcard são iguais e só muda o nome. Para mim só existia um (ou US ou IC) e o titulo cruiserweight para lutadores com menos de 100 kg por exemplo. Ao menos existia distinção

  23. Salgado - há 2 anos

    Obrigado! Sinceramente, mesmo quando tenho disponibilidade para ver não o faço, porque três horas é simplesmente demais. Mesmo com uma boa edição, o que não temos tido, é complicado ver três horas e pouco mais, com imensos anúncios pelo meio.

    Também me encontro bastante desmotivada com o produto, mas não é de agora.

    • Francisco Correia - há 2 anos

      Nunca vi um raw em directo porque o dia seguinte é aulas na faculdade e não tenho paciência para publicidade xD. Estas últimas raws tenho-as visto em 1 hora o que diz bem da minha paciência para ver o produto como está.
      Eu irei continuar a ver porque adoro wrestling mas não com o mesmo entusiasmo.
      Ps: O Ambrose é dos meus preferidos e não pensava que ele fizesse tanto falta como está a fazer agora xD

      • Salgado - há 2 anos

        Exacto, por isso é que disse quanto tenho disponibilidade, ou seja em período de férias. Mas, tal como disseste, a publicidade, a qualidade e a duração simplesmente já não me convencem a fazê-lo.

        Também é um dos meus preferidos! Eu receava que fosse fazer esta falta e, pelos vistos, faz mesmo!

  24. Hildo - há 2 anos

    Excelente artigo, Salgado.

  25. Roberto "THE VIPER" - há 2 anos

    Excelente artigo, Salgado.
    Sobre a Raw,sempre vejo live porque… gosto de ver :) Pelos shows de ultimamente e que não tenho tanto entusiasmo mas assim mesmo vejo live. Estava a ver em sites que a audiência da Raw esta a cada semana a descer e infelizmente se continuarem com esses shows vai descer mais que o Bray Wyatt a ser afundado :(

  26. Salgado - há 2 anos

    Obrigado :)

    Admiro a forma como aguentas, sinceramente já não consigo! Eles também não estão a fazer nada para combater a descida das audiências.. Chamar o Jerry Springer e um jogador da NFL não é propriamente uma forma convincente de lidar com o regresso da Monday Night Football.

  27. David Tiago - há 2 anos

    Bem! Que texto, até deu fome. Concordo contigo e acrescento o seguinte : Os americanos não “sabem ver” Wrestling. A verdade é que comem tanta coisa, que no final do dia não querem saber se é bom ou mau, desde que comam.

    O curioso é que, quando vão a inglaterra o produto melhora, pois sabem que a fasquia está alta. E se estiver má, os europeus fazem-se ouvir, não calam e comem.

    O meu ponto de vista.

    Parabens pelo artigo, muita qualidade. Passei a parte do Total Divas, porque sinceramente não me intressa.

    • Salgado - há 2 anos

      Muito obrigado :)

      Não acho que seja uma questão de nacionalidade. O produto no Reino Unido é melhor recebido porque a WWE não está de dois em dois meses, mas sim 2 vezes por ano.

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador