Opinião Feminina #228 – The Kings of Parlor Tricks

Com o fim da Wrestlemania XXVIII, fiquei finalmente preparada emocionalmente para ver a carreira de Undertaker chegar ao fim. O facto de Undertaker ter atingido a marca de 20-0, a história contada ao longo do combate, a emoção espelhada nos rostos dos três envolvidos e o abraço final, com o 20-0 como papel de fundo, tornaram o que poderia ter sido a despedida num momento emocionante.

Inadvertidamente, ou não, a WWE criou o momento perfeito para dizer adeus. Uma semana antes não estava preparada para ver a carreira de uma Lenda, de um ícone, de uma figura marcante da minha experiência como fã, chegar ao fim mas isso tudo tinha mudado naquele instante.

Porém, não foi esse o caso.

Um ano mais tarde, voltei a ver Undertaker a lutar e no instante em que o vi, as minhas memórias de infância começaram a desmoronar. Undertaker tinha sido uma força sobrenatural e ameaçadora durante vários anos, mas agora a sua aparência não tinha nada de sobrenatural ou ameaçador. Era apenas um mortal. Um mortal com as marcas da idade. Já não era Undertaker que estava a ver. Era um ser estranho. No ano seguinte, repetiu-se a experiência.

Vestia-se como Undertaker, entrava como Undertaker, mas não era Undertaker. Há poucas experiências que custem mais a um fã do que ver um ídolo nestas situações. A arrastar-se. A recusar aceitar que tinhaa chegado ao fim da linha. A arruinar, aos poucos, as memórias de tempos áureos.

É por isso que é preferível ver os lutadores a reformarem-se quando ainda conseguem dar o seu melhor. Quando os fãs ainda estão a pedir por mais. Porque ninguém, performers e fãs, querem que a última imagem de uma carreira seja esta.

Nos últimos anos, ver Undertaker a sair de um combate, depois de uma performance limitada, para ir para uma mesa de operações, apenas para voltar no ano seguinte parecendo sempre muito mais velho do que realmente é tornou-se num processo doloroso que impedia qualquer divertimento da minha parte, como fã.

Por isso tudo e de um ponto de vista completamente pessoal e subjectivo, é que fiquei surpreendentemente feliz por Undertaker ter lutado na Wrestlemania XXXI. Não esperava, sinceramente, de sentir o alívio que senti quando o vi. A alegria que senti por poder voltar a ver Undertaker com uma aparência jovial e, acima de tudo, saudável.

Não sei se o combate na Wrestlemania XXXI foi o último na carreira de Undertaker, sei que provavelmente este voltará a lutar para o ano. Continuo sem ter interesse, pois não vejo quaisquer razões para a carreira de Undertaker continuar, mas posso dizer que fico muito mais feliz do que ficaria nas outras ocasiões mencionadas acima se este fosse o seu último combate. Não, não faz tanto sentido, nem é tão poético como nas outras opções. Mas como fã, sabe melhor ser esta a última memória que se tem de um herói. É mais reconfortante.

Do outro lado do ringue estava Bray Wyatt, apelidado por mim como a desilusão de 2014 da última vez que falei dele. Na altura não o culpei, culpei o booking da WWE que, de forma engenhosa, conseguiu apagar o entusiasmo que tinha por uma das estrelas que tinha passado parte de 2013 ansiosa para ver.

Passei imenso tempo a pensar sobre qual teria sido o momento, na carreira de Bray Wyatt, em que a WWE tinha ido longe demais. O momento em que o booking apenas tinha sido prejudicial demais. Tal como na situação da reforma de Undertaker, existem várias respostas legítimas.

Para mim, foi o combate de Steel Cage que Bray Wyatt teve com John Cena no Extreme Rules. Na altura deixei bem claro o quanto o booking do combate me tinha irritado. Desde então, tal como sabemos, Bray Wyatt não conseguiu recuperar. Aliás, a WWE ainda conseguiu prejudicá-lo mais, em certas situações.

Foi por isso que, tal como disse da última vez que falei do assunto, achava que um combate com Undertaker não iria ajudar. Uma vitória contra Undertaker simplesmente não iria ajudar Bray Wyatt a recuperar dos erros cometidos em 2014.

Como mencionado várias vezes, o problema de Bray Wyatt tem sido a sua inconsequência. A sua falta de impacto. O que este diz, o que este faz, ultimamente não significa nada. John Cena fez dele apenas mais um, de muitos, logo quando este começava a ter alguma importância. John Cena trivializou-o e as rivalidades com Chris Jericho e Dean Ambrose nada conseguiram fazer para mudar essa imagem.

Wyatt venceu Chris Jericho no pay-per-view mais importante do Verão, mas desapareceu pouco depois, perdendo pelo caminho as únicas provas da sua influência: Luke Harper e Erick Rowan.

Este venceu Dean Ambrose repetidas vezes, mas aquilo de que todos se lembram são de hologramas e monitores explosivos. Manobras usadas para proteger Dean Ambrose nas suas derrotas, mas que no fim apenas invalidam a vitória de Bray Wyatt e nada fazem a Ambrose.

Se um monitor a explodir invalida a derrota de Dean Ambrose, de forma a que este não saia prejudicado, então também invalida a vitória de Bray Wyatt. Se “não é bem” uma derrota para Ambrose, então “não é bem” uma vitória para Wyatt.

Bray Wyatt fala bastante bem, mas as suas palavras não têm peso, nem significado, o que por sua vez causa o desinteresse dos fãs nas mesmas. São apenas palavras. Umas atrás das outras. Por vezes repetitivas, o que é inevitável, quando por vezes se é o único a construir e promover uma rivalidade.

Em mundo nenhum, 2014 preparou e promoveu Bray Wyatt para enfrentar Undertaker na Wrestlemania. E em mundo nenhum estava Bray Wyatt numa situação em que pudesse vencer Undertaker.

Uma vitória contra Undertaker não iria legitimizá-lo e chegava a correr sérios riscos do prejudicar.

A Streak é o maior legado que a WWE possui. Durou mais tempo que qualquer reinado. Sobreviveu durante várias Eras. Marcou gerações. Toda uma espécie de fãs conhece e reconhece a Streak de Undertaker. Nunca irá existir algo remotamente semelhante Foram mais de duas décadas.

Na realidade, nós sabemos que começou como um acaso do destino que, eventualmente, evoluiu para algo mais. Mas em história, existe algo de especial dentro de Undertaker que o impedia de perder no grande evento.

Não interessava quantos reinados tinha, se era a grande estrela do ano ou não, o que interessava era que quando chegava à Wrestlemania, Undertaker ganhava. Era a certeza que todos tínhamos e a dúvida que todos adorávamos ter durante os seus combates.

Em história, qualquer coisa dentro de Undertaker causou todas estas vitórias. Uma força especial, uma garra sobrenatural ou apenas uma dedicação de outro mundo. Não interessa. Qualquer coisa o fazia sobreviver a tudo, e a todos. Qualquer coisa levava toda a gente acreditar que era impossível Undertaker perder na Wrestlemania.

Era um dado adquirido.

Até Brock Lesnar aparecer. Brock Lesnar é uma força da natureza. Em história e na vida real. É um atleta como poucos houve. É um talento que aparece muito raramente. É a mistura perfeita entre qualidade, dedicação, atitude, presença, pose e credibilidade. Brock Lesnar é a pessoa que, mesmo sem uma carreira na UFC com Títulos ganhos, ninguém questionava.

Esta sua passagem pela WWE tem consolidado ainda mais isso.

É por isso que foi fácil para os fãs, especialmente para mim, aceitar a ideia de Brock Lesnar provar que Undertaker pode ser derrotado na Wrestlemania. Porque, por si só, Brock Lesnar já é tão especial em todos os seus feitos, já é tão único, tão excepcional, que torná-lo numa excepção à Streak era natural. Não destoava. Este já tinha provado que era diferente dos demais. Este nunca conseguiria ser apenas mais um.

Todavia, o facto de Brock Lesnar provar que Undertaker pode perder na Wrestlemania não significa que o que Undertaker tinha dentro de si, o que tinha causado tão imponente sucessão de vitórias, tinha desaparecido.

A WWE podia ter contado essa história. A história de como Undertaker estava tão mudado e afectado pelo fim da Streak que não voltava a ser o mesmo. Mas quem é quer ver esse tipo de história, nesta altura do campeonato? Nesta altura em que Undertaker está mais perto da reforma que nunca?

Não estamos a falar de uma longa história que vai ser desenvolvida ao longo de meses/anos, até ultimamente termos a resposta de Undertaker. Não sabemos quantos mais anos Undertaker vai lutar e, se formos acreditar em tudo o que lemos, não vai passar do próximo. Aliás, já há anos se fala que, tanto Undertaker, como a WWE queriam que este se reformasse no Texas.

Já para não falar que ninguém (ou muito poucos) que tenha crescido a ver o Undertaker, que tenha acompanhado a Streak, quer ver o mítico herói a ser retratado como alguém que já não tem aquela qualidade que o tornava tão especial.

Existe uma razão para terem havido fãs a chorar quando Undertaker perdeu na Wrestlemania. Toda a gente queria ver a Streak em jogo, mas a maioria nunca queria ver a Streak terminar. Era a emoção da dúvida que tornava todo o combate interessante, mas no fim havia sempre a celebração.

A história do herói que já não tem o que é preciso é bastante boa, mas precisa de tempo e audiência. Tempo que Undertaker não tem. E relativamente à audiência, não sei se há fãs que queiram ver Undertaker retratado de forma tão vulnerável ao ponto em que perde na Wrestlemania. Ao ponto em que, aquilo que não aconteceu durante duas décadas, agora acontece dois anos consecutivos.

Não só não é a história que, a meu ver, os fãs querem ver contada, como acho que não é a história que faz sentido. Olhemos para Rusev e o seu recorde de vitórias. Rusev foi tão dominante em 2014 que nunca tinha sido derrotado por pin ou submissão. Foi preciso a maior estrela desta Era para este finalmente perder.

Porém, Rusev não deixou de ser dominante. O facto de apenas alguém do calibre de John Cena o conseguir derrotar não significa que agora toda a gente consiga. Essa história, se fosse contada, descredibilizava completamente Rusev e tudo o que este tinha feito em 2014. Tudo o que este tinha feito até chegar a John Cena tornava-se trivial.

E por muito que uma vitória de Bray Wyatt não fosse descredibilizar uma Lenda do calibre de Undertaker, iria trivializar um pouco o recorde que este tem na Wrestlemania. Este recorde vai para além de Undertaker, é o maior que a WWE possui.

Brock Lesnar foi aceite como a excepção à regra, porque já era uma excepção a tantas outras. Em 2014, Bray Wyatt não foi uma excepção a nada. Portanto uma vitória sua, trivializava a história que se contou ao longo de mais de duas décadas sobre a habilidade especial que Undertaker demonstrava na Wrestlemania e trivializava Brock Lesnar como grande excepção à regra.

Só porque Undertaker pode ser derrotado, não significa vá ser derrotado. Nem significa que é fácil. Ou que é para todos. Tanto em história, como na realidade. Ultimamente, tal como Dean Ambrose a correr com um monitor na mão, tal como a rivalidade com Chris Jericho, Bray Wyatt sairia prejudicado por vencer. Esta sido a sina de Bray Wyatt ao longo de 2014.

Além disso, não era só Bray Wyatt que não tinha sido promovido para tal situação. A própria história não apontava para tal como opção viável. Esta história, este combate, sempre foi mais sobre Undertaker, do que sobre Bray Wyatt.

Qual seria a aparência de Undertaker, depois do fim da Streak? Estaria este abalado pela sua derrota? Os comentadores deixaram a história bem clara. O combate era sobre Undertaker, por Undertaker e para Undertaker. Bray Wyatt estava naquela posição, mas poderia ter sido outro qualquer.

Com tudo isto em mente, a única conclusão a tirar é que o vencedor foi bem escolhido.

O combate em si foi mais que aceitável e ultrapassou todas as expectativas. O que não é dizer muito, dadas as condições em que Undertaker tinha aparecido nos últimos anos, mas ultrapassou-as na mesma. Pessoalmente, não esperava ver Undertaker aparecer de forma tão saudável e jovial, assim como não esperava a quantidade de coisas que este fez no combate.

Não foi um clássico, mas foi divertido na mesma, especialmente quando se presta atenção aos pequenos detalhes. Bray Wyatt nunca sai de personagem, nem por segundo, e vê-lo a tentar provar que é o novo rosto do medo, apenas para ser colocado a um canto por Undertaker, o ícone do medo na WWE, o mestre dos jogos psicológicos, foi cativante.

A questão milionária acaba por ser: o que é se que pode fazer por Bray Wyatt?

Bray Wyatt já provou que pode ter excelentes combates, com o adversário certo. Já provou que consegue falar e fazer excelentes promos, com a última antes da Wrestlemania a ser um destaque.

Na minha opinião, o que Bray Wyatt precisa, mais do que qualquer vitória, mais do que qualquer momento de Wrestlemania, é de uma rivalidade marcante. Daquela que todos vão lembrar.

Bray Wyatt precisa de uma rivalidade, onde tem alguém que tem uma enorme química consigo. Alguém que, juntamente consigo, consegue criar promos e momentos que choquem e impressionem os fãs. Quando digo choquem, não me refiro a truques baratos ou básicos.

Refiro-me a algo que simplesmente resulte. Porque quando resulta, quando todas as peças estão lá, quando está tudo em sintonia, os fãs sentem-no. Era isso que os fãs esperavam da rivalidade com Chris Jericho e Dean Ambrose e foi isso que não tiveram. Bray Wyatt precisa da rivalidade da sua carreira.

Daquela que os fãs estarão sempre a referenciar. Daquela que vai mostrar e provar que ele pode ser uma das estrelas de main-event desta geração. Bray Wyatt precisa de alguém que o ajude a provar isso. Não sei quem vai ser. Nomes óbvios já falharam. Acho que vai surpreender tudo e todos quando acontecer.

Apenas uma situação desse calibre, uma promo ou um momento, poderá legitimizá-lo, porque no fundo, tem sido isso que as pessoas têm esperado dele e não têm visto.

Outro aspecto que, na minha opinião, Wyatt precisa é de seguidores. A Wyatt Family acabou demasiado cedo e sem qualquer explicação, o que ainda hoje me frustra. É bastante triste como tudo acabou, porque não havia razão para tal, nem teve qualquer história. Aconteceu porque sim. É uma desilusão, especialmente porque Rowan e Harper complementavam bastante bem Wyatt.

Undertaker parece ter um encontro marcado com Sting, no futuro. Bray Wyatt irá continuar a navegar pelos mares da WWE até encontrar o parceiro ideal. Quanto mais tempo passa até tal acontecer, pior para Wyatt, mas nunca se sabe o que pode acontecer amanhã. O cash-in de Seth Rollins provou isso.

Da minha parte, desejo uma excelente semana a todos. Visitem a página de facebook do Tretas, dizem eles! para ouvirem à última edição, onde debatemos a Wrestlemania 31!

Até à próxima edição!

Sobre o Autor

- Administradora. Publico parte das notícias, faço a gestão da League, dos Passatempos e ainda sou escritora do artigo “Opinião Feminina”.

48 Comentários

  1. JoãoRkNO - há 2 anos

    O adversário ideal poderia ser o Randy . O Talento do Wyatt com toda a experiência e carisma do Orton poderiam tornar uma feud à antiga , daquelas que só queremos mais e mais . Excelente artigo e boa Páscoa !

  2. Galloway - há 2 anos

    Bem, discordo com a conclusão do artigo. Há uma primeira vez para tudo!

    Não acho que o vencedor tenha sido bem escolhido, se é que houve escolha.

    O Undertaker teve uma Streak incrível na Wrestlemania, tudo bem, mas da forma como a feud foi construída, na minha opinião, só fazia sentido a vitória do Bray para o começar a lançar como estrela consolidada.

    Carregou a feud sozinho, creio que pela primeira vez desde a feud com o Cena toda a gente, ou grande parte, acreditou que este Bray Wyatt é alguém a temer, que as suas palavras não são apenas palavras, e esperava-se que o combate na Wrestlemania com o Undertaker viesse complementar isso mesmo.

    E o que vimos foi o Bray a ser dominado de início, conseguir depois ele dominar parte do combate, e trocarem finishers até o segundo Tombstone dar a vitória ao Undertaker.

    Não digo que a vitória do Bray iria diminuir o facto da Streak ter existido porque ela já o foi. A aura, a magia que havia envolvendo Undertaker já se perdeu, tal como o Bray disse, ele agora era um mortal, como todos nós.

    E era nessa perspectiva que o Bray devia ter ganho. Para o ajudar a lançar. Não diminuia em nada o Undertaker, que se apresentou numa forma muito boa, melhor do que se podia imaginar até.

    Se o Bray tivesse ganho, tendo em conta essa forma do Undertaker, talvez fosse ainda melhor a vitória.

    Porque, e não fui com certeza o único a achar isto, de que serve a vitória para o Undertaker?

    Para onde vai ele daqui para a frente?

    Vai lutar mais um ou dois combates, vai acabar a carreira?

    Se vai lutar mais, para que venceu? Se vai parar, foi para não parar com uma derrota e quebra da Streak?

    São questões que gostava de ver respondidas, porque agora as que se impõem são de resposta mais difícil.

    E agora, o que será de Bray Wyatt?

    Que feud terá ele a seguir, e será esta que vai marcar a sua carreira e o vai lançar como estrela consolidada no card?

    É que Bray Wyatt tem muitos e os melhores anos da sua carreira pela frente, com uma gimmick sui generis, que até pode ser vista como sucessora da do Undertaker, daí ser visto como um combate interessante, até pelas gimmicks que ambos têm.

    Undertaker já viu a sua Streak ser terminada, para que lhe servirá a vitória?

    É que estava mesmo convencido que o Bray ia vencer, e nem a suposta lesão na preparação do combate me tirou essa ideia, mesmo que não pudesse estar a 100%.

    Digo mesmo que me fez colocar em causa o facto de estar acordado até às 4 para ver a Wrestlemania tendo trabalhado já 8 horas nesse dia.

    Não fosse o facto do Seth ter cashado e teria dado o meu tempo por perdido, pois o fantástico RKO do Orton e a história de décadas contada no combate entre o HHH e o Sting não podiam valer por 4 horas.

    Vá lá que tiveram a inteligência de mudar o ME. Pena que não o tivessem feito neste combate, e pena que a afirmação do Bray tenha sido mais uma vez adiada.

  3. reigns one versus all - há 2 anos

    Excelente artigo.
    Concordo com o que disseste acerca do taker,por muito bom que seja,por tudo o que ele significa para os fãs acho que ele não devia lutar mais.
    Ele a cada ano piora,os combates que faz é em sofrimento e ele não merece isso.
    Quanto ao bray Wyatt acho que ele é muito bom,mas não está no patamar dos melhores,precisa de algo que o destaque.

  4. *best in the world* #BrandSplit# - há 2 anos

    bray wyatt tem muito talento, mas wwe não sabe o que fazer com ele, exageraram nas promos dele, ele fala demais ao contrário do undertaker que apenas com um olhar dizia tudo, wyatt mesmo com palavras não diz nada, penso que undertaker merecia um wyatt diferente, ou outra pessoa para o suceder.

  5. Tunes9 - há 2 anos

    Excelente artigo como costume, nunca desilude e já não perco um aos Domingos, posso ler e comentar mais cedo ou mais tarde mas é obrigatório vir cá, os meus Parabéns.

    Quanto ao tema, concordo que a Wrestlemania 28 (aquele combate e desfecho épicos) devia ter sido o fim da carreira do Undertaker, ainda estava muito bem (fisicamente) e acabava com um 20-0 sobre duas lendas (HHH e HBK que serviu de ajuda ao “The Game”), seria o ideal e eu achei que era o fim nesse momento mas não se confirmou.

    Quanto ao vencedor, eu preferia que tivesse sido o Bray Wyatt mas compreendo as razões da WWE para dar a vitória ao Taker, eles querem que a Streak continue e acabe só com uma derrota e o Lesnar será o 1, faz sentido e acho que o Lesnar tem credibilidade para ser esse 1, depois não querem que os fãs vejam um Undertaker numa lástima e é aceitável, no entanto espero que o Taker não lute mais ou então que lute uma última vez e se reforme, o momento chegou e é altura de encerrar este ciclo de Ouro.

    De resto, tens razão quando dizes que os fãs não querem ver os seus ídolos a arrastar-se, eu falo por mim e penso exactamente o mesmo, tenho sorte porque o HHH ainda luta em part-time e está numa excelente forma para quem caminha para os 50 anos mas espero que se reforme, embora me custe só de pensar nisso e me vá custar ainda mais, enquanto ainda está num momento aceitável, é a vida e no Wrestling não é diferente.

    Em relação ao Bray Wyatt, o seu booking tem sido desastroso e é uma pena que desperdicem um talento desta maneira, o homem tem um enorme talento, uma “gimmick” interessante e que pode ser o “novo fenómeno”, fisicamente é imponente mas ágil ao mesmo tempo, em termos de ring-skills é bastante bom, consegue e sabe falar e fazer excelentes promos, até tem imaginação e criatividade para escrever o que vai dizer mas a WWE insiste em banaliza-lo, eu não consigo entender, depois de uma boa feud com o DBryan que culminou num excelente combate onde o Bray venceu de forma limpa, metem-no a perder o seu combate de estreia na Wrestlemania com o Cena e depois a feud foi uma palhaçada (Cena com medo e depois a gozar com os membros da Wyatt Family) e o Bray perdeu, depois seguiu-se o Jericho onde a feud ficou aquém do esperado e quando o Wyatt vence de forma limpa no Summerslam, na RAW é humilhado e dizimado pelo Cena (novamente!!!) e houve ainda a feud com o Ambrose que nem sempre fez sentido e os combates foram todos com desfechos parvos e depois quem é que acredita num holograma em 2015, sem contar com o facto de ter ficado sem o Luke Harper e o Eric Rowan, agora seguiu-se uma feud com o Taker onde foi ele a fazer o trabalho quase todo e tem o azar de se lesionar no tornozelo, depois perde e agora está fora da TV durante umas semanas, a situação está negra e cada ano que passa fica pior, já disseste o que precisa de ser feito e concordo, agora cabe à WWE faz o que está certo ou prejudica-lo mais um bocado, só espero que acertem de uma vez por todas e ele se torne num Top Guy e no “fenómeno” que todos vemos que ele pode ser e que eu acredito que vai ser.

    PS: falaste em seguidores, que achas do Bo Dallas mudar de nome, deixar crescer a barba e alterar o seu attire e “seguir” o seu irmão??

    Bom trabalho Salgado. :-)

    • Awesome_Mark - há 2 anos

      Desculpa a intromissão mas não pude evitar o sorriso no rosto ao ler o teu P.S.Apesar de ser dos poucos que adora esta personagem cínica que o Bo Dallas traz desde o NXT e que deveria ter sido melhor trabalhada pela WWE,sem Wyatt Family,acho que a acontecer (leste em algum sítio essa possibilidade?) seria brutal,não apenas pelas parecenças naturais entre ambos como seria a oportunidade ideal para a carreira do irmão catapultar-se para algo maior (gosto muito dele),assim como aconteceu quando o Bray deixou a personagem de Husky Harris para abraçar esta.Talvez nem fosse necessário deixar totalmente de lado as cenas do “Bolieve” e a médio prazo poderiam perfeitaente dominar a divisão de tag team,isto se os bookers não tiverem planos ainda maiores.

      Confesso,deixaste-me com água na boca eheh.Fica bem e uma boa Páscoa :)

      • Tunes9 - há 2 anos

        Nope, não li em lado nenhum, é apenas algo que pensei e uma sugestão minha, acho que o Bo Dallas tem talento e falta-lhe algo para se lançar e esta “gimmick” começa a estagnar e acho que ter o Bo como seguidor do Bray será excelente, são irmãos e idênticos, acho que podem junta-los e fazer algo interessante.

        Subscrevo o teu comentário e ainda bem que gostaste da ideia.

        Boa Páscoa e um abraço. :-)

      • Mr. Money In The Bank/Paige's Husband #ThankYouAJ - há 2 anos

        Seria interessante se o Bo Dallas usasse essa theme song: https://www.youtube.com/watch?v=bOOOfK_heU4 Acho que tem tudo haver com a gimmick dele.

  6. Bruno Duarte (br) - há 2 anos

    Como já virou rotina, mas um ótimo artigo seu.
    E essa é uma das primeiras vezes que não sei se concordo contigo de todo.
    Concordo que a conclusão do combate talvez tenha sido a mais acertada, no sentido mais logico, afinal, uma série de vitórias do Bray Wyatt, até por que não se constrói um legado em alguns meses, ainda mais com esse rapaz tendo a trajetória que teve com um grande número de vitórias inconclusivas e interferências para salvar o “status” de outros lutadores.
    Então, é difícil de acreditar que o Wyatt esteja em um momento da carreira em que pudesse ser uma ameça a um monstro como Undertaker e tudo o que ele representa.
    Mas wrestling também é emoção, (apesar que não sei se essa é a emoção pra justificar uma vitória) da pena ver esse rapaz ser derrotado por tudo o que ele fez, nessa rivalidade em particular. Afinal, ele fez tudo praticamente sozinho e merecia uma sorte melhor.
    Além disso, o Undertaker já não tem mais nada a provar. O legado dele já está construído (O único senão seria essa luta na Wrestlemania 32) e seria um bom momento de ajudar um jovem a criar o seu.
    Agora, só esperam que protejam o Bray Wyatt o máximo possível, e quem sabe a volta da Wyatt Family( até por que a separação deles não trouxe nada positivo a nenhum deles), num recomeço mais bem elaborado (o que na WWE ta parecendo sonhar demais). Mas…
    Obrigado pelos seus artigos são sempre muito bons.

  7. lucas - há 2 anos

    Muito bom mas Lesnar ganhou sim títulos no ufc e Taker contra cm punk foi mt bom tb

  8. Awesome_Mark - há 2 anos

    Com ou sem Páscoa,domingo é dia de Opinião Feminina,o melhor espaço de opinião de wrestling.

    Surpreendeu-me que o teu primeiro tema no pós-Mania não estivesse relacionado com o novo campeáo da WWE assim como há um ano,mas em 2014 fazia mais sentido falar do Taker.Independentemente do melhor vencedor,a WWE poderia abrir mão de se sujeitar a esta situação.A partir do momento em que o que prende Undertaker ao PPV é a streak,ao ser quebrada este deverá deixar de aparecer,até para preservar aquilo que de tão especial foi conseguido por Lesnar.Vince MC Mahon perdeu pela segunda vez,um timing certo de pôr fim às aparências do deadman,depois claro daquele final na Wrestlamania 28,com um número redondo alcançado,no auge,num combate ideal e num momento que deveria ter marcado,definitivamenet,o fim.

    Quero dar-te os parabéns igualmente pela excelente performance no hangout,consegues ser tão competente a falar como a escrever e és certamente das pessoas mais conhecedoras e que melhor sabe expôr esses conhecimentos sobre wrestling em Portugal,se não mesmo no mundo inteiro.Continua o excelete trabalho e Feliz Páscoa!

  9. Sorlei Rui Oltramari - há 2 anos

    Mais um ótimo artigo, como de costume, Salgado.

    Esse era o tipo de combate em que era muito difícil ver um dos dois perderem. O Taker, mesmo que não precisasse provar mais nada a ninguém, não poderia se tornar um “jobber” na Wrestlemania apenas pela streak ter acabado, enquanto o Wyatt tinha credibilidade em jogo nesse combate.

    Se o Bray não foi protegido até decidirem que ele iria enfrentar o Undertaker, não era com uma vitória que este iria repentinamente credibilizar-se. Tudo bem que era uma vitória contra o Deadman, mas isso iria depender de como ele seria tratado após isso. Assim como você falou, ele é ótimo em promos, mas que de nada adiantam se forem apenas palavras. Claro que a derrota para o Cena ano passado o prejudicou demais, mas o booking dele após isso não conseguiu recuperá-lo e deixá-lo a altura de uma feud com Undertaker (mesmo Wyatt fazendo um trabalho de mestre em carregar a feud).

    Quanto a Undertaker, este se tornou uma incógnita. Uma derrota em manias não iria prejudicá-lo, mas essa mesma derrota pode fazer com que pareça que ele não é mais quem costumava ser. De qualquer forma, me surpreendi com a forma física dele e com a qualidade do combate (aquela attire estava mais para American Bad Ass do que para Deadman) e acho que ele volta ano que vem para terminar a carreira no seu estado natal.

    P. S.: Não sei com que cara o Wyatt vai aparecer e mostrar-se como uma ameaça após duas derrotas consecutivas.

    Mais uma vez, gostaria de parabenizar você pelo ótimo trabalho desenvolvido e também gostaria de desejar-lhe uma feliz páscoa.

  10. leandritozito - há 2 anos

    Excelente Artigo Marta.
    Continua assim.

  11. Tiago Ambrose - há 2 anos

    Excelente artigo Salgado.
    Concordo com tudo o que acabaste de referir aqui. Não tenho nada a dizer sobre o Undertaker, apenas acho que ele se devia reformar, mas ao que tudo indica, ele poderá ter um último combate na wrestlemania para o ano que vem e, esse combate será talvez contra o Sting. Quanto à situação do Bray Wyatt, com o tempo irá chegar lá, ele apenas precisa de uma rivalidade marcante, algo que deixe os fãs impressionados e que não esqueçam aquele momento. O Bray Wyatt é ainda um wrestler jovem que tem muito futuro pela frente e, espero que a WWE o aproveite bem. Feliz Páscoa!!!

  12. Kevin Steen - há 2 anos

    Artigo muito bom, abordando um tema muito polêmico e difícil de se lidar: Bray Wyatt.

    É sempre difícil lidar com esse tipo de personagem. A construção desse tipo de gimmick tem de ser cautelosa, e detalhista, pois é bem susceptível a sofrer a desaprovação e até mesmo ignoração por parte do público (tanto é que os “What?” em suas promos estão quase sempre presentes). Porém quando uma personagem dessas resulta, ela não sai e nem podem sair do Main Event, pois se torna algo único, especial. Uma prova disso é o próprio Undertaker, que é algo além de apenas um WWE Superstar. Não digo que o Wyatt vá ter as proporções de Undertaker algum dia, mas precisa ser bem protegido.

    Pega mal para o Bray a derrota na Wrestlemania, pelo fato de que o fim da streak ter sido um divisor de águas. Porque se pensarmos bem, é muito diferente ter sido um perdedor pré-Brock Lesnar e ser um perdedor pós-Brock Lesnar, no que diz respeito à streak. Como você disse essa luta foi apenas sobre Undertaker, de como ele reagiria, como seria seu comportamento depois de ter perdido. O Bray só foi utilizado para a foto, para arquivar o momento da “cara do medo” do passado, contra a suposta “nova cara do medo”.

    Posso até estar enganado, mas pra mim, o que falta pro Bray é lutar por alguma coisa. Desde quando ele estreou, suas lutas foram marcadas na base de qualquer argumento que os bookers tinham capacidade de pensar para sua personagem. Nada que fosse mudar ou acrescentar alguma coisa em Tv. Não tem como o público abraçar histórias desse tipo durante um ano e meio, e permanecer com interesse na personagem. Suas rivalidades estão sendo muito vazias, dadá a grande gama de ramificações que Wyatt pode ter. Está na hora dele trazer algo novo, e fazer algo chocante.

    A solução do Bray parece-me clara, que é lutar pelo título máximo, e vence-lo de forma convincente. Temos a possibilidade de face-turn, uma história envolvendo a Sister Abigail, ou rivalidades aleatórias, até que seja hora da Wrestlemania, e que lembrem dele de novo. Talvez a volta da Wyatt Family, mas numa storyline que realmente o faça importante, e que interfira totalmente no produto. Uma Wyatt Family que cada vez mais ganhe seguidores, e a WWE tem roster suficiente pra fazer impacto com isso. Algo como a Ministry of Darkness ou a NWO.

  13. Maurício Ornelas - há 2 anos

    Vou comentar pela primeira vez um artigo teu.

    E vou comentar porque além de muito bem escrito, como é teu hábito, versa sobre um assunto que me diz muito: o Undertaker. Aliás, é o meu wrestler preferido de sempre!

    Concordo com a tua conclusão de que o Undertaker não poderia perder, apesar de sermos uma minoria, por uma questão de preservar um legado que não é mais seu, nem sequer da WWE… É do Pro Wrestling em geral! Se de um ano para o outro, toda a gente conseguisse vencer o Undertaker não faria sentido ter existido a streak. Recoheço, como muitos, que o Wyatt carregou a feud desde o início, mas isso não quer dizer que ‘tenha o direito’ de vencer o wrestler que mais fiel foi à companhia desde 1991 e que é um líder de balneário (não obstante já não estar presente).

    Quanto ao Bray, de facto ele é alguém que foi extremamente prejudicado pelo péssimo booking. Possui várias características que fazem dele um main eventer em perspectiva. Mas é preciso que o booking o ajude e realmente tens toda a razão quando dizes que separa-lo da família foi algo péssimo. Podiam junta-los novamente, ou até faze-los entrar em feud, o que até nem era mal pensado, dado que nunca se enfrentarem (tirando aquele momento na Rumble).

    Boas pascoas!

  14. Miguel Carlos - há 2 anos

    Excelente artigo. Discordo totalmente de quando dizes “vê-lo a tentar provar que é o novo rosto do medo, apenas para ser colocado a um canto por Undertaker, o ícone do medo na WWE, o mestre dos jogos psicológicos, foi cativante.”. Que sentido é que faz que a personagem de terror da Era anterior seja superior à da Era atual? O Undertaker devia era ter passado o testemunho. Porque senão, as pessoas em vez de quererem ver o Bray Wyatt, vão preferir que estivesse lá o Undertaker, quando supostamente não deve ser assim. E discordo totalmente quando dizes que ele não precisava da vitória. Desde quando é que a vitória lhe ia prejudicar? Ia benefificiá-lo e não era pouco. E este push do Wyatt fez-me esquecer tudo o que aconteceu em 2014. Desde dominar o Royal Rumble, a derrotar o Bryan e o Ziggler, entre outros, na Raw, até desafiar o Undertaker. A história era toda sobre ele se tornar a nova cara do medo e ele até carregou literalmente a fued ás costas, até que quando chegamos ao combate afinal era sobre o Undertaker aos 50 anos recomeçar a sua onda de vitórias. O push foi em vão. Mas quem é que vai aparecer no dia seguinte e nas semanas seguintes no trabalho? É o Bray Wyatt. Não me fez sentido nenhum, esta vitória.

    • Stone Cold - há 2 anos

      Isso parece-me uma ideia bastante egoísta. Deverias pensar também no nome que vai criar o seu legado quando derrotar o Brock Lesnar limpo. Esse nome só terá o destaque que eventualmente terá se o Brock for o único homem no planeta que derrotou o Undertaker. Além disso o Undertaker ofereceu-te 20 anos recheados de grandes momentos e nostalgia e agora só porque nao pode continuar a fazê-lo achas que deve perder sempre como se se tratasse de um jobber de wrestlemania? O que credibiliza ée alguém vencer a streak o que já aconteceu. Depois de Lesnar o ter feito o Bray Wyatt seria apenas o segundo a fazê-lo. Um legado destes provou que o Undertaker era humano e poderia ter sido derrotado mas ele recuperou e reagiu à sua derrota para obter o premio merecido. Foi justissimo estee resultado.

      • Miguel Carlos - há 2 anos

        Concordo totalmente que, já que o Lesnar acabou com a streak, o Undertaker não pode perder para mais ninguém na WrestleMania, mas a questão é que o Undertaker nem sequer devia ter lutado nesta WrestleMania, e já que lutei, faria mais sentido na minha opinião que o Wyatt ganhasse. Ao pôr o Undertaker a lutar nesta WrestleMania, a WWE ficou entre a espada e a parede.

      • Hater - há 2 anos

        Leasner é um ex-campeão do UFC que tem Paul Heyman ao seu lado foi o PRIMEIRO a derrotar o Taker em uma Mania e ainda por cima depois de um belo reinado perdeu se levar o pin, por cash in. Ele realmente precisava que o Bray perdesse? Ele tem muitas coisas para se apoiar e o Bray atualmente não tem nada.

        E o negocio é assim. Os mais velhos perdem para credibilizar os novos, do contrario os novos nunca vão a lugar algum. Taker tem motivos de sobra para entrar no HoF e ja foi imortalizado, deveria ter passado o testemunho sim.

      • Miguel Carlos - há 2 anos

        Concordo com o Hater.

  15. yuj21 - há 2 anos

    O bray Wyatt e uma boa personagem mas se calhar falta alto nele EU na minha opiniao o que lhe prejudicou mais foi ele na royal rumble ter eliminado Uns quantos competidores e depois ser eleminado daquela forma pelo big show e o kane como se fosse um jobber.

  16. #pushambrose The referee - há 2 anos

    Excelente artigo.
    Bem eu acho que se o Bray tivesse uma rivalidade com o Sting, Rollins, Luke harper, ou se ele fosse mr money in the bank seria Mt positivo a ele.
    Porque Harper? Porque este pode fazer sentido como se o Harper falasse que ele era a verdadeira face do medo e não o Bray dá eles duelassem no summerslam com uma vitória dominante do Bray.
    Com o Rollins seria bom se ele fosse o mr mitb Pq dai alguém como reigns distraia o Rollins e batia nele, dai o Wyatt usava o cash in no summerslam.
    Contra Sting seria um duelo também para ver se o Wyatt era msm o futuro no summerslam

  17. danielLP21 - há 2 anos

    Não concordo com nada disto.

    O Bray Wyatt TINHA que ganhar este combate. Construiu a rivalidade sozinho, fez promos brilhantes, sendo que a última antes da WrestleMania foi das melhores coisas que já me passaram pelos olhos como fã de Wrestling. Se a perfeição existisse, aquela promo seria a derradeira prova de tal.

    Quanto ao Undertaker, digam o que disserem, nada me tira da cabeça de que o seu legado não era apenas e só a Streak e os seus combates na WrestleMania. Por isso, uma derrota este ano não aquecia nem arrefecia.

    Além disso, estou convicto de que se o Brock Lesnar não tivesse renovado, o Bray Wyatt teria vencido o combate. Julgo que não preciso de explicar porquê.

    E já agora, se era para o Undertaker ganhar e para o Sting perder, porque raio não fizeram o combate entre eles já este ano e não colocaram o Bray Wyatt num combate contra alguém que não fosse uma prioridade, de modo a que ele ganhasse? Por mais que tente, não consigo entender a decisão de dar duas derrotas ao Bray (que estava, sim, pronto para este combate) em duas WrestleManias. E por mais que me digam o contrário, é desta que o Wyatt não tem salvação, porque na hora “H” vai sempre perder.

    E depois venham dizer que ele não diz nada nas promos. As pessoas é que já nem o levam a sério. Pudera…

    • Frederico_WWE - há 2 anos

      “É desta que o Wyatt não tem salvação”… tens mesmo a certeza disso que tás a dizer?

      Se isso não se confirmar não te esqueças é de dizer… que um dia chegaste a dizer que o Wyatt nunca ia a lado nenhum…

      Estamos a falar de um senhor porque é isso que ele é do melhor que há mas com 27 anos… convém lembrar outros casos de um jovem Hunter Hearst Helmsley que perdeu em poucos segundos na WrestleMania 12 para o Ultimate Warrior e mais recentemente tivemos Daniel Bryan a perder em poucos segundos na WrestleMania 28 e nem sequer é por derrotas humilhantes (o que é o caso de HHH & Bryan e que não foi de todo o caso do Wyatt e é isso que quase dão a entender)… e não é por isso que hoje eles representam aquilo que representam… ou seja as coisas com o tempo mudam…

      Vocês pessoal têm o “coração” ao pé da boca… e esquecem se que a vida é mudança… que aquilo que hoje é verdade… amanhã pode ser mentira como é que não percebem que isto tudo muda tão rápido? Muito mais na WWE… tão fartos de saber isso… enfim conseguem ser uns exagerados e é isso que me chateou quando vi tanta irritação e em alguns casos insultos ao Undertaker por isso… a vossa mentalidade tem que crescer…

      Fica aqui dito e escrito: Bray Wyatt futuro WWE World Champion e futuro Hall Of Famer e daqui a 20 anos uma das melhores superstars da história da WWE… vamos ver quem é que vai ter razão… se eu que acho que estamos perante uma superstar que vai ser das melhores de sempre ou se és tu que dizes que ele não vai ter salvação…

      • danielLP21 - há 2 anos

        Ok. É provável que tenhas razão.

    • Hell-no or yes - há 2 anos

      O problema do Wyatt é que o Kidwonder nao criou um movimento para lhe darem um push
      #pushbraywyatt

      • Hater - há 2 anos

        Olha, concordo com o que diz sobre as coisas mudarem, mas não é por isso que a derrota do Daniel foi justificada, nem o castigo do HHH e muito menos essas duas derrotas do Bray.

        E vá com muita calma ao dizer que o DB ta recebendo o que merece, não duvido nada perder o titulo em 2 meses pro Sheamus.

  18. MicaelDuarte - há 2 anos

    Não concordo com o que escreveste, Salgado.

    Em relação ao Undertaker, acho que nos estamos a esquecer que ele é/foi mais do que a Streak. O ‘Taker teve alguns reinados e rivalidades extremamente importantes fora do panorama da WrestleMania, logo, não podemos achar que este fica diminuido, apenas porque sofreu a derrota que interrompeu a sucessão de vitórias no grande evento.

    Uma vitória frente ao Undertaker, mais precisamente por parte do Bray Wyatt, iria fazer alguma coisa pela carreira deste último. O Undertaker continua a ser o Undertaker. Com ou sem Streak, Undertaker é Undertaker… O Bray Wyatt teria ganho com uma vitória sobre o Dead Man.

    O Wyatt fez promos fantásticas, venceu alguns combates que o credibilizaram minimamente (com Ambrose, Bryan e Ziggler) e, mais importante ainda, construiu uma rivalidade sozinho. Sozinho. Aliás, a feud foi, toda ela, acerca do Bray Wyatt. Era ele que aparecia e dizia que se tornaria na nova cara do medo. A rivalidade e tudo o que o Wyatt dizia, por si só, sugeria uma passagem de testemunho. E era isso que devia ter acontecido.

    Se não queremos que o Wyatt seja só paleio e pouca acção, então não podemos concordar muito com a vitória do Undertaker. A verdade é que foi mais uma oportunidade desperdiçada.

    No fim de contas, quem é que lá vai estar depois da WrestleMania? O Undertaker não é… Enfim, mais um ano se passou, mais um ano a repetir a borrada do ano anterior.

    • Tibraco - há 2 anos

      E o fator Brock Lesnar? É que não se pode analisar a questão do ponto de vista do Wyatt….

      Sendo certo que perdeu em duas WM, também não é mentira que perdeu para o Cena e o Undertaker. Não é propriamente algo que envergonhe alguém… Sinceramente, não vejo problema nestas derrotas, o que tem prejudicado o Wyatt é mesmo a falta de rivalidades marcantes e com um objetivo claro. Ah, e se lhe metessem um ou dois seguidores era capaz de ser giro. Porque a gimmick de “líder de culto” tem sido bastante inócua.

      • Gman - há 2 anos

        Acredito que o brock foi o mais beneficiado com a derrota do Wyatt, unico a ganhar de taker, presencadominantee inigualavel. O jeito é aguardar.. O wyatt vai ainda brilhar

      • MicaelDuarte - há 2 anos

        Tiago, as estrelas de amanhã não se constroem com derrotas frente às estrelas já estabelecidas, nem com derrotas frente àquelas que já se deviam ter reformado, como é o caso do John Cena e do Undertaker, respectivamente. Não chega posicioná-los ao lado de grandes estrelas, se depois perdem os combates/rivalidades.

        Não é algo que envergonhe o lutador que perde, mas vamos ficar à espera que um Wyatt, um Rusev ou outro lutador talentoso conquiste o lugar que merece, com vitórias sobre os “pequenos” e com derrotas frente aos “grandes”? Se assim for, como sabes, o lutador não passa da mesma posição em que se encontra no card.

        No fundo, é isso que acontece com o Wyatt. Foi o rei do mid-card, por assim dizer, mas quando chega a altura de avançar para o próximo nível, a WWE faz questão de fazer merda.

        Pergunto: as rivalidades com o John Cena e com o Undertaker não foram marcantes? Não existia o objectivo de acabar com o legado do Cena e mostrar a hipocrisia que ele, supostamente, representava? Na rivalidade com o Undertaker, não existia o objectivo de o Wyatt se tornar na New Face of Fear? Com uma gimmick destas, que objectivos pode o Wyatt ter?

        Imaginemos que teria sido o Ambrose a sair por cima na rivalidade com o Bray Wyatt, e teria sido ele a enfrentar e a perder para o Undertaker. Na tua opinião, achas que o Ambrose ficaria fragilizado com a derrota?

        Na minha, não. O Ambrose é o maluco da WWE. É o gajo que tem pouca consciência daquilo que faz. Se, hipoteticamente falando, ele tivesse perdido para o Undertaker, a sua personagem não ficaria abadada porque, no final de contas, ele já é o fragilizado e o instável. Isto, para dizer que o mesmo não se passa com o Bray Wyatt, que tem uma personagem complexa e que precisa de vitórias para que as pessoas o levem a sério. Ele fala muito e muito bem, daí precisar de concretizar aquilo que diz, passar à acção…

        Em relação ao Lesnar, não sei se te referes ao contrato assinado à última da hora, ou se falas de ele ter sido o único a vencer o Undertaker e assim se manter.

        Eu percebo quem acha que o Lesnar deve continuar a ser o único a conquistar tal feito, em vez de banalizar o significado e o impacto que a Streak já teve. Porém, isso é reduzir o Undertaker à Streak, quando tal não é verdade. Além disso, as coisas só têm a importância que a WWE lhes quiser dar. Se a companhia quisesse, obrigava o Heyman a dizer, semana após semana, que o Lesnar foi O primeiro a derrotar o Undertaker na WrestleMania, o que iria criar alguma distinção entre a Beast e os que o fizeram depois dele. Basicamente, a conquista do Lesnar não perderia valor algum.

        Se falas da assinatura do contrato, acredito que a WWE teria dado a vitória ao Bray Wyatt, quase como que a vingar-se de o Lesnar ter abandonado a companhia depois de tudo o que conquistou ao longo do último ano. Mas não vale a pena discutirmos isto, dado que serão apenas suposições.

      • danielLP21 - há 2 anos

        Isto.

      • José Sousa - há 2 anos

        A questão é que os seguidores já existiram, e o que é que fizeram aos homens quando podiam ter sido campeões de Tag Team? Deitam-se abaixo. Não digo que o Wyatt esteja terminado, mas precisa de mudanças radicais na sua postura. Talvez novos alvos: Orton, ou mesmo virar-se para heels sem ser um face típico.

      • Tibraco - há 2 anos

        Eu não reduzo o Taker à Streak mas o facto é que durante anos acreditámos que ela, a Streak, não seria quebrada. Portanto, terem escolhido o Lesnar para conseguir tal feito dá-lhe uma aura inigualável. Se o Lesnar não tivesse renovado, acredito que o Wyatt tivesse vencido o Taker na WM. Com a renovação para mim ficou bastante claro que seria o Undertaker a vencer o combate. Ou seja, acho que a WWE preferiu “ter um pássaro na mão do que dois a voar”. Eu faria o mesmo no lugar deles. Mesmo com o Heyman a dizer o que fosse, eu não arriscaria descredibilizar ou banalizar a Streak.

        Concordo que o Wyatt tem uma personagem complexa e que deve ter poucas derrotas para ser levada a sério. Aliás, defendo isso desde o primeiro dia. A questão é que a WWE adora agendar combates onde nenhum dos intervenientes “pode” perder. Na minha opinião, pelos motivos que referi no 1º parágrafo, o problema não está no Wyatt ter perdido mas sim na marcação do combate. Para o Undertaker a vitória foi irrelevante mas para o Wyatt foi ligeiramente nociva.

        Em resumo, uma vez marcado o combate (que eu não teria agendado) acho que a melhor opção era a vitória do Undertaker. No entanto, penso que é fulcral para o Wyatt vencer a próxima rivalidade que vier a ter. Infelizmente para o pessoal que gosta dele (não é o meu caso) não estou a ver nenhum face com quem ele possa rivalizar num futuro próximo e não ficava admirado por aí além que ele não participasse no ER.

      • Tibraco - há 2 anos

        José,

        Sim, mas podiam pegar em dois gajos que estivessem perdidos no card e voltar a recriar a história dos seguidores. Pessoalmente, acho que era o ideal. Mostraria que o Wyatt não são só palavras ocas mas que também consegue ser persuasivo.

        Orton vai lutar com o Rollins no ER, quase de certeza. Só estou a ver o Reigns mas isso seria mais uma derrota para o Wyatt. Ou então um Ryback…

      • José Sousa - há 2 anos

        Concordo Tiago. Por mim o Wyatt ficava de fora do Extreme Rules, e depois bookavam com um deles os dois percebes? Porque no Payback deve ser apenas Rollins vs Reigns(ou Orton). Já no Extreme é muito provável que seja Triple já que o combate ainda não é oficial.

      • Tibraco - há 2 anos

        Em teoria gostava de ver Wyatt vs Orton mas temo que seja mais do mesmo. Embora fosse capaz de apostar dinheiro que até ao final de 2015 essa feud vá acontecer.

        Não sei se seria boa ideia o Wyatt ficar fora do ER. Mesmo que lhe dêem algum combate menos relevante, lá está com um Ryback, é importante que ele comece a vencer combates em PPV’s

    • José Sousa - há 2 anos

      Também eu. Aliás arrisco-me a dizer data quase: Summerslam. Porque nessa altura o Orton já não deverá estar com o Rollins, e não sei se a WWE não o colocará com o Wyatt. Se não for com o Wyatt é com o Rusev, mas vão colocar o Orton face para colocar over novos heels é o que me está a parecer.

  19. The Beast - há 2 anos

    Bray Wyatt era pra vencer até porque o Undertaker não iria ganhar nem perder nada neste combate, mas acredito que o pior não foi esse combate, o pior foi o combate da MANIA passada em que o Wyatt poderia vencer mas decidiram dar a vitória ao Cena e assim enterrando todos da Wyatt Family.

  20. Triple H - há 2 anos

    bom artigo

  21. LESNAR BESTA INFERNAL 21-1 - há 2 anos

    Eu amei tudo que você disse, mas eu aposto que o dia que todos nós tivemos mais duvidas se Streak iria acabar ou não foi na WrestleMania 27 e caso alguém não se lembre como foi:https://www.youtube.com/watch?v=yoziuE-YL3Q

  22. Control - há 2 anos

    Concordo com algumas coisas,ente elas a questão final sobre o Wyatt,estamos todos no aguardo para aquela feud que finalmente elevará o Wyatt,espero que não demore ,quanto mais tempo pra isso acontecer mais o seu personagem vai ficando desgastado.

  23. Stone Cold - há 2 anos

    Excelente artigo como sempre e concordo completamente com tudo o que foi dito. Nao havia qualquer motivo para de repente só porque se tornou num mero mortal às mãos de Brock Lesnar o Undertaker ter que tornar-se um fracassado. Acho que isso seria demasiado desrespeitoso para a sua carreira. Ele falhou, nao conseguiu parar a besta mas regressou para provar que erros podem ser cometidos para nos ensinar a supera-los ele precisava disso. Quem nao ve as coisas por este prisma está a ser egoista e a pensar apenas no futuro do show que quer ver esquecendo tudo o que este homem fez pelo negocio durante 20 anos. Além disso a vitoria de Brock Lesnar ou a vitoria sobre Brock Lesnar que ainda está por vir seriam totalmente descredibilizadas passando a ideia de que agora qualquer um poderia fazê-lo.

    Outra coisa que me intriga é o facto de existir o argumento de que Bray Wyatt deveria ter ganho por ter carregado toda a feud quando isso seria ainda mais humilhante para o Undertaker, o regresso apenas para ser derrotado. Simplesmente estariam a manchar-se definitivamente 20 anos de conquistas lendarias e ele apenas provou que pode subir do abismo em que se havia visto mergulhado no ano passado e nada melhor para ele do que receber esse premio. Acho que só Lesnar deveria ficar na historia como o homem que acabou com a streak. E esses fãs que pensam tanto no futuro deveriam também perceber que uma vitoria de Bray Wyatt elimina a credibilidade que o superstar do futuro que ira derrotar o Lesnar terá daí que proteger o legado e a historia do Undertaker ter sido apenas a decisão obvia e acima de tudo justa. Porque sem todo esse passado nao existiria um futuro.

  24. Master of Chaos - há 2 anos

    Como de costume, mais um excelente artigo, Salgado. ^^

    A medida com que os anos passam fica cada vez mais visível o quanto o tempo foi cruel para o Taker. O interessante é que mesmo que ele já esteja definhando, ainda consegue promover bons combates, embora nesses últimos anos, a qualidade deles caiu drasticamente, porém é logicamente aceitável, claro que ele já não é o mesmo de 10 anos atrás, não consegue mais promover combates memoráveis como o main event da WM de 2010 (WM 26)… Em 2011, contra Triple H, foi uma verdadeira surra, mas mesmo assim ele conseguiu. Em 2012, um combate que realmente, jamais sairá da minha memória, ver ao fim, Taker, HBK e HHH saindo juntos do ringue, três lendas, três grandes estrelas desse esporte.
    As lutas seguintes, nenhuma me dava importância, ele já tinha conseguido algo histórico com sua streak a muitos anos e terminar com 20-0 já estava de bom tamanho, até chegar a Besta e destruir essa streak. Uma luta que também ficará na memória, memorável apenas por ter sido o fim da streak que eu acreditava ser inabalável, que nunca cairia, mesmo que não tenha sido um dos melhores combates do Taker, foi bom ver o último combate onde a streak era defendida.

    Para esse ano, um encontro que considerei extremamente desnecessário, colocar o Bray contra o Taker… Não sei se posso considerar uma honra para um wrestler estar no lugar do Bray onde sua derrota era mais do que certa, já que era o Undertaker.
    Não venham me dizer que isso era inesperado, a WWE jamais faria com que o Taker perdesse em uma WrestleMania por dois anos consecutivos, ainda mais uma dessas para o Bray Wyatt (sem desmerecer o rapaz, mas nem em sonho ele deveria ser colocado para derrotar uma lenda vida) que embora tenha levado a feud sozinho nas costas, não tem o carisma necessário para ofuscar o Deadman, isto já não é mais possível…

    Quanto ao Taker, espero que se ele combater mais uma vez, que seja um último confronto, com um wrestler que realmente tenha “peso” para marcar a história dessa empresa e encerrar com chave de ouro tal legado…
    Para encerrar essa carreira da maneira correcta, não desmerecendo nenhum que tenha vindo antes dele, mas os factos comprovam, Taker não é um wrestler qualquer.

    Percebemos que o aclamado “imortal” pode vir a morrer, que o “imbatível” pode ser batido. O invencível foi então… Vencido…

  25. Maur - há 2 anos

    Lamento por quem aprecia as promos do Bray Wyatt – elas são chatíssimas: longas demais, enfadonhas demais, repetitivas demais.
    O que podemos sintetizar dessa “””rivalidade””” (muitas aspas, pois não há como ver os dois lutadores como equivalentes) com o ‘Taker é o seguinte: Bray Wyatt falou, falou, falou, falou, falou mais um pouco, e no fim das contas uma lenda de verdade o colocou no seu devido lugar. Simples assim.

  26. Hater - há 2 anos

    Não direi muito, pois tudo que precisava ser comentado já o foi feito, mas não fosse a qualidade do artigo jamais poderia acreditar que era da mesma autoria que o artigo 88 do opinião feminina.

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador