Opinião Feminina #229 – Vanity Project

Ao longo dos últimos anos, dediquei vários artigos a criticar o uso da Autoridade na programação da WWE, desde que a dupla de Triple H e Stephanie McMahon criaram o grupo em 2013. Poucos meses depois terem surgido – enquanto os últimos pay-per-views de 2013 terminavam em aldrabices e invenções e a história de Daniel Bryan estava longe de ter uma conclusão – que se começou a suspeitar que o projecto “Autoridade” iria prejudicar o produto, em vez de ajudar.

Longas e aborrecidas promos tornaram-se um hábito na Raw. Nem sempre surgiam em histórias directamente relacionadas com o grupo, raramente tinham qualquer impacto ou davam provas de utilidade. Com o passar do tempo, tornaram-se em oportunidades para Stephanie McMahon relembrar todos mais uma vez de como era amiga de Andre, The Giant e de como consegue emascular qualquer estrela do roster com a maior das facilidades.

Mais do que se ter tornado numa das razões para a qualidade da Raw ter descido, a Autoridade transformou-se numa barreira que impedia os talentos de se tornarem algo mais. Algo que pudesse fazer a diferença.

Não interessa que tipo de talento surgisse ou a sua qualidade, o mesmo era sempre posicionado como sendo inferior à Autoridade. Resumindo, Triple H e Stephanie McMahon transformaram-se nas maiores estrelas da programação.

Em todas as oportunidades que tiveram, com todos os talentos que interagiram, fizeram questão dos colocar “no seu lugar”. Ninguém escapou a este tratamento. Nem mesmo os seus aliados.

John Cena, Daniel Bryan e The Shield foram os heróis que estiveram mais perto, mas ultimamente, por muitas batalhas que estes – individualmente – vençam, a Autoridade vence todas as guerras.

John Cena conseguiu removê-los de poder, mas um mês depois estes regressaram. Daniel Bryan, graças às circunstâncias, conseguiu inserir-se no main-event da Wrestlemania XXX e tornar-se campeão, mas ultimamente foi a Autoridade que lhe tirou o Título e nunca mais voltou a ser campeão.

The Shield viraram-se contra a Autoridade, lutaram contra os Evolution e venceram todos os combates, mas a pior das derrotas foi sofrida às mãos da Autoridade, pois foi a Autoridade que acabou com o grupo.

O mais curioso é que nada disto teria que ser um problema, porque são apenas vilões a fazer maldades. A causar problemas aos heróis de quem os fãs tanto gostam. É suposto não gostarmos das suas acções. O problema é a execução. O problema é que a Autoridade faz um trabalho tão soberbo a diminuir e desvalorizar as pessoas com quem interage – heróis incluídos – que quando os vence/derrota, acabam por não derrotar ninguém.

É por isso que Paul Heyman é exactamente o oposto e é tratado como um génio. Porque com todo o seu talento e destreza, Paul Heyman eleva todos os adversários de Brock Lesnar. Elogia-os imenso. À sua maneira, mas elogia-os. Aliás, pode-se ver como este promoveu Roman Reigns. E porque é que Paul Heyman faz isto? Porque se Brock Lesnar os derrotar, Brock Lesnar derrotou alguém importante. Ao valorizar os adversários de Brock Lesnar, Paul Heyman está a valorizar Brock Lesnar. É uma forma do combate (e resultado) significar alguma coisa.

A Autoridade faz exactamente o oposto com toda a gente, incluindo aliados.

A Autoridade arrasou com Randy Orton quando este era campeão. Teoricamente, este era o escolhido por eles, este era o grande representante que a WWE merecia, mas na prática, este não passou de um moço de recados cuja função era estar em segundo plano a acatar ordens.

Big Show e Kane são tratados como crianças que precisam de ser repreendidas e emasculadas constantemente por Stephanie McMahon, enquanto ao mesmo tempo vencem potenciais estrelas de main-event porque, supostamente, também são monstros imparáveis que dominam tudo e todos.

Rusev e Lana eram a dupla de estrangeiros que odiava e desrespeitava tudo o que era relacionado com a América, mas rapidamente entraram em sentido porque Stephanie McMahon (uma americana) os ameaçou.

Seth Rollins é, de facto, o único fruto destes anos de Autoridade. Contra tudo o que era esperado, a WWE conseguiu proteger consistentemente Seth Rollins até fazer dele um campeão. O problema é que até Seth Rollins é tratado como criança que precisa de ser repreendida. Até Seth Rollins, o maior fruto que a Autoridade deu, está na sombra da Autoridade.

Toda a execução do que envolve a Autoridade passa por diminuir, humilhar e emascular todos os que estão à volta. Todos os que preenchem as restantes horas de televisão. Todos os que estão nos pay-per-views de todos os meses do ano.

Alguns saem mais prejudicados disso que outros, é verdade, mas no geral, todos passam por peões irrelevantes. Menos Triple H e Stephanie.

Esses sim, são as verdadeiras estrelas, porque não só são os donos e futuros herdeiros da companhia em televisão, como o são na vida real. A mensagem que a WWE passou constantemente ao longo dos últimos anos foi que os donos são as estrelas. Todos os outros estão lá para passar tempo.

Sim, existiram momentos em que Stephanie e Triple H foram humilhados ou sofreram as consequências. Mas por cada momento em que as acções deles foram vingadas, haviam semanas e semanas de programação com eles a rebaixar tudo e todos.

Repito, o problema aqui não é termos vilões a fazer vilanias. O problema aqui é termos vilões que toda a gente sabe que, de facto, têm toda a gente do roster na mão a esfregá-lo na cara de toda a gente, enquanto ninguém tem o poder de responder.

Esta abordagem, especialmente numa Era que o próprio Triple H apelida como sendo a Era da Realidade, desvaloriza a importância de todos e impede a criação de estrelas da dimensão e importância de John Cena.

Não só desvaloriza, porque os fãs casuais perdem todo o interesse em personagens que são rebaixadas de tal forma, como também prejudica o interesse dos fanáticos nesta ou naquela estrela.

Porque os fanáticos, mais do que os outros, têm as suas próprias teorias sobre a veracidade das palavras nas promos da Autoridade. E se não tiverem, serão prontamente ajudados pelas teorias de outros que estão dentro da WWE e vão mandando informações, verídicas ou não, cá para fora.

Fanáticos ou casuais, ninguém gosta de torcer por um fraco que não tem hipóteses. Ninguém gosta de entrar numa guerra que sabe que não tem hipóteses de ganhar.

Todavia, isto é apenas um reflexo daquilo em que a WWE se tornou. Um reflexo da sua enorme tentativa de garantir que a WWE, que a sua entidade, é maior que o indivíduo X ou Y. Isto é um jogo de superioridade. Porque não há qualquer perigo de Triple H ou Stephanie decidirem abandonar uma Raw e irem para casa. Não há qualquer perigo de desistirem da WWE para se juntarem a outra promoção.

Eles são os herdeiros. Eles vão ficar com tudo. Apostar neles como estrelas pode prejudicar toda a gente, mas não é uma aposta em vão, porque eles nunca se irão embora. Por isso é que a Autoridade tem prejudicado mais estrelas do que aquelas que tem criado.

Porque o objectivo da Autoridade não é criar estrelas, é fortalecer a entidade que é a WWE. No fim do dia, tudo não passa de uma questão de ego. Não sei se é o ego Vince, que por sua vez usa Stephanie e Triple H para se expressar, ou se é dos próprios, mas não interessa. O resultado é o mesmo.

Se os últimos anos de Autoridade e as mensagens que as suas promos mandavam não fossem o suficiente para provar tudo isto, então os nomes Sting e Ronda Rousey vieram esclarecer todas as dúvidas.

A ideia de Sting se estrear na WWE para acabar com a Autoridade, como acreditei que seria o caso durante muitos meses, não foi bem recebida por mim por várias razões. A principal era simples. Depois de todos os danos que a Autoridade tinha causado ao longo de vários anos, tinha que ser alguém no roster actual a livrar-se deles. Não Brock Lesnar, Undertaker ou Sting. Alguém que vai cá estar nos próximos anos.

Alguém que prove que eles sempre estiveram errados. Alguém que, de facto, transforme esta auto-promoção (não só de Triple H e Stephanie, mas da própria WWE) desnecessária numa história de vilões a maltratarem heróis, apenas para no fim aprenderem a sua lição e serem castigados.

Sting no papel de castigador não iria provar que a Autoridade estava errada. Não iria restaurar a credibilidade das pessoas no roster que estes humilharam e diminuíram. Os danos iriam continuar lá. A mensagem, a horrível mensagem que eles passaram durante anos, continuaria lá.

Para meu choque e, de certa forma, mórbida diversão, a WWE conseguiu mostrar mais uma vez quão mesquinha e infantil consegue ser.

Transformar uma história sobre a Autoridade numa segunda-edição da guerra entre a WWE e a WCW foi um golpe baixo. Muito baixo. A WCW não existe há catorze anos. A guerra acabou há catorze anos. Mesmo com o próprio Sting a dizer que era ridículo lutar pela WCW nesta altura do campeonato, a WWE não resistiu à tentação.

Não bastava rescreverem a história, não bastava ridicularizarem o produto que a WCW apresentava – embora pudessem perfeitamente usá-lo para gerar lucro através da Network – a WWE tinha finalmente a última grande estrela da WCW nas suas mãos, por isso tinha que a derrotar. Melhor ainda, tinha que o fazer de forma a assegurar que, de facto, tinha vencido a guerra.

A questão é: o que é que tinha acontecido se Sting vencesse? Hipoteticamente falando, o que é que tinha acontecido se a WCW vencesse esta ronda? Nada. Porque a WCW acabou há catorze anos. Não tinha acontecido absolutamente nada!

Mais uma vez, no fim do dia, é tudo uma questão de ego.

Nunca estive interessada em ver Sting na WWE, mas sinceramente, não faço a mais pequena ideia como é que alguém (que não seja já um enorme fã de Sting) pode estar interessado em voltar a ver mais combates deste senhor depois deste ter falhado em livrar a WWE da corrupção da Autoridade, ter sido incrivelmente prejudicado durante o combate, ter sido vítima de ataques com um martelo e, mesmo assim, ter respeitado o adversário no fim com um aperto de mão.

O mesmo adversário que, horas mais tarde, o gozou por ter perdido.

O caso de Ronda Rousey, por outro lado, é bastante diferente, mas partilha os mesmos problemas que a situação de Sting.

Ora, Ronda Rousey é uma das atletas do momento e por boas razões. As suas performances dentro do octágono têm feito furor e sido um sucesso de compras em pay-per-view.

É irónico que as lutas de Rousey estejam a fazer furor pela sua curta duração, quando Stephanie e Triple H defenderam durante imenso tempo que MMA não era competição da WWE porque, em MMA, os fãs correm o risco de se investirem num main-event que acaba em segundos; ao passo que na WWE é contada uma história, onde os fãs têm um herói por quem torcer, um vilão para detestar e um main-event extremamente satisfatório para os divertir.

Ao passo que o talento, dominância, rapidez e carisma de Rousey a tornaram numa enorme estrela, a Autoridade está associada a histórias que desvalorizam todos os talentos com que interagem e main-events cheios de interferências e aldrabices à mistura.

Ironias à parte, facto é que Rousey é uma estrela. Seja num talk-show, numa entrevista para o próximo especial da UFC ou dentro do octágono, ela tem aquela qualidade que muitos no mundo do Wrestling apelidam de It Factor. Não há como negá-lo.

Foi por isso que a sua participação na Wrestlemania foi tão espectacular. Não era uma celebridade qualquer sem carisma a promover coisas que não interessam a ninguém. Não era uma pessoa que se deixava intimidar pela audiência. Não era alguém sem presença ou atitude.

Exactamente por ter todas as qualidades que se crêem ser necessárias para se ser uma grande estrela no mundo do Wrestling, Rousey não destoou nem por um segundo. Desde a primeira troca de olhares com The Rock até ao uso do seu famoso olhar ameaçador, esta estava que nem um peixe na água.

Por isso, foi bastante fácil os fãs reagirem. Porque é a isso a que os fãs respondem. A talento, a carisma, a atitude e presença. Percebeu-se logo que a ideia de Rousey lutar num ringue da WWE seria empolgante para muitos fãs, embora não fosse ainda claro que tal iria acontecer.

Seja o que for que Rousey fizer, a WWE irá lucrar imenso com qualquer envolvimento que esta tenha. Aliás, ambas as partes (UFC e WWE) vão lucrar imenso com qualquer envolvimento de Rousey. Como se viu, os fãs da WWE conhecem Rousey e sabem do que esta é capaz, mas isso não significa que o envolvimento dela não conquiste mais fãs e alargue a sua audiência.

Enquanto, por sua vez, a WWE anda nas bocas do mundo por ter Ronda Rousey nos seus eventos e consegue ter mais pares de olhos a ver os mesmos exactamente por causa dela.

É uma situação que, do ponto de vista financeiro, beneficia todos os envolvidos. No entanto, temo bastante a execução de qualquer plano que envolva Ronda Rousey na WWE.

Primeiro, tal como na situação de Sting, Rousey não é uma lutadora da WWE. Nem The Rock é um lutador da WWE. Quando Triple H e Stephanie disseram em ringue que tinham toda a gente que está nos bastidores na palma das suas mãos, disseram a verdade e todos os fãs (fanáticos e casuais) sabem isso.

Se não soubessem, o facto das únicas pessoas que os enfrentaram terem sido aquelas que a WWE não controla tirou todas as dúvidas.

A mensagem subliminar que os fãs recebem, em relação ao roster actual, é absolutamente destrutiva. Os danos que a Autoridade tem causado apenas continuam a aumentar.

Segundo, existe a ideia de usar duas estrelas que vão trazer imensa exposição à WWE para histórias com os patrões, Triple H e Stephanie. Não duvido que há ego envolvido. Não deve saber nada mal a Triple H e a Stephanie andarem nas bocas do mundo por estarem em confrontos com uma das atletas mais faladas do momento e uma das maiores estrelas de Hollywood.

Mas também acredito que quando Vince McMahon olha para o roster que tem, este acha que não tem melhores alternativas que Triple H e Stephanie para este tipo de exposição. Quando pensa em que estrelas é que pode usar neste tipo de situação, Vince vê lutadores que não quer nessa posição – seja porque razão for – e vê lutadores que ainda não são estrelas grandes o suficiente para tal situação (o que, na maioria dos casos, é culpa dele).

Por isso, como tudo na WWE, a companhia acaba por se encontrar num beco sem saída que eles próprios causaram. Não têm estrelas grandes o suficiente para esgotar os bilhetes da Wrestlemania ou interagir com estrelas da magnitude de The Rock e Rousey, mas também desperdiçam todas as oportunidades que têm para as criar.

Triple H e Stephanie apenas são a solução, porque também são o problema. Sempre foram um problema. A execução nunca foi boa. No entanto, as consequências só estão à vista quando se começa a olhar para os estádios da Wrestlemania e se começa a pensar em forma dos encher. É aí que é mais fácil usar as estrelas que outros promoveram. É aí que é mais fácil usar quatro part-timers em apenas três dos combates principais.

É por isso que fãs mais velhos olham para as estrelas de hoje e se riem, porque não vêem estrelas a sério. Pelo menos, não vêem estrelas do calibre de The Rock, Steve Austin, Undertaker e tantos outros. Não tem nada a ver com tamanho. Tem a ver com percepção, apresentação e ego. Muito ego.

Desejo uma excelente semana a todos e até à próxima edição!

Sobre o Autor

- Administradora. Publico parte das notícias, faço a gestão da League, dos Passatempos e ainda sou escritora do artigo “Opinião Feminina”.

57 Comentários

  1. Seth Rollins. - há 2 anos

    “Depois de todos os danos que a Autoridade tinha causado ao longo de vários anos, tinha que ser alguém no roster actual a livrar-se deles. Não Brock Lesnar, Undertaker ou Sting. Alguém que vai cá estar nos próximos anos.”

    Estou de acordo e continuo a achar que é o Seth Rollins que vai acabar com a Autoridade fingindo estando do lado deles e depois dizer que os “usou” para chegar ao Main Event, ao título e ser campeão e o futuro da empresa.

    • SergioR - há 2 anos

      Também concordo com a tua hipótese. A única dúvida seria a abordagem: seria com Rollins heel, ou fazer um face turn e combater com a Autoridade sendo um face? Já que a Autoridade é um grupo 100% heel assim que passam da cortina para o ringue, eu acharia que seria melhor fazer Rollins um Tweener quase, com o apoio do público porque vai acabar com a Autoridade, mas ainda com aquele ego de que ele é de facto o futuro, apenas sem os seguranças, o que também ajudaria o face turn do Rollins aos poucos. Podiam fazer esta história de que o Rollins estava a tentar ficar no topo, e como ele odiava a Autoridade e estar com eles, e com os seus egos enormes (também mostrando ironia, pois ele em história tem um ego do tamanho da Terra), e depois dizer que está farto de ser comandado pela Autoridade, e que agora que já tem o titulo pode continuar por si próprio, depois o Rollins combatia com algum do NXT que podia ser chamado ao roster principal (provavelmante o Owens) no Money in the Bank, o Rollins ganhava a Owens, mas fazia com que este ficasse over como um monstr. Depois passava ao Summerslam e Triple H que ainda tem poder queria um comabate com Rollins, mas Rollins exige a estipulação que se Triple H perder, este terá de acabar com a Autoridade para sempre, sem nenhuma possibilidade de voltarem, como aconteceu com o Cena, para não deixar pontas soltas (já que ele é o Arquiteto). Triple H aceitava, e havia um combate No Holds Barred no Summerslam. No Summerslam, havia um combate em que os membros da Autoridade aparecessem para ajudar Triple H, mas o Seth eliminava-os aos poucos, fazendo com que o Rollins ganhasse face heat, por estar em desvantagem mas conseguir estar a ganhar. Passado um comabte longo e cansativo, Seth Rollins ganhava com um martelo na cara do Triple H, para o provocar, seguido de um Curb Stomp, e acabava assim a Autoridade (Triple H podia continuar a aparecer e Stephanie também, mas não como as figuras de Autoridade que destruiam tudo e todos, mais para um combate de vez em quando, por exemplo na WM 32, já que ambos HHH e Stephanie tem assuntos inacabados). Depois podia ser Rollins contra Brock, e Ambrose, que tinha ganho a mala do MITB á dois meses atrás, fazia o cash-in no meio do combate, tal como Rollins fez, e obtia a vitória no Rollins, ganhando Ambrose o titulo, fazendo Brock parecer forte, já que nunca sofreu um pin desde que chegou, e fazendo também Rollins parecer forte, já que teve um reinado bom (esperemos que seja bom) e relativamente longo, além de ter acabado com a Autoridade, e ainda ter aguentado Brock Lesnar durante um bocado, tendo perdido por o cash-in de um homem ainda fresco no combate. Começava também assim o hype para o Triple Threat dos Shield na WM 32. Seria assim que eu faria. :)

      • LCS - há 2 anos

        “fazendo Brock parecer forte, já que nunca sofreu um pin desde que chegou”

        brock lesnar perdeu pro cena no extreme rules em 2012 e pro HHH na wrestlemania 29

      • SergioR - há 2 anos

        Estou a falar quando ele voltou para o Summerslam contra o Punk e depois vencer o Undertaker na Wrestlemania, mais precisamente o último, aí é que ele ficou a besta que se safa de 5 finishers sem problema e que nunca perdeu pon pin ou desistência. Peço desculpa se não esclareci, e também de algumas falhas na escrita do texto, estava a escrever à pressa, e também não dá para editar o comentário, seria umas das coisas que eu pediria para mudar neste sistema de comentários.

      • LCS - há 2 anos

        sem problemas :)

        e desde a derrota pro HHH nessa wrestlemania o lesnar está mesmo imparável :D

      • Anónimo - há 2 anos

        Dean ambose ao estilo”stone cold steve austin” seria excelente para acabar com a autoridade.

  2. reigns one versus all - há 2 anos

    Excelente artigo,Salgado.
    Concordo com o que escreveste,para mim a autoridade já está um bocado ultrapassada,não tem sentido e o melhor a fazer seria o fim da autoridade,porque já começa a ser secante e ver sempre a mesma coisa.
    Quanto à questao dos part-timers virem para confrontar a autoridade, só mostra que o roster é tao desvalorizado que tem de vir gente sem contrato com a WWE para os confrontar.
    O combate com o sting também acho que foi uma questao WWE vs WCW que já não é necessário, é só para a WWE mostrar que é melhor.

  3. wwe - há 2 anos

    discordo de algumas opiniões o triple h na wm 30 foi humilhado na derrota pelo bryan e mais tarde no main event,depois levou 2 derrotas contra os shield, nesta wm foi o melhor vencer o sting, que ao contrario dos shield e do bryan não´é preciso polo over, e ainda nessa wm foi humilhado pelo rock e rounda, por isso acho que o ego do triple h, não é assim o que se fala

    • Inzayn - há 2 anos

      o HHH vs Bryan nao foi humilhação. Foi um grande combate onde ganhou Bryan desta vez. humilhaçao é Ronda virar HHH como se n fosse nada…

    • Tunes9 - há 2 anos

      Nisso concordo, o facto de perder com o DBryan não é uma humilhação mas se tivermos em conta que a Autority lhe chamou B+ Player e o rebaixou, também que o HHH garantiu que o ia vencer e depois perdeu com uma joelhada, acaba por ser um pouco, depois perdeu duas vezes com os The Shield e nesta Wrestlemania foi humilhado no segmento com The Rock e Ronda, no combate com o Sting venceu mas não saiu uma única vez por cima na construção da feud nas semanas anteriores.

      O HHH tem um enorme EGO, sim, no entanto há algum exagero em alguns momentos e faz muitas coisas positivas pela empresa e também se sacrifica várias vezes.

  4. wwe - há 2 anos

    e quando estava prestes a apresentar-se uma nova grande estrela(roman reigns), o publico recusou totalmente

    • pf - há 2 anos

      O público recusou Roman Reigns pelo simples facto da wwe (vince) ter “vomitado” promos atrás de promos para que este ganha-se na Wrestlemania contra Brock Lesnar. Como é dos poucos novos talentos que é um big man, e como todos sabem, o vince quando vê alguém da mesma envergadura que Reigns ou maior ainda vê dinheiro que pode ser feito, ele tentou empurrálo para o titulo à força toda em vez de o deixar trabalhar a sua personagem. E depois, vindo da familia de The Rock, e depois de terem feito este intervir na Royal Rumble para que Reigns ganha-se no final, ficou mais que visto que a wwe estava de facto a tirar todo este talento de Reigns e a apoiar-se em questões secundárias. E nem vou falar nas promos que os writters escreveram para Reigns pois estas só fizeram com que este fosse visto como alguém que só tem físico e sem skill nenhuma ao microfone. Neste ponto, Paul Heyman em 10 minutos conseguiu dar mais relevância e importância a Reigns que qualquer idiota que manda naquilo tudo.
      Quando Brock Lesnar derrotou Undertaker na wrestlemania o público também ficou com a ideia de que agora ninguém consegue derrotá-lo em combate individual. E sejamos sinceros, com toda a intensidade que este tem demonstrado, e que a wwe lhe deu, contra estrelas do calibre de Cena e Undertaker, não vejo ninguém a ser capaz de o arrumar. Mas já está mais que visto que mais uma vez a wwe está a rebaixálo quando Stephanie o “suspendeu” indefinitivamente no Raw depois da wrestlemania e depois ter dito nos bastidores a Renee “I own that son of a bitch”. Mais uma vez, a Autoridade é que é estrela e manda em tudo e todos.
      E durante este ano vai ser mais do mesmo.

      • SergioR - há 2 anos

        Concordo com toda a conversa sobre o Reigns. Acerca do Brock Lesnar, a Autoridade são heels , por isso é óbvio que iam dizer algo do género, mas também acho que a Autoridade devia acabar, pois já está a ficar fora do controlo a quantidade de poder que eles mostram que têm em história na TV, chegou a um ponto que eles já são os donos daquilo (apesar de serem na realidade, junto com o Vince, que continua a ter a maior parte da empresa) e se quiserem despedem tudo e todos e o único combate existente é Triple H vs Triple H pelo WWE WHC. Eu sugiro, já que todos os faces possíveis e imaginários não conseguiram acabar com a Autoridade, que tal terem alguém de dentro acabar com a Autoridade, alguém chamado Seth Rollins. Se quiseres saber como eu o faria, vê o meu comentário logo no topo dos comentários, com o mesmo username, no meu comentário também digo como se podia começar a fazer a feud dos Shield para a WM 32.

  5. MicaelDuarte - há 2 anos

    Excelente artigo, Salgado.

    Concordo com tudo o que escreveste.

  6. Jonh #1 - há 2 anos

    Parabéns Salgado excelente artigo e otimo tema.
    Sem duvida que a Autoridade tem “impedindo” alguns talentos de se mostrar, pois a WWE gosta de se focar sempre no mesmo e acho que deveria apostar noutros talentos que possam vir a fazer melhores promos que a própria Autoridade, ate porque o main-event da RAW ou Smackdown acaba sempre por dar ao mesmo, ou seja tag teams sempre com os mesmos superstars, singles matches que acaba em descalificação ou seja esta sempre em torno do mesmo.
    Não vou dizer que a Steph o Triple não têm capacidade suficiente para conduzir um show , porque estaria a mentir simplesmente poderiam elevar alguns talentos que se podessem tornar num futuro The Rock ou Steve Austin. A realidade é que os fans acabam por se cansar de ver os shows da RAW e Smackdown, e acabam por se dedicar ao NXT e até mesmo TNA.

  7. wwe - há 2 anos

    agora dizeste tudo, eu acho que a tna nunca esteve tao perto da wwe, não por a tna ser um super show e ter grandes melhoras, mas a wwe piorou tanto e os shows costumam ser tao fracos

  8. Miguel Carlos - há 2 anos

    Que artigo fantástico!!

  9. *best in the world* - há 2 anos

    Discordo quando disses que é culpa do vince. Estás enganada. O vince está sempre a encontrar maneira de melhorar o talento do roster da wwe, o triple h acha que já tem o suficiente, não é por acaso que quando o vince estava no comando, houve eras espetaculares e inesquecíveis, estamos na pg era, era de Triple H, era de mer..
    Há ideias em que concordo mais com trile h do que com vince, mas ainda assim prefiria ver o vince no comando total.

    • Tunes9 - há 2 anos

      Ahahah, não sei se sabes mas o HHH criou a NXT como ela é hoje e está sempre a contratar novos talentos para lá e se eles sobem e têm algum destaque deve-se a ele.
      Já o Vince quer trazer The Rocks, etc, até queria trazer o Kurt Angle e o HHH é que foi contra, é mesmo isso…

      • *best in the world* - há 2 anos

        Ok, Kurt Angle era má ideia sim, mas vais dizer que Jeff Hardy era ma ideia?

      • *best in the world* - há 2 anos

        E para que saibas não falei de NXT, não quero saber disso para nada

      • Tunes9 - há 2 anos

        Jeff Hardy está na TNA e renovou há pouco, não é culpa do HHH.

        Quando li que não queres saber da NXT, nem tenho mais nada a dizer, tu é que perdes.

      • Stone Cold - há 2 anos

        Concordo que HHH tem feito muitas coisas positivas pela wwe nos ultimos anos mas o que Vince fez continua a ser inigualavel ele simplesmente estava no comando nas maiores eras da historia da wwe onde grandes nomes surgiram e moveram multidões no mundo inteiro. Basta olhares para as arenas de agora e percebes a diferença no tipo de publico que frequenta os shows actualmente e aquele que marcava presença para ver o Austin e o Rock.

        Não percebo qual é o problema de trazer o Kurt Angle e o The Rock, até o Goldberg, Austin são todos bem-vindos. Já imaginas-te o pop que ía ser? E a quantidade de fãs da melhor era da historia que voltariam em massa para ver o produto? Seria absolutamente fantastico e claro se as coisas forem bem feitas com eles não há necessidade de os novos talentos sairem prejudicados. A wwe dessa forma pode construir o futuro por um lado sem dar todo o destaque às lendas e por outro dar uma alegria aos fãs mais old school que querem rever os idolos que marcaram a sua geração. Ambas me parecem opções extremamente validas. Daí que nao entendi essa afirmação depreciativa relativamente ao Angle e ao Rock pois pelo que sei todo o universo do wrestling os adora, tal como adora o Brock. Se so podem vir às vezes? Isso é o que os torna ainda mais especiais e enquanto puderem oferecer bom espectaculo nao vejo porque nao os contactar. Ou só o HHH é que tem direito a aparecer?

      • Tunes9 - há 2 anos

        Eu também gosto do The Rock, Angle e afins, em especial o HHH (como fã dele), no entanto o tempo deles já passou e estamos numa nova Era e o Vince foi um génio mas o seu ciclo está a acabar, há fases e fases, não faz sentido trazer part-timers para ocupar o espaço dos jovens talentos que no futuro vão ser o “ganha-pão” da empresa.

        PS: não é só o HHH que tem direito de aparecer, aliás, no meu comentário concordo com o artigo e disse que esta história da Autoridade já se estendeu demasiado.

    • Inzayn - há 2 anos

      Se fosse por Vince nao Haveria Bryans ou CM Punks… Terias Cenas e Rybacks… NXT é de HHH, Vince ja disse que nem vê NXT… Na PG era os fâs privilegiam o talento em vez de super-homens com pouco talento no ringue como foi Hogan..
      Se tivessemos Vince no comando total seria um desastre, ou n te lembras dos famosos discursos de Reigns?!?

      • Stone Cold - há 2 anos

        Inzayn só tenho isto a dizer:

        crowds da epoca do vince: atmosferas incriveis, bons velhos tempos, gente com mais de dez anos por todos os lados e real apoio, real entusiasmo, real interesse pelo wrestling, emoção…

        crowds da era HHH: crianças, mulheres, uma pequena percentagem dos fãs mencionados na crowd de vince, ambientes fracos, pouco apoio, entusiasmo e emoção.

        Vocês criticam muito o Vince mas sem ele nunca teriam tido Rock, Austin, HHH, HBK, Y2J, Angle, Edge, Eddie, Goldberg, Brock…

      • Tunes9 - há 2 anos

        Stone Cold, isso para mim é uma desculpa esfarrapada, eu não sou uma criança nem uma mulher, vejo WWE desde 2004 e continuo a ver com a mesma paixão e a focar-me e apoiar os lutadores actuais porque sei que esta é a nova geração e o tempo dos outros já passou, temos que seguir em frente.

  10. TrevorTheNightmare - há 2 anos

    Para mim a Autoridade nao passa de um “ripoff” da antiga Corporation do Mr. McMahon na attitude era. E acho que a forma de se levar a historia a bom porto tem que haver uma superstar de dentro a acabar com isto. Na minha opiniao nao seria Seth Rollins… Acho que o facto desta acabar para o campeao da WWE seria um tiro nos pes em termos de Storyline (um tipo que tem sido denominado de tao inteligente nunca iria sair da Autoridade com o titulo, a menos que este o perca, e se perder tem de ser para o Reigns e o que eu defendo). Quem poderia acabar com a Autoridade seriam os gigantes, Kane ou o Big Show. sim os velhotes.

    O Big Show com esta vitória na battle royal ganha um novo ânimo em termos de storyline, e para os mais jovens ganha outro tipo de poder (afinal, nao e só um chorão que perdeu titulo mundial para o D.Bryan, ainda e aquela máquina que foi poder de fogo na NWO e esmagou muitos na WWE). E com outros ânimos ele poderia trair a Autoridade a começar pelo Rollins porque já estaria farto das atitudes e de ser deixado para trás.

    Com Kane, o cenário nao seria diferente. A gimmick dele foi completamente ridicularizada. O “big red monster” que eu conheço tornou-se no “big tied jobber”… E Kame ja demonstrou (na storyline) fadiga, e cansaço do cargo, e ja fez algumas caras feias ate lol. Na minha opinião, esta seria a primeira carta a ser lançada. Kane a virar-se contra a Autoridade e a destrui-los.

    Estamos numa era em que o heel pode ser mais aplaudido que o face( como foi na wm31). Acho que esta na altura de isso terminar. E com isto quero dizer que a Autoridade tem de acabar, e alguém que se vire contra ela de forma seria e elaborada.

  11. Tunes9 - há 2 anos

    Excelente artigo como costume, um tema muito bem escolhido e analisado, perfect.

    Concordo que a Autoridade já está há demasiado tempo com protagonismo, acho que devia ter acabado quando perderam no Survivor Series.

    Quanto à Ronda Rousey, duvido que o Dana White a deixe lutar na Wrestlemania, só acontecerá se a WWE assumir os riscos de uma eventual lesão e pagar bem, muito bem, além disso tem que garantir que a Ronda vence e portanto será um resultado previsível e não sei se será um combate de qualidade, no entanto a correr tudo bem a WWE vai lucrar muito a nível financeiro, depois será um combate aguardado devido aos intervenientes.

    A Autoridade esteve demasiado tempo no poder e “queimou” talentos e impediu outros tantos de ascender ao topo que agora não têm estrelas no roster para enfrentar The Rock e Ronda, 100% de acordo, agora querem encher a arena mas não vai ser com os lutadores do roster actual que vão conseguir esse feito, daí estarem a pensar fazer vários combates com part-timers, até podem conseguir encher o estádio e lucrar bastante mas depois em nada vai beneficiar os talentos e o resto do ano da companhia e é só estúpido, os part-timers vão à vida deles e os talentos ficam ali à deriva, enfim.

    Eu ainda acredito que o Rollins vai fazer o faceturn e acabar com a Autoridade, não é para já mas acredito que vai acontecer e assim espero.

    Bom trabalho Salgado. :-)

    • *best in the world* - há 2 anos

      Não faria sentido nenhum Rollins acabar com a autoridade

      • Tunes9 - há 2 anos

        Estás no teu direito de discordar mas não afirmes porque não tens o dom da razão, no meu ponto de vista até faz sentido e gostava que acontecesse, vale o que vale.

      • *best in the world* - há 2 anos

        Eu só acho que Seth Rollins não condizia como face, é um bom heel e deve permanecer assim mesmo quando a autoridade acabar.

  12. Awesome_Mark - há 2 anos

    Digamos que ver-te falar sobre este tema não é de todo inédito mas valeu a pena pois consegues sempre trazer elementos novos e a tua escrita é simplesmente sublime.

    No roster feminino tanto a Paige como a AJ se tivessem tido uma apresentação mais consistente ao longo do tempo certamente não ficariam a dever nada à Ronda.Enquanto que em termos masculinos nem é preciso falar pois é sabido que a qualidade abunda e tudo depende da forma como é feito o investimento nesse talento.Mas quem não não soube criar cães tem que caçar com gatos para num BIG 4 qualquer não ver os números abaixos daquilo que se espera.Ah,e não gostei de ver mais um longo segmento em plena Wrestlemania roubando minutos preciosos a vários outros combates.

    Quanto à Autoridade,a história está tão banalizada que nem sequer existe aquele sentimento de revolta quando operam o mal nem ansiedade com que a organização finalmente termine.Não sei quando nem quem será o maior responsável pelo seu fim,se é que isso estará nos planos da WWE.Afinal,esta não deixa de ser uma desculpa perfeita para aparecerem regularmente na TV e alimentarem os seus egos além-escritório.

    Fica bem e continua o excelente trabalho!)

  13. Hulkmania - há 2 anos

    Nunca fui fã do Sting, mais confesso que a coisa mais legal que se passou na wwe e que salvava o Raw toda vez que aparecia era ele STING,o diferente,saia daquela mesmisse de sempre.Triple H so está na wwe porque é casado com a Stheph, porque se não essa hora ele seria o adversário de Kurt Angle na TNA pelo título.
    Uma burrada imensa o fazer perder, e me tornei Grande fã deste home, que com 56 anos nos deu um grande combate. Oque os New Day, Curtis Axel, e tantos outros caras que já estou esgotado de ver num ringue da wwe

  14. Sam - há 2 anos

    Excelente artigo.
    A Autoridade já deveria ter desaparecido e do modo como foi apresentada e esta a ser, deve demorar muito para cair visivelmente. A ideia do comandante ser mais importante do que o produto só pode gerar danos. Nas últimas semanas eles vem dando pistas que A Autoridade pode começar o seu declínio, meia hora depois esse rumor é desfeito pelos mesmos insatisfeitos.
    A Autoridade vai demorar pelo menos até 2016/17 pra cair e se isso se confirmar o produto WWE vai estagnar ainda mais.
    Todos nós sabemos da Autoridade e seu poder onisciente dentro da WWE, porém eles querem esbofetear nossa visão toda Raw, Smackdown, tanto faz, que eles mandam, destroem, são os reis. A saturação contínua dessa stable chegou em níveis insuportáveis, doses cavalares de lixo sem conteúdo, toda semana. Os danos dessa stable vão demorar a desaparecer e os seus representantes máximos atuais, findado A Autoridade, devem passar longos períodos pelo menos a Stephanne longe da tv visivelmete.
    A morte visível da Autoridade deve se dar por elementos dentro da WWE, The Rock ou Ronda só iram reforçar a ideia de onipotência dessa stable, podem ajudar mas não devem ser a forçam de resistência e assalto contra a facção.
    Possíveis possibilidades para a bancarrota da Autoridade:
    1- Morrer por suas próprias, seus peões principais Kane e Seth Rollins abandonam a facção, se viram contra ela e a derrubam.
    2- John Cena, Daniel Bryan, Roman Reigns e mais outros que sofreram diretamente nas mãos da facção de unem para destruí-la definitivamente,por meio de um contrato e fazem a luta contra A Autoridade(de novo), destruindo-a visivelmente.
    3- Sami Zayn lidera um movimento a favor dos jovens talentos contra essa barreira a frente.
    4- Lutadores para de lutar nos programas principais e exigem o fim da Autoridade por meio de contrato para retornar as suas atividades.
    Tem de ser um baque forte e humilhante. É uma facção banalizada porém desnecessária, enjoada, ridícula, seu poder formal não existe depende de capangas que acabaram por se voltarem contra ela. Enfim Autoridade sucks.

    • Pirkito - há 2 anos

      destas que citou só a 1 e 2 opção são viaveis confesso que ri quando li a opção 3 xD

      • Sam - há 2 anos

        A terceira parece mais absurda e menos viável; Zayn ainda está no NXT e a feud com o Owens está longe de acabar. Não será ele a acabar com A Autoridade.
        As três outras são mais prováveis.

  15. KO - há 2 anos

    Muito bom artigo, e concordo com tudo que dissestes.

    Realmente essa “Corporation 2.0” está desgastada. Desde o SummerSlam 2013, as mesmas histórias, mudando apenas os personagens envolvidos. Lutas repetitivas, e com o mesmo final. As mesmas promos, e segmentos que não levam para lugar nenhum. Enfim, estão alongando de mais a estadia da Authority no produto.

    O envolvimento do The Rock e da Ronda Rousey com o Triple H e a Stephanie McMahon ocorreu para ser machete de sites, de como a lutadora do UFC e o ator conseguiram sair por cima do casal comandante. É compreensível, mas aí vem a história, de que assim a WWE deixa claro tanto para os acompanhantes do produto, quando aos casuais, de que a empresa tem um comando, e que todos os superstars estão limitados a ele. É curioso destacar, que o envolvimento do Rollins com o Jon Stewart foi positivo, principalmente pela maneira como foi bookado, e por ter sido uma jovem estrela da WWE a ter interação com uma celebridade.

    A questão do ego, é difícil se pronunciar a respeito. A saída do Punk da empresa, da maneira como saiu, penso que influência em alto grau nas promos da Authority, frisando repetidas vezes, uma coisa que todos sabem, que os superstars pertencem a eles. Manter a stable, foi por falta de outro nome para marcar os combates, e ter um comando na Road to Wrestlemania. A vitória do HHH contra o Sting, foi realmente ego. Mostrar que quando confrontas WWE contra WCW, a primeira sempre vence. Penso que a WWE não arranjou um desfecho para este (aparente) infinito angle da autoridade. Não sabem o cara que querem que o faça. E assim, tentam vários e todos acabam saindo por baixo, por terem falhado. Daniel Bryan, Cena, Ziggler, Ambrose, Reigns, Ryback, Rowan, Sting, todos passaram a imagem de bobos. Todos falharam. Além daqueles segmentos que o roster inteiro se concentra para ouvir a autoridade falar. Tudo isso descredibiliza todo mundo. Enquanto que há 17 anos atrás, o principal rival do comando, ia com armas para a arena, hoje vemos?…Lutas contra dois “monstros” que só acabam em DQ.

    Para mim os nomes mais sensatos para aniquilar com a stable, é o Roman Reigns, Dean Ambrose ou Bray Wyatt (nesse caso, o HHH fazia o turn). Porém quando começarem a construir isso, que o façam com segmentos inusitados, com o babyface tendo a tão aclamada ATITUDE semelhante ao Austin em 98. A Autoridade é odiada por ser enjoativa, o superstar que acabar com ela, automaticamente se tornará na face da WWE, a storline é longa, mas a pessoa que conseguir acabar com ela, se tornará numa garantida estrela.

  16. Sorlei Rui Oltramari - há 2 anos

    Realmente, a Authority está mesmo funcionando como âncora para a qualidade dos shows. O conceito é excelente, mas a execução é bastante má, além de ter feito um ótimo main event no Survivor Series não ter valido nada, visto que menos de um mês depois já estavam de volta. A Authority poderia continuar no modelo que estão atualmente, sem a parte deles dois rebaixando o roster inteiro e colocando todos para baixo e nem com promos chatíssimas nos programas semanais. Por mais que a mic skill de Hunter e Stephanie seja excelente, acaba enjoando vê-los toda santa noite exclamando que são os donos de tudo.

    Ao fazer isso, a WWE está cavando sua própria cova, já que com o roster desvalorizado, é necessário virem Rocks, Rondas e Stings para tentarem derrotá-los. Nessa hora, sente-se a falta de um superstar com construção credível e constante proteção (assim como está ocorrendo com Rollins, que, aliás, foi a melhor coisa que a Authority trouxe). Vejo pouquíssimos com credibilidade suficiente pra derrubá-los, o que é uma pena, visto que ser o responsável pela queda de dois tiranos do poder seria um belo push para quem o fizesse.

    Mas, algo que discordo e vejo de forma recorrente nos comentários e em todo o lugar é o ódio e desprezo pelo Triple H. Ele foi a mente por trás do NXT, nos deu rivalidades memoráveis contra os mais variados nomes, fez parte de uma das melhores stables de sempre (DX), era favorável a ascensão de Bryan ao main event (não enganem-se com a storyline) e tem uma visão inovadora do negócio, assim como Stephanie. Era mais do que natural que ele vencesse nessa Mania, não só pela questão WWE vs WCW (que a WWE não perde a oportunidade de jogar na cara de todos que venceu essa guerra), mas porque era necessário manter sua posição de líder da empresa que só luta quando é necessário e quando o faz, vence.

    Quanto ao artigo, mais um excelente trabalho e uma escrita sublime. Continue o ótimo trabalho, Salgado.

    • Tunes9 - há 2 anos

      Subscrevo o teu penúltimo paragrafo sobre o HHH.

      • Sorlei Rui Oltramari - há 2 anos

        Pois é Tunes9!

        O pessoal fica dizendo que o Triple H é o que é hoje só porque se casou com a Stephanie e que se não fosse por isso já estaria demitido e tal. Mas são essas mesmas pessoas que esquecem o fato de o HHH ter marcado época pelos seus excelentes combates e ótimas feuds, além de, como eu ter falado, ser o criador da maravilha que chamamos de NXT.

        Eu, assim como provavelmente você, não dou a mínima para o que falam do Hunter. Ele é uma lenda, um ícone e já escreveu seu nome na história. Óbvio que ele tem os seus defeitos, mas não é motivo para crucificá-lo

        Há a questão do ego do HHH, mas quem fala de ego esquece que temos o Hogan que já enterrou ou tentou enterrar diversos wrestlers apenas por achar ser a única pessoa over nos eventos em que aparece. Todo o respeito ao homem e ao seu legado, mas com essas atitudes não tem como ter respeito por ele como pessoa.

  17. Dr. MAnia - há 2 anos

    Grande artigo, concordo ctg em TUDO.
    Rousey se lutar contra Stephanie, Stephanie deve ganar so para mostrar que a WWE é superior á UFC.

  18. Triple H - há 2 anos

    Náo sei pq falam mal do Triple H ele só segue o bookin da WWE e se você for fá mesmo da WWE deve lembrar das lutas historicas dele e todas primos e as vezes que ele foi campeao

  19. danielLP21 - há 2 anos

    Muito bom.

  20. João Paulo - há 2 anos

    Excelente artigo

  21. Stone Cold - há 2 anos

    Eu concordo com quase tudo aquilo que foi referido. De facto e como já referi algumas vezes esta história da autoridade tinha tudo para ser um sucesso enorme e um grande grupo heel que ficaria na historia não só pelos envolvidos mas por todo o que andou à volta do seu aparecimento. Se tudo tivesse sido conduzido como deveria sem duvidas que isso era o que deveria ter acontecido. No entanto falharam redondamente em tudo aquilo que não podiam falhar. Não sei se é mesmo por esse ego de que falas ou se é por nao existir qualquer confiança no roster actual para algo mais mas o que é certo é que com promos enormes, repetitivas e sem conteudo, com infinitos combates a terminar por desqualificação e com decisões pessimas que o percurso da autoridade se tem efectuado no historial do wrestling. Na verdade quando comecei a acompanhar toda esta historia fiquei empolgado ao perceber que finalmente o HHH voltava a ser o brilhante heel que fora e como patrão e aguardava ansiosamente pelo novo Stone Cold que o pusesse no seu lugar, aguardava por grandes historias, por criação de estrelas e acima de tudo por grandes shows como nos bons velhos tempos. Infelizmente não foi nada disso que encontrei. Apenas monotonia, pouca imaginação, segmentos e combates sem qualquer interessa e acima de tudo incoerência quer seja como tratam a suposta face da companhia quer como conseguem descredibilizar toda a gente tendo exatamente o efeito contrario daquele que esperava. Foi por isso que de um momento para o outro e apos aquele heel turn do Orton que prometia tanto na altura que rapidamente mudei de opinião e comecei a desejar o fim da autoridade. Porque me desiludiu. E pior que isso criou-me as expectativas enormes antes de o fazer tão grandes que ainda hoje não conseguiram aceitar os erros que os condenaram ao fracasso por assim dizer. E sem duvida que actualmente um dos meus grandes desejos para o futuro é o seu fim seja de que maneira for já nem quero saber que seja na wrestlemania ou no summerslam ou quem o faça só quero que isto acaba e que os shows voltem a ter a ilusão que tinham antes de este grupo ter surgido. E outra coisa. Quando de facto isso acontecer que seja de vez e não para voltarem passados poucos meses. Efectivamente nao me pareceu que a forma como tudo acabou no Survivor Series pudesse ser definitiva e por um lado foi positivo que nao o fosse. É claro que dar um privilegio a um novo talento de por fim a este grupo tão odiado é uma ideia tentadora mas e credibilidade para isso? Não existe. E não é de um dia para o outro que ela vai surgir é preciso trabalho e com a autoridade no poder será possivel esse trabalho? Como tenho as minhas duvidas nao descartaria que um grande nome voltasse para o fazer quem não sei mas ideias não me faltam para o efeito porque na wwe neste momento o único nome que vejo com capacidade para os deitar abaixo à excepção de John cena e Randy Orton é Brock Lesnar e sinceramente não acredito que este ultimo va voltar a lutar com HHH sendo que as duas primeiras opções me parecem demasiado obvias e sem grande sentido nesta altura do campeonato por assim dizer. Por isso apontaria mais para o proprio The Rock, um regressado Batista quem sabe para voltar a cair nas boas graças do publico, um Goldberg que tanto se tem falado e claro aquilo que se tem falado ultimamente e que seria epico o retorno do mesmo gajo que começou tudo isto SCSA. Claro que isso nao iria beneficiar o futuro como voces tanto gostam de apoiar nem elevar a credibilidade de um roster destruido mas esta historia já chegou a um ponto que só alguem grande a pode culminar e quem quer que o faça o meu ver tem de ser alguem que o mereça fazer e que tenha carisma e presença para olhar o HHH olhos nos olhos e no roster actual neste momento sem ser o Lesnar por causa do Paul Heyman, o John Cena e o Randy Orton não vejo ninguem com capacidade para o fazer (veria um Dean Ambrose sem duvidas mas a forma como tem sido construido pos-shield nao o favorece!).

    Em relação ao regresso da WCW na wrestlemania nem tinha pensado muito nas coisas por esse prisma mas realmente faz sentido. De facto aquela vitoria carregou um ego exagerado. Não partilho da opinião que não era necessário fazer regressar a WCW porque aquele momento para mim e para muitos fãs foi épico e além disso conseguiu corrigir as lacunas de um combate que não estava a ser sobervo e serviu a meu ver muito bem o seu objectivo. Agora o que acho é que não ficava mal a WCW levar esta pequena vitoria. No entanto a wwe optou por surpreender e de facto conseguiu e no fundo a vitoria do HHH nao foi assim tão surpreendente tendo em conta o desenrolar da feud e as vezes em que saiu por baixo. Se achei bem o resultado? Não nem por isso mas prevendo feud grande para ele o ano que vem acho que nao foi assim tão descabido. O que mancha por completo o combate e a forma como terminou é o cumprimento a meu ver ridiculo para logo depois HHH gozar com o homem que venceu. Achei isso um dos pontos, se não o ponto mais negativo desta wrestlemania. Foi como se a WCW estivesse a reconhecer a superioridade da wwe e isso ficou mal na fotografia.

    Em relação à parte de actualmente os fãs mais velhos nao conseguirem ver estrelas de topo eu vou ter de discordar. Sinceramente e por muito que reconheça o desleixo e a despreocupação da wwe em criar novas estrelas situação visivel na forma como as tem desaproveitado no decurso dos anos (Barrett, Miz, Sheamus, Sandow so alguns exemplos!) não é só isso que impede os fãs old school de serem cativados pelo novo produto. É que por muito bons que estes wrestlers mencionados e tantos outros que tem aparecido possam ser jamais atingiram o patamar de um Undertaker cuja gimmick vai reinar para sempre no historial da companhia muito menos daqueles que para mim são de forma incontestavel e justissima os dois maiores icones da historia do wrestling, falo claro de The Rock e Stone Cold Steve Austin. É que os superstars do roster actual até podem ser carismáticos, serem bons no microfone, terem presença e tudo isso sem duvidas e existem varios com essas condições mas dai a entrarem na liga dessas lendas vai um longo caminho. E por mais que olhe para o roster actual e veja wrestlers com potencial para serem estrelas de topo nem por um instante vejo um nome que possa um dia aproximar-se do que Rock e Austin fizeram pelo wrestling. Infelizmente eles os dois deixaram a fasquia tão elevada que para os fãs que com eles cresceram e conviveram é dificil aceitar algo novo e diferente tal como é dificil entender que nomes como esses surgem de 100 em 100 anos e não todos os anos. Neste momento acho que é mais importante apoiarem os que teem do que lamentarem os tempos que já se foram. Para isso só é necessário que a wwe colabore.

  22. Anónimo - há 2 anos

    Concordo com este artigo.E necessário a criação de novas estrelas,e a autoridade não “tem ajudado” a isso com a exceção de seth Rollins e Daniel Bryan.
    Existem estrelas como Brag Wyatt,dean Ambrose,seth Rollins,que tem td para serem futuras lendas,o problema e que algumas delas são vítimas do mau nofing como por exemplo o Bray wyatt.Se bray wyyatt não vence contra undertaker normal que as pessoas não o levem a sério,porque ele tem te para ser uma grande lenda como undertaker,Áustin,the rock mas sem vitórias é difícil e o mesmo se aplica a Ambrósio.

    • Anónimo - há 2 anos

      Booking*

    • Anónimo - há 2 anos

      Ambrose*

    • *best in the world* - há 2 anos

      Mesmo que o Wyatt ganhasse contra undertaker não o levaria da mesma a sério, sim, ele é vítima do mau booking, mas é apenas booking, não tem nada a ver com vitórias ou derrotas.

      • Anónimo - há 2 anos

        E as vitórias e derrotas também tem haver com o booking não?!e sim tem haver principalmente com as derrotas e vitórias dele,porque neste momento para as pessoas ele tem apenas “treta” é caso vencesse as pessoas levavam no mais a sério porque ele cumpria o que dizia.Por isso sim tem haver com vitórias e derrotas e uma vitória contra o undertaker relançava o depois de DT o que lhe aconteceu principalmente na véus com jornal cena.

      • Anónimo - há 2 anos

        john cena*

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador