Opinião Feminina #235 – The Ravishing Russian

Como se esperava, no passado WWE Payback, a WWE tomou mais um passo decisivo na separação de Lana e Rusev. A dupla de supostos estrangeiros que tinha passado mais de um ano a aterrorizar e a insultar tudo e todos estava cada vez mais perto de conhecer o seu fim.

Numa manobra previsível, mas designada a proteger Rusev, foi Lana que traduziu a submissão de Rusev e ditou o fim do seu combate com John Cena.

O combate pecou pelos tradicionais problemas que todos os combates de “I Quit” que a WWE tem apresentado nos últimos anos – onde o árbitro salta de lutador em lutador, com o microfone na mão, a perguntar se desistiam, mesmo depois de manobras relativamente simples e triviais – mas foi enaltecido pelas reacções de Rusev e os esforços óbvios que a WWE teve em protegê-lo.

Sim, Rusev supostamente desistiu (se bem que não em Inglês), mas também deixou John Cena inconsciente durante o combate. Tal é um detalhe importante e reconfortante, dadas as dúvidas que existiam sobre o futuro de suposto búlgaro.

A grande incógnita, depois do WWE Payback, não era a reacção que Rusev iria ter às acções de Lana.

Desde que a WWE começou a preparar a separação da dupla a caminho do Fastlane que se sabia que, um dia, as acções de Lana iriam levar Rusev ao limite e este acabaria por se separar dela.

Desde que Lana concedeu o combate a John Cena no Fastlane, contra a vontade de Rusev. Desde que esta prejudicou, sem intenção, Rusev na Wrestlemania. Desde que os fãs começaram a distrair o búlgaro com o seu apoio à sua parceira.

De certa forma, Lana e Rusev transformaram-se noutra versão de The Miz e Damien Sandow, onde as reacções que um dos membros recebe causava a raiva e inveja do outro.

Assim que estes pequenos problemas surgiram que a dinâmica desta parceria mudou significativamente. Já não era Lana a guiar Rusev e a dizer-se lhe quando deveria arrasar (“Crush!”) com alguém. Já não era o seu punho no ar, a sua cara maquiavélica e a sua pose arrogante a ditar o rumo do grupo.

Agora era Rusev a liderar. E, na sua liderança, Lana era repreendida constantemente e algo maltratada. De imediato surgiram as comparações com uma antiga dupla que a WWE apresentou em tempos: Sable e Marc Mero. Pessoalmente, gosto mais da comparação a Randy Savage e Miss Elizabeth. Acho que Lana e Rusev partilham mais da mistura de classe e brutalidade de Savage e Elizabeth, mas é uma questão de opiniões.

As repreensões de que Lana era alvo vinham da sua resposta aos fãs. De repente, a russa que tinha passado um ano a insultar todos os americanos que lhe apareciam à frente estava a agradecer e a celebrar a crescente adoração desses mesmos americanos.

Foi aqui que a WWE cometeu o seu primeiro potencial erro. Digo potencial porque a história ainda não terminou, portanto nenhum erro é definitivo. Seja porque a WWE ainda pode resolver o problema, seja porque tal foi feito de forma intencional e apenas ainda não assistimos a certos desenvolvimentos chave.

Porque é que Lana estava a responder positivamente à adoração americana? Essa pergunta precisa de ser respondida e precisa de ter uma boa resposta.

Foi porque sentia que estava a obter junto dos fãs o reconhecimento que já não encontrava em Rusev?

Foi porque se fartou de ser vaiada e, como tanta gente neste mundo, gosta de se sentir popular?

Ou foi porque se apercebeu que, ao longo do último ano, foi injusta para com todos e finalmente cai em si?

Seja qual for a resposta, esta precisa de ser dada, porque é crucial para justificar uma evolução, algo estranha, da sua personagem.

Num aspecto tenho de dar crédito à WWE. A companhia, ao contrário do que fez noutras ocasiões, nunca tentou forçar a ovação, nunca tentou apressar a adoração dos fãs. Simplesmente esta surgiu naturalmente e, em vez de se meterem no caminho como é hábito, a WWE simplesmente deixou que tudo se desenvolvesse naturalmente.

A razão pela qual a resposta a esta pergunta é importante é o que esta significa para a integridade da personagem. Lana é uma das duas únicas personalidades femininas fortes que a WWE apresentou ao longo do último ano. A outra, como seria de esperar, é Stephanie McMahon.

Lana defendia o que acreditava, fazia-o com credibilidade e coerência. Esta não se deixava intimidar pelas adversidades e, mesmo em território hostil, mantinha as suas crenças. Era vilã, mas era uma vilã forte.

Mudar de atitude repentinamente sem justificação tira-lhe esta coerência. Tira-lhe esta qualidade que tornava uma personalidade feminina forte. Das poucas que a WWE tem. Das poucas que a WWE conseguiu criar.

E, no fundo, foi isso que a tornou popular. Esta não anda a passear em trajes menores. Esta não se tornou popular ao saltar de lutador em lutador. Esta não era desequilibrada, volátil ou oferecida.

Esta era a representante de um lutador, com quem não tinha uma relação amorosa em televisão, que conseguia fazer promos credíveis e mais que aceitáveis (aliás, quando comparadas às promos da maioria das Divas, Lana bem que poderia ser The Rock ao microfone).

Lana era a Diva que todos os fãs vaiavam, mas que fundo respeitavam, porque quando esta falava, ela parecia inteligente e normal. Lana tem classe e atitude. Lana é a Diva que deixa muito mais para a imaginação, embora seja uma das Divas mais bonitas que a WWE já teve. Lana é a Diva que se leva para a casa, para apresentar aos pais, em vez de dar apenas umas voltas no hotel. É por isso que a sua comparação com Miss Elizabeth é mais natural.

Que mulher levavam para apresentar aos vossos pais? A lindíssima e cheia de classe Miss Elizabeth, ou Sable?

É preciso manter isto. Porque se a WWE não o fizer, esta deixa de ser tudo o que referi e passa a ser mais uma de muitas Divas que se tem. Mais uma cuja popularidade, ou falta dela, se baseia na sua aparência.

Esta é a única forma de manter a popularidade dela, depois da separação de Rusev.

AJ Lee tornou-se a Diva mais popular dos últimos anos em 2012 ao estar envolvida com Daniel Bryan, CM Punk, Kane, John Cena e Dolph Ziggler. Esta era protagonista de vários segmentos interessantes, momentos divertidos e outros tantos combates. Mas foi a sua vontade de chegar à WWE, foi a sua história, foram as suas promos e foram os seus combates que a mantiveram popular.

Esta era diferente de todas as outras e ultrapassou todas essas diferenças para ser bem-sucedida. Os fãs respeitaram isso e a sua popularidade manteve-se.

Lana não tem isso. Lana não é diferente. Fisicamente, esta é apenas mais uma Torrie Wilson, Stacy Keibler, Kelly Kelly e companhia limitada. No fim do dia, esta é apenas mais uma que foi contratada porque é linda. O que a destaca de todos estes nomes e da maioria das Divas que estão no roster, é o facto desta ter sido apresentada como personalidade feminina forte e do conseguir defender ao microfone.

O que a destaca das restantes é que Lana consegue interpretar uma personagem de forma natural e convencer os fãs de que é quem diz ser. Algo que Divas da WWE não conseguem fazer, nem quando falam de situações reais e pessoas que lhes são próximas. O facto desta ser mais convincente a fazer uma promo com um sotaque falso, sobre coisas que não são verdade, do que, por exemplo, Brie Bella ou Nikki Bella a falarem da família ou do Título é chocante. Mas uma realidade.

O facto desta não lutar coloca-a numa situação complicada e torna a protecção das outras características ainda mais urgente. Ela não precisa de ser lutadora, mas precisa de continuar a ser aquilo que a tornou popular: uma personagem feminina forte, competente e credível.

É por isso que a evolução desta personagem precisa de ser natural e justificada. Ela não pode simplesmente acordar um dia e decidir que gosta da adoração das pessoas que antigamente insultava.

Mais uma vez, tal ainda pode acontecer, portanto não classifico isto ainda como um erro. A WWE poderá surpreender-nos e dar-nos as respostas que tanto precisamos em breve.

Embora Lana fosse apresentada como esta figura sólida, convincente e credível, o sexismo que existe dentro da WWE nunca deixou de ser óbvio. Como referido em artigos anteriores, a WWE nunca conseguiu resistir a tentar estragar todo o seu bom trabalho.

Isto é feito através John Cena, Chris Jericho e The Rock – claros babyfaces – a insultarem Lana de forma reles e baixa, enquanto apenas pessoas como Zeb Colter respondiam a Lana à altura e de forma inteligente.

Aliás, tal voltou a acontecer bastante recentemente com John Cena a insinuar que Lana conseguiu, junto da Autoridade, mais um combate para Rusev pelo Título de Estados Unidos de forma suspeita. Já para não falar que, em tom de brincadeira, congratulou Rusev pela sua atitude violenta para com Lana.

Isto é um problema. Um problema grave.

Não há mal em ter vilões a fazerem este tipo de insinuações. São vilões, é suposto estarem errados, é suposto serem injustos, é suposto serem insultuosos.

No entanto, quando o maior babyface da companhia, o herói da criançada, o modelo a seguir para todos, faz estas insinuações acerca de alguém, apenas porque esta pessoa é bonita, a mensagem que está a ser transmitida é incrivelmente sexista e errada.

A WWE perde tanto tempo a defender os heróis que a sua companhia tem, para bem do seu departamento de relações públicas, e de como estes influenciam os membros mais novos da audiência e lhes ensinam lições valiosas, no entanto é isto que faz com os seus heróis.

Até aceito que John Cena não defenda Lana, mesmo que esta esteja a ser maltratada por Rusev. Existem vários argumentos que defendem esse ponto de vista. Lana pode abandonar Rusev a qualquer altura e, mesmo assim, escolhe não o fazer. Além disso, esta tem sido tudo menos uma donzela a precisar de ser salva. Todavia, este podia tê-lo feito. Não é John Cena o babyface perfeito? Um homem às direitas, com valores e moral? Porque não defender a pessoa que está a ser maltratada?

Mas que continue a cultivar esta mentalidade, quando na sua posição de herói, deveria fazer exactamente o contrário, é que é inaceitável.

John Cena e a Autoridade rivalizaram meses antes. Rusev esteve na equipa da Autoridade no Survivor Series. É assim tão estranho, tão absurdo, tão incrivelmente inacreditável que a Autoridade não tivesse problemas ou reservas em dar mais um combate a Rusev?

É mesmo necessário implicar que uma mulher bonita só consegue algo de alguém através de métodos ilícitos?

Não estou a sugerir que agora a WWE comece a dar lições de moral a tudo e todos, mas este é o mesmo sexismo que impede que Becky Lynch e Sasha Banks tenham o combate que tiveram no NXT Takeover: Unstoppable numa Wrestlemania. Deixar que esta atitude prevaleça contra a possibilidade de contar histórias de forma lógica e a possibilidade de vermos excelentes lutadoras a terem combates espectaculares deveria ser um crime.

John Cena, Chris Jericho e The Rock nunca deveriam ter feitos insultos a Lana com base na sua aparência física. Não só é errado e vai contra tudo o que a WWE fez com ela, como ensina a outros que fazê-lo está certo.

Mas, como sempre, é a WWE que temos.

Outra questão extremamente crucial, que pode ser um potencial erro, que a WWE precisa de responder é: porquê Ziggler?

Na passada Raw, como todos sabemos, Rusev insultou e mandou Lana embora, mesmo depois desta ter justificado as suas acções. Mais tarde, esta apareceu depois de um combate de Dolph Ziggler e beijou-o. Duas vezes. Irritando bastante Rusev que, como Ziggler esperava, apareceu e atacou-o. Lana, não gostando do tom de Rusev, deu-lhe um estalo e deixou bem clara a sua posição.

Repito, porquê Ziggler? Porque não Cena? Este insultou-a, é certo. Tal não seria o mais ideal, por causa disso, é certo. Mas, ao menos, Cena tinha rivalizado com Rusev. Cena era o campeão de Estados Unidos, o responsável pelo fim do reinado de dominância de Rusev. Cena era o nome que fazia mais sentido. Se o objectivo era irritar Rusev – recuso-me a usar a carta dos ciúmes, porque Rusev e Lana nunca foram um casal em televisão – então porque não usar Cena?

Acho que a resposta da WWE a esta minha pergunta passa pelos seguintes pontos. Primeiro, Rusev e Cena terminaram de vez a sua história (embora não exista justificação plausível para Rusev não aparecer nos Desafios Abertos que John Cena realiza todas as semanas). Segundo, a WWE não gosta de colocar John Cena em relações amorosas em televisão com medo de alienar a audiência feminina de Cena.

É certo que este está numa relação bastante assumida com Nikki Bella, mas o Total Divas tem uma audiência muito menor que a Raw, e a mesma nunca foi reconhecida na Raw. Além disso, foi pela mesma razão que as relações com Eve e AJ Lee nunca duraram muito tempo.

Estas são as justificações reais. No entanto, não há uma fictícia. Não foi dada, em história, uma justificação. Até ao momento, tanto quanto sabemos, todos os nomes dos lutadores foram colocados num chapéu e o primeiro nome a sair era o felizardo que iriam andar aos beijos com Lana. Até ao momento, é isso que parece ter acontecido. Uma justificação para a escolha de Ziggler não foi dada.

Ainda.

Tal ainda pode acontecer, por isso é que é um potencial erro. É uma questão de esperar para ver.

Depois de responder à pergunta “Porquê Ziggler?”, é preciso justificar também porque é que uma personalidade tão determinada e segura de si se transformou numa adolescente embevecida e apaixonada. Tal como comecei por referir no artigo, isto não são evoluções lógicas para a sua personagem e se não forem justificas, vão prejudicar Lana.

A minha reacção inicial à aliança de Ziggler e Lana foi choque. Esperava tudo, menos uma troca de beijos. Aliás, acho que toda a audiência da Raw estava na mesma situação, pois o choque foi tão grande que, de imediato, pediram mais um beijo. Foi pela mesma razão que, depois do enorme choque, surgiu a ovação quando AJ saltou para cima de Kane lhe deu um beijo.

Foi inesperado e o inesperado suscita sempre uma reacção.

No entanto, essa reacção não é sinónimo de sucesso. Surpreender, porque se pode, sem razão ou plano a longo termo, pode ser prejudicial. Muito prejudicial. Neste caso, as vítimas são Lana e Rusev.

É preciso compreender que Lana e Rusev eram extremamente bem-sucedidos juntos. Tinham química e funcionavam na perfeição. Se a separação não for bem justificada e pensada, a WWE estará a condenar as duas personagens. No passado, existem exemplos de personagens que sobreviveram, mas também existem muitos exemplos de personagens que não sobreviveram.

Um par de exemplos que não sobreviveu é Ricardo Rodriguez e Alberto Del Rio. Juntos, eram brilhantes. O conjunto era dos melhores que se tinha visto nos últimos tempos.

No entanto, a separação deles foi fatal. Para ambos. Aliar Rodriguez a RVD falhou redondamente e pode ser esse o futuro de Lana, agora que anda embevecida por Dolph Ziggler.

Porém, alguns podem defender que Rodriguez estava condenado de qualquer das formas, visto que – como o próprio afirma – este não era popular nos bastidores. Lana, por sua vez, tem sido a protagonista de vários rumores. De acordo com estes, Vince McMahon adora-a e quer fazer dela a cara da Divisão. Portanto, tal poderá dar mais motivação à WWE para a proteger.

Contudo, tal não garante nada a Rusev. Este que, depois da rivalidade com Jack Swagger e depois de ter começado a mostrar emoção, se tornou muito melhor. Aliás, não só se portou lindamente na sua promo com Lana, como a sua reacção à estalada foi dos meus momentos preferidos protagonizados por ele.

Não tenho fé na sobrevivência de Rusev sem Lana. O que é uma pena, porque passei muitos dos últimos meses a gostar dele, mais do que gostei no início.

Também há outra coisa a considerar. É preciso fazer a separação já? Eles já deram tudo o que tinham a dar? Honestamente, acho que não. Acho que podem explorar perfeitamente esta nova dinâmica durante mais uns meses, de forma a aumentar a antecipação dos fãs e a vontade que têm em ver Lana a, finalmente, separar-se dele.

A ideia deles se separarem assim que não conseguem ultrapassar o primeiro obstáculo irrita-me, sinceramente. The Shield não se separaram quando perderam os Tìtulos. Tiveram problemas e discordâncias, mas ultrapassaram-nas. Não digo que Lana e Rusev, o conjunto, consiga ser uma dupla babyface, que foi o caminho que os The Shield seguiram, mas Lana conseguiria consolidar-se mais como babyface se ficasse mais tempo com Rusev.

O que faz de Rusev maior vilão, neste momento? O facto de ser um búlgaro que defende o poder russo, ou o facto de mandar Lana para os bastidores quando os fãs a querem ver?

Juntos, ambos saem mais beneficiados. Lana como babyface e Rusev como vilão.

Ao contrário de alguns fãs que, de imediato, repudiaram a parceria de Lana e Ziggler, ainda não detesto a ideia. Também ainda não adoro. Estou à espera de ver até onde isto vai.

Isso e ainda tenho um bocadinho pequenino de esperança que tudo termine com Lana a prejudicar Ziggler na Elimination Chamber para se voltar a aliar, novamente, a Rusev. Isso iria causar a ira dos fãs e tornar Rusev num vilão ainda maior.

Tal seria o ideal, especialmente porque Ziggler não é um palhaço que vai ser apanhado desprevenido. Os fãs odeiam palhaços que caem por qualquer esparrela. Não é por acaso que Eve ajudou a matar a popularidade de Zack Ryder.

No entanto, Ziggler já reconheceu que sabe o que Lana está a fazer e viu-se, na Raw, que esperava o ataque de Rusev.

Portanto, se no fim de contas, Lana voltasse a aliar-se de Rusev, ninguém sairia prejudicado. Rusev seria o maior vilão de todos, Lana seria odiada por uns tempos até os fãs voltarem a torcer pela sua separação de Rusev, e Ziggler não passaria por parvo. Tínhamos uma nova rivalidade e Rusev acabava por não perder tudo de uma assentada.

Isto exige a paciência da WWE. E embora tenham sido pacientes até agora, pois deixaram que a popularidade de Lana aumentasse naturalmente, nada nos garante que vão continuar a ser.

No que toca aos escolhidos, a paciência não costuma ser abundante. Que o diga Roman Reigns.

Enfim, desejo a todos uma excelente semana e se estiverem interessados em ouvir uma análise ao Payback, Raw e NXT Takeover: Unstoppable, visitem a página de Facebook do Tretas, dizem eles!.

Até à próxima edição!

Sobre o Autor

- Administradora. Publico parte das notícias, faço a gestão da League, dos Passatempos e ainda sou escritora do artigo “Opinião Feminina”.

19 Comentários

  1. MicaelDuarte - há 2 anos

    Excelente artigo.

  2. Dolph Ziggler - há 2 anos

    Ótimo artigo. Também pensei na eventualidade da Lana prejudicar o Ziggler no Elimination Chamber e voltar a aliar-se ao Rusev. Como disseste, tornaria o Rusev num heel ainda maior, a Lana voltava a ser odiada e tínhamos uma feud interessante com o Ziggler durante uns tempos, para ajudar o Rusev a recuperar algum momentum depois da feud com o Cena. Gosto bastante da ideia, mas as chances de isso acontecer não são muito altas, na minha opinião. Mas é esperar para ver!

    • danielLP21 - há 2 anos

      Também pensei nisso ao ver a Lana a juntar-se ao Ziggler. Aliás, foi a primeira coisa em que pensei.

  3. 434 Days - há 2 anos

    Excelente artigo

    A Lana é sem dúvida uma entertainer de grande qualidade e no inicio do percurso com o Rusev tinha o público na sua mão puxando muito pelas reacções destes mesmos. Desde que começou a feud com o Cena ao lado do Rusev, Lana tem vindo mesmo a vir mais para o lado face ,e tal como tu, gostava de uma explicação para a mudança de atitude para com os fãs, mas duvido que a WWE venha a fazer isso. E é muito por causa desta nova aliança com o Ziggler. Pode mesmo vir a ser temporária, mas acredito que não, pois penso que na Chamber o Sheamus ganha o título com o Dolph a ir até ao fim sem traição da Lana. Apesar de tudo também pensei no cenário que descreveste. Quanto ao futuro de Lana gostava de a ver a tornar-se uma espécie de Vickie Guerrero, se calhar face. Ou seja uma personalidade feminina forte que defende as suas convicções e é uma personagem admirada pelos fãs, isto claro se ela não se tornar uma wrestler.

  4. Wrestling Life - há 2 anos

    Artigo Fantástico.

  5. Tunes9 - há 2 anos

    Excelente artigo, cada vez melhores.

    Sinceramente não tenho gostado do rumo que a Lana está a levar, se o objectivo é enganar o Ziggler e a dupla voltar ainda mais forte e odiada, aí faz sentido e só tornará Rusev e Lana mais credíveis e estabilizados, agora se o objectivo é mesmo a separação da Lana com o Rusev e ela andar apaixonada pelo Ziggler e aos beijos, depois do booking da sua personagem desde da NXT é um pouco estúpido e só demonstra o sexismo por parte da WWE e as ideias básicas e sem sentido que costumam ter, até pode prejudicar o Rusev e deixa-lo sem rumo e também por a Lana sem interesse e como mais uma cara bonita, tenho a mesma opinião e posso dizer que não estou a gostar nada, a Lana vinha a destacar-se pelo seu talento, por ser uma mulher forte, segura e destemida, de ideias fixas, de repente é um “pão mandado” do Rusev, fica contente e tímida com os cânticos dos fãs e anda aos beijos com o Ziggler, eu não consigo perceber e é como dizes, neste momento é apenas um potencial erro mas temo que possa vir a ser um erro definitivo e aí pode não haver volta a dar.

    Adorava que tivéssemos um Main-Event ou perto disso numa Wrestlemania com duas “Divas” talentosas a demonstrar todo o seu potencial e com o titulo em disputa a ambas a darem tudo o que tinham para acabarem o combate com ele à cintura, como aconteceu na NXT e era possível se a WWE tivesse outra mentalidade mas as mulheres no Main-Roster são objectos e têm que ter histórias sem sentido

    Por fim, a Lana é mesmo uma Miss Elizabeth e não uma Torrie Wilson, pelo menos era ou vinha a ser e agora tenho receio que comece a soltar-se e a transformar-se em mais uma cara bonita e seria um disparate e um desperdício.

    Bom trabalho Salgado. :-)

    • Tunes9 - há 2 anos

      Acrescento que um heel turn do Ziggler com um push até pode funcionar, aí pode resultar mas tem que ser um push sério.

  6. Reigns one versus all - há 2 anos

    Excelente artigo,Salgado.
    Em geral, concordo com aquilo que disseste.
    Acho que a Lana não se devia ter separado já do rusev,mas se for para prejudicar o ziggler na EC e aliar-se novamente ao rusev.Não acredito que se voltem a juntar pelo menos para já,não faria sentido.
    Eu não seinse a aliança entre ela e o ziggler vai trazer algo de interessante,trará só uma feud entre o ziggler e o rusev,que por acaso gostava de ver.

  7. wwe - há 2 anos

    Eu acho que a lana pode ser a chave do ziggler para o main event, com um heel turn,o ziggler deixava de ser o underdog coitado e passava a ser um convencido, ate um pouco cobarde, á edge quando tava com a lita

    • Pirikito - há 2 anos

      das teorias a sua é mais provavel, tambem acho que ele vai passar a ter mais destaque com ela desde que como heel

  8. dean ambrose - há 2 anos

    Gostaria que ela enganasse o ziggler no elimination chamber e voltasse com o rusev,mas acho que a wwe quer mesmo transformala em uma babyface mas este não e o melhor jeito para fazer isso.

  9. Hater - há 2 anos

    Salgado, desculpe o comentário um pouco fora do artigo, mas o podcast ficava melhor no soundcloud, ou mesmo disponibilizar para download. O outro player não me deixa ouvir inteiro, fica picotanto.

  10. Pirikito - há 2 anos

    fez uma pequena tempestade em copo d’agua, mas tudo bem, o artigo foi muito bem escrito, e as chances dela trair o zigler, acho mais facil o heel turn do cena

  11. danielLP21 - há 2 anos

    A Lana tem uma personalidade muito forte, credível e é uma mulher inteligentíssima. Então se continuar com o Rusev, mesmo sendo babyface, não será sinal de fragilidade? Afinal de contas, não teria coragem para se separar dele e escolheria ser mal tratada.

    • Tunes9 - há 2 anos

      Nisso concordo, o ideal seria isto não passar de um “esquema” e depois a Lana continuar heel e aliada ao Rusev traindo o Ziggler e ajudando o Rusev a vencer.

  12. Stone Cold - há 2 anos

    De fato esta associação de Lana e Dolph Ziggler reuniu grande reprovação da minha parte. Claramente que Ziggler não precisa minimamente de Lana neste momento. Ele melhorou o suficiente para poder prosseguir a sua carreira a solo com as suas proprias promos e embora nao seja genial no capitulo está muito melhor do que há uns anos quando foi preciso recorrer a V.Guerrero entre outros. Contudo e olhando à forma como tudo isto aconteceu não deixa de ser interessante perceber até que ponto a wwe vai estar disposta a dar uma nova oportunidade a Dolph Ziggler. E é aí que acontece aquele segmento na raw que arruina grande parte dessas expetativas. Lana não pode fazer aquilo. Lana não pode beijar Ziggler. Foi claramente uma alusão ao que são as divas do roster principal de hoje em dia e a forma como a wwe trata as mulheres e valoriza aquilo que elas representam para o produto. No fundo reduziram-na à banalidade que caracteriza as restantes do roster e não foi por causa desse genero de banalidades que o publico começou a gostar dela (claro que o seu aspeto fisico invejavel ajudou mas nao foi só isso!). Lana podia perfeitamente aliar-se a Dolph Ziggler mas de uma forma mais séria e nunca com aquele genero de comportamento que mata por completo a personagem que ela desempenhou de forma brilhante durante 1 ano!

    Claro que ainda nada está perdido e que a wwe ainda pode surpreender mas nao é certamente este o caminho que devem seguir se pretendem realmente que Lana seja a cara da divisão feminina.

    Em relação a escolha de Ziggler e como já referi anteriormente causou-me alguma confusão pelos motivos já citados. Realmente foram várias as ideias que me ocorreram para Lana após esta eventual separação e pergunto-me se Cesaro nao teria sido a opção ideal. Não é americano, tem claras debilidades nas promos e Lana complementaria-o tornando-o num potencial wrestler de topo. Teria sem duvidas sido a minha hipotese.

  13. Sorlei Rui Oltramari - há 2 anos

    Ótimo artigo, Salgado!

    A WWE tem uma mina de ouro nas mãos. A Lana é diferente das outras personagens femininas e essa ovação que ela recebe do público é justamente por isso, por fazer um excelente trabalho. Espero que não a desperdicem.

    Quanto ao Rusev, não creio que ele irá muito mais longe. É triste constatar isso, mas após a perda de sua invencibilidade, ou ele vai para o Main Event ou o personagem perde todo seu ímpeto. Conhecendo a WWE, não creio que darão essa oportunidade ao Rusev.

  14. joaopedro - há 2 anos

    Lana escolheu ziggler por causa que cena ja a nikki bela

  15. Brock Lesnar - há 2 anos

    Pá, estou a começar a gostar de seguir esta coluna. Mas não acho que Rusev e Lana tenham muito a ver, com Savage e Elizabeth. São diferentes, bué diferentes mesmo para mim. Mas ya, individualmente, há semelhanças, embora como casal num todo, considero-os mesmo diferentes. Para mim, quase que a única coisa semelhante entre eles é mesmo o facto de tal como Savage e Elizabeth, é que também Rusev e Lana tiveram ( e ainda têm) de ser um casal icónico.

    Só tenho pena, de não terem justificado o porquê deste turn da Lana. Ya, têm sido natural, e percebe-se o porquê de ela se estar a virar contra o Rusev, mas não o porquê de aceitar o público norte-americano. Duvido muito que essa explicação vá acontecer, é algo que temos de aceitar infelizmente, assim como esses comentários sexistas vindos de alguns dos top babyfaces. Voltando à falta de informação no turn da Lana, é o único problema, porque a ideia desta separação até é gira. O Rusev deixa de ser só aquele ” vilão estrageiro” ( que é genérico, e é um pouco gozar com a inteligência do público, como se os USA fossem os salvadores do mundo) e torna-se também aquele homem que abusa da sua mulher, o que é interessante e é uma história com que o público pode-se identificar. Por isso, não quero que a Lana regresse para o Rusev, pelo menos não tão cedo. Até porque o bulgaro não precisa assim tão desesperadamente de Lana para ser manter relevante. É dos melhores powerhouses que apareceram recentemente na E’ e têm um selling bem satisfatório, não sendo só bumps como determinados sujeitos extremamente overrated pela IWC, e agora com esta situação toda gerada pela separação, ele têm um heat fixolas mais que suficiente para se manter relevante durante os próximos tempos.

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador