Existem 2 vagas na Equipa do Wrestling PT para publicar notícias. Candidata-te!

Opinião Feminina #245 – The One With The Cold Fish

A separação de grupos e duplas bem-sucedidas é, como tudo no Wrestling, um tópico bastante subjectivo. Encontrar o momento ideal para o fazer é extremamente complicado. Na esmagadora maioria das vezes, a dúvida irá sempre persistir. Terá sido cedo demais? Demasiado tarde? Fez sentido?

Lana e Rusev, como qualquer parceria que se preze, não são diferentes e são, também, alvo de todas estas questões.

Da última vez que discuti este tópico neste espaço, coloquei outras questões que considerava serem cruciais para o desenvolvimento de ambas as personagens, após a separação. Essas questões exigiam que a WWE explicasse, em história, a razão por detrás da mudança de atitude de Lana, perante as constantes ovações que recebia de um público que odiou durante meses e, mais importante que tudo, o que a levou a escolher Dolph Ziggler.

É um facto consumado que todas as personagens no mundo do Wrestling precisam de evoluir, a certa altura. É um processo pelo qual todas passam.

Nenhuma fica exactamente idêntica ao que era, quando se estreou, durante muito tempo. Esta evolução é extremamente importante, porque influencia bastante o interesse dos fãs em qualquer personagem.

Por isso, a evolução precisa de ser bem executada, bem justificada e, acima de tudo, fiel às características já estabelecidas pela personagem. É a única forma de apresentar personagens completas, interessantes e coerentes.

Não só as questões que coloquei, na altura, não foram todas respondidas, como o sucesso da evolução que as personagens de Lana e Rusev têm tido é extremamente questionável. Isto tudo porque, na realidade, não há muito nesta história que faça sentido.

A justificação para mudança de atitude de Lana perante a audiência americana é inconsistente com todas as suas outras acções. Continuamos sem perceber porque é que deveríamos torcer pelo casal Lana e Dolph Ziggler, quando não há nada na relação fabricada entre os dois que faça sentido ou suscite qualquer simpatia.

Lana admitiu que, a início, se aproximou de Dolph Ziggler para se vingar de Rusev, mas isso prova que ela continuava a ser manipuladora e mesquinha. Não era consistente com a sua mudança fundamental de atitude. A mesma mudança que era suposto ter acontecido depois desta se ter livrado da influência de Rusev.

A própria Lana afirmou que, antes de Ziggler, não sabia o que era estar com um homem a sério e que Rusev ditava tudo na sua vida como, por exemplo, o que dizer, o que vestir e até a sua opinião sobre os Estados Unidos da América.

No entanto, a única mudança que vimos na sua atitude, desde a separação de Rusev, envolve o seu penteado. Aproximar-se de Ziggler por motivos secundários é uma atitude manipuladora, negativa e até uma novidade para Lana, dado que esta nunca teve comportamentos semelhantes até então. A roupa e a atitude continuam a mesmas, à excepção do ódio contra os Estados Unidos da América.

Ziggler, por sua vez, foi escolhido de forma completamente aleatória. Não houve qualquer história a justificar a aproximação dos dois.

Tudo começou porque Lana se quis vingar de Rusev e Dolph Ziggler não ia desperdiçar a oportunidade de se envolver com uma das mulheres mais bonitas da companhia. Supostamente, estes apaixonaram-se, mas a falta de química entre o casal aliada ao péssimo início de relação torna o casal um absoluto fracasso.

Não há nada neles que cause qualquer empatia.

Ora, isto em nada prejudica Dolph Ziggler. A sua posição na companhia está extremamente estabelecida e este só sobe ao main-event sempre que houverem lesões e este precisar de substituir alguém.

Todavia, prejudica Lana que faz um melhor trabalho a justificar a sua relação com Dolph Ziggler nas redes sociais, do que a fazê-lo em televisão com as justificações que a WWE lhe dá.

Se há uma coisa que Lana e Rusev já provaram em inúmeras ocasiões é que percebem os papéis que estão a representar. Seja nas redes sociais, em entrevistas para o site da WWE ou nas interacções que têm juntos, ambos têm feito tudo o que podem para defender as suas personagens.

Para mostrar que as suas personagens são capazes de ser mais do que apenas outra dupla de estrangeiros que diz e faz o mesmo que todos os outros que vieram antes deles. Ambos, especialmente Lana, sabem que as personagens não precisam de ser tão absurdas e vulgares, por isso tentam, ao máximo, dar-lhe algo mais.

O problema é que não conseguem fazer tudo sozinhos. O problema é que precisam de seguir um guião defeituoso e sem sentido.

Lana, a personagem eloquente, credível e determinada que vimos ao longo do último ano não teria quaisquer problemas em defender os sentimentos da sua personagem por Dolph Ziggler, ao mesmo tempo que mantinha a sua credibilidade. Porém, Lana, a personagem que a WWE subitamente começou a sabotar com o seu raciocínio questionável, não consegue.

E por isso, a personagem feminina mais forte e consistente dos últimos anos tornou-se em apenas mais uma. As razões que os fãs tinham para torcer por ela desapareceram com esta mudança brusca e inexplicável de atitude.

Esse é o detalhe mais triste de toda esta história. Como apontei em edições anteriores, Lana começou a ser apoiada porque os fãs a respeitavam, não apenas porque era considerada atraente. Quando a WWE remove todos os motivos que os fãs tinham para ter respeito por ela, esta passa a ser apoiada apenas pela sua aparência.

Esse tipo de personagem não é consistente com a suposta revolução que está a ocorrer na Divisão feminina neste momento.

Portanto, não só a WWE baralhou a apresentação de Lana de tal forma que os fãs, neste momento, não têm razões legítimas para torcerem por ela, como o próprio parceiro dela nesta situação falha redondamente na tarefa de comportar-se como um babyface.

Por muito abusivo que Rusev seja, ameaçar alguém incapaz de se defender devido a lesão, apenas para depois beijar a ex-namorada mesmo à sua frente, não faz de Ziggler um grande herói. Ou, um herói de todo.

É uma atitude, de facto, consistente com a personagem despreocupada, arrogante e leviana de Dolph Ziggler, mas no contexto desta história, torna Rusev alguém de quem os fãs deveriam ter pena, trocando por completo a dinâmica desta história. O casal que os fãs é suposto apoiarem não têm qualquer química juntos e, individualmente, não são personagens dignas de apoio.

Rusev, por outro lado, tem sido a revelação desta história toda. Como fã, Rusev tornou-se numa das personalidades mais interessantes e divertidas de assistir ultimamente. Por muito embaraçosos e vulgares que os segmentos tenham o potencial para ser, as expressões faciais empregues por Rusev e a forma como este diz as suas falas têm salvado um material de qualidade questionável.

Isto é absolutamente chocante, visto que a sua falta de expressividade era um problema que este tinha quando se estreou. Foi, definitivamente, uma das razões que me levou a desvalorizar Rusev e dar mais atenção ao trabalho de Lana.

Infelizmente, nada disto significa que o que a WWE está a fazer com ele é ideal. Rusev tem sido, na minha opinião, extremamente hilariante e a estrela desta história. O problema é que, sinceramente, não sei se é suposto ele ser hilariante.

Por muito divertido que seja vê-lo a transformar segmentos potencialmente desastrosos em algo engraçado, isto não o está a preparar para ser um main-eventer. Em nada, este pode contribuir para o main-event da WWE de forma significativa, porque é esta a posição em que está actualmente. E esta posição não é levada a sério, porque não é tratada de forma séria.

Sejamos francos, Rusev passou a última Raw a atirar peixe às costas de Lana. É absurdo. O discurso que antecedeu o segmento foi hilariante, mas todo o conceito é absurdo, quando temos em conta a posição em que Rusev estava há meses atrás. Há meses atrás, este estava a caminho do topo e podia ter, perfeitamente, chegado ao topo. Por topo, estou-me a referir, claro, a Brock Lesnar.

Não seria fantástico ver um combate entre Rusev, a versão búlgara de John Cena, contra Brock Lesnar? As expressões faciais, as promos com Paul Heyman, o espírito e garra de Rusev que se recusa a desistir, independentemente das circunstâncias, são tudo factores que podiam tornar um combate com Brock Lesnar num dos combates mais empolgantes do ano.

Mas, para isso, Rusev nunca podia ter perdido. Rusev nunca devia ter batido na barreira que é John Cena e ter recuado. Tal como aconteceu a Bray Wyatt. Tal como, mais recentemente, aconteceu a Kevin Owens. Está na altura de alguém, pelo menos uma pessoa, chegar ao próximo patamar. Pelo menos uma!

E chegar lá com a dinâmica certa. Ou seja, com a história bem contada, com as personagens bem definidas e com a reacção dos fãs ser consistente com tudo o que foi retratado. Isto exclui tudo o que aconteceu com Roman Reigns. Também exclui o mísero combate individual que Brock Lesnar teve com Seth Rollins, onde este último acabou por ser posto de parte.

Porquê gastar tantos anos do contrato de Brock Lesnar em combates que não são uma novidade, quando se podem fazer grandes histórias à volta de uma rivalidade dele com qualquer membro do roster actual? Só precisam de ser bem executadas.

Voltando ao que Rusev está a fazer neste momento, é preciso ter em conta os danos a longo prazo que esta novela – porque sim, é uma novela – vão ter na sua credibilidade. Quanto mais tempo, Rusev continuar nesta posição, mais complicado será para ele tornar-se uma força credível no main-event num futuro próximo. Ele, neste momento, é absolutamente inconsequente e isso é um problema.

Imaginemos que Rusev tinha, mesmo, perdido para John Cena e, tal como vários outros, voltava a recuar no card. Tal não seria um problema tão grande, se Rusev continuasse a ser posicionado foi posicionado durante o primeiro ano da sua carreira. Numa altura em que perdeu o Título de Estados Unidos, perdeu Lana e perdeu a série de vitórias que tinha, a última coisa que Rusev precisava era de algo que o tornasse ainda mais vulnerável.

Estou a falar dos perigos que esta comédia representam e do período de tempo que este passou a fazer discursos emotivos para a câmara e caído no chão dos bastidores. O mais curioso é que os segmentos foram, tecnicamente, bons. Este foi um bom actor nesses segmentos. Mas, estes não eram o que a sua carreira precisava de momento. Acho que, no fundo, é isso que define esta novela.

Acho uma pena estar a desperdiçar todo este potencial que Rusev tem exibido numa rivalidade de midcard que não tem qualquer direcção, lógica ou potenciais ganhos.

Como se não bastasse a dinâmica com Lana e Dolph Ziggler estar completamente arruinada, nos seus últimos combates, Rusev tem sido retratado como alguém que nunca desiste dos seus objectivos. Algo que está bastante associado ao super-herói que é John Cena.

Recentemente, Rusev enfrentou Cesaro e Kevin Owens num combate pela oportunidade de desafiar John Cena pelo Título de Estados Unidos. Não só Rusev venceu o combate – um longo, desgastante combate – como foi forçado a desafiar o campeão logo de seguida. O mesmo campeão que estava na mesa de comentadores, em repouso, enquanto Rusev lutava.

Rusev não se queixou, não tentou adiar a sua oportunidade ou argumentar. Apenas lutou, porque era o Título que ele queria e porque ele não desiste. Não há razão, perante este cenário, para os fãs vaiarem Rusev. Como se não bastasse, Kevin Owens ainda interferiu no combate, enquanto Rusev tinha a vantagem.

Mais tarde, noutro evento, este foi abandonado a meio de um combate de três contra três pelos seus parceiros de equipa. Em vez de abandonar também o combate, Rusev decidiu lutar até ao fim. Contra três babyfaces! Com uma distracção de Lana à mistura!

Isto não faz qualquer sentido.

Rusev começou a sua carreira como um estrangeiro dominante, mas relativamente justo. Não fazia batota, não tinha ajuda, simplesmente dominava os seus adversários. Basicamente, a única coisa que o mantinha vilão era o seu ódio pelos Estados Unidos da América. Este perdeu o Título, depois de John Cena o incapacitar, numa tentativa de chantagear Lana para obter uma desforra.

Depois de Lana ter cedido, Rusev começou a maltratá-la. Estes maus tratos duram até hoje. No entanto, enquanto a maltratava, Rusev passou um período de tempo considerável de muletas, atrás de Lana e a ser humilhado pelo novo namorado dela.

Agora, anda a ser prejudicado em combates por outros vilões, quando tal era algo que raramente fazia a outras pessoas. Pelo menos, não o fazia tantas vezes quanto os restantes vilões do roster fazem, tendo uma imagem completamente diferente associada a ele.

Resumindo, a carreira de Rusev até agora tem sido contradições atrás de contradições. Não há um período de tempo significativo da sua carreira em que este seja, claramente, um vilão ou um herói.

É óbvio que Lana e Dolph Ziggler irão continuar a ser apoiados, enquanto Rusev e Summer Rae serão vaiados. O ódio que Rusev ainda mostra pelos Estados Unidos da América evita que o contrário aconteça. Mas, é apenas isso que mantém esta frágil dinâmica.

Porque, a WWE tem falhado em dar motivos sólidos aos fãs para apoiarem uma dupla e vaiarem a outra, sem se contradizerem na semana a seguir. Não há qualquer continuidade nas histórias que estão a ser contadas, envolvendo estas personagens.

Não classifico, ainda, a separação de Lana e Rusev como um fracasso completo. A razão para tal é bastante simples. Graças a Rusev, tenho-me divertido mais com esta história do que esperava. Este tem excedido, por completo, as minhas expectativas e sido um dos destaques da programação da WWE.

Porém, isso não significa que o que a WWE está a fazer neste momento faça sentido ou valha a pena ser feito. Pessoalmente, por muito que estas gargalhadas me façam feliz, preferia a antecipação de ver um possível Brock Lesnar vs Rusev no Summerslam. Preferia sentir a empolgamento de ver uma estrela com enorme potencial a ter, finalmente, a permissão de se tornar algo em grande. A ir mais além da barreira que é John Cena.

É uma pena que a personagem que, em tempos, conquistou o respeito dos fãs através das suas promos inteligentes, esteja agora a obter as maiores ovações quando rebola no chão, à estalada, com Summer Rae e a saia sobe um bocadinho.

É uma pena que, na altura em que Rusev excede, por completo, as expectativas com as suas promos e expressões faciais, tudo esteja a ser desperdiçado numa rivalidade de midcard absolutamente inconsequente.

É uma pena que, depois de trabalharem tanto para se distinguirem das expectativas que os fãs têm para personagens estrangeiras, esta dupla se tenha reduzido a isto.

Neste momento – admito que isto pode mudar nas próximas semanas – só vejo um cenário aceitável para o fim desta rivalidade. Rusev arrasa com Ziggler de forma convincente e inquestionável. Lana pode obter a sua vingança em Summer Rae. Mas, Rusev precisa de restituir a sua credibilidade e de usar este novo potencial para fazer um impacto no main-event. O problema é que, sinceramente, nem sei se vencer Dolph Ziggler de forma dominante – até pode ser um squash de dois minutos – significa alguma coisa, hoje em dia.

Será que alguém ainda ganha alguma coisa por vencer Dolph Ziggler? Sinceramente, não sei.

Tenho adorado o trabalho de Rusev e acho-o absolutamente hilariante, mas sinto que essa não é a melhor forma de aproveitar as suas habilidades. Acho, mesmo, que Rusev pode e deve ir mais longe do que isto. Lana também, mas essa é uma questão que apenas a suposta Revolução Feminina poderá responder.

Desejo uma excelente semana a todos, até à próxima edição!

Sobre o Autor

- Administradora. Publico parte das notícias, faço a gestão da League, dos Passatempos e ainda sou escritora do artigo “Opinião Feminina”.

23 Comentários

  1. Reigns one versus all - há 1 ano

    Otimo artigo,Salgado.

    Em geral,concordo com o que escreveste.

    O Rusev devia ser usado como uma maquina destruidora em vez de andar por ai a fazer novela com o ziggler e a Lana.

  2. Thunderbold - há 1 ano

    Salgado, por favor, esclarece-me algo: Por que torces tanto pelos heels? Por que todo mundo que pensa ser entendido em wrestling acha que torcer para que Rusev, Kevin Owens ou Brock Lesnar sejam sempre os vencedores é o certo, enquanto John Cena, Ziggler e Undertaker, por exemplo, têm que perder de qualquer maneira, senão estão “enterrando talentos” ou “encerrando feuds de forma insatisfatória”. Eu costumava gostar de ler teus artigos, mas estão ficando deveras cansativos.

    • Thunderbold_Sucks - há 1 ano

      Fã do Cena detetado, cuidado!

    • "Awesome" Hater - há 1 ano

      Brock Lesnar não é heel desde a WM. E o apoio da Salgado a Rusev e KO se resume a serem grandes lutadores e futuras estrelas. Se ela não apoia tanto o Taker e o Cena é por não precisarem, é por terem “lenda” escrito na testa, não tem de provar mais nada, não vão – ou não deveriam estar – lutando daqui a dez anos e, por fim, ela desistiu do Ziggler, como deixou claro nesse artigo. Cansou de se iludir com uma possível subida ao ME. Reconhece seu talento e adoraria, mas sabe que a WWE não fará isso.

      (Desculpem me meter, não reisti :p)

      • Thunderbold - há 1 ano

        EW justamente por serem lendas, devem virar jobbers? Perder todas as feuds? Porque cada vez que vencem uma luta, vem o mesmo papinho. Engraçado que não vejo tanta indignação quando Ambrose perde para Big Show ou Neville perde para Sheamus, só para citar dois casos recentes. A lógica dos argumentos deveria ser a mesma. Mas não, a regra no mundo dos fãs de PW é “só vale a pena se heels vencerem” E quem discorda, é Cenation e não pode ser levado a sério. Ah, vão cagar no mato.

      • "Awesome" Hater - há 1 ano

        Nível de argumentação: “vão cagar no mato”
        Colega, ninguém mais aguenta o Big Show. uns 90%, ao menos, oram pela reforma dele. Pode procurar isso em quaisquer noticias relacionadas ao mesmo. E o Sheamus, lenda? RLY? RLY? RLY? RILEY? ORTON? JIMMY!
        Por fim, pare de ser estúpido e comparar lutas comuns com rivalidades.

    • danielLP21 - há 1 ano

      Os lutadores favoritos da Salgado são o Daniel Bryan e o Dolph Ziggler (ou, pelo menos, eram estes até há pouco tempo). Os dois Top Heel’s da WWE, de facto.

      • Thunderbold - há 1 ano

        Realmente, são os favoritos, mesmo. Por isso que em todo artigo ela critica o Ziggler e fala que ele deveria perder a feud com Rusev. No meu tempo, ter um lutador favorito era beeeeeeeem diferente.

      • danielLP21 - há 1 ano

        Estás a brincar?

        O facto de ter um lutador favorito significa que ache correto ele ganhar sempre? Achas que devia ser o Ziggler a vencer este feud? Achas que é isso o melhor para o futuro da WWE? Claro que não. Convém credibilizar o Rusev. Enfim, nem vale a pena discutir isto.

      • Miguel Carlos - há 1 ano

        Não tem nada a ver. Ela gosta do Ziggler, e eu também é o meu face preferido, até gosto mais dele do que do Rusev. Mas há que ter noção que o Rusev precisa de vencer esta feud porque precisa de recuperar credibilidade e voltar às vitórias em PPV, enquanto o Ziggler não ganharia nada em vencer a feud.

  3. danielLP21 - há 1 ano

    O facto de o Rusev ser humilhado enquanto está de muletas não faz dele um herói ou uma vítima. Durante uma história, o vilão tem que ter momentos em que fica por baixo e, neste caso, olho para esse segmento como uma pequena vingança pelas atitudes que ele foi tendo ao longo do último ano. Pelo ódio demonstrado pelos EUA e, sobretudo, pelas ações para com Lana.

    Ainda assim, concordo que a WWE se tem desleixado um pouco nesta história. Estarão a preparar um face-turn para Rusev? Ou será que o facto de Sheamus e Owens o abandonarem tem apenas que ver com as personalidades desses dois e, ao mesmo tempo, com a não descredibilização dos três? Sim, porque Rusev não é descredibilizado por perder sozinho contra três lutadores de topo e Owens e Sheamus são protegidos ao não estarem envolvido nessa derrota.

    Sinceramente, acredito que seja a segunda opção. E até prefiro que isto aconteça do que estarem a perder limpo, três contra três.

    Por fim, partilho da opinião de que Rusev é uma das razões para assistir aos programas da WWE neste momento. Tudo aquilo em que ele toca transforma-se em ouro. É absolutamente fantástico e espero que o futuro passe, também, por ele.

  4. 434 Days - há 1 ano

    Concordo plenamente com o que escreveste. O Rusev vem de monstro imparável a esta novela de mau gosto. Falaste, claro, da falta de consistência por parte da WWE ao apresentar a storyline e eu acho que desde o inicio esta feud tem uma grande falha, pois nunca durante o período em que Lana acompanhava Rusev foi-nos dado a entender que a Lana era mais do que a “manager” do Rusev e toda esta história de namorado e namorada é ridículo. Espero mesmo que despachem isto, pois nem mesmo esse lado engraçado do Rusev salva isto para mim e isto em nada beneficia os envolvidos.

  5. MicaelDuarte - há 1 ano

    Excelente trabalho.

  6. RybackChampion2015 - há 1 ano

    É o primeiro artigo que não concordo com a Salgado, a Lana deixou o Rusev porque este o tratava mal, vou pegar um paragráfo do própio texto:
    “A própria Lana afirmou que, antes de Ziggler, não sabia o que era estar com um homem a sério e que Rusev ditava tudo na sua vida como, por exemplo, o que dizer, o que vestir e até a sua opinião sobre os Estados Unidos da América.”
    Por isso que ela deixou o Rusev e foi para o Dolph Ziggler, querem um motivo para está ter se juntado a Ziggler? Resume-se a: GIMMICK.
    Vejam bem o Dolph Ziggler, sua gimmick é de um cara “pegador, mulherengo, conquistador, bonitão, galã”… a própria antiga theme song de Dolph dizia “Eu sou a PERFEIÇÃO” e é nesse segundo aspecto que também influênciou Lana, ele é possivelmente o mais “bonito” dos superstars e ele atraiu a atenção de Lana. Vocês acham que ela ia se juntar a Big Show? a BNB? a Neville? não porque eles não são bonitos, e nem tem papel de conquistador.
    As pessoas estão apoiando Lana e Ziggler, porquê? Eu digo o por que, pois Lana era tratada como escrava e isso retrata aos maus tratos e abusos de mulheres em comunidades, a revolução feminina está nos Esportes como Entretenimento e Música(especialmente POP), então ela largou Rusev para aliar-se a um cavalheiro que a trata bem, é um exemplo de superação.
    O segundo fato é do Rusev ter sido um heel durante sua carreira e ter difamado os USA durante bom tempo.
    O terceiro fato não ajudou muito Rusev, Summer Rae que também é semelhante a personalidade metida de Dolph, Miz, Fandango, Rose, Rosa Mendes, Cameron, e até as Bellas. Só que ela é realmente irritante.

    • Thunderbold - há 1 ano

      Assino embaixo. Por tudo isso é que Rusev NÃO PODE sair vencedor dessa feud, pois por mais que tenhamos segmentos com ele sendo engraçado e “sofrendo como um face”, tudo se resume a isso: uma figura autoritária que abusava de Lana e abusa de Summer Rae, nem mesmo a deixando falar.

    • BRUNOju - há 1 ano

      Assino em baixo, grande comentário.
      ( o seu não Thunderbold ).

  7. FredRVD - há 1 ano

    Gostei do artigo
    desde o título do artigo até ao fim, o Rusev está a fazer um óptimo trabalho mas ele tem de ir ser mais “destruidor” na minha opinião

  8. Vitor Oliveira - há 1 ano

    Excelente artigo. Penso que a Lana ficaria muito melhor se fosse usada como a manager do Cesaro, iria dar mais credibilidade aos dois.

  9. Dolph Ziggler - há 1 ano

    Bom artigo, Salgado.

  10. Pirikito - há 1 ano

    Duvido que o Rusev venca essa feud, principalmente com a Lana entrando em ascenção

  11. Sorlei Rui Oltramari - há 1 ano

    Muito bom o artigo, Salgado. A qualidade do texto é indiscutível, mas os artigos, por vezes, se tornam muito longos.

    A respeito do tema, concordo em absolutamente. O Rusev tem se tornado bastante hilariante. O seu sotaque, junto com as expressões faciais e o seu jeito fazem dele um bom personagem. Sinceramente, não vejo a WWE apostando a longo prazo nele. Ele é um bom wrestler e que tem um certo carisma, mas acho que está destinado a ficar pelo midcard. E torço para que essa feud acabe logo, pois está destruindo a credibilidade do Rusev.

  12. wesley - há 1 ano

    Muito bom artigo. Em relação ao Rusev, eu nunca achei que ele ira muito longe na WWE pois acho que seus executivos ainda tem a cabeça muito fechada a dar destaque para estrangeiros, principalmente se vier de um país de língua não inglesa, a não ser se eles tiverem interesse de expandir seu produto a paises que pode gerar um grande retorno financeiro e aumentar o público em uma determinada região, como no caso do Hideo Itami, que certamente ira aumentar o número de fãs não só no Japão, mas em toda aquela região da Asia. Neste caso o Rusev deu azar, pois ele vem de um país pouco conhecido para quem é de fora da Europa

  13. Miguel Carlos - há 1 ano

    Bom artigo, Salgado. Eu percebo quando algumas pessoas dizem,ue o Rusev devia perder a feud para defender as mulheres, e tendo em conta que a WWE foca-se mais no Enterteinment que no Wrestling, acredito que esse seja o cenário que vai acontecer. Mas várias vezes no wrestling se viram storylines deste peso, em que os vilões venceram para se afirmarem como futuros main-eventers ou para consolidarem o seu legado, como por exemplo Matt Hardy-Edge, Undertaker-Shawn Michaels (embora ambos fossem faces), e até mais recentemente Ambrose-Rollins, Spud-EC3 (para quem vê TNA), Rusev-Swagger, e mesmo a Authority a sair por cima de tudo. É preciso credibilizar os heel’s, e quando se consolidarem no main-event, aí sim terão uma grande derrota e pagarão por todos os seus atos. Neste momento, o Ziggler já está estabelecido no up-card, enquanto o Rusev tanto pode virar jobber, como main-eventer, porque ele ainda é uma novidade, ainda só perdeu para o Cena e o Cesaro, e não pode tornar-se em um wrestler banal, porque ainda vai a tempo de não o ser.

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador