Opinião Feminina #282 – Changing the Game

Há quinze anos atrás, a WWE realizou a WrestleMania X7, uma WrestleMania histórica e ainda hoje considerada a melhor de sempre. A WrestleMania X7 encerrou um capítulo da história da companhia, um capítulo chamado Attitude Era, e o main-event foi um combate entre as duas maiores estrelas dessa geração. Também no card constou uma Battle Royal, onde todos os participantes eram gimmicks do passado.

Hoje em dia, a situação é drasticamente diferente. Hoje em dia, as estrelas de há quinze anos ainda estão no topo do card e estão a ser melhor posicionadas do que as estrelas de agora. Como se pode ver, a filosofia da WWE tem mudado bastante ao longo dos últimos quinze anos. Este ano, tal como tem sido a tradição dos últimos anos, a WrestleMania foi uma homenagem ao passado, não tendo grande impacto ou influência na continuidade das histórias da companhia. Aliás, apenas demorou um dia para a WWE anular algumas das decisões que tinha tomado e fazer exatamente o contrário no Raw do dia seguinte.

Brock Lesnar venceu o seu combate, mas como seria de esperar, voltou a desaparecer, enquanto Dean Ambrose seguiu a sua vida normalmente. Roman Reigns venceu o título da WWE, mas tal era apenas uma formalidade e facto é que, anos depois do título estar nas mãos de um vilão, o campeão continua a não ser alguém que os fãs apoiem unanimemente. A divisão de equipas recebeu novos talentos e está agora a começar do zero, com nada do que aconteceu na WrestleMania a beneficiar a divisão.

Shane McMahon adquiriu controlo temporário do Raw. AJ Styles perdeu o combate mais importante da sua carreira na WWE, apenas para se qualificar como o próximo adversário ao título da WWE na noite seguinte, numa manobra que não faz sentido na cabeça de ninguém. Outra decisão que foi revertida na noite seguinte foi a coroação de Zack Ryder como campeão Intercontinental.

Resumindo, grande parte do que aconteceu na WrestleMania não teve qualquer impacto na programação semanal da WWE e fez muito pouco para promover o futuro – quando digo futuro não me refiro, sequer, aos próximos cinco ou dez anos, mas o Payback. A não ser que Shane, Undertaker, Brock Lesnar, Shawn Michaels, The Rock, Steve Austin e Mick Foley lutem no Payback, que interesse é que os fãs que apenas viram a Wrestlemania deverão ter no evento? E quem diz Payback, diz todos os outros especiais até ao Summerslam e próxima Wrestlemania.

O único aspeto que deu, claramente, um passo em frente foi a divisão feminina, que não só teve um excelente combate como estreou um novo título. Porém, ao longo dos últimos anos a WWE começou a tratar a Wrestlemania como uma celebração anual do passado. O uso destas lendas e veteranos começou a ser debatida quando The Rock voltou em 2011.

A meu ver, a WrestleMania deveria ser o melhor de dois mundos – a culminação das grandes rivalidades e histórias do ano anterior e celebração do legado da companhia. Existem várias formas do presente e do passado coexistirem no mesmo evento de forma a construir um futuro. Um dos exemplos mais recentes foi a WrestleMania XXX, onde The Rock, Steve Austin e Hulk Hogan abriram o evento e fizeram aquilo pelo qual são mais conhecidos, ao mesmo tempo que promoviam e falavam dos combates que iriam ocorrer mais tarde.

Foi um segmento histórico, que os fãs adoraram e não prejudicou o futuro. Até o fim da Streak, embora se tenha tornado um completo desperdício desde então, ajudou a promover a noite como o início de um novo capítulo para a companhia. Cesaro, The Shield e Daniel Bryan foram os grandes vencedores e saíram do evento com credibilidade suficiente para liderar o futuro da companhia. Todavia, convém ter em mente que os planos originais para o evento tinham Batista a vencer Randy Orton no main-event.

Em contraste, a WrestleMania 32 celebrou o passado de forma prejudicial. Chris Jericho venceu AJ Styles que, embora não seja jovem tem mais potencial para o futuro da WWE e é uma novidade na companhia. Os New Day, um grupo bastante popular e adorado pelos fãs, perderam para a League of Nations, um grupo de lutadores sem grande credibilidade, apenas para um trio de veteranos aparecer para os vingar.

The Rock e John Cena tiveram uma interação engraçada com a Wyatt Family que até poderia ser defendida, se não tivéssemos visto já a Wyatt Family a interagir com vários veteranos sem ganhar absolutamente nada. Não arrasou a credibilidade do grupo, porque não havia nada para arrasar. Bray já tinha sido vítima de rivalidades com John Cena, Chris Jericho e Undertaker, portanto era preciso muito para este segmento conseguir apagar tudo isso.

E depois, como se não bastasse, Shane McMahon e Undertaker passaram trinta minutos a tentar contar a história que Dean Ambrose e Brock Lesnar deviam ter contado – e teriam conseguido contar muito melhor.

Na WrestleMania, Shane McMahon roubou a personagem de Dean Ambrose e com que utilidade? Que utilidade futura é que pode ter posicionar Shane McMahon – o executivo, filho do patrão, conhecido por protagonizar manobras perigosas – como a pessoa cheia de garra e determinação que nunca desiste e consegue sobreviver às manobras mais devastadoras de Undertaker, quando se tem um jovem lutador a quem a personagem encaixa na perfeição?

Ora, apesar de uma época de WrestleMania de qualidade bastante questionável, a WrestleMania foi um sucesso. Milhões de dólares de bilheteira e um novo recorde de subscrições da Network, assim como toda a publicidade que The Rock gerou por aparecer e lutar no evento.

E o evento irá continuar a ter grande sucesso, porque ganhou vida própria. É o evento que muitos casuais irão assistir todos os anos, simplesmente porque é a WrestleMania. É o evento que fãs novos terão maior probabilidade de assistir pela primeira vez, porque é o mais promovido do ano.

A WrestleMania vende bastante só por ser a WrestleMania. Oferecer a WrestleMania de graça para novos subscritores, aparições de The Rock, o regresso de Shane McMahon e a promessa de acrobacias perigosas fazem o resto do trabalho, mas isso não significa que a WWE não use esta oportunidade única de garantir que estes fãs casuais fiquem ao tentá-los com a promoção de novo talento.

Parece-me uma estratégia um pouco mais segura do que oferecer o maior evento que têm, o maior trunfo que alguma vez podem ter, de graça na esperança que as pessoas se esqueçam de cancelar a subscrição. Isto é algo que têm feito frequentemente e, segundo vários relatos, tem tido resultado. E o problema é esse! Nada do que aconteceu neste evento pode tentar os fãs a regressar para o Payback. Já nem digo assistir ao Raw todas as semanas, devido à sua duração, mas pelo menos que regressem todos os meses e mantenham a subscrição à Network.

Todavia, não foi esse o caminho que a WWE decidiu seguir este ano. Porquê? Existem várias justificações possíveis – não reconhecem potencial nas estrelas que sacrificaram é uma das principais – e acho que a verdadeira resposta é um conjunto de justificações e não apenas uma. Outra que julgo ser principal é uma que já referi neste espaço – autopromoção. Ao longo da última década, a WWE mudou bastante as suas prioridades. O seu objetivo já não parece ser a promoção individual de estrelas, mas sim a promoção da companhia e a proteção da sua imagem.

A WWE irá sempre precisar de um porta-voz para representar a companhia publicamente. John Cena foi o escolhido e agora é a vez de Roman Reigns, mas a prioridade da companhia parece-me ser a imagem da própria companhia. É a razão pela qual temos vídeos de alguns dos vilões da companhia, como Stephanie McMahon, a participar em ações de caridade a serem transmitidos durante o Raw. Acredito que, para além do ego e ilusões legítimas, foi também por isso que Stephanie e Triple H passaram os últimos anos a ser as maiores estrelas em televisão, assim como acredito que é por isso que a WWE investe tanto no passado.

O passado é, em grande parte, seguro. The Rock é uma estrela de Hollywood em bons termos com a companhia. Steve Austin, Undertaker, Mick Foley e Shawn Michaels estão, como tantos outros, a um telefonema de distância. Como comecei o artigo por defender, em grande parte, a WrestleMania não teve impacto na continuidade da programação da WWE, porque é um evento à parte, independente de tudo o resto. O Raw após a WrestleMania é onde a WWE faz o que realmente pretende a longo prazo para a sua programação semanal. A WrestleMania é um evento em que a WWE tenta deslumbrar visualmente e criar momentos dignos de WrestleMania sem qualquer substância.

Seja Shane a saltar do topo da cela, The Rock vs Erick Rowan ou Steve Austin e companhia a atacaram a League of Nations, a verdade é que nenhum destes momentos tem verdadeira emoção ou garra. São momentos que os fãs adoram, porque envolvem lendas que cresceram a adorar, mas são vazios. São atalhos tomados por uma companhia que não perdeu tempo a criar novas personagens e histórias que realmente mexessem com os fãs. O momento mais genuíno que a WrestleMania teve nos últimos anos foi a vitória de Daniel Bryan e nem sequer foi planeado.

Recorrendo a uma época incrivelmente romantizada, a WWE consegue garantir momentos que a maioria dos fãs irá adorar e reforçar a identidade da companhia. Com o porta-voz escolhido, a companhia nem precisa de se preocupar em criar outras estrelas, é por isso que são todos substituíveis e mantidos ao mesmo nível. Hoje em dia, a WWE não tem uma estrela bastante popular no topo e, apesar do desinteresse na programação semanal ser enorme, a verdade é que a companhia encontra-se estável o suficiente para sobreviver confortavelmente.

Eventualmente, quando os contratos pelos direitos de transmissão expirarem, a queda das audiências poderá significar menos dinheiro para a WWE, mas tal é algo que de momento não parece preocupar a companhia.

O problema é que ao colocar a companhia à frente da suas estrelas, a WWE está a desafiar a natureza da indústria. Wrestling não funciona como o futebol, onde os adeptos torcem por uma equipa independentemente, na maioria dos casos, dos seus jogadores. Alguns promotores como Paul Heyman com a ECW e Triple H com o NXT conseguiram aplicar o mesmo raciocínio e ter bastante sucesso, dentro do respetivo nicho. Mas é isso mesmo, é um nicho. A larga escala, uma companhia precisa de estrelas, precisa de personalidade, precisa de carisma e precisa, acima de tudo, que tudo isto seja o foco principal.

Quando olhamos para os grandes picos da história da indústria olhamos para Hulk Hogan, Steve Austin, nWo e The Rock. Isto são exemplos que transcenderam o Wrestling e se inseriram na cultura popular. E embora existam outras indústrias como o Boxe – Floyd Mayweather transcendeu o boxe com toda a sua controvérsia e gimmick “Money” – e MMA (Ronda Rousey e Conor McGregor são recentes exemplos) que seguem claramente as pisadas do Wrestling para vender um combate, a verdade é que no Wrestling tal é inerente. É preciso dar aos fãs uma razão para ver um combate, seja em frente a cem mil pessoas ou em frente a cinquenta.

O Wrestling precisa de histórias, precisa de personagens e precisa de dinâmicas apropriadas para funcionar. Ao manter toda a gente ao mesmo nível, porque a prioridade é a companhia, a WWE está a canibalizar o individualismo e importância das suas estrelas. É por isso que ninguém leva grande parte do roster atual a sério. Não são estrelas. São main-eventers, mas não são estrelas a sério.

E não consigo perceber como é que esta estratégia é viável a longo prazo. Não consigo perceber como é que desperdiçar esta oportunidade única de, em frente a uma enorme audiência, na arena e em casa, se pode justificar não tentar dar aos fãs mais razões para voltar no mês seguinte. Como vai ser daqui a quinze anos? Que estrelas vão usar para desvalorizar as estrelas do futuro – o Dean Ambrose que não mostrou qualquer garra neste evento ou os New Day que são engraçados, mas ainda não conseguiram ter um combate de equipas verdadeiramente importante?

De certa forma, o raciocínio de Vince faz sentido – ao promover a companhia, este deixa de estar dependente dos caprichos de estrelas individuais e assim, quando estas desaparecem, a companhia não sofre tanto. No entanto, para não depender das grandes estrelas que poderá criar hoje, Vince está dependente de lutadores e personalidades de há quinze anos atrás para criar um evento que gere alguma conversa e intriga. No fim do dia, é apenas trocar uma dependência por outra. A diferença é que a última tem um prazo de validade bastante curto.

Mais uma vez, Vince McMahon está a tentar mudar a indústria e, mais uma vez, pode ter sucesso. Mas, infelizmente, esta mudança, esta canibalização do individualismo, não é motivante ou gratificante de acompanhar. Mais uma vez, a WWE usou o evento mais visto do ano para ensinar todos os seus fãs que as únicas estrelas que importam são as do passado. Não foi a primeira vez e, como já devíamos ter calculado, não vai ser a última.

Desejo uma excelente semana a todos e até à próxima semana!

Sobre o Autor

- Administradora. Publico parte das notícias, faço a gestão da League, dos Passatempos e ainda sou escritora do artigo “Opinião Feminina”.

45 Comentários

  1. danielLP21 - há 8 meses

    Tirando a parte do AJ Styles, concordo.

    “E depois, como se não bastasse, Shane McMahon e Undertaker passaram trinta minutos a tentar contar a história que Dean Ambrose e Brock Lesnar deviam ter contado – e teriam conseguido contar muito melhor.
    Na WrestleMania, Shane McMahon roubou a personagem de Dean Ambrose e com que utilidade? Que utilidade futura é que pode ter posicionar Shane McMahon – o executivo, filho do patrão, conhecido por protagonizar manobras perigosas – como a pessoa cheia de garra e determinação que nunca desiste e consegue sobreviver às manobras mais devastadoras de Undertaker, quando se tem um jovem lutador a quem a personagem encaixa na perfeição?”

    Isto foi o que eu disse logo na altura. Completamente sem pés nem cabeça.

    • Anónimo - há 8 meses

      Dean Ambrose não sobrevive nem ao Spear do Reings e querem que sobreviva ao Lesnar? Isso faria ainda menos sentido que Taker vs Shane. E quanto ao AJ ela tem razão, ele não deveria ter perdido a rivalidade para o Jericho, que ultimamente não vencia ninguém, e por mais que queiram, a derrota para o Fandango nunca será apagada da história assim como a derrota do AJ na sua primeira WM.

      • danielLP21 - há 8 meses

        Quem falou em sobreviver? O Shane perdeu com o Taker, certo?

        Para vocês só importa o ganhar e o perder. Não vou debater com pessoas que não compreendem que o mais importante é a FORMA como se perde. O Ambrose perdeu no primeiro pin, não deu luta NENHUMA depois de semanas a criarem expectativas no caminho inverso.

        O Shane DEU LUTA ao Taker, tendo quase 50 anos e não sendo um wrestler. Entendes a diferença?

      • Anónimo - há 8 meses

        Ok, concordamos em discordar, mas dizer que Shane roubou qualquer coisa de Ambrose é no mínimo uma visão de fã…

    • “Tirando a parte do AJ Styles, concordo”.

      Só vejo gente defendendo a derrota do AJ para um sujeito que deveria estar elevando os novos talentos. Pois bem, lanço aqui um desafio: Se ao invés do AJ ali, fosse o queridinho Bray Wyatt, sua reação seria a mesma? Ou ainda: Se Dolph Ziggler (que também precisa de um pouco de credibilidade urgentemente) vencer a feud com Baron Corbin, seus argumentos continuarão os mesmos?

      • danielLP21 - há 8 meses

        Ó meu amigo, estás a tentar chamar-me hipócrita? Não vai resultar.

        Se o Dean Ambrose vencesse uma feud contra o Jericho depois de este perder com o AJ Styles, o que é que se ia dizer? “O Ambrose só vence feuds contra uma pessoa que perde as feuds todas há anos, logo, não ganha nada com isso”. Pois bem, o Jericho ganhou na WM, o Styles pode dizer que o derrotou 3 vezes (contando com a Fatal 4-Way em que lhe fez o pin) e tem sido tratado como uma estrela. O importante não foi perder, foi a forma como perdeu. E o AJ não saiu descredibilizado. Ah, e o Ambrose vai ficar a ganhar com isso, porque o Jericho agora está bem mais credível.

        Se fosse o Wyatt, criticava porque este tem sido completamente arrasado, ao contrário do AJ. Além disso, a personagem do AJ permite-lhe perder mais vezes em comparação com o Wyatt, ou para ti é tudo igual? O Benoit, o Eddie, o Angle, o Jericho e outros em que a personagem girava à volta do Wrestling em si sempre perderam muito mais vezes que o Undertaker. Entendes porquê ou queres que peça a alguém que te faça um desenho?

        Por mim, o Ziggler ganhava a feud, mas isso é porque o Corbin não me diz nada e sim, o Ziggler precisa de ganhar uma feud de mid-card.

      • Anónimo - há 8 meses

        Com o danielLP21 não se pode falar mal nem do Wyatt, nem do Ambrose, nem do Reigns… na verdade é só discordar dele que ele estraga o post com comentários sarcásticos e agressivos.

      • danielLP21 - há 8 meses

        Hein? O assunto é AJ Styles/Chris Jericho… Não tenho é paciência para argumentos como “se fosse o queridinho x não falava assim”, como se eu fosse hipócrita nos meus comentários ou fosse, sequer, obrigado a não ter favoritos.

        Colocar o Reigns ao nível do Wyatt e do Ambrose nas minhas preferências? Estás errado. E não falo do Reigns há algumas semanas, se vires bem.

      • danielLP21 - há 8 meses

        Anónimo, agora copia a frase em que o Rodrigo Portugal discorda de mim usando um argumento lógico. Quando o fizeres, dou-te toda a razão do mundo.

      • Anónimo - há 8 meses

        Argumento lógico pra discutir preferências? Se fosse lógico não seriam preferências, por exemplo, para mim o top 3 da WWE em termos de wrestling (entretenimento PARA MIM é secundário) consta (não necessariamente nessa ordem): Seth Rollins, Kevin Owens e Cesaro (AJ seria o 4).
        Isso é uma preferência baseada no que gosto de ver em pro wrestling. A própria WWE sabota quem se destaca mais do que deveria e ver um investimento num Fandango da vida, para mais tarde um wrestler com uma carreira sólida perder para o mesmo Jericho para beneficiar a quem no final da história? Ele mesmo, Roman Reigns.
        Eu como fã me sinto insultado em ver gajos como Reigns recebendo tamanho push por parte da empresa, mesmo sacrificando gente muito melhor em todos os aspectos.

      • danielLP21 - há 8 meses

        Tu sabes ler? É frustrante estar a escrever para pessoas que misturam assuntos.

        Tu dizes que eu lhe falei mal por ele falar mal do Wyatt, do Ambrose e do Reigns e sou “agressivo” quando discordam de mim. EU disse que o assunto é AJ/Jericho e ninguém falou de preferências, tirando o Rodrigo quando deu a entender que se fosse o Wyatt no lugar do Styles eu não escrevia o que escrevi (como se eu não gostasse do AJ, mas nem vou por aí). Continuo à espera que me digas onde é que ele discordou de mim, o que levou à tal “agressividade”, pela qual peço desde já imenso perdão.

        Já levaste a conversa para outra coisa. O AJ perdeu com o Jericho para beneficiar o Reigns. Isso faz todo o sentido mesmo. No máximo, seria esse o caso se o AJ tivesse GANHO ao Y2J, não?

      • Anónimo - há 8 meses

        Como eu disse antes, então concordamos em discordar pq tbm não gosto de discutir com quem mistura preferências com análises.

      • danielLP21 - há 8 meses

        Lá está: o que eu estava a tentar dizer é que não fui eu que misturei. Basta ler os comentários e quem os fez.

  2. Kick_Ass - há 8 meses

    Excelente artigo, parabéns continua assim :D

    Concordo com tudo que disseste menos a parte da derrota do AJ Styles.

  3. Primeiro que tudo Salgado devo-te dar os parabéns. Os teus artigos sempre foram dos meus favoritos e estive um bocado afastado e fico satisfeito de andar mais dentro por agora e ver que continuas a escrever, quase 300 edições. Muito bom só mostra o teu empenho.

    Em relação ao tema em si consigo concordar plenamente com o teu ponto de vista e consigo percebe-lo. A WWE que eu comecei assistir já não tem nada haver com a WWE actualmente e então se começar a pensar o que será daqui por 15 anos ainda vai ser pior. A WWE obviamente continua apostar no passado para fazer rendar o peixe nos seus shows com maior dimensão e nota-se que não esta a pensar no futuro o que para mim se torna um grande erro. Vai chegar a uma altura em que vai precisar do futuro e ele não vai estar lá depois é que veremos como dão a volta por cima. Falas e muito bem da rentabilidade que a empresa tem e é por isso que as coisas não mudam nem estão para mudar nos próximos tempos veremos se um dia a tal rentabilidade começar a cair se veremos mudanças bruscas..

  4. david silva - há 8 meses

    Excelente artigo moça

    Eu discordo em partes na questão do Jericho nos ultimos anos ele andou promovendo tantos jovens talentos ( Que infelizmente a empresa os jogou no ralo) e colecionando derrotas que mesmo com todo o peso e importancia que o nome Chris Jericho representa no mundo do wrestling , ganhar um combate contra ele estava se tornando algo banal e previsivel por que todos nós fãs antigos já tinhamos ciencia que ele não desejava mais glórias na carreira e que estava na empresa a promover o futuro.
    Então eu gostei da vitória do Jerichó mesmo tendo a total ciencia que a vitória seria bem melhor para o Styles que é um recem contratado, só que não menos conhecido que o próprio Jericho ,Styles assim como Sting era um dos poucos wrestlers victoriosos e muito populares a nunca terem trabalhado para a empresa dos MacMahon e acredito que os oficiais devam ter planos para ele .
    Eu achei bom o Jericho ganhar para recuperar um pouco do credito que ele andou perdendo de uns anos pra cá.
    Más vou concordar contigo sobre o que aconteceu no dia seguinte na Raw a rivalidade entre ambos agora empatada em duas vitórias para cada um e do nada são colocados num fatal four way pelo direito de ser o number 1 contender pelo titulo ao qual AJ vence e simplesmente uma rivalidade que estava até a ser boa é dada por encerrada ou seja de que valeu a combate na noite anterior na Wrestlemania se a feud não acabou com nenhum dos dois a sair por cima e serviu para tirar o brilho do Styles ganhar o direito de desafiar Roman Reigns no Payback e infelizmente tambem não valarizou o Jerichó.

    De resto eu concordo inteiramente contigo principalmente na parte de sempre apelarem para idolos do passado para encherem os olhos do publico momentaneamente eu confesso que como fã das antigas que conheci a WWE quando ainda era WWF eu gostei e muito más eu sei que isto não vai durar pra sempre idolos do passado envelhecem e chegará uma hora que não terão mais para quem apelar e me preocupo em ver a situação atual com muita gente capacitada sendo deixada de lado um campeão sem credito com o publico e uma completa falta de boas storylines.

    O jeito é esperar e ver o que o futuro nos reservará talvez Vince se aposente de vez em breve e seus herdeiros (mesmo que eu duvide muito) mudem algumas coisas dentro da politica da empresa em relação a novos talentos e credibilização dos mesmos.

  5. Half man half amazing - há 8 meses

    E podia ter sido muito pior sorte foi grande parte das lendas que foram convidadas nao poderem lutar ou não quererem fazer isso se não ainda menos espaço ía existir para o talento atual. O rotulo PG Era também os marca um pouco, existe muito esse complexo atualmente de tudo aquilo que é PG nao é bom e muita gente abandonou o produto por isso mesmo e os nomes associados são também extremamente desvalorizados só por isso. E depois claro a imagem passada de que os talentos passados são muito melhores apenas desvaloriza o roster atual embora também me oponha a que só por serem lendas do passado terem de perder todos os combates em que entram. Como foi dito pode-se associar lendas com talentos do futuro de uma forma que beneficie todos.

  6. Frederico_WWE - há 8 meses

    A tal WrestleMania muito boa e bastante agradável dita por muitos fãs que frequentam este site…

    Ponham os olhos e tudo o resto naquilo que esta senhora diz!

    Revejo me a 100 % em todas estas opiniões… que de uma forma muito mais atrapalhada pela emoção as expressei de certo modo no dia a seguir à WrestleMania e em que muita gente mais uma vez preferiu insultar em vez de tentar compreender o porquê das coisas.

    “Resumindo, grande parte do que aconteceu na WrestleMania não teve qualquer impacto na programação semanal da WWE e fez muito pouco para promover o futuro – quando digo futuro não me refiro, sequer, aos próximos cinco ou dez anos, mas o Payback. A não ser que Shane, Undertaker, Brock Lesnar, Shawn Michaels, The Rock, Steve Austin e Mick Foley lutem no Payback, que interesse é que os fãs que apenas viram a Wrestlemania deverão ter no evento? E quem diz Payback, diz todos os outros especiais até ao Summerslam e próxima Wrestlemania.”

    Como disse naquele dia e repito esta companhia chegou a um ponto em que não merece que eu e que nós fãs estejamos a comentar pouco a pouco… porque é pura perca de tempo e como disse naquele dia não é aceitável e admissível que o momento da noite tenha sido protagonizado por uma personalidade e ex wrestler como o Shane McMahon… não pode ser aceitável isto!

    Depois vi gente de forma ridícula a dizer assim: “A WrestleMania quebrou recordes e ainda tem gente que reclama?” para esses duas palavras “TENHAM VERGONHA”!

    • Afonso Quintela - há 8 meses

      Se ela diz, entao é verdade!

      • Frederico_WWE - há 8 meses

        Sim… ela adquiriu um patamar e um estatuto pela qualidade de análise nos artigos que tem em que se torna eu diria quase impossível não lhe dar sempre razão… e não adquiriu ao fim de 20 ou 30 artigos… adquiriu ao fim de 100, 150, 200, 250 aliás ela é eu diria mesmo a voz da razão daqui do site e não há ninguém que esteja a 50 % do nível dela.

        As lesões não podem servir de desculpa para tudo… a WWE deve como uma companhia adulta e crescida que é saber se acautelar sobre todos os cenários a colocar em cima da mesa.

      • Afonso Quintela - há 8 meses

        Bem, nao.conseguiste compreender o que eu quis dizer, por isso vou tentar dize lo por outras palavras.

        Eu (e muitas pessoas) temos uma opiniao positiva da WM. Nao épor tu discordares (e a Salgado concordar ctg e vice versa) da nossa opiniao que nos estamos errados e voces estao certos.

        Ahhh, por esse comentarii deu para perceber que es uma pessoa influenciavel.

      • Frederico_WWE - há 8 meses

        As boas influências estarão sempre no meu topo de preferências ;)

    • Afonso Quintela - há 8 meses

      Hello? Lesoes? Sabes o que sao?

  7. Vitor Oliveira - há 8 meses

    Excelente artigo, concordo com sua visão

  8. Austin - há 8 meses

    Shane o’mac pode dar combates muito melhores com 46 do que Deam Ambrose com seus 20 e poucos anos. Shane se atirou de cima em uma HELL in a cell, enquanto Ambrose se borrou todo para se atirar um pouco antes da metade de Cela. Criticar o Shane é uma falta de vergonha na cara

    • danielLP21 - há 8 meses

      LOOOOL

    • BRUNOju - há 8 meses

      São pessoas ignorantes e burras como você que a empresa adora manipular.

      • Hulkmania - há 8 meses

        Concordo com o comentário dele, porque essa ignorância do Bruno e da retardadisse do Daniel, não entendi o Lool dele, Shane o’mac fez eu sentir vontade de assistir o Raw com aquele sentimento de 14 anos atrás. Por mais que seja pouco ainda.

    • Afonso Quintela - há 8 meses

      A parte do Shane foi edicao. Ele nao se atirou mesmo.

  9. danielLP21 - há 8 meses

    Acrescentando ao que já disse em cima: foi dito neste espaço há uns meses que o Jericho tinha de ganhar uma feud para voltar a ajudar alguém, o que não tem acontecido nos últimos anos, em que poucos beneficiaram com as suas derrotas.

    Pois bem, ganha um combate na WrestleMania e é o fim do mundo. Até já o tratam por “esse sujeito”, como se estivessemos a falar de alguém que só enterra a nova geração. Um bocadinho de vergonha na cara não fazia mal nenhum a essa gente.

    O AJ Styles perdeu, mas deu um grande combate, os fãs estão a dar-lhe das maiores ovações, a WWE tem-no protegido o suficiente para que não pareça forçado lutar pelo título. Estreou-se em há dois meses e meio e está no main-event depois de uma feud com um dos melhores de sempre. Que exagero!

    • BRRM - há 8 meses

      Concordo plenamente com tudo o que disseste.

      Com a vitória na WrestleMania o Jericho voltou a ter a credibilidade que precisa para elevar wrestlers mais novos (isto porque a WWE foi incompetente na forma como o usou e deixou-o cair praticamente na irrelevância). Para além disso o AJ ganhou a feud ao ter feito o pin no Jericho na Fatal 4-Way e vai estar no main event do próximo PPV (já para não falar da excelente prestação que teve na Mania e que convenceu, sem dúvida, muitos fãs que ainda não o conheciam bem). Tendo tudo isto em conta, acho que é seguro dizer que o combate da WM e o seu respetivo resultado é benéfico para todos os envolvidos.

    • Artur - há 8 meses

      Mais nada a dizer. Lembro-me bem da Salgado dizendo no inicio do ano da credibilidade do Jericho, e afins, e agora que ele ganha um combate importante fica todo esse rebuliço.

      Lembro-me da Salgado dizendo que gostaria de ver mais destaque ao Styles, e agora que ele esta para disputar o principal Title da empresa, imagino que ela acha mais importante sua derrota na WrestleMania do que sua posição de contender ao World Title.

      • Anónimo - há 8 meses

        E é mais importante sim, no instante que todos sabem que ele só está ali para fazer o Reigns parecer forte e a chance o Reigns vencer é de 100%.

      • Artur - há 8 meses

        Não vale a pena responder. Continue achando então que a WWE vem tratando o Styles mal.

  10. RFBM - há 8 meses

    Bom artigo Salgado, concordo com tudo.

  11. BRUNOju - há 8 meses

    ” AJ Styles perdeu o combate mais importante da sua carreira na WWE, apenas para se qualificar como o próximo adversário ao título da WWE na noite seguinte.”

    ” Todavia, não foi esse o caminho que a WWE decidiu seguir este ano. Porquê? Existem várias justificações possíveis – não reconhecem potencial nas estrelas que sacrificaram é uma das principais – e acho que a verdadeira resposta é um conjunto de justificações e não apenas uma.”

    Contradição nível 1000. Artigo horrível mais uma vez.

    • danielLP21 - há 8 meses

      Em que sentido é que isso é uma contradição?

      • leonardo - há 8 meses

        Daniel aj perdeu pro jericho e provavelmente irá perder pro roman isso n ficará mal para ele?

      • danielLP21 - há 8 meses

        Depende de como perder.

      • Frederico_WWE - há 8 meses

        BRUNOju, Be Qu!et, Ryback Rules, RybackChampion 2016 são alguns dos cãos de fila e da carneirada que não pesca nada disto e anda para aqui a dizer asneiras atrás de asneiras.

        Chamar horrível a este artigo? Isto devia dar direito a pena de prisão ou a um impedimento para o resto da vida de comentar neste site.

      • RybackChampion2016 - há 8 meses

        Frederico porque não cuidas simplesmente da tua vida? eu tenho tanto direito de opinar quanto você e se não está satisfeito vai embora, bom que sai um trouxa a menos nesse site, só espero que vire uma pessoa melhor e deixe de ser um falastrão que não tem vida pessoal e um reclamão que não se contenta com nada, deixe de ser infantil e mimado please?
        Faça esse favor.

  12. Afonso Quintela - há 8 meses

    Tu dizes que a Wm17 mudou o paradigma do conteudo semanal da WWE, mas nao apresentas factos….A unica coisa que mudou foi o heel turn do Austin, de resto nada de mais…
    Depois dizes que a WM deste ano nao alterou nada, e ai tenho de chamar hipocrita….Nao sei se te lembras, mas é graças a esta situacao doShane que podemos ter eventualmente umregresso da Brand Split….Obvio que isto nao é certo, mas nao podes dizer que esta WM nao mudou nada (assim como as anteriors) quando ainda so passaram 2 Raws desde a WM!

    Depois dizes que as estrelas de ha 15 anos ainda estao no topo do card? Mas que estrelas? So ha uma, e essa é o Undertaker, que como sabes so aparece nesta altura do ano…

    De resto, concordo com o que dizes.

    • Frederico_WWE - há 8 meses

      “Há quinze anos atrás, a WWE realizou a WrestleMania X7, uma WrestleMania histórica e ainda hoje considerada a melhor de sempre. A WrestleMania X7 encerrou um capítulo da história da companhia, um capítulo chamado Attitude Era, e o main-event foi um combate entre as duas maiores estrelas dessa geração. Também no card constou uma Battle Royal, onde todos os participantes eram gimmicks do passado.”

      Não vejo em que momento é que ela diz que a WrestleMania 17 mudou o paradigma do conteúdo semanal… o que é dito é que encerrou o capítulo da Attitude Era…

      Como é que se pode ter a audácia e diria mesmo a coragem de chamar hipócrita a alguém que produz um artigo desta qualidade?

      Oh Afonso epá não sejas INÁCIO!

  13. ZigglerRollins - há 8 meses

    Bom artigo Salgado!

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador