Opinião Feminina #291 – A saga continua

A saga continua! É curioso, porque isto poderia referir-se a duas batalhas diferentes – Roman Reigns contra Seth Rollins e a WWE contra os fãs. Desde a WrestleMania 32 que Roman Reigns tem adotado a atitude de um campeão confiante nas suas habilidades que, por acaso, participa em combates fantásticos. Felizmente, não voltámos a ouvir Roman Reigns falar sobre pés de feijão ou batatas, nem o voltámos a ver fazer comédia – ou tentar. Roman Reigns simplesmente deixou de apelar com os fãs ou de os tentar conquistar e limitou-se a fazer o trabalho que acredita que merece e a somar vitórias, enquanto aceita todo o tipo de desafios que surgem no seu caminho.

Isto é fantástico. É isto que Roman Reigns devia ter feito desde o início. Nós não vemos Brock Lesnar a apelar com os fãs ou a fazer piadas ridículas e apesar de uma enorme diferença de presença, é exatamente esse o tipo de personagem que melhor assenta a Roman Reigns.

O único problema de toda esta situação é que a reação dos fãs a Roman Reigns continua a ser, na sua maioria, negativa, quando na realidade este não se comporta como um vilão. Podemos dizer que este é um pouco arrogante, mas não há nada que este tenha feito ultimamente que possa ser classificado como maldoso. Até os seus ataques a AJ Styles, numa luta de herói contra a herói, foram feitos sob a desculpa de proteção familiar.

A WWE lavou as mãos do assunto, desistiu de tentar reverter as consequências dos seus erros, e simplesmente seguiu a mesma abordagem que tinha tomado com John Cena ao apontar repetidamente que os fãs, embora não gostem de Roman Reigns, não lhe são indiferentes e, acima de tudo, estão a divertir-se imenso.

Pequenos detalhes como a diferença enorme de capacidades verbais, o facto dos fãs terem apoiado John Cena durante bastante tempo até este vencer o título, apenas para depois se terem virado contra ele, ou a notória diferença que John Cena fazia nas audiências, vendas de merchandise ou live events, foram completamente ignorados pela WWE.

A questão com John Cena era que, apesar dos fãs estarem cansados da apresentação repetitiva e enfadonha de John Cena, este continuava a lucrar imenso para a companhia. Roman Reigns não se encontra na mesma situação e talvez seja altura de se perguntarem se não estarão a abdicar de um lucro significativo ao não deixar que um favorito dos fãs se torne no herói principal. Esta questão tornou-se ainda mais relevante quando Seth Rollins fez o seu regresso no fim do Extreme Rules.

Depois de vários meses afastado por lesão, Seth Rollins fez o seu regresso ao atacar o atual detentor do título que nunca tinha perdido e, como seria de esperar, foi recebido com uma enorme ovação. Mas, na noite seguinte, este de imediato atacou os fãs e ocupou o lugar de vilão principal da companhia.

Em teoria, faz sentido a WWE não querer que as ovações a outra estrela ofusquem a dominância de Roman Reigns, o projeto pessoal da companhia. Também faz sentido que usem Seth Rollins como vilão principal, quando a falta de vilões é um problema. O problema é que, na prática, Roman Reigns não está a ser apoiado de forma unânime pelos fãs.

No entanto, ao contrário do problema que John Cena representou durante vários anos, este tem uma solução que não acarreta riscos para a companhia. Tornar Roman Reigns num vilão não representa as mesmas quedas em vendas de merchandise, live events ou audiências que John Cena representava. Não existe qualquer razão – para além de um orgulho ferido em reconhecer que se cometeu vários erros cruciais na apresentação de Roman Reigns – para não o fazer.

O curioso com Roman Reigns vilão é que este nem precisaria de mudar muito a sua apresentação. Este poderia, com uma facilidade tremenda, aumentar a arrogância e tornar-se num vilão espetacular, mas a verdade é que a sua versão atual também funcionaria. A WWE apenas precisaria de mudar a forma como este é tratado pelos comentadores e ajustar as rivalidades em que este aparece para serem consistentes com esta nova natureza. Isto significa que Seth Rollins não pode ser um vilão. E significa que os produtores da WWE não podem editar as reações que Roman Reigns recebe, o que apenas acaba por insultar a inteligência dos fãs e aumentar a embirração contra Reigns.

Para os fãs que defendem que, tal como no caso de John Cena, Roman Reigns já é um vilão para os fãs que não gostam dele, Seth Rollins é a grande pedra no sapato. Se Roman Reigns já é um vilão para os fãs que o apupam e estes constituem uma porção bastante significativa da audiência – a porção que transforma os três/cinco mil da audiência familiar de live events em catorze/quinze mil de uma audiência de pay-per-view – então que interesse pode esta audiência ter no main-event de hoje? Afinal, será vilão contra vilão, pelo menos para boa parte da audiência.

A teimosia da WWE em insistir em apresentar estes dois talentos de uma forma que contraria a opinião e vontade atual de uma porção significativa da audiência prejudica a promoção do que deverá ser um dos melhores do combate do ano. Esta teimosia, para além de se dever apenas a uma questão de orgulho e não financeira, impede os dois talentos de, realmente, cumprirem o seu potencial.

Como vilão, Roman Reigns iria brilhar, porque é algo que é naturalmente bom a fazer. A sua aparência aliada à sua arrogância e altivez iriam transformá-lo num vilão fantástico e dentro de meses, depois dos fãs terem exorcizado toda a sua embirração por Roman Reigns, estes iriam apreciá-lo pela sua qualidade e, eventualmente, este iria tornar-se naquilo que a WWE tentou tanto transformá-lo sem qualquer sucesso – fixe.

Os New Day são um exemplo de tal. Começaram com uma apresentação enfadonha e estereotipada que limitava o seu potencial e os impedia de explorar todo o seu carisma. Tornaram-se vilões, deixaram de ter limites na sua excentricidade e rapidamente se tornaram na apresentação mais “fixe” da companhia, sendo atuais campeões de merchandise.

O raciocínio é o mesmo. Neste momento, Roman Reigns encontra-se bastante limitado em termos de carisma. Este está de mãos atadas, porque não há nada que possa fazer para conquistar os fãs (e quanto mais desesperada for a tentativa, pior para ele), mas também não pode provocá-los e ser brilhante como vilão, pois não é esse o objetivo da companhia. Em termos de carisma, aquilo que Roman Reigns mostra agora é uma fração daquilo que este poderia mostrar como vilão, a dizer exatamente aquilo em que acredita.

E como hoje em dia, os fãs têm maior tendência a reagir talento e bom trabalho do que, propriamente, naturezas de personagem, Roman Reigns iria tornar-se num sucesso dentro de poucos meses. Já para não dizer que este iria, de facto, tornar-se “porreiro” e só uma imagem infantil vende mais do que alguém “porreiro”. Neste momento, Roman Reigns não está a mostrar provas óbvias de sucesso com qualquer uma dessas duas apresentações.

Ora, Roman Reigns não é The Rock, mas mesmo assim a WWE poderia ter aprendido algumas lições com os primeiros anos de carreira de Rock. Repito, no caso de Roman Reigns não existem os mesmos riscos que existiam com John Cena, porque este nunca esteve nas mesmas circunstâncias de John Cena. Olhar para a carreira de John Cena e tirar como conclusão que este é prova que não há problema em ter um herói principal que é vaiado é completamente ridículo, longe da verdade, e peca pela falta de detalhes cruciais.

Se Roman Reigns se tivesse tornado num vilão início de 2015, acredito que existe uma boa hipótese de, por esta altura, a WWE já ter um Roman Reigns adorado no topo da companhia a render milhões.

Seth Rollins, por sua vez, teria finalmente a oportunidade de experimentar ser herói depois de um ano e meio como vilão. Pode não parecer muito, mas um ano e meio como vilão numa Era de Raw de três horas com Seth a fazer longos discursos quase todas as semanas é o equivalente a cinco anos. Acredito que a WWE cometeu um erro fundamental ao não experimentar ver o que conseguiria fazer com Seth Rollins como herói, depois do seu regresso e da transmissão do documentário que acompanhou a sua recuperação.

Nos últimos meses de 2015, a apresentação de Seth Rollins era um dos aspetos mais criticados da WWE e por boa razão. Muitos fãs estavam fartos de discursos de dez a vinte minutos, onde Rollins repetia sempre a mesma lengalenga até que alguém o interrompia e, independentemente da natureza do outro interveniente, Rollins comportava-se sempre como um cobarde.

Este era um cobarde contra um herói como John Cena, Brock Lesnar ou Sting – o que é compreensível – e um cobarde contra outros vilões como Triple H e Stephanie que não perdiam uma oportunidade para realçar o quão insignificante ele era, mesmo sendo campeão. Rollins perdia frequentemente e, em vez de ser retratado como alguém matreiro, mas perigoso, este foi retratado como inútil durante grande parte do tempo. Os fãs que se esqueceram disto temporariamente e ficaram empolgados com o regresso de Rollins sofreram uma dura deceção quando o viram no Raw do dia a seguir ao Extreme Rules. E uma deceção ainda maior quando o viram a tentar enganar Reigns – mas sem enganar ninguém – na semana seguinte.

É irónico, porque até faz sentido e encaixa na personalidade de Rollins tê-lo a criticar os fãs por só o apoiarem depois de ter sofrido a lesão. O problema é que creio que os fãs estão demasiado calejados pelo que viram no ano passado para conseguirem ver esta reviravolta como algo mais que uma simples desilusão.

Experimentar, durante uns meses, tornar Seth Rollins num herói para ver o que acontecia, dadas as circunstâncias, não seria a pior ideia e deixava Rollins preparado para uma rivalidade com Triple H, uma que ainda está por acontecer por tudo o que os dois passaram nos tempos da Autoridade.

Agora, se Rollins continuar como vilão a contrariar e aborrecer os fãs que ficaram tão felizes do ver, será que estes se irão voltar a investir em si quando chegar a altura de ser herói contra Triple H? Ou simplesmente será outra rivalidade de vilão contra vilão? Ou não irá acontecer de todo?

Herói ou vilão, a última coisa que a WWE deveria ter feito era relembrado os fãs do fracasso que Seth Rollins era como vilão no fim de 2015. Infelizmente, foi exatamente isso que fizeram em poucas semanas sugando, de imediato qualquer investimento emocional que alguns fãs pudessem ter na história.

Inverter os papéis dos dois senhores do combate de hoje teria sido uma benção para Reigns, resolvendo todos os seus problemas a longo prazo, e uma nova experiência para Seth Rollins, um contraste daquilo que este passou um ano e meio a fazer. Infelizmente, por motivos de ego e orgulho, a WWE não se arriscou a fazer a experiência sob o risco de ser confrontada com evidências que tem andado a evitar ao longo dos últimos anos. Por isso, a estratégia atual de insultar a inteligência dos fãs e continuar a gritar alto e bom som as qualidades de Roman Reigns irá continuar até convencerem os fãs. É um teste de resistência.

Como se esta teimosia não bastasse, a WWE conseguiu colocar a cereja no topo do bolo ao, não só transmitir o documentário da recuperação de Seth Rollins durante esta rivalidade, como ao integrá-la na história principal. Para quem não viu, o documentário acompanha a recuperação de Rollins e explora a sua paixão pela indústria incluindo vários vídeos caseiros deste em criança. Por outras palavras, a WWE voltou a colocar Roman Reigns numa situação previsível, mas impossível de vencer. Não é a primeira (ou milésima) vez que acontece.

O resultado de hoje creio que também será previsível. Finalmente, Roman Reigns irá derrotar Seth Rollins, algo que não teve oportunidade de fazer no Night of Champions 2014 ou Survivor Series 2015 (mas teve oportunidade de fazer no Raw da véspera do Night of Champions 2014, mas vamos fingir que não). O wildcard da noite é o Money in the Bank. O vencedor poderá ser Dean Ambrose, como foi dado a entender no Raw; Kevin Owens, o segundo nome mais provável aos meus olhos ou um terceiro nome que a WWE poderá escolher com o objetivo de surpreender os fãs.

Gostaria que o vencedor fosse alguém para quem a WWE tivesse planos a longo prazo – estou consciente que isso limita as escolhas para zero candidatos – e não alguém que irá vencer a mala, mas perder todos ou quase todos os seus combates até fazer o cash-in.

Infelizmente, temo que o vencedor será mesmo Dean Ambrose. Embora há muito que queira que este dê um salto para o main-event, gostaria que este o fizesse como um talento sério e perigoso, não uma personificação de piadas rápidas que perde sempre para as verdadeiras estrelas. Sinto que Ambrose precisa de mudar primeiro de atitude e só depois deve ser promovido, mas temo que a associação ao grupo “The Shield” faça com que a WWE salte esse passo bastante importante e o envolva já no main-event.

É sempre possível que Ambrose dê esse passo depois. Podemos ficar com essa esperança. Será que estamos prestes a assistir à tão desejada Ameaça Tripla envolvendo todos os membros de “The Shield”? Enfim, desejo uma excelente semana a todos e até à próxima edição! Divirtam-se com o Money in the Bank e apostem na League!

Sobre o Autor

- Administradora. Publico parte das notícias, faço a gestão da League, dos Passatempos e ainda sou escritora do artigo “Opinião Feminina”.

17 Comentários

  1. Igor_43 - há 6 meses

    Boring! Boring! Boooring!
    Entrega o cinturão pra quem merece e segue em frente.
    Redising
    Rebuild
    Reclaim

  2. Victor - há 6 meses

    Excelente artigo.

    Será que há alguma possibilidade de haver um Double turn no combate entre Reigns e Rollins ?

  3. TREVOR - há 6 meses

    Ótimo artigo Salgado.

    Sendo Roman o meu wrestler favorito(depois do Sting) fico triste em ver que a WWE não o deixa ser o CARA que ele deveria ser,e o limita a esse personagem simples.Roman tem talento,não pode ser o melhor em tudo,mas tenta e isso pra mim já é o suficiente pra gostar dele.O Reigns precisa ser mais Big Dog,apenas sendo mais arrogante(coisa que ele já).Tenho até o personagem perfeito,o Roman deveria se comportar como um Imperador,um cara arrogante,malvado,cruel,que quer dominar tudo e todos,e já que ele não tem ajuda de ninguém,as pessoas o odiariam porque ele seria apenas mal.Muitos criticam o move-set do Reigns,dizendo que ele é curto,eu discordo.Os golpes o Roman podem ser poucos mas são credíveis,comparando os moves dele com os do Ambrose,os do Roman são muito mais fortes e credíveis.
    O move-set do Reigns é FORTE,CREDÍVEL e BRUTAL,golpes ágeis e bem aplicados fazem do Roman um bom lutador.Compare o Roman com a maioria dos lutadores e verá que ele é mais forte,rápido e ágil,ele é capaz de fazer coisas que outros lutadores não conseguem,prova disso é o fato do Roman conseguir correr com mais facilidade,dar cambalhotas e até pular sobre as cordas,coisas que eu não vejo outros fazerem .Como disse antes,o Roman tem talento como personagem e como lutador,ou seja,ele é sim um BOM WRESTLER.Estou bastante ansioso pelo MITB e tenho certeza que será um bom PPV.

    • Anónimo - há 6 meses

      O Roman Reigns não merece ser main-eventer ele tem 0 em carisma e mic e é algo que se precisa de ter para ser a cara da empresa

      • Anónimo - há 6 meses

        Nem o Ambrose, pois só o mic tbm não serve. Pior artigo da Salgado que já li (isso que adoro), chato e repetitivo. Você é fã do Reigns, nós percebemos.

      • Maur - há 6 meses

        Pior artigo da Salgado? De jeito nenhum. Ela explanou o cenário todo de forma perfeita.
        Se nem o Reigns e nem o Ambrose merecem ser campeões, quem fora dos ex-Shield, merece, ó sábio dos sábios?

    • KILL OWENS KILL - há 6 meses

      Sério mesmo que você não vê outros Wrestlers pularem sobre as cordas, dar cambalhotas e correr com facilidade? Assiste pouco Wrestling? É a única explicação.

      • Maur - há 6 meses

        “Sério mesmo que você não vê outros Wrestlers pularem sobre as cordas, dar cambalhotas e correr com facilidade?”

        Com o tamanho do Reigns? Não.
        Acho que é você que assiste pouco wrestling…

      • TREVOR - há 6 meses

        Me mostra um wrestler do tamanho e peso do Reigns fazer essas coisas que ele faz com facilidade?
        Digo e repito,Roman consegue fazer coisas que Wrestler melhores do que ele não conseguem com tanta facilidade.

      • KILL OWENS KILL - há 6 meses

        “Compare o Roman com a maioria dos lutadores e verá que ele é mais forte,rápido e ágil,ele é capaz de fazer coisas que outros lutadores não conseguem,prova disso é o fato do Roman conseguir correr com mais facilidade,dar cambalhotas e até pular sobre as cordas,coisas que eu não vejo outros fazerem ”

        Me diga onde está a parte de “do tamanho e peso do Reigns”. Por que, aparentemente, eu sou cego.

        Também acho ele um bom Wrestler, o problema é a forçação de barra por parte da WWE. Quando esse cara for Heel eu vou vibrar pra caralho.

  4. KILL OWENS KILL - há 6 meses

    Ótimo artigo.

    “É um teste de resistência.” Disse tudo nessa frase. Vamos ver como vai ser hoje, um double turn seria excelente, mas deverá ser como você mesma disse, finalmente o Roman Reigns vencerá Seth Rollins de uma vez por todas.

  5. Velho - há 6 meses

    O Rollins é de longe o wrestler mais completo. Microfone, move-set, tudoo! O proprio john cena diz que ele é o futuro da companhia e nao ha um talento nesta empresa como ele!

    O reigns e mais do mesmo! Sofre 17 milhoes de finishers e ja todos sabem que ele se vai safar! isso torna tudo muito desinteressante! espero que hoje isso nao aconteça e se aacontecer que perca para o rollins no summer slam!

    Nao esquecer que o rollins é um cobarde mas ganhou ao orton com um rko ganhou ao ambrose limpinho! sempre que se encontrou so ele nao perdeu o titulo e tenho a certeza que nao o ia perder para o reigns na altura em que se aleijou!

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador