Existem 2 vagas na Equipa do Wrestling PT para publicar notícias. Contacta-nos!

Opinião Feminina #304 – Master of Puppets

Gosto muito de Kevin Owens. Para além do seu talento dentro de ringue, este é extremamente carismático. Owens consegue despertar ódio com a mesma facilidade com que suscita uma gargalhada. Este consegue ser engraçado, sem ser palhaço; vilão, sem roubar o protagonismo do herói e autêntico, mesmo estando num ambiente fortemente controlado. Ao longo dos últimos dois anos tenho desejado uma ascensão deste ao topo da WWE.

Apesar de estar frequentemente envolvido em rivalidades importantes e de ter momentos para brilhar, quando chegava a altura dos grandes eventos, Owens era firmemente colocado no midcard, algo que está claramente aquém das suas capacidades. Este rivalizava com John Cena e ajudava a criar excelentes combates, apenas lutar com Cesaro num combate insignificante e inventando à pressão no SummerSlam. Owens tem sido bastante consistente na apresentação do seu trabalho, mas tal raramente foi recompensado até, supostamente, há umas semanas, quando Triple H lhe deu o título Universal de mão beijada.

Ao longo deste ano, já defendi várias vezes que Owens tinha conseguido sobreviver aos disparates criativos da WWE com destreza e que era preciso pouco para o “aquecer” e preparar para um reinado no topo e continuo a acreditar nisso. O carisma e atitude de Owens minimizou bastante a falta de investimento que a WWE fez nele e o seu repetitivo posicionamento como “apenas mais um” em grandes eventos. No entanto, apesar de ser preciso pouco, a meu ver, para o lançar como estrela principal, continuava a ser preciso alguma coisa.

Esse foi um dos vários aspetos em que a WWE falhou quando tornou Kevin Owens campeão no Raw. Todavia, tendo em conta a surpresa da lesão sofrida por Finn Bálor no Raw, a WWE é inocente no facto de não ter passado mais tempo a preparar Kevin Owens para a vitória.

No fundo, acaba por ser um conjunto de circunstâncias infelizes. Kevin Owens venceu o seu primeiro título mundial na WWE sem ter tido grande preparação para tal (um ano inteiro no midcard, vitórias em combates de equipas e derrota para Sami Zayn), quando na realidade deveria ter sido um grande momento e algo construído com tempo e qualidade.

Infelizmente, as alternativas na altura também não eram muitas – tornar Big Cass campeão principal do Raw tão cedo teria sido um desastre e tanto Seth Rollins como Roman Reigns já consumiram tanto tempo de antena no topo do Raw ao longo dos últimos anos que mais uma vitória de cada um deles não teria o mesmo interesse. Estes irão, por isso, continuar a consumir tempo de antena no topo como adversários. Num mundo mal preparado, uma surpresa destas só podia dar em desastre.

Todavia, ocorreu outra falha, uma muito mais grave, que foi cometida deliberadamente. E digo deliberadamente, porque é a mesma a que assistimos vezes e vezes sem conta – o repetido posicionamento de Triple H e/ou Stephanie McMahon como estrelas principais da companhia. Repetidamente, estrelas do passado são colocadas acima e tratadas com maior reverência que as do presente. Enquanto The Rock e Undertaker beneficiam deste tratamento uma ou duas vezes por ano, Triple H e Stephanie beneficiam deste tratamento todas as semanas desde que o casal formou a Autoridade em 2013.

Tem sido o calcanhar de Aquiles criativo da WWE e algo que a companhia se recusa a reconhecer com tal. Todas as falhas e problemas de algumas das estrelas mais promissoras desta geração – Dean Ambrose, Seth Rollins e Roman Reigns – podem ser relacionados com Triple H e Stephanie McMahon. Kevin Owens é apenas mais um para a lista.

Não foi a Pop-up powerbomb que tornou Kevin Owens campeão, foi o Pedigree de Triple H. Kevin Owens foi apenas mais um que simplesmente teve a sorte de estar no sítio certo à hora certa. Kevin Owens teve a sorte de ser escolhido, tal como tantos outros foram antes dele, nada mais.

Quando olhamos para Seth Rollins e Roman Reigns, dois lutadores atualmente envolvidos com Triple H e Stephanie McMahon, vemos duas pessoas que foram terrivelmente prejudicados por essa associação desde o primeiro dia. Até a separação do grupo The Shield – a altura da carreira em que os três tiveram mais sucesso – foi uma forma de valorizar Triple H. Sim, este perdeu dois combates com o grupo como parte dos Evolution, mas foi o responsável pelo fim do grupo ao escolher Seth Rollins como seu protegido. A lição estava ensinada – afinal, Triple H nunca perde, pois existe sempre um plano B.

No fim da noite em que Kevin Owens venceu o título Universal, o tema principal de conversa era o regresso de Triple H. Em vez de se especular sobre quem seria o primeiro adversário de Owens, era Triple H que tinha duas rivalidades prontas a começar (ou recomeçar) com Roman Reigns e Seth Rollins. Triple H foi a notícia do dia, Kevin Owens foi uma simples nota de rodapé. Se Vince McMahon não o tivesse provado repetidamente com Roman Reigns, Triple H vem mostrar que, de facto, nem os favoritos são imunes a problemas de apresentação.

Nas semanas que se seguiram, seria de esperar uma explicação, algo que continuasse as várias histórias começadas na semana anterior, mas o que aconteceu foi exatamente o oposto. Triple H voltou a desaparecer e Stephanie tomou o seu lugar no centro da história. As questões que Triple H levantou ao aliar-se a Owens e atacar Rollins e Reigns foram substituídas pela dúvida se Stephanie sabia do que o marido tinha planeado, como se isso fosse terrivelmente relevante para as histórias.

As explicações não foram dadas. As questões levantadas foram substituídas por aspetos irrelevantes e inconsequentes. A estrela principal voltou a desaparecer e os outros desgraçados ficaram a ver navios e a tentar construir uma rivalidade sem o seu elemento mais necessário. Porque sim, Triple H é o elemento mais necessário do main-event do Raw, porque a WWE assim o fez.

A rivalidade de Kevin Owens e Seth Rollins não envolve ódio, nem sequer um desejo ardente de ser campeão, mas sim a traição de Triple H e a sua escolha para protegido.

Aqui devo, talvez, dar o benefício da dúvida à WWE. É perfeitamente possível que a WWE esteja a planear realizar Seth Rollins vs Triple H num grande evento, possivelmente WrestleMania, e por isso precise de atrasar os avanços da história com inúmeros segmentos de Stephanie e Rollins a discutirem quem é que merece mais crédito.

A questão é que tudo isto é um enorme problema de timing. Quando Seth Rollins regressou de lesão, este estava mais que pronto para experimentar ser um herói no topo do card e os fãs estavam bastante recetivos a isso, tendo apreciado e respeitado todo o seu trabalho ao longo dos últimos anos. A verdade é que tal mudança era algo que Rollins precisava desesperadamente, tendo sido um dos focos do Raw do últimos anos como vilão.

O ano que Rollins passou a lutar pelo título principal e a fazer longos discursos todas as semanas, onde raramente dizia algo de novo, bem podia ter sido uma meia dúzia dada a saturação de programação e a excessiva duração do Raw. Porém, a WWE contrariou a vontade natural dos fãs de querer torcer por Seth Rollins apenas para dar o título a Dean Ambrose na pior fase da sua carreira. E agora, estamos finalmente a ver Rollins a mudar aos poucos a sua apresentação.

Como se pode ver, são problemas e problemas de timing seguidos. Dean Ambrose e Kevin Owens mereciam ter sido campeões pela primeira vez em melhores circunstâncias e com construções muito melhores, de forma a terem também os melhores resultados. Rollins voltou como herói natural mas, por alguma razão, tal foi adiado durante uns meses. A WWE queria, provavelmente, que o regresso de Triple H e a vitória de Kevin Owens ajudassem a dar ao Raw balanço para competir com o início de época da NFL, mas o que conseguiu foi começar uma rivalidade cedo demais e deixar os lutadores atuais pendurados à espera que a grande estrela regresse para continuarem as suas histórias.

É um facto que a lesão inesperada de Finn Bálor causou imensos problemas. É possível que nem fosse Kevin Owens a estrela que Triple H iria escolher em detrimento de Seth Rollins, mas sim Finn Bálor. Todavia, a WWE não é conhecida por fazer planos a longo prazo, portanto uma confusão era algo mais do que esperado.

Felizmente, apesar de ter sido adiado alguns meses, a mudança de caráter de Seth Rollins tem sido recebida de forma positiva pelos fãs. Esse foi um risco que a WWE correu e que podia não ter compensado. Este foi melhor melhor como vilão do que se esperava, quando assistimos ao seu trabalho nos Shield, visto que parecia um herói natural. A sua ofensiva é perfeita para um herói e pode ser que agora os fãs tenham uma oportunidade de ver um novo lado de Seth Rollins.

Embora Kevin Owens seja alguém fácil de gostar, dado seu carisma, perspicácia e desenvoltura, este consegue ser um vilão verdadeiramente odiado quando quer, portanto tenho esperança que consiga ajudar os fãs a gostar mais de Rollins. Se bem que é possível que tal não corra bem. Nada como o combate de hoje no Clash of Champions para tirar todas as dúvidas.

Apesar de nunca ter sido um fracasso como vilão graças apenas ao seu desempenho, excluindo os envolvimentos de Stephanie McMahon e Triple H, vale a pena pensar se a WWE não cometeu um erro no caráter dos membros do grupo The Shield quando cada um seguiu o seu caminho. Será que Roman Reigns e Dean Ambrose teriam tido mais sucesso a longo prazo se tivessem começado como vilões? Seth Rollins e Dean Ambrose tiveram muito sucesso nos primeiros meses como vilão e herói, respetivamente, mas depois disso os problemas criativos foram demasiados e eles simplesmente não os conseguiram superar.

Penso que é unânime que Roman Reigns devia ter sido vilão este tempo todo até os fãs, por vontade própria, o tornarem num herói, algo que seria inevitável. Atualmente, este não é uma personagem fácil de gostar devido à teimosia da WWE e a todos os problemas criativos dos quais foi vítima ao longo dos últimos anos. O facto deste ter vencido Kevin Owens recentemente e sobrevivido aos seus finishers, quando Owens mais precisava de ser protegido, também não o ajudou.

Isto contribui ainda mais para a aversão dos fãs a Roman Reigns e para a desvalorização de Kevin Owens. Este venceu o título Universal sem qualquer preparação, foi a quarta pessoa mais importante da noite em que o venceu, é apenas um acessório numa rivalidade entre Triple H e Seth Rollins e agora anda a perder para Roman Reigns dias antes de defender o título no seu primeiro evento especial.

Em 2012, olhava para Dean Ambrose, Seth Rollins e Roman Reigns como as próximas grandes estrelas da WWE. O potencial deles na altura era ilimitado e parecia tão simples torná-los em grandes estrelas e maximizar todo o seu talento e carisma. Quatro anos mais tardes, os três foram vítimas de enormes problemas a nível criativo. Dois dos três – os mais promissores da altura, por irónico que pareça – estão estupidamente próximos de se tornarem impossíveis de salvar e o terceiro continua constantemente aliado às pessoas que mais lhe prejudicaram a carreira.

No ano passado, quando Kevin Owens entrou no Raw e desafiou John Cena com toda a sua arrogância e atitude, parecia inevitável que este iria ser uma enorme estrela da indústria. Tem o talento, tem a atitude, tem o apoio dos fãs! Parece ter tudo, não parece? Mas, agora, um ano mais tarde, analisamos a forma como este venceu o título Universal e como está a correr o seu reinado e é impossível não recear o futuro. Depois de tudo isto, como é que se pode ver Kevin Owens como alguém especial? E Owens é a pessoa que venceu John Cena de forma limpa no ano passado. E quando John Cena é a última verdadeira grande estrela da última geração, esta é uma honra que dever ser protegido ao máximo.

Infelizmente, mesmo antes da sua primeira grande defesa do título em pay-per-view, Kevin Owens é só mais um. Mais um que, apesar de ter o título principal do Raw, não passa de uma personagem secundária numa história maior e mais importante que envolve as verdadeiras estrelas da companhia – Triple H e Stephanie McMahon. Quem ficou surpreendido? Para hoje, prevejo uma vitória de Owens com o regresso e interferência da grande estrela da companhia – Triple H.

De qualquer das formas, divirtam-se e até à próxima edição!

Sobre o Autor

- Administradora. Publico parte das notícias, faço a gestão da League, dos Passatempos e ainda sou escritora do artigo “Opinião Feminina”.

13 Comentários

  1. João Araujo - há 2 meses

    Artigo impecavel,esta de parabens,claramente Triple H é o foco principal,hoje todo mundo espera o retorno dele e não o que acontecerá com Owens,só quero saber quem vai vencer essa feud no fim,Seth Rollins ou Triple H,sem descartar Roman Reigns que pode se aliar ao Rollins e ate mesmo o Ambrose,espero que façam o melhor

  2. Awesome One - há 2 meses

    Nao acho que o hhh seja assim uma estrela com tanto destaque. Sim interrompe feuds e combates e decide-as a favor de quem quer e sim está sempre envolvido nos momentos mais importantes do wrestling atualmente mas fora um royal rumble e um reinado curto como campeao mundial perdido na wrestlemania nao garantiu nenhuma conquista real digna para os registos. E no final de contas é isso que importa. Kevin Owens escreveu o seu nome no historial de campeoes está la o nome dele e nao diz nada àcerca de hhh interferir e o ajudar a vencer. Por outro lado hhh tem perdido constantemente as principais rivalidade em que tem estado envolvido. Nao acho que isso seja ser a estrela da companhia. Sinceramente a forma como ele rouba o show a meu ver nao vai de acordo com isso. De facto ele rouba por vezes o show sim mas nao como a estrela do mesmo.

  3. Anónimo - há 2 meses

    Salgado esqueceu que o Roman Reigns também fez sucesso no começo de sua carreira solo. até o Royal rumble de 2015 ele era aplaudido e ovacionado por essas mesmas pessoas que hoje vaiam ele e dizem que o odeiam. e o Roman já tinha perdido para o Kevin Owens no ultimo raw. queria que ele perdesse 2 raw seguido só para valorizar ainda mais Owens? não acho justo com Reigns. ele também precisa de Vitórias para recuperar sua credibilidade depois da suspensão

    • KILL OWENS KILL - há 2 meses

      Pelo amor de Deus amigo. Em primeiro lugar não era nem pro Roman ter enfrentado o Owens again, mas já que enfrentou, que bolassem algo, já que era Steel Cage, para não descredibilizar o novo campeão na véspera de sua primeira defesa em PPV, que colocassem o Rusev custando mais uma vez a luta. E segundo, sua credibilidade não está em baixa desde a suspensão, ele continua a MESMA COISA. Se perder vamos acharum milagre, igual foi com o Bálor. E por fim, e entendam de uma vez, NÃO SE CRIA UMA ESTRELA DE TOPO ESCOLHIDA A DEDO FORÇANDO ELA GUELA ABAIXO DOS FÃS ENQUANTO ESPERAM QUE ELES FIQUEM CALADOS.

      • Anónimo - há 2 meses

        olha amigo. respeito sua opinião. mais não concordo com tudo que você disse. concordo quando você diz que o Roman e o Owens não deveriam ter se enfrentando. também acho. mais isso só aconteceu porque o Rusev estava viajando isso ficou claro. mais discordo quando você diz que o Owens deveria ter ganho os dois combates para não ser discredibilizado. até porque ele não foi discredibilizado. pois ele não sofreu pin nem submissão. foi justo uma Vitória para cada um. você só pensa o contrário porque não gosta do Reigns. e quer mais é que ele se exploda. e os fãs gostavam do Reigns sim. antes de começarem com essa.onda de vaias. que na minha opinião já virou foi perseguição

      • KILL OWENS KILL - há 2 meses

        Não é apenas com Pins e Submissões que se descredibiliza os lutadores, e esse é um exemplo disso, por que no final quem venceu LIMPO foi o Roman. Se o Rusev estava viajando então por que apareceu depois do combate acabar? Não entendi. Não digo que o Roman tinha de perder limpo, ṕorém o KO é que não podia… Deveriam ter feito o Rusev custar de novo ou o Owens ganhar de forma roubdo, pra o Roman também não ficar mal na fita.

        Se vocẽ ver alguns comentários meus sobre o Roman, você vai ver que não o odeio, acho ele é excelente worker, porém amigo, com o Booking que ele recebe não dá pra gostar. É o mesmo sentimento com o Cena que é outro grande Wrestler, mas com o Booking dele não dá. Qual é a graça de torcer para um personagem invencível? Entende?

        Ah, as vaias são uma forma de protesto ao Booking, mas admito que muitas vezes sinto uma crueldade fazerem isso, só que a WWE que tem que tomar o controle da situação e dar um jeito.

  4. Anónimo - há 2 meses

    Mais um artigo amargurado, é o pão de cada dia

  5. Bankonthat - há 2 meses

    É impressionante como no “opiniao feminina” nunca nada está bem… acho que este espaço devia passar a chamar-se “falhas da wwe”… nao é uma critica, é o que acho como leitor assiduo deste espaço. Os artigos foram passando de bestiais a bestas e e ja se tornaram previsiveis. Quando vemos que ha um novo artigo no “opiniao feminina” ja sabemos que vem ai uma critica

    • Anónimo - há 2 meses

      concordo plenamente. respeito a opinião de Salgado mais ela só sabe criticar e botar defeito em tudo

    • KILL OWENS KILL - há 2 meses

      E por que infernos ela agora é obrigado a achar bom o que não está? Quando algo está ruim temos mais é que criticar mesmo, porém quando a WWE acerta ele é a primeira a elogiar fazendo essa análise impecável que somente ela pode.

      Excelente artigo, by the way.

      • Anónimo - há 2 meses

        e porque infernos somos obrigados a concordar com ela? temos o direto de pensar diferente

      • KILL OWENS KILL - há 2 meses

        Podem e devem, o problema é que agora em TODO artigo que ela lança tem sempre comentários como “nada nunca está bom pra Salgado, é tudo ruim”, sendo que não é assim. Virou moda falar isso nos artigos dela, e EU ACHO que muitos não estão conseguindo entender a visão dela e já partem pra esse “argumento” ridículo. Queria pelo menos que explicassem por que não concordo pra podermos debater, mas pronto, não sou dono de ninguém. Porém não deixo de ficar irritado com isso.

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador