Junta-te ao nosso grupo de Facebook: "Fãs de Wrestling"!

Opinião Feminina #308 – I don’t get it

Não percebo. E nem sei por onde começar a explorar o que não percebo nesta situação de Goldberg e Brock Lesnar, porque de facto há imenso. Vamos começar pelo que percebo – é mais fácil. Percebo porque é que os fãs gostam de Goldberg. Este tem presença, carisma, uma música de entrada fantástica, uma entrada também fantástica e, até os egos de outras personalidades interferirem, este teve uma das melhores introduções de sempre. Goldberg era um durão que dava cabo de tudo e todos e, no início, nem dizia uma única palavra (algo que podia ter evitado todos os problemas de Roman Reigns).

Inicialmente, a fórmula foi bem aplicada e funcionou às mil maravilhas tornando Goldberg numa das estrelas mais populares da Attitude Era. As suas dificuldades ao microfone – algo que este conseguiu controlar  no Raw – e as suas falhas como lutador foram ofuscadas pela imensa popularidade da WCW na altura e pela genialidade da apresentação de Goldberg. Foi só quando a popularidade desceu e vários fatores sabotaram Goldberg que este ficou exposto pelo aquilo que não tinha.

Portanto, percebo porque é que, na altura, os fãs adoraram Bill Goldberg. Até os erros serem demais para a sua apresentação fantástica suportar, Goldberg funcionava. Não sou, pessoalmente, sua fã porque não acompanhava Wrestling na altura em que o brilho, a popularidade e a apresentação me podiam ter influenciado a adorá-lo. Quando cheguei ao Wrestling, as suas lacunas já estavam demasiado expostas e eram simplesmente aspetos que não conseguia ignorar.

Agora vamos ao que não percebo. Porque é que querem ver Goldberg regressar aos ringues? Estamos a falar de uma pessoa de quase 50 anos que não era um génio em ringue quando estava no seu auge do ponto de vista físico. Não estamos a falar de um Shawn Michaels que, provavelmente, ainda conseguiria ter um combate fantástico se amanhã decidisse entrar em ringue. Quem sabe, sabe! O conhecimento não desaparece com a idade, as pessoas ficam mais limitadas e podem até ser proibidas de lutar devido a lesões (caso de Bret Hart).

Contudo, Goldberg é alguém que mesmo quando estava no auge da sua carreira não era o melhor. Estamos a falar de alguém que chegou ao topo graças à sua apresentação e não à sua proeza como lutador. Aliás, dentro de ringue este ganhou alguma fama como sendo um pouco descuidado e perigoso.

Porque é que existe uma vontade de o ver lutar novamente agora que tem quase 50 anos? Não existe uma razão lógica para esperar algo de brilhante. Pode acontecer um milagre, mas não existe uma razão lógica para acreditar que vai acontecer. Estou a falar de Goldberg, mas argumentos semelhantes se aplicam a Undertaker, Steve Austin, Sting e por aí fora.

Percebo a vontade dos fãs de ver certos combates envolvendo nomes do passado, mas é importante perceber que nunca irão vê-los no seu melhor. Nunca irão ver esses combates quando as duas pessoas estão no auge da sua carreira e forma física. E agora, na esmagadora maioria dos casos, a única coisa que vão ver é algo que dificilmente chegaria aos calcanhares daquilo que os fãs queriam e passaram muito tempo a idealizar.

Os lutadores não deveriam entrar no ringue sem ter a certeza que têm as capacidades para dar aos fãs aquilo que eles têm sonhado ou, pelo menos, algo de qualidade suficiente para ser apresentado. É triste ver um lutador que, no seu auge era excelente, mas continua a lutar quando já não precisa e frequentemente apresenta combates aquém das expetativas e desnecessários que, para além de desiludir os fãs, só roubam tempo de antena, protagonismo e credibilidade a quem está a tentar construir uma carreira hoje.

Para além de não fazer sentido querer ver Goldberg lutar novamente, temos a questão da qualidade do seu combate com Brock Lesnar. Os dois já se enfrentaram uma vez, na WrestleMania XX, num dos combates mais caóticos da história do evento. A audiência, sabendo de antemão que os dois estavam de saída da WWE, estava completamente contra eles e passou o combate a gritar por tudo e mais alguma coisa, incluindo o árbitro – Steve Austin. Goldberg e Lesnar, sabendo que era a sua última noite na companhia, também não estavam extremamente ralados com a qualidade do combate que tinham para fazer e o mesmo foi uma desgraça. Tendo em conta o palco em que estavam e a natureza do combate – o mesmo era algo que os fãs queriam muito ver – o resultado final foi mais do que uma desilusão, foi um insulto.

É válido dizer que aquela audiência não lhes iria dar oportunidade para terem um combate melhor. É válido dizer que os fãs iriam arrasar com eles de qualquer das formas. Mas já vi lutadores a contrariarem as reações dos fãs e a conquistá-los com excelentes atuações em vez de encolherem os ombros e preocuparem-se apenas em fazer o mínimo para ser pago. Estou a falar, claro, de lutadores com orgulho no seu trabalho, com orgulho no seu legado e com respeito, não só pelas suas carreiras, mas também pelos fãs.

Como o ambiente vai ser diferente e a relação de cada um dos lutadores com a companhia está melhor, o segundo embate de ambos será garantidamente melhor. O facto da qualidade do primeiro não elevar muito a fasquia ajuda e muito. Porém, como já apontei, a idade de Goldberg e as suas falhas como lutador são aspetos que irão influenciar o combate.

Infelizmente, Goldberg não é o único problema nesta equação, pois o seu adversário também tem tido a sua dose de problemas criativos ao longo dos últimos anos. Já referi em várias edições que Brock Lesnar é um projeto que a WWE nunca conseguiu levar até ao fim e está constantemente a recomeçar, sendo que cada recomeço é mais desinteressante e menos efetivo que a tentativa anterior.

A ideia da companhia é simples e brilhante – promover Brock Lesnar como uma besta imparável e sacrificá-lo em prol de uma estrela da atualidade de forma a lançá-la. É exatamente esse o propósito que Brock Lesnar deve ter. O problema é que esta ideia começou a ser posta em prática em 2012 e já recomeçou tantas vezes que perdeu qualquer efeito e, nesta altura do campeonato, já não estou interessada em ver Brock Lesnar a dominar os seus adversários e a vencê-los com facilidade. Pessoalmente, estou pronta para ver Lesnar perder e ajudar alguém a tornar-se numa estrela maior. Estou saturada da mesma apresentação, das mesmas rotinas e, acima de tudo, de sentir que estou a ver a mesma coisa há anos.

Porque nós já sabemos como tudo acontece. Começam a correr rumores que Brock Lesnar vai voltar ou chegamos a uma altura particularmente importante no calendário da WWE e lá está ele – Brock Lesnar aparece acompanhado de Paul Heyman. Heyman, por sua vez, faz o que sabe melhor, enquanto Lesnar se limita a ficar a seu lado. Corpos arrasados, combates dominantes, vitórias certas e puf, Brock Lesnar volta a desaparecer.

Desde 2012, quantas iterações já vimos da mesma ideia? Brock Lesnar domina John Cena num combate que pôs todo o mundo a falar? Aconteceu duas vezes. Brock Lesnar arrasa Big Show em combates rápidos para ganhar credibilidade para o seu embate com Undertaker? Duas vezes. Quantas vezes é que para justificar a ausência de Lesnar, a WWE recorreu a despedimentos ou suspensões porque o desgraçado atacava alguém que não devia? Acho que são três, mas podem ser mais.

A WWE começa a contar a história de um Brock Lesnar dominante e, a meio, perde-se e acaba por desperdiçar tudo, seja numa derrota para Triple H em plena WrestleMania ou em rivalidades sem sentido e combates que terminam de forma confusa com Undertaker. E o resultado é sempre o mesmo – começar tudo de novo!

E pelo meio, Bray Wyatt, Seth Rollins, Rusev, Dean Ambrose, Roman Reigns e tantos outros talentos da geração atual vão se juntando à lista de vítimas em vez de se juntarem à lista de talentos que poderia beneficiar de partilhar o ringue com Brock Lesnar. Não admira que os fãs estejam a perder o interesse. A ideia é boa, mas é algo que a WWE anda a tentar executar desde 2012 sem sucesso e o resultado é uma apresentação repetitiva e aborrecida que resulta em estrelas descredibilizadas.

É também por isso que a ideia de Goldberg enfrentar Brock Lesnar é tão desinteressante. Goldberg vai perder, Lesnar vai continuar o seu caminho de destruição até a WWE ter outra brilhante ideia para mandar tudo por água abaixo e ser forçada a começar tudo mais uma vez. E enquanto isso, o prazo de validade de Brock Lesnar como a besta imparável já acabou e Goldberg que, já que faziam tanta questão que ele voltasse aos ringues mais uma vez, podia ser usado para crediblizar uma estrela da atualidade vai ser desperdiçado em Brock Lesnar.

Sim, digo desperdiçado, porque já não acredito que esta experiência alguma vez vá ter uma conclusão positiva. Receio que quando Brock Lesnar perder para uma estrela da atualidade (provavelmente Roman Reigns) os fãs já vão estar tão saturados com a sua apresentação repetitiva que não irão dar o devido valor ao momento. E, claro, também não acredito que a estrela escolhida para ter a suposta honra de derrotar Brock Lesnar esteja, na altura, preparada a nível criativo para o fazer o que irá qualificar a experiência como um fracasso. E agora pergunto outra vez, porque devo eu estar interessada em Brock Lesnar vs Bill Goldberg? Que interesse pode haver neste combate quando se coloca tudo isto em perspetiva?

Goldberg é uma memória da Attitude Era cheio de brilho e luz, mas com muito pouca substância. Brock Lesnar é uma aberração da natureza. É um tipo de atleta extremamente raro que, infelizmente, tem sido terrivelmente mal usado e só tem conseguido prejudicar e descredibilizar as estrelas que mais precisam deste apoio.

Não, Brock Lesnar vs Goldberg não é a pior ideia e o mundo não vai acabar. Tal como não acabou quando Sting enfrentou Triple H e voltaram a lutar por uma companhia que tinha fechado há mais de uma década. Tal como não acabou quando Brock Lesnar enfrentou Triple H trêz vezes e enfrentou Undertaker duas vezes em rivalidades tépidas e desnecessárias. O mundo não acabou e também não vai acabar depois do Survivor Series ou do evento em que o combate se realizar. Brock Lesnar vs Goldberg não é a pior ideia do mundo, mas é uma das mais desinspiradas que a WWE teve nos últimos anos.

Encaixa-se num padrão de preguiça e falta de criatividade que a WWE tem vindo a exibir ao longo dos últimos anos. Afinal, estamos a falar de uma companhia que acha que figuras de autoridade ainda são essenciais à programação. É esta falta de vontade em fazer mais e diferente que é responsável pela falta de criação de grandes estrelas nos últimos anos, o que por sua vez é responsável por rivalidades tépidas e uma programação maioritariamente desinteressante. Bill Goldberg não é a doença, é só mais um dos milhares de sintomas.

E, no fim do dia, percebo porque é que no seu mundo isolado e perturbado, onde acreditam no que querem e constroem a sua própria realidade, a WWE acredita que Bill Goldberg vs Brock Lesnar é uma excelente ideia em 2016. Mas, e com todo o respeito, não percebo porque é que alguém o quer ver.

Até à próxima edição!

Sobre o Autor

- Administradora. Publico parte das notícias, faço a gestão da League, dos Passatempos e ainda sou escritora do artigo “Opinião Feminina”.

29 Comentários

  1. Sou do Russo - há 10 meses

    Bom artigo Salgado, mas gostaria, se fosse possível, que me explicasses porque consideras o Brock Lesnar um tipo de atleta extremamente raro. Desde já obrigado e parabéns, artigo mesmo muito bom.

    • KILL OWENS KILL - há 10 meses

      Já viu as coisas que o Brock consegue fazer mesmo com aquele porte físico? A aura que ele passa? Nunca houve um atleta que chegasse a ter o impacto do Lesnar no quesito monstro, o mais próximo foi o Goldberg, por isso essa luta ser considerada um Dream Match até hoje mesmo depois daquele “clássico” em 2004. Foi nesse sentido que a Salgado quis dizer, o sentimento que o Lesnar consegue passar é único. Até mesmo no UFC onde há vários nomes fortes na divisão de pesos pesados, o Lesnar se destacava mais que os outros.

      • fã numero 1 - há 10 meses

        Obrigado KILL OWENS KILL, um abraço.

  2. Caio - há 10 meses

    Otimo artigo Salgado. Eu concordo com você quando diz que o estilo de mic do goldberg era para ser do reings se é que me entende.

  3. TNA melhor wrestling - há 10 meses

    Goldberg=dinheiro , arena cheia , audiência e etc.
    Se resume a isso

  4. FambroseDxDx - há 10 meses

    Excelente artigo, Salgado!

  5. KILL OWENS KILL - há 10 meses

    É impressionante como a qualidade desta crônica não cai nenhum pouco. Artigo sensacional. Concordo com tudo.

  6. Gmancwb - há 10 meses

    Acredito que o combate seja uma forma de promoção do WWE 2k17 e apenas isso.

    Bom artigo.

  7. AwesomeOne - há 10 meses

    Porque quero ver Goldberg vs Brock Lesnar? Muito facil. Porque sou um fa de verdade do produto e nao um modinha da internet que nao da um tostão a empresa e que em nada contribui para o seu sucesso. Eu pertenço à porção de fãs que adoraram o retorno do Goldberg (por sinal a esmagadora maioria nao fossem os ratings subir misteriosamente na semana do seu regresso!). Eu nao comecei a ver wrestling por causa de gajos que passam a vida a fazer acrobacias no ringue e que como é modinha dizer agora “são muito tecnicos” e nenhum dos entendidos que criticam o Goldberg começou sequer a ver o produto por causa disso. Eu comecei a ver o produto porque me entretinha. Curtia milhoes ver o Goldberg a entrar com aquela musica mitica e a distribuir spears e a dizer you’re next era isso que me entretinha. Quero la saber se ele nao da mortais ou salta da terceira corda. Nem todos podem ter o mesmo estilo de luta e curiosamente até foram os powerhouse aqueles que mais sucesso tiveram no historial da industria do wrestling. E é por isso que quero vê-lo outra vez. Ele nao saiu da empresa como devia ter saido e merece isto. Merece ter um ultimo combate e alguns ultimos momentos que valorizem tudo que ele ja fez pela industria. ya e tal falou mal da industria… Não foi o primeiro nem será o ultimo muitas vezes a falar de cabeça quente mas claro se calhar isso só é criticado porque deu jeito a alguns haters deste enorme lutador. A receção que teve e a emoção que ele sentiu foram reais e sentidas no unico segmento que me dignei a ver do raw em meses. Goldberg é credivel é aquilo que ninguem no roster é (por culpa da wwe!) e a rivalidade com Brock Lesnar é a unica coisa que eu quero ver da parte do Raw no Survival Series (a confirmar-se!) ate porque o Hell in a Cell nem vou fazer questão. Goldberg nao é o Shawn Michales nem o HBK é o Goldberg. Cada um tem as suas proprias lacunas e os seus pontos fortes. Goldberg faz spears que shawn nao pode fazer e tambem tem uma força fisica que o shawn nao tem enquanto este ultimo consegue fazer outro tipo de wrestling. Goldberg cativa pelo jeito de badass e poucas palavras hbk pelo contrario safa-se bem nas promo. Ambos me entretiveram durante anos cada um à sua maneira. Wrestling nunca foi nem nunca sera apenas acrobacias e saltos. Wrestling sempre foi muito mais que isso e nenhum dos famosos criticos de hoje começou a ver wrestling ou sequer fazia ideia do que eram ring skills quando começou. Se calhas esta é na moda desrespeitar lendas da empresa quando infelizmente hoje em dia é a unica coisa interessante que o produto pode apresentar. E podem ter a certeza que quer critiquem quer nao Goldberg vs Brock Lesnar vai ser um sucesso e vai vender, vender pelo que os famosinhos atuais que todos idolatram nao vendem. E ainda que o combate nao seja algo de extraordinário dada a idade avançada do Goldberg vai ficar na historia quer queiram quer nao quer gostem quer nao. Porque o Goldberg merece. E eu acredito nele. Porque ele foi um dos responsaveis por eu gostar de wrestling e é por isso que eu continuo a gostar e nenhuma opiniao oposta vinda de uma fanbase da internet vai mudar a minha opiniao. Por isso next please…

    • AwesomeChampion2016 - há 10 meses

      Esse povo que acha que alguem vai ler isso tudo…

    • Concordo em tudo, felizmente ainda há gente que sabe apreciar wrestling…

      • Rui Ribeiro - há 10 meses

        Então quem não tiver interesse neste combate não sabe apreciar wrestling? Poupem-me.

    • LuísZiggler - há 10 meses

      O problema do Goldberg não é não saber “dar saltos na cordinha”. É não saber fazer “sell” a move nenhum do adversário, é ter zero de psicologia em ringue, é ter zero de interesse em conhecer a indústria antes e depois dele e é, acima de tudo, ser altamente descuidado e perigoso lesionando os colegas que entram em ringue com ele.
      Na verdade, é bastante simples.

      • Anónimo - há 10 meses

        se for para falar de lutadores que lesionam os colegas. não se esqueça de mencionar o Seth rollins que já lesionou 3. e é idolatrado pelos fanáticos como sendo o melhor do mundo.

    • Anónimo - há 10 meses

      AwesomeOne. concordo com tudo que você disse. a Salgado parece mais um haters da wwe. ela só sabe criticar e pôr defeitos em tudo que vem da empresa

      • KILL OWENS KILL - há 10 meses

        É verdade, 308 artigos só acabando com a maior empresa de wrestling do mundo. A Salgado não quer encarar a verdade de que ela tem mal gosto e não sabe apenas apreciar o produto. Concordo totalmente contigo, tudo que a WWE faz é sensacional e ao invés desses haters, como a Salgado, ficarem de mimimimi, deviam é tomar vergonha na cara e nunca mais escrever nada do gênero só pra tentar nos fazer odiar do jeito que ela odeia, pois se for pra falar mal então é melhor calar a boca.

      • Anónimo - há 10 meses

        caro amigo. em nenhum momento eu disse que tudo que a wwe faz é sensacional. ou bom. mais também só criticar tudo. só botar defeito em tudo. assim fica difícil. e se está tão ruim assim porque assistir? ninguém é obrigado a assistir nada que não esteja gostando. que ache que está ruim. e já vi que o amigo é um grande fã da Salgado. e não gosta de vê ela sendo criticada. pois essa não é a primeira vez que você posta comentários defendendo críticas feitas a ela. mais eu apenas expressei a minha opinião. como você .a Salgado. e todos que comentam aqui neste site fazem. e não estou dizendo que minha opinião é a certa. longe de mim dizer isso. pois eu não sou o dono da verdade. e nem ninguém é.

      • KILL OWENS KILL - há 10 meses

        Eu entendo isso e acho ótimo, pois debater é um dos motivos pelo qual estamos nesse site, é o que me faz ler e responder tantos comentários. O problema que não gostei na sua postagem (falo isso com total respeito), é por ter virado uma modinha em todo artigo da Salgado ter vários comentários sobre como ela acha tudo que a empresa faz uma droga. Muitas dessas pessoas fazem de forma gratuita e não dão nenhum mínimo argumento sobre o por que discordarem, não estou dizendo que você seja assim, mas isso já me deixa irritado, então respiro fundo e tento responder da forma mais educada possível quando não consigo ignorar. Acho mais injusto ainda, por que é um ponto errado já que nas últimas semanas a Salgado fez vários artigos enaltecendo o trabalho que o SD vem fazendo, mas para algumas pessoas ela só sabe falar mal de tudo.

        Espero que não tenha achado o sarcasmo uma ofensa, por que esse nunca foi o propósito. O objetivo era apenas defender a pessoa que mais já fez muitos de nós pensarmos um pouco mais fora da caixa do padrão WWE, e provavelmente essa não será a última vez que vou faze-lo.

        Quanto ao parar de assistir, fiz isso com a TNA, onde eu era um fã incondicional da empresa e fico por ela ter perdido tanto a qualidade. Também não assisti nenhum combate ou segmento do retorno do Undertaker ano passado (e olha que ele é top five dos meus favoritos). Vou assistir ao Goldberg VS Lesnar, mas só mais por curiosidade, já que ainda tenho fé que o Bill possa dar luta, porém concordo com tudo que ela disse sobre esse assunto. Por mim, seria muito mais legal se o Goldberg enfrentasse o Roman. Enfim, há coisas boas e ruins na Raw, passo a frente muita coisa do show, mas também tem coisas sensacionais que nunca me perdoaria se perdesse, como o KO e rapaz da lista.

        Não somos donos da verdade, mas todos nós temos que ter responsabilidade sobre aquilo que comentamos. E se eu tiver falado merda nesse post ou em outro, pode vim rir da minha cara e ter um bate papo tranquilo comigo. Abraço 🙂

    • TNA melhor wrestling - há 10 meses

      Teve uma época que a galera crítica os ME da wwe por ser composto por powerhouse , hj em dia é composto por wrestlers técnico e não tem nem de longe a audiência , público nas arenas e vendagem de merchandising.
      Realmente vc é da mesma época que eu no wrestling essa iwc de hj não sabe apreciar wrestling .

  8. Litos - há 10 meses

    Concordo com os teus argumentos quando falas de não fazer sentido querer ver o Goldberg novamente, mas quando dás o exemplo do Austin tenho de discordar. Para mim, existem duas razões para querer o Austin de volta num último combate: 1) ele não teve um combate de despedida; 2) ele está agora numa melhor forma física do que esteve em qualquer fase da sua carreira

  9. R3fus3d - há 10 meses

    acho que o Salgado está errado a criticar Goldberg ainda mais como ele disse não viveu esse período em que ele lutava, goldberg era uma ronda rousey do wrestling naquela altura, fez o que poucos fizeram e conseguiram fazer, critica-lo é um poco como agora ver o rambo e não gostar, são tempos diferentes e realidades diferentes. Se for bem construído e bem realizado o combate pode funcionar, mas que não se repitam erros de 2004 em que só houve finishers e pouco mais.

    • danielLP21 - há 10 meses

      A Salgado é uma mulher.

      Falas bem. Ele foi isso tudo NAQUELA ALTURA. Enfim, nem vale a pena bater no ceguinho.

  10. Therocker77 - há 10 meses

    Pois a qualidade deste combate vai depender da condição fisica do goldberg sem dúvida. Também que o Lesnar vai ganhar mas sinceramente desperdiçar alguém como o Lesnar é mau demais o interesse deste combate vai estar mais uma vez na capacidade que o heyman irá ter para conseguir elevá-lo

  11. João Pedro - há 10 meses

    Opiniões á parte, pode ser não ser interessante para nós, mas isto é um negócio. Se a wwe vai fazer este combate é porque gera muito dinheiro.
    As subscrições da network vão aumentar, se o combate vai ser bom ou não é irrelevante, a audiência ao vivo e os que têm wwe network vão consumir.
    Não me parece que a wwe se preocupe com a opinão daqueles que não lhe dão dinheiro.

  12. A_Hess - há 10 meses

    Há vários modos de olhar para esta questão.

    Na perspetiva da WWE, é dinheiro fácil. Goldberg é uma excelente atração (o facto de regressar após 12 anos apenas aumenta o interesse à sua volta), que servirá de chamamento quer para a anterior geração quer para a mais recente. Além do mais, como se viu com o aumento dos ratings da RAW na última edição, pode trazer de volta alguns fãs perdidos – nem que seja por um só evento. Aumento dos ratings, dinamismo nas redes sociais, aumento de subscrições na Network, os lucros serão, previsivelmente, enormes.

    Na perspetiva do fã, também não há muito a perder. O estilo de Goldberg e de Lesnar poderia (e devia) ter resultado quando se defrontaram mas, atualmente, a condição física de Bill é uma incógnita demasiado grande, pelo que coloca-lo frente a Brock está longe, muito longe, de ser a jogada mais inteligente, podendo surgir daqui mais um combate a esquecer. Porém, é sempre bom ver um regresso, nem que seja por causa daquele sentimento de nostalgia, pelo que percebo o “hype” em torno do regresso do ex WCW.

    Em suma, e não querendo colocar em causa o valor do texto, o retorno de Goldberg é compreensível – é quase um padrão que a WWE repete quase anualmente. Ficam todos satisfeitos (Bill incluído, pois receberá uma boa compensação, de certo e deve receber a sua entrada no Hall of Fame), fecha-se um ciclo e prepara-se a próxima vítima de Lesnar. No meio disto tudo, na minha ótica, só há um senão: gastar o tempo de antena do Brock. Não seria mais lógico colocar o ex campeão mundial de UFC noutro combate (contra um lutador a tempo inteiro) e escolher outro para receber Goldberg? Assim a WWE continuaria a beneficiar da novidade que é Goldberg e tinha outro main-event com Lesnar. Mas pronto, esperemos por amanhã para conhecermos novos contornos.

  13. Jameson Rook - há 10 meses

    Não percebes? É simples. Puramente Nostalgia.

    Há pessoal que não vê mais wrestling e na altura que via, adorava o Goldberg.

    Goldberg volta 12 anos depois. Há o interesse e o buzz de o querer vê-lo. O rating da RAW em que ele regressou comprova isso mesmo.

    É para ganhar dinheiro, mais nada. Wrestling é um negócio

  14. LuísZiggler - há 10 meses

    Acho que deixaste de parte uma questão, Salgado. Consegues acreditar a 100%, conhecendo o Goldberg, as suas opiniões e tudo aquilo que ele representa, que ele aceita voltar para lutar (com o filho a ver pela primeira vez) para perder? Perder é a única decisão inteligente mas a WWE é plenamente capaz de ter uma decisão de booking absurda só para conseguir o draw e dar que falar nas redes sociais.
    Se o Goldberg ganhar aí sim, é o fim do mundo. Eu não sou capaz de pôr as minhas mãos no fogo para apostar na derrota dele porque ele é um gajo teimoso e orgulhoso que durante grande parte da carreira se recusou a perder. Se ele ganha cnsegue descredibilizar o roster INTEIRO da wwe (com o Brock não estou preocupado, nem o conseguem credibilizar mais nem menos façam o que fizerem).
    Acho que tinha sido interessante abordares esta questão também. De resto, grande artigo e proponho que a malta veja um video do primeiro Tough Enough de sempre em que o Triple H, como professor, desanca um puto (que desiste nessa mesma semana) por o maior ídolo dele ser o Goldberg – o argumento do Triple H é que o Goldberg representa tudo o que de errado há com a indústria. É interessante 🙂

  15. DirtCrit - há 10 meses

    Porquê o interesse? Porque dá dinheiro. Aparte disso, é aparentemente lógico que o tempo em que ambos os lutadores estavam na sua melhor forma já passou. Independentemente de tudo, a WWE sempre jogou com a nostalgia dos fãs, e o que é certo é que a estratégia de marketing de utilizar Goldberg contra Lesnar faz sentido, quer no sentido do produto quer em termos do que a WWE aspira construir Lesnar como uma máquina de destruição. Aliás, esta storyline está bem conseguida se perspetivarmos que a base é o videojogo WWE 2K17. Parecendo que não é capaz de ter sido a promoção de um videojogo mais bem conseguida por parte a WWE, desde os velhos Smackdown vs. RAW.
    Concretizando no combate em si, uma coisa é certa, não sabemos em que modo ou capacidade física Goldberg está. Tudo irá depender da forma como o combate é construido. Agora é certo que temos um enquadramento do último combate que já pode revelar algo. Ainda assim, o contexto era diferente. Lesnar e Goldberg estavam de saída da WWE. Atualmente, estão bem relacionados na empresa. A única coisa a dizer é, veremos. Mas a semente foi bem plantada, isso ninguém pode negar.

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Newsletter Wrestling.PT

Subscreve a nossa Newsletter receberás conteúdos exclusivos no teu email!