Opinião Feminina #35 – Controvérsia

Controvérsia: “discussão sobre um tema ou uma opinião, em que são debatidos argumentos opostos e geralmente acalorados; debate; polémica; contestação”

No dia 26 de Outubro de 1978, Chicago Illinois ganhou um novo cidadão. E o mundo do pro wrestling ganhou mais um performer. Phillip Brooks, mais conhecido como CM Punk estreou-se na WWE em 2006, na extinta ECW. Depois de pertencer a alguns circuitos independentes, onde conheceu o seu grande amigo, Colt Cabana, e depois da ROH que o ajudou a tornar-se o que é hoje, foi na WWE que Punk chegou às bocas do mundo.

Na ECW, chegou a conquistar o título principal e esteve envolvido em storylines pelo mesmo. Destacou-se de tal forma que sensivelmente 21 meses depois, ganhou a prestigiada mala do Money In The Bank, na Wrestlemania 24.

Punk não desiludiu e efectuou o cash-in em Edge, ganhando assim o World Heavyweight Championship. Protagonizou um reinado que acabou no Unforgiven desse ano, graças a Randy Orton, originando então a rivalidade, deste ano.

Mas Punk não ficou afastado do main-event, tendo repetido a proeza ao ganhar o Money In The Bank, mais uma vez, na Wrestlemania 25. Contudo, o cash-in desta vez conduziu a um heel-turn. Desta vez, CM Punk aproveita-se de um face bastante adorado pelos fãs: Jeff Hardy. Apesar de não ter sido um heel de imediato, pouco tempo depois começou a agir como tal.

A verdade é que Punk, independentemente de ser face ou heel, é sempre capaz de nos proporcionar grandes combates e grandes momentos. Os combates com Rey Mysterio sempre conseguiram estar entre os melhores de um evento, sendo Rey apenas um exemplo. Contra Rey, Punk tinha a SES (Straight Edge Society).

E mais tarde, contra Randy Orton, Punk tinha os New Nexus. Em ambos os grupos, Punk era o líder que inspirava e guiava os seus seguidores, usando como argumentos a fé e a força de vontade. Nestes cinco anos, CM Punk chegou a ocupar a mesa de comentadores durante o seu tempo de recuperação de uma lesão, proporcionando-nos segmentos de muitas gargalhadas. E também nestes cinco anos, CM Punk nunca teve férias.

E é aqui que a verdadeira controvérsia começa.

Raw 27 de Junho de 2011:

“(…) I hate this idea that you’re the best. Because you’re not. I’m the best. I’m the best in the world. There’s one thing you’re better at than I am and that’s kissing Vince McMahon’s ass.

You’re as good as kissing Vince McMahon’s ass as Hulk Hogan was. I don’t know if you’re as good as Dwayne though. He’s a pretty good ass kisser. Always was and still is. (…) “

Todo o discurso é na sua íntegra polémico, mas escolhi estas citações para começar. CM Punk chocou tudo e todos com aquela promo, não só pelo que disse, mas como disse. A intensidade com que falou contribuiu ainda mais para a qualidade do segmento. Porque afinal, não conta só o que dizemos, mas como o dizemos, e se forem ver, as melhores promos de sempre, são aquelas que foram ditas por lutadores que diziam o que sentiam.

Ora a frustração de Punk é partilhada por muitos lutadores e muitos fãs. É, John Cena, o melhor? Não. É esforçado, é carismático, mas em in-ring não chega aos calcanhares de muitos. Mas mesmo assim, continua a ser a “cara” da WWE. John Cena é um dos três exemplos apresentados por Punk, The Rock e Hulk Hogan foram também mencionados.

“(…) I am the best wrestler in the world (…)

É verdade? Senão é O melhor, é de certeza um dos melhores. Ele é bem sucedido em todos os campos que possam ser usados para avaliar um lutador. E afinal, foi como ele disse, ele não é reconhecido por parte da WWE nesse sentido. Reconhecem-lhe o talento, mas não o suficiente para o porem nas capas e nos programas de televisão. CM Punk, simplesmente, não é esse tipo de lutador.

“(…) This isn’t sour grapes. But the fact that Dwayne is in the main event at WrestleMania next year and I’m not makes me sick!(…)”

E é aqui que outra polémica surge. De um lado temos, The Rock, um actor e antigo lutador de pro wrestling, que já se afirmou no negócio e não tem mais nada a provar. O seu tempo já acabou, e quem acha o contrário, ilude-se. Ele não precisa disto nem o quer a tempo inteiro, já o afirmou mais do que uma vez em diversas ocasiões. Não me interpretem mal, já afirmei anteriormente que tanto o combate em si, como as promos que irão ter, serão históricas. Mas serão necessárias?

Do outro, temos CM Punk, uma estrela que já chegou ao topo, mas que continua com muito para dar. Mas, nós já temos a garantia que The Rock irá enfrentar Cena na Wrestlemania. E porquê? Porque os fãs deliram assim que a sua música começa a tocar. Porque o seu merchandise é dos mais vendidos regularmente. E principalmente porque, ao ser dinheiro fácil, torna-o num dos meninos ouro, como já referi acima.

E também é aqui que a verdadeira hipocrisia começa. Em 2004 e 2005, se não me engano, Triple H era criticado por ser campeão tantas vezes, e um dos argumentos frequentemente utilizados era o facto de não darem espaço aos novos.

Onde é que estão esses fãs agora? O que vai acontecer na WWE no resto do tempo, em que The Rock não está lá?

A resposta óbvia: são os lutadores que ficam que terão que levar a WWE para a frente. Mas como? Em vez da WWE investir neles e tentar solidificá-los, está a investir em algo que só vai dar lucro a curto prazo. Ou seja, o main-event da Wrestlemania está a ser protagonizado por alguém que não tenciona continuar nisto, que não tem nada mais a oferecer (que não tenha oferecido já) e que não vai ajudar em nada quem fica.Logo, reforço, a curto prazo é excelente. A longo prazo, não me parece.

Perguntas que já tinham surgido anteriormente, mas que foram recentemente apontadas por Punk, indirectamente. Afinal, quem é que o pode culpar?

Estes foram apenas alguns dos pontos abordados por CM Punk. Mas após esta promo, como as que não se viam à muitos anos, os fãs começaram a questionar-se, foi shoot ou work?

Muitas estrelas disseram que no fundo não interessava, afinal, tinha sido um grande momento à mesma. Mas, como já todos se devem ter apercebido, foi um work. E depois levantaram-se as questões e os possíveis lados negativos da situação.

Ser autorizado por Vince, aos olhos de muitos é mau porque tira algo ao trabalho feito pelo Punk. Compreendo esse ponto de vista, mas não consigo deixar de salientar que o facto de CM Punk ter tido a oportunidade para fazer tal coisa tem que ser considerado como uma honra. Contam-se pelos dedos da mão, quem teve acesso a tais privilégios. E é claro que isto assim permite que CM Punk volte mais tarde como rei. Um regresso semelhante ao de Chris Jericho, que sempre que volta domina e tem reinados brilhantes.

Mas Punk não ficou por aqui, continuou com segmentos excelentes e promos que ficaram para a história, numa que vai ser das rivalidades mais faladas de sempre. E tudo isto conduziu ao Grande Combate. Ao candidato a combate do ano.

Com a presença de um público daqueles, só poderiam resultar coisas desta dimensão. CM Punk e Cena protagonizaram um main event clássico, cheio de old-school, que durou mais de meia hora, onde ambos se esforçaram ao máximo para dar o seu melhor. São combates como estes que nos tornam fãs, são combates como estes que mostram o que é pro wrestling. Uma história brilhante, com um culminar ainda melhor. E os elogios que choveram em todas as redes sociais são provas disto.

E todo o segmento envolvendo Vince foi de génio. Começando com Laurinaitis no chão (oh lá se foi o heel-turn!), passando pela celebração de Punk e por Vince  a chamar Del Rio absolutamente desesperado, até Punk com a maior cara de traquina de sempre a rir-se e a mandar beijos de despedida a Vince, foi absolutamente brilhante. Enfim, imagens para a posterioridade.

Desde o início que acreditei que CM Punk iria mesmo de férias. Ao contrário de muitos, nunca considerei uma hipótese Punk ingressar na TNA. Ele não precisa e não o fará. Acredito sim, numa possível ida à ROH. Em relação ao seu regresso, porque sim, ele vai regressar, vai ser quando menos esperarmos. Não faz sentido ele voltar no Royal Rumble. É daqui a demasiado pouco tempo, e quem faz uma história destas com base no pretexto de querer férias, faz férias a sério. E visto o Royal Rumble já estar rotulado como o regresso das estrelas, só reforça a minha opinião. Mas é claro, que posso estar enganada.

Mais uma grande história feita pela WWE que resultou na perfeição. A WWE pode ter falhas, pode nem sempre apostar nas pessoas certas, afinal não é perfeita. Mas neste momento, acabaram de fazer história. Algo que já não era feito à algum tempo.

“Do I have everybody’s attention, now?” – Obrigado por lerem.

Sobre o Autor

- Administradora. Publico parte das notícias, faço a gestão da League, dos Passatempos e ainda sou escritora do artigo “Opinião Feminina”.

7 Comentários

  1. Excelente artigo!

    A WWE por várias vezes não quis apostar no Punk mas ele tem feito para mostrar que merecia essas oportunidades.

    O Título da WWE ele já merecia há bastante tempo mas depois da história que nos protagonizaram agora ainda bem que não o tinha sido só tornou a história muito melhor.

    Desde as promos e segmentos de Punk, ao combate no MITB e os festejos de campeão no fim foi tudo bem construido e a WWE finalmente voltou a fazer algo que cativou muito os fãs e é disto que queremos ver mais vezes.

    Espero que esta saída de Punk seja mesmo só por umas férias e espero que regresso logo a seguir há wrestlemania ou então no road to da mesma.

  2. Malamadre - há 5 anos

    Artigo muito bom. Esta história em que CM Punk teve envolvido foi excelente eu gostei bastante e como muita gente já disse cativou muito mesmo.
    Pero que esta saída seja so msm umas ferias e que ele regresse para o ano.

  3. General Manager - há 5 anos

    A WWE ja n me dava pica ver ha mto tempo como com a esta story apresentada

  4. johnymeister - há 5 anos

    Muito bom artigo.

  5. Johny - há 5 anos

    muito bom artigo, e concordo com tudo o que dizes

  6. Rocha - há 5 anos

    esta história foi (é) magnifica!
    aquela sensação de dúvida sobre se seria shoot ou work, a renovação ou n do contrato do punk, o destino do título da wwe, o orgulho do mcmahon, a justiça de john cena, a revolta de punk
    tudo ingredientes q torna(ra)m esta story inesquecível e comparável às de outrora!

  7. Joao Marcos - há 5 anos

    Isto é uma nova era a comecar. Ainda acho que a promo do CM Punk tenha sido toda ensaiada. Os bookers e o Mr. Macmahon, ja sabiam o que CM Punk ia dizer naquele preciso momento. Tens razao quando dizes que o CM Punk vai voltar. Esta historia ainda agora comecou. Bom artigo ;)

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador