Opinião Feminina #47 – The Ultimate Prize

“The boyhood dream has come true to Shawn Michaels” – Wrestlemania 12, Vince McMahon.

“My goal when I was a kid was to work for the WWE and be the Intercontinental Champion, because Ricky Steamboat was the Intercontinental Champion and I wanted to be just like him. (…) All I wanted do was be the Intercontinental Champion, never aspired to be more until I got the Intercontinental Championship” – Chris Jericho, Breaking the Code: Behind the Walls of Jericho.

“I’d like to thank Christian. For twenty-seven years, he’s been my best friend and what bonded us and caused us to be friends, was the WWE. A couple kids, from a small town in Canada, and this is all we ever wanted to do. We dreamt about being the Tag Team Champions and then at Wrestlemania 16, we sat there on a table, on top of two ladders, as the Tag Team Champions.” – Edge, Smackdown 15 de Abril de 2011.

Como se percebeu pelas citações, os títulos são importantes. São a personificação de emoções, pensamentos, desejos e sonhos. Quando se é criança e o primeiro título que se tem é de papel, a primeira coisa a ser feita, é erguê-lo o mais alto possível e fingir que é o que se quer.

Na realidade, é em criança que os nossos mais variados sonhos vem à superfície. Há quem queira salvar vidas, há quem queira descobrir o que ainda não foi descoberto, há quem queira ser o herói do dia ao parar o crime… Enfim, sonhos é o que não falta na imaginação fértil de uma criança.

A América do Norte foi um dos grandes epicentros mundiais do Pro-Wrestling. A arte que combina manobras atléticas com muita emoção e drama, conquistou milhares ao longo do planeta, e fixou-se como parte da cultura local. Crianças que não nasceram no seio de uma família já ligada ao Pro-Wrestling, cresceram a vê-lo. Nomes como Hulk Hogan, Macho Man Randy Savage, The Ultimate Warrior, Ric Flair, Ricky “The Dragon” Steamboat, entre outros, foram os ídolos da pequenada da altura. Afinal, até um adolescente Adam Copeland “Edge” esteve presente numa das primeiras Wrestlemania, na audiência.

E ao longo do tempo, o desejo de uma criança, passou a ser o sonho de um adolescente, e mais tarde a sua profissão. Lutam, esforçam-se, abdicam de tudo o que podem, só para conseguirem aumentar as suas possibilidades de lá chegar. Alguns conseguem, outros mais infortunados, nem tanto.

No início deste artigo estão três citações, ditas por ou relativas a personalidades bastante queridas e reconhecidas do mundo do pro-wrestling actual. E todas elas, sem excepção, passaram por bons e maus momentos para chegar onde queriam, mas penso que no fim, todos acharam que valeu a pena.

Portanto, a pergunta do momento é: como puderam estes símbolos, anteriormente com tanta força, terem descido de tal pedestal? Terem-se tornado tão comuns, fáceis e vulgares. Como conseguiram transformar aquilo que dantes parecia tão impossível, estar hoje praticamente ao alcance de todos?

Claro que não é assim tão literal, o caminho até à WWE continua a ser árduo e difícil, e se tivermos o tal “it factor” ou talento suficiente para convencer, então torna-se mais fácil. A questão, é que os Títulos não parecem tão impossíveis como pareciam. Estão enfraquecidos. Um Título ganho, dantes, era uma honra inigualável. Era algo que levava os homens mais rijos, às lágrimas. Não era só uma recompensa pelo trabalho no ringue, era uma entrada directa para o selectivo grupo de outros homens, de outros ídolos, que também tinham sido agraciados com essa mesma honra. Logo, um Título tem que ser tratado com reverência.

Era um acréscimo de responsabilidades. Ser um campeão não implica andar a segurar o cinto. Tem a ver também com a atitude, ser um campeão significava que se era diferente e acima dos outros. Significava que após duras batalhas e duras provações, se era o melhor. Quando se é o melhor, precisa de se agir como um. Convencer todos outros de tal, sejam eles fãs, colegas ou direcção.

Os Títulos podem ser enfraquecidos por vários factores. Primeiro: a pessoa que o possui. Ganhar um Título, deveria ser algo com, como devo dizer, timing. Quando se falha aquele momento especial que deveria culminar com um Título, ou até mesmo quando se antecipa, temos um reinado mal começado. Logo, antes de tal se suceder, tem que se escolher alguém que tenha provado que o mereça, heel ou face. Alguém cuja vitória, não levante dúvidas ou inseguranças. Precisa de ser também alguém que tenha sido previamente avaliado e tido como alguém que consegue ser um campeão, que tal como já expliquei acima, não se trata só de segurar o cinto.

As suas capacidades, tanto em ringue como ao microfone, deveriam ser convincentes e estabelecidas, não em evolução. Ganhar um Título significa que se chegou a algum lado, logo que apesar do trabalho requerido ter sido redobrado, e de haver sempre espaço para evolução, existe um certo estatuto que é exigido.

Segundo: duração do reinado. Isto é algo difícil de determinar mas fundamental. Não pode ser demasiado longo que os fãs deixem de acreditar nas capacidades do campeão e se tornem cépticas, e não pode ser demasiado curto e que passe a ideia do Título ser fácil. Varia de lutador para lutador, e quem o ganhar tem que encaixar no perfil acima descrito. Presentemente, estamos a observar mudanças do Título da WWE todos os meses, o que é exactamente o contrário do pretendido.

Uma terceira coisa que considero fundamental é rotatividade. Mas rotatividade inteligente e com propósito. Não pretendo que passem os Títulos de mãos em mãos para ter a certeza que todos o possuíram, pretendo sim evitar múltiplos reinados da mesma pessoa. Ou pelo menos, já que existem, que sejam sempre bem justificados e bem construídos. Quando a mesma pessoa possui o mesmo Título várias vezes, e continua nesse caminho, não só os resultados ficam previsíveis e pouco interessantes, como mais uma vez, o Título perde aquele brilho especial pelo qual todos lutam. Ganhar um título, mesmo que seja 50 vezes, deve ser algo diferente, importante e especial essas mesmas 50 vezes, não ser tratado como uma actividade do dia-a-dia.

Estes tópicos aplicam-se a todos os Títulos, sem excepção, pois todos representam algo e não devem ser menosprezados, seja por fãs, direcção ou lutadores. Sou também contra a designação de Título principais, quando nos referimos aos Títulos da WWE e de World Heavyweight, pois acho que isso passa a ideia errada para os fãs, que passam a ver Títulos como o Intercontinental, USA, Tag Team e Divas, como inferiores, e a meu ver não o são. Apesar de neste momento, excepto o Título das Divas, todos os outros estarem a ser defendidos por mid-carders, isso não significa que quando um dia um usual cabeça-de-cartaz começar a lutar por esses Título, ele esteja a descer de divisão ou que esteja a ir atrás de algo inferior a ele. Tratem as coisas de forma diferente, e os fãs verão as coisas de forma diferente.

Então e actualmente, com o que é que nos deparamos?

Na WWE, deparamo-nos com seis Títulos activos. Destes seis, apenas um não carrega ainda um grande, simbólico e forte legado.

Na parte das senhoras, passámos de um Título com história e significado para algo completamente novo. Passámos, muito recentemente, do extinto Women’s Championship, para o Divas Championship. Pessoalmente, prefiro o antigo, porque era algo já com “bagagem”, digamos, e tinha um aspecto estético muito mais credível. Também já tinha um significado, só tínhamos de nos manter fiel a ele. Porém, admito que daqui a vinte anos, o Divas Championship terá valor, pois só precisa de ter uma história feita pelas pessoas certas. Infelizmente, isso não é sempre constante, mas isso já é um assunto mais que falado.

Ultimamente a WWE tem-se esforçado para reforçar o brilho e importância deste Título, e apesar de não cumprir todos os tópicos que considero ser essenciais, aprecio o esforço e mantenho a esperança para que desde que o esforço se mantenha, tenhamos bons resultados no futuro e o Divas Championship consiga assim construir um legado digno desta divisão.

O WWE Tag Team Championship e o World Tag Team Championship, uniram-se na WrestleMania 25. Salvo erro, em Agosto de 2010, criou-se um único Título para representar ambos, tendo uma aparência completamente nova, e na realidade, não faz sentido ter dois Títulos quando temos poucas equipas. A divisão de Tag Team é caracterizada pela sua falta de consistência. Ou temos uma bela divisão e as coisas correm bem, o que já aconteceu várias vezes, ou temos alturas tristes onde simplesmente não vemos onde querem ir com as coisas. A divisão de Tag Team precisa de equipas, que fiquem juntas durante muito tempo, e se estabeleçam assim. Escolham duas pessoas que façam sentido juntas, se complementem, dêem bons combates de Tag Team, e mantenham-nas assim por anos. Façam isso a outras duplas, e temos uma verdadeira divisão de Tag Team. Se for preciso fazer equipas constítuidas por cabeças-de-cartaz, que assim seja, isso é uma mais-valia, tal como foram os Jerishow. Pena foi estarem predestinados para durar pouco tempo.

Pessoalmente, quero os AirBoom juntos pelo menos até à Wrestlemania 29. É o mínimo que se pode pedir. Separá-los em poucos meses, ou até mesmo daqui a um ano, não se justifica principalmente numa altura onde se precisa de equipas. E na Wrestlemania 28, gostaria de ver um combate que representasse a divisão de Tag Team, com duração decente e com equipas certas. Já o disse, e repito, está na altura da Divisão de Tag Team voltar a ter o seu lugar na Wrestlemania. E para me clarificar, quando digo equipas, digo equipas desta divisão, não equipas criadas à pressa com divas reformadas e guest hosts. Gostaria de ver uma aposta nos Usos e que mantivessem os Awesome Truth. Ideal era que encontrassem e formassem outras equipas, não exijo contratações, mas que usem o grande plantel que possuem.

Esforço da parte da WWE já se anda a notar, ao dar um reinado aos AirBoom e ao estar a criar equipas. Espero que não pare por aqui.

Dolph Ziggler possui o Título de USA desde Junho. E merecidamente. Dolph Ziggler anda a crescer a olhos vistos. A sua prestação ao microfone tem melhorado no último ano, e em ringue é dos melhores mid-carders. No futuro, suponho que irá contra Jack Swagger, e certamente irão dar bons combates, mas é necessário que seja uma rivalidade bem construída e que se consiga arrastar por mais de dois ou três combates. Desta forma, iremos ter sempre um foco no Título de USA e será protagonizado por futuros cabeça-de-cartaz. De seguida, acho que seria adequado ir buscar outros talentos que merecem estar na rota deste Título e continuar a trabalhá-los. Mais uma vez, este Título, tal como os outros, precisa de estar representado num PPV, principalmente na Wrestlemania.

E de seguida temos o Título Intercontinental. Este Título já passou pelas ruas da amargura, mas também já foi o objectivo do trabalho de uma vida. Sobre este Título não há muito a dizer que não se saiba já. Desde que seja defendido por pessoas com a credibilidade certa e que tenham convencido todos, então não há oposições a fazer. Tal como nos outros Títulos, também este aparenta estar a receber especial atenção por parte da WWE, e é mesmo isso que tem de se continuar a fazer. E não me canso de dizer que terem trazido o Título clássico, foi das melhores decisões que a WWE tomou recentemente. Espero que Cody Rhodes retenha por mais algum tempo, arranjem-lhe é adversários, e se for Randy Orton, apoio totalmente, só não quero é que Rhodes perca o Título no primeiro combate entre ambos pelo Título. Infelizmente, penso que é isso que irá acontecer, mas veremos.

E de seguida, os tão proclamados, Títulos principais: WWE e World Heavyweight. Há uma coisa que tem de se referir acerca do Título World Heavyweight. Títulos com reinados curtos, digo de seis minutos e digo de 2 dias, é que não são precisos. Isto aplica-se a todos, mas este Título tem sido alvo de situações deste género mais recentemente. Ou dão, ou não dão. Simples quanto isso.

Fora isso, actualmente, o Título World Heavyweight é a personificação do que eu disse acima. Trabalho de uma vida que culminou num reinado, e diga-se de passagem que neste momento este Título está numa situação muitíssimo credível e com uma aparência inalcançável. Porém, friso que isso tem de ser sempre, e não só quando o seu actual campeão é o Homem mais forte do Mundo.

O Título da WWE é o que tem andado mais fraco. Em vez de estar a subir, como os outros, ou pelo menos a dar isso a entender, anda a declinar. Este Título anda a ser vítima de reinados curtos, embora não tão curtos quanto os mencionados acima. Mas a realidade é que a cada PPV assistimos a uma mudança. Isto não é bom para o Título, nem credível, mesmo quando é o Super-Herói a possuí-lo. Começo a perguntar-me se não foi demasiado cedo para o cash-in de Del Rio. Não há dúvidas na minha cabeça em como ele merece estar no main-event. Mas as coisas têm sido tão mal construídas para o lado dele que também é o Título que sofre.

No Summerslam, Del Rio ganha, mas ninguém se lembra pois Nash apareceu na mesma noite. No Night of Champions, Cena ganha porque as audiências andavam em baixo e descredibiliza o antigo campeão ao fazê-lo desistir. No Hell in a Cell, Del Rio recupera o Título, mas ninguém se lembra pois Awesome Truth atacaram o pessoal.

A verdade é que mesmo que fosse outra pessoa no lugar de Del Rio, o Título ficava descredibilizado na mesma, a pessoa é que podia não ficar tão mal como fica Del Rio.

Se virmos bem as coisas, ninguém vê Del Rio como campeão. Primeiro, ganhou por cash-in, e isso é a forma mais cobarde de se ganhar, dependendo de como for feito, claro. Segundo, ele nunca venceu o campeão justamente, apenas o trancou fora da cela. Eu acredito que Cena está tão assumido e tão forte perante tudo e todos, que não ficava mais fraco se perdesse para Del Rio de forma limpa e sem dúvidas. Aliás, ele está demais. Quando ele ganha as pessoas ficam cépticas. As pessoas já não vêem Cena como o melhor quando ele ganha, vêem-no pelo lucro que ele dá em vendas. E não é essa a razão pela qual se devia ter um Título, ou se é, ao menos que as pessoas não o percebessem. Se o que eu descrevi acontecesse, fortaleceria Del Rio e por consequente o Título.

Todavia, tal como já afirmei, existem vendas, crianças e dinheiro envolvidos nesta história que simplesmente é incompatível com o que descrevi. Desde que o Título não mude de mãos nos próximos meses e que seja bem defendido, a credibilidade irá reconstruir-se gradualmente, mas tenho sérias dúvidas de que estas mudanças acalmem por agora. Estou a contar ver Del Rio perder num futuro próximo, infelizmente.

Foi esta a síntese da situação dos Títulos da actualidade. Em relação a outros pormenores, reconheço e sei que no passado nem tudo era rosas para os Títulos, e que nem sempre eram difíceis de alcançar pelas melhores razões, como as que enunciei no início do artigo, mas neste momento, onde se proclama que ninguém é maior que a WWE, não se justifica que os Títulos não tenham a mesma importância e tratamento, pelas razões certas. Pelo menos, é assim que devia ser.

Quero também esclarecer que acredito firmemente que uma rivalidade não precisa obrigatoriamente de um Título para ser espectacular. Todavia, isso não significa que os Títulos enfraqueçam perante os nossos olhos, principalmente quando conhecemos o seu passado.

Sobre o Autor

- Administradora. Publico parte das notícias, faço a gestão da League, dos Passatempos e ainda sou escritora do artigo “Opinião Feminina”.

6 Comentários

  1. Malamadre16 - há 5 anos

    Gostei muito do teu texto e para mim titulos principais e titulos secundarios nao existem para mim sao todos titulos imdependentemento dos maus momentos que tenha tido porque se fomos a ver nomes que ja carregaram titulos com o IC, US e TT viam que sao nomes de topo e isso de dizer que sao bons de mais para lutar por um titulo “secundario” isso é simplesmente estupido.

  2. Na minha opinião o pior que podem fazer é desvalorizar um título.

    Porque por pior fase que um título passe, por certos lutadores que não tem grande credibilidade carregarem certos títulos um título não pode ser desvalorizado porque se forem olhar para o passado desses títulos vão ver que grandes nomes já o carregaram.

    Que mal tem o Orton agora disputar o Título Intercontinental? Eu até acho muito bem.

    O que fico contente com a WWE actualmente é que parece que esta a querer finalmente dar a importância aos títulos e devolver-lhes a velha glória.

    Com o Título Intercontinetal já foi bastante positivo trazer o título classico e Cody Rhodes esta numa fase fantastica e tem a credibilidade toda para ajudar a elevar o título novamente e então numa feud com Randy Orton nem se fala.

    Dolph Ziggler tem melhorado muito sim senhor e é o lutador ideal para ajudar a elevar o título e depois desta pequena feud com os Air Boom vai começar a verdadeira disputa á volta deste título e novos contenders não faltam.

    No caso do Título de equipas com a formação dos Air Boom e combates pelos títulos com Awesome Truth e juntar Ziggler e Swagger só mostra que a WWE esta apostar forte nesta divisão e tem certos lutadores no roster que unidos a outros podem dar excelente equipas e espero ver os Usos lutar pelos títulos em breve porque merecem. No caso dos Air Boom foi uma união perfeita estilos de luta espectaculares, são queridos do público e em ringue são crediveis e foi uma excelente escolha para começar a elevar a divisão.

    O Título de Divas apesar de a Kelly Kelly não ser nada de especial ela teve um reinado interessante e apesar das habilidades em ringue a WWE apostou muito nela para ajudar a elevar a divisão e com esta história das DOD quererem acabar com as barbies só vem dar animo a isto e ainda por mais com Phoenix a Campeã é o ideal para esta divisão saltar para o topo.

    Quanto aos títulos principais não á muito a falar, claro que trocar muitas vezes de campeão não é nada bom mas neste momento Mark Henry é um lutador bastante credivel para carregar o título o porte fisico dele com a sua atitude destruidora não da hipoteses e no caso do Del Rio para mim ele foi apagado nos últimos tempos e tem que corrigir isso agora para voltar a ter aquela credibilidade que tinha no inicio.

    Mais uma vez tens aqui um excelente artigo ;)

  3. Chazz_Princeton - há 5 anos

    Bom texto.

    Na minha opinião, a WWE no que toca à credibilidade dos títulos, ainda não está no ponto, mas para lá caminham, e só por isso eu já fico contente. É uma questão de tempo até termos os títulos todos elevados ao seu nível máximo por assim dizer.

    O título que já lá está é o World Heavyweight. Com um campeão como o Mark Henry, e com toda a destruição que ele provoca, dá a ideia que vai ser impossível alguém tirar-lhe aquele título, ainda por cima quando o top babyface da Smackdown já foi smackdown’d pelo próprio Mark Henry, que só por acaso venceu o Orton limpa e justamente, e achei muito bem. Só espero que continuem a dar credibilidade ao Henry, e espero que ele não perca o título nos próximos meses.

    O título da WWE tens razão quando dizes que tem andado mais fraco. Estas mudanças de mês a mês não fazem bem a ninguém (nem a títulos nem a lutadores), mas agora como o Del Rio ganhou o título a segunda vez, e sem ter sido com o Money in the Bank, pode ser que o reinado seja decente. Uma pergunta, é impressão minha, ou já estás a concordar comigo quando eu dizia que era cedo para o Del Rio ser campeão da WWE? Bom, o ideal seria o Del Rio livrar-se do Cena o quanto antes e começar em feud com o CM Punk.

    O título Intercontinental está simplesmente impecável. Para mim, tem o melhor mid carder da WWE neste momento como campeão, um futuro main eventer e futuro campeão da WWE. Cody Rhodes é o gajo que tem todas as ferramentas, só precisa de saber como utilizá-las, agora esta gimmick também lhe dá uma liberdade diferente da que tinha antes -ele nas promos está excelente, sem queixas- e agora com esta feud com o Orton isto vai começar a aquecer. Apesar disto, o Rhodes continua a afirmar-se e eu penso que por esse mesmo motivo, o Orton não poderia sair por cima nesta feud. Aliás, não é só o Rhodes que se está a elevar, é também o título. E se o Rhodes sair por cima nesta feud, vai mostrar a toda a gente que ele é um futuro main eventer, e vai consequentemente elevar o status do título Intercontinental. Sinceramente, não acredito que o Rhodes saia por baixo nesta feud. Além do mais, eles têm tudo para criar uma boa feud, visto que têm um passado em comum nos Legacy. E, a cereja no topo do bolo, o facto de o Rhodes ter trazido o cinto antigo do título Intercontinental.

    O título dos Estados Unidos é um caso diferente. Tem um excelente campeão, um dos melhores mid carders actualmente, um gajo que tem andado a melhorar a olhos vistos… mas o título não é defendido com muita frequência. Por mim tudo bem, quanto mais tempo o Ziggler for campeão, mais contente fico, mas gostava que ele defendesse o título de vez em quando em PPV. Mas apesar disto, não acho que o título esteja pior que o título da WWE.

    Os títulos de Tag Team. Isto sim, finalmente o renascimento de uma divisão. Os AirBoom foram a melhor coisa que aconteceram àqueles títulos desde há muitos anos. A WWE tem andado a criar equipas com química (Ziggler e Swagger, Awesome Truth), mas penso que falta ainda três factores: 1º: dupla(s) que entre(m) na WWE já como equipa(s). 2º: uma dupla de veteranos da WWE (não sei se o Kane e Big Show ainda estão como equipa) e 3ª: recontratar/reformar uma dupla que já seja conhecida do público (Ryder e Hawkins por exemplo, ou, para grande sonho meu World’s Greatest Tag Team). E depois, claro, dar longevidade a essas equipas, feuds boas, bons reinados e acima disso bons combates.

    Btw disseste que deram o reinado aos Awesome Truth? Não ouvi falar disso em lado nenhum :s

    E agora vem o título das Divas. Concordo com tudo o que disseste, para variar um pouco xD. Agora com a Beth Phoenix tenho esperança que este título tenha uma boa campeã a representá-lo. Daqui a uns anos claro que este título já vai ter toda uma grande história por detrás, só é pena que a Kelly Kelly faça parte desta história, e que daqui a uns anos se vão lembrar dela como “uma grande campeã”, é pena quer dizer, se ela não melhorar. Eu acredito que ela possa melhorar bastante, aliás, tenho notado algum esforço por parte da Kelly (se ela berrasse menos ajudava). Btw, não acreditavas que a Beth fosse vencer a Kelly fair and square como eu disse que devia acontecer? Aconteceu. Parece mesmo que vão apostar mais nesta divisão, e eu acho muito bem.

    Anyway… o teu texto está bem escrito (para -não- variar), tens uma boa linha de raciocínio, é um texto fácil de acompanhar mas não tão fácil de discordar (infelizmente), mas vá parabéns xD

    • Salgado - há 5 anos

      Obrigado pela apreciação.

      Em relação ao reinado dos Awesome Truth é uma gralha, era para ter AirBoom. Já corrijo isso. Obrigada e desculpa!

      Agora respondendo à tua questão:

      Não, eu não acho que seja cedo para Del RIo ser campeão, acho que o cash-in por parte dele foi mal planeado por parte da WWE. A WWE tinha muitos planos que queria executar e executou-os a todos ao mesmo tempo deixando o Del Rio ser ofuscado quando não deveria ser, sendo esse o seu primeiro reinado, que deveria ser especial. Tal como eu disse, se fosse outra pessoa, talvez não tivesse ficado tão prejudicado como ficou Del Rio, o que se entende por razões óbvias.

      • Chazz_Princeton - há 5 anos

        Quem me dera que fosse verdade xD mas mais cedo ou mais tarde isso deve acontecer. Afinal, eles merecem um reinado de duplas… e além disso, sendo a equipa que são, com as promos que dão, e as capacidades atléticas de cada um, seriam uma mais valia para a divisão de equipas.

        Mas não para já, os AirBoom ainda estão a crescer e para isso precisam dos títulos durante mais uns meses, e os títulos também precisam dos AirBoom durante mais uns meses xD.

        Mas pronto, de nada ^^

      • Salgado - há 5 anos

        Tal e qual absolutamente de acordo. E neste momento os Awesome Truth ainda andam distraidos com o Triple H e Punk, por isso, com calminha vai-se lá! Agora é reconstruir e solidificar a credibilidade dos campeões e dos Títulos.

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador