Existem 2 vagas na Equipa do Wrestling PT para publicar notícias. Candidata-te!

Opinião Feminina #87 – The Money In The Bank Aftermath

No passado domingo a WWE realizou a sua terceira edição do pay-per-view “WWE Money in the Bank” que manteve muitos traços que outros pay-per-views de 2012 mostraram ter, sendo o mais notável deles todos, a previsibilidade. Os vencedores eram todos eles previsíveis ou constavam, pelo menos, na lista de possibilidades pensadas pela maioria dos fãs. A qualidade do pay-per-view não ultrapassou a edição do ano passado – algo muito difícil de fazer, diga-se de passagem – mas, também não desiludiu.

No passado mês de Junho entrámos oficialmente no Verão e na “estrada” para o Summerslam. Sendo este pay-per-view considerado o mais importante do ano, seguido da Wrestlemania, é apenas natural que a WWE goste de preparar algo em grande para animar os fãs ao longo do Verão e motivá-los para assistem ao pay-per-view.

O ano passado foi uma promo polémica de CM Punk que pôs toda a gente em alvoroço, o outro ano antes tinha sido a estreia dos Nexus, em 2009 ainda assistimos à reunião da DX e à venda da Raw a Donald Trump por parte de Vince, e por aí adiante. Contudo, embora o caminho que nos leva ao Summerslam garanta a presença e participação de muitas estrelas de renome, algumas delas já estão mais que anunciadas, como por exemplo Brock Lesnar e Triple H, há tantas outras cujo futuro é mais incerto do que se pensa.

Para começar o Money in the Bank, no que mais tarde se notou ter sido uma forma poética de delinear o programa – tenha sido intencional ou não – tivemos o combate de Money in the Bank pela oportunidade de desafiar o campeão World Heavyweight. Este combate foi disputado por Christian, Cody Rhodes, Dolph Ziggler, Tensai, Santino Marella, Tyson Kidd, Damien Sandow e Sín Cara.

Não é novidade que não gostei do facto dos suspeitos do costume – Dolph Ziggler e Cody Rhodes – terem sido dos últimos a ser anunciados para o combate. Acho que magoa a credibilidade de ambos. Aliás, tal como o próprio Jerry Lawler – que devia estar especialmente inspirado nessa noite para admitir a verdade – afirmou, estes dois lutadores eram os favoritos para ganhar a mala. E, como é óbvio, são também aqueles que mais mereciam.

Por essa razão, os fãs dividiram-se e defenderam assim quem merecia mais. Muitos afirmavam que devia ser Cody Rhodes. Este depois de perder o título Intercontinental e de falhar em recuperá-lo, andava um pouco perdido no roster. Comparativamente a Dolph Ziggler, Rhodes continuava e continua a estar mais longe do main-event. Afinal, Ziggler já era frequentemente usado como opção B da WWE – para quando um plano corria mal – ao contrário de Rhodes que não se tinha aproximado da hipótese de sequer ser segunda opção.

Os apoiantes de Ziggler, por sua vez, aclamavam que Ziggler há muito que precisava disto como forma de avançar na carreira e de se destacar. Afinal, Ziggler precisa de se separar urgentemente da imagem de “opção B” que a WWE lhe arranjou e passar a ser visto como uma séria “opção A”. Todos os argumentos são válidos e aceitáveis. Ambos mereciam e, se fosse eu a decidir, ambos saiam do Money in the Bank com as malas. O erro está aí, não em qual dos dois é que merecia ou precisava mais.

Como o futuro de Dolph Ziggler, e por sua vez, John Cena já está – de certa forma – garantido, pois foram os vencedores dos combates de Money in the Bank, as suas direcções criativas irão ser discutidas em futuras edições.

E Cody Rhodes? Que lhe irá acontecer? Ora, a meu ver, Cody Rhodes é a desculpa perfeita que a WWE precisa para não se basear apenas no Money in the Bank ou no Royal Rumble para consolidar estrelas. Tal como foi com Dolph Ziggler, também o esforço de Rhodes está a ser reconhecido pelos fãs, logo não será muito difícil construir e dar-lhe uma história que descreva a sua ascensão total ao main-event.

Infelizmente, não estou a ver a WWE a perder tempo com isso agora. Com o milésimo episódio da Raw a decorrer amanhã, com todos os grandes combates que são precisos anunciar e preparar para o Summerslam, mais uma possível actuação – musical ou não -, o mais provável é que até o Verão acabar Rhodes continue perdido.

A não ser que a WWE decida voltar a dar-lhe o Título Intercontinental. O que a meu ver, não só será desnecessário, como repetitivo. Visto que Rhodes teve um reinado impressionante à pouco tempo e que foi razoavelmente discutido na época de Wrestlemania, os fãs não irão distinguir melhoria ou avanço na sua carreira. Se for para se manter com os títulos de mid-card, ao menos que se mude para o de Estados Unidos. O seu percurso está a ser muito semelhante ao percurso de Dolph Ziggler nos últimos dois anos, se analisarmos com atenção.

No Summerslam, não me admirava nada vê-lo num combate de Tag Team, semelhante ao que se passou o ano passado com The Miz. É lamentável, mas infelizmente é o que creio que vá suceder.

Christian e Santino Marella são os campeões que participaram neste combate. O lugar de ambos no combate é contestável – um mais que o outro – mas a verdade é que com caras novas como Kidd, Sandow e até um certo ponto, Tensai, o combate precisava de um pouco de Star Power.

Christian não é só um veterano neste tipo de combates, ele ajudou a reinventá-los. Os fãs adoram-no e, como veterano, cumpre o papel que antigamente tinha pertencido a Kane ao dar estabilidade e coerência ao combate.

Santino Marella fez o seu papel do costume. As reacções que recebe actualmente são ensurdecedoras, mesmo que se saiba que não vai ganhar nada. Que é um desperdício ter um título de Estados Unidos toda a gente sabe, mas a verdade é que desta forma Santino já se tornou um dos preferidos do público. É bom tê-lo a aparecer, contudo deve-se moderar a sua relevância. Pela forma como está a ter sucesso, dificilmente Santino alguma vez irá mudar.

Gostava que ambos os títulos fossem disputados com mais frequência e envolvessem histórias sérias, mas tal como já referi em relação a Cody Rhodes, não penso que seja isso que vá acontecer. Tal como na “Estrada para a Wrestlemania”, aquilo que a WWE entende ser mais insignificante fica para trás e é ofuscado, sendo a sua construção ou finalização defeituosa. Não penso que aqui seja diferente. Se fizerem algo com os títulos, será na Smackdown e certamente não terá a atenção merecida.

No futuro, gostava de ver The Miz e Damien Sandow a tirarem os títulos a Santino e a Christian. The Miz pode assim recomeçar a sua ascensão ao main-event, passo por passo, dando tempo para a história de CM Punk, John Cena e provavelmente The Rock, acabar.

Aliás, passando já a Damien Sandow, penso que será apenas uma questão de tempo até ele possuir algum dos dois títulos. Fiquei agradavelmente surpreendida pelo público ter reagido à presença de Sandow no pouco tempo que este de destaque no combate – uma das prevísiveis consequências de ter tanta gente num só combate. Afinal, como membro residente da Smackdown e a actuar no seu primeiro pay-per-view com esta nova gimmick, receava que não obtivesse uma reacção que fizesse justiça ao seu excelente trabalho. Felizmente, estava enganada e acho que é mais que merecido. Afinal, ele bem se esforça para nos insultar com vários nomes diferentes.

Tal como todos os outros, Sandow terá muito provavelmente um período de estagnação, o que no seu caso não é mau, visto que ele precisa de se consolidar e estabelecer aos olhos do público. Já ouvi sugestões afirmando que a WWE podia amanhã colocar Sandow a enfrentar Christian, o que embora não me surpreendesse, repito, não sei se seria o mais inteligente. Apostaria mais numa rivalidade séria entre Ryder e Sandow. Ambas as personagens são extremamente diferentes e dada à posição de Ryder junto dos fãs, isso iria continuar a ajudar a valorização de Sandow junto dos mesmos. Dessa forma, ambas as estrelas ficariam ocupadas. Talvez Sandow devesse ser campeão Intercontinental ou de Estados Unidos na altura do Survivor Series.

Alguém que julgo merecer um título e um push mais determinante, e que penso que o provou não só no Money in the Bank, como nos últimos meses no NXT e Superstars é Tyson Kidd. Quem tem prestado atenção aos dois programas mais desvalorizados da WWE, sabe perfeitamente que Kidd tem um enorme talento, uma excelente capacidade de se adaptar aos seus adversários e consegue ter um excelente combate com praticamente toda a gente. A única que Kidd precisa é de uma oportunidade para se mostrar.

Embora incluí-lo no combate de Money in the Bank fosse, não só extremamente merecido, como inteligente, penso que Kidd correspondeu às expectativas – tal como se esperava-, merecendo assim mais uma oportunidade. Se não for por títulos, ao menos que seja por rivalidades significativas. Não faz sentido exibir o talento de Kidd em pleno pay-per-view e depois voltar a escondê-lo na semana a seguir, que é o que aparentam estar a fazer. Kidd pode, mais uma vez, voltar a ser ofuscado no próximo mês, mas espero que ao menos depois do Summerslam a WWE se lembre dele.

Alguém que ajudou muito Kidd na semana antes do Money in the Bank foi Tensai. Este possui experiência e renome suficiente, pelo menos para os fãs mais conhecedores e interessados, para ajudar a valorizar novos talentos. A derrota dele perante Tyson Kidd na Raw antecedente ao Money in the Bank foi ouro sobre azul e exactamente o que Kidd precisava. Exactamente o que mais talentos precisam. Mesmo para os fãs que não estão interessados em saber quem é ou foi Tensai, o seu tamnho fala por si. É óbvio que da forma catastrófica que a sua nova gimmick falhou que tensai não é material para títulos de momento. Notou-se claramente que embora a WWE tenha começado a apostar em Tensai de forma séria, este não resultou, por isso a WWE colocou-o na “gaveta” e passou ao próximo. É triste, mas por vezes a WWE não gosta de esperar. Contudo, se mesmo assim a WWE tiver assim tiver com medo de o desvalorizar, então que o coloque em rivalidades significativas e bem debatidas. Se for bem feito, não há derrotados, apenas vencedores.

Tive imensa pena que tivessem terminado a breve história de Tensai e Kidd com um combate de Tag Team na semana seguinte. Podiam ter tornado isto algo muito mais importante, que valorizava dois lutadores e nem sequer precisava de títulos à mistura. É uma pena, mas agora ambos parecem-me perdidos.

Para quem leu a edição que escrevi para o “Perguntas e Respostas”, pouco mais há a dizer sobre Sín Cara. Compreendo que muitos fãs digam que o seu botch no Money in the Bank, foi maioritariamente culpa de Ziggler. Não contesto isso, é um facto. Contudo, que Sín Cara não tem sido capaz de se adaptar a todos os seus adversários, que ele não tenha tido tempo para se adaptar ao estilo americano e que os seus botches, embora sejam menos frequentes recentemente, são famosos, também são factos. Não estou a ver a posição de Sín Cara em perigo, devido à fragilidade de Rey Mysterio e se tivermos em conta quem é o responsável por ele, contudo começam a ser problemas a mais a pender para o seu lado.

Ora, no início deste artigo afirmei que tinha o seu quê de poético ter o combate de Money in the Bank pela oportunidade de desafiar o campeão World Heavyweight no início do pay-per-view, apenas para terminar o mesmo com o combate de Money in the Bank pela oportunidade de desafiar o campeão da WWE. Enquanto o evento começou com os “novatos” e com o “futuro”, terminou com o “main-event” e as supostas grandes estrelas da actualidade. É de certa forma poético, embora não concorde muito com a ideia.

Por estranho que pareça, o que irrita mais nem é o facto do vencedor do combate ter sido previsível, mas sim a início se ter tornado a escolha mais acertada. Contudo, a agora “estrela de cinema”, The Miz resolveu voltar no início do pay-per-view e semelhante aos seus parceiros, resolveu anunciar que iria participar no combate. Afinal, é assim que se faz hoje em dia, anuncia-se. Nem sequer sei porque é que ainda se dão ao trabalho de falar em combates de qualificação.

A meu ver, quem merecia ter ganho era The Miz. Tal como a sua promo o provou, as suas capacidades ao microfone continuam excelentes e agora, até já se pode proclamar “estrela de cinema”. Era mesmo disso que Miz precisava, mais um argumento para se gabar. Num tom mais sério, é um facto que Miz precisa de uma oportunidade. Miz precisa de algo para conseguir destacar-se. Se lhe tivessem dado a mala de Money in the Bank, Miz tinha uma âncora com a qual conseguia trabalhar. Uma âncora, neste sentido, funciona como algo que desse razão aos fãs para se preocuparem com ele. É desta forma que a personagem de Miz funciona. Sem ter algo que o ajude, Miz não consegue fazer muito mais.

The Miz andava perdido antes da Wrestlemania, depois da Wrestlemania – mesmo tendo obtido a vitória para a sua equipa, e tenho receio que volte a acontecer depois do seu regresso. Se a WWE não lhe quer dar uma mala de Money in the Bank, ao menos que lhe dê um título de Estados Unidos ou Intercontinental. Alguma coisa Miz precisa de ter para consolidar a sua gabarolice, senão não passa de mais a fazer barulho de fundo.

Tal como muitos por aí fora, também eu partilho da opinião que a foto acima esclarece um dos problemas que a WWE possui. Tal como já discuti no artigo passado e em vários outros ao longo do ano, achei que estes dois lutadores foram um desperdício de “lugares” para o combate de Money in the Bank. Podiam perfeitamente ter acabado com a história de só participarem ex-campeões e tinham colocado alguns dos lutadores do primeiro combate, neste último. Desta forma, mais pessoas do futuro tinham oportunidade para brilhar. No que toca a star-power, John Cena tem star-power para dar e vender, por isso não estou a ver qualquer combate envolvendo John Cena a não ter o devido destaque. Na via das dúvidas,  ainda tinham o Chris Jericho que podiam dispensar/usar a bel-prazer caso fosse preciso retirar/adicionar uma estrela estabelecida.

Para o seu futuro, Big Show pretende destruir a divisão de Tag Team. Estou extremamente curiosa em saber como é que ele vai destruir algo que metade dos fãs só agora descobriu que existe, pois só começou a ser construída e trabalhada à pouco tempo, mas suponho que seja uma questão de esperar para ver. Afinal, qual é a melhor coisa que se pode fazer quando se possui um número sólido de equipas e campeões credíveis? Destruí-los por completo!

Ironias à parte, acho tudo isto anedótico e vou manter-me na ilusão durante as próximas semanas, tentando a todo o custo acreditar que isto terá um resultado benéfico para a divisão. Como? Não sei, mas ultimamente tenho dado o benefício da dúvida à WWE várias vezes, portanto, mais uma não fará mal certamente.

Kane, por sua vez, mesmo depois de apenas ter trocado um beijo e de ter admitido não ser alguém com qualidades de “namorado”, já é tratado como ex-namorado de AJ. Acho que isto, ou foi uma falha bastante curiosa da parte da WWE, ou é apenas mais uma vez a WWE a esquecer certos pormenores que não lhes convém para construir a história mais depressa.

Sinceramente, espero que Kane não esteja envolvido da história de AJ e Daniel Bryan. Se aquele casamento for interrompido, espero que não seja por ele. Não só porque depois do que se passou na Smackdown é o mais esperado, como Kane já esteve envolvido em histórias suficientes do género. Vai tudo soar como uma grande repetição e as pessoas estarão mais preocupadas em comparar AJ a Lita, quando as duas não tem nada a ver, e comparar Bryan a Edge, do que a avaliar a sua prestação.

Fica assim para o fim, Chris Jericho, o criador dos combates de Money in the Bank. Num ano, Chris Jericho participou em seis dos sete pay-per-views realizados até agora. No Royal Rumble foi eliminado por uma das estrelas da actualidade da WWE, Sheamus, mesmo depois de ter dado boa luta no fim. Na Elimination Chamber, Jericho foi apenas posto de fora devido a “problemas médicos”. Na Wrestlemania e no Extreme Rules perdeu para o campeão da WWE, CM Punk em dois combates espectaculares. CM Punk tornou-se assim oficialmente, segundo a lógica, claro, o melhor do mundo. No Over the Limit foi um dos elementos do combate “Fatal Four-Way”, tendo um papel fundamental na construção do mesmo. Como veterano que é, Jericho foi o “pau para toda a obra” estabelecendo um ritmo durante o combate. Jericho voltou a repetir isto no Money in the Bank.

No fim disto tudo, Jericho sai da WWE contribuindo mais para a indústria do que muitos outros. Quase todos os seus combates são excelentes, não só em pay-per-view como na Raw e Smackdown.

Pessoalmente, gostava que Jericho continuasse a fazer o que tem feito até agora, especialmente para ajudar Dolph Ziggler. Recentemente, Ziggler tem sido absolutamente “enterrado” pelo campeão Sheamus, o que neste momento não pode acontecer de todo. Ziggler tem uma mala e precisa de proteger o seu valor. E para isso, Jericho é a pessoa certa para o ajudar. Caso não seja com Ziggler, que seja com outra estrela qualquer. The Miz, Cody Rhodes, Tyson Kidd, Daniel Bryan, entre outros, o que não falta são estrelas a precisar de alguém que não se importe de os ajudar a estabelecer-se.

Enfim, muitas estrelas aqui faladas têm o seu futuro dependente do que a WWE decidir fazer com as Raw de três horas e como irá distribuir esse tempo com a preparação para o Summerslam, já outras nem tanto. Veremos que caminho irá a WWE escolher. Mesmo sabendo que o milésimo episódio da Raw não vai clarificar em muito o futuro do programa, pois é um episódio comemorativo, algumas das perguntas aqui colocadas poderão ser respondidas já amanhã. Dessa forma despeço-me e, para quem for assistir à 1000ª Raw em directo, até amanhã!

Sobre o Autor

- Administradora. Publico parte das notícias, faço a gestão da League, dos Passatempos e ainda sou escritora do artigo “Opinião Feminina”.

5 Comentários

  1. GJD - há 4 anos

    Excelente análise
    Sobre o Sin Cara acho que só está na WWE por a WWE não contratar outro lutador no estilo do Rey Mysterio ainda, para mim a WWE errou eleS tinham que ter aproveitado o NXT, para treinar ele, para ensinar ele a fazer promos, a chamar a atenção do público , para se adequar ao estilo americano , o cuidado que a WWE teve com o Tyson KIDD não teve com o SIN CARA.
    Sobre o Jericho eu penso que pelo menos ele tinha que ter ganhado alguma luta em PPV no seu retorno.

  2. danielLP21 - há 4 anos

    Que artigo fabuloso!

    Adorei a forma como apresentaste as tuas ideias,a estrutura do artigo,tudo mesmo…

    Enfim,vamos ao que importa:

    Cody Rhodes é,neste momento,uma incógnita. Não sabemos o que a WWE tem planeado para ele,talvez volte a desafiar Christian pelo Título Intercontinental. Nem me importo muito com essa ideia,mas lá está,como tu disseste (e muito bem) não era um passo em frente na carreira,era mais do mesmo e uma repetição daquilo que foi o último ano dele.

    O vencedor do Money In The Bank por uma oportunidade pelo Título Mundial tem,finalmente,as portas abertas para se afirmar definitivamente no Main-Event. Na minha opinião,é agora que a WWE tem que ter cuidado com Dolph Ziggler e com aquilo que querem fazer dele. Para mim,o mais correcto seria,sem dúvida,uma rivalidade com Chris Jericho,que tem que continuar a elevar talentos como tem feito até aqui,e de uma forma,diga-se de passagem,fantástica! Bem que a WWE lhe podia dar uma vitória num PPV,já que eu gostava que a rivalidade entre o “Y2J” e Dolph Ziggler (que eu duvido que aconteça) durasse dois ou três PPV’s.

    Concordo contigo em relação a uma rivalidade entre Zack Ryder e Damien Sandow. Era uma rivalidade com muito sentido,visto que são os dois o oposto um do outro e Ryder tem uma grande legião de fãs,o que ajudaria imenso Sandow a evoluir como Heel.

    Tyson Kidd merece,e há já muito tempo,uma história de destaque. A mim o que mais me irrita é que se houvesse Brand Split havia espaço para muitas mais histórias,lutadores com muito maior destaque e estou certo de que as audiências não pioravam. Kidd seria um dos mais beneficiados pelo regresso da Brand Split,assim como Sandow.

    Christian e Santino deverão continuar com os seus respectivos títulos nos próximos tempos. O actual Campeão dos EUA,na minha opinião,deveria perder o título para Damien Sandow ou The Miz.

    No entanto,preferia que o Miz tivesse destaque com uma grande rivalidade e sem títulos envolvidos,talvez com Daniel Bryan,mas sem bem que é difícil.

    Sinceramente não sei se acredito muito que o próximo objectivo do Big Show é destruir a divisão de Tag Team,o que se passou na SmackDown! pode muito bem ter sido um segmento isolado.

    Em relação ao Kane não sei o que vai acontecer mas não acredito muito que vá interferir no casamento de amanhã,simplesmente porque a forma mais fácil de a WWE nos despistar em relação a uma interferência no casamento de AJ e Daniel Bryan era precisamente fazer um segmento com Kane no último show da WWE antes da próxima Raw,já que todos nós sabemos que Kane esteve envolvido nesta história há pouquíssimo tempo. Além disso,não acredito que,caso a ideia fosse ser Kane a interferir no casamento,a WWE fizesse o que fez na última SmackDown!,pois estragaria o efeito surpresa,e foi exactamente isso que aconteceu. Caso haja uma interferência de Kane amanhã ninguém ficará surpreendido.

    Agora deixo aqui uma possibilidade- que eu aviso já que não quero que se confirme- para quem quiser comentar ou debater: sendo que (quase) todos nós estamos à espera de uma interferência masculina no casamento de amanhã,já pensaram se por acaso essa interferência vier da parte de uma Diva? E se quem interromper o casamento for,por exemplo,Eve Torres?

    Até amanhã Salgado :)

  3. danielLP21 - há 4 anos

    Só dois comentários?! Então pessoal?

  4. Dolph Ziggler - há 4 anos

    Adorei a ideia do The Miz como Intercontinental Champion e do Damien Sandow como USA Champion. Tenho a certeza que o The Miz iria elevar ainda mais aquele título e iria ser sem dúvida ume excelente reinado e perfeito para se elevar ao Main-Event, depois do seu return.

    Adorei também o Damien Sandow como USA Champion, era o título perfeito para ele começar a sua carreira de sucesso e concerteza faria uma coisa que o Santino não está a fazer agora, que era trazer de volta a credibilidade do USA title e não tenho dúvidas que o Sandow seria o homem perfeito para fazer isso.

    Sobre o Cody Rhodes, todos sabemos que amanhã o Christian irá defender o seu título frente a um adversário desconhecido, onde acho que irá ser o Cody Rhodes mas o Christian deverá reter mais uma vez o título, mas nunca se sabe o que a WWE pode preparar. Mas sim, acho que o Rhodes vai ser o seu adversário amanhã e a “feud” deles acabaria amanhã para assim o Christian ter um adversário novo para o SummerSlam. As minhas apostas favoritas são como já disse, The Miz e Daniel Bryan.

    Sobre o Tyson Kidd, acho que também ira andar perdido pelo roster, irá fazer um combate no NXT, e penso que o seu futuro irá ser mesmo o título do NXT porque, na minha opinião, a WWE nunca vai dar o merecido push ao Tyson Kidd, mas é esperar e ver..

    Quanto ao Sin Cara, fez algumas coisas erradas no combate mas nada de muito grave, ele deveria ter iniciado a sua carreira no wrestling americano, por exemplo, na FCW, mas isso não aconteceu e as consequências disso notam-se neste momento. Penso que uns combates no Superstars nas próximas semanas só lhe fazia muito bem. Com o tempo, acredito que o homem chegue lá.

    Sobre o Big Show destruir as equipas tag-team, não acredito muito nisso e espero mesmo que essa história não continue nas próximas semanas.

    Sobre o casamento entre o Daniel Bryan e a AJ, irá ser interrompido(como é obvio), e penso que será mesmo por Kane porque é a opção mais lógica neste momento depois do SmackDown que vimos. Acredito que depois disso, irá ser marcado um combate entre os 2 no SummerSlam, onde o vencedor fica com a AJ. É uma possibilidade forte, mas espero bem que não.

    Sobre o teu artigo, mais uma vez está muito bem construído e passei um excelente tempo a lê-lo.

    Boa noite e até amanhã!

  5. Master of Chaos - há 4 anos

    Ótimo artigo, só não concordo quando tu disse que o acidente de Sin Cara foi por culpa de Ziggler.

    Achei um grande PPV principalmente porque Ziggler conquistou a mala do MITB e poderá ser o novo WH Champion. Espero que o Cena seja o primeiro a falhar no cash-in nesta noite.

    PS: Pode não ter demorado de meu último comentário para este, mas é porque eu leio os artigos quando os vejo, mas estou na versão telemóvel e comento por aqui.

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador