Pensamentos #56 – Wrestling, Wrestling Everywhere

Sejam bem-vindos á 56ª edição da minha/vossa crónica semanal. Hoje em vez de mandar a minha habitual piada sem piada nenhuma, quero deixar aqui uma coisa bem clara: A semana passada eu escrevi o meu artigo com base num do mesmo tema de um site internacional. Não era a minha intenção copiar integralmente o artigo, senão tinha escrito “tradução de” no fim, até porque eu acho que todos vocês merecem o melhor da minha escrita e não do que outros escreveram e não o fiz. Foi apenas um resumo, com pormenores adicionados por mim. As minhas desculpas a todos.

Adiante, anda ou andava por aqui um rapazinho a comentar os artigos que se achava o Damien Sandow Português e que criticava tudo e todos. Pois bem, caro colega, se me estás a ler, e tens sorte de eu estar a gastar o meu espaço contigo, mete uma coisa nessa cabaça: só se critica, quando se tem a certeza que se faz melhor. Pensa nisso. Agora, deixando as brincadeiras de lado, vamos falar de wrestling, sim?

Esta semana resolvi fazer uma coisa diferente. Como todos muito bem sabemos, o wrestling é um desporto/arte/entretenimento que tem seguidores em todo o mundo e talvez até noutros planetas. É uma forma de arte muito antiga, que se tornou famosa por volta dos anos de 1940 em diante, quando largou o estilo mais shoot (significa lutar a sério) e passou a ter elementos de novela, ou seja, deixou de ser simplesmente dois gajos no ringue a andar á porrada e começou a ter histórias que levavam a certos combates, que criavam rivalidades, que justificavam o porquê dessas mesmas rivalidades. Até aos dias de hoje, o wrestling mudou centenas de vezes, mas num aspecto acho que todos concordamos: a fama que atingiu a nivel mundial e isso levou a que muito boa gente tentasse a sua sorte em criar a sua empresa de wrestling, adaptando e mesmo criando os seus próprios estilos de wrestling. E é disso que vamos falar hoje, afina que wrestling temos em todo o mundo?

O Circuito Independente

indy

Tirando as grandes empresas, WWE e TNA, este é o sitio onde a grande maioria dos wrestlers passa a sua carreira. O Circuito Independente não tem uma descrição própria, porque não é um sitio palpável  ou seja, não é uma empresa, mas sim todas aquelas que fazem os seus espectáculos em arenas muito mais pequenas que as grandes empresas, muitas vezes com 50 ou 100 pessoas a assistir, ou em ginásios de escolas e bares. Mesmo sendo a chamada “Liga Menor”, a discriminação também é feita entre as empresas maiores e aquelas que nunca irão a lado nenhum. Por exemplo, temos grandes empresas com a Ring of Honor, que já não é considerada assim tão indy, pois já tem um plantel mais fixo e tem o seu programa de TV, apesar de ainda não ser nacional, temos ainda a Pro Wrestling Guerrilla ou a Full Impact Pro, que centra os shows em wrestling, ou seja, deixa todos aqueles factores “espectáculo” que vemos na WWE e TNA de fora e concentra-se quase totalmente nos combates, no wrestling em si.

Mas nem tudo são rosas na América em termos de empresas independentes. Quer dizer, depende do ponto de vista, porque também existem aqueles que transformaram o wrestling em algo completamente surreal. Empresas como a Chikara, que usam personagens incríveis nos seus shows. Só para vos dar um exemplo: existe uma equipa de dois gajos mascarados que ao entrar, a sua música enquanto toca, eles caminha até ao ringue, mas se a música parar, eles também param e não se mexem até a música continuar. E isto é só andar na superfície  porque se acham isto estranho, então preparem-se, porque eles usam, nos combates…bombas imaginárias! Sim, leram bem. Eles sacam de uma bomba imaginária, lançam-na em camerâ lenta e quando ela explode, quem é “atingido” arrisca-se a sofrer um pin. Incrível não? Estas são as empresas que se distinguem mais pelo entretenimento do que pelo wrestling em si  assim como aquelas que usam o extreme como principal arma. Empresas como a World Extreme Wrestling e a Chaotic Wrestling, usam os factores Hardcore para se mostrarem aos seus fãs, trazendo de volta o antigo espírito da ECW, com combates extremos, mas sempre com o bastante bom wrestling.

O circuito independente inclui também, falando em termos de lutadores norte-americanos, as empresas internacionais, principalmente do Reino Unido e de França, que também usam bastantes lutadores nos seus shows pela Europa fora. Como todos sabemos, o wrestling europeu não é assim tão evoluído  muito menos em termos de lutadores self-made, por isso, usam lutadores de outros países para atraírem fãs aos seus espectáculos. Nada como usar a fama do país do wrestling para se fazer dinheiro. Basicamente, o circuito independente é isto.

O Wrestling Japonês

puroresu

Podemos dizer que a seguir aos Estados Unidos, o Japão é sem dúvida nenhuma, o maior pais com tradições e fama de wrestling. A história do wrestling confunde-se muito com o wrestling Japonês. Nos anos da WWF e dos territórios da NWA, a estrelas americanas como Hogan, Andre the Giant, entre muitos outros, lutaram no Japão, levando a sua fama para o pais do anime, cimentando-se assim também fora de portas. O wrestling japonês é conhecido como Puroresu, que é uma junção entre as palavras “puro” e a versão japonesa da palavra “wrestling”, que se lê mais ou menos como “resuringu”. E tem esta designação, porque o wrestling japonês é bastante diferente do wrestling em todo o mundo, por uma simples razão: é duro como pedra. O estilo de combate no Japão é um estilo bastante stiff, chegando mesmo a ter combates em que os lutadores mandam murros, chapadas, pontapés e cabeçadas a sério aos adversários, para provarem que são os mais fortes. Claro, que como em todo o mundo, os resultados são previamente decididos, mas o estilo é completamente diferente. Tendo como base o wrestling técnico, o Puroresu enche as arenas onde as principais empresas nipónicas vão, com os seus combates longos, muito técnicos e onde até os finais são diferentes do resto do mundo: Desde 2003, salvo erro, que nenhum combate das principais empresas japonesas termina em count-out ou desqualificação.

Entre as principais empresas de wrestling japonês, encontram-se a New Japan Pro Wrestling e a All Japan Pro Wrestling. Estas duas empresas não têm grandes diferenças: fazem os seus shows em arenas de tamanho médio/grande, têm o seu roster certo, mas também contratam lutadores para um tour ou por uma/ duas noites, ou seja, além do plantel, têm os seus “indys” que lutam exponencialmente nas empresas. Por outro lado, também temos o humor no Japão, onde encontramos uma empresa que já teve uma vassoura, um escadote e um poster como o seu campeão. O quê? Pois é, a DDT, empresa Japonesa, é a empresa do humor no Japão, de uma forma que podemos dizer bastante exagerada, porque o wrestling não é um factor a ter conta na empresa, mas sim tudo o que de mais estranho, ridículo e caricato pode acontecer. É assim no Japão, de um lado, temos o wrestling puro e extremamente duro e do outro, a pura estupidez!

Mexican Lucha Libre

luchalibre

O México é o pais onde se encontra a maior porção de lutadores independentes, devido ao facto de que no México existir muitas distinções entre o peso dos lutadores e no facto de podermos ver equipas com homens e mulheres, tudo misturado. Mas o maior facto do wrestling mexicano é o facto praticamente todos os grandes lutadores usarem máscara. E esse facto torna-se ainda mais relevante devido á tradição da Lucha Libre mexicana em usar máscaras, pois as grandes lendas na história do wrestling mexicano são mascarados, que levavam as personagens ao extremo, ao ponto de só tirarem a máscara tomar banho e nunca ninguém, a não ser a família  ter visto a sua cara. E hoje em dia, continua muito respeito pela tradição, pois é muito difícil hoje em dia ver um Luchador tirar a máscara no ringue, a não ser que a perca numa outra tradição bem patente: Máscara vs Máscara. O perdedor tem de a retirar e nunca mais a pode usar.

O estilo, como todos bem sabemos pela experiência de vermos os lutadores hispânicos na WWE, é o highflying, as manobras aéreas  o voar pelo ringue. E isto porquê? Nem sempre foi assim, o estilo voador foi implementado porque antigamente, os ringues mexicanos eram os ringues mais duros do wrestling. Segundo relatos, pareciam pedra e era muito difícil adaptar-se ás quedas directas no ringue. Por isso mesmo, os lutadores da altura adaptaram-se ao ringue, praticando um estilo mais suave, criando assim o highflying, evitando as maiores quedas nos duros ringues. Entre as maiores empresas mexicanas de wrestling, temos a AAA e CMLL. Estas empresas são as mais famosas do wrestling mexicano e onde muitos lutadores mais antigos despontaram: gente como Chris Jericho, Benoit, London, Jarrett e muitos outros, tiveram a parte da sua carreira no México, onde aperfeiçoaram a sua arte, ao mesmo tempo que se tornavam ainda mais famosos para alcançarem a terra prometida. No México, não existem grandes empresas viradas para o humor, pois o próprio wrestling mexicano já contêm uma boa dose de entretenimento.

O Lixo

backyardwrestling

Este é o último tópico que vou abordar por uma simples razão: é o mais rídiculo. Neste tópico, vou falar disso mesmo, do wrestling que é considerado lixo e neste tópico eu incluo as empresas de backyard Wrestling, tais como a CZW. Apesar de nesta empresa terem passados alguns bons talentos com CM Punk ou Dean Ambrose, a CZW é uma empresa que ofende tudo o que o wrestling representa. Combates com lâmpadas fluorescentes, fogo, arame farpado real, garrafas de vidro, tudo o que saque sangue do corpo é usado, Incluído as famosas lâminas usadas para o bladding, mas são usadas de outro forma: de forma propostiada. Se procurarem no Youtube, existe um video de uma gajo a cortar o braço de outro com uma lâmina e quando digo cortar, é fazer um rasgo grande e fundo no braço, em frente á camera, sem censura. É como se fosse a cortar um bife, mas num braço humano! Isto é wrestling? Isto é entretenimento? Para quê toda esta violência? O lema deste tipo de empresa é “O que não damos em wrestling, damos em violência!”. Mas quem é que no seu estado mental normal deseja ver homens a matarem-se uns aos outros. É ridículo…

Ainda dentro deste pontos, quero destacar aqueles que fizeram a sua carreira neste tipo de empresas e que ao mesmo tempo, tornaram-se “famosos” por motivos criminais: homens como New Jack, que passou a sua carreira inteira a não querer saber de nada nem de ninguém. Bastava o seu adversário não vender um golpe ou estar a ser um pouco mais duro, para New Jack se passar e começar a cometer loucuras, como fez num jovem lutador, a quem aplicou 13 facadas. Sim, a meio de um combate, sacou de uma faca e começou a espetá-la nas costas do adversário! Isto é wrestling? Não me lixem…

O wrestling é um fenómeno global. Está em todo lado, muitas vezes não muito referenciado, mas em quase todos os países  ele existe.Existem muitos mais estilos de wrestling em todo o mundo. Ninguém consegue dizer ao certo quantas empresas/promotoras de wrestling existem. Segundo um site internacional, só nos Estados Unidos, exitem cerca de 100 promotoras de wrestling, no circuito independente. Agora pensem quantas existem em todo o mundo. O Wrestling é algo complicado de perceber e de gostar. Nos pais em que a tradição não existe, é muito difícil o wrestling atingir um ponto a que se possa criar uma empresa de sucesso, muito menos ter um programa de TV. Mas isso não impede todos aqueles que ama esta arte de fazer tudo para ver a sua empresa favorita, o seu lutador favorito, de rir, de gritar, de saltar da cadeira, de ficar maravilhado com o que tudo o que de bom o wrestling oferece…

See you next week, here on WPT!

Sobre o Autor

- Escritor do artigo “Pensamentos”.

21 Comentários

  1. Mauricio M - há 4 anos

    gostei do artigo, mas vou destacar a parte daqueles gajos que usam bombas imaginárias no ringue, isso foi a coisa mais ridícula que já li, não conheço a empresa nem os lutadores, mas depois do que li nem quero conhecer, e sobre a empresa que usa facas e laminas sem censura, eu acho que essa empresa deveria ser obrigada a fechar as portas, esta totalmente contra o que é o wrestling de verdade

  2. GJD - há 4 anos

    Pelo que eu vi das Indys americanas :Tem muito bons combates e excelentes públicos
    Sobre as empresas japonesas só vi 1 evento que foi o último ippv da Njpw : Combates fantásticos a única coisa que eu não gostei foi do público japonês que na maioria das lutas não reagia.

  3. danielLP21 - há 4 anos

    A CZW é completamente ridícula. Não percebo como é possível alguém gostar daquilo. Não dá mesmo para perceber!

    “o wrestling é um desporto/arte/entretenimento que tem seguidores em todo o mundo e talvez até noutros planetas.” ahahahahahahahah

    Agora fiquei a imaginar marcianos com chapéus do Cena e camisolas a dizerem “Feed Me More” ahahahahah

    • Duarte_WWE - há 4 anos

      ahahhhahahaha! ya realmente a CZW é horrivel aquilo não é wrestling é estupidez pura de gente maluca dos cornos!

  4. CARLOS - há 4 anos

    OLHE MEU CARO ACOMPANHO A CZW A MUITOS ANOS E SIM A VIOLÊNCIA É EXAGERADA LÁ,CORTE PROFUNDOS, LAMPADAS A O CARAMBA A QUATRO, MAS ASSISTA A 1 SHOW E VERÁ QUE O ENTRETENIMENTO ESTÁ LÁ. ACOMPANHO WRESTLING DO MUNDO INTEIRO E A CZW NÃO FICA ATRÁS EM NADA ,ENTÃO NÃO CHAME DE LIXO ALGO QUE VOCÊ NÃO CONHECE DIREITO, COMO DISSE ASSISTA A 1 OU 2 SHOWS E TENHO CERTEZA QUE MUDA-RÁ SUA OPNIÃO.

    • Rocha - há 4 anos

      TU ES LOUCO RICARDINHO? A CZW É O MELHOR QUE AH!

      CZW > WWE E TNA DESCULPEM MAS EH VERDADE, É EPICAMENTE EPICO!

  5. RuiFerreira222 - há 4 anos

    Eu, tal como o Carlos, costumo assistir à CZW e gosto. Não é assim tanta violência como imaginas. No youtube é que só aparece normalmente os highlights, que são as partes mais violentas. Eu até costumo fazer uma cerimónia com um colega todos os anos: que é ver todos os vídeos “Best of CZW” de 2002 até depende do ano em que estamos. O Wrestling da CZW é exagerado mas nos videos que estão no youtube parece mais do que é…

  6. JeanJCS - há 4 anos

    CZW realmente é um lixo, isso não é wrestling, a que ponto chegaram, precisam fazer estas coisas para serem visto, não vejo wrestling la.

    Já fi combates do Ambrose la por curiosidade, mais nunca do Punk, alguem pode me dizer se ele fazia estes combates de psicopatas tambem la?

  7. miguel_wwe - há 4 anos

    vejo czw e gosto,tem violencia e sangue mas nao assim tao mau como algumas pessoas pintam,ainda há pouco tempo a czw fez o best of the best 12 e o ar fox ficoem segundo e foram combates normais.Claro que percebo que exageram ás vezes mas quem nao aguentar ver aquilo eu percebo mas eu gosto,nao acho que seja lixo,alguns wrestlers indys como ar fox lutam lá ás vezes mas cada um tem a sua opinia.

  8. Evan Callaway - há 4 anos

    É por isso que amo o wrestling. Desde as insanidades da CZW às palhaçadas da CHIKARA, cara é tudo muito louco. Nenhum outro esporte tem tanta variedade e tanta qualidade. Só gostaria que os shows destas empresas menores também fossem mais divulgados. Ta aí uma ideia pessoal do Wrestling Portugal!!!

  9. carlos - há 4 anos

    OBRIGADO PELO APOIO RUI E MIGUEL, ERA EXATAMENTE ISSO QUE EU QUERO QUE OS QUE NAO ACOMPANHAM DA CZW ENTENDAM, TEM COMBATE VIOLENTOS SIM TEM, MAS A MAIOR PARTE DOS COMBATES SÃO AO ESTILO DA ROH OU DA PWG , MAS É ISSO ASSISTA QUEM QUISER ,EU NO MOMENTO ESTOU ASSISTINDO AO CZW WRESTLECON E TA MUITO BOM.

  10. Evan Callaway - há 4 anos

    Melhores momentos CHIKARA, com direito a Colt Cabana e Antônio Cesaro (Claudio Castagnoli

    http://www.youtube.com/watch?v=b6gdFqVnrwE

  11. Nobody - há 4 anos

    A CZW pode ser um pouco violenta demais mas tem lá bons lutadores (cerca de 10), mas o que vocês se queixam de faltar na WWE há lá (ou seja violência e sangue) por isso, não vejo nenhum mal, se os lutadores querem fazer aquilo então que façam.

  12. gabrielgustavo23 - há 4 anos

    Acabei de ver um combate com as bombas imaginarias hahahahaha que ridiculo isso ,mas está muito engraçado hahahaha

  13. Mauricio M - há 4 anos

    eu acabei ficando curioso e fui ver lutas da CHIKARA e foram lutas completamente ridículas, aquilo é tão surreal que parece que os lutadores estão tirando da cara do público, já a CZW realmente passa dos limites quando o assunto é violência, tem coisas lá que são tão violentas que deveriam ser proibidas

  14. Jorge Rebelo - há 4 anos

    Vou deixar só uma curta observação sobre o que tem sido escrito até agora. Eu tenho uma opinião talvez mais “no meio” entre considerar a CZW “trash wrestling” e levar esta promoção a sério. A CZW é sem qualquer dúvida capaz de excelentes combates e tem actualmente (tal como teve na sua história) um conjunto de lutadores que são realmente bons dentro do ringue e a prova disso é que são vários os nomes que deram o salto para a WWE e mesmo para a TNA.

    O problema da CZW não está na falta de talento (apesar de andar por lá quem não saiba lutar de todo), está na génese da própria promoção, no seu código genético. Tal como a Chikara pretende ser uma promoção de wrestling fortemente inspirada nos “comic books”, tal como a ROH pretende ser a excelência do wrestling puro e duro (sem entertenimento); a CZW tem no seu DNA a glorificação do backyard wrestling, do trash wrestling, ou seja, dois personagens frente a frente onde pouco interessa a habilidade de cada um e a ideia é haver muita violência e muito sangue. Felizmente a CZW tem sido capaz de oferecer muito mais que esta forma de violência gratuita (que por acaso acontece num ringue).

    Eu li muitas opiniões a defender o estilo Hardcore da CZW, mas o que esta empresa faz na sua génese não é wrestling numa perpesctiva extreme ou hardcore. Para quem se lembra da ECW nos anos 90, é indiscutivel que esta promoção fazia uso (e muito) da vertente hardcore, mas isso tinha uma razão de ser, resultava de uma história que estava a ser contada. Na CZW essa violência é usada sem qualquer propósito.

    Mas como referi, a CZW tem vindo a melhorar muito lentamente e consegue hoje apresentar bons combates, inclusivé alguns combates hardcore muito inovadores, sem se limitar a mostrar sangue “só porque sim”.

    • Willian Silveira - há 4 anos

      Jorge, não poderia estar mais de acordo.

      Assisto a CZW desde do show de aniversário desse ano, e até agora me agradou.

      Tem nomes de grande talento (Cole, Callihan, Fox), jovens talentos um pouco desconhecidos e até um pouco de comic-act de vez em quando. Eu sempre assisto o show quase inteiro, pois o ME sempre é uma luta com Masada a usar de tudo e um pouco que eu não assisto.

  15. Duarte_WWE - há 4 anos

    Muito boa edição do pensamentos, falaste do wrestling de todo o mundo e de tudo o que é esta arte que nós amamos, a CZW é mesmo lixo como disseste, é ridiculo alguém gostar de ver pessoas a magoarem-se propositadamente daquela maneira, que estupidez, aquilo não é arte mas estupidez de pessoas malucas dos cornos!

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador