Perguntas e Respostas #91

Sejam bem-vindos a uma edição muito especial do Perguntas e Respostas, neste caso a #91. O meu nome é akujy e hoje estreio-me finalmente neste espaço, algo que há muito desejava fazer. Muitos de vocês não sabem, mas a verdade é que desde a minha participação no Concurso Cronista Universo 2013, acabei por ir ganhando uma leal base de seguidores que me brindou com muitas questões: Desde perguntas básicas sobre wrestling no facebook, a pedidos de opinião mais detalhados, até emails a pedir que eu avaliasse artigos, entre outras coisas. Sempre tentei responder a todos e desde já peço desculpa se alguma vez demorei a responder a alguém, ou se deixei mesmo alguma resposta por dar. Como sabem sou apenas uma pessoa e às vezes não há mesmo tempo para conseguir fazer tudo.

No entanto, agora que faço parte desta grande casa que é o WPT, poderei finalmente chegar a um público mais amplo, conseguindo assim ajudar a esclarecer as dúvidas de muitas mais pessoas. Mas chega de conversa e vamos lá tentar responder adequadamente ao maior número de perguntas que for possível. Comecemos!

Qual a tua opinião sobre o que será possível papel do Sting na WWE? Consideras que será positivo ou negativo? Como farias para promover a imagem dele para aqueles fãs cujo o seu nome é mais desconhecido? (José Sousa)

Primeiro que tudo devo dizer que aprovo a contratação de Sting por parte da WWE e espero que esta contratação se confirme. Acho que seria muito positivo para a WWE se assinasse realmente um contrato com ele. Numa altura em que a WWE se prepara para lançar a sua WWE Network, Sting pode ser uma enorme mais-valia. Primeiro, porque é uma das grandes caras da WCW e ajudaria imenso a promover essa parte da Network; Segundo porque é um dos maiores nomes do wrestling (e da WCW) a nunca ter assinado com a WWE. Isso faz com que apenas a sua contratação fosse só por si boa publicidade para a WWE.

Sting pode ser útil para a WWE de várias formas. Primariamente deverá ser usado para tentar apelar aos fãs mais antigos, especialmente aos que o acompanhavam na WCW. Não é novidade que a WWE anda a tentar apelar novamente a alguns desses fãs do passado, que simplesmente “abandonaram o wrestling” após o fim das Monday Night Wars, ou se mudaram para outros produtos. Isto tem sido visível através de várias coisas, como a temática retro dos jogos WWE’ 13 e WWE 2K14, bem como as contratações de vários lutadores do passado, que tanto têm dado que falar, entre tantas outras coisas.

Assim sendo, acho que Sting, caso fosse bem usado, poderia ajudar na recuperação de alguns desses fãs perdidos. Vê-lo-ia de bom grado a ser útil como personalidade (General Manager, por exemplo), ou até como part-time wrestler, bem como a ser usado em vários programas e formas de promoção dos conteúdos mais old school da WWE Network. E…caso ele ainda conseguisse estar à altura, porque não pensar mesmo na possibilidade do tal combate de sonho com o Undertaker?

Quanto a formas de apresentação ao público mais jovem, não vejo grandes dificuldades nesse capítulo. Para essas pessoas mais novas, Sting teria de ser promovido como qualquer outro lutador, com vignettes, aparições graduais e toda essa panóplia de tácticas que costumam ser usadas. A diferença entre promover Sting e promover um rookie seria mesmo no conteúdo de tais vignettes, ou mesmo promos e até vídeo packages. Sendo Sting uma lenda, seria fácil para a WWE, ao fazer uso da sua extensa videoteca, criar bastantes formas promocionais que enfatizassem o seu legado, os seus feitos e que dessem a conhecer à geração mais nova quem ele é, o que fez e qual a dimensão do seu nome.

Quanto a trabalho no ringue propriamente dito, a minha opinião pessoal (e isto é apenas a minha preferência) é de que Sting, caso venha para lutar, devia ser construído com uma streak de vitórias na WWE, que fosse conquistada em PPV’s importantes, (porque este dificilmente lutará a tempo inteiro) e que seria usada para o tornar numa ameaça credível à Streak do Undertaker. Poderia até ter um primeiro embate com Taker antes da Wrestlemania e vencê-lo, o que o tornaria numa ameaça ainda mais credível, e finalmente perderia conta Undertaker na Wrestlemania XXXI, num combate de Streak Vs. Streak que teria sido bem preparado e construído durante um ano.

Após terminar a rivalidade com Taker, Sting poderia seguir dois caminhos: Ou reformava-se em grande após um histórico combate com o Undertaker na WM XXXI, ou, se ainda tivesse disponibilidade para mais alguns combates, Sting poderia até colocar alguns jovens talentos over, para depois se reformar definitivamente e de uma forma que também seria positiva. Independentemente do caminho que escolhesse seguir, Sting continuaria a ser uma mais-valia após abandonar os ringues. Pois, tal como já referi, poderia ser usado de várias formas na WWE Network e até mesmo como personalidade on screen nos shows semanais.

Bom dia akujy, tudo bem? É o que interessa. Vamos então à perguntinha: Se o título de CruiserWeight voltar, suponhamos, no SummerSlam ou num desses PPV’s dos meses de verão, já com os Shield separados, achas que Seth Rollins seria um bom “primeiro” campeão dessa divisão? Ou escolherias alguém já com experiência como Mysterio? (Jabardo)

Tudo bem, sim senhor, obrigado por perguntares. Espero que também esteja tudo bem contigo. Quanto à tua pergunta, eis a minha opinião: Pessoalmente preferia que, em vez de um título Cruiserweight, a WWE criasse um novo título. Podiam seguir o exemplo da TNA e criar um título semelhante ao da X-Division. No cenário actual do wrestling, em que o tamanho vai sendo cada vez menos uma barreira para o sucesso (e esta forma de entretenimento já deixou de ser o mundo quase exclusivo de gigantes de outrora) eu penso que um título com limites de peso poderia ser algo que acabaria por diminuir a imagem e credibilidade dos lutadores que o disputassem. Se já são pequenos e leves, lutar por um título que ainda enfatiza esse facto não é a melhor das soluções. Por outro lado, criar um título semelhante ao da X-Division (mas que não se regesse por limites de peso) permitiria que este fosse usado para, na prática, trazer de volta a emoção dos cruiserweights, com o bónus de poder juntar outros lutadores à mistura. Outros lutadores que, mesmo não sendo cruiserweights, são capazes de proporcionar o tipo de combate ágil, rápido e cheio de acção que se espera dessa divisão.

Quanto a Seth Rollins, vou ser muito frontal. Não me parece que a coisa vá ser muito bonita para ele quando os Shield terminarem definitivamente, pois não vejo a WWE a dar-lhe muito destaque e por isso adivinha-se um futuro pouco risonho no midcard, pelo menos nos primeiros tempos. Assim sendo, penso que alguém como Rey Mysterio seria uma óptima escolha para dar credibilidade a um novo título (ou a um título que regressasse) com um reinado que não precisava ser muito longo e que podia durar apenas o tempo suficiente para Seth Rollins ser construído como um adversário credível. Nesse cenário, Rollins eventualmente venceria Mysterio e teria todas as condições reunidas para ser um bom campeão.

Por outro lado, espero estar errado e espero que coisas boas aconteçam a Rollins após o fim dos Shield. Se assim acontecer, e caso o mesmo venha a ter um bom destaque após o fim dos Hounds of Justice, acho que seria uma óptima escolha para o papel de campeão”inaugural” do cruiserweight title, ou do tal novo  título que sugeri.

Achas possível Steve Austin ou shawn Michaels voltarem a lutar uma última vez? achas que algum deles pode aparecer na Wrestlemania XXX para ser special refree ou ter alguma outra função importante? (John3:16)

Tudo é possível, ainda para mais no wrestling, mas acho muito pouco provável. A janela de oportunidade para o Austin voltar irá muito provavelmente fechar-se definitivamente na Wrestlemania XXX. E como ele já está quase com 50 anos, duvido mesmo que o voltemos a ver num ringue. Dizem os rumores que ele terá feito algumas experiências no ringue (aquando do último Tough Enough) e que não terá gostado muito do resultado, pois terá ficado mais magoado do que esperaria. Assim sendo, Austin terá interpretado isso como um sinal de que talvez fosse melhor continuar reformado. Volto a repetir que, após esta Wrestlemania, acho que a janela de oportunidade dele se fecha definitivamente.

Quanto a Michaels… Michaels é um caso mais bicudo. Embora ele não tenha qualquer intenção de abandonar a reforma, (como já disse muitas vezes) não podemos esquecer que ele prometeu a Vince McMahon que, se este precisasse, voltaria para um último combate. Ainda assim, como também já está cada vez mais perto dos 50 anos, julgo que se esse combate não acontecer no máximo até à Wrestlemania XXXI, então não acontecerá mais. Na minha opinião pessoal, acho que não voltaremos a ver nenhum dos dois no ringue, e acho bem que assim seja, pois conseguiram ambos sair em grande e não deviam manchar essa parte do seu legado.

Quanto a aparecerem nesta Wrestlemania num qualquer tipo de papel que não inclua lutar, ou mesmo numa aparição especial, acho que é sempre algo que não se pode descartar. São duas das figuras mais icónicas da WWE e não me surpreenderia se ambos aparecessem na Wrestlemania XXX, nem que fosse num segmento de bastidores.

Você acha que a WWE, além de estar gerando problemas para si, está causando também para o wrestling em geral, visto que ela a maior companhia de Wrestling do mundo? (Dreamer)  

A WWE é realmente sinónimo de wrestling para a maior parte das pessoas, esse é um facto inegável. E por isso mesmo aquilo que ela faz (seja bom ou mau) acaba sempre por marcar a imagem do wrestling em geral. Ainda me lembro de promotores que eram escorraçados de várias terras e impedidos de fazer os seus shows, na altura da Attitude Era, (e até anos depois da mesma terminar) porque muito boa gente via o wrestling em geral como sinónimo do mesmo produto mais polémico que a então WWF apresentara nessa altura.

Ainda assim, não penso que os problemas recentes – se assim lhes pudermos chamar – que a WWE gerou sejam difíceis de resolver e ficaria surpreendido se tal não fosse o caso. Não quer dizer que sejam resolvidos de uma forma que nos agrade a nós, mas serão resolvidos de uma forma que continue a gerar bom negócio. E por isso essa situação não se irá reflectir de forma negativa no que ao wrestling em geral diz respeito.

Caro Akujy, visto a alteração do nome do António Cesaro, apenas para Cesaro, perspetivas algum push drástico para o mesmo, dado também pela vitória sobre o Orton na próxima edição do Smackdown? (JoãoRkNO)

Para já devo dizer que concordo plenamente com a mudança de nome. Cesaro é um nome bem mais aceitável para um main eventer, ou para alguém que passe a ter mais destaque, do que António Cesaro. O António é o “gajo” que nos vende o jornal, nos serve a bica, ou nos enche o depósito com gasolina. (sem querer ofender qualquer António, obviamente, acho que percebem o que quero dizer e é uma forma de falar.) Já o Cesaro, nome que pode até ser conotado com a grandeza do nome César, é realmente alguém que pode impor mais respeito. Às vezes esses pequenos detalhes ajudam a fazer a diferença.

Quanto ao seu futuro, acho que – pelo que se vai vendo – é mais do que óbvio que estão a preparar o fim dos Real Americans e que irá realmente haver um push para Cesaro. A duração ou as dimensões do mesmo irão sempre depender de como o público reagir. Acho que se a WWE quiser mesmo fazer de Cesaro um main eventer, terá de o aliar a um bom manager, pelo que acho que Colter devia continuar com ele após o fim dos Real Americans. Por outro lado, preocupa-me que possam tentar dar-lhe um push rápido demais, algo que raramente acaba bem, e preocupa-me ainda mais o facto de, aparentemente, esse possível push estar a começar em alturas da Elimination Chamber.

Não é preciso pensar muito para me lembrar de dois nomes que também tiveram este tipo de push por alturas de uma Chamber e que hoje estão praticamente caídos no esquecimento e já nem trabalham para a WWE. Estou obviamente a falar de Carlito e Chris Masters.

 Acha que se o Punk voltar pode ganhar algum titulo ou vai ficar a saltar de rivalidade em rivalidade até o fim do ano , e o Bryan (a mesma coisa) (Gustavo_BITW) / Achas que esse história do CM Punk ser demitido e se revoltar com a WWE, não passa de uma storyline ?? (Yan) / Pensas que se D.Bryan nao for valorizado que chegue, seguirá o caminho de CM Punk? (The Beard) / Feita esta 1ª questão a 2ª que coloco é se, na tua opinião, achas que o CM Punk pode voltar antes da Wrestlemania (se sim, qual o match atribuído)? Caso não, achas que 2014 ainda pode existir um “Summer of Punk” ou pelo menos um Natal…? (João Pedro)

Decidi juntar todas estas questões numa só, pois permite-me responder a mais leitores, ao mesmo tempo que me dá também a possibilidade de esclarecer todas as vossas perguntas de uma vez, esclarecendo assim estes temas para todos os que colocaram questões sobre os mesmos.

Primeiro que tudo quero desde já dizer que esta saída do CM Punk não aparenta ser uma storyline. Muito pelo contrário, a sua saída parece ser legítima. Ainda assim, não nos podemos esquecer que ele tem contrato com a WWE até Julho e que avisou a companhia que ia para casa. Até que ponto é que ele está desentendido (ou não) com a WWE, só ele poderá dizer, mas acredito que o Royal Rumble não foi o último combate de Punk na WWE. Tudo aponta para que ele não volte a tempo da Wrestlemania, por isso, caso Vince o consiga mesmo convencer a voltar e a renovar contrato, só o devemos ver de volta lá pelo verão, quem sabe por alturas do Summerslam.  Nessa altura, caso ele regresse, podem contar com mais uma espécie de Summer of Punk, pois a WWE não perderá a oportunidade de dar a entender que tudo isto foi planeado e que não passava de uma elaborada storyline, aproveitando-se assim de toda a polémica para gerar receitas e atenção. E isso é o que é Best for business.

Tendo em conta que ele não tem andado bem, quer em termos físicos, quer em termos de saúde em geral, acredito que o descanso só lhe fará bem e talvez a sua ausência acabe por eventualmente lhe dar o que ele tanto quer, o tal Main Event da Wrestlemania, visto que já não há assim tantas estrelas do passado para trazer de volta nos próximos anos e Punk tem mais star power do que alguns desses nomes, bem como menos uns anitos em cima. Por tudo isto, acredito que seja apenas uma questão de tempo até que a WWE o consiga convencer a voltar. Se este realmente regressar, imagino que ainda tenha, no mínimo, mais uma title run com o título principal. De resto, e com ou sem título, é mais do que óbvio que ele e Bryan (tal como qualquer outro lutador) andarão sempre a saltar de rivalidade em rivalidade, pois é assim que o wrestling funciona.

Já agora gostava de acrescentar que, embora acredite que ele não vai regressar a tempo da Wrestlemania, essa é uma hipótese que não pode ser totalmente descartada, ou não estivesse ele sob contrato com a WWE até Julho, como já mencionei. Não devem ficar com grandes expectativas mas, caso ele regresse a tempo do maior evento do ano, acho que Triple H continuaria a ser um bom adversário para ele. Se calhar mais do que nunca, tendo em conta os contornos da sua saída da WWE.

Em relação ao Bryan, a situação é totalmente diferente. Se com Punk apenas podemos especular, com Bryan é possível formar uma opinião mais segura. Acho que é uma questão de tempo até ele voltar a ganhar o título da WWE, o que não significa que vá ter tanto impacto como podia ter tido. Se vai ou não acontecer na Wrestlemania, isso vai depender muito do comportamento do público nas próximas semanas.

De resto, Punk e Bryan são pessoas diferentes. Embora ambos sejam apaixonados pelo que fazem, há que sublinhar que funcionam de formas distintas. Enquanto Punk é alguém mais frontal, mais arrogante e decidido, com mais coragem, mais atrevimento para tentar obter o que acha q é dele por direito (e com razão), Bryan é mais calmo e é o tipo de pessoa que vai trabalhando com o que lhe dão, nunca se deixando abater e procurando sempre fazer omeletes mesmo quando lhe dão muito poucos ovos. Assim sendo, não vejo Bryan a sair da companhia da mesma forma que CM Punk fez, nem o vejo a não renovar contrato com a WWE quando chegar a altura de assinar um novo acordo.

Para todos os efeitos, Bryan está a ter destaque na companhia (mesmo não sendo a cara da WWE) e já conseguiu muito mais do que muita gente esperava vê-lo conseguir. Talvez por isso, e desde que não seja reduzido ao papel de lower-midcarder, não vejo Bryan a sair da WWE enquanto estiver capaz (e quiser) actuar ao mais alto nível.

Acha que os Usos como Tag team champions terão um reinado longo ? ou melhor acha que há alguma chançe da wwe coloca-los como Hell novamente ? (Gustavo)

Não vejo qualquer necessidade de fazer um HEEL turn aos Usos neste momento. Estão a sair-se muito bem como faces, têm momentum, e tudo indica que irão capturar os Tag Team Titles em breve, provavelmente na Wrestlemania. Acho que têm capacidades e condições para ter um reinado longo. Claro que isso irá depender muito da WWE, e da forma como anda ao sabor do vento, mas acredito que iremos vê-los com os títulos por alguns meses.

Caro akjuy, se existisse uma regra que nenhum membro duma tag team lutasse pelos títulos individuais, para evitar casos como o do Ambrose em que pouco o defende e quando o faz ganho por batota, votarias a favor? (DinisCMPUNK (Que o Punk volte!))

Não, não votaria a favor. Primeiro que tudo acho que qualquer tipo de regra que impeça alguém de lutar por um título tem que ser uma coisa rara, para depois não acabar vulgarizada. Porque isto é wrestling e no wrestling esse tipo de regras acabam sempre por ser quebradas, quer se goste, quer não. Depois não acho que fosse preciso tal regra para termos um US Champion a defender mais vezes. O problema não está em quem detém os títulos secundários, mas sim em quem constrói as histórias e toma as decisões. São esses que têm a culpa da actual situação e a mesma pode simplesmente resolver-se com simples bom senso e um mínimo de inteligência por parte de quem toma as decisões.

Akujy, como vês o futuro da WWE sem CM Punk (Ruben_Sousa) / O que achas que vai acontecer em Chicago? (John3:16)

O próprio CM Punk respondeu a essa pergunta na sua mítica Pipe Bomb de há quase três anos atrás. Punk admitiu que era apenas mais uma peça na engrenagem que é a WWE e que a mesma continuaria a funcionar quando ele um dia abandonasse a companhia. E quer gostemos quer não, essa é a grande realidade. Sim, é verdade que a WWE perde um grande activo (e o segundo melhor merchandise seller) e alguém que era capaz de, por si só, agitar o típico marasmo habitual da WWE. Mas a companhia já existia antes de ele lá chegar e continuará a existir por muitos mais anos. Quando muito, a WWE poderá perder alguns fãs mais leais de Punk e alguns membros da IWC, mas nada mais e certamente nada que lhes dê dores de cabeça.

E como a WWE até está a saber gerir muito bem a saída de Punk, ao não anunciá-la publicamente, tem tempo suficiente para ir preparando alternativas que possam ocupar aquele volume de vendas no futuro, ao mesmo tempo que vai aproveitando para lucrar com CM Punk enquanto ainda pode. Não vai ser de um dia para o outro que vão substituir um dos wrestlers que mais vendia, mas eventualmente a WWE conseguirá ir buscar esse mesmo dinheiro aos bolsos das pessoas de outra forma qualquer.

Quanto a Chicago, e caso Punk não volte mesmo até lá, acho que a WWE vai sofrer os efeitos de mais uma multidão Smark, tal como aconteceu na Royal Rumble, ou na Raw após a última Wrestlemania. E não me espantava que tentassem recorrer a um uso extra de Daniel Bryan para tentar apaziguar as massas nessa noite. E depois a Raw chega ao fim e a vida continua, tal como aconteceu após os dois exemplos que mencionei. Com mais ou menos consequências, a verdade é que a WWE continuará sempre a fazer as coisas à sua maneira e não serão uma ou outra má multidão de vez em quando a mudar isso. Seria preciso algo mais.

Beyond The Mat #21   Last Night Was Christmas...

Akujy, o que acha do Randy Orton ser construído (mesmo tendo os dois maiores títulos da companhia) como um heel fraco? O que espera que aconteça com ele após perder os títulos? (GabrieLpNd)

O que acho? Acho triste. Lembro-me de um Randy Orton extremamente interessante, um Randy Orton que carregou às costas uma rivalidade contra o Undertaker, quando este poucas vezes aparecia e Randy via-se obrigado a falar com uma imagem num ecrã, ou às vezes a falar consigo mesmo (por assim dizer) e lembro-me de um Randy Orton nos Evolution, ou até mesmo dos primeiros tempos do Viper. Escusado será dizer que esse Randy Orton há muito que desapareceu e nem cinquenta títulos o trariam de volta com a construção actual que está a ter.

Randy é mais uma vítima do booking da WWE, que sofre sempre alterações constantes e que dá pouca margem de manobra para os seus escritores conseguirem fazer algo decente e criativo. Ele foi mais um dos que sofreu com as constantes alterações à história da Autoridade. No entanto, e como não podia deixar de ser, Randy também tem as suas culpas no cartório, ou não estivéssemos nós a falar de um homem que apenas se motiva para trabalhar quando tudo lhe corre de feição, fruto de um estatuto que possui na companhia e de algumas boas amizades que lhe deram esse estatuto.

Quanto ao que pode acontecer com ele após perder os títulos, sinceramente acho que não vai mudar muito. Provavelmente iremos ver um Randy Orton de pouco interesse, que continua perdido em rivalidades de pouco interesse e com uma construção pouco interessante, sem nunca realmente voltar a ter um massivo destaque, ao mesmo tempo que não perde o estatuto que tem na companhia, que mais não seja pelo longo e lucrativo contrato que ainda tem a cumprir. Orton continuará preso no purgatório por mais algum tempo. Resta saber se ainda tem capacidades para um dia sair de lá. Não podemos também esquecer que o facto de estar apenas a uma strike de ser despedido (no que à Wellness Policy diz respeito) servirá também como um factor que irá limitar muito a margem de manobra de Orton.

Achas que o titulo Intercontinental e titulo dos EUA deveriam ser unifacados? Seria bom para a companhia? (The UnderTaker YES!)

Sim, acho. Desde que o resultado físico dessa unificação fosse a manutenção do Título Intercontinental. Até porque é um título com mais história e mais prestígio do que o USA Title. Temos que ser realistas e perceber que actualmente o panorama da WWE está bem diferente do que quando tinha duas brands. O plantel é mais pequeno e por isso não vejo necessidade de terem tantos títulos como antes. Um título principal, um título intermédio, um título de equipas e outro feminino parece-me suficiente para o estado actual da WWE.

Ter menos títulos ajuda a que os poucos que restem consigam ganhar prestígio mais facilmente, se forem bem tratados. Um título deve ser algo pouco acessível, raro de conseguir e que resulte num grande momento para o lutador que o consegue. Ter 6, 7 ou 8 títulos em nada ajudaria a isso no panorama actual. E seria um forma de reduzir o número de pessoas que vão tendo múltiplos reinados. Antigamente, ver um campeão (seja lá de que título fosse) por sete ou oito vezes, ou até mais, era algo raro, acessível a poucos. Hoje parece uma coisa cada vez mais banal. Por isso mesmo acabei por aceitar a decisão da WWE em unificar os títulos principais (embora não tenha a certeza que a mesma seja definitiva) da mesma forma que aceitaria de bom grado a unificação dos dois títulos intermédios.

Reduzir o número de títulos será sempre uma medida que ajudará a que os mesmos não sejam vulgarizados. Lembrem-se que antigamente eram muito poucos os atletas numa geração inteira que ganhavam sequer um título mundial, quanto mais meia dúzia deles. Lógico que será necessário mais do que isso para recuperar o prestígio que eles tiveram noutros tempos, pois isso requer também um bom booking. Mas a redução de títulos seria um primeiro passo nesse sentido. Este é um daqueles casos em que menos é mesmo mais.

Além do mais, não nos podemos esquecer que se um dia quiser – e se estiverem reunidas as condições necessárias – a WWE pode sempre trazer de volta alguns desses títulos que foram unificados ou desactivados. Não seria a primeira vez, nem sequer a última. Repito que, para já, menos é mais no que a títulos diz respeito, e acho que por agora deve ser esse o caminho a seguir, de forma a não banalizar ainda mais os mesmos.

Qual a tua época favorita da WWE: Golden Era, Attitude Era, Ruthless Agression ou PG ? e porquê ? (Nani)

Posso-te dizer, tendo assistido a todas, que as minhas preferidas são a Attitude Era e a Ruthless Agression. Se tiver que escolher entre as duas, irei sempre preferenciar a Attitude Era, até porque era uma época em que o Wrestling realmente era imprevisível, em que tínhamos alternativas, abundância e a magia das Monday Night Wars. Nem tudo era bonito, como muita gente pensa, mas a magia das guerras de segunda-feira é algo que só pode ser verdadeiramente entendido por quem as viveu. Posto isto, não acho que o produto PG seja mau apenas por ser PG. Mais sangue, mais cadeiradas e mais riscos no ringue não são, por si só, sinónimos de um melhor produto. O problema da PG Era reside mesmo noutros factores. Mas isso já foge ao que me perguntaste e é tema para outro dia. Espero ter-te dado a resposta que procuravas.

Se fosses tu a bookar a TNA neste momento, que storylines mudavas ou criavas? (Miguel Carlos)

E assim chegamos ao Main Event desta edição, ou seja, a pergunta final desta semana. Trazes o tema perfeito, mas com a pergunta errada, por assim dizer. Permite-me que explique o que quero dizer. É muito relativo falar em que storylines poderiam ou não ser criadas numa companhia. Tudo gira á volta do momento certo, das personagens correctas e da liberdade que é dada aos performers para poderem contar uma história onde estes revejam um pouco da sua própria identidade. Posso-te dizer que terminava com tudo o que envolva Dixie Carter a fazer promos no Impact Wrestling. Isso era mais que garantido. Porém, considero que o problema da TNA vai além disso.

Existe um mito, perpetuado por alguns fãs da WWE e da TNA, que diz que não se deve comparar duas companhias com produtos diferentes. Tal não passa mesmo de um mito e não devem deixar-se enganar pelo mesmo. Embora haja coisas que realmente não podem ser comparadas, existem também muitos factores que podem realmente ser analisados em conjunto, no que a duas companhias diferentes diz respeito. Um desses factores é o próprio produto em si.

Existem várias coisas que constituem um produto de uma companhia de wrestling e que influenciam a definição do mesmo, bem como o que se passa no ringue, ou mesmo ao microfone. Não vou poder entrar em detalhes sobre isso, senão esta edição ficava ainda mais gigante, mas também não tenho de o fazer para chegar onde quero. Preciso apenas dizer que, ao fim do dia, os produtos podem classificar-se da seguinte forma: Popularity over performance, performance over popularity, ou 50/50.

O primeiro é o tipo de produto que se centra mais em redor da popularidade de um wrestler, bem como das suas capacidades de entertainment, e se foca menos naquilo que é capaz de fazer no ringue. A WWE é praticante deste tipo de produto, que também é conhecido, graças a Vince McMahon, por sports entertainment. O segundo é precisamente o oposto, ou seja é um produto que se foca mais nas capacidades técnicas e de performance no ringue, e se centra menos no factor de entertainment e de mic skills de um wrestler. A TNA foi praticante deste tipo de produto durante vários e bons períodos da sua história. O terceiro, e mais raro de encontrar, é simplesmente um produto que privilegia o equilíbrio perfeito entre a parte de entertainment fora do ringue e o que se passa dentro do mesmo.

A partir daí há muitas subdivisões que podem ser feitas ao produto, incluindo o tempo que dedicam a angles e promos e o tempo que dedicam a combates, bem como os elementos que constituem o tipo de wrestling que é praticado.

Tudo isto para chegar ao ponto mais importante: A TNA foi uma companhia que ganhou notoriedade com um produto que privilegiava mais o que se passava dentro do ringue e que dava menos importância aos restantes factores. Fizeram-no de uma forma notável e que lhes granjeou uma pequena, mas leal base de fãs. Tinham uma identidade própria e um produto único, com destaques também únicos como a sua X-Division. Com o passar dos anos, e especialmente com a chegada de nomes como Hogan e Bischoff, a companhia foi-se afastando desse tipo de produto que praticava e, se formos a ver o que fazem hoje, estão mais para o género de produto conhecido como popularity over performance.

Para mim isso é um erro, já que um produto desse género precisa de ser centrado à volta de um sólido grupo de entertainers que não só sejam capazes de manter esse tipo de produções ao microfone, como tenham também a popularidade e star quality necessários para que tal funcione. Tal não é o caso na TNA que, embora tenha alguns elementos com estas características, claramente não tem performers suficientes que reúnam todas as condições necessárias para se aventurar em tal tipo de produto. Assim sendo, penso que a primeira coisa que a TNA devia fazer era regressar a um produto que se assemelhasse mais às suas origens, que desse mais ênfase ao que se passa no ringue e que mantivesse a tradição de wrestling de grande qualidade que sempre foi sinónimo das siglas TNA. Ter Dixie Carter a falar durante duas horas (atenção à hipérbole) em nada vai ajudar a TNA a voltar a encontrar as suas raízes.

Assim sendo, a primeira e principal mudança que eu faria na companhia era mesmo ao tipo de produto que a mesma apresenta. E a partir daí poder-se-iam desenhar vários tipos de novas storylines que fizessem jus a esse tipo de produto que todos nos habituamos a associar à TNA.

E assim dou por concluída uma gigante edição do Perguntas e Respostas. Prometi uma edição especial e cumpri. Talvez até tenha sido a maior de sempre em tamanho, ou lá perto. Dei 13 respostas a mais do que 13 perguntas, pois acabei por unificar algumas questões… (Unificar…see what I did there?) Peço desculpa aos leitores que não viram as suas questões respondidas, mas a verdade é que há limites para o tamanho de um artigo e por isso haverá sempre perguntas que infelizmente terão de ficar de fora. Ainda assim, e porque toda a gente merece ver as suas dúvidas e questões respondidas, não hesitem em interagir comigo na caixa de comentários deste espaço e tentarei esclarecer as dúvidas de todos aqueles a cuja pergunta não pude responder.

Resta-me despedir, mostrando o meu agrado por finalmente ter cumprido o objectivo de participar neste espaço e agradecer a todos pela excelente participação e pelas perguntas que me endereçaram. Espero continuar a merecer a vossa confiança no futuro. Espero também que continuem a participar muito neste espaço, não só comigo, mas também com todos os meus colegas. Para a semana o Perguntas e Respostas será conduzido pelo Chris JRM, autor da rubrica Top Ten. Não deixem de endereçar as vossas perguntas a este excelente escritor. Termina assim a participação de duas semanas do Beyond The Mat neste espaço, cá estaremos novamente daqui a algum tempo. Obrigado a todos e despeço-me da forma a que já vos habituei e que esta semana reflecte o meu agrado por finalmente ter estado presente neste espaço.

Finally…Perguntas e Respostas has been Pipe Bombed!

Beyond The Mat #21   Last Night Was Christmas...

Sobre o Autor

- akujy é um seguidor de wrestling com 3 décadas de experiência, uma paixão pelo Benfica e uma mania de constantemente mudar a sua foto de capa do Facebook! Deal with it! É com muito orgulho que faço parte desta equipa do WPT como colaborador, a publicar algumas notícias e como co-escritor do artigo Beyond The Mat.

39 Comentários

  1. Miguel - há 3 anos

    Akujy se é a tua opinião já é pessoal xDDD.

    Concordo com todas as tuas respostas.

  2. José Sousa - há 3 anos

    Excelente edição meu caro. E a tua resposta á minha pergunta é próxima do que eu penso que se deve fazer caso se confirme a vinda do Icon para WWE.

    • akujy - há 3 anos

      Obrigado José. Espero que seja mesmo algo nestes moldes que aconteça caso ele venha. Vamos torcer para que venha e para que tudo dê certo.

  3. Miguel Carlos - há 3 anos

    Eu precebo que digas que foi a pergunta errada, até porque eu queria que explicasses pormenorizadamente porque é que achavas que a TNA está mal neste momento e escrevi aquela pergunta à balda. Concordo quando dizes que a TNA é (cada vez menos) performance over popularity. Eu fiquei chocado com a notícia dos Triple Threat’s na X-Dvision, porque assim os combates desta divisão não teriam qualquer storyline por trás. Eu pessoalmente prefiro a parte entretenimento e vejo wrestling pelas storylines e não tanto pelos combates.

    Chris JRM:
    Até onde achas que, com 33 anos, o Antonio Cesaro vai chegar na WWE?

    • akujy - há 3 anos

      Atenção que eu quando disse “pergunta errada” não estava a retirar o mérito à tua questão, pelo contrário. Aliás, tanto mérito teve que até foi o main event. Eu apenas entendi que querias perceber qual a minha opinião sobre o que estava mal na TNA. E pelo que dizes, parece que estava certo e que era isso que querias. Quando disse errada, apenas queria dizer que o problema vai para além das storylines. Espero que tenhas gostado da resposta.

  4. joaop - há 3 anos

    granda enjoo de akujy esta semana!!

  5. don_ricardo_corlone - há 3 anos

    Estou para ver o Antonio Banderas a servir-me um café ou a vender-me um jornal…

    • akujy - há 3 anos

      Ah Ah! Gostei dessa. xD Tal como eu disse, foi maneira de falar e em nada queria minimizar quem se chame António, nem o nome em si. Foi msm para explicar o meu ponto de vista.

  6. Dcastanho - há 3 anos

    Caro Chris JRM, passado uns meses após a unificação acha que seria bom termos os titulos de novo separados? (visto que a wwe tem no roster alguns midcarders que talvez nunca sejam wwe champion, e cheguem apenas ao WHC).

  7. john3:16 - há 3 anos

    Obrigado por responderes akujy concordo plenamente com as tuas respostas, mas acho que seria interresante ver pelo menos um deles como arbitro, quanto mais n seja para ver um dos seus finishers ambos excelentes.
    Tenho mais 2 questoes se gostarem de alguma delas : Quem achas que pode ser o melhor adversario para lutar contra Undertaker e HHH na Wrestlemania XXX ?
    Como achas que vai ser 2014 para os waytt family ?

    • akujy - há 3 anos

      Ora essa, eu é que agradeço a pergunta. John, eu tmb não me importava de ver isso e quem sabe até pode acontecer, nunca se pode dizer nunca, ainda mais no wrestling.

      • john3:16 - há 3 anos

        Ainda mais no wrestling atualmente, ta tudo mocado

      • akujy - há 3 anos

        Podes crer. xD

  8. THE STEPFATHER - há 3 anos

    Podiam fazer um old school match na wrestlemania: Austin vs Michaels. Só assim eu perderia meu tempo assistindo a Wrestlemanis.

    • akujy - há 3 anos

      Não acho que seria a melhor maneira de os usar. Se tivessem de lutar preferia vê-los a por alguém mais novo Over. Mas claro que a possibilidade de ver um match desses seria sempre um aliciante em teoria.

  9. The Beard - há 3 anos

    Chris JRM, olá, o que pensas destas estratégias da WWE de fazer o campeao Randy Orton, perder quase todos os seus combates até ao elimination chamber, e depois, provavelmente, vai ganhar, ou ja ganhou (nao sei quando vais responder). Achas que favorece a construcao de um campeao para a Wrestelemania?

  10. JoãoRkNO - há 3 anos

    Desde já, muito obrigado pela resposta Sir, completaste aquilo que eu perspetivo para o Cesaro. Realmente o Carlito e o Masters foram um belo tiro no escuro, apesar de que, por muito talento que possam ter, nunca fui fã de nenhum dos dois.

    • akujy - há 3 anos

      Eu gostava do Carlito e tive pena que as coisas não dessem certo. Espero que, no caso do Cesaro, tudo corra pelo melhor, pois este homem já mostrou que merece mesmo a sua oportunidade. Esperemos que a aproveite e, mais importante ainda, que o deixem aproveitar.

  11. Dreamer - há 3 anos

    And once again, I’m feeling pipe-bombed xD
    *clap clap clap clap*

    Caro Chris JRM, você acha que a Brand Split deveria voltar?

  12. Jardel Silva - há 3 anos

    o Que Achas Do Kofi Kigston?Achas Que Para Chegar Ao Main Event Ele Teria Que Mudar De Gimmick?Achas Que Kofi Podia Ser Um World Heavyweight Champion?Que Gimmick Vc Iria Aplicar Se Fosse Bokker Da WWE?

  13. Gustavo - há 3 anos

    Acha que algum lutador da WWE mereça uma mudança de gimmick extrema assim como o Jeff Hardy planeja fazer na TNA ?

  14. Fabrício Buriche - há 3 anos

    Chris JRM, o que você acha que o Vince está tramando pra surpreender a todos na WrestleMania?

  15. EGame - há 3 anos

    Li pela primeira vez e gostei, tem alguém da TNA que gostaria de ver na WWE?

    • akujy - há 3 anos

      Obrigado EGame, espero que continues a seguir a rubrica, pois há sempre muitos escritores talentosos desta casa a participar.

  16. 434 Days - há 3 anos

    Ora bem Chris JRM, Quem achas que pode vir a ser o próximo grande Main-Eventer após o WrestleMania XXX?

  17. Malco Canedo - há 3 anos

    Chris JRM, você acha que deveriam induzir Owen Hart no WWE Hall of Fame este ano, já que em maio a morte dele completará 15 anos?

  18. João Pedro - há 3 anos

    ” O problema da PG Era reside mesmo noutros factores. ”

    Em quais?

    • akujy - há 3 anos

      A pergunta é para mim ou para o Chris? Desculpa perguntar mas não entendi. Acho que seria um bom tema para o Chris falar na semana que vem, se ele assim o entender.

  19. Alexandre dos Santos - há 3 anos

    Qual a sua opinião sobre as Brands (RAW e Smackdown) e se elas tem chances de voltar?

  20. Roberto060699 - há 3 anos

    akujy, eu sei que não és tu que escreves este artigo para a semana, mas é uma pergunta rápida e que sempre tive curiosidade …
    Golden Era, Attitude Era, Ruthless Agression Era, PG Era, quem dá os nomes a estas “eras”? é o próprio tio Vince ou é o público que vai inventado nomes para estas eras? ou outra explicação qualquer.

    :D

    • akujy - há 3 anos

      Olá Roberto. Estes nomes vão surgindo com o tempo, geralmente dados por especialistas e nalguns casos surgem também como resultado do ponto de vista da opinião do público.

      • Roberto060699 - há 3 anos

        hmm, interessante até. Obrigado (:

  21. Simao Rock - há 3 anos

    O que achas do regresso da divisão de superstars por RAW e Smackdown ou seja o regresso das Brands split?

  22. Gustavo_BITW - há 3 anos

    achas que o Punk pode voltar agora antes do maio ppv do ano ? E se voltar é po main event?? abraços ..

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador