Perguntas e Respostas #92

A todos dou as boas-vindas a esta edição do “Perguntas e Respostas”, onde me estreio, após várias semanas a brindar-vos com o “Top Ten”. Por esta altura seria de achar que só conseguiria fazer isto sob a forma de Top 10 e seria assim que ia responder às perguntas. Mas como não trabalho para a Bleacher Report, ainda posso fazer isto como deve ser.

Não sei o que os leitores costumam achar quanto a isto, mas noto que em relação a outros escritores, talvez seja dos que menos responda ao feedback, faço-o mais no caso de haver alguma pergunta. Mas leio sempre tudo e tenho em bastante consideração, logo sei sempre quem acham que devia marcar presença no “Top Ten” da semana mas que eu não incluí. Aqui não tenho qualquer escapatória, as perguntas foram dirigidas a mim e tive gosto em lê-las. Espero que não tenha avançado alguma pertinente sem querer. Cá ficam as respostas que vos esclarecerão ou vos deixarão a saber o mesmo:

Até onde achas que, com 33 anos, o Antonio Cesaro vai chegar na WWE? (Miguel Carlos)

Esta é uma daquelas situações em que não quero ver a idade como algum obstáculo – que aqui nem me parece. Pode não estar nos seus frescos 20s, mas a sua forma física não denuncia qualquer falha ou desgaste. E, independentemente da idade – que, lá está, não é muita – parece-me que seja desta que estejam a dar o devido valor a Cesaro e que este seja o seu push a valer. Uma vitória limpa sobre o WWE World Heavyweight Champion e uma das principais caras dos últimos anos na companhia, um combate de elevadíssima qualidade com outro Superstar de topo, uma participação notável e credível na Elimination Chamber – há sempre lá alguns para encher e que saem logo mal entram e, felizmente, este ano não se verificou isso – e até a história de que Vince McMahon e outros oficiais já estão finalmente rendidos e convencidos com os seus talentos. Também só se não quisessem ver.

Por mim, Cesaro começa aqui o seu caminho em direcção ao main event, independentemente da sua idade. Sheamus tem 36 anos, tinha 31 quando se estreou e recebeu o seu push e 33 quando viu a sua Face Turn e segundo push que o colocou no estatuto alto onde ainda agora está. Não vejo porque não hão de fazer o mesmo com Cesaro e passando, até por fases semelhantes: feuds com Superstars de topo, uma Face Turn, um reinado sólido como principal Campeão – se deixarem de ter medo de dar o título principal a malta que não seja a do costume, ainda mais agora que já não há World Heavyweight Championship – e um estabelecimento nesse lugar cimeiro.

Muitos ainda estão todos virados para as curvas aos 40 anos e Cesaro não parece dos tipos que se desleixam, logo acho que aí ainda vai estar bom. E até lá ainda vão 7 anos onde pode acontecer muita coisa. Portanto, independentemente da sua idade que nem é propriamente tão avançada e até está dentro da média, só não levam Cesaro aos mais altos patamares se não quiserem ou se algo correr muito mal, algo que – bate na madeira – espero que não aconteça.

Caro Chris JRM, passado uns meses após a unificação acha que seria bom termos os títulos de novo separados? (visto que a WWE tem no roster alguns midcarders que talvez nunca sejam WWE Champion, e cheguem apenas ao WHC). (Dcastanho)

O Undisputed Championship que o Jericho inaugurou não durou assim muito tempo, se se lembrarem. Mas isso foi porque introduziram a “brand split” pouco depois. E, muito sinceramente, seria a única coisa que vejo que pudesse condicionar essa nova divisão de títulos. Como dizes, ainda existem vários midcarders altos ou, como lhes decido chamar agora, “pré-main eventers” que ainda não estão aptos – se alguma vez estarão – para o WWE Championship. Mas lembremo-nos: é para isso que o título Intercontinental serve, independemente do quanto se têm importado com isso.

Logo, sem brand split, ainda não vejo a separação dos títulos como uma boa ideia – e admito que, inicialmente estava céptico com a unificação mas muito rapidamente fiquei convencido. Se continuarem a ter os dois títulos sem que cada um se torne exclusivo de uma brand, o WWE Championship vai ser sempre o mais importante e vai encabeçar tudo. O outro, tal como nos seus últimos momentos de vida, vai tornar a andar a cheirar o rabo do outro título e a passar por um título de midcard. E o Intercontinental fica mais baixo ainda e o United States há-de servir para segurar as calças. Lembrem-se que todos estes títulos existem porque haviam programas onde os dividir. Sem brands, não vejo razões para voltarem a separar os títulos. Aliás, ele ainda andar com os dois cintos ao ombro é que pode fazer alguma confusão!

Se acho que devia voltar a brand split? Isso fica para outra pergunta, visto que isso parece ter sido a pergunta da semana!

Quem achas que pode ser o melhor adversário para lutar contra Undertaker e HHH na Wrestlemania XXX ? (john3:16)

Ora quando soube que o próprio Undertaker queria o Daniel Bryan, pus-me a pensar e cheguei à conclusão que também queria. Porque antes disso até estava bem com a ideia de Brock Lesnar. O Undertaker é daqueles casos que, graças ao seu estatuto anual exclusivo, ainda a época de Wrestlemania está longe e já se fala no potencial adversário. E dá para contar os lutadores disponíveis e vemos que pode estar cada vez mais reduzido o número de Superstars credíveis, sem ter que recorrer tanto ao passado. E sim, Lesnar ainda é recorrer um pouco ao passado, mas a besta continua uma besta e é dos mais credíveis que há por lá. Pronto, nenhum deles é regularmente activo mas como os seus poucos combates por ano costumam ser bons, este passa – mas não se podem perdoar assim muitos.

Fora o já praticamente confirmado Brock Lesnar, ainda não via quem mais podia ser e também já não sobram tantos nomes no futuro. Nem sabemos quantas Wrestlemanias é que Taker ainda tem dentro de si. E para o futuro só me consigo lembrar de Daniel Bryan, já que o próprio gosta da ideia e não é difícil torná-lo enorme, e John Cena em quem veria isto como um ponto inevitável na carreira – o tipo que já fez tudo, mas ainda tem uma coisa por fazer. A não ser que Roman Reigns fique mesmo muito enorme, ainda é isso – e o eterno Sting – que vejo como possibilidade futura. Mas coisas podem alterar sempre. E para este ano, já se tinha assentado a ideia de Brock Lesnar, que foi o que se confirmou.

Quanto a Triple H, também não haviam assim tantos caminhos. O conflito com Vince McMahon chegou a ser discutido e até acredito que venha a dar-se no futuro – quiçá na XXXI? – mas para este ano, foi abortado. Depois disso só via lógica em dois Superstars rebeldes contra o sistema autoritário: CM Punk e Daniel Bryan. CM Punk parecia o mais lógico e lançado e até seria uma decente sequela para o mal acabado “Summer of Punk” de 2011. E até já estava mentalizado que seria ele e desde sempre que preferi Daniel Bryan no main event, nem que fosse numa Triple Threat, como Campeão ou não. Mas como no main event não há Bryan e em lado algum não há Punk, fica o Triple H vs Daniel Bryan que já se anda a cozinhar desde o Verão passado.

Como achas que vai ser 2014 para a Wyatt Family ? (john3:16)

De forma muito curta e directa, só vejo maravilhas. São uma das melhores coisas que lá têm a marcar presença em TV e é um dos casos em que eles, felizmente, sabem disso – outra vezes passa-lhes ao lado. E 2013 já não foi curto em sucessos.

Mas quanto a 2014, há uma forma muito simples de ver isto e é olhando para estes dois meses iniciais: já tiveram dois combates candidatos a melhores do ano: o brilhante 6-Man Tag do passado Elimination Chamber e o one-on-one do Royal Rumble entre Bray Wyatt e Daniel Bryan. Ganham nos dois, ou seja, saem por cima do Superstar do ano anterior e do trio que mais dominou e destruiu também no ano anterior. Em plena estrada para a Wrestlemania, arranjam problemas com a galinha-de-ouro da companhia e anda tudo encaminhado para que seja esse o seu plano para o grande palco. E o Batista dava parte do corpo e todas as selfies do mundo para estar tão over como eles. E são Heels. Como é que se estraga isto? Não se estraga. Quer haja ouro de equipas para Harper e Rowan ou ouro singular para Bray Wyatt, ou até nem achem que seja preciso, estes sabem como marcar presença. 2014 tem tudo no sítio para ser um grande ano – ou “o” ano – para muita malta nova. E isso inclui este grupo.

Chris JRM, olá, o que pensas destas estratégias da WWE de fazer o campeão Randy Orton perder quase todos os seus combates até ao Elimination Chamber, e depois, provavelmente, vai ganhar, ou já ganhou (nao sei quando vais responder). Achas que favorece a construção de um campeão para a Wrestlemania? (The Beard)

Yup, já ganhou. Eu até vejo isto como um conflito entre muitas coisas: o velho hábito de bookar Heels como fracos. Esta já é velhinha e eles caem lá muito; a forma de tentar mostrar aos fãs que eles até podem ter razão e que talvez Randy Orton não seja o mais indicado para ser “a cara da WWE”, quando já há – ou ainda há – Superstars superiores; o habitual gozo “imprevisível” que dá fazer alguém ganhar sem que estivessem à espera… Quando já todos estavam à espera. É um tipo de booking que se espera para o Elimination Chamber, mas o mais pertinente aqui é precisamente a última parte da pergunta.

Isto para a Wrestlemania já não fica tão bem. E até cria paralelismo com o main event do ano anterior, onde tínhamos um rematch entre um lutador que não conseguira vencer no ano anterior em que sofrera muitas derrotas e via esse como o seu mau ano e um Campeão que nem sempre estava lá e não eram assim muitos os que o queriam lá. Este ano temos o Campeão que se vê à rasca para manter o título e perde contra quase todos os candidatos que lhe aparecem à frente a enfrentar um tipo que chegou agora outra vez, ganhou dois combates onde ficou estafado, apesar das suas curtas prestações, e só falta ao público pegar nele e arrastá-lo para fora da arena, tamanha é a vontade que têm de o ver lá e tão sonoros são os apupos a mandá-lo embora.

Seja por querer insistir num Superstar já mais veterano e não querer dar a oportunidade ao sangue fresco que o público pede ou uma estratégia como prova de que o público está certo e tudo isto preceder uma nova geração de Superstars a subir… O que seja, Randy tem muito a reconstruir se quiser entrar na Wrestlemania ainda com força. Em resposta directa à pergunta, para já, a sua construção não tem sido favorecida. E, de novo olhando para o caso do ano passado em conjunto com estes, têm que olhar bem e com muito cuidado para os main events que estão a marcar…

Caro Chris JRM, você acha que a Brand Split deveria voltar? (Dreamer)

Aí está a pergunta da semana! Muita malta quis saber isto, será que sabem que eu até sou um dos que gostava disto outra vez? Mas pronto, para responder a esta pergunta com o devido cabimento, devo diferenciar entre “gostava de ver outra vez” e “achava que deveria voltar”. São muito diferentes, especialmente neste caso. Eu explico então, já que me estendi tanto nas outras perguntas até agora, não é nesta que me vou poupar.

Admito que gostava deste sistema. Era o que existia quando comecei a ver e a gostar de wrestling. E resultava. Gostava de ver dois “mundos” tão opostos, dispersos e por vezes competitivos. Houve aquela altura em que, numa brand, nem se cheirava coisa alguma da outra. E até aquela exclusividade que havia de ver um lutador entre as cordas vermelhas ou azuis – à moda antiga, agora é tudo branco – que causava alguma curiosidade e entusiasmo quando víamos algum lutador a transferir-se para a outra “liga”, quer fosse num draft ou noutra situação qualquer. Também era um bom sistema porque cada brand tinha o seu título principal e o seu título de midcard, de modo a que não desse para nenhum ficar na sombra de outro. E o Smackdown conseguia ser relevante. O problema principal eram os PPV’s exclusivos, pois o que não faltava nesses era chouriço para encher.

Sim, gostava disso tudo, mas vejo actualmente condições para tal? Não. Sim, há muitos Superstars que iam beneficiar disso ao terem mais tempo de antena, sabendo que já não havia aquela certeza de que os marmanjos de um programa já iam estar no outro, mas para já ainda só dá para funcionar assim. Nem se podem lembrar de repente e dizer “Ah e tal, como somos da cena, vamos tornar a dividir isto, tu ficas aqui, vocês vão para lá, vocês aqui e aqueles ali para acolá” e retoma-se com facilidade. Para se tornar a instalar este sistema, era preciso uma história longa, figuras de poder em disputa, Superstars metidos ao barulho e outras condições já trabalhadas para que pudessem começar bem. Uma delas é o tal chouriço para encher os cards. Se já há agora, quanto mais com metade do plantel. Teriam que manter as duas brands em cada PPV ou trabalhar muito a malta do lowcard para ser interessante e chamar a atenção no PPV – antes conseguiam isso. Outro factor são os títulos para além dos singulares de main event e midcard, porque esses são fáceis.

Para os de Tag Team, tinha que haver uma divisão tag team muito numerosa para que pudessem haver equipas boas para os dois lados. Senão, é o sistema recente em que existe apenas um par de cintos e fica a lacuna numa separação propriamente dita, pois ainda partilhavam um título e ainda obrigavam a competição inter-brand, o que tirava aquele encanto da exclusividade que havia antes – mas não é o caso mais grave, foi assim por muito tempo. O mesmo com a divisão feminina e o título das Divas. Aqui já, por muito tempo, houve um título disputado no Raw e o Smackdown tinha uma divisão feminina a escala menor antes de transitarem para a divisão “principal”. Melhor que os dois títulos. Se tivessem tudo isto bem trabalhado no sítio, então podiam trazer isto de volta. Mas para já, não dá, nem vale a pena pensar no assunto. A unificação dos títulos ainda está quente e não há qualquer condição para se começar a pensar nisto.

Então dando uma resposta mais clara e resumida: até podia gostar de a ver de volta e talvez volte. Mas daqui a uns bons anos. E só se o sistema agora utilizado encher. Se não, também não vale a pena forçar as coisas. Para já, ainda não há razão ou condições para tal.

O que achas do Kofi Kigston? Achas que para chegar ao Main Event ele teria que mudar de gimmick? Achas que Kofi podia ser um World Heavyweight Champion? Que gimmick aplicarias se fosses booker da WWE? (Jardel Silva)

Acho que ele é um bom lutador, com um atletismo notável que faz dele um Superstar divertido de se ver a competir. Também tem sempre um bom combate dentro dele quando é preciso e, julgando pelas múltiplas vezes que o vemos a lutar com o mesmo adversário, dá a entender que gostam de trabalhar com ele, logo é um bom worker a ter em conta. Apesar de ter em falta no microfone, até é um indivíduo carismático e puxa sempre alguma reacção – nem sempre muita – e até tem uma boa ligação com o público jovem. No entanto, é daqueles lutadores que parece que foram feitos para midcarders. Se alguém pudesse fazer uma encomenda para um midcarder e descrevessem os atributos do lutador, saía de lá a cara sorridente do Kofi.

Se uma mudança de gimmick o elevaria… Talvez. Pelo menos para refrescar servia, porque já não se vê nada de novo em Kofi desde que perdeu o sotaque da Jamaica e até agora ainda foi a única mudança de gimmick que se fez notar. Para alcançar o main event, talvez as alterações significativas tivessem que já ter sido feitas anteriormente. Desde a sua feud com Randy Orton que viu o seu aparente push ao main event ser cortado, que nunca mais subiu. Talvez depois disso é que deviam ter alterado. Porque agora já deixaram queimar e seria difícil conseguir colocar Kofi over como um midcarder alto ou um main eventer e, já respondendo a outra pergunta, muito difícil e quase impossível vendê-lo como um World Champion legítimo. Ainda o têm lá há vários anos, utilizam-no sempre que podem e quando não sabem em quem pôr um dos títulos do midcard, lá chamam o Kofi. Logo, até gostam dele. Mas falta saber se gostam o suficiente para um push tão grande. Se quiserem insistir, será um trabalho difícil.

Se eu fosse booker da WWE, não acho que fizesse grande milagre com Kofi, o máximo que podia fazer seria virá-lo Heel, nem que fosse para experimentar. Ainda não lhe vejo uma gimmick especial diferente que lhe pudesse atribuir, mas pelo menos para a experiência, via se o risonho e simpático high flyer conseguia ser um “badass” credível. Podia pegar em acontecimentos recentes, como a sua vitória sobre o WWE World Heavyweight Champion Randy Orton, que lhe deu nada. Nem um campeonato, nem uma entrada directa na Elimination Chamber, nada. Nem é falado para a Wrestlemania e isto podia frustrá-lo. Mudava de atitude e começava a atacar midcarders Face em crescimento, a afirmar que se não lhe davam a ele a oportunidade de subir, então mais ninguém a teria. Isto o levaria a ter pelo menos um combate pelo título principal contra um Campeão Face, que não venceria. Se ficasse over, talvez ficasse por essas bandas ou lá próximo, senão, repousa-se um bocadinho, vira-se Face outra vez e volta ao midcard de onde definitivamente não dá para sair. Talvez tentasse aí, mas não virava nenhuma gimmick extraordinária.

Acha que algum lutador da WWE mereça uma mudança de gimmick extrema assim como o Jeff Hardy planeja fazer na TNA ? (Gustavo)

Extrema não sei. Até porque ainda estou algo céptico em relação ao Jeff “Willow” Hardy. Afinal, não estão a mudar a gimmick a algum midcarder com uma nova oportunidade, que pode ser remodelado que muitos não notam e outros não se importam. É o Jeff Hardy, um dos Faces de topo da companhia. Logo, tenho que ver como as coisas vão correr. Porque estranhei bastante mas cá aguardo para saber o que sai daqui.

Quanto à WWE, eles parecem estar a apostar de novo em gimmicks propriamente ditas. Por um tempo que víamos lutadores cujas personagens eram apenas uns gajos. Agora já temos coisas mais definidas como os Wyatts, Fandango, Damien Sandow, Los Matadores, Alexander Rusev, Real Americans e até estou a começar a gostar do Bad News Barrett – só não sei ainda como se transmite essa personagem para o ringue, mas julgando pelos combates que já fez com essa gimmick, acho que nem eles. Mas ainda não vejo a necessidade de alterar, urgentemente, alguém. Só se quiserem fazer algo com alguns dos lowcarders que lá têm. Justin Gabriels e Tyson Kidds ou Curt Hawkins. Mas se nem há certeza do que fazer com eles…

Algumas coisas que podia tentar mas que nem acho que sejam mudanças extremas: Dean Ambrose sempre teve umas tendências psicóticas e ele parece que nasceu para fazer de lunático. Após separação dos Shield podiam fazê-lo um gajo desses, mas há que ter em atenção que possa estar a fazer concorrência aos Wyatts; o Ryback também não é muito fino, especialmente no Twitter e, pegando nisso e naquele episódio do Main Event em que só aparecia a andar à volta do ringue, podia ser doido também mas não à maneira do anterior. Mesmo de quem fugiu do manicómio, dá para segmentos de comédia, mas é do mais intenso em ringue e tem que ter Curtis Axel a controlá-lo; Titus O’Neil rompeu com Darren Young? Dá-se-lhe uma gimmick muito arriscada – um activista homofóbico. É impossível que peguem sequer nesses assuntos mas era óptimo para heat e se soubessem fazer como deve ser, o povo percebia que a mensagem dele é suposto ser a errada; Brodus Clay também ficou todo pimp, logo também se podia criar uma gimmick polémica com um chulo machista a tentar abusar de várias Divas, mas mais uma vez, muito arriscado. Coisas que me passam pela cabeça de repente, mas não sei se caem na definição de “mudanças extremas”. Porque para gimmicks esquisitas, acho que não conseguia pegar em ninguém…

Chris JRM, o que você acha que o Vince está tramando para surpreender a todos na WrestleMania? (Fabrício Buriche)

Acho que agora pendo mais para esperar surpresas no Raw depois da Wrestlemania! Quanto ao que acho que Vince está a tramar… Tento não pensar muito nestes assuntos, senão saem decepções. E, se é para surpreender, então que eu seja mesmo surpreendido. O único que acho que pode ter algo é o fraco main event entre Orton e Batista. Não só porque há muita história entre esses dois mas também porque… Têm que fazer alguma coisa para chamar a atenção do público, porque este está bem a marimbar-se para esse combate e sujeitam-se a levar com cânticos desagradáveis ou pior: silêncio. Logo deviam mexer nalguma coisa aí. De resto… Desde que não invente demais e faça asneiras, fico à espera para ver o que há. Surpreendam-me mesmo!

Li pela primeira vez e gostei, tem alguém da TNA que gostaria de ver na WWE? (EGame)

Isto foi dirigido ao akujy, mas como tem o ponto de interrogação no sítio, uso-o para mim. Pode ser que tenha sido mesmo essa a intenção.

Como assisto assiduamente aos dois, nunca tenho a necessidade de imaginar alguém dum lado a passar para o outro. Nem costumo pensar no que poderiam fazer, se os vejo a ser utilizados. Com isso em conta, não há ninguém no plantel da TNA que, enquanto activo e aproveitado na TNA, eu queira ver na WWE porque já os estou a ver. Os únicos que posso ter em conta são os que saem, mas nem nesses vejo ainda alguém com apelo, para já. É claro que há sempre AJ Styles, mas esse é um assunto delicado. É um veterano que nunca esteve na WWE e indo para lá, ia como um lutador já conhecido, mas teriam eles o conforto em dizer de onde? Para o NXT é que não devia ir! Se eventualmente eles se resolverem com esses conflitos, AJ Styles é sempre uma boa aquisição, seja onde for. Mas até lá… Os plantéis vão-se safando…

Ora bem Chris JRM, Quem achas que pode vir a ser o próximo grande Main-Eventer após o WrestleMania XXX? (434 Days)

A resposta a isto é bem simples e evidente, só temos que seguir o trajecto tão simples e evidente que nos estão a transmitir. E o nome que aponto é simplesmente Roman Reigns. Há mais a ter em conta como Cesaro, Alexander Rusev, Bray Wyatt e os outros dois Shield, mas falas do “grande Main-Eventer”. Cesaro vejo-o a chegar ao topo, mas não ainda ao topo dos topos, Rusev vejo-o a ter um desenvolvimento mais progressivo ao estilo de Umaga, Wyatt dominará mas será com uma equipa e os outros Shield poderão estar no topo, mas não com um sucesso tão imediato como Reigns – talvez Rollins seja o que mais custe a pegar.

Já Roman Reigns, é aquele que se vê, porque estão a transmitir-nos a mensagem bem alta e clara, que este gajo pode vir a ser próxima “big thing”, o próximo “top babyface” e até se arrisca a ficar aborrecido daqui a uns dois ou três anitos, como eles tanto fazem aos seus Faces de topo. Os recordes, as vitórias dominantes e os simples momentos em que o deixam ter alguma supremacia sobre os colegas nos Shield e a absorver algum pop do público. Os ingredientes já estão todos prontos e acho que eles vão saber como preparar tudo. Aliás, já o estão a fazer.

Mais à parte, considero que Daniel Bryan já seja um grande main eventer e acabo a resposta com uma pergunta: Já desistimos do Dolph Ziggler ou ainda é para insistir na esperança?

Chris JRM, você acha que deveriam induzir Owen Hart no WWE Hall of Fame este ano, já que em maio a morte dele completará 15 anos? (Malco Canedo)

Se fosse por mim, até acho que já o deveriam ter induzido. É que até o Koko B. Ware, que já foi parceiro dele, mas não deixou de ser um jobber, está lá. Mas há sempre conflitos que não deixam. O PPV que continuou após a sua morte ainda os assombra e a família de Owen não consegue chegar a um acordo com a companhia para esse reconhecimento. Logo, o seu nome ainda não está cimentado onde devia e fica a sofrer por pouca menção e falta de atenção. No entanto, já vimos no WWE Network, uma boa referência e uma homenagem ao falecido lutador. Poderá ser um sinal de que já haja alguma alteração de condições, teremos que esperar. Por mim já lá estava, mas acho que mais tarde ou mais cedo, tanto ele como Randy Savage ainda acabarão lá.

“O problema da PG Era reside mesmo noutros factores.” Em quais? (João Pedro)

Deixei para o fim uma interessante. Até porque nem sei o quanto era dirigida a mim. A citação até é retirada da edição 91, apresentada pelo akujy, e foi ele próprio que até sugeriu que seria um bom tema a abordar muito brevemente, por aqui, enquanto também demonstrava incerteza sobre quem era o alvo pretendido para esta pergunta. Como acabava com um ponto de interrogação, decidi pegar nela. E o tema é aquele em que a minha opinião deve ser mais polémica que outras opiniões minhas. E afirmo isso com uma simples frase: a “PG Era” não existe. Simples quanto isso. E justifico-me muito brevemente.

Ficou a necessidade de se dar um nome a uma era em que se esteja, só porque anteriormente havia o hábito de dar o nome a algumas. Mas houve um propósito em dar esses nomes. A “Golden Era” é um nome póstumo e “Attitude Era” foi um tema que afirmava que as coisas iam mudar, foi de propósito para chamar a atenção – mesmo que custe a admitir, a “Attitude Era” foi uma manobra de desespero. E “Ruthless Aggression” foi para dizer que a “Attitude Era” já tinha acabado. Mas não há necessidade de ter que dar um nome a qualquer grupo de anos do wrestling, só porque há alturas em que era assim e outras em que era assado. E quanto à classificação, nem sequer é de agora, a “Golden Era” tinha um formato infanto-familiar, nos 90s haviam programas aos Sábados de manhã muito antes de haver sequer Saturday Morning Slam. Até nos tempos do meu início – e possivelmente início de muitos – nos meados de 00, o Smackdown era PG. E se a WCW não foi sempre PG, foi quase sempre, podiam variar a classificação de acordo com o episódio em vez de ter uma classificação fixa. Mas só esta época exclusivamente é que fica com o nome. Só porque alguns deixaram de ver sangue, ouvir asneiras, ver concursos com bikinis molhados e começaram a reparar agora na classificação no canto do ecrã. – não digo que haja por aqui alguém que ache isso, mas sei que eles vão andando por aí espalhados por todo o lado.

A classificação “Parental Guidance” nem tem sequer a ver com conteúdo “infantil”, nem é esse o responsável pela falta de sangue ou de golpes na cabeça – tudo isso foram medidas implantadas para proteger os lutadores de situações perigosas que possam causar mais um Benoit. Aliás, tal negro episódio colocou a companhia em muitos maus lençóis, daí que limpar todo o produto fosse uma necessidade se quisessem continuar a ser a gigante empresa que são. Se quisessem chamar a esta a “Post-Benoit Era”, até justificava muito mais. Mas nem isso era responsável pelos maus resultados que existem no presente. Se uma classificação televisiva ou outras proibições limita a escrita de algumas histórias, apenas limita, não as cancela. Se inicialmente tiveram dificuldade nessa adaptação, entrou em ciclo vicioso e agora não há escritores que os tire da cepa torta. Ou então, muito simplesmente não conseguem bons escritores. Porque o problema está aí: nos bookings. Se há coisas mal bookadas, o problema é esse e não a sua “adaptação a TV PG”. Coisas más que aconteceram não iam melhorar se tivesse havido sangue nos combates, se tivessem dito mais palavrões nas promos ou se algures num episódio, mulheres fossem mais sexualmente exploradas para encanto do Jerry Lawler. O que é mau em PG, seria mau em TV-14, TV-MA, o que seja.

Isso e a falta de confiança no seu plantel. Outro nome alternativo para esta era seria a “Insecurity Era”, porque os oficiais sentem-se inseguros na capacidade dos seus lutadores, têm medo de os lançar devidamente e deixá-los over e têm sempre que recorrer a nomes do passado porque já têm “star power”. E dão-se fantásticos e bem recebidos regressos como o de Batista. Logo, os principais problemas da tal “PG Era”, como lhe quiserem chamar, são muito simplesmente: maus bookings, tentativa de se adaptar a outras mídias e formas de entretenimento para compensar broncas – aqui também entra a Linda McMahon e a sua candidatura – e medo de avançar para o futuro – aqui muitos fãs que pedem o X ou o Y de volta, ou que se queixam que as coisas já não são como quando tinham 10 anos, partilham alguma da culpa.

Espero que tenha ido ao ponto aí, que tenha dado para esclarecer o que queria e que não levante assim tanta polémica. Se não concordam, ao menos vejam de onde eu venho, a ver se não é assim tão ilógico.

Por aqui concluo esta edição. Espero que tenham gostado da minha participação e que tenham sido esclarecidos quanto às vossas questões, não vá eu ter enrolado à volta do assunto e não ter dito absolutamente nada. Pode acontecer sem eu notar. Posso dizer que gostei de participar, apesar do trabalho que meu deu e a ver se posso cá voltar quando me tornar a tocar. Na próxima semana, vale a pena manter olho nisto porque será o Roberto Barros do “Wrestling for All” a responder a todas as vossas questões e a esclarecer-vos quanto às vossas dúvidas. Vale a pena estar atento. Eu por cá me fico e aguardo o vosso feedback e vossas próximas questões, assim que volte daqui a um tempo. Com os meus cumprimentos, espero que fiquem todos bem até à próxima Segunda-Feira quando vos voltarei a encontrar.

Sobre o Autor

- Escritor do artigo “Top Ten”.

27 Comentários

  1. Rui Miguel - há 3 anos

    logo na segunda resposta falam e bem da diferença do peso do titulo da WWE para o Mundial, mas nem sempre foi assim, outrora na WWE o titulo Mundial na minha opiniao chegou a ser mais forte por assim dizer na WWE, no tempo anterior aos evolution se calhar estavam equiparados, mas depois houve alterações e pessoas que se foram embora da wwe, e o titulo mundial estava a bombar com o Triple H, Shawn Michaels, Chris Benoit e assim pela RAW, e ate mais tarde quando o Batista levou o titulo para a smackdown e que estava no centro da wwe.
    Agora podemos olhar para o titulo, qualquer wrestler quase serve para andar com ele, o que é uma tristeza ..

  2. Yan - há 3 anos

    O que esperas do próximo RAW (ou esperou e não aconteceu) ?

  3. john3:16 - há 3 anos

    Obrigado por teres respondido as minhas questões e a meu ver falas-te de tudo, foram ótimas respostas, com isto deixo mais 2 possíveis questões para a semana:

    1-Como achas que pode começar a carreira a solo de Roman Reigns e como é que a wwe pode apostar nela ? o que achas que vai acontecer a dean ambose e a seth rolins ?
    2-Achas que os títulos se podem separar depois da wrestlemania ?

  4. Malco Canedo - há 3 anos

    Obrigado por responder minha pergunta, Chris JRM
    Roberto, você acha que ainda existe alguma chance do Dream Match entre Undertaker e Sting acontecer, já que este ano pode ser o último da carreira do Phenom e ele enfrentará Brock Lesnar?

  5. Bad News Barrett - há 3 anos

    De facto relativamente a essa ultima questão abordam-se temas que até fazem sentido ao fim das contas mas eu acho que sim que a PG Era influencia a qualidade do produto. Eu noto isso na forma como até as proprias cadeiradas são dirigidas aos lutadores impedindo-os de golpear onde quiserem, no impedimento do uso de certos movimentos por parte dos lutadores e claro na forma como os lutadores podem trabalhar. Nota-se claramente que o o proprio The Rock e o Stone Cold mesmo continuando a ser geniais não conseguem fazer um trabalho tao eximio nesta era como faziam na sua influenciados por certos impedimentos que lhes tiram algo de brilho a meu ver.

    Agora nao acho que tudo na era actual seja mal e como bem foi dito o booking é o principal responsavel pelas coisas serem interessantes ou não. A diferença entre antigamente e agora em termos de qualidade tecnica nao é assim tão enorme como isso. Sim é verdade que há uns anos havia mais talento mas a ausencia dele nao existe actualmente. O problema é que os superstars actuais nao possuem essa tal liberdade para trabalharem privados de coisas que faziam o publico gostar dos superstars à anos atrás. E a meu ver para conquistar o publico é mais dificil ser superstar na PG Era do que nas duas eras anteriores por isso mesmo.

  6. danielRKO - há 3 anos

    Qual seria seu card para a WrestleMania XXX ?

  7. Fabrício Buriche - há 3 anos

    Obrigado pela resposta! Bem, na minha opinião de fã, acho que o Punk volta em grande estilo!

  8. Roman28Reigns - há 3 anos

    Muito boa esta edição, dei mais atenção a ultima pergunta e li atentamente a resposta, concordo contigo mas acho que não foi por causa do Benoit que ele mudaram para a PG, mudaram foi mas é para ter mais lucro, atingir um publico mais novo que são os que mais compram (quer disser os pais compram),mas a Attitude Era foi a melhor era de sempre do wrestling.
    Concordo contigo também em relação ao bookers,não sabem construir uma storyline(raras as exceções)e eles tem muito medo de apostar nos novos talentos e continuam a usar os “velhos talentos”, eles e o “pequeno” Vince

  9. rui - há 3 anos

    O que achas que a WWE tem para oferecer ao John Cena e Daniel Bryan, após estas rivalidades com os Wyatts (John Cena) e com a Autoridade (Daniel Bryan) ?

  10. Jardel Silva - há 3 anos

    o Que Achas Do Futuro De Alexander Rusev?Achas Que Ele Possa Chegar Ao Main-Event e Ser Talvez Um Paul Heyman Guy?

  11. RVD_77 - há 3 anos

    Achas que o Vince vai conseguir trazer o Punk de volta? Ou achas que não iremos voltar a ver o grande CM Punk?

  12. RVD_77 - há 3 anos

    O que achas que vai acontecer quando Cena, Orton, Bryan e Punk acabarem? Achas que os novos tipos, como por exemplo Roman Reigns, irão conseguir carregar com o estatuto da WWE?

  13. john3:16 - há 3 anos

    Como achas que a wwe pode aproveitar o sheamus agora ?

  14. Andre - há 3 anos

    Quem e Tu vês para substituir John cena(principalmente)no futuro

  15. WWEPunk - há 3 anos

    Quais Tag Team achas que deviam ser montadas, e o que acha de Zack Ryder e Curt Hawkins novamente como Tag Team?

  16. Gustavo - há 3 anos

    Obrigado por responder minha pergunta (:

    Acha que na WWE há alguem que se possa colocar uma mascara e fazer uma gimmick completamente nova (seja ela de louco ou não ) se houvesse pra quem daria esta gimmick ? para alguem com um estilo mais lunático como Deam Ambrose ? ou alguem que ninguem esperaria ver com mudanças ?

  17. Dragoking - há 3 anos

    Todos nós já reparamos que nestes últimos tempos, o grande problema da WWE são os bookings. Porque achas que isso tem acontecido com muita frequencia?

  18. Miguel Carlos - há 3 anos

    Qual seria o teu plantel feminino se fosses bookar da WWE? Quem deixavas ficar, quem despedias, quem trazias de volta, quem ias buscar ao NXT?

  19. Rafael Silveira - há 3 anos

    Roberto, o que você achou da saída de CM Punk da WWE?
    O que você acha que vai acontecer com ele no futuro? Vai voltar para a WWE, ou vai ir para outra promoção de Wrestling? (TNA, ROH, NJPW…)

  20. FabioVaz - há 3 anos

    Com um possivel Tamina vs AJ Lee, quem achas que deveria ter um face turn entre as duas?

  21. john3:16 - há 3 anos

    Quem achas que possa ser num bom comentador para a wwe atualmente?

  22. Simao Rock - há 3 anos

    Neste momento quem achas que deveria subir para a main roster no NXT já que alguns contratos na WWE estão a expirar?

  23. Nani - há 3 anos

    Se pudesses escolher 5 lutadores para voltarem a lutar na WWE quais escolhias ?

  24. Ghost King - há 3 anos

    Tenho duas questões para ti:

    1-achas que,se os títulos se separarem,Roman Reigns e Bray Wyatt podem tomar posse dos títulos?

    2-Quem acha que devia ser um bom parceiro de Tag Team do Sheamus?

  25. Ghost King - há 3 anos

    1-Se os títulos se separassem achas que o Roman Reigns e o Bray Wyatt podiam tomar posse dos títulos?

    2-Quem achas quereria um bom parceiro de Tag Team do sheamus?

  26. The UnderTaker YES! - há 3 anos

    Achas que na WM 30 deveria haver este combate tag team: John Cena, Daniel Bryan e Sheamus vs The Wyatt’s

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador