Sharpshooter #58 – Everybody Has a Price?

Esta semana, mais precisamente nesta Sexta-feira (dia em que costumo fazer os artigos e enviar ao WPT para ser postados hoje), vi a notícia do salário de Manik na TNA, com o saldo anual que pode chegar a US$84mil. Isto me fez pensar se realmente um wrestler merece ganhar isto, comparando um pouco mais com outras profissões do mercado, isto levando em consideração o país onde vivo, o Brasil. Feliz Domingo de Páscoa e prazer, sou Bruno do Nascimento Costa e este é o

O meu contrato começou relativamente a meio do ano passado e tudo contabilizado eu faço cerca de 75 mil dólares a 84 mil dólares (entre 54 mil e 60 mil euros ou 168 mil a 189 mil reais) por ano. Isto é se a minha agenda estiver tão preenchida como no último verão/outono. Mais, isto só diz respeito à TNA. Eu poderia fazer muito mais aceitando booking fora mas prefiro não o fazer. Eu também tenho sempre garantida uma enorme fatia deste valor independentemente de lutar ou não. Por isso é bastante bom considerando que faço o que adoro. Já agora eu estou na parte inferior do roster. A grande maioria dos outros lutadores ganham bastante mais que eu”.

Realmente é um dinheiro que poderia me dar mais alegrias e bens, afinal quem não quer dinheiro? Quem não acha dinheiro algo bom e não queria perto de si uma quantia necessária para ter aquilo que sempre quis? Se o trabalho é algo que realmente dignifica o homem como o nosso sistema capitalista opressor tenta pregar eu realmente discordo, mas que cada um ganha aquilo de acordo com a força do seu trabalho, talvez seja injusto.

“Com o suor do seu rosto você comerá o seu pão, até que volte à terra, visto que dela foi tirado; porque você é pó, e ao pó voltará”. Uma passagem Bíblica a vocês, escrita em Gênesis 3:19, que mostra bem que a partir do nosso  trabalho, conseguimos nosso dinheiro, nosso ganha-pão.

É claro que há diversas situações que podem nos fazer pensar e retomando um pouco a ideia de parágrafos atrás: há trabalhos que são mais dignos que outros? Pois a sociedade pode ver um gari, o grande sujeito que todo dia limpa a nossa cidade com a sujeira que produzimos e nós, porcos inconscientes, jogamos o lixo no chão, que conhece a praça que limpa melhor que ninguém e sempre é a primeira pessoa a quem pedimos informação, esta pessoa é vista, infelizmente, como um insignificante que não estudou e merece levar um trabalho ruim e uma vida de merda. Enquanto o médico, grande profissional que salva-vidas e precisa de uma grande frieza devida as tragédias que pode vivenciar diariamente em seu trabalho árduo é alguém de respeito, pois estudou e merece estar lá, sendo chamado de “doutor” sem ter doutorado em medicina.

O Brasil é o país que, vergonhosamente, possui os professores mais baratos e os políticos mais caros, o que é uma vergonha. Eu podia falar de trabalho aqui o dia inteiro de todas as maneiras possíveis imagináveis, mas agora é de se pensar: mas como o Wrestling se encaixa neste ponto?

Venhamos e convenhamos, amigos leitores, nós, acompanhantes assíduos da modalidade e que nos emocionamos, divertimos e até vivenciamos a realidade dentro e fora do Wrestling, o salário que um wrestler ganha é necessário? A quantia que ele recebe é realmente ideal? É claro que falar de trabalho, ainda mais de quantia é complicado porque as opiniões serão contraditórias por bastante, mas este artigo é o Sharpshooter, o mais perigoso espaço do WPT, um artigo de opinião pessoal e a opinião do “AwesomeTheMiz” deve ser levada a tal.

Vamos imaginar um wrestler de topo de uma das majories americanas (WWE ou TNA), para chegar lá ele lutou muito. Passou a treinar desde moço, teve seus circuitos indies ganhando uma miséria autônoma para fazer seu Wrestling, jobbar por vezes até conseguir um try-out na empresa, após anos se doando e evoluindo no caminho, ele chega ao topo da companhia. A história parece ser assim, feliz e boa para todos que decidem viver disto, mas muitos acabam por se perder no mid-card quando chegam nestas empresas, mas quase todos nem se quer chegam lá e se tornar um “nada”.

Viagens, vendas, representações, reconhecimento e marketing, tudo isto um Wrestler carrega sobre si caso queira realmente chegar ao topo. Ele tem que se esforçar pra conseguir chegar ao topo, tem que conquistar os fãs e representar a companhia acima de tudo, dentro e, principalmente, fora dos rings. Um wrestler no topo da companhia e que se deseja manter-se por lá, tem uma agenda bastante corrida, tendo que abrir mão de seu tempo pessoal, de ver a família e se divertir, é algo de se pensar como as coisas ocorrem nos backstages seria bem mais do que apenas que vimos em nosso delicioso sofá com a nossa tão querida e entretainer televisão, algo bem mais corrido, puxado e atarefado, que, por vezes, nem pensamos e nem nos damos conta.

John Cena, vamos usar como exemplo do lutador de topo, o verdadeiro “Face of WWE”, aquele que mais traz dinheiro a WWE. O site BTC Wrestling News divulgou em tempos atrás que em 2013, John Cena ganhava um salário líquido de US$2.750.000, com hotel particular de primeira classe pago pela WWE e mais 6,25% de comissão pelas vendas de seus produtos, é um bom dinheiro, não!?

É claro que, como em qualquer trabalho, há as diferenças entre salários e acordos. Por mais que Cena seja odiado pela IWC afora por suas características de personagem e ícone PG, podemos dizer que ele realmente se doa a WWE e traz dinheiro a companhia, posso chegar a conclusão que ele merece aquilo que ganha. Entretanto, como disse das diferenças, vemos que wrestlers como Kofi Kingston e Zack Ryder são dois exemplos daqueles que sempre estão a se doar pela WWE, para que fim? Sem push, sem tempo de televisão merecido e sem evolução no salário.

Cada um sabe o quanto sua força de trabalho vale, quanto realmente merecia ganhar. Eu digo que o wrestler, que se dedicou e quer cada vez mais, merece sim o salário que ganha. A pressão que este trabalho exerce, que os fãs possuem sobre cada um e o sofrimento que passa por ser empregado e fantoche nas mãos da equipe criativa e da companhia é algo grande. Ao final, acredito que todos os wrestlers que fazem seu grande trabalho com excelência e almejam mais merecem aquilo que recebem, senão até mais. Parabéns a todos os Wrestlers, que se doam e a toda semana me fazem o acompanhar mais. Mas agora é sua vez, leitor: acreditas que o salário dos wrestlers são justos?

Sobre o Autor

- Curitibano, brasileiro e torcedor do Grêmio Foot-ball Porto Alegrense e colaborador no WPT, como escritor do quadro Sharpshooter. A quem gostar dos artigos e quiser me adcionar ao Facebook para ter mais de Wrestling e demais assuntos do nosso cotidiano, sinta-se à vontade! Apenas procure por: Bruno do Nascimento Costa. Peço apenas que, caso adicione, me mande uma mensagem, se identificando como leitor assíduo do WPT.

11 Comentários

  1. José Sousa - há 3 anos

    O Salário devia ser proporcional á importância que tem na companhia. No caso do Manik acho um exagero o que ele recebe para não fazer nada pela TNA há meses, é idiótico pagar bem e não usar o funcionário.

    • AwesomeTheMiz - há 3 anos

      Com certeza, talvez um recebem mais e outros menos que deveriam. Mas é de fato, idiótico, pagar bem e não usar o funcionário

      • José Sousa - há 3 anos

        Sobretudo isso. A questão de serem sobrevalorizados é outra coisa. Mas estarem a pagar e não fazerem nenhum é patético.

      • AwesomeTheMiz - há 3 anos

        Verdade, José! O engraçado que eu acho é o caso de Zack Ryder, que não é usado, ganha por ficar em casa e, eticamente, reclama por não estar a ser usado (Push Me!)

  2. JoãoRkNO ® - há 3 anos

    Bom artigo Bruno . Seja em que profissão for, o salário nunca é proporcional ao que se trabalha . Por exemplo, acho ABSURDO ( desculpa o caps lock ) o salário de um jogador de futebol e o de um político, deixando de parte todos os bónus e regalias que tem . É preciso talento para dar uns toques na bola, isso é verdade, mas ganhar milhões enquanto temos meio mundo em crise e pessoas por todo o mundo a morrer á fome, é verdadeiramente desumano . No wrestling é igual, e o Manik não se pode queixar muito, porque se eu ficar um ano sem fazer nada recebo uma milésima parte do que ele recebe, o que é uma idiotice total .

  3. TheJohnX - há 3 anos

    Comp digo para o futebol são impresas privadas eles proprios que se gerem

  4. CardosoL26 - há 3 anos

    Cada um sabe de si e se estão de acordo ou não com o salário que recebem.
    Eles estão a fazer o que gostam e a ganhar muito dinheiro com isso, uma pessoa trabalhadora, que passa dificuldades nem em mais de 5 anos consegue ganhar esse dinheiro todo que eles ganham, só por isso acho que eles não se devem queixar com o salário que recebem. Claro que estou de acordo quando um lutador está à muitos anos na companhia, sem push, a doarem se, como o caso do Kofi e do Zack como referiu o Bruno, acho que deviam receber um pouco mais do que recebem atualmente, o Kofi até não se pode queixar muito já teve 10 reinados se não estou sem erro, comparado com o Zack que só teve 2.
    Grande artigo, parabéns Bruno.

    • AwesomeTheMiz - há 3 anos

      Muito obrigado, CardosoL26! Para ser wrestler tem que gostar do que faz, mas isto rende muito dinheiro. Acho que o salário que eles recebem é bem justo e não tem como reclamar de “pouco dinheiro”, mas podem sim reclamar para ganhar mais caso se doem a nada. Zack Ryder é o caso mais incrível, ele se doa ao máximo, e ainda reclama de não trabalhar e não ser usado, este merecia muito mais, e digo isto também por eu ser fã do Long Island Iced-Z!

  5. AwesomeTheMiz - há 3 anos

    Muito obrigado, João! Concordo que o salário nunca é realmente proporcional ao que se trabalha, concordo que é um absurdo o que políticos e jogadores de futebol recebem, por vezes estão a fazer nada enquanto uns dão duro para receber uma miséria e muitos guerreiros ficam a morrer de fome, assim como é no Wrestling.

  6. Cyrille - há 3 anos

    “Money talks,
    Bullshit walks.”

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador