Existem 2 vagas na Equipa do Wrestling PT para publicar notícias. Candidata-te!

Shattered Dreams #6 – Lutando pela Titularidade

A unificação, quer se goste, quer não, acabou por se confirmar. Decisão adorada por uns, odiada por outros, mas em globalidade, os rumores acabaram por se confirmar e vamos ter de levar com ela, e isso é um facto.

É também um facto que a Wrestlemania XXX está a começar a ser construída. Aquela que está marcada para ser o começo de um novo ciclo já está a criar diversas sensações nos fãs: a controvérsia é algo que sempre existiu e sempre irá existir em Stampford, logo que neste caso não iria ser exceção, com a controvérsia, vem a polémica, que certamente consta na definição de Pro-Wrestling, no dicionário do Sports Entertainment, e ainda o receio, que sempre surge na mente dos fãs quando as expetativas são colocadas tão lá em cima. Sejam bem-vindos a mais uma edição do Shattered Dreams!

Sendo que com apenas um título mundial e dois secundários, a WWE terá de se esmerar e ocupar os restantes lutadores em rivalidades que prendam e cativem a atenção dos espetadores, fazendo juros à importância do maior evento do ano na modalidade, e esse é o terceiro facto!

Esses restantes lutadores são os chamados suplentes, que à semelhança de outras modalidades, são aqueles que ficam de fora do plantel principal. Esta divisão de suplentes, ou midcarders, mais diretamente, vão ser alvo de uma sequência de dois artigos, aqui, no vosso espaço favorito (por ser o único) das quintas-feiras!

Como consequência daquilo em que comecei a falar, ou seja, da unificação, o midcard necessita claramente de uma renovação. Essa renovação vai passar por uma lavagem do plantel, aumento da credibilidade dos títulos e fortalecimento das histórias.

Começando ironicamente pelo Main-Event, há lutadores que necessitam urgentemente de descer dos céus, isto é, afastarem-se dos ecrãs principais para não cairem no estômaço entediante dos fãs. Resumidamente, é preciso afastar alguns nomes dos títulos principais para que os fãs não se cansem de os ver sempre a fazer as mesmas coisa, com os mesmos adversários.

O primeiro nome da lista e possivelmente o mais urgente é o de Alberto Del Rio. A sua personagem está estagnada desde que recuperou o seu título no Payback e com o qual teve um reinado puco consistente, vítima de um péssimo booking e da falta de destaque. Com o currículo prestigioso que detém, uma descida provisória ao midcard para ajudar a elevar jovens é tudo menos inútil, aliás, muito pelo contrário, é algo que resolve vários problemas de uma só vez.

A meu ver, Sin Cara era o adversário perfeito. A decisão de recentemente entregar a personagem a Hunico foi absolutamente genial. A química entre ambos é perfeitamente visível e tal poderia culminar num combate bastante agradável para preencher o card de qualquer PPV.

O segundo nome é nada mais, nada menos do que o formidável Sheamus, que tende a regressar apenas no próximo ano. Sendo este também uma lenda pré-consolidada, uma descida no card para elevar jovens talentos não colocava de modo nenhum o seu talento em causa, uma vez que já o fez este ano com o Sandow e os Shield. A sua personagem está igualmente estagnada e aborrecida, e um heel turn não me parece ser o caminho mais genial a tomar.

O papel de valorizado nesta suposta valorização encaixava perfeitamente em Fandango. A minha opinião particular sobre este indivíduo é perfeitamente normal, embora que não possa parecer. Consigo ver em Fandango, no mínimo, um upper-midcarder sem qualquer dificuldade. A sua personagem não é a mais credível, é certo, mas a forma exagerada como a promovem não ajuda em absolutamente nada. A comédia não implica falta de credibilidade.

Uma vez que a posição de Fandango no card é também indefinida, uma rivalidade com Sheamus podia muito bem dar-lhe o devido destaque para providencear a sua caminhada rumo ao estrelato.

Depois de ocupar os menos utilizados com os mais utilizados, de modo a criar um ponto de equilíbrio agradável de se assistir, a WWE tem de promover os próximos Main-Eventers para darem o salto no período pós-Wrestlemania.
Este tipo de mid-carders é, em comparação com o futebol, o tipo de suplentes que está na linha lateral a aquecer, pronto para entrar em jogo a qualquer momento.

Nesta categoria temos nomes como Dean Ambrose, Roman Reigns, Bray Wyatt e Damien Sandow. Começando pelo último e por aquele que acho que já lá devia estar, Damien Sandow tem de ser Main-Eventer no futuro. Isto é mais do que uma opinião, é um facto!

O seu percurso após o falhanço do cash-in tornou-se tremível. A sua personagem sofreu uma ligeira alteração, coisa que ao início me causou enormes dúvidas. Sandow largou o robe e adaptou-se à típica t-shirt; Sandow deixou os seus habituais discursos a anteceder os combates e passou a dirigir-se diretamente ao ringue; Sandow minimizou o seu comportamente clássico e intelectual e surpreendeu-nos com uma atitude agressiva e violenta.

Deduzindo-se que este percurso é muito semelhante ao de um tal de Hunter, as minhas dúvidas aumentam e temo ainda mais o seu futuro. Comparar Triple H com Sandow é, além de errado, impossível, assim como comparar a gimmick de Hunter Hearst Hemsley com a gimmick de Intellectual Savior of the Masses. A última tinha tudo para ser das melhores da década e de sempre, coisa que começava a tornar-se notória, e que a meu ver, é a ideal para colocar Sandow no Main-Event.

Do último para o primeiro, Dean Ambrose é, citando CM Punk, “Our Secret Weapon”, e isso é comprovado, mais uma vez, pelos factos. O “Baddest Man on the Planet” é todo ele ouro puro.

Sendo este um “full package” com potencial para ser o vilão principal da empresa e executar personagens absolutamente brilhantes, o seu nome tem tudo para estar, no futuro, escrito no Hall of Fame. Recorrendo às suas características mais aprimoradas, a sua ex-personagem de “Sick Guy” que executou em tempos na FCW é a ideal para potencializar todo o seu brilho ao microfone e no acting.

A habilidade em ringue, embora que não seja o seu ponto forte, é bastante boa e suficiente para o Main-Event. Consegue executar perfomances consistentes e regulares, dignas de um campeão e ainda proporcionar combates mais atléticos e emotivos, com o adversário certo.

Para Roman Reigns e Bray Wyatt, a receita é a mesma: embora um tenha mais talento do que outro, o esforço e dedicação de ambos é digno de sucesso e só algo de muito mal surgir (lesão ou despedimento) é que esse sucesso não irá chegar.

Em cada PPV temos ainda o Pré-Show, curto período de tempo que antecede o evento. Ora, a essência deste conceito é por ignorada, um erro crasso que pode, por vezes, comprometer a qualidade da plateia. Pode ser irrelevante para uns, fulcral para outros, mas, mais uma vez, é um facto que o Pré-Show tem como conceito principal, dar uso aos lutadores menos utilizados de modo a criar um combate agradável para animar a plateia para o resto da noite.

O Pré-Show tem assim, nas suas mãos, o poder de colocar em alta as expetativas, coisa que pode ou não correr bem … Lutadores menos utilizados capazes de preencher estes critérios é o que não faltam, e o nome que possivelmente mais me agrada é o dos Los Matadores.

A stable recém-chegada ao plantel principal, embora que a início me tenha deixado receoso quanto à sua personagem exageradamente cómica, acabou por me convencer com o seu talento em ringue e a sua incrível capacidade de criar ligação com o público, logo que um combate carismático e de grande ritmo atlético a começar o show, mesmo que não seja televisionado, é perfeitamente capaz de “aquecer” as multidões presentes nas bancadas, de modo a que estas nos proporcionem grandes atmosferas para as restantes lutas e segmentos do PPV.

E é por falar em carisma que tenciono tocar num ponto polémico e algo discutível, dando continuidade ao estilo mais descontraído e de diversos sub-temas com que escrevo este artigo:

Aqui há tempos vi comentarem aqui no site a falta de carisma de Xavier Woods, recém-chegado ao roster, coisa que me ficou a “matutar” na cabeça e que pretendo agora abordar livremente:

Na minha opinião particular, visto que sou contra o conformismo (patrocínios ao Daniel), Xavier Woods não é nada mais do que um mid.carder. Este é o seu lugar, ganhar um ou outro título secundário, ter uma ou duas rivalidades de maior destaque e proporcionar combates agradáveis nos programas secundários. A sua capacidade em ringue é aceitável, com um moveset entusiasmante e taunts engraçadas e as suas mic-skills são desconhecidas, pelo menos para a minha pessoa, mas se algo que eu não consigo perceber é onde é que Xavier Woods não tem carisma.

Assumindo de princípio que, atualmente, cerca de metade ou mais de metade dos espetadores da WWE são crianças, desafio qualquer um a encontrar-me uma criança (tipicamente mark) que fique indiferente a Woods. O que possivelmente está em causa é se o carisma que possui é natural ou é um atributo da sua personagem cómica, mas esse argumento é discutível, afinal, nem todos podem ser um Ambrose ou um Wyatt, que com um simples esfregar de mãos ou estalar de dedos conseguem arrancar ovações, afinal, o Bryan que é o Bryan recorreu à criação do seu alter ego de pessoa positiva (YES!) e, posteriormente, negativa (NO!) para o ajudar a auto-promover o seu carisma.

Enfim, por hoje é tudo, espero não vos ter massado com esta alucinativa viagem e conto igualmente convosco na próxima edição, para fechar este capítulo de dois blocos, pois até lá, nada vai mudar e estes suplentes vão … continuar a lutar pela titularidade. Um bom Natal a todos e continuação de uma excelente semana!

Sobre o Autor

15 Comentários

  1. Diogo7 - há 3 anos

    Bom artigo Rúben.

    Com a unificação, a WWE tem que valorizar mais os dois Títulos secundários com rivalidades/histórias com interesse e que consiga cativar os fãs, o que não tem acontecido há muito tempo. O Ambrose já não tem uma defesa do Título US em PPV desde o NOC, o que me leva a pensar que o Título é um simples “acessório” dos Shield. Já o novo campeão IC, Big E Langston, até tem tido destaque, mas não o acho minimamente talentoso para ser Intercontinental Champion. Espero que a WWE no próximo ano dê mais destaque aos dois Títulos.

    O Main Event tem poucos lutadores consolidados. Neste momento vejo: John Cena, CM Punk, Daniel Bryan, Randy Orton e Sheamus como os Main Eventers consolidados. A WWE tem que subir mais lutadores para o WWE para que os fãs não fiquem fartos de ver sempre os mesmos combates e as mesmas rivalidades. Tipos como o Dean Ambrose, Roman Reigns, Wade Barrett, Bray Wyatt, Cody Rhodes e Damien Sandow têm que ser Main Eventers num futuro próximo.

    • Rubinho16@ - há 3 anos

      Obrigado por comentares :)

      Dos nomes que dissestes, eu excluo-o o Barret, pelo menos para o próximo ano, e o Rhodes é uma questão de tudo ou nada, pois se desperdiçarem o “momentum” que este está a ter agora, duvido que o voltem a conseguir.

  2. José Sousa - há 3 anos

    Para mim os casos mais urgentes de salvação são claramente o Ziggler, Ambrose e o Sandow. Depois o Sin Cara pode ter outra oportunidade (agora com o Hunico a lutar) mas tem que ser algo feito com muita mais paciencia e sem pressas.

    • Rubinho16@ - há 3 anos

      O Sin Cara podia ser uma boa aposta no título USA, por exemplo, uma vez que lhe podia dar destaque com o seu “merchandise”.

      Obrigado por comentares :)

  3. Dolph Ziggler - há 3 anos

    Boa leitura, Rubinho. Está um artigo engraçado!

    E concordo, há certos main-eventers que já estagnaram aos olhos dos fãs e que podem muito bem descer um pouco no card e ajudar alguns mid-carders a terem mais protagonismo e a subir mais no card. Gostava, por exemplo, de ver uma feud entre o Del Rio e o Big E. Langston. Estes dois já tiveram combates agradáveis no passado e não me importaria de ver uma feud entre eles. Pode haver pessoal que não gosta porque o Del Rio é uma personagem chata e o Big E. ainda não convenceu, mas como o in-ring general que o Del Rio é, este pode ajudar e muito a desenvolver as capacidades do Big E. em ringue. E quanto a promos, esquecam, feuds do mid-card nunca tem direto a promos, portanto, nem é por aí.

    Tal como mencionaste, outro que pode fazer o papel do Del Rio, é o Sheamus, mas quanto a isso, é melhor esquecer porque se este já era aposta por parte da WWE no main-event regularmente com uma personagem muito chata e por vezes apupado pelos fãs, então agora que vai voltar, possivelmente com uma personagem diferente ou até como vilão, não vai ser agora que vão parar de apostar nele. Mas também há a chance de este voltar igualzinho a si mesmo num return a la Cena.

    E sim, pegando no que dizes do Xavier Woods, também concordo. Ele tem carisma para dar e vender. O que o fez destacar-se tanto no NXT foi mesmo o carisma nele. Claro que ele chegou á pouco tempo ao main-roster e ainda não teve uma grande chance de se mostrar sozinho (devido á tag-team com o R-Truth), mas quando tiver essa chance, o pessoal vai perceber que o Woods tem carisma. É o ponto forte dele!

    • Rubinho16@ - há 3 anos

      Obrigado por comentares, espero ver-te por aqui mais vezes e não apenas quando eu te “chamo” pelo chat xD

      As “feuds” de mid-card não têm “promos” porque a WWE não o quer, porque se fores a ver, só em Sandow, Ambrose, Wyatt e Barret (nem tanto mas tolera-se) a WWE tem potencial para criar não só discursos interessantes como também segmentos e momentos épicos!

      E quando estes nomes subirem (se é que vão subir) sempre podemos explorar mais do NXT, como o Kruger, o English e o Lefort (que pode dar um excelente manager!).

  4. Dreamer - há 3 anos

    Bom artigo.

    Realmente, os títulos secundários vão ter que ser muito mais valorizados com a unificação dos títulos mundiais, o que não vem acontecendo muito. É preciso boas rivalidades e maior relevância com esses títulos, o USA Title é só um cinto pra segurar as calças do Ambrose por enquanto. E concordo quando alguns têm que “cair do céu”, eles precisam relevar o Mid-card.

  5. FAlmeida_10 - há 3 anos

    Bom artigo Rúben.

    Achei engraçado teres comparado as várias situações de cada um ao jogadores de futebol. Contudo sim tens 100% quando dizes que com a unificação tem de se dar mais importância aos títulos de MidCard. E é nisso que esta unificação acaba por ser má. Agora vai ser mesmo difícil pushar estrelas para o Main Event. Vejamos os Main Eventers fixos que temos: John Cena, Randy Orton, CM Punk, Daniel Bryan… Para pushar uma estrela para o Main Event têm de ocupar pelo menos 3 destes senhores com outras storylines. Já para não falar que ainda temos “Low Main Eventers” como o Del Rio e o Sheamus

    Os “Low Main Eventers” assim dizendo:

    O Del Rio é mesmo o facto de não conseguir gerar o interesse que se esperava só discordo de uma coisa. Dizes que a personagem estagnou no Payback, eu discordo dessa parte, pelo contrário até digo que a personagem voltou a ter interesse por estar numa feud com interesse, em que ele tinha muito heat, e o Ziggler muito Pop. Eu diria que ele estagnou durante o build up do SummerSlam, já que não teve direito a nenhum primor do Booking. A falta de interese, ve-se, porque quase todos nós, estávamos sempre á espera que ele perdesse o título. Ninguém questiona as suas qualidades em ring, qualidades essas que tu dizes e muito bem que podem servir para elevar talentos. E sejamos sinceros, o Del Rio também, em relativamente pouco tempo que está na WWE, já fez de tudo na WWE: MITB, Royal Rumble, WWE Championship, WHC Championship…

    O Sheamus sinceramente não sei que lhe faça. Acredito mais que seja um tipico regresso á Cena.

    Os Upper Midcarders:

    O Ambrose é o gajo que vai ser top heel certamente. Tudo nele diz heel. As expressões faciais, a postura in ring, o simples tom de voz e o andar para o ring… Ele é absolutamente um heel natural, e se regressar á gimmick de sick guy que tinha na FCW, então poderá atingir o Main Event ainda mais rapidamente. Consegue ser odiado num estalar de dedos, coisa muito importante para um heel e a quem outros dera ter, qualidade de acting soberba como dizes e muito bem, mic skills muito bem trabalhadas e capazes de fazer alguem parar para o ouvir… Só peca ligeiramente pelas ring-skills. Nao quero dizer com isto que seja mau neste ponto, porque não o é! Consegue dar grandes combates com o adversário certo simplesmente. O título dos EUA, não está lá a fazer nada realmente, nesta altura precisa mais o USA Title do Ambrose, do que o Ambrose do USA Title

    Gostei de teres falado nas mudanças de personagem do Sandow, contudo banalizaram-lhe de alguma maneira a personagem. Não a reduziram ao banal, mas cortaram lhe alguns pormenores que faziam as nossas delícias. o Rob ao entrar para o ring substituido pela simples T-Shirt, o comportamento intelectualmente superior á agressividade, os discursos… Espero que seja só para vender a decepção da perda da MITB, e que quando ganhe um titulo recupere isso.

    O Reigns, é aquele gajo que atendendo ao talento que tem, e ao tipo e construção de Power-House que tem tido, conseguirá ficar over muito facilmente, e não ficaria nada decepcionado se fosse o próximo Mr Money in the Bank.

    Já ouvi o crime de dizerem que atendendo ás ring skills do Wyatt, que ele devia limitar-se a ser manager do Rowan e do Harper! Pode não ser um primor técnico, mas é um grande Storyteller servindo-se das suas qualidades de acting e principalmente da sua Gimmick. É impossível alguém lhe ficar indiferente e consegue sempre fazer me parar para ouvir o que ele diz.

    Esqueceste te de falar aqui do Ziggler, Ruben! xD

    Os Midcarders normais:

    O Fandango, tem talento no ringue contudo peca pela personagem como tu disseste. Não me acredito que esta Gimmick seja para durar. Acho que não é o tipo de Gimmick que veio para ficar.

    Os Matadores, disseste e eu concordo que podem servir perfeitamente para aquecer o público antes de um PPV.

    O Xavier Woods, é carismático claramente, contudo acho que se deve principalmente á Gimmick que tem. Ele como Consequences Creed na TNA não era tão carismático. Pode dar bons combates mas a personagem e as Mic Skills vao fazer dele outro Kofi.

    • Rubinho16@ - há 3 anos

      Obrigado por comentares :)

      O teu texto foi tão grande e disseste tanta coisa acertada, que eu nem tenho nada para te responder basicamente xD

      Eu não me esqueci do Ziggler, simplesmente já não sei o que dizer dele, chegou ao mesmo ponto do McIntyre, ou seja, toda a gente reconheçe o grau de injustiça mas chega a um ponto em que não vale a pena bater mais no ceguinho.

      Contudo, na próxima edição vou usar o Ziggler num ponto do texto, por isso, já sabes, é ver para crer ;)

  6. Ricardo Silva - há 3 anos

    É preciso ter noção que nem todos os mid-carders têm de ter potencial para main-eventers…

    Com isto dito, creio que um Sheamus vs Fandango não iria resultar, não vejo como tal rivalidade seria útil para qualquer um dos dois.

    Acho os Matadores uma tag-team de comédia, que espero que não se interfira na luta pelos títulos, pois até agora só serviram mesmo para descredibilizar um pouco os Real Americans.

    Para o KickOff preferia ver tipos que habitualmente não estão em PPV a lutar, porque não um Titus vs Brodus ou algo do género destinado a lutadores com pouco destaque mas que vão regularmente aparecendo no Raw/SD/ME.

    Quanto ao Sandow, não vale a pena falar mais nisso, porque para já o homem está enterrado. Quanto aos Shield, não me preocupo minimamente, porque tenho a certeza que no caso deles, justiça vai ser feita. Por outras palavras, os 3 vão ter futuro lá dentro. Uma palavra para o Rollins, o mais consistente dos 3, de certeza que vai dar pelo menos um mid-carder muito jeitoso.

    • Rubinho16@ - há 3 anos

      Obrigado por comentares :)

      Eu não queria dizer que todos os Mid-Carders são os suplentes dos Main-Eventers, mas acabei por me expressar dessa forma … Apenas me referia àqueles que, efectivamente, o vão ser ou têm potencial para o ser.

      Eu penso que os Matadores são bastante bons em ringue. Podem não ser nenhuns Hardy Boys, mas apresentam grande ritmo e um “move-set” bastante entusiasmante, como, por exemplo, o Sin Cara, que o seu arsenal de manobras consegue empolgar de tal maneira que um “squash” parece passar a voar.

      Eu não gostava de ver um Brodus vs Titus, pois apesar de achar o último bem decente em ringue, não me parece que fosse sair um combate minimamente decente daqui, e como já disse, para mim, o Pré-Show têm a importante tarefa de aquecer/preparar o público para o restante PPV, e não para evoluir histórias/rivalidades.

      • Rubinho16@ - há 3 anos

        Ah, e esqueci-me de dizer (sempre a somar comments xD):

        Uma rivalidade entre Sheamus e Fandango não tinha, necessariamente, de beneficiar os dois, até porque na feud com Jericho, o único que saiu beneficiado foi o Fandango, visto que ganhar uma luta no Extreme Rules não acrescentou nada ao Jericho.

        Acho que o essencial desta rivalidade era ocupar Sheamus sem aborrecer ainda mais os fãs com a sua personagem estagnada e ao mesmo tempo elevar Fandango, proporcionando-nos combates e segmentos engraçados e agradáveis!

  7. Franciscoxb - há 3 anos

    artigo muito bom Ruben

    não gostaria de ver o fandangoo no main event,ele não e mau wrestler de todo,mas tinha que mudar de gimmick,gostava que a wwe construísse bem a personagem do brodus clay e que o tornasse num grande heel,ele era bom como heel,a wwe não o esta a construir como deve ser pois ele esta a sofrer muitas derrotas,quando ele deveri estar a esmagar jobbers para depois ter uma grande rivalidade com um lutador do mid card.

    • Rubinho16@ - há 3 anos

      Obrigado por comentares :)

      O Brodus tem potencial, sempre o disse e continuo a frisar. Ao contrário do Tensai, com um bom “booking” este podia ser bastante credível como “heel”!

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador