Existem 2 vagas na Equipa do Wrestling PT para publicar notícias. Candidata-te!

Shattered Dreams #7 – A importância de cada estatuto!

Se ao falar na unificação comecei a última edição deste espaço, com a unificação começo esta nova edição, que irá fechar o capítulo já mencionado. Neste artigo procuro aprofundar mais a questão da unificação, visto que ainda não tive uma oportunidade concreta de o fazer livremente, e ainda analisar, à semelhança da semana passada, a atual situação da WWE, excluíndo o Main-Event. Sejam bem-vindos a mais uma edição do Shattered Dreams!

Para começar e justificar o primeiro parágrafo, vou abordar um dos temas mais falados da atualidade, a unificação. Nesta mesma análise, vou procurar conter-me e, mais uma vez, manter-me imparcial. Pessoalmente, não concordo nem discordo desta decisão. Assim como tudo no ramo, tem as suas vantagens e as suas desvantagens, mas sou a favor do argumento que diz que não se justifica a existência de dois títulos mundiais sem a Brand Split.

Com apenas um título mundial, a afirmação de novos Main-Eventers poderá ser ou não mais difícil, visto que tudo depende unicamente do modo como as coisas são decididas e respetivamente promovidas.

Pegando no recente caso de Dolph Ziggler, verificamos que o WHC não estava de modo nenhum ao nível do título da WWE. Seria demasiadamente arriscado dizer que tinha a credibilidade de um título secundário, mas também o seria ao chamar de “título mundial”. Este título tinha portanto o importante papel de fazer a perigosa ligação entre o Mid-Card e o Main-Event.

Dolph Ziggler, depois de um cash-in sensacional e um reinado que tinha tudo para o afirmar como Main-Eventer, perdeu o título e ficou completamente perdido no roster, perdendo em Pré-Shows e sendo entretido em histórias sem sentido. Se olharmos a história e constatarmos que ex-detentores desse título são, na sua maioria, Main-Eventers consolidados, verificamos a pouca credibilidade que o título tinha na altura.

A unificação pode ser benéfica neste ponto, visto que o campeão será, em teoria, o melhor lutador a companhia, e uma conquista de tal título será um push enorme que dificilmente poderá ser ignorado, e lutadores como Dolph Ziggler, Cody Rhodes e Wade Barret podem facilmente afirmar-se como Main-Eventers regulares e não os típicos casos de “sobe e desce” de que são vítimas atualmente.

Sem o WHC, os títulos secundários têm de sofrer automaticamente uma maior valorização, e o título Intercontinental, sendo, na prática, mais importante do que o dos Estados Unidos, tem de substituir o WHC no papel acima referido. Ora, seguindo esta teoria, Big E Langston, visto ser o atual campeão, teria de ser um lutador entre o Mid-Card e o Main-Event, coisa que seria precipitada demais caso acontecesse.

Mesmo que o destaque que Big E Langston tem recebido pareça estar a resultar, está aos olhos de todos a insegurança que este apresenta em alguns aspectos. A sua qualidade em ringue é ligeiramente limitada; é certo que para o seu tamanho se consegue mexer bem e, mesmo não sendo nenhum Umaga, não é nenhum Ryback. Os seus combates podem ser bastante interessantes com o adversário certo, mas campeão que é campeão, e mais do que isso, lutador prestes a entrar no Main-Event tem de ter bons combates com regularidade.

O carisma não me parece ser um ponto fraco nas suas referências, mas para a maior valorização do título pedida, não basta arrancar pequenas ovações em confrontos com os Shield.

O carisma é algo que se requer urgentemente para o título Intercontinental, sendo que a recente nomeação de Fandango como candidato ao ouro de Langston foi demasiadamente radical, pela negativa. Não está em causa o carisma de Fandango, nem mesmo o seu talento em geral, mas é um facto que um rivalidade entre Big E e Damien Sandow seria decerteza algo de bastante agradável de se ver.

O problema principal seria a qualidade dos combates, sendo que nenhum dos dois é um primor em ringue, mas Cena também não o é, e conseguiu um excelente combate com o, na altura, “Mr. Money in the Bank”, sendo que até poderíamos ser surpreendidos neste ponto.

Os segmentos seria de certeza geniais, aliás, como são todos os que envolvem Damien. A sua capacidade de entreter e, ao mesmo tempo, gerar ódio por parte da multidão iria acabar automaticamente por fortalecer o apoio a Langston.

O mal está feito, e com Sandow fora da rota do título, Fandango é o nome que surge na lista. Embora seja um grande fã do bailarino e o queira ver como mid-carder consolidado o mais rápido possível, não acho benéfico nem para este, nem para Langston uma rivalidade entre ambos.

É certo que a luta entre ambos pelo título pode ser, à semelhança do TLC, uma one nigth only, e que a rivalidade nem se prolongue, ou até mesmo tenhamos uma triple treath com a junção de Sandow (coisa que nem era mal pensada), mas caso tenhamos a feud Fandango/Big E não espero nada de mais, nem da história em si, nem das finalidades da mesma.

Supondo de princípio que Big E ia reter o título, esta história não só ia degradar Fandango e dificultar a sua afirmação, como não ia acrescentar nada ao vencedor e talvez fosse um ponto de partida para começar a gerar o desinteresse em si.

Como abordado na edição passada, penso que é benéfico para os lutadores em questão, que tenhamos uma breve despromoção do Main-Event para o Mid-Card, sendo que nomes estagnados como, recorrendo a exemplos da semana passada, Alberto Del Rio deveriam “descer dos céus” para elevar os mais jovens.

Pois bem, eis que temos aqui o serviço ideal para o “bertie”. Está ao alcance de todos a capacidade atlética do mexicano e o seu nível elevado enquanto performer, logo que uma rivalidade com o atual campeão poderia não só proporcionar-nos uma série de agradáveis combates, como desenvolver as capacidades de Langston em ringue. Isto a juntar a uma vitória sobre um ex-campeão mundial e vencedor de diversas provas como o Royal Rumble e o Money in the Bank, certamente iria beneficiar o reinado e a credibilidade do título em questão.

Outro nome que pode surgir e que certamente me deixava tão ou mais contente do que a primeira opção é o de Dolph Ziggler. As suas semelhanças com Del Rio são óbvias, uma vez que este é não só um excelente executante dentro e fora de ringue, como é também um ex-campeão mundial e portador da mala azul.

Uma rivalidade entre ambos era ainda mais benéfica, pois não só Big E poderia beneficiar da excelente capacidade de valorização de Dolph, como este poderia relançar a sua carreira caso capturasse o título ao seu ex- guarda-costas. O único defeito desta rivalidade seria mesmo o facto de ser um confronto entre babyfaces, coisa que a mim não me incomoda, mas que tenho consciência de que não é o mais apreciado pelo público em geral.

Descendo de patamar, mais uma vez, na prática, o título USA é um caso que há muito me anda a incomodar. Pessoalmente, e isto pode por em causa a minha dedicação enquanto fã de Ambrose, são poucas as vezes em que me lembro da existência deste título e do seu detentor enquanto campeão.

Sem contar com as escassas defesas nos programas secundários, Ambrose já não defende o título em PPV desde o Nigth of Champions, coisa que de modo nenhum acrescenta qualidade ao seu reinado.

Não se trata do talento ou potencial de Ambrose enquanto campeão, nem mesmo do destaque que o título tem tido, visto que o seu detentor está frequentemente envolvido em histórias principais, mas o nível raro de defesas do título e da criação de histórias e adversários dignos para o mesmo é preocupante. Dean Ambrose só por si não faz milagres, e com o tratamento que o seu reinado tem tido, o título sujeitasse a prejudicar o campeão. Digo isto pois passar a imagem de um campeão cobarde e que raramente defende o título não é a mais adequada para um vilão do calibre de Ambrose.

Tendo em conta o panorama atual, a renovação do título tem de passar por criar defesas e rivalidades credíveis para o campeão, pois com este a WWE não tem de se preocupar, pelo menos por agora. Caso tal não seja feito, o star-power do campeão não vai resultar, nem mesmo a sua credibilidade ou valor de merchandise.

O nome que a mim me parece ser o mais adequado na linha atual é o de Roman Reigns. Os fatores são diversos e estão aos olhos de todos: com o reinado de Ambrose prestes a estagnar, o melhor mesmo a fazer é criar uma rivalidade. Tal urgência torna-se relevante a cada dia que passa e com os repetitivos sinais de conflito entre Ambrose e Reigns, o interesse dos fãs na história podia gerar diversas delícias para o título. Para além de um enorme sentimentalismo e emoção, podíamos contar com um combate de grande qualidade, tanto a nível técnico como agressivo (brawl).

Roman Reigns parece adequar-se perfeitamente ao papel de babyface, e tendo em conta o apoio que atualmente recebe dia-a-dia com as suas fantásticas perfomances, rapidamente se iria tornar num dos maiores apoiados pela multidão, conjugando o seu vistoso porte físico com as suas empolgantes prestações em ringue.

Esta é a minha visão para com os atuais títulos secundários, que não são nada mais do que estatutos, e com a famosa unificação, a WWE tem de, automaticamente, renovar … a importância de cada estatuto. Esta é a lei principal a ser cumprida daqui para a frente, quem sabe daqui a uns tempos não teremos futuras lendas a lutar pelo título Intercontinental, como na década de noventa.

Assim me despeço com esperanças de que um feliz natal vos tenha ocupado durante o dia de ontem e com votos de um feliz ano novo, nesta edição que é nada menos do que a última deste ano! Desejo fechar o ano com algo novo, que espero resultar e atrair mais leitores, de modo a aumentar a interatividade deste espaço, logo, todas as edições passarão a ter uma/duas perguntas para gerar debate nos comentários. Continuação de uma excelente semana!

Concordas com aquilo que aqui foi dito? Quem definias como candidatos a renovar os atuais títulos de Mid-Card e a respetiva divisão?

Sobre o Autor

15 Comentários

  1. Conspo - há 3 anos

    Bom Artigo. Mas o Ambrose defendeu o titulo no HIAC.

  2. Catchphrase - há 3 anos

    Belo artigo!!!
    Eu sinceramente estou entusiasmado com o que pode acontecer aos títulos de mid card
    Gostaria de uma feud entre o big e o bray e que o bray conquistasse o IC title também gostaria com o sandow e fandango eu por mim desde que ele perca o título estou me pouco marimbando,quanto ao usa eu acho que o problema nem e o campeão por mim e a quantidade de vezes que o campeão as defende ,o título dos USA e um título que deve ser defendido em todos os PPV e também uma vez por mês em raw’s e smackdown’s o mais provável e o ambrose perder pro kofi,sin cara,ziggler,miz,truth

  3. The Mentalist - há 3 anos

    Gente de qualidade no mid-carder tem, o booking é que não está a altura

  4. Rubinho16@ - há 3 anos

    Quero desde já agradecer ao Conspo, ao Catchphrase e ao The Mentalist por serem, até agora, os únicos a comentar o meu artigo. (sem contar com os comments por aprovar).

    Não vou estar com muitos rodeios: esta pode muito bem ter sido a última vez que escrevi para vocês, pelo menos na rúbrica Shattered Dreams!

    O Universo vai sofrer alteraçõs, e o meu espaço vai ser um dos que vai sofrer na pele. Não tive a oportunidade de escrever um artigo como o Daniel fez no BTM, pois só recebi a “novidade” hoje de manhã, mas caso queiram saber de mais promenores, consultem (não me agradeças xD) :http://wrestling.pt/beyond-the-mat-15-e-e-o-fim/

    Quero agradeçer ao Kapitas e ao Salvador pela confiança que depositaram em mim, ao Ricardo Silva, ao André Santos e ao Chris JRM pelas dicas que me deram no concurso, e ao Akujy e ao LuisMPBO, que embora não estejam a ler isto agora, foram dos que mais me ajudaram.

    Desejo boa sorte a todos os meus “colegas de trabalho” nesta nova etapa, não se preocupem com a pressão, simplesmente escrevam como sempre escreveram e mostrem a qualidade que o WPT tem em escritores.

    Assim me despeço, possivelmente pela última e definitiva vez, apesar de continuar com a minha “vida” de comentador e membro ativo no chat. Abraços.

    • MR Perfection André Santos - há 3 anos

      Desculpa Rubinho por vezes não comentar, mas normalmente leio.Espero que estejas sempre a comentar com a tua classe :)

      • Rubinho16@ - há 3 anos

        Obrigado André :) Só espero que dos poucos textos que escrevi, não tenha desiludido e boa sorte para ti e para o Vintage, que é dos meus espaços favoritos.

    • Ricardo Silva - há 3 anos

      Rubinho, quanto ao artigo ficarei mesmo desiludido se enquanto o Big-E for IChamp não vir uma óbvia rivalidade com o Dolph. Por mim, o Dolph voltava a ser heel e era o próximo IC. Sem complicar muito.

      Quanto ao reinado do Ambrose, vai ficar na história por ser um grande reinado, mas apenas em número de dias. Qualidade nem por isso, até porque a maioria das defesas de título dele foram por DQ. Ele já devia ter perdido o título há muito, estou curioso para ver o que vão cozinhar.

      Para mim, realisticamente falando o próximo IC é o Reigns, que vai levar ao fim dos Shield. Mas posso estar enganado…

      Quanto às mudanças, vais continuar a fazer parte da nossa família!

      E não te queixes que passas para 2014 em primeiro isolado! :) eheh

      • Rubinho16@ - há 3 anos

        Eu a ti já te agradeçi vezes que chegue xD

        É bom saber que sim, e vou continuar a acompanhar o site para nos manter-mos todos em contacto.

        Depois hás-de me explicar essa teoria do Reigns como campeão IC, quer dizer, eu percebo os motivos que te levam a essa conclusão, mas gostava que aprofundasses esse raciocínio, dá uso ao mail xD

        Mais uma vez, obrigado!

    • Foto de perfil de Facebook

      D'Leite - há 3 anos

      Bem, em primeira instância obrigado pela “publicidade” ahahah.

      Sabes bem que tens talento e acredito que com o tempo venhas a ter uma futura oportunidade se surgir uma vaga para o efeito. Não desistas do teu objectivo de ser cronista pois “água mole em predra dura tanto dá até que fura” e um dia, tudo será recompensado.

      Fico triste por não teres tido o tempo suficiente para escreveres tudo aquilo que gostarias, pois sete edições é um número extremamente reduzido para alguém que tanto tem a dizer. No entanto quero dar-te os parabéns por teres diso premiado com um espaço mesmo sem teres ganho o concurso, o que, claramente, mostra o potencial que lá demonstraste.

      Curiosamente não era a isto tudo que me referia no meu artigo quando falei em mudanças no Universo, mas foi curioso de constatar que no fim de contas até tinha alguma razão naquilo que disse. Os meus mais sinceros parabéns por tudo aquilo que alcançaste e continua a lutar pois um dia terás o teu tempo. Afinal, como dizia no BTM #13, não é tudo uma questão de tempo? ;)

  5. Franciscoxb - há 3 anos

    Bom artigo Rubén .

    Concordas com aquilo que aqui foi dito? Quem definias como candidatos a renovar os atuais títulos de Mid-Card e a respetiva divisão?

    Mais ou menos,não concordo de tudo,não acho que sem o titulo mundial de pesos pesados,os outros titulos secundários (united states champion e usa champion) terão maior relevancia,o dean ambrose já teve o titulo durante muito tempo,ach que está na hora de perder o titulo,se calhar depois da WM deverá perde-lo para o cody rhodes,ou para o roman reigns ainda antes,segundo os rumores o roman reigns irá virar face,o IC é que está em pior estado,e em pior estado porquê?,porque tem o big e langston como campeão,não quero de maneira nenhuma que o fandanggo seja campeão era o que faltava um bailarino,deve perder para o badnews barret ou para o sandow,sendo que a segunda hipotse me agrade mais

  6. JoãoRkNO - há 3 anos

    É como o o The Mentalist diz, o Mid Card está recheado de qualidade, o booking é que estraga tudo por vezes. O IC Title poderia/deveria ser renovado por Sir Damien Sandow, era um excelente inicio para ele e acima de tudo,poderia proporcionar-nos bons matches resultantes de boas feud´s. O USA Title está estagnado demais, talvez o Fandango pudesse melhorar um bocadinho as coisas.

    E digo isto, porque na minha humilde opinião, acredito que a unificação acabará no pós-WM, e reservo uma das malas MITB, ou até mesmo as duas para o Ambrose e o Reigns. Se for só uma e se a unificação acabar, acredito numa feud brilhante entre estes dois gentleman´s pelo WHC.

  7. FAlmeida_10 - há 3 anos

    Excelente artigo Rúben. Gostei especialmente da forma como falaste do WHC e que o IC terá de fazer o seu lugar.

    Concordando contigo o WHC, era o título de “low Main Event” assim dizendo, era o título de transição. Era o título para os novos Main Eventers, e ajudava na adaptação ao Main Event, diminuindo assim os riscos de uma aposta falhada de Main Event. Era portanto mais fácil as estrelas atingirem o ME. Coisa que com a unificação vem ficar mais dificl porque vamos ver: Em primeiro lugar a aposta do Main Event torna-se mais arriscada (coisa que o WHC diminuia) e havia mais margem de erro para os lutadores aí presentes (se uma estrela agora falhar como Campeão, dificilmente terá outra oportunidade). A WWE tem os Main Eventers firmados (Cena, Orton, Punk e Bryan), o título vai girar á volta deles basicamente, para uma estrela poder ser campeã, vão ter de fazer alguma coisa com os outros todos.

    Se o IC terá então de passar a ser esse título então estão a meter muita pressão no Big E (que mesmo ocultando por vezes consegue ser carismático, pode ter falhas no ringue, principalmente nas running strikes a meu ver, e a falta de inovação dos moves; contudo pode dar um bom combate com a pessoa certa como dizes) que está a ter o seu primeiro teste de competências. Se fosse assim, era mais seguro ter o Ambrose como IC e o Big E como USA Champion, coisa dificilima de aocntecer porque não se troca titulo por titulo por da ca aquela palha. O Ambrose é um nome mais que firmado no Mid Card e que facilmente carregaria o IC nestas condições, ou mais simplesmente o Sandow poderia fazer esse lugar, já que o queimaram no ME. Quanto ao reinado do Big E, o Big E está simplesmente a derrotar e deitar fora os adversários, é como se estivesse a fazer tudo em fila, e um reinado sem feuds e storylines de pouco vale.

    O USA Title nesta altura precisa mais do Ambrose, do que o Ambrose do USA Title, já tenho dito isto muitas vezes. Mas atenção, porque este título pode ter uma palavra a dizer na separação dos The Shield.

  8. Dolph Ziggler - há 3 anos

    Bom artigo Ruben. E concordo plenamente contigo quando dizes que faria jeito o Del Rio ou o Ziggler terem feuds com o Big E pois estes são òtimos executantes e que sabem contar uma história no ringue. Alem do mais o Big E tambem teria a oportunidade de aprender umas coisinhas em ringue com estes dois a ajudá-lo.

  9. Bad News Barrett - há 3 anos

    Concordo com tudo!! Sem duvidas que Fandango nao é o adversário certo para o Big E até porque caso Fandango nao vença esta rivalidade nao valerá nada para nenhum dos dois!! Continuo a defender que quando Fandango tiver a chance de um titulo secundario deve vencer e sinceramente nao tou mesmo nada a ver a wwe a tirar já o titulo da sua recente grande aposta Big E Langston!! Claramente uma feud com o Del Rio seria muito interessante e certamente iria valorizar imenso o Big E! O mesmo nao digo do Ziggler pois neste momento ele está completamente perdido e precisa primeiro de voltar a estar no rumo certo a meu ver.

    A ideia de Reigns vs Ambrose agrada-me mas como nao estou a temer pelo futuro de nenhum deles optaria por algo mais interessante!! Aproveitava o fim dos The Shield para fazer nao so o face turn ao reigns como também o faria ao Rollins e tudo poderia conduzir a uma tripla ameaça pelo titulo em que o Ambrose e o Reigns acabam por se desentender e isso geraria uma vitoria do Rollins!! Assim Rollins que é quem tera maiores dificuldades numa carreira a solo poderia também começar em grande e nao ser esquecido enquanto Ambrose e Reigns poderiam seguir a sua feud sem o titulo em jogo e irem tendo o esperado crescimento e evolução na wwe de forma mais rapida que o ex companheiro!!

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador