Smoke and Mirrors #117 – Ego

Estamos na Road to WrestleMania, e este evento é sinónimo de Entretenimento, ou seja por vezes para a WWE o mais importante não é somente a qualidade dos combates ou das histórias. Mas igualmente, preocupa-se com a presença de wrestlers ou personalidade famosas que possam trazer algum impacto mediático ao evento, mesmo que por vezes essas presenças não tragam nada de benéfico ao produto final do PPV.

No entanto, isso é algo que sempre ocorreu na WWE, todavia que nos últimos tem sido acentuado com a presença de regressos de lendas para ocuparem o espaço no main-event que poderia ser ocupado por wrestlers da nova geração.  Ou seja, nos últimos anos a WWE deixou de usar a Wrestlemania para fazer o que fez no passado: Criar Wrestlemania Moments e novas estrelas.

Por isso, esta semana o Smoke irá abordar essas estrelas que nos trinta anos de Mania ocuparam espaço em combates de main-event ou de grande importância, fazendo com que outras estrelas não tenham o espaço que mereciam no maior palco do ano da WWE. E só falo de casos de main-event, porque se fosse a falar de todas as lendas ou VIP´s que participaram em Manias teria tema para mais que um artigo. Assim, o objectivo é sobretudo analisar a participação dessas personalidades, e verificar quais não foram prejudiciais ao produto final, e quais é que foram.

Mr.T

Com um papel importante nas duas primeiras Manias, o Mr.T é daquele caso de uso de personalidade com impacto que eu não culpo muito a WWE, ou que pelo menos não provocou muito dano no produto final do evento. Ou seja, é verdade que em termos qualitativos a WWF não beneficiou muito com a sua presença, a verdade é que usar um dos actores mais populares da altura beneficiou a popularidade do evento.

O que quero dizer é que naquela altura, esta situação era mais desculpável porque a WWF estava a começar a ganhar impacto mediático, e o uso de alguém com a popularidade de B.A Baracus( Desculpem não resisti) ao lado de Hogan beneficiou a Wrestlemania em termos de mediatismo. Claro, que seria preferível que  a WWF não tivesse usado o homem e que os wrestlers por si conseguissem criar impacto para o evento. Mas como eram os primórdios eu consigo ver isto como mais tolerável do que se fosse nos dias hoje.

Por isso na minha avaliação de utilidade na Mania, o Mr.T passa com uma positiva, é verdade que é pequena mas é positiva. Mas, também não poderia dar grande nota tendo em conta a qualidade dos embates em que esteve presente, que não aconselho muito a que assistam porque tecnicamente não foram nada de especial.

Lawrence Taylor

Foi preciso chegarmos á Mania 11 para voltáramos a ter alguém fora da WWE a ter o spotlight, e infelizmente que tivemos essa situação porque este ex-jogador de Futebol Americano proporcionou um dos piores( se não mesmo o pior) main-event da história de uma Wrestlemania. E digo isto, porque é impressionante o quão fraco foi o combate entre ele e o Bam Bam Bigelow, aliás eu questiono quem considerou que “isto”, sim porque não existe outra palavra, seria uma boa ideia para combate.

Este combate nunca seria bom por si só, e ainda era bem pior como main-event da Wrestlemania e logo contra o Bam Bam Bigelow, com todo o respeito pelo Bam Bam. Mas, quando o WWE title entre Diesel e HBK é secundarizado por uma treta de combate e feud, entao as coisas estavam muito mal. Eu percebo que a WWE começava a sentir a ameaça da WCW, mas por mais que os ratings estivessem maus, o facto é que não foi este jogador de futebol e este combate de treta que ajudou a WWE a vencer a guerra com a WCW. Por isso, mesmo a presença de Lawrence Taylor na Mania tem claramente saldo negativo, porque não beneficiou em nada o produto ou a qualidade do evento.

Roddy Piper

O momento em que ele agiu mais como veterano numa Mania foi claramente no combate com o Goldust na Wrestlemania XII, e apesar de tudo até nem foi uma passagem negativa. Sim é verdade que teve spotlight e que venceu o Goldust, mas quem assistir aos shows da altura consegue ver uma excelente performance de acting por parte de dois excelentes talentos.

Sim era evitável este excesso de protagonismo de Roddy Piper nesta Wrestlemania, mas tal como na anterior Mania a WWE procurava recuperar impacto mediático, e para isso usou a “prata da casa” no que diz respeito às lendas para tentar voltar aos eixos no que diz respeito á qualidade do seu maior evento. E verdade seja dita, o saldo desta feud não é muito positivo mas também Piper não ofuscou o Main-Event, e por isso mesmo sendo um dos destaques da Mania, talvez só criticaria o facto de não ter dado o Wrestlemania Moment ao Goldust.

Ultimate Warrior

Este veterano só teve uma participação com destaque após a sua reforma, mas sinceramente preferia que não tivesse ocorrido, porque o destaque que foi dado ao seu regresso para a Wrestlemania XII foi francamente algo exagerado. Até porque, o seu regresso não beneficiou em nada a qualidade final do produto do evento, e acabou-se por retirar tempo que poderia ter sido dado para valorizar outros wrestlers.

Assim, a minha avaliação da participação de Ultimate no seu comeback só pode ser negativo, e é daqueles combates que eu não aconselho que vejam, até porque basicamente foi um squash a Hunter Hearst Helmsley( gimmick da altura de Triple H), e ainda bem que esse combate não influenciou o seu futuro na WWE, caso o contrário esta teria sido um fracasso completo.

Mike Tyson

A participação do “Homem mais perigoso do Mundo” foi na minha opinião mais uma das participações especiais cuja a utilidade foi nula, porque sinceramente o combate e a história de Stone Cold e HBK não precisava de ter tido Tyson como enforcer , e factor decisivo da vitória de Stone Cold na Mania.

O que pretendo dizer é que a historia seria já por si interessante, e a presença de Mike Tyson foi mais pelo lado mediático do que propriamente para assistirmos a uma melhoria qualitativa do embate e da storyline. Sei que muitos irão discordar, mas não consigo avaliar esta participação como positiva, mesmo tendo em conta que a importância histórica do combate em questão. Apenas considero que o combate teria tido a mesma qualidade e importância sem a presença de Tyson.

Mr.McMahon

O presidente da companhia já teve combates que não sendo verdadeiramente o main-event de um Mania, acabaram por ser destaques dos eventos. No entanto, só consigo encontrar aspectos positivos no combate entre Umaga e Batista, onde o Animal representou o Vince e Umaga o Trump pelo controlo da WWE. E, concordo porque nessa situação consegui encontrar algo benéfico porque o combate colocou em destaque tanto o Batista como o Umaga, apesar do foco estar no Vince e no Trump.

Os restantes embates, apesar de bem construídas as feuds(Shane, Ric Flair,Hulk Hogan e Bret Hart), considero que nessas situações o “Big Boss” preocupou-se mais com o seu ego, do que com a qualidade do produto. Claro, que sobretudo o embate com Ric Flair teve uma história bem contada, mas com a qualidade que o roster tinha podíamos ter tido esse espaço dedicado a outros wrestlers, mesmo que o combate não tenha sido mau.

Quanto ao Bret Hart, a história foi basicamente a forma da WWE contar-nos que o Bret iria vingar-se do “Montreal Screwjob”, no entanto acho que o combate não foi nada de especial, e como fã do Bret preferia que não tivesse acontecido este combate, até porque não encontro muitos pontos positivos nesse embate. Por isso, mesmo avalio as participações do Vince in-ring na Mania sobretudo como actos de ego, do que propriamente dar-nos o que é melhor para o produto, e o embate com Hulk Hogan é o exemplo perfeito disso.

Ric Flair

Além daquele confronto com Vince, provavelmente a vez em que posso considerar que Ric Flair esteve num dos main-events de uma Mania enquanto veterano foi no embate com Taker e com HBK. Porém, nas duas situações acabaram por não retirar totalmente o spotlight a quem precisava dele, e por isso não posso dizer que foi totalmente desagradável a performance do Flair enquanto veterano numa Wrestlemania.

Sobretudo no caso da história de HBK, a história foi toda ela muito bem contada e a WWE conseguiu contar de forma muito inteligente a reforma de Ric Flair, só é pena que ele não a tenha cumprido posteriormente na TNA, porque a forma como tinha sido contada essa saída foi perfeita. Assim, a minha avaliação no caso do Flair não pode ser negativa, até porque durante a sua carreira ele ajudou a valorizar muitos jovens talentos, e apesar de tudo sempre domesticar o seu Ego da melhor maneira (pelo menos na maioria das situações).

Hulk Hogan

Bem se existe um rei do Ego, então provavelmente ele seria o Hogan porque tanto na altura em que estava em pleno no roster, como posteriormente nas suas participações como lenda ele nunca resistiu ao seu Ego e vontade de ser o centro das atenções. Sendo que, isso é algo que foi bem visível tanto no embate com The Rock na Wrestlemania X18, como sobretudo com Vince McMahon no ano seguinte.

Mas, no combate com Vince o ego foi ainda maior porque tivemos dois egos gigantes em acção numa história com pouco interesse.Enquanto no caso do combate com o Rock, apesar de estar presente o seu Ego e vontade de ter o spotlight, a verdade é que era um Dream Match e como foi o Once on a lifetime acabou por não ser totalmente negativo, muito embora tenha tirado destaque ao main-event( Triple H vs Jericho pelo Undisputed Championship).

Desse modo, só posso avaliar a participação de Hogan enquanto lenda em Manias como egocêntrica na maioria das situações. E espero sinceramente que se confirme que este ano será apenas o Host da Mania, mesmo que tema que queira tirar spotlight mesmo ocupando apenas essa posição, porque com ele uma coisa é certo o Ego dele está em primeiro lugar.

Floyd Mayweather

O que têm Akebono e Floyd Mayweather em comum? Ambos tiveram combates em Manias com o Big Show, e em ambas as situações do Big Show foi humilhado com uma derrota. Aliás, eu não consigo dizer-vos quais das duas derrotas foi a mais ridícula porque qualquer uma delas foi lamentável, e sinceramente se a WWE queria dar destaque ao Big Show na Wrestlemania então encontrava os métodos mais parvos possíveis. Porque, sejamos honestos bem pior que ter uma streak negativa é ter duas derrotas contra non-wrestlers, logo em combates fraquíssimos.

Sendo que, no caso do Mayweather o que tivemos foi um enorme Ego á procura de dinheiro e destaque num evento de um desporto que não é dele. E isso, na minha opinião é algo lamentável porque não trouxe nada de benéfico á Mania, muito pelo contrário tivemos um combate muito mau e uma história muito má. Tudo isto, para satisfazer o Ego deste campeão de boxe, como foi no caso do squash do campeão de Sumo, humilhando a persona do Big Show neste processo.

HBK e Taker

Já estes dois nomes são os exemplos de dois veteranos que apesar de todo o estatuto, tiveram sempre momentos com lógica e interessantes enquanto veteranos na Mania, e o melhor exemplo disso são os dois embates entre eles. Mas, a verdade é que estes são dois exemplos de como um veterano deveria agir em termos spotlight de uma Mania, sobretudo no caso do Taker, porque por vezes o HBK tem vislumbres de Ego, apesar do seu “amigo” COO abusar disso em doses maiores que ele.

No entanto, considero que o Taker para acabar como exemplo para todos deveria concluir a sua carreira no prazo máximo de dois anos por mais que doe a todos os fãs, aliás a altura ideal teria sido na Wrestlemania XXVIII depois do Hell in the Cell com o Triple H. Já o HBK espero que cumpra a sua reforma, e que apenas faça aparições para valorizar novos talentos (como fez em alguns segmentos com o Bryan), porque é para isso que os veteranos deveriam ser utilizados na WWE.

Chris Jericho

Se existe nome que não tem ego enquanto figura importante da Wrestlemania, então esse nome é claramente Chris Jericho. Porque se ele quisesse teria vencido o Rumble de 2012, e teria vencido o Punk pelo WWE Title na Mania desse mesmo ano, e não requisitou porque preferiu consolidar o Punk enquanto Main-Eventer. Tal, como no ano passado tentou ajudar a dar destaque a Fandango, que infelizmente depois de um bom arranque perdeu todo o gás e importância que conquistou com essa vitória.

Talvez essa atitude do Jericho por vezes seja excessiva e acabe por dar-lhe demasiadas vitórias, todavia ele tem uma visão do “negócio” onde os veteranos têm que usar o seu estatuto para ajudar a dar pushes aos mais novos. E ninguém pode acusar que não é por culpa do Jericho que o Ziggler não está no main-event, aliás ele ajudou bastante a que o Ziggler fizesse um upgrade no seu destaque e promos. E fê-lo por conseguir minimizar o seu Ego ao ponto de ver o que é mais importante para o futuro da companhia.

Brock Lesnar

Eat, Sleep, Conquer and Repeat, é o lema de Lesnar e apenas demonstra que apesar de possuir um enorme talento, ele também tem um enorme Ego. Ele sabe que é um drawn e usa isso para seu proveito, e isso é visível no seu contrato com limite de presenças e combates. Ou seja, o Lesnar sabe que é importante e isso acaba por ter consequências no produto porque ele acaba por exigir muito spotlight mas com poucas aparições anuais.

Mas como é lógico esse tipo de presenças em part-time acabam por ter consequências no produto da WWE, porque fica muito dependente de nomes como Lesnar que não estão presentes todo o ano na companhia. E isso tem consequências no produto, e isso foi visível na feud com o Triple H o ano passado que acabou por ser um embate aquém do potencial que poderia ter tido. Claro, que preferia ver um Lesnar a lutar com talentos como o Sheamus este ano em vez do Taker, até porque poderia ser um combate com o mesmo nível de qualidade do combate com o Punk no Summerslam.

Triple H

É verdade que Triple H até tem um record não muito positivo em Manias, mas desde que se tornou um Big Name poucos foram os nomes que ele verdadeiramente elevou numa Wrestlemania. Claro, que elevou Cena e Batista, mas anos depois não fez isso com o Sheamus quando o irlandês poderia ter tido o seu Wrestlemania moment como heel ao bater o Game.

Mas é um facto que Triple H tem um ego gigante e isso foi visível o ano passado quando venceu o combate com o Brock Lesnar, mas também é verdade que a partir do momento que colocou a carreira em jogo e teve o apoio de HBK que essa vitória era óbvia. Mais uma vez, não é nada contra o wrestler em questão, até porque sou fã dele, mas a verdade é que ele nos últimos anos tem adiado a sua retirada dos ringues, e por vezes ficamos com a sensação que ele faz isso por Ego. E uma bela maneira de se retirar seria perder este ano para Daniel Bryan, ajudando á consolidação de Bryan enquanto  main-eventer.

Rock

O Rock regressar há 3 Manias atrás foi uma atitude inteligente do ponto de vista financeiro, mas a verdade é que esse evento ficou demasiado centrado nele e isso acabou por prejudicar o combate do main-event, tornando o Miz praticamente um boneco nesse combate só para se lançar uma rivalidade entre ele e o Cena para as duas Manias seguintes. E isso foi um acto que acabou por centrar o produto num part-time, é verdade que é um talento fantástico, mas também não podemos negar as consequências que isso teve no produto e no locker room.

No entanto, devo dizer que só consigo avaliar como negativa a presença do Rock na Mania 27 e na 29, porque no caso do primeiro combate com o Cena o combate foi bem construído, com uma história e com o hype que o combate merecia. Mas, no caso do ano passado já não foi bem assim porque sinceramente acho que o Rock não precisava de ter sido campeão em part-time, até porque isso não ajudou em nada á credibilização do seu reinado. Assim, e por mais que goste do Rock preferia que ele regressasse apenas para participações que valorizassem novos talentos, e não tanto momentos em que ele procura o spotlight por ser o nome que é, embora perceba que isso é benéfico em termos financeiros.

Batista

E chegamos ao Ego do momento: O Animal. Sim, para mim chegar e em dias vencer um Rumble e estar lançado para um titulo da WWE na Mania é um sinal de Ego por parte de Batista. Claro, que isso contradiz tudo o que ele dizia quando estava fora da companhia, mas muitas vezes dizes isso apenas por rancor ou vontade de estar no spotlight e, não tanto por preocupação com a criação de novas estrelas.

E este regresso demonstrou exactamente isso, a preocupação de Batista era com o seu ego e vontade de ter o spotlight. Claro que isso é inteligente do ponto de vista financeiro em teoria, mas com tudo o que se passou depois do Rumble tenho dúvidas que a teoria seja colocada na prática, e dificilmente o Batista irá funcionar muito bem como face nesta Road to Wrestlemania. Mas, as projeções sobre os riscos do main-event da Wrestlemania serão feitas na sua devida altura, no entanto á primeira vista tenho dúvidas da utilidade e sucesso de Batista nesta Mania.

Dessa forma concluo esta edição do Smoke and Mirrors, espero que este tema seja alvo de debate porque o meu objectivo era mesmo este: questionar a utilidade, e as vantagens e desvantagens do uso de lendas na Mania. Para a semana voltamos com mais um tema da atualidade, espero que tenham uma óptima semana, e marcamos encontro para semana no mesma dia aqui na Wrestling.Pt.

Figuras da Semana

Abyss / Eric Young- Excelente performance de ambos num Monster Ball de boa qualidade, e que além disso contou uma história. Uma palavra para o trabalho notável de Eric Young que é muito desvalorizado por vezes, muito por causa da sua gimmick.

Chris Sabin- Destaco-o mais pela qualidade da sua performance como actor, do que propriamente pela storyline em si, porque duvido que ele saia beneficiado no final. Mas espero bem que esteja errado, e tenha uma bela surpresa.

Samual Shaw- Excelente personagem que a TNA tem aqui em potencia, e que até agora o Shaw tem desempenhado de forma muito eficaz. Espera-se desenvolvimentos para que possa ter uma noção do qual será o verdadeiro potencial da personagem, e sobretudo do wrestler in ring.

MVP- Uma promo eficaz e divertida mas pouco mais que isso, ou seja não ficamos a saber muito dos prepósitos dele na TNA. Claro que tivemos algumas luzes, mas ainda não foram as suficientes para perceber-se totalmente o seu plano na TNA.

Samoa Joe- Excelente combate entre ele e o It Factor, e que serviu para o credibilizar enquanto contender pelo titulo Mundial. Ou seja, a TNA quer que a defesa do titulo por parte do Magnus no Lockdown seja credível e para isso estão a colocar o Joe como ameaça credível.

Daniel Bryan- Duas vitórias na mesma semana, e com excelente performances , ou seja uma semana positiva para o líder do Yes! Movement. Ou pelo menos não tao negativa quanto a anterior, no entanto com os ataque de Kane as nuvens negras continuam a pairar sobre o Bryan. No entanto não podia deixar de o destacar na semana em que venceu limpo ao Orton, e ao Cesaro em grande estilo.

Wyatt Family e Shield- Não consegui separar as duas stables nos destaques porque ambas estiveram muito bem esta semana, quer nos seus combates como nas promos com provocações entre as equipas. Sem dúvida, um combate que está a ser bem construído para o próximo PPV.

Kane- Não é um membro activo do roster mas nas ultimas semanas tem estado em mais destaque que muitos dos membros do roster. Primeiro com o ataques ao Punk, agora com os ataques e confrontos com o seu ex-parceiro Daniel Bryan.

Sheamus- É verdade que venceu apenas os dois membros dos Rybaxel, mas não deixa de ser um dos destaques da semana pelas duas vitórias. Até porque esta semana, fora a situação Kane e Bryan, e Shield e Wyatt, poucos destaques positivos tivemos na WWE.

Surpresa da Semana

Cash-in falhado de Zema Ion- Mesmo que o combate tenha sido de qualidade razoável não deixa de ser uma surpresa que a TNA tenha dado um title shot ao Zema para que ele depois não aproveite essa mesma oportunidade.

Desilusão da Semana

Segmento do Bad News Barrett na Raw- Isto não foi propriamente a desilusão, mas mais propriamente o pior momento da semana, porque não percebi a logica do Jerry Lawler vir interromper o Barrett, em mais um momento em que os comentadores parecem mais “palhaços” que outra coisa.

Perguntas da semana

Qual a tua opinião sobre as figuras abordadas neste artigo? Quais consideras as que têm Ego e quais não têm?

Como achas que a WWE deveria gerir o uso deste tipo de nomes?

Concordas com as figuras, surpresa e desilusão da semana? Ou escolherias outras opções?

Sobre o Autor

- Escritor do artigo “Smoke and Mirrors”.

54 Comentários

  1. Franciscoxb - há 3 anos

    Grande artigo !

    Concordo com tudo o que foi dito, o Batista n devia estar no main event da wrestlemania,o bryan merceia-o muito mais ainda tenho esperanças na triple thearet e que o bryan vença os dois titulos

    Concordo com as figuras,surpresa e desilusão

    • José Sousa - há 3 anos

      Muito obrigado Francisco. Sinceramente tenho duvidas disso, se essa entrada acontecer é por ele vencer o titulo na Chamber ou na Raw no dia seguinte.

  2. MicaelDuarte - há 3 anos

    Bom artigo José.

    “No entanto, só consigo encontrar aspectos positivos no combate entre Umaga e Batista, onde o Animal representou o Vince e Umaga o Trump pelo controlo da WWE. E, concordo porque nessa situação consegui encontrar algo benéfico porque o combate colocou em destaque tanto o Batista como o Umaga, apesar do foco estar no Vince e no Trump.” – quiseste dizer que, na WM 23, o Bobby Lashley representou o Trump e que o Umaga representou o McMahon? É que o Batista vs Umaga foi na WM 24 e foi uma representação de “brands” :)

    Grande Jericho! E é só isto que eu digo xD

    • José Sousa - há 3 anos

      Sim é verdade tens razão. O Jericho é um rei, um verdadeiro senhor veterano.

      • José Sousa - há 3 anos

        Quanto ao erro acontece aos melhores. Peço desculpa pelo lapso.

      • João Morgado Pereira - há 3 anos

        Acho interessante realçar duas coisas:
        Curiosamente não falaste no The Rock, que voltou dois anos consecutivos para roubar a spotlight, e eu não entendo como raios não o mencionaste.
        A outra coisa é a maneira como tu e muitos outros falam sobre o Jericho ” ah se ele quisesse ganhava isto e aquilo”, ate parece que estás por dentro dos bastidores da wwe, a realidade é que para nos fãs o Jericho tem uma imagem e uma importância muito superior do que alguma vez teve para a companhia. Gostava de dizer que foi um bom artigo mas pela segunda semana seguida tenho de dar nota negativa, o facto de não mencionares o The Rock é mesmo um caso extremo.

      • José Sousa - há 3 anos

        Não Falei? Não Falei! Vai ler o artigo por favor e depois diz que não falei.

        “O Rock regressar há 3 Manias atrás foi uma atitude inteligente do ponto de vista financeiro, mas a verdade é que esse evento ficou demasiado centrado nele e isso acabou por prejudicar o combate do main-event, tornando o Miz praticamente um boneco nesse combate só para se lançar uma rivalidade entre ele e o Cena para as duas Manias seguintes”.

        Sobre o Jericho foi ele que pediu para perder, ouvi em entrevista dele. Tu tens a mania contra mim. Eu já disse no Rumble não gostei da boquinha na League, mas julgas-te o maior e não les bem. Eu falei do Rock so não ve isso quem não leu o artigo.

      • danielLP21 - há 3 anos

        José, ele não lê os artigos. Uma pessoa que comenta sem ler… Já quando o Mário publicou uma lista FEITA PELA WWE, ele teve um comentário ridículo e “insultante”. Depois nem tem a coragem de admitir os erros, não volta a responder e acabou.

      • MicaelDuarte - há 3 anos

        Leste o artigo? Ou melhor, leste o artigo todo?… O Rock está entre a parte do Triple H e a parte do Batista.

        Isto não tem muito a ver neste momento, mas tu apontas o dedo, criticas as ideias dos comentadores ou os artigos dos cronistas, mas quando estes te respondem, tu pouca ou nenhuma vez respondes de volta…

      • José Sousa - há 3 anos

        Entao se não le não comente Daniel. É que já fez esta shit no Rumble, pôs-se com bocas no comentário da League. Sinceramente este tipo de comentários tiram as pessoas mais calmas do sério.

        Muito Superior. Deixa ver Undisputed Champion, WHC e WWE Champion. Nem merece o Hall of Fame nem nada não é João.

      • MicaelDuarte - há 3 anos

        LOL

        Da próxima não digo nada Daniel xD

      • Diogo7 - há 3 anos

        Acho que é melhor comprares uns óculos, ou melhor, acho que devias ler o artigo antes de comentar. Sempre que comentas, não dizes nada de jeito…

      • MR Perfection André Santos - há 3 anos

        Começa a ler os artigos…

  3. MR Perfection André Santos - há 3 anos

    Bom tema como sempre.

    Qual a tua opinião sobre as figuras abordadas neste artigo? Quais consideras as que têm Ego e quais não têm?

    O ego do HHH é maior do que o seu nariz…pena pois gosto muito dele enquanto wrestler.Dos melhores heel da wwe e ultimamente tem estado bastante em baixo e é capaz de muito mais. Não acho que Piper tenha muito ego, pois sempre na sua carreira foi um underdog.Y2J é o melhor exemplo do que um veterano deve de fazer quando regressa e deixar de lado o seu estatuto…

    Como achas que a WWE deveria gerir o uso deste tipo de nomes?

    A gestão é fácil…podem perfeitamente dar destaque e muita relevância sem estar a dar ouro ou vitoria significativas.Y2J por exemplo, nesta sua ultima caminhada…perdeu, ganhou e deixou de ser quem é? Não…

    Concordas com as figuras, surpresa e desilusão da semana? Ou escolherias outras opções?

    Concordo. Dou destaque(tal como tu) ao combate entre Young e Abyss e claramente a Sam Shaw…Só não colocava como desilusão o cash falhado do Zema…porque seria mais uma mudança de mãos do x-divison e não era benéfico para o titulo estas mudanças constantes.

    Acrescento nos momentos a forma positiva da TNA e da ROH

    Parabéns meu caro…sempre com temas muito bons!

    • José Sousa - há 3 anos

      Sem dúvida André, tenho pena porque ele é dos melhores de sempre como heel. Espero que ele este ano eleve alguém seja o Bryan ou o Roman.

  4. Bad News Barrett - há 3 anos

    Concordo menos com a do Tyson.

  5. Bruno - há 3 anos

    gostei do artigo, mas de todos os nome que vc citou nenhum deles tem mais EGO do que Jerry Lawler pois o mesmo já deveria estar reformado a vários anos atrás e mesmo assim esta ali na mesa de comentários apenas falando merda com sua voz irritante.

  6. Vinícius Nunes - há 3 anos

    Bom artigo José, e eu não concordo com várias coisas que disseste, mas respeito, por exemplo, o Hogan na Mania XVIII foi muito importante, pois ele e o Rock foram draws importantíssimos para essa Mania, pois nem Triple H e nem Chris Jericho eram os maiores draws do mundo e combate com Rock foi algo engraçado de se ver, onde o Hogan meio que passa a tocha pro The Rock de maneira interessante… Sobre o Lesnar, eu sinceramente gosto mesmo dele na WWE, é o melhor powerhouse que a empresa tem e se for bem usado, como pra mim foi contra Cena no Extreme Rules 2012 (onde acho que ele deveria ter ganho) e principalmente contra Punk no Summerslam do ano passado, então eu quero que ele continue, só que coloquem ele com gente melhor…

    • José Sousa - há 3 anos

      Eu no Hogan e Rock aceito pela logica que tu disseste, como teria sido útil na situação do Rock vs Cena 1. Eu isso aceito algo positivo é um Dream Match.

      Sim o Lesnar não é um caso extremo, eu sou fã dele, e sabes disso. Ele precisa é de combates sólidos, não é por ele que o spotlight fica apagado para os mais novos é verdade.

  7. Dreamer - há 3 anos

    Ótimo aritgo, José.

    Qual a tua opinião sobre as figuras abordadas neste artigo? Quais consideras as que têm Ego e quais não têm?
    Ao longo de teus artigos, percebo que temos opiniões muito parecidas. Por isso, pouco acrescento aqui. Apenas destaco Kane, que também se preocupa em elevar talentos.

    Como achas que a WWE deveria gerir o uso deste tipo de nomes?
    De vez em quando, alguns retornos são benéficos, contanto que não roubem toda a spotlight e que esses nomes saibam qual tem que ser seu lugar. Por isso, sou apenas a favor de retornos caso vá elevar talentos.

    Concordas com as figuras, surpresa e desilusão da semana? Ou escolherias outras opções?
    Sim, por sinal, gostei muito de começar a ver TNA, Achei o Samoa Joe um ótimo wrestler.

    • José Sousa - há 3 anos

      Exacto. Mas o Kane não tem tido main-event matches nas Manias, já o Jericho com o Punk teve, ou seja não era o Main-event mas era um dos 3 combates principais dessa WM.

      • Dreamer - há 3 anos

        Ah é, passou me despercebido esse detalhe.

  8. Dolph Ziggler - há 3 anos

    Bom artigo, José. Não vou fazer um grande comentário como o costume até porque estou sem paciência (desde já peço desculpa), mas deixo a minha nota positiva ao artigo. E concordo contigo nas figuras da semana.

    • José Sousa - há 3 anos

      Compreendo a tua falta de paciencia, também estou chateado perante aquela exibição totalmente lamentável.

  9. AwesomeTheMiz - há 3 anos

    Concordo com tudo, José! Principalmente com Rock, na WrestleMania XXVII aquele ataque dele em Cena que deu a vitória para o Miz só serviu de base para a WrestleMania XXVIII. O caso de Triple H e Batista não tem mais o que discordar, está muito completo!

    O caso de Warrior é uma tristeza, aquele combate dele com Triple H na WrestleMania XII foi ridículo, principalmente pelo fato de sofrer um Pedigree e levantar como se nada tivesse acontecido. Eu gosto de Warrior como wrestler e principalmente pelo carisma do mesmo, mas os combates dele contra Triple H e o combate dele contra Randy Savage na WrestleMania VII foram os piores que eu já vi no evento.

    Eu só venho a discordar um pouco do caso de Chris Jericho, pois não vejo ele com um grande ego, ele coloca os Superstars over, mas não acredito que o mesmo tenha desmasiadas vitórias, há vezes que ele escolhe perder… Entretanto, respeito e compreendi seu ponto do vista, José!

    Excelente artigo, parabéns!

    • José Sousa - há 3 anos

      Ui esse combate é ridículo. Eu tinha que dizer mal do combate porque não valeu nada. Eu disse que o Jericho mesmo tendo ego sabe quando tem que perder, é o mesmo ponto de vista mas de explicado de modo diferente.

      Quanto ao Rock(que eu Falei), essa participação é Ego, e no ano passado tamb´me. Na 28 não considero porque é o combate que fica áquem da construção, porque o combate foi muito bem construído.

  10. Ângelo Martins - há 3 anos

    Excelente artigo José.
    Rock poderia ter participado na Wrestlemania 29, mas sem o título em jogo. Tal como o Taker vs HBK, este Cena vs Rock poderia ter tido dois combates sem nenhum título em jogo.
    Relativamente ao Batista, concordo. Acho completamente desnecessário vencer a Rumble quando há superstars tão over como Bryan e Punk. É que o homem já tem 45 anos, é ridículo. E duvido que a sua capacidade física nos proporcione um bom combate.
    Sobre o Jericho, espero que venha a participar na Mania deste ano.

    • José Sousa - há 3 anos

      Sem duvida é que a minha duvida é sobretudo quanto á forma dele, ou seja tenho duvidas que consiga estar ao nível do que lhe é pedido. Como diriam no Pontapé no Ceu da Boca, a duvida não é se ele se vai lesionar mas sim quando.

  11. Diogo7 - há 3 anos

    Excelente artigo José. Concordo com tudo o que foi dito.

  12. RiKardec - há 3 anos

    Concordo com tudo, mas, relativamente à parte de Mr. McMahon, queria mesmo só corrigir que o único combate em que Batista lutou com Umaga foi na Mania foi na 24, e foi um combate Raw vs SmackDown. Mcmahon vs Trump (Hair vs Hair Match) foi na Mania 23 e foi Umaga (a representar Mcmahon) vs Bobby Lashley (a representar Donald Trump). Tirando este pormenor, acho que foi um bom artigo.

    • José Sousa - há 3 anos

      Sim eu já assumi esse erro. Até porque isso surge como exemplo do Ego do Vince não é o foco principal do Artigo. Mas assumo esse erro.

      • RiKardec - há 3 anos

        Não me apercebi que já tinham avisado sobre o erro, desculpa lá.

  13. Control - há 3 anos

    Bom artigo..
    Concordo com a maioria e outros nem tanto mas entendi o teu ponto de vista.Esta questão sempre ira acontecer,demasiadamente e descaradamente como foi o regresso do Batista imagino como deve ser para um cara que esta ralando o ano todo sem descanso,e é passado para trás por nomes que só teriam necessidade ali se fossem para elevar alguém.Enfim isto nunca vai parar,principalmente enquanto estiver rendendo dinheiro a WWE ou qualquer empresa.Vida longa ão Jericho \o/

  14. JoãoRkNO - há 3 anos

    Ótimo trabalho meu caro. Gostei deste tema, conseguiste distanciar-te do tema que eu tinha em mente que publicasses esta semana. Concordo com todos os nomes que referiste, todos eles momentos bastante controversos.

    Concordando com tudo, figuras da semana, surpresa e desilusão da semana, acho que o resultado cash do Zema era absolutamente inesperado, nunca pensei e duvido que muitos tenham pensado que ele iria falhar o cash, mas talvez tenhamos uma boa feud entre estes dois belíssimos superstars.

    • José Sousa - há 3 anos

      Muito obrigado, pensavas que iria falar do Punk? Eu para já quero esperar, não posso reagir sempre emocionalmente.

      • JoãoRkNO - há 3 anos

        Para te ser sincero sim, mas fizeste bem, não pode ser sempre tudo dó mesmo.

      • José Sousa - há 3 anos

        eu vou falar dele depois da Chamber, provavelmente na semana da Raw em Chicago.

  15. danielLP21 - há 3 anos

    Aquele Warrior vs HHH… Ridículo. Mas pronto, é isso que me faz ter esperanças de que o Sandow vai ser alguém na WWE, uma vez que o HHH também conseguiu ter uma grande carreira depois desta humilhação.

    O Mike Tyson tem uma qualidade: gosta do Benfica. Ao menos isso.

    Também não vi mal nenhum no The Rock vs Hulk Hogan. Só não foi um “Once In A Lifetime”, porque no ano seguinte voltaram a lutar um contra o outro, quando o Rock voltou como “heel” e venceu o Hogan no No Way Out. Como eu estou doente, aqui vai um elogio ao “Hulkster”: apesar de tudo, perdeu duas vezes para o Rock, e isso é de louvar.

    Gostei do artigo José.

    • José Sousa - há 3 anos

      O Hogan tem um Ego do tamanho do mundo mas quando quer valorizar ele valoriza. Ele ajudou o nosso Edge também, verdade seja dita.

  16. don_ricardo_corlone - há 3 anos

    Quanto ao Triple H ele também pôr over o Chris Benoit e de que maneira. Era fã dele enquanto wrestler mas enquanto dirigente deixa muito a desejar, por isso já perdemos o CM Punk e o Daniel Bryan nem participou na Royal Rumble. Mas pronto, isso é assunto mais que batido.
    De todas as figuras abordadas o que que tem maior ego é claramente o Hulk Hogan, basta ver o exagerado destaque que deu a ele próprio na TNA. Nunca esquecerei a participação na Wrestlemania só para humilhar um dos melhores heels de sempre a quem igualmente matou o impeto que tinha no Summerslam de 2005, o Muhammad Hassan. Nunca aceita perder limpo nos seus regressos, não coloca ninguém over, acha-se maior que a WWE e o próprio wrestling…É um ser detestável que se for utilizado na Wrestlemania, mesmo que só como apresentador, será um The Rock 2 mas ainda pior.
    A WWE deve evitar a utilização de qualquer pessoa que não seja um wrestler profissional. Qualquer não wrestler que seja utilizado na Wrestlemania deveria ser apenas para apresentar ou aparecer em algum segemento, sem humilhar qualquer wrestler. Os veteranos, para regressar, devem preencher 3 requisitos: 1) Conseguir lutar em condições; 2) Entrar em feud com uma estrela em construção; 3) Ser utilizado para colocar alguém over. Infelizmente apenas o Jericho aceita isso. O Batista devia ter regressado para colocar alguém over e nunca para vencer a Royal Rumble e ir até á Wrestlemania, o Brock Lesnar não deveria ter regressado para enfrentar o Triple H mas sim para colocar um talento over. Há muitos que teriam beneficiado com uma vitória contra estes wrestlers (Cody Rhodes, Daniel Bryan, Roman Reigns, Sheamus, só como exemplos) mas infelizmente a WWE quer ocupar os main events da Wrestlemania com part timers e por isso mesmo perdemos o maior nome de todos: CM Punk! Espero que acordem a tempo.

    • José Sousa - há 3 anos

      Sem duvida. Olha se o Bryan for mesmo para o titulo e o Reigns defrontar o Triple H que o Hunter coloque o Reigns over, ao menos isso.

  17. akujy - há 3 anos

    Excelente artigo e com um belo tema. Sou contra aquelas pessoas que dizem q nnc se deve chamar veteranos ou celebridades, isso é absurdo. Têm sempre o seu lugar, ha é q saber utilizá-los. Fizeste um bom trabalho a mostrar isso caso a caso. Embora nao concorde com tdas as tuas avaliações finais, acho que as justificaste mt bem e com bons argumentos. Well Done, como sempre!

  18. FAlmeida_10 - há 3 anos

    Bom artigo José. Desta vez nem tenho nada a dizer sobre o artigo, este artigo é um daqueles em que todos viram/vêm o que aconteceu e portanto não há mais nada a dizer. Continua o bom trabalho!

  19. Ricardo - há 3 anos

    Ego? Qual ego? O Batista, tanto quanto sei, não detém poder criativo na WWE. Venceu o Royal Rumble e irá ter um combate pelo título da WWE na WrestleMania porque alguém – que de facto manda lá no burgo -decidiu que tal era a o melhor para o negócio.

  20. Mario Magalhaes - há 3 anos

    Excelente artigo José. Achei muito pertinente o tema, estou a um bom tempo pensando isso, mas meu Ego não permitiu que ainda falaste disso.
    Sobre as perguntas.
    Qual a tua opinião sobre as figuras abordadas neste artigo? Quais consideras as que têm Ego e quais não têm?
    A grande maioria das figuras veio para estes momentos na Mania, carregada por seus egos e para vencerem, claro que algumas não venceram, o que demonstrou pelo menos em algum momento sua humildade e a qualidade para alavancarem outros nomes na WWE.

    Como achas que a WWE deveria gerir o uso deste tipo de nomes?
    Acho que ela deva utilizar-se destas figuras, mas não em demasia, só gostaria que eles fossem utilizados para completar o card da Mania e não para serem as principais figuras da noite.

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador