Smoke and Mirrors #123 – Unleash The Animal

O que pode mudar em 6 anos? Além do aspecto, capacidade física, idade, e outros pormenores pessoais e profissionais, o que pode verdadeiramente mudar numa pessoa, sobretudo alguém que age de forma completamente diferente do que defendia há 6 anos atrás. Podemos dizer que o cenário está diferente de há seis anos, e é verdade, mas curiosamente o cenário até poderia estar muito melhor que há seis anos caso a WWE tivesse cimentado mais nomes no main-event dos que criou durante este período.

“… the hardcore fans can’t stand him. He is Mr. Hokey, Mr. PG … to me, he killed hardcore, edgy wrestling.” 8 Dezembro de 2011

“I came back for this, the WWE World Heavyheight Championship. Deal with It!” 20 de Janeiro de 2014

Assim, o protagonista desta segunda parte é alguém com passado na indústria, e por mais que não simpatize com ele enquanto wrestler, eu tenho que ser racional e admitir a sua importância na WWE. Mas, o nosso passado até nos pode dar estatuto especial, porém caso queiramos usar esse estatuto devemos primeiro confirmar se somos capazes de apresentar qualidade na performance que justifique o uso desse estatuto, e no caso do nosso protagonista ele claramente não estava preparado para responder a tamanho push imediato a quando do seu regresso.

Já devem ter percebido que o protagonista da segunda parte da nossa epopeia de análise á Road To Wrestlemania, é o vilão desta altura: Bootista, ah desculpem Batista. O nosso vilão cruzou-se muitas vezes com o nosso anti-heroi e protagonista da primeira parte durante o primeiro reinado do Punk enquanto campeão Mundial, mas já tinham uma amizade antes desse confronto dentro do ringue. Mesmo assim, essa amizade não impediu que o anti-herói saísse da WWE por não concordar com a opção da companhia em dar destaque de main-event ao seu amigo Batista.

Aliás, essa decisão afectou de forma profunda o percurso do nosso anti-heroi, vilão e herói desta trilogia. E afectou porque causou reacções diferentes por parte dos próprios, e mesmo nos fãs da companhia que manifestaram o seu apoio ao herói e ao anti-heroi ao ponto de obrigar a WWE a mudar os planos para o main-event da Wrestlemania, e mesmo os planos que tinham para o nosso vilão.

Mas, se já conhecem a minha perspectiva sobre a história do anti-heroi, esta semana ficarão a conhecer a minha visão sobre a situação do Batista no meio desta Road To Wrestlemania. Assim, esta semana o Smoke fará a comparação entre o Animal do passado e Animal do presente, e apresentará a sua análise das principais diferenças no perfil do Batista, e o impacto dessas diferenças no impacto que ele tem no produto da WWE.

Batista do Passado

Mas comecemos pelo inicio, ou seja analisemos e comparemos as diferenças entre o Batista da primeira passagem pela WWE e aquele que agora passeia pelos ringues da WWE. Aliás, se não me dissessem que é a mesma pessoa até poderia jurar que é alguém completamente diferente, porque todas as suas atitudes não coincidem com aquilo que dizia defender no passado.

Vejamos, o Batista antigamente defendia aquando da saída da WWE que ela não conseguia cativa-lo mais, e isso não era uma questão de dinheiro, mas sim o produto que já não o cativava mais. Assim, ele fundamentava que a sua saída não era sobretudo por descontentamento com a direcção do mesmo, que na sua opinião era demasiadamente direccionado para o público infantil.

Ou seja, o Batista quando dizia isto ainda dentro da WWE, mas mesmo depois de sair estava claramente a criticar a postura da companhia centrar todo o produto no Cena. Com isso, e segundo o Batista e com razão o produto não permitia que se criassem novas superstars de topo, e isso é um dos problemas que a WWE tem criado nos últimos anos, e que terá que inevitavelmente começar a resolver porque alguns dos veteranos estão quase no final da sua carreira.

O grande problema é que este discurso provavelmente não correspondia á verdade, ou seja na verdade o Batista contou-nos um engodo, uma mentira. O que quero dizer é que ele quando criticou a WWE não a criticou verdadeiramente por ela ser PG, ou por não criar novas estrelas, fê-lo porque ele queria o spotlight todo para ele. Sumariando, o Batista tinha inveja do Cena e do seu sucesso, porque como chegaram ao main-event ao mesmo tempo ele gostaria de ter sido a “cara” da WWE e não o Cena.

Ou seja, o problema do Batista a quando da sua saída não foi o produto ser PG propriamente dito, mas sim o facto de ele não ser o centro das atenções da WWE. Eu sei que vou ser criticado por dizer isto, mas todas as suas acções depois de sair da WWE até ao seu regresso aparentam ser movidas por interesses individuais. E nisso não seria condenável, se ele tivesse capacidade de voltar com a capacidade de se apresentar ao nível que o seu nome possui. Pronto eu admito que prefiro outro tipo de atitude por parte de uma lenda, mas percebo a postura e os motivos dele para sair da WWE, aliás acabam em certa parte por ser semelhantes aos do Punk mas com um pouco mais de Ego á mistura.

Mas vejamos, mesmo não sendo grande fã dele o Batista no passado tinha o poder de mexer comigo, ou seja mesmo não o aplaudindo, admito a importância dele na indústria até porque ela é inegável. Mesmo que em parte ela se deva á influência do seu amigo Triple H e do Vince, porque mesmo tendo o porte físico que a WWE gosta, se ele não tivesse saltado de segurança do Devon para membro dos Evolution tinha tido a carreira que teve. Mas, isso são afirmações na base das conjecturas, e não existe volta a dar e temos que admitir que ele teve um percurso importante na WWE.

Ele foi campeão da WWE e Mundial, vencedor do Royal Rumbl, teve feuds importantes com Triple H, Cena, Jericho e Undertaker, ou seja não posso questionar que ele é um nome importante e proeminente na Routhless Aggression Era, onde ele chegou a ser a principal figura da Smackdown. No entanto, para ele isso era insuficiente porque ele queria ser a figura principal da WWE, e para isso tinha que estar no topo na principal brand, ou seja na Raw. E compreendo que ele merecia esse estatuto durante algum tempo, nem que fosse para as pessoas não ficarem tão saturadas de Cena como acabou por acontecer.

Até porque o Batista como heel é muito mais interessante do que como face, mas a verdade é que a maioria do tempo em que esteve na WWE ele foi face, apenas só foi heel durante os Evolution e quando da feud com o Cena (quando fez o turn no Rey Mysterio), isto sem contar com o actual momento.  Assim, eu não nego a importância dele durante a sua primeira passagem, e mesmo não sendo um deleite no ringue era impossível não ficar indiferente á sua presença, feuds e entrada, e por isso mesmo era natural existir por parte dos fãs alguma vontade que ele regressasse, apenas não contavam que fosse da forma que foi e com os objectivos que foram, mesmo que ele não seja o único culpado da situação. Mas sobre isso falarei de seguida.

O que posso dizer com toda a certeza, é que gostaria que o verdadeiro Batista defende-se os valores que defendia quando saiu da WWE, porque se fosse verdade ele estaria a pensar no bem do produto e no futuro da companhia e não nos seus interesses pessoais. Mas, nem todos os veteranos são iguais, e alguns dizem coisas apenas da boca para fora, e neste caso ele apenas o disse para um dia mais tarde ter proveito próprio quando voltasse.

O regresso

Mas o que mudou verdadeiramente no perfil do Batista, além do óbvio? Muitas coisas aparentemente, ou provavelmente até pouca, porque alguns aspectos da personalidade mais ligados ao seu Ego provavelmente sempre existiram só não eram tão visíveis. Aliás, para começar temos que ser todos honestos e admitir que sempre se falou de um grande ego quando se falava do Batista, apenas poucos pensariam que ele teria o regresso que teve.

E a pergunta que se coloca é: Que mal teve o regresso dele? E porque é que o tornaram um vilão no regresso? Sinceramente são duas perguntas às quais é importante responder caso queiramos verdadeiramente compreender o impacto que teve junto do público no seu regresso, uma vez que não teve o pop que a WWE pensaria que iria ter de acordo com o seu planeamento inicial. Digo isto, porque a WWE até pode vir agora argumentar que o que estamos a assistir foi sempre o plano, mas todos sabemos que não, que é fruto da saída do CM Punk, mas sobretudo da reacção do público ao Daniel Bryan no Rumble, e consequentemente a vitoria do Batista.

Mesmo assim continuamos sem perceber o que teve de mal o seu regresso além do Ego, mas esse também outros tiveram e não levantaram tantos problemas ao card. Mas, provavelmente esse foi o maior erro da WWE( na figura do Vince McMahon e do Triple H) e mesmo do Batista quando decidiram que ele voltaria para vencer o Rumble e o título como face, quando tinham a noção da popularidade de CM Punk e de Daniel Bryan. Se não tinham noção, deviam ter tido porque as histórias que estavam a contar para os dois prometia vingança na Wrestlemania, e não de um momento para outro vir alguém e em 3 dias ocupar a vaga de uma história que os dois contaram desde do Summerslam(sobretudo o Bryan).

Ou seja, o problema não está nem nunca estará totalmente na pessoa do Batista, mas sim no atropelo que foi feito a outras pessoas pelo regresso do Batista. E podem vir dizer mas o Rock também voltou assim, aparecendo menos e foi campeão. É verdade, e eu critiquei isso na altura, mas também devo referir que mesmo que não gostem muito John Cena vs Rock é um combate que vende só pelos nomes em causa. Enquanto um single Batista vs Randy Orton poderia ter a história de invejas do tempo dos Evolution, mas não é claramente um Rock vs Cena, ou seja não vende assim de caras, pelo menos na minha perspectiva, e sempre o disse antes do Batista vencer o Rumble.

E não vende pelo motivo que todos vimos, as pessoas como sentiram que foram novamente atropeladas chegaram ao seu Breaking Point, e como o Triple H disse na Raw fartaram-se de estrelas que regressam e têm tudo de mão beijada, mesmo que na prática o Hunter seja um dos responsáveis por este situação. O que quero dizer é que a feud nunca iria resultar, porque nunca iria ter verdadeiramente um face, ou seja a ideia de colocar as pessoas ao lado do Batista não ia resultar. E ainda tentaram isso até á Elimination Chamber, mas mesmo aí a pessoa que deveria ter ficado com heat( o Del Rio) estava com pop, e perante isso a WWE só teve uma solução: assumir o que tinha acontecido no Rumble em termos de revolta a favor do Bryan, e fazer o heel turn do Batista.

Sendo que não o fez como li por cobardia, e por medo de do publico por gostar da “moda” Daniel Bryan, até porque eu sou da opinião que ele não é moda, mas isso ficará para outra situação.  No fundo, a WWE tomou esta opção porque foi o melhor para negócio, ou seja é a Wrestlemania 30 e a companhia quer que ela seja especial e que tenha momentos que os fãs se relembrem, e com o card que iríamos ter iria ser apenas uma Wrestlemania banal, com um main-event cujo a maioria não estava interessada em ver.

E a palavra-chave nesta situação é maioria, ou seja até podem ser os maiores haters do Bryan, mas a maioria não queria ver um Batista vs Orton, e seria um main-event que passaria ao lado da ocasião histórica que a WWE celebra este ano. Com este formato actual, até poderá vencer o heel(neste caso o Batista) que mesmo assim terá reacções porque será mais um momento onde um dos “maus” acaba por voltar a tramar o Bryan ,e isso contará uma história que fará o público continuar ligado. Não quero dizer que é isso que quero, ou que o que acho que irá acontecer, até por que isso só falarei na altura da antevisão da Wrestlemania XXX.

Então o que está a falhar no regresso do Batista? Sinceramente está a falhar muita coisa, e até agora tem sido tudo menos um sucesso este comeback, pelo menos não tem sido ao nível que o nome e o estatuto do Batista mereciam, e não por culpa dos fãs, mas pela forma como bookaram o regresso. Vejamos, o Batista se tivesse vencido o Rumble e regressado na mesma noite teria tido tanto heat? Até poderia ter tido algum, mas nunca teria tido tanto porque tinha regressado de surpresa e nessas situações os fãs tendem a apoiar esse tipo de regressos. Porém isso não é algo certo, e o Universe poderia de qualquer modo ter ficado do lado do Bryan.

Mas, pelo menos esta situação atenuaria em parte todo o heat que ele teve e que obrigou a WWE a mudar de planos para o main-event da Mania e a acelerar o seu heel turn, que pelos vistos já estaria previsto. Mas isso é algo que nunca saberemos se era verdade, e por isso não vale a pena analisar possibilidades, e mais vale analisar factos concretos sobre o heel turn do Batista.

E nisso não posso dizer que ele não é um melhor heel, porque de facto é, e ficamos a ganhar com um Batista heel porque claramente quando olho para ele vejo-o claramente como melhor heel do que face. O carisma dele é de mauzão, e não tanto de wrestler popular, pelo menos não é tão intenso e convivente como actor enquanto face de como heel. E com isto chego a um dos pontos que me tem perturbado no regresso do Batista: a capacidade de acting dele, e é impressionante como alguém sai da WWE sendo até razoável no acting e nas promos, e regressa depois de experiências como actor com performances e promos bem piores que anteriormente, e isso é perturbador porque essas experiências deveriam ter melhorado essas capacidades.

Até porque caso conseguisse estar em grande nível nas promos e no storytlling conseguiria disfarçar de forma mais eficaz as debilidades que tem revelado do ponto de vista físico no ringue. Sim ele aparentemente até pode estar em boa forma física, mas dentro do ringue perdeu capacidades, está com muito pouca resistência e ele não tem sabido proteger-se e disfarçar essa situação. Eu sei que seria difícil voltar em grande forma, mas provavelmente ele não se preparou de forma adequada para o desafio, sobretudo quando pretendia voltar a tempo inteiro.

E aí que entra outra variável na análise: o Batista está a tempo inteiro e o Rock não.  E é verdade, mas o Batista não é o Rock em termos de impacto mediático, nem nunca terá a sua importância quer no cinema como na WWE. Mesmo assim é importante, e por vir em tempo inteiro ao contrário do Great One, as responsabilidades deveriam ser maiores, e por isso mesmo se quisesse mesmo voltar com a importância que voltou deveria ter-se preparado de melhor forma.

Todavia, isso não iliba o Batista e a WWE de tentarem forçarem um combate uma situação que não é desejável e que os fãs não desejavam ver. O que pretendo dizer com isto é este não era o Main-Event que os fãs queriam, e quando tu queres algo mesmo que te apresentem algo também bom mas que não queres, vais acabar por recusá-la. É como darem-te chocolate quando queres gelado, o chocolate até pode saber bem, mas não vais gostar porque querias gelado. E foi basicamente isso que se passou com o Batista, e que levou a que ele tivesse todo este heat.

Sim, ele até pode ser um vilão acidental nesta Road to Wrestlemania, mas não o deixa de o ser, porque apesar de não ter todas as culpas, também têm alguma. Claro que as partilha em menor proporção que a direcção da WWE, mas a verdade é que o regresso do Batista da forma como foi bookado não foi bem recebido pelos fãs (pelo menos a maioria) e obrigou a WWE a assumir esse heat.

Agora, a questão que fica no ar até dia 6  é sobretudo: Será que o vilão da história acabará a Wrestlemania com o spotlight que sempre procurou? Ou conseguirá o orgulho para dar ao face o mesmo momento que lhe deram quando venceu o primeiro Rumble?. Mas isso é algo cuja a resposta só será respondida no próprio dia, mas não podemos negar o impacto do Batista nesta Road to Wrestlemania, mesmo que este não seja totalmente positivo.

Dessa forma, concluo o Smoke and Mirrors desta semana, para a semana voltamos com o último capitulo desta trilogia de protagonistas da Road to Wrestlemania. Sendo que para a próxima semana o protagonista será o herói desta estrada, por isso já conseguem provavelmente perceber quem será. Mas para confirmarem esse palpite leiam  o próximo Smoke and Mirrors, até lá tenham uma boa semana.

Figuras da Semana

Abyss e Eric Young- Excelente brawl inicial que continuou uma boa rivalidade, agora anexada á feud Magnus e Samoa Joe. Estou curioso para perceber o que poderá trazer as próximas semanas a esta rivalidade.

Bromans- Os homens defenderam e só por isso não deixam de ver um dos destaques, até porque não tiveram em mau plano no combate. Podem não ter a melhor gimmick do mundo, nem ser os melhores wrestlers do mundo, mas esta semana estiveram em bom plano.

Willow- Nem dá para destaca o Lashley ou o EC3 porque o destaque desse mesmo combate foi ataque do Willow, que dessa forma conseguiu continuar com a sua streak. Porém o fim da invencibilidade está cada vez mais próxima.

Gunner e Storm- Momento alto do Impact, fantástica promo entre este dois talentos, sobretudo por parte do agora heel Cowboy James Storm. Impressioante a performance dele enquanto heel contra o seu ex-parceiro.

Magnus- Defendeu novamente o seu titulo contra o Samoa Joe, mas a rivalidade ainda está longe de acabar. Aliás deverá continuar nas próximas semanas, e talvez tenha um capitulo decisivo no Sacrifice.

Shield e Kane-  Excelente construção da rivalidade para a Wrestlemania, esta semana em dois actos. O primeiro na Raw onde os Shield atacaram o Kane e defenderam o Lawler fazendo um face turn, e no segundo acto o Kane usou os New Age Outlaws para se vingar. Por isso, e até ver temos aqui uma boa feud para a Mania.

Wyatt Family e Cena- Rivalidade surpresa desta Road to Wrestlemania na minha opinião. Não contava que construíssem a rivalidade de forma tao interessante e levando o Wyatt tão a sério como têm feito, mas isso é positivo para o futuro do Eater of World na WWE.

Taker e Heyman- Bom segmento no Main-event, fez renascer algum interesse na rivalidade. Mesmo assim, é importante que na Raw de Brooklyn saia algo que torne dê mais interesse a esta rivalidade, porque precisa de um momento marcante entre eles.

Triple H- Mais que o Bryan o grande destaque da Raw foi do Triple H e da sua mulher Stephanie McMahon. Muito bem no segmento inicial, e ainda melhor no segmento em que deu um excerto de porrada ao Bryan, aliás a construção da feud com o Bryan e pelo titulo da WWE aumentou de interesse depois desta semana.

Surpresa da Semana

Melhoria da qualidade da construção da Mania- Semana extramente positiva para a WWE na construção da Wrestlemania. Numa semana passou de patinho feio para algo bem mais interessante, não é a melhor do mundo mas está longe de ir ser a pior de sempre.

Desilusão da Semana

Big Show-Demasiada atenção para o Big Show como competidor da Battle Royal,  mas espero que o que tem sido exagerado acabe por ter um bom fim. Ou seja, espero que acabe por ser ele o último eliminado para valorizar a vitória de outro wrestler.

Perguntas da Semana

Quais pensas que foram os verdadeiros motivos da saída do Batista da WWE? Que diferenças vês no Batista daquela altura e no actual?

Como avalias o regresso do Batista até agora?

Concordas com as figuras, surpresa e desilusão da semana? Ou escolherias outros?

Sobre o Autor

- Escritor do artigo “Smoke and Mirrors”.

54 Comentários

  1. Francisco XB - há 3 anos

    Grande artigo!

    Quais pensas que foram os verdadeiros motivos da saída do Batista da WWE? Que diferenças vês no Batista daquela altura e no actual?

    Os motivos da saída do Batista, na minha opinião, foram uma mistura de sentimentos, o 1º de estar farto do produto, e o 2º de sempre ter inveja do Cena por este ser a cara da companhia e o Batista não

    As diferenças são claramente a sua forma física, pois antigamente o Batista lutava muito melhor, e agora nem aguenta 2 minutos de ring em condições

    Como avalias o regresso do Batista até agora?

    Até agora, o regresso do Batista tem sido claramente negativo, pois como eu já referi, a sua forma física está muito longe de ser como era de antes.E até o próprio regresso na minha opinião foi um pouco meh, pois puseram-se a anunciar o seu retorno, mas compreendo que tenham feito isso por causa das audiência.

    Concordas com as figuras, surpresa e desilusão da semana? Ou escolherias outros?

    Concordo plenamente com as figuras, surpresa e desilusão da semana.

    • José Sousa - há 3 anos

      Eu compreendo que tenham feito isso pelas audiências mas isso acabou mesmo por não jogar a favor dele. Depois é como eu digo, ele com as experiencias como actor que teve devia ter aprendido a disfarçar muito bem as limitações que trouxe.

    • GonRodri - há 3 anos

      Li agr o artigo e as minhas respostas às pergunta do José sao praticamente iguais às tuas XD

      Já agr excelente artigo José !!

      • José Sousa - há 3 anos

        Muito obrigado. Espero que leiam a próxima edição.

      • GonRodri - há 3 anos

        Claro q sim !! A tua ediçao é regular para mim :)

  2. Fandangooo!! - há 3 anos

    Grande Artigo José.

    Como fiz na última edição do Smoke and Mirrors vou optar por continuar sem comentar o artigo, para que na última parte comente de um modo geral.

    Como disse semana passada agora o Ziggler tem 4 vitórias seguidas uma no Superstars, uma no SmackDown, um no Raw e novamente no SmackDown. Será que realmente acabou o castigo? e isso não deixa de ser uma surpresa das últimas semanas

    • José Sousa - há 3 anos

      Na boa. Sinceramente não sei se acabou o castigo ou não. Mas que aparentemente já não está tão em baixo é verdade.

      • Fandangooo!! - há 3 anos

        Isso já consegue me dar esperança de uma vitória de Ziggler na Battle Royal, nem que seja só um pouquinho. Gostava tanto de uma vitória dele na WM

      • José Sousa - há 3 anos

        Isso também eu, se irá acontecer ou não já é outra questão. Só espero que não seja o Gigante a vencer so para homenagear o André.

  3. MR Perfection André Santos - há 3 anos

    Bom Tema novamente. Dificilmente há algo acrescentar. Concordo que a WWE conseguiu ver e alterar o produto a tempo, para termos um main event com algum interesse. Batista como bad guy é a sua praia, onde é bastante cativante. A diferença entre Batista do passado para o presente: No passado estava bastante concentrado em crescer e ser um top guy da companhia, dando bastante de si, algo que ultimamente não esta a ser conseguido. Lentamente vai crescer, apesar de ser um veterano…mas nem todos são Jericho!

    O seu regresso foi come si come sá, ou seja não foi o melhor mas também não foi o pior. Tem sido no show smackdown que tem estado melhor, especialmente nas promos.

    Concordo, ainda não vi o impact, mas em relação ao big bosta…não podias estar mais correcto José. Colocava o Ziggler como uma das figuras, por estar lentamente a crescer e a ganhar combates. Pelos piores motivos o Sandow…está a virar um jobber e nem na tag divison está…Saudades dos Rhodes Scholers

    • José Sousa - há 3 anos

      Sem duvida eu acho o Batista melhor heel do que como face. Eu admito o valor dele mesmo não gostando dele, mas a forma não tem sido nem por sombra a mais interessante.
      Posto isto o mais irritante é claramente a discrepância de opiniões que ele tinha no passado e que apresenta actualmente. Isso é que foi o mais grave, além do atropelo que a WWE fez inicialmente ao Bryan e ao Punk.

  4. JoãoRkNO © - há 3 anos

    Ótimo trabalho José. Eu já fui fã do Batista, o tempo dos Evolution foi dos melhores que já teve, gostei bastante da feud com os Legacy em 2009, mas com o passar dos tempos o meu interesse pelos combates dele foram diminuindo vertiginosamente. Posso afirmar-te que estava ansioso pelo regresso dele, não era contra o return, pois podia dar destaque a Superstars que estão a ser completamente ignoradas, como foi o Del Rio. Mas colocá-lo no ME da WM deverá ter sido das piores decisões que a WWE uma vez tomou, visto ele não ser de todo preciso para este RTWM. A não ser que o Bryan se torne o herói dos heróis, desde cânticos a CM Punk a assobios e cenas desse gênero, acredito plenamente que a revolta do WWE Universe se fará sentir nesse mesmo ME.

    Em relação ás surpresas, figuras e desilusão da semana não poderia estar mais de acordo contigo em tudo, destacando o segmento Storm/Gunner e Abyss/Young.

    • José Sousa - há 3 anos

      Sem dúvida. Mas o Batista não é o Jericho, e o ego dele pediu logo voos altos, mas o grave nem é isso. É ele não se ter preparada para os voos que ele próprio exigiu, na minha opinião isso é que é grave.

      • JoãoRkNO © - há 3 anos

        Gravíssimo.,

      • José Sousa - há 3 anos

        É que se ele queria isto ao menos que tivesse ao nível que isto pedia. Mesmo assim não teria o pop que a WWE quer mas estava melhor preparado para os desafios.

  5. Micael Duarte - há 3 anos

    Bom artigo José.

  6. Diogo7 - há 3 anos

    Bom artigo José.

    Eu admito que era um grande fã do Batista, até era um dos meus favoritos antes de ter regressado. Principalmente nos tempos dos Evolution, na feud com o Triple H quando ganhou o seu primeiro WHC Title, na feud com o Orton apesar dos combates não terem sido grande coisa e no seu “heel run” em 2010. Sempre simpatizei com ele porque ele era um bom “Powerhouse”, tinha uma grande entrada com uma excelente “theme”, tinha grande carisma e como “heel” tinha boas promos, principalmente na “feud” com o Cena.

    Já sei que ele tem grande ego e aquilo que ele disse depois de sair da WWE pode ter sido mentira porque ele agora só quer o “spotlight” para ele. O que a WWE precisa é de criar novas estrelas, e não resgatar estrelas do passado e part-timers para virem roubar o espaço aos jovens que trabalham o ano inteiro para depois ficarem de fora do maior evento do ano.

    Considero que o seu regresso foi um grande “flop” porque teve um “timing” terrível e a forma como foi “bookado” foi horrível. Por isso é que ele agora tem o “heat” que tem, e até tiveram que o virar “heel” e mudar o ME da Mania. Se ele não tivesse ganho o Rumble e tivesse feuds com jovens estrelas, talvez não tivesse “heat” e até poderia ter algum “pop”.

    As diferenças entre o Batista de antigamente e o Batista de agora são enormes, principalmente “in-ring”. As suas capacidades no ringue estão muito piores, até porque ele tem pouca resistência, cansando-se em 5 minutos de combate. Precisa de mostrar mais do seu “moveset”, e o seu Spear está mau demais. O que é bastante mau para um gajo que vai estar no ME da WrestleMania. O Batista é claramente melhor como “heel”, e isso nota-se nas suas promos. As suas promos como “heel” são melhores, mesmo não estando ao nível que estavam em 2010.

    O próximo “Smoke & Mirrors” deve ser sobre o Daniel Bryan. Espero que seja mais uma boa edição ;)

    • José Sousa - há 3 anos

      Não confirmo nem desminto, mas deixei pistas( é o sobre o herói). ;Mas tens razão eu respeitava o Batista, e esta situação abanou com esse respeito, porque mesmo não sendo o principal culpado não deixa de ter alguma culpa em toda esta situação.
      Sobre o regresso nós já falamos algumas vezes, e sabes que concordo contigo. Foi tudo mal planeado pela WWE, sobretudo porque substimaram o publico e a reacçao que ia ter ao Batista, e ao facto de ultrapassar o Bryan.
      Nós até podemos ter lendas, depende é de como forem utlizadas. Se os jovens não tem ainda star power então que se dê star power aos jovens que têm potencial para isso, tal como fizeram no passado.

  7. Silveira9 - há 3 anos

    Excelente artigo José,concordo em tudo.
    Agora deixo te aqui um off topicsobre a saída do Punk apesar de tudo ele foi muito injustiçado…http://whatculture.com/wwe/cm-punk-10-steps-led-quitting-wwe.php/1

  8. Gabriel RKO - há 3 anos

    Otimo artigo. Suas palavras são as minhas palavras

  9. Arvanix - há 3 anos

    Artigo muito bom!

    Eu sinceramente não gosto do Batista… Já gostei, mas sinceramente já não me transmite aquela “emoção”…
    Concordo plenamente com as tuas figuras, desilusão e surpresa da semana…

    Ainda não percebi o porquê de referirem o Willow como alter-ego [ é assim que se escreve? xD ] do Jeff Hardy…

    • José Sousa - há 3 anos

      Nem eu percebo, acho que teria toda a logica ser apresentado como uma personagem diferente do Jeff. Mas, espero para ver o que irá acontecer em termos do Willow.
      Quanto ao Batista também sinto essa falta de emoção. A entrada dele já não provoca emoção em mim, coisa que antes mesmo não sendo fã e provocava.

  10. Sandow For Champion - há 3 anos

    Awesome!You read my minds.
    A analogia ao Rock,as debilidades atuais,a ma decisao de spoilarem o regresso.
    So acho curioso que ao contrario do Rumble em que sempre apostei no Batista e tu celeremente no Bryan,nesta Manai,vejo-te mais equilibrado na analise a uma vitoria do Bryan enquanto a mim nao me restam duvidas que ele sera o Mr.WRESTLAMANIA XXX

    • José Sousa - há 3 anos

      Sabes o que é? Gato escaldado. Eu também tenho esse feeling, mas sobre isso falo na antevisão. Mas ainda bem que gostaste do artigo.

  11. rodrigomcb99 - há 3 anos

    Mais um excelente Smoke and Mirrors
    Concordo com tudo o que disseste sobre o Batista, foi incrivel como um regresso que tinha tudo para ser muito bom se tornou num «pesadelo»

    • José Sousa - há 3 anos

      Muito obrigado. Por apreciares e ainda bem que consegues ver que não é um texto de hate, mas sim de análise ao regresso do Batista, que como dizes nem tem sido muito positivo.

      • rodrigomcb99 - há 3 anos

        Raramente vejo os textos como sendo de um hate pois acho que toda a gente tem os seus superstars favoritos e aqueles que nao gosta tanto e toda a gente tem o direito á sua opiniao quer os outros gostem ou nao

      • José Sousa - há 3 anos

        Sem dúvida, mas da forma mais imparcial possível como é logico.

  12. Grande artigo José.

    Acho que Batista foi a pessoa errada no momento errado, pois como mesmo disseste, todos esperávamos os momentos de vingança de Bryan e Punk na Wrestlemania e Batista voltou para colocar tudo isto a perder.

    O regresso dele para mim começou mal, já em ter sido revelado e antes da RR Match, acho que se ele tivesse retornado apenas no combate, sem uma parição na Raw e se ao menos Daniel Bryan tivesse participado do combate, as vaias a Batista não seriam tão grandes.

    O que é de se lamentar também é sua forma física, que é decepcionante para quem se lembra do Batista de anos anteriores.

    • José Sousa - há 3 anos

      Sim tudo começou mal e continuou mal, e foi preciso mudar todos planos. No entanto, as pessoas iam reagir igual caso o Bryan tivesse participado e tivesse perdido. Este ano as pessoas sentiram verdadeiramente que não era o ano do Batista.

  13. Ângelo Martins - há 3 anos

    Excelente artigo José. Já há muito tempo que desejava um artigo sobre este desastroso regresso do Batista, por isso não podia ter sido melhor.
    O grande problema de Batista é claramente o seu ego. É verdade que apesar de ter tido algum destaque no ano da sua saída, perdeu três vezes seguidas em PPV (se não me engano) para Cena. Mas se saiu criticando a empresa, não deveria voltar para lá acabar a sua carreira. Quando olhamos para trás, principalmente nos tempos da Smackdown, vemos uma figura imponente, capaz de derrubar tudo e todos. Mas agora, depois do peso que perdeu, e juntando à péssima forma física e aquela ring attire, essa figura torna-se muito menos ameaçadora. Se queria acabar a carreira na WWE, porque não esperava mais uns tempos antes de ter saído, que sabe a empresa não lhe dava um último título. Agora voltar da forma que voltou, não. Ainda por cima por dois anos.
    O grande problema foi terem revelado o seu regresso e o terem aliado à Authority. Um regresso surpresa no Rumble, mesmo sem Bryan, e quem sabe com o número 30, não teria feito maravilhas, mas levaria o público ao rubro. E se o tivessem colocado como uma ameaça à Authority, vencendo o Rumble, avançaria para a sua principal arma, Orton. Aí, se vencesse o título na Mania, teria, quem sabe, derrubado Stephanie e Triple H, e nesse caso o público estaria completamente com ele, mas se dessem o devido spotlight ao Bryan, é claro. Mas como a WWE não fez nada disso, e juntando ao anúncio do seu retorno, ainda juntou Batista à Authority num primeiro momento, estava tudo estragado. Por isso, ainda bem que abriram os olhos a tempo. Agora, parece que HHH já nem está do lado de Batista nem de Orton. O que acho que está mal contado. Depois de tantos meses de apoio a Orton como a “face of the company”, a Authority parece que se esqueceu um pouco dele, virando os seus olhos apenas para a rivalidade com Bryan.
    Concordo com as figuras da semana e com o facto de ser necessário um confronto de grande relevo entre Taker e Lesnar. Mas ainda temos duas Raw’s para isso, tendo de, na minha opinião, Lesnar sair com vantagem numa delas, pois caso tal não aconteça, Taker ganha tanto na construção total da feud como no combate.
    A construção das histórias tem melhorado consideravelmente, o que é positivo, sobretudo para o que vem no pós-Wrestlemania para as estrelas em ascensão (Bray, Roman, Cesaro…). Sobre a Battle Royal, Ziggler, devido ao seu push (e espero que seja verdade) é um forte candidato, mas Big Show pode vencer apenas para homenagear Andre, the Giant, vencendo um lutador parecido consigo.

    • José Sousa - há 3 anos

      Eu acho que ele vai ser campeão durante estes dois anos, pelo menos uma vez, mesmo na forma que ele está. Sinceramente as pessoas iam reagir da mesma forma, mesmo o Punk saia se ele voltasse no Rumble para vencer. As pessoas e mesmo o locker room sente que este é o ano do Bryan, e como disse o Batista não é o Rock e por isso a tolerância.
      Sim, nesta altura o Triple H está tipo o Vince a quando da Mania 15 quando queria fazer tudo para impedir o Stone Cold de chegar ao titulo. A historia nesta altura é o mundo contra o Bryan, só falta perceber como vai acabar na Mania.
      Sim, na segunda acho que é a última aparição do Lesnar antes da Mania(não tenho a certeza que esteja na última Raw, mas é provável) mas façam algo mágico entre eles os dois, claro com o Deus Heyman á mistura.
      Sobre a Battle eu tenho 4 favoritos: Show, Ziggler, Sheamus, ou Alexander Rusev.

      • Ângelo Martins - há 3 anos

        Certamente que vai ser campeão. Pelo menos tem uma coisa positiva. A WWE assim tem mais um heel no main event.
        Eu não sou a favor da sua vitória no Royal Rumble, muito pelo contrário, pois tal como tu, esperei que o Bryan participasse no combate até a música do Mysterio tocar. E é verdade que o Punk saia na mesma, mas temos de admitir que a relação do Dave com os fãs seria melhor. Agora, tudo isto permitiu que o Bryan chegasse onde chegou e não lutasse com o Sheamus (que eu gosto mais como face, apesar de nesta altura qualquer face que ganhasse o título, os fãs viravam-se contra ele, pois querem o Bryan).
        Uma pergunta José: como achas que o Orton poderia ser mais promovido para o combate? Afinal de contas, ele é o campeão, e nesta altura já acumula várias derrotas. Pelo menos que o ponham a vencer alguém do midcard.

      • José Sousa - há 3 anos

        Sim tens em parte razão sobre isso. Olha nem uma vitoria com midcard basta, o Orton precisa de sair por cima do Batista ou do Bryan nas próximas semanas. Assim a derrota é cada vez mais clara, e admito que me surpreendia caso ele defendesse o titulo.

  14. AwesomeTheMiz - há 3 anos

    Unleash? Fuck the Animal! xD

    José, uma das melhores edições que já li, mostra bem o porque do Boo-tista e porque de tudo tomar estes rumos. Somos diferentes no que toca a opinião do Botchista de sempre, eu nunca fui fã dele nem quando trazia algo de bom a WWE, daquele velho Animal dos tempos não-PG, nunca vi nada nele, principalmente pelo fato de ser horrível em ring, hoje ainda pior pela horrível forma física que possui.

    Balanço do regresso do Animal 2014? Simplesmente uma merda

    • José Sousa - há 3 anos

      Eu também nunca gostei dele, só admito a importância dele na empresa. É um pouco como a minha relação com o Ultimate Warrior ou o Hogan.

  15. Vinícius Nunes - há 3 anos

    Grande artigo José sobre um dos grandes temas da atualidade e uma das peças mais importantes dessa Wrestlemania, que é o Animal Batista… Já gostei dele nos seus bons tempos, nunca fui de carteirinha, mas achava ele um face interessante na Smackdown e também curti dele como heel, principalmente por causa de sua entrada sensacional e a presença dele que era algum que impunha respeito nos seus áureos tempos… Já no seu retorno, muito disso se perdeu e esse push fez com que a antipatia do pessoal viesse a tona, agora que ele é heel vejo que pode gerar um interesse maior, mas sua forma física atual não é das melhores, porém espero que ele vá melhorando isso com o tempo.

    • José Sousa - há 3 anos

      Olha falas de uma coisa importante:o Pós-Mania. A WWE vai ter que agarrar o publico com algo no que diz respeito ao titulo. E por isso o Batista ou torna-se mais um dos heels que tirou a oportunidade ao “menino querido”(o Bryan). Ou vai ser o seu rival durante os primeiros 2 a 3 PPV´s da nova season.
      De resto, sinto o mesmo que tu ele agora quando entra não sinto a mesma vibração nem impacto que sentia antigamente. Mas pode ser que tudo mude, não podemos ter posições estanques.

  16. Hildo - há 3 anos

    Excelente Artigo José, Parabéns
    Na minha opinião o Batista deixou a WWE Na melhor parte de sua carreira (Sim, melhor até que em 2005) E voltou pensando que ia ser a mesma coisa que em 2005 Onde querendo ou não ele tinha grande apoio do publico, Penso que ele tem sua parcela de culpa sim pois ele podia facilmente ter um regresso Semelhante ao que o jericho tem feito Mas também compreendo que não é só culpa dele.

    • José Sousa - há 3 anos

      Eu também, mesmo não gostando muito dele a melhor fase foi claramente essa de heel em feud com o Cena. A culpa não é toda dele, mas não ele não pode fugir das responsabilidades que tem.

  17. akujy - há 3 anos

    Mais um excelente S&M. A verdade é que este Batista simplesmente n é o do passado. Para mim isto é “aquilo que um dia foi o Batista” e o seu regresso foi um tremendo falhanço. A WWE bem tentou enterrar o Bryan em prol deste senhor, mas acabaram por ter de dar a mão à palmatória. Não sei o que acabará por resultar disto tudo na WM, mas pelo menos a construção tem melhorado e será ainda um evento apelativo.

    • José Sousa - há 3 anos

      Muito obrigado meu caro. Sim, mas como tudo disseste está tudo muito apelativo, mas e existe sempre o mas não vejo o Batista não ser campeão até ao final do ano. Até pode ser depois do Summerslam, mas vai ser.

  18. 434 Days - há 3 anos

    Mais um excelente S&M José.

    Em relação ás perguntas, acho que o Batista regressou para agarrar-se ás luzes da ribalta e correu-lhe mal pois o público não queria minimamente saber dele e apontavam o seu apoio ao Bryan. Por essa mesma razão o regresso do Batista sofreu um revês pois não só desiludiu em termos de condição física como também não se mostra nos promos como devia. Para acabar, vou rezando para que o Bryan vença no final de tudo mas tenho cá um pressentimento que isso não me vai sair bem. O Batista vem para ganhar e acho que lhe vão dar isso por muito que a maioria não goste. Nada a dizer sobre os teus destaques da semana.

    • José Sousa - há 3 anos

      Não é uma questão de não quererem saber dele, até poderiam se ele no tivesse vindo atropelar o Bryan e o Punk. Esse foi o principal motivo pelo qual ele não resultou enquanto face neste regresso.
      Eu tenho receio que o Batista vença, a grande a questão é a tradição da Mania: Acabar com um face por cima, mesmo que não vença é hábito o face sair por cima no final da Wrestlemania. Que me lembre só o Orton conseguiu sair com o spotlight nele, e mesmo assim foi na Mania em que Edge e Taker foi o Main-event, por isso até aí foi um face. Ou seja, a tradição joga contra a vitória do Batista. Mas isso pode ser quebrado.

  19. john3:16 - há 3 anos

    Foi um bom artigo josé, gostei, foi um bom resumo daquilo que foi e é a carreira do batista, vou então agora responder ás tuas questões de forma curta e objetiva.

    Quais pensas que foram os verdadeiros motivos da saída do Batista da WWE? Que diferenças vês no Batista daquela altura e no actual? e Como avalias o regresso do Batista até agora?
    É assim tou com muitas saudades do batista, pensem que quando voltasse voltaria a ver um animal, um bocado mais velho mas ainda com alguma forma física, não vou dizer que não gusto do batista, mas se gusto e se me digo até um pouco fã dele deve-se a carreira que fez antes deste regresso. Quando ele voltou e começou a ser apupado, eu ate tinha a ideia que se ele tivesse so voltado no royal rumble mesmo a numero 30 tinha sido melhor recebido e não haveria tantos problemas, mas agora passados ja 2 meses a quase, vejo que nem isso resultaria, pois o homem ta de tal maneira mal fisicamente, ate parece que precisa de uma bomba de asma para lutar 10 minutos que realmente não sei, já nem consegue fazer batista bombs de jeito, tenho de facto saudades dele no tempo dos evolution, quem espero que volte tambem a recuperar a sua boa imagem, de bom wrestler que sei que é, e lamento que este sultimos meses tenha tido um mau reindado é a viper randy orton.

    Concordas com as figuras, surpresa e desilusão da semana? Ou escolherias outros?
    Concordo, acho que a construção da wrestlemania 30 está a a corer de vento em poupa, foi um otimo raw (melhor ate agora do road to wrestlemania para mim) e o smackdown tambem foi razoável, menos a do big show que não entendo porquê ta-se lhe a dar uma importancia louca, um homem que a meu ver não pode nem merece ganhar a batller royal na wrestlemania, estou a torcer pelo sheamus e pelo russev.
    Mais uma vez parabens pelo artigo josé,esta semana as palavras foram poucas, mas neste caso não á muita análise porque todos ja vimos que o batista está numa forma lastimável, pra semana ca estarei pra ler o smoke and mirros.

    • José Sousa - há 3 anos

      Não as pessoas estão mesmo com o Bryan, este ano acho que nada iria parar a revolta pelo Bryan. E isso acontece porque ele não tinha tido a sua revenge até ao Rumble ou mesmo um reinado. Se lhe tivessem dado um reinado até lá, se calhar o Batista face até poderia ter acontecido de forma mais positiva.

  20. Miguelfcarlos - há 3 anos

    Bom artigo. Concordo com tudo o que disseste. Por agora, a minha previsão é que o Triple H ganhe ao Bryan e o Batista ganhe o título. Eu na realidade não vejo outra coisa senão o Bryan ganhar ao Hunter. E também já consigo imaginar o Orton a ganhar. Mas vou ser pessimista e apostar no Trips e no Batista.

    Surpresa da semana é a “Melhoria da qualidade da construção da Mania”? Só se for no Main-Event, porque a construção do Undertaker-Lesnar e da Battle Royal (que parece ser o único combate de mid-card, juntamente com o combate pelo títulos de Tag-Team) têm sido muito más. Esta será talvez a pior construção de um combate do Undertaker para a WrestleMania.

    • José Sousa - há 3 anos

      Se me permitires justificar: Taker e Lesnar não está péssima, está razoável porque já muito faz o Heyman com o Lesnar a part-time. Depois na segunda devem fazer algo de positivo para feud já que vão se cruzar o Taker e o Lesnar.
      Depois, concordo com o Tag, mas estás a esquecer-te de Shield vs Kane que está interessante, e Cena e Wyatt que está uma feud muito mais interessante que muitos pensariam. Por isso chamar a esta road a pior de sempre é ter memória curta, porque o ano passado foi francamente pior.

  21. danielLP21 - há 3 anos

    Excelente artigo José.

    O Batista, em tempos, chegou a ser um dos meus favoritos. Aliás, não tenho problemas nenhuns em dizer que sou fã da carreira que ele teve até 2010. A “feud” com o Triple H no pós-Evolution e as rivalidades com o Edge e o Undertaker foram as minhas histórias favoritas entre todas aquelas em que ele entrou. Curiosamente, gosto mais do trabalho dele como “babyface” do que como “heel”. Considero, até, que o seu “heel-turn” em 2009 foi o início da queda em termos de destaque na WWE. A partir desse momento, não fez mais nada que, aos meus olhos, fosse relevante, pese embora o seu combate de grande qualidade com o John Cena na WrestleMania XVI, o que surpreendeu bastantes fãs.

    Ao longo dos anos, fui estando atento ao que ele dizia sobre o estado a que a WWE chegou: nenhuma estrela a ser verdadeiramente criada, produto centrado apenas num só homem (o que é discutível) e outras críticas que nos levaram a crer que tinham sido essas as razões que o levaram a sair da WWE em 2010, para além do facto de o produto ser PG.

    E eis que, em 2014, o “Animal” regressa. Um regresso estupidamente anunciado, o que ajudou sobremaneira a que não tivesse tido ímpeto nenhum. Uma “promo” muito fraca depois de beijar o ringue de joelhos, e estava dado o mote para as primeiras suspeitas dos fãs.

    Chega a noite do Royal Rumble e aquilo que era óbvio para muitos acaba por se confirmar: Batista ganha o combate e a WWE dá um tiro nos pés. Tenta, ao longo das semanas, fazer com que o público goste dele, em vão. E, com isto, tudo “enterram” o Alberto Del Rio ainda mais do que ele já estava depois da unificação dos títulos e da rivalidade estapafúrdia entre o Randy Orton e o John Cena.

    Sinceramente, não culpo o Batista por esta situação. Nem pouco, nem muito. Simplesmente não o culpo. Ninguém obrigou a WWE a contratá-lo de volta e dar-lhe estas vitórias. Nem sequer acredito que a WWE achasse que precisava do Batista para vender uma WrestleMania que já contaria com nomes como Undertaker, Brock Lesnar, Triple H, CM Punk, Daniel Bryan e John Cena. Isto foi simplesmente um acordo entre amigos, no qual o Batista saiu favorecido pelo facto de ter no Triple H um grande amigo. Ganhou o combate Royal Rumble e vai ganhar o Título da WWE na WrestleMania. Acredito que é isso que está acordado e duvido que sofra alterações. O Batista apenas se aproveitou da gentileza do Triple H para ter uma grande jornada na WWE até acabar definitivamente a carreira. Com o tempo, pode ser que reconquista o respeito e adoração dos fãs (mesmo sendo “heel”, uma vez que não seria o primeiro vilão a ser ovacionado). Neste momento, e principalmente caso se confirme a sua vitória na WrestleMania, isso não vai acontecer.

    As maiores diferenças que eu encontro no Batista em comparação com a sua primeira jornada na WWE são, essencialmente, a quebra física (recuperável, apesar de tudo) e as “promos” de qualidade lamentável que tem feito. Além disso, o facto de achar que está, sequer, perto do nível do The Rock e que as parecenças físicas com o “Great One” iriam fazer com que os fãs lhe beijassem os pés foi o primeiro erro, que despoletou toda esta situação. Devia ter, simplesmente, regressado com mais humildade.

    Concordo com os destaques e surpresas da semana. Em termos de desilusões, não tenho nada de especial a apontar. Foi uma boa semana para se ver Wrestling.

    • José Sousa - há 3 anos

      Desde já muito obrigado pela tua opinião. Lá está ele tinha muitos fãs, e ainda tem e acho muito bem porque ele é um nome importante Daniel, e eu gostava dos Evolution(mais pelo Orton e o Trips mas gostava). E não nego a importância dele na industria como disse ele foi uma das caras da Smackdown durante anos, e lembro-me sempre dele por causa do segundo cash-in do Edge.
      Sim, além do anuncio prévio, o pior de tudo honestamente foi quererem fazer do homem face e ele vir bajular os “heels”, o Triple H e a Stephanie. Já ia ser difícil por causa do Punk e do Bryan, com esse acto a WWE ainda piorou mais a situação. Eu não digo que ele seja o culpado, quando falo de culpa falo naquela que tens inocentemente. Deram-lhe a oportunidade e agarrou, claro que calou pessoas mas isso faz parte da personalidade dele, por isso nada contra. O mais grave foi a WWE pensar que as pessoas também fariam isso.
      Quanto á vitória na Mania, eu falarei mais disso na antevisão da própria. Mas como já disse em conversas, e em comentários, a história joga contra ele, e sabes bem que sim. Não estou a dizer que ele não tem possibilidades de sair campeão, porque tem e muitas, porém a tradição Mania é de um face ter o spotlight no final. Mesmo quando vencem heels(caso do Triple H e do Miz) foi um face que brilhou no final, e curiosamente o mesmo: Rock.

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador