Existem 2 vagas na Equipa do Wrestling PT para publicar notícias. Candidata-te!

Smoke and Mirrors #163 – Revista do ano WWE 2014

Tal como tinha prometido semana passada, a última edição do ano do Smoke and Mirrors será dedicada á revista do ano da WWE, naquela que será a segunda parte da minha revisão do ano de 2014 no que ao wrestling diz respeito. E tal como na edição anterior, apresentarei os principais destaques positivos e negativo do ano na WWE, num ano onde a companhia oscilou entre a emoção e o desapontamento.

Este ano foi atribulado para a WWE, e isso foi visível quando logo no inicio do ano CM Punk abandonou a companhia após o Royal Rumble, e esse acontecimento marcou o inicio do ano da companhia e revolucionou os planos para a Wrestlemania. E graças a esse momento, tivemos uma Road to Wrestlemania com uma qualidade, intensidade, e emoção como não tínhamos há anos, dando aos fãs algo para lutar: Daniel Bryan.

Tudo isto resultou numa Mania de grande qualidade e histórica, marcada pela jornada do Bryan para a Glória, e claro pelo surpreendente fim da Streak do Undertaker. Ninguém pode negar que esta Wrestlemania teve momentos emocionantes, e que sobretudo irão ficar nas nossas memórias durante anos, e é isso que a Wrestlemania deve ter: momentos que fiquem na nossa memória.

Porém, depois deste momento e apesar de os PPV´s não terem sido todos maus, nem com maus combates a verdade é que faltaram momentos marcantes durante ano da WWE. Claro que tivemos boas rivalidades, e algumas más, mas também tivemos algumas que prometiam muito mais do que nos acabaram por dar, e em parte isso também prejudicou o ano de 2014. Aliás, rivalidades verdadeiramente marcantes no pós-Mania somente a dos Shield vs Evolution, e Rollins vs Ambrose.

Desse modo, e tal como referi acabou por ser um ano em que o contraste entre os aspectos positivos e negativos foram grandes, ou seja, embora tenhamos tido bons momentos eles acabavam por colidir com acontecimentos mais negativos. O que quero dizer é que este foi um ano com alguns wrestlers que surpreendentemente tiveram bom booking, mas também tivemos alguns casos onde o booking foi completamente desastroso para essas superstars.

É esse ano que irei analisar de seguida, introduzindo e analisando os principais destaques da WWE no ano que agora finda. E verdade seja dita, para o bem ou para o mal, este foi um ano cheio de acontecimentos e figuras na WWE, claro que nem todas positivas, mas sem dúvida alguma marcantes.

Desilusões do Ano

Abandono do CM Punk

O abandono do Punk teria que ser obviamente uma das desilusões deste ano, aliás não faria sentido algum este acontecimento passar ao lado de uma revista deste ano. Esse momento abalou o mundo do wrestling com proporções sísmicas, porque por mais que ele fosse alguém que facilmente imaginávamos que poderia fazer este acto, penso que poucos acreditariam que seria naquela altura.

Os efeitos do acto, tal como referi na introdução foram visíveis no produto da Wrestlemania, que graças a esta posição melhorou a sua qualidade. Gostando-se ou não, o Punk acabou por “salvar” e “mudar” a edição 30 do maior evento do Pro Wrestling, transformando algo que seria uma desilusão para um evento histórico.

Reinado do Brock Lesnar

Mais que o fim da Streak( que por si poderia ser uma desilusão por si), a verdade é que o que me desiludiu mais foi o facto de ter servido para criar um reinado que começou no Summerslam e só acabará na Mania. Claro que a WWE não tinha outra opção que não dar o título ao Lesnar depois da Mania, e fê-lo de forma notável no Summerslam, mas acho que ninguém imaginaria um reinado tão pouco presente do Lesnar.

Não querendo alongar sobre o assunto, até porque já falei sobre isto no Smoke, mas a verdade é que até para o momento em que será derrubado este tipo de booking não é o mais benéfico, porém não é agora que dá para alterar o fim do reinado. Até porque uma mudança brusca de campeão seria bem mais prejudicial para a Wrestlemania, do que simplesmente deixar o Lesnar chegar ao evento campeão para ai perder o título. Todavia, isso não deixa de fazer este reinado das principais desilusões do ano na WWE.

Booking com algumas superstars

Por fim, não podia deixar de referir enquanto desilusão do ano o booking que algumas superstars tiveram quando este podia ter sido um ano de afirmação, sendo que as principais vitimas provavelmente serão Cesaro e Bray Wyatt. E refiro estes dois nomes porque são dois casos de wrestlers que poderiam ter-se confirmado enquanto futuros main-eventers durante este ano, e que por causa do booking acabaram por encontrar-se em situações complicadas.

Sendo que o caso do Cesaro é bem mais grave do que o do Bray, uma vez que a WWE parece que desistiu dele enquanto aposta para o futuro, tendo em conta o seu percurso depois do fim da aliança com o Heyman, quando a Wrestlemania parecia apontar para algo diferente. Claro, que o Bray também foi vítima do booking, porque este descreveu sempre mais como um homem de palavras e isso acabou por prejudicar a sua credibilidade, sobretudo depois da rivalidade com o Cena. É verdade que a WWE ainda não desistiu dele, mas também não deixa de ser verdade que tem sido difícil voltar a colocá-lo no centro das atenções e com credibilidade, e grande parte da culpa é do booking que teve este ano.

Rookie do Ano

Rusev

Fazendo uma análise imparcial do ano de 2014, não existe dúvida alguma que o único rookie do main-roster que poderia ser escolhido como destaque deste ano é o Rusev. Aliás, tal como referi no artigo onde analisei o booking dele, este têm sido extremamente bem protegido pela WWE que o construiu de forma inteligente, e sobretudo sem nunca desistir dele.

E o facto de ter resistido á tentação de o derrubar até agora, é um dos aspectos mais positivos deste ano, porque mesmo tendo uma gimmick anti-americana e muito nacionalista, continua a ser uma das principais apostas da WWE. Por isso mesmo, sem dúvida que o Rusev é o rookie do ano, e nesta categoria não existe debate possível.

Revelações do ano

Seth Rollins

Foi claramente uma das grandes surpresas do ano, não tanto pelo talento porque esse já era conhecido de todos enquanto membro dos Shield, mas pela qualidade que demonstrou enquanto heel depois da separação dos Shield. Sendo verdade que inicialmente foi protegido pela Autoridade, a verdade é que ele cresceu muito enquanto performer este ano, sobretudo no que diz respeito às mic skills.

Ele têm sido até agora um dos melhores Money in the Bank, e apesar deste final de ano mais atribulado não existe dúvida que continua a ser apresentado como parte do futuro da WWE. E claro que tenho receio pelo primeiro reinado enquanto campeão, mas sem dúvida que ele foi uma das revelações deste ano.

Dean Ambrose

O Lunatic Fringe revelou-se uma surpresa enquanto face no final dos Shield, sobretudo durante a feud com o Rolllins, onde desenvolveu uma enorme empatia e popularidade junto dos fás. Esse impacto apesar de estar menor actualmente na feud com o Wyatt, ainda não desapareceu, apenas diminuiu ligeiramente.

Mas verdade seja dita, a feud com o Rollins era muito pessoal e ajudava muito o Ambrose na ligação com os fãs. Porém, esta edição não é para analisar o futuro do Ambrose, e sem dúvida alguma que ele é uma das revelações do ano a par com o seu ex-parceiro de Stable: Seth Rollins.

Mizdow

Por fim, a última revelação do ano é a mais inesperada de todas, porque poucos imaginariam que uma simples personagem enquanto duplo tornasse o Sandow um fenómeno de popularidade junto dos fãs. Sendo que mesmo esta personagem tinha tudo para não resultar, porque seria fácil os fãs não investirem no Sandow enquanto duplo do Miz, podiam perfeitamente vê-lo como mais uma das imitações que ele vinha a fazer e simplesmente ignorar.

Mas felizmente ele tornou-se numa das figuras com que os fãs mais criaram empatia, e essa foi a fórmula do sucesso desta personagem, sendo que a grande questão será quando se libertar dessa personagem em breve. Todavia, isso é algo que veremos durante 2015, porque mesmo que o Sandow se perca para o ano, ele pode sentir-se deste ano porque foi o ano em que se tornou uma estrela.

Diva do Ano

Paige e AJ

Não me vou alongar muito na análise separada destas escolhas, porque penso que elas são óbvias, e é complicado escolher apenas uma delas este ano porque o ano de ambas foi similar. Talvez a Paige tenha tido um final de ano pior, mas ambas dividiram o tempo em que foram campeãs, e mesmo que a rivalidade entre elas não tenha sido aquilo que muitos fãs sonharam o facto é que elas foram as figuras da Divisão, e nenhuma delas destacou-se claramente em relação á outra.

Tag Team do ano

The Usos

Esta é outra categoria onde não tive dúvidas algumas de quem iria escolher como destaque deste ano, porque não existia dúvidas algumas que este foi o ano dos Usos. Eles foram uns excelentes campeões de Tag Team, convenceram os mais cépticos da sua qualidade, e deram-nos dos melhores combates do ano em Tag Team, sobretudo aqueles que tiveram com os membros dos Wyatt Family.

Talker do ano

Paul Heyman

Eu sei que poderia escolher o Ambrose ou o Bray, e muitos escolheriam, mas enquanto este homem estiver na WWE ele será sempre um dos melhores actores e talkers de toda a companhia. Aliás, para ser justo o Heyman é claramente um dos melhores managers e talkers de sempre, e já não existem muitas mais palavras para descrever a qualidade das suas promos, e este ano ele voltou novamente a demonstrar isso ao fazer a melhor promo do ano no momento da coroação do Lesnar como campeão na Raw pós-Summerslam.

Surpresa do ano

Fim da Streak

A primeira surpresa deste ano foi claramente o fim da Streak do Undertaker na Wrestlemania 30, sendo que foi surpreendente porque ninguém imaginaria que isto aconteceria naquele momento. Aliás, arrisco-me a dizer que quase ninguém acreditaria que alguma vez a Streak acabasse, mas sobretudo acho que o momento e o adversário surpreenderam todos, até porque nunca o Lesnar foi apresentado como ameaça na construção do combate.

Agora, até podemos especular se isso foi planeado para surpreender todos na Mania, mas isso é impossível de se descortinar, e assim o que ficará para sempre na memória de todos é o momento em que o Lesnar venceu o Taker na Mania, assim como a reacção de todos na Arena a esse momento. E gostemos ou não da decisão, a verdade é que este foi claramente o momento mais chocante da história da Wrestlemania.

Ziggler “último Sobrevivente”

Outro dos momentos surpresa de 2014 na WWE foi claramente quando o Dolph Ziggler foi o único sobrevivente da Team Cena no Survivor Series, até porque a maioria não imaginaria que ele tivesse este protagonismo nesse combate, e a ter seria para custar a vitória ao Cena. Aliás, o ano do Ziggler foi surpreendentemente mais positivo que muitos imaginariam e isso deve ser destacado, tal como a qualidade dos combates que têm tido como Intercontinental Champion.

Estreia do Sting na WWE

Este foi mais um dos momentos mágicos deste ano, e foi porque depois de tanta especulação poucos acreditariam que ele alguma vez colocasse os pés na WWE. Claro que poderia colocar como surpresa igualmente o “Regresso do Bray”, mas para todos os efeitos este momento foi historicamente mais importante, mesmo que alguns não gostem da presença do Sting para a próxima Wrestlemania.

Combate do ano

Triple Threat da Wrestlemania

Este é daqueles anos onde não tivemos claramente um melhor combate do ano na WWE, porque tivemos alguns combates de boa qualidade, mas nenhum deles destacou-se claramente dos outros. E por isso mesmo, escolhi como combate do ano o combate pelo título da WWE na Wrestlemania, não pela qualidade técnica mas sobretudo pela importância e simbolismo desse combate.

Este combate marcou o fim de uma jornada que tinha começado há dois anos atrás, e poucos acreditariam verdadeiramente que alguma vez o Bryan conseguisse atingir este feito. E por isso mesmo, escolhi este combate porque mais que um grande combate contou uma grande história, que aliás foi contada de forma brilhante logo no combate com o Triple H no mesmo evento.

Superstar do ano

Brock Lesnar

Por fim não vale a pena estar aqui com muitas análises a várias superstars do ano, porque mesmo em part-time não deveria existir dúvida alguma que a figura do ano foi o Brock Lesnar. Porque quando conquistas o que ele conquistou este ano, é impossível colocar outra superstar como figura do ano porque de facto ninguém fez nada que possa ser comparável ao que o Brock fez.

Sejamos francos: Derrubar a Streak, arrumar com o Cena da forma como fez no Summerslam, são motivos suficientes para não existir dúvidas quanto ao facto que foi a superstar do ano. Claro que ele têm sido muito ausente enquanto campeão, porém isso não é motivo suficiente para não ser a figura de 2014, isto porque nem o Reigns nem o Rollins fizeram algo similar que justifique tomar o lugar do Lesnar.

É deste modo que concluo a última edição de 2014 do Smoke and Mirrors, espero que esta revista do ano tenha sido do vosso agrado e mesmo que não concordem com tudo o que foi dito espero que comentem. Antes de me despedir gostaria de referir que esta semana não existirá a habitual coluna das figuras da semana, e que para a semana o Smoke fará a já habitual Watchlist do ano de 2015. Assim, só me resta desejar que tenham boas entradas no ano de 2015, e até para a semana aqui no mesmo dia e local.

Perguntas da Semana

Que resumo fazes do ano da WWE? Quais foram para ti os principais destaques da companhia nas categorias apresentadas? E concordas com as escolhas apresentadas

Sobre o Autor

- Escritor do artigo “Smoke and Mirrors”.

53 Comentários

  1. Tunes9 - há 2 anos

    Excelente artigo e uma boa análise ao de 2014, os meus Parabéns.

    Quanto às perguntas:

    Que resumo fazes do ano da WWE?

    R: foi um bom ano, uma classificação de 6 ou 7 (no máximo dos máximos 8), houve momentos memoráveis e outros decepcionantes, combates e feuds de qualidade e outras más e depois o booking foi bom nalguns aspectos e mau noutros, portanto foi um ano com aspectos positivos e outros negativos, espero que 2015 seja muito melhor.

    Quais foram para ti os principais destaques da companhia nas categorias apresentadas? E concordas com as escolhas apresentadas

    Sim, concordo com as escolhas e cada um tem as suas mas gostei bastante das tuas.

    No que toca às minhas:

    Superstar do ano = Brock Lesnar (um homem que quebra a streak de forma dominante e depois dizima o Cena e torna-se WWEWHC, nada a acrescentar).
    Diva do ano = Paige; menções honrosas para AJ e Nikki Bella.
    Revelação do ano = Rollins.
    Combate do ano = Evolution vs The Shield no Payback.
    Surpresa do ano = Fim da streak como é óbvio; menções honrosas para a estreia do Sting e da Paige (esta não foi uma total surpresa mas adorei).
    Desilusões do ano = Punk e a saída mas sobretudo da forma que foi; menções honrosas para o reinado do Lesnar e também para o booking em geral.
    Rookie do ano = Rusev.
    Talker do ano = Paul Heyman; menções honrosas para o HHH e a Stephanie que estiveram muito bem como Autority.
    Tag-Team do ano = Usos.

    Como vês, as minhas escolhas são quase as mesmas.

    – Destaque para o trabalho feito na NXT e para o PPV Takeover R-Evolution que foi extraordinário.

    Bom trabalho José Sousa. :-)

    • José Sousa - há 2 anos

      Sim mas não falei do NXT intencionalmente, até porque já tinha feito na antevisão do ultimo ppv, e farei na introdução do novo ano.

      O combate do ano é muito subjectivo, sobretudo este ano onde não existiu “o Combate” que se destacou dos restantes.

      • Tunes9 - há 2 anos

        Sim, sim, eu compreendo, apenas quis referir o PPV do NXT porque foi realmente muito bom e um dos melhores shows do ano.

        Quanto ao combate, concordo, não houve nenhum que se destacasse como o melhor e cada um tem a sua opinião, é, como dizes, muito subjectivo mas para mim foi Evolution vs The Shield porque foi um combate de qualidade, com duração longa e spots de bom nível e pelos intervenientes de grande nível, mas é apenas a minha preferência pessoal.

        Por fim, mais uma vez um bom trabalho. :-)

      • José Sousa - há 2 anos

        Sem dúvida e foi um combate e feud que confirmou os Shield na WWE por isso sem dúvida que é um dos marcos deste ano.

  2. Damien Mizdow - há 2 anos

    Não percebi a não referência ao Alberto Del Rio quando se mencionou CM Punk até porque CM Punk não possui assim tantos titulos dignos de referência que Del Rio não tenha aliás CM Punk não venceu o maior royal rumble da historia e por isso mesmo acho que o aristocrata mexicano merecia tanto ou mais uma referência que CM Punk.

    O reinado do Lesnar para mim nao constituiu uma desilusão porque já esteve à espera que o mesmo assim fosse e por isso mesmo apesar de não estar a gostar do mesmo não o posso chamar de desilusão pois retrata exatamente aquilo que eu já esperava e concordo agora a perder o titulo que seja na wrestlemania. Eu consideraria mais uma desilusão a insistência exagerada em John Cena como adversário uma vez que já todos estão cansados disso e quando existe um Randy Orton preparado para voltar como face, um Y2J ou até um Batista quando voltar e se voltar.

    Na questão do Booking não poderia estar mais de acordo em relação ao Cesaro embora discorde no Wyatt porque ele tem tido muito mais relevância ao longo deste ano que nomes como Cody Rhodes, Dolph Ziggler (só agora no final foi valorizado), Mizdow e Miz (só agora tiveram reconhecimento) ou até o proprio Jack Swagger. Do que vi vi um Wyatt sempre a ser aposta, quase sempre em PPV e a competir com os grandes ao contrário desses nomes.

    Não há como discutir o Rusev foi inegavelmente o rookie do ano isso é por demais evidente pelo seu percurso.

    Não considero o Mizdow a revelação do ano porque já todos eramos conhecedores de todas as suas potencialidades. E diga-se a gimmick, os segmentos, o move-set e todo o trabalho atrás das camaras é do Miz até porque ele é quem mais condições tem para desempenhar uma gimmick como esta, é graças a ele que tudo funciona tão bem. Mizdow imita-o, é engraçado e consegue apoio do publico mas quem seria ele sem o miz?

    Dean Ambrose foi a meu ver e de forma destacada a revelação do ano. Dos três ex shield é de longe o mais completo, o que tem uma gimmick mais vincada e definida e o que recolhe a grande maioria do apoio do publico. Acho que Seth Rollins foi mais uma insistência da wwe do que propriamente uma revelação embora tenha talento. Mas a sua gimmick não tem nada de diferente que o torne único ao contrário do Dean Ambrose e embora seja melhor que o Dean no ringue não diz nada que qualquer outro heel de topo que passou pelo main event dizia. Acho que lhe faltam algumas coisas para se tornar de facto merecedor de main events.

    No entanto e mais que Seth Rollins a meu ver Barrett nao fosse a lesão e seria aqui uma solução a Ambrose porque enquanto esteve cumpriu na perfeição, teve sucesso e mostrou que é um wrestler completo.

    Em relação a diva do ano não consigo perceber a nomeação de Paige. AJ foi de longe a diva do ano não só por ter levado a divisão às costas e ter vencido tudo e todos como porque foi a campeã durante a maioria do ano. Paige surge depois da wrestlemania e esteve por ali algum tempo com reinados pouco crediveis e se de facto ela merece menção acho que Nikki Bella também deveria merecer tendo em conta o seu percurso desde o Summerslam.

    The Usos foram inegavelmente a tag team do ano muito embora considera que Cody e Goldust apenas não o foram pelo pessimo booking que sofreram apos derrotarem os THE SHIELD. E acredito que se o ano tivesse sido maior que Miz e Mizdow teriam ecplipsado por completo os Usos porque para alem de oferecer espectaculo dentro do ringue o fazem tambem fora do mesmo.

    Paul Heyman é inegavelmente um dos melhores talkers da wwe mas premiar o Dean Ambrose acabaria também por não ser injusto ou o Y2J porque em nada perde para o Heyman nesse aspecto.

    Surpresas do ano: Concordo com as duas primeiras foram de facto momentos extremamente marcados e inesperados até porque eu dava Ziggler como o primeiro eliminado facilmente e jamais pensei que a streak acabasse, muito menos com aquela construção e contra o Brock lesnar. A estreia do Sting acabou por nao ser tão surpreendente porque já era sabido que ele ía estrear-se de alguma forma ou seja não foi como o regresso do Lesnar que ninguem estava à espera por exemplo.

    Relativamente ao combate do ano existem vários que podem dependendo de diferentes opiniões receber tal estatuto. No entanto considero que nao existe nada mais marcante que o embate entre uma das melhores stables de sempre marcando o seu historico regresso e a melhor da actualidade e por isso torna-se obvio que The Shield VS Evolution seria a minha mais que obvia escolha.

    Se o premio para superstar do ano é entregue baseando-se nas conquistas não é há como discutir Lesnar merece-o e parecem ser esses os moldes. No entanto se o premio tem como objectivo premiar o melhor do ano não só pelo que conquistou mas pela forma como conseguiu impor-se aliada à importanca que teve e à forma como a conseguiu gerir com os recursos que lhe deram sem duvida que Dean Ambrose deveria ser o galardoado.

    • Tibraco - há 2 anos

      Comprar o Punk ao Del Rio só mesmo por brincadeira. Assim como quem não quer a coisa, 434 dias num único reinado penso que explica a escolha do José.

      • José Sousa - há 2 anos

        Isso e duas MITB, Ex-Campeão Mundial mais vezes e mais tempo que o Del Rio, líder de duas Stables. Não é querer fazer do Del Rio inferior, mas coloca-lo ao nível de impacto mediático do Punk é exagerado.

    • José Sousa - há 2 anos

      Depende sempre dos critérios. Mas o Del Rio não tem o impacto na indústria que o Punk tem, porque o Del Rio deu uma entrevista sobre a saída da WWE e não teve metade do impacto que a do Punk teve. Além que o ele não têm o curriculum que o Punk tem.

      De resto concordo, e até aceito, menos o Rollins. Ele não foi forçado, foi planeado, um top heel têm que ser planeado não pode ser escolhido pelos fãs. E mesmo ai ele foi, porque ao trair o Dean e o Roman conseguiu logo grande heat. E sinceramente acho precipitado acharem que a mala ia para o Barrett, eu não teria tanta certeza.

      • José Sousa - há 2 anos

        Sobre o Mizdow sim todos conheciam o talento dele, mas a verdade é que depois de falhar o cash ninguém ligou a ele e não lutaram por ele. E claro que o Miz tem mérito, esta rivalidade vai resultar porque ele é um excelente heel na minha opinião.

      • Miguel Carlos - há 2 anos

        Não me aptece nada voltar a ver o Undertaker, muito menos na WrestleMania, mas se tiver de ser, que seja contra o Wyatt com certeza.

    • Tunes9 - há 2 anos

      O Del Rio é um excelente Wrestler, dentro do ringue é muito divertido de se ver, os seus kicks ouvem-se ao longe mas em termos de mediatismo e outros atributos de um Superstar está muito longe do Punk e não se pode comparar a saída de um e de outro no tamanho da perda da companhia.

    • Miguel Carlos - há 2 anos

      Não se compara o Del Rio ao CM Punk, mas também é uma das maiores desilusões do ano. Eu sempre adorei o Del Rio, e atrevo-me a dizer que lhe dava a streak do Undertaker.

      • José Sousa - há 2 anos

        Eu pessoalmente dava á pessoa que o vai defrontar este ano: Bray Wyatt.

  3. Diogo V - há 2 anos

    Excelente Artigo. respondendo as perguntas :

    – Acho que fui um ano muito instável mas sem duvida com momentos marcantes uns pela positiva e outros pela negativa .

    – Principais destaques de 2014 : Paige , Aj , The usos , Mizdow , Rollins , Reigns , Ambrose , Wyatt ,Rusev , Ziggler , Cena ,saida de Punk Bryan , Lesnar .

    – concordo com toda as tuas escolhas apenas no talker do ano talvez colocasse o Ambrose ou Bray em vez do Heyman embora este seja excelente no micro .

    Por fim Parabéns pelo Artigo e boas entradas para ti para toda a equipa deste site , tbm para as pessoas que comentam aqui dia após dia e respectivas famílias . Bom 2015 !

    • José Sousa - há 2 anos

      Muito obrigado.Tal como disse, qualquer um poderia colocar um desses, mas o Heyman foi o melhor talker do ano, acho que a promo do Suplex Repeat, e da Raw pós-mania são promos que ficarão para a história e isso deve ser reconhecido.

      • diogo vieira - há 2 anos

        Sim tens razão como disseste qualquer dos 3 , poderia ser o talker do ano são os tres excelentes. Bom 2015 !!!

  4. Roberto ''The Viper'' #Chaves Eterno - há 2 anos

    Excelente escolha para revelação do ano, o MizDow é um grande superstar, mesmo sendo duplo do Miz. Eu gostaria que essa dupla de Miz e MizDow não se separasse no Royal Rumble, só mais á frente. MizDow contagia a crowd, faz a crowd rir… MizDow is AWESOME!

    • José Sousa - há 2 anos

      Mas o mais correcto seria no Rumble ou pouco depois, eles devem perder os títulos no Rumble para os Usos até para que estes sirvam de transição para os Ascension.

  5. Tibraco - há 2 anos

    Excelente revisão, José.

    Acho que 2014, de um modo global, foi um mau ano, provavelmente o pior desde que acompanho a WWE. Tivemos bons momentos, era o que faltava não termos, mas a qualidade média deixou a desejar.

    No geral, concordo com as tuas escolhas. Acho que a vitória do Batista no Rumble merecia uma “desilusão” do ano mas percebo o teu ponto de vista. Em relação ao combate do ano, “emocionei-me” mais com o main event do Survivor Series do que com a vitória do Bryan, em parte porque esta última já era meio esperada (naquela altura, claro!).

    De resto, acho que a WWE nestes últimos 3 meses melhorou ligeiramente (embora o TLC não tenha sido nada de especial) e parece-me que podem estar bem lançados para um 2015 positivo. Mas, e a verdade é esta, o Vince tem-nos dado muitos motivos para ficarmos desconfiados, logo o melhor é manter as expectativas baixas.

    • José Sousa - há 2 anos

      Eu emocionei-me em ambos claro, mas sim não esperava claramente que o Ziggler fizesse aquilo tudo. Aliás diga-se o Ziggler é o wrestler que mais me agrada ver na actualidade, a par do Rollins e do Ambrose.

      • Tibraco - há 2 anos

        Os meus são o Cena e o Ziggler mas não me consigo lembrar da última vez que fiquei feliz com uma vitória do Cena. É quase irrelevante se ele ganha ou perde.

        Não pensas fazer um artigo de “previsão” para 2015? Sei que esses artigos de futurologia não são muito bem visto por aqui, mas, pessoalmente, são dos meus favoritos.

      • José Sousa - há 2 anos

        Sim para a semana vou fazer a minha Watchlist para 2015( com homens a ver no main-roster e mesmo no NXT não te preocupes).

  6. Don_Ricardo_Corleone - há 2 anos

    2014 foi claramente o pior ano da WWE. Um ano no qual ficou demonstrado que a WWE não faz planos e quando os fãs é obrigado a mudar tudo em cima do joelho, às pressas, porque sai asneira.
    Vejamos, o ano começou com um plano claro, o regresso vitorioso do Batista na Royal Rumble e na Wrestlemania e acabar com o pop do Daniel Bryan como fizeram com o Zack Ryde porque não o queriam como grande superstar. Com isso tivemos a Royal Rumble mais embaraçosa da história da WWE, o qual também coloco como momento do ano, em que o final foi brindado com assobios e apupos da parte dos fãs.
    Depois lá arranjaram uma storyline à ultima hora para incluir o Daniel Bryan no main event e fingir que afinal era esse o plano para ver se salvavam 2014, quem sofreu com isso foi o Batista que se tornou o anti-cristo para os fãs da WWE e foi gozado por tudo o que fazia, provavelmente já não regressa mais…No meio ainda fazem asneira da grossa com o CM Punk e acabam por perder uma das principais superstars e dos maiores talentos que tinham.
    Depois a má gestão do titulo da WWE durante todo o ano. Para além da barafunda que referi acima ainda tentam dar um dos piores reinados de campeão desde o Rey Mysterio. O anterior campeão nem quis saber do titulo e voltou a ser o lacaio do Triple H, o contender era o…Kane, porque sim. O Daniel Bryan lesiona-se..solução? Arrastar a situação do titulo durante meses, colocando a Autoridade como refém do campeão, a quem não conseguiam retirar o titulo, isto porque esperavam um milagre. Com tanto beatdown e piledrivers provavelmente acabaram com a carreira dele, mas enfim, o importante não era o Daniel Bryan…
    Depois dão o titulo ao Lesnar e ficam sem campeão dirante meses…mas acham tudo normal. Até o Survivor Series voltou a ser importante!
    Vimos também que eles não sabem o que fazer com o talento que têm…eles não podem pushar tanto o Cesaro e depois desistir porque sim, mas foi o que fizeram.
    Por fim, vimos também que as Divas do NXT estão a perder o seu tempo. Quando passam ao roster principal só têm combates de 5 minutos, uma gimmick diferente e parva, não têm tempo para falar nem para nada a não ser que se chamem Bella.
    Mas nem tudo foi mau, vimos que a WWE tem grande futuro se souberem fazer o seu trabalho (Ambrose, Rollins, Reigns, Cesaro, Wyatt, Ziggler, Rusev e outros no NXT como o Neville, o Zayn e Tyler Breeze, entre muitos outros).
    Veremos o que nos traz 2015, começar o ano com o cash-in do Rollins seria importante.

    • José Sousa - há 2 anos

      Concordo contigo em quase tudo. Não venham dizer que o Cesaro não tinha ligação com o público: Vejam a reacçao na noite da WM e na Raw seguinte, e percebe-se que o publico estava rendido ao talento dele, mas decidiram matar todo o momentum que ele tinha.

  7. Hildo - há 2 anos

    Excelente revisão José. Concordo com algumas pessoas que já comentaram, 2014 um do piores anos para WWE, curiosamente foi o que teve a melhor RTWM dos últimos ano na minha opinião, mas depois do extreme rules, lesão do Bryan as coisas ficaram ruins, apesar de conseguir apresentar PPVs de boa qualidade, a qualidade das Raws deixou muito a desejar e não saíram como eu imaginava.

    Todas as rivalidades que o Bray Wyatt teve esse ano eram pra ficar na história, mas depois do que se passou com o John Cena e talvez por altas expectativas as feud com o Chris jericho e com o Dean Ambrose não atingiram aquele ”pico” que eu particularmente esperava, principalmente a rivalidade com o Jericho.

    A Saída do Cm Punk, a derrota do Undertaker na Wrestlemania e o reinado do Brock Lesnar foram as decepções do ano pra mim. A maneira como o Cm Punk saiu foi muito polemica e depois da carreira que ele teve foi a pior saída possível. A derrota do Undertaker foi aquele choque e foi difícil acreditar. O Reinado do Brock Lesnar não está sendo bom, deixando muito a desejar, não defender em PPV desde o NOC é frustrante.

    Concordo com suas escolhas, exceção do combate do ano, que pra mim foi o Seth Rollins vs Dean Ambrose no HIAC.

    Espero um 2015 bem melhor do que foi 2014 e aguardo para saber como vai ser o Cash do Rollins.

    • José Sousa - há 2 anos

      O Grande problema do Wyatt é a rivalidade com o Cena, porque se ela não tivesse acabado assim ele era credível, ele aos olhos dos fãs depois daquela rivalidade ficou completamente arrasado e isso tem-se notado nas rivalidades que se seguiram.

  8. Miguel Carlos - há 2 anos

    Bom artigo. Há muitas coisas que eu discordo.
    O reinado do Lesnar não me desiludiu assim tanto, porque eu já esperava que ele se ausentasse e até acho que a melhor fase do produto foi o último trimestre de 2014, mesmo com a ausência do campeão. Mais rapidamente diria que o reinado do Bryan me desiludiu do que o do Lesnar.
    A estreia do Sting não me interessou muito, por isso não a colocaria como uma das surpresas do ano.
    Por fim, apesar do Lesnar ter sido o lutador mais marcante de 2014, aquele que eu parcialmente escolhia era o Seth Rollins. Como já disse, a melhor fase do produto foi o último trimestre do ano, na minha opinião, e sendo o Rollins o lutador que mais se destacou nessa altura, essa seria a minha escolha. E quanto ao combate do ano, a mesma coisa, o triple threat foi um bom combate, mas aquele que mais me tocou foi o main-event do Survivor Series.
    Concluindo, tu fizeste um artigo mais imparcial, e por isso aceito as tuas escolhas, mas no meu ponto de vista mudaria algumas.

    • José Sousa - há 2 anos

      Não acho a escolha do combate do ano imparcial, acho é que este ano não existiu claramente um combate que se destacasse, tipo o Brock Vs Punk. De resto aceito completamente que refiras o Rollins, e eu escolhia-o porém os feitos do Lesnar são inegáveis.

      • Miguel Carlos - há 2 anos

        Já agora, José, este ano não vais fazer os Wrestling.PT Awards?

      • José Sousa - há 2 anos

        Infelizmente não tive tempo pessoal para o efectuar este ano. Peço desculpas.

      • Miguel Carlos - há 2 anos

        Não há problema.

  9. Frederico_WWE - há 2 anos

    Mesmo sem estar a comentar com regularidade não deixo de acompanhar o que se passa e mais uma vez estás de Parabéns por mais um ano de imensa qualidade do Smoke and Mirrors.

    Concordo praticamente com tudo o que disseste sobre o ano 2014 mas o que eu gosto mesmo é de lançar sal e pimenta nos debates como sabem… ou seja não consigo compreender quando se diz que o ano de 2014 é o pior da história da WWE ou pelo menos um dos piores… quando já tivemos anos a meu ver piores tais como o de 2009, 2010, 2011 em que tivemos a WrestleMania 27 que foi um atentado à história da mesma e também o ano de 2012… aqui se vê que a memória dos fãs é algo curta… embora sejam opiniões pessoais e respeito.

    2014 é um ano em que por exemplo se percebe a aposta em gente que será parte do futuro e do main event da WWE para os próximos anos tal como Ambrose, Rollins, Reigns ou Wyatt e como se sabe isso era algo que começava a preocupar os fãs da WWE… e é também o ano em que o NXT dá um pulo qualitativo gigante que faz o pessoal ficar descansado visto que ali há material que se for bem trabalhado nos proporcionará grandes momentos como se viu no Take Over.

    Há um assunto que penso nunca ter comentado visto que deixei de ser assíduo mais ou menos por a altura da saída de CM Punk… que é a sua saída e para dizer o seguinte… quer queiram quer não CM Punk demonstrou ser um mau profissional e demonstrou se estar a lixar para os fãs… tenha os seus motivos ou não é uma vergonha o que ele fez… deixou a WWE na mão e ainda veio cá para fora falar mal de alguns colegas de profissão… mais uma vez repito com os seus motivos ou não o que ele fez não se faz e demonstra uma grande falta de profissionalismo.

    Em relação ainda a 2014 a derrota do Undertaker foi um choque visto que defendia que a streak só devia acabar para uma estrela que estivesse no topo da companhia para os próximos 10 anos e mesmo assim… tinha que ser algo bem ponderado.

    Não gostei até porque o Lesnar não é digno de merecer essa honra até porque 1 ano depois vai fazer as malas e vai embora… após a WrestleMania 31… segundo se sabe.

    Roman Reigns… o novo alvo a abater por parte dos fãs da WWE… enfim a WWE tem culpa porque ao longo dos últimos anos passou uma imagem com John Cena que os babyfaces eram quase como uns super heróis e a dada altura os fãs fico desconfiados e não gostam… mas o Reigns tem qualidades bastante grandes tais como a sua presença e brutalidade/intensidade e pelo menos deviam dar uma oportunidade ao homem até porque a construção de babyfaces tem sempre estes moldes veja se Batista em 2005… mas também digo que o “dossiê” Reigns tem que ser gerido com muito cuidado visto que nesta altura não está preparado para o main event e Batista em 2005 tava… por isso o melhor era atrasar a sua ascensão um pouco talvez para 2016 porque neste momento corre o risco de ficar queimado.

    Bom 2015!

    • Tibraco - há 2 anos

      Gosto desses argumentos para defender que 2014 não foi um mau ano. Fazem todo o sentido.

      Ah, e eu ainda sou do tempo que todo o roster da WWE era uma porcaria e o Punk um dos melhores de sempre, o Deus desta porra toda.

      E, só naquela de ser 100% coerente, é engraçado ver o maior hater do Cena a defender o Reigns. 99% do pessoal reconhece que, pelo menos neste momento, o Cena é superior em todos os quesitos ao Reigns mas tu, com essa santa sapiência, vens agora apelar à tolerância para com o Reigns.

      As tuas opiniões são como moeda ao ar. Tanto pode dar cara como coroa. Mas hey, vai comentando com maior assiduidade, por favor. Sou fã de contorcionismo :)

      • José Sousa - há 2 anos

        Bem-vindo ao Smoke de novo Fred, e eu concordo com o teu comentário, acho que fruto do booking do Cena os fãs estão a exagerar com o Reigns. Porém tal como referi é cedo para ele vencer o Rumble, mas quem venceria? O Ziggler? sinceramente gostava, mas Ziggler vs Lesnar num ME de uma WM tenho muitas duvidas.

      • Tunes9 - há 2 anos

        Por mim vencia o Ambrose e depois derrotava o Lesnar na Wrestlemania 31 e tornava-se campeão, depois podia haver a desforra no Extreme Rules ou não, e o Rollins fazia o cash-in na própria WM ou na RAW seguinte ou até depois do Extreme Rules e a feud para o Summerslam seria Ambrose vs Rollins (WWEWHChampion) vs Roman Reigns e teríamos a triple threat tão aguardada, não seria mal pensado, a meu ver.

      • José Sousa - há 2 anos

        Não sei não. Eu dava ao Ziggler, mas ai acho que não me aguentava. Se o Ziggler vencia-me o Rumble acho que a minha casa ia abaixo.

      • Miguel Carlos - há 2 anos

        Eu gostava que fizessem algo para nos fazer sofrer, tipo ter o Ziggler e o Rollins nos últimos dois do Rumble e o Heyman ajudar o Rollins a vencer. Depois no Fast Lane, tinhamos Rollins vs. Ziggler pelo title shot e aí sim o Ziggler vencia. Seria super emocionante, e dava ainda mais heat ao Rollins.

  10. vitorxd - há 2 anos

    Excelente artigo José.

    Eu achei um ano razoável da WWE,eu daria nota 6.5.Para se destacar no ano,claro a Fim da STREAK(Se o Brock nao fosse part-timer,a WWE poderia fazer melhor o boking para ele,como o “Monstro que destroi a todos´´)para se destacar tambem as Feuds Cena vs Wyatt e Rollins vs Ambrose(a traição do Rollins destaca-se).

    O combate do ano para mim Shield Vs Evolution,o segundo seria DB vs Batista vs Orton.

    Para Diva do ano fica claramente entre a Paige e a Aj..Para mim vai para a Paige.

    Não esperava que o Ziggler traisse a Team Cena,mas nao esperava nem um poquinho aquilo..derrotar 3 da authority sozinho..

    O Brock fez uma coisa que alguem nunca tinha feito(squashar CENA e Quebrar a STREAK,mas fez tipo 3 combates no ano.Para mim o superstar do ano seria o Rollins.

    Dupla do ano sem duvida os Usos.Mais o Mizdown é fera mt engraçado,gostaria que a tag team continuasse nos divertindo,mas traição no Rumble com certeza.

    Talker do ano Your Name is Paul Heyman..

    Cm Punk is a UFC fighter now,ninguem queria que ele saísse mais ja foi.

    Feliz 2015 José.

    • José Sousa - há 2 anos

      Pois mas as conquistas na minha visão tem que ser quem teve mais impacto, e nesse caso é o Brock, e olha que sou fã do Rollins por isso estou a ser minimamente imparcial,. embora goste do Lesnar enquanto wrestler.

  11. danielLP21 - há 2 anos

    Eu não tenho assim tanta certeza de que o Lesnar chega campeão à WrestleMania. A minha aposta, neste momento, é Roman Reigns vs Seth Rollins pelo título. Mas isso sou eu…

    • José Sousa - há 2 anos

      Espero que estejas certo, até porque era a história certa para o Reigns na minha opinião claro.

      • Miguel Carlos - há 2 anos

        Mas a história do ano é as conquistas do Lesnar e o facto de ele ser imbatível, por isso faz mais sentido que seja ele a ir ao main-event da WrestleMania.

      • José Sousa - há 2 anos

        Sim não faz sentido que não seja o Brock a chegar á Mania campeão. Tipo eu sei que o facto de ir embora joga contra ele, mas não vejo a WWE a não dar um grande combate ao Lesnar nesta WM e a única hipótese é o WWE title.

  12. MicaelDuarte - há 2 anos

    Excelente artigo, José.

    Concordo com as tuas escolhas.

    • José Sousa - há 2 anos

      Muito obrigado. Ah! Como estamos a chegar a 2015 e estamos a menos de um mês do Rumble: We Want Ziggler for Rumble Winner !

      • José Sousa - há 2 anos

        AH! e esqueci-me de dizer porquê: Porque “It´s too bad, but he just too damn good”

  13. Mr. Money In The Bank - há 2 anos

    Excelente artigo, parabéns!

    A maior desilusão do ano, com certeza, foi a saída do CM Punk, que pegou muita gente de surpresa. Mas também destaco a saída do Del Rio, pela forma como foi demitido injustamente, era um dos meus favoritos.

    Na divisão feminina, claramente AJ e Paige forão os principais destaques, mas também destaco o retorno da Stephanie aos ringues, e a Nikki Bella, que na minha opinião melhorou muito, tanto no ringue, quanto nas promos, muitos podem criticá-la, mas ela se esforçou muito e acho que até merece ser a campeã.

    Na minha opinião, o combate entre The Shield vs Evolution no Payback foi o combate do ano, pela intensidade e qualidade, mas respeito sua escolha.

    Enfim, foi ano um marcante na WWE, com momentos que irão ficar em nossas memórias. Não foi o melhor ano, mas também não foi o pior.

    E que 2015 seja um ano épico para a WWE, assim espero…

  14. MR Perfection André Santos - há 2 anos

    Nada acrescentar ! Excelente analise.

  15. Diogo7 - há 2 anos

    Excelente revisão, José. Concordo com as tuas escolhas.

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador