Existem 2 vagas na Equipa do Wrestling PT para publicar notícias. Candidata-te!

Smoke and Mirrors #170 – Will He Change The Game?

Esta semana o Smoke será diferente do que eu pensaria que seria, ou melhor, tinha uma ideia para o artigo porém modifiquei o tema porque julguei que este seria um tema mais pertinente. Podem dizer que já se fez muitos artigos sobre o tema, e o futuro da WWE, mas sendo honesto queria fazer uma pausa nos temas relacionados com PPV´s, e análise aos resultados ou antevisão dos mesmos.

Estou a referir isso porque em princípio iria analisar o Lockdown e as principais rivalidades da TNA nos primeiros meses de 2015, no entanto decidi adiar esse tema para outra oportunidade. Desse modo, esta semana decidi analisar o perfil do próximo “Líder” da WWE: Triple H, sendo que o meu foco estará nos prós e contras da sua liderança, porque na verdade acho exagerado essa visão que ele é o “Messias” da WWE.

Não quero começar o artigo a dizer que a “Era Triple H” será má, apenas que se criou uma aura que ele irá revolucionar por completa a companhia, e possivelmente essa ideia é exageradamente utópica. Porque ele foi treinado durante a era do Vince, e como é óbvio não modificará tudo o que foi definido anteriormente, sendo que isso não implica que não existam reajustes, apenas que ele não trará a tal “revolução” que muitos visualizam.

Claro que a entrevista que deu no Podcast de Steve Austin deixou bons sinais para o futuro, mas a verdade é que neste momento são apenas isso: sinais. A parte mais difícil ainda não começou, e apesar de ter uma maior influência nas decisões da WWE a verdade é que o momento que irá definir a “Era Helmsley” será claramente aquele onde ele tomará verdadeiramente as rédeas da WWE.

Assim, e antes de começar a esmiuçar de forma mais concreta a minha opinião sobre o perfil do Triple H, devo dizer que ele têm-me impressionado pela forma como desenvolveu e revolucionou o conceito do NXT. Mas não podemos esquecer que nem todos os talentos que vieram do NXT para o main-roster foram bem sucedidos, o que prova que a sua influência não é tão forte quanto pensam. Porém, é importante que não se análise o potencial da sua liderança pela forma como foi desenvolvida a Autority, até porque ela não é a verdadeira força dominadora da actual da WWE. E não é que ela não possa ser crítica, ou colocar resistências na forma como os fãs vêem a WWE liderada por Triple H, apenas digo que não deverá ser o único critério de análise dessa situação.

Mas vejamos quais são as verdadeiras vantagens, ou aspectos positivos da futura liderança de Triple H da WWE. Em primeiro lugar, e possivelmente o principal aspecto que se destaca é o eventual foco da companhia nos wrestlers, e nos pequenos aspectos e picardias que criam as rivalidades como é visível no NXT. Mas como é óbvio o futuro da WWE não estará entregue apenas a talentos vindos das indys, e é ilusório pensarmos que a nova liderança revolucionará isso. E sendo sincero isso não é importante, o que é relevante é que exista uma renovação de talentos e de geração na WWE, e porque mais que isso tenha que ser gradual acredito que com o Triple H esse processo avançará de forma mais vincada.

O que quero dizer é que o Triple H é um wrestler, e quando estiver á frente da companhia isso será visível nas decisões mesmo que não concordemos com todas elas, ou que alguns pushes não sejam os que idealizamos. Aliás, essa capacidade de lidar e pensar como um wrestler será possivelmente o grande trunfo dele junto do rosters, mesmo que alguns wrestlers não concordem com ele e que por causa disso percam oportunidades. Porque por mais que lhe “chamem de enterrador de talentos” a verdade é que já ajudou a elevar alguns nomes: Bryan, Batista, Shield e John Cena por exemplo.

Atenção que não estou a defender que esses aspectos deverão influenciar as decisões, mas a verdade é que elas acabam sempre por influenciá-las, e não vejo motivo ou algum sinal que isso se altere com a mudança de liderança. Apenas considero que será alguém mais sensível para os problemas dos wrestlers, ou pelo menos o seu discurso indicia que poderá ser mais tolerante a situações que são do foro pessoal do wrestlers. Claro que isso é sempre algo relativo, e existirão sempre nomes que serão mais ou menos protegidos mediante a relação que tenham com ele, mas acredito que ele queira voltar a por o foco nos wrestlers, sem nunca desprezar o lado financeiro e mediático que esta indústria requer.

Até porque esse lado nunca poderá ser ignorado porque a WWE como qualquer companhia pretende obter lucro com o seu produto, o que poderá modificar é a forma como constrói as suas atracções. E é esse o aspecto onde penso que o Triple H poderá diferir do Vince McMahon: No modo como aborda e gere todo o processo de valorização de um wrestler, e sobretudo o modo como os apresenta de forma criativa que por vezes parece ter demasiados criativos, no entanto todos eles respondem a uma pessoa tornando o processo demasiadamente complexo e com ideias divergentes.

Assim na minha opinião outro ponto que abona a favor do Triple H é que tal como o Paul Heyman na sua altura criou um conceito e provou que ele pode chegar às massas, e a prova disso é a crescente popularidade do NXT que começa a tornar proporções de culto. E uma vez mais o segredo está num booking inteligente, e sobretudo feito por uma equipa mais pequena e coesa que nos main-shows, e em parte esse é um dos ingredientes do sucesso do NXT “ versão Triple H”.

Por fim, outro dos motivos pelos quais a Era do Triple H poderá resultar é a sua visão para o main-roster, porque parece-me que ele tem bem definido quem ele quer dar destaque e fazer uma estrela, e isso é sempre algo positivo para WWE porque ele parece ter uma visão mais focada no talento enquanto wrestler como motivo para o sucesso. Além disso, Triple H parece ter uma visão diferente para a forma como os shows semanais da WWE são apresentados, uma vez que é defensor do regresso da Raw ás duas horas, para potenciar de forma mais eficaz o produto e as histórias.

Com isso o Raw passaria a ter mais “sumo” e os aspectos mais lights ou negativos seriam muito menores, porque ocupariam menos tempo de antena. Aléns que poderiam dar mais importância à Smackdown no desenvolvimento de algumas rivalidades, o que poderia originar o iniciam do regresso á Brand Split, ou pelo menos a um maior equilíbrio entre os dois principais programas do main-roster. E ver o COO defender isso é sempre um bom sinal, mas como é óbvio nem tudo é um mar de rosas na visão do Triple H, e serão esses aspectos negativos que irei apresentar de seguida.

Claro que não vou dizer que o Triple H é um “Diabo”, mas não é nenhum anjo nem nada que se pareça, e por isso mesmo é óbvios que ele tem defeitos que poderão condicionar a sua futura liderança da WWE. Como por exemplo, o facto de estar próximo de alguns wrestlers poderá ajudar mas também pode prejudicar outros, ou seja, com a “Era Triple H” não deixarão de existir protegidos no roster da WWE.

E não vale a pena esconder este aspecto, porque todos sabemos que ele sempre conseguiu ter influência suficiente para proteger alguns nomes que eram próximos ( Rollins, Orton, os Kliq). E tal como apoiou esses nomes, também é publico que sempre se opôs ao Punk como main-eventer, ou mesmo a afirmação do Ziggler . Claro que isso não faz dele um mau gestor para a WWE, o que quero dizer é que apesar das qualidades que possuí também existem aspectos que não serão tão positivos na sua administração.

Por outra palavras, claro que ele tem o objectivo de voltar a pôr o wrestling e os wrestlers como foco do produto, e acredito que ele tente isso quando assumir o controlo da WWE e sem dúvida que isso é positivo. Porém, ele não estará imune a situações onde protegerá algumas pessoas por proximidade, porque esse nível de imparcialidade total é utópica em qualquer local, e a WWE não é excepção.

Depois, não podemos dizer que Triple H conseguirá mudar tudo num espaço de meses porque isso é novamente uma utopia. São anos de um produto gerido de uma determinada forma, e essas mudanças terão que ser feitas de forma gradual, e não de forma radical. Até porque essa mudança radical só se justificaria se a companhia estivesse a lutar pela sobrevivência, o que aparentemente não é o que acontece neste momento.

Ou seja, neste momento o produto da WWE apesar de estagnado, e alternando entre bons momentos e maus momentos não está em risco de falir. E não está porque conseguiu uma base de fãs que estão dispostos (até ver) a não desistirem totalmente do produto, isto porque ainda vão tendo picos de qualidade mesmo que não de forma consistente. E por isso é que Triple H não terá a urgência de mudar tudo radicalmente, mas sim de forma gradual e lenta como fez no NXT.

Claro que seria diferente caso tivesse uma ameaça real como tinham na altura da WCW, porque aí estariam pressionados a uma mudança radical. Mas como não existe essa ameaça a WWE de Triple H terá tempo para fazer lentamente os ajustes que pretender fazer no produto, e na criação de novos main-eventers. Claro que até seria preferível que tivesse alguma pressão, mas como não existe, por certo que não fará tão depressa quanto muitos pensam esse tipo de alterações.

Além disso, a realidade é que alguns dos vícios que o Vince têm continuarão na “Era Triple H” e na verdade seria um milagre se anos de aprendizagem com ele não acabassem por ter efeitos, ou influência na forma como irá gerir a companhia. Não quero dizer que o futuro com ele não será positivo, apenas acho que as alterações serão graduais e nunca uma revolução total, mesmo que sem dúvida esta Era possa vir a ter aspectos bastante positivos sem dúvida alguma.

É deste modo que concluo a edição desta semana, que tal como referi foi ligeiramente diferente que seria espectável. Para semana, o Smoke volta para fazer ao último PPV antes da Wrestlemania, o Fast Lane, e por isso mesmo é novamente uma edição a não perderem, porque irei dizer o que penso sobre o PPV e as implicações que trará no card do maior evento do ano da WWE.

Figuras da Semana

Sasha Banks– Ela é uma das figuras da semana porque vence aquele combate espantoso do TakeOver, tornando-se finalmente a campeão feminina do NXT. Mas claro que não me esqueço do trabalho enorme de todas intervenientes daquele combate, porque todas merecem ser reconhecidas.

Finn Bálor- É o novo nº1 Contender do titulo do NXT, e fez-lo em grande estilo e vencendo aquele que foi o melhor combate do especial, pelo menos no que diz respeito ao aspecto técnico na categoria dos “homens”.

Kevin Owens– Ele foi apresentado como o “Lesnar” do NXT, e verdade seja dita a imagem fica-lhe muito bem, e espero que continue com esta construção nos próximos tempos porque só fará o momento da sua derrota mais importante.

Revolution- Excelente vitória e defesa do titulo de Tag Team no Lockdown, mesmo que o momento que irá marcar esse combate seja o bump do Jeff Hardy.

Bobby Roode- Conseguiu vingança sobre o seu melhor amigo, o que acho é que ela aconteceu cedo de mais, e poderá ter impedido que o Eric Young se estabelece-se como heel depois daquele turn.

Team Angle- Acho que a vitória foi cedo de mais e poderá ter estragado a credibilidade dos BDC, e isso poderá ser prejudicial para os avanços que a TNA possa querer fazer nesta Stable.

Alberto El Patron- Se existe uma figura da semana no Lucha então essa pessoa só pode ser Alberto El Patron que finalmente fez o seu debut nesta companhia, e fê-lo com grande impacto.

Bray Wyatt– Nova vitória sobre Dolph Ziggler, mas o destaque vai novamente para as promos onde está a chamar o Undertaker. Verdade seja dita espero que esta rivalidade traga algo de positivo para ele, até porque é a altura do Undertaker acabar a carreira.

Miz- Sei que muitos não irão concordar, porém a forma como ele conseguiu criar mais heat para si na relação com o Sandow é de facto notável, e é injusto não valorizar o trabalho dele enquanto heel neste momento.

Reigns e Bryan- O confronto entre ambos aqueceu esta semana, com ataques e picardias entre eles durante e depois dos combates. E sem dúvida que o combate no Fast Lane está a ser bem construído.

Surpresa da Semana

Fatal 4 Way TakeOver- Combate enorme. Uma lição de wrestling dado pelas lutadoras do NXT, e que deveria ter eco no main-roster, porque lá embora tenha boas wrestlers( poucas mas têm) elas acabam por ser usadas de forma errada, ou adereço.

Desilusão da Semana

BDC- Quando se cria uma Stable convêm que a fortaleças antes que ela quebre, e a TNA fez o contrário e possivelmente acabou com a credibilidade desta nova “força”.

Perguntas da Semana

Qual a tua opinião sobre a futura “Era” do Triple H à frente da WWE? Quais as principais vantagens e desvantagens que possuí?

Concordas com as figuras, surpresa e desilusão da Semana?

Sobre o Autor

- Escritor do artigo “Smoke and Mirrors”.

26 Comentários

  1. HHH - há 2 anos

    Pelo menos ao nivel das historias HHH podera vir a reencarnar claramente um novo vince pois como se sabe é dos melhores heels de sempre. Continua a faltar para que isto funcione como devide alguém que realmente se saiba impor ao seu dominio e que constitua realmente uma ameaça como Stone Cold o fez um dia e muito sinceramente nao consigo encontrar esse talento no roster actual nem nada parecido. Apenas Dean Ambrose bem trabalhado poderia de alguma forma recordar alguns dos seus maneirismos mas ainda muito longe de atingir esse patamar. Daniel Bryan é outro que nao tem qualquer condição para fazer essa funçao pois embora nao seja mau naquilo que faz esta muito longe de conseguir ter o impacto que austin tinha no microfone. pela logia o nome mais viavel seria ainda john cena mas tal é a saturação do wwe universe com ele que isso é impossivel sequer de ser tentado.

    • José Sousa - há 2 anos

      Eu não estou a falar on screen, aliás todo o foco da minha análise está no que acho que poderá ser o futuro do Triple H como administrador e chefe da WWE.

  2. escalibu21 - há 2 anos

    desilusão da semana outro turn do big show

  3. Don_Ricardo_Corleone - há 2 anos

    Bom tema.
    Se o Triple H se livrar dos criativos do main roster e puser lá os criativos do NXT, teremos um produto muito melhor e já valerá a pena assistir à era Triple H.
    Quanto aos destaques da semana, a WWE fez muito mal em bookar o combate do Undertaker contra o Brock Lesnar, porque o Bray Wyatt é que deveria ter terminado com a streak. Tem a personagem perfeita para isso, seria a reforma em definitivo do Undertaker, contra um estrela em ascensão que só não será um hall od famer se a WWE não quiser, com uma gimmick igualmente mística e teríamos o tal final místico da streak e da carreira do Undertaker que eu tanto queria, que deveria ter existido e que a WWE estupidamente não fez.
    Também acho que o combate do Sami Zayn contra o Kevin Owens foi cedo de mais, péssimo timing. O Zayn deveria apenas ter perdido o título passado uns meses. Podiam ter construído o Owens como o Lesnar do NXT de outra forma e depois sim faziam a traição e toda a feud que foi feita entre ambos. Gostei mas detestei o timing. Isto porque no NXT não deveriam existir reinados de transição pois devem subir ao main roster depois de se tornarem grandes nomes e se forem campeões, grandes campeões, no NXT.
    De resto concordo com tudo.

    • José Sousa - há 2 anos

      Sobre isso tenho que concordar em parte. No entanto já esperava porque tinha lido que o Sami iria participar na Tour do roster principal pelo Qatar, e como o NXT ia gravar no dia posterior ao TakeOVer seria impossível ele estar nas gravações. E não estar implicaria 4 semanas( na teoria) sem o campeão a aparecer, claro que isto não foi decisivo mas ajudou.

      Sobre o Bray concordo contigo, aliás tinha evitado tanto debate sobre a credibilidade do Wyatt enquanto possível main-eventer caso ele tivesse acabado com a carreira e com a Streak do Taker. Claro que se calhar acabará com a carreira, mas mesmo que aconteça o impacto não será tão grande, muito embora a simbologia desse acto jogue a favor dele, goste-se ou não.

  4. Malco Canedo - há 2 anos

    Excelente artigo.
    Não acredito que o Triple H irá mudar tudo na companhia, mas irá fazer bem melhor do que o Vince está fazendo agora.
    Ah, Vince, retire yourself…
    Quanto a piada do enterrador de talentos, pra mim, ela continua engraçada apesar de não ser verdade.
    Burial Time!

    • José Sousa - há 2 anos

      Sim tem a sua piada, o que me irrita é o pessoal que fala em enterro a sério. Tal como falaram de enterro da Tag Division na Smackdown de forma parva, porque os Ascension foram eliminados sem levar pin e até de modo credível, o Miz e o Sandow estão para acabar, as outras duas não valem nada, e os Usos foram valorizados.

  5. Mr. Money In The Bank - há 2 anos

    Para mim, o Fatal 4-Way não foi uma surpresa, pois já sabia que seria um grande combate, visto que as lutadoras do NXT raramente fazem combates ruins e lá a divisão feminina é levada a sério.

    • José Sousa - há 2 anos

      A mim surpreendeu porque não esperava o melhor combate feminino em anos( em todas as companhias que conheço).

  6. Filipe Bryan - há 2 anos

    Bom artigo.
    Acredito que Triple H mudara alguma coisa na WWE porque ela na minha opinião esta a fica pior , e com a suposta ida para o poder de Triple H , a companhia ira melhorar .

  7. Sorlei Rui Oltramari - há 2 anos

    Bom artigo, José!

    Assim como tu, não creio que a WWE dará um giro de 360°, mas muita coisa irá melhorar. O Vince é um gênio, pois nos deu a indústria do jeito que a conhecemos e superou concorrências e críticas, mas atualmente vem se mostrando uma pessoa com ideias retrógradas e ultrapassadas e é por isso que acredito em uma boa gestão do Hunter, por ter a mentalidade de um wrestler, que é a maior vantagem de este estar no controle, a desvantagem seria a inevitável proteção a caras próximos a ele.

    Concordas com as figuras, surpresa e desilusão da Semana?

    Completamente. Não tem como deixar de lado o espetáculo que presenciamos na quarta feira com o NXT. Gostei de Sasha ter ganho o título feminino e Finn ser o novo number 1 contender ao NXT title. Por falta de tempo, não acompanho TNA, então não posso dar uma opinião fundamentada sobre a desilusão, a surpresa da semana não poderia ser outra senão o belíssimo combate feminino que tivemos, onde todas as quatro estiveram bem.

    • José Sousa - há 2 anos

      Eu concordo contigo, nunca esperem uma revolução mas sim alguns ajustes como tu disseste. A parte de protecção aconteceria fosse quem fosse, mesmo que fosse o Punk ele ia proteger alguns.

  8. The_Wolverine - há 2 anos

    concordo com tudo que vc disse, mudando de assunto acho q o The Miz merecia ser um TOP Heel da empresa,pois ele sabe como deixar as pessoas odiar ele

  9. Vinícius Nunes - há 2 anos

    Sou um daqueles reticentes sobre essa possível reforma quando o HHH assumir, eu não tenho tanta certeza que as coisas serão assim, mas se as cenas ficarem mais parecidas com o NXT vai ser um paraíso, pois o NXT é o verdadeiro programa digno pros fãs de wrestling, porém acho que a coisa no roster principal é diferente e seja Vince ou seja HHH, acho que não vai melhorar muito, talvez alguns dos protegidos sejam melhores, mas vai continuar na mesma, alguns protegidos e outros com talento mas que não tem aquela preferência, acho que isso nunca vai mudar.

    • José Sousa - há 2 anos

      Eu também tenho dúvidas. Mas isso nunca muda, nem vale a pena sonhar, porque até num emprego isso acontece. As mudanças serão mais subtis, mas por exemplo a Raw voltar a duas horas aprovo porque ajuda claramente na melhoria da qualidade do show.

  10. MR Perfection André Santos - há 2 anos

    Gostei do tema.

    Concordo com tudo e não consigo acrescentar mais nenhum pormenor José.

    Sinceramente a única coisa que me deixa mais apreensivo é o booking, não das major storys, do NXT, mas sim de alguns aspectos que tenho vindo a verificar em alguns wrestlers. Adam Rose, Ascencion e por ai fora.

    Na industria não pode haver sempre as grandes vedetas mas podia perfeitamente explorar o show superstars para esse fim. Ai é que o Triplr H podia ser influente!

    De resto nada a acrescentar.

    • José Sousa - há 2 anos

      Concordo contigo. Se o booking dos importantes( Wyatt, e os ex-Shield e o Tusev) foi bom e têm tido importância dentro do roster, esses midcarders não foram tão bem protegidos.

  11. MicaelDuarte - há 2 anos

    Bom artigo.

    A verdade é que qualquer coisa é melhor do que aquilo que o Vince McMahon faz. As mudanças poderão vir a ser poucas, mas acredito que fará a diferença.

    • José Sousa - há 2 anos

      Sem dúvida. Não podemos tirar mérito ao trabalho do Vince até agora, porque teve um papel fundamental no crescimento da WWE, mas a verdade é que como em todas as empresas existem momentos para mudanças.

  12. ShowOff - há 2 anos

    Excelente artigo José, novamente. Não tenho nada a acrescentar ao que disseste, gostava apenas de sugerir que fizesses um artigo onde pormenorizavas o que esta mal na WWE e o que mudavas, que desses a tua opiniao e dissesses as medidas que tomarias caso tivesses o poder da empresa. Muito Obrigado pe!os teus excelentes artigos, espero que continues

  13. Control - há 2 anos

    Bom artigo José,o Hunter faz um bom trabalho mas tbm não precisa exagerar como muitos dizem,vamos esperar este “futuro” chegar como disse temos bons sinais até agora ,é claro que o que estamos vendo no NXT é algo inovador que nos deixa animados e ao mesmo tempo preocupados basta lembrarmos das lista de bons wrestlers desperdiçados mas creio n irá acontecer com esses novos lutadores,enfim um ótimo artigo,gostei bastante..

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador