Smoke and Mirrors #213 – The Empire Strikes Back

Numa semana mediaticamente marcada pelo regresso aos cinemas da saga Star Wars, a WWE regressou também aos programas de boa qualidade, ou se preferirem ofereceu-nos um booking surpreendentemente bom especialmente no que diz respeito à promoção de Roman Reigns como “cara do futuro”. Claro que o problema não está completamente resolvido, no entanto a postura que a WWE adoptou para o novo campeão parece ser a mais adequada para que este se torne um sucesso enquanto face.

E o segredo consistiu em recuperar a mesma postura e atitude dos Shield: Ou seja poucas palavras e mais acção. E basta isso para que ele tenha uma personagem cool e capaz de agradar a uma porção bem mais significativa de fãs do que estava a conseguir desde da separação da stable.   Obviamente que terá que falar bem mais agora do que nos Shield, ou pelo menos tem de ser capaz de ser sucinto, e apresentar promos curtas e directas, e não monólogos aborrecidos de quinze minutos.

Se conseguirem manter essa atitude por parte do Reigns de forma consistente, será sem dúvida bem mais simples que este consiga ter um reinado forte e credível, e sobretudo com aceitação dos fãs. E mesmo que nem todos o apreciem ou admitam o seu talento, a verdade é que neste momento ele está mais preparado para lidar com essa divisão dos fãs em relação à sua postura que na altura da Wrestlemania, e isso fará dele um campeão bem mais capaz e competente.

Assim tal como na Saga Star Wars, a WWE representou o jovem Padwan (aprendiz) Roman Reigns como alguém que aprendeu a usar a “força” a seu favor, bastando para isso que se tornasse um rebelde que se revoltou contra “a ditadura do Império” da Autoridade. Ou seja, a chave esteve num simples ataque sem remorsos e piedade sob Triple H, aquele que representa o “lado negro” da WWE pelo menos na ausência de Vince McMahon.

Basicamente criaram um herói em dois dias sem que parecesse forçado aos olhos dos fãs, e isso devia ter sido o trabalho da companhia quando decidiram apostar no Reigns. O problema nunca esteve propriamente nele, mas sobretudo na forma como o apresentaram aos fãs: ele não pode ser um Underdog. Ele tem que ser o homem forte que faz uso da sua força para atingir os seus objectivos, e igualmente fazer justiça pelas suas próprias mãos.

Tal como num filme a forma mais fácil de criar um herói passa por apresenta-lo como alguém que os fãs conseguem rever-se, e sobretudo com uma personalidade que pareça natural e cuja atitude não seja forçada. E durante um ano esse processo parecia estar encravado, uma vez que a postura da companhia com ele fazia com que ele fosse rejeitado pelos fãs sempre que se aproximava do título.

Claro, que nem tudo ficou resolvido esta semana, até porque o booking desta semana pode ter sido algo esporádico, e na próxima semanas podemos ter o mesmo Reigns do último ano. Aquele que fala demais e com isso não desperta o interesse dos fãs, e ainda é apresentado enquanto um underdog. E nesse sentido o facto de esta semana ter derrubado os obstáculos todos com uma atitude agressiva foi um passo importante para a sua personagem.

Como é óbvio nem todos gostarão deles, ou sequer gostaram desta nova atitude do homem que a WWE quer promover como uma das caras do futuro. Mas a verdade é que esta mudança foi positiva, e a prova disso é que fãs que lhe criaram um inferno aplaudiram o homem de pé, e não creio que tenha sido por uma questão de ilusão da WWE.

O Reigns é talentoso e os fãs gostam dele, contudo não gostavam do booking dele e isso fazia com que sentissem que estivesse a ser empurrado à força. E não digo que deixarão de existir fãs que continuarão a sentir exactamente essa sensação, mas a verdade é que outros nomes do passado como Hogan, Rock ou Ultimate Warrior tiveram pushes por decisão da WWE e nem por isso deixaram de resultar.

O que quero dizer é que o Reigns que atacou tudo e todos nos Shield, e que decidiu atacar os McMahons esta semana é aquele que mais facilmente poderá ser um sucesso junto a uma grande maioria dos fãs. Ele nunca será um underdog, e por isso mesmo ele tem que ser alguém agressivo mesmo que alguns não gostem de vê-lo a derrubar a maioria dos obstáculos que lhe sejam colocados.

E nesse sentido o ataque ao Triple H foi o segredo para toda esta transformação, e o momento a partir do qual os fãs perceberam que estavam perante uma mudança de atitude por parte dele. Mas sobretudo o melhor deste ataque aos “Chefes” criou uma história que fará com que os fãs queiram ver a Raw na próxima segunda, porque todos quererão ver o que acontecerá ao rebelde que atacou o Império conquistando o título.

Ou seja, acho que o ideal neste momento é que ele seja um campeão que enfrenta a Autoridade e responde-lhes com ataques sem remorsos, “esfregando” na cara deles que possuí o título. E por isso mesmo, se quiserem tirar o título ao campeão terão mesmo que o forçar a fazer isso, porque ele está pronto para a guerra, e para todos os ataques que os McMahons e o Triple H lhe irão lançar.

E não duvido que seja essa a estratégia da WWE para esta história: Atacar o Reigns com toda a força possível. Com isso conseguem criar uma história forte para a Wrestlemania envolvendo o Triple H e o Reigns, e ao mesmo tempo desenvolvem e potenciam a relação do Reigns com os fãs ao mesmo tempo que se credibiliza enquanto campeão.

Por isso mesmo é que espero que ele defenda o título durante bastante tempo, porque outro reinado curto seria o pior que lhe poderia acontecer, ou pelo menos não seria muito benéfico. Claro que tudo dependerá de quem lhe retire o título, porque se for um Lesnar no Rumble é diferente de ser um Sheamus nas próximas semanas. Por outras palavras, é fundamental que o caminho da Wrestlemania do Reigns conte uma verdadeira história este ano, daquelas que construem campeões ou superstars de topo.

E sem dúvida alguma que o ângulo com o Triple H possui esse potencial, e por isso mesmo espero que a WWE esteja a planear dar-lhe a vitória no Rumble, porque apesar de ser um part-timer é o nome que pode potenciar de melhor forma a defesa do titulo do Reigns na Wrestlemania.

Não concluir esta história na Wrestlemania seria na minha opinião uma decisão precipitada, porque vejo nesta rivalidade potencial de main-event e de história de topo de um evento para aquele que é o maior evento da WWE. E se temos em mãos uma história com esse potencial, acabaria por ser um desperdício não a potenciar, ou simplesmente concluí-la num Royal Rumble dando o mesmo a alguém como o Brock ou o Cena.

E digo isto não porque estes nomes não seriam capazes de valorizar, ou mesmo perder para um Reigns num evento como a Wrestlemania, mas a verdade é que não existe nada melhor do que a conclusão de sagas e histórias importantes num grande evento. As melhores Manias tiveram sempre boas histórias e combates, e se a WWE pode fazer isso com um Triple H vs Reigns não vejo porque razão não deva avançar com o mesmo.

Assim e que nem um rebelde o Reigns declarou o inicio do reino, ficando por perceber quanto tempo durará o mesmo, ou se a Autoridade acabará por retirar novamente o título ao actual campeão. Em todo o caso a WWE é como a Guerra das Estrelas, uma batalha constante entre o bem e o mal, e onde espero que a resposta do “Império do Mal” seja tão poderosa quanto no caso do capitulo V da saga cinematográfica.

Tenham um bom Natal, e já agora, e mesmo que não gostem da Saga: Que a Força esteja convosco.

Sobre o Autor

- Escritor do artigo “Smoke and Mirrors”.

8 Comentários

  1. Miguel Carlos - há 12 meses

    Ótimo artigo, José. Eu nunca vi Star Wars nem ligo muito, mas gostei da tua associação. Concordo contigo em tudo, só penso que apesar de achar interessante ver Triple H vs. Roman Reigns na WrestleMania, mesmo que o Undertaker seja o main-event, seria estranho ver o COO a ganhar o Royal Rumble nesta fase da sua carreira. Mas até pode ser que eles contem uma boa história durante o Rumble e até faça sentido. Poderá até ser um momento com semelhanças ao Royal Rumble Match de 1999 ganho pelo Vince.

  2. @JohnBrumCena - há 12 meses

    concordo com tudo que diz !

  3. Sam - há 12 meses

    Bom artigo, José.
    O Reigns só depende da WWE para ter sua estrada finalmente pavimentada até o topo em definitivo. O ideal, como falastes, é a manutenção desse ângulo e término do mesmo na Wrestlemania, Triple H é o cara que pode deixar o Roman over como fez com o Cena e outros, dentro da WWE ele é o cara nesse aspecto; Lesnar e Cena deveram ser neste o momento os rivais posteriores para a ascensão definitiva, primeiro o Cena pois é visível essa passada de bastão, depois o Lesnar, até para preservar seu status atual, como a besta final, o desafio incompleto a ser resolvido.
    Nessa semana a WWE deixo um ar refrescante sobre o Reigns e tudo dependerá dos próximos Raw’s para sabermos se eles vão continuar com essa reviravolta ou optaram pelo mesmo que vem fazendo.

  4. Jorge - há 12 meses

    Bom artigo. Concordo contigo.

  5. Reigns one versus all - há 12 meses

    Bom artigo,José.
    Acho que era este o Reigns que maior parte dos fãs queria,um Reigns agressivo,que não tem problemas em usar a violência para atingir os seus objetivos,é sem dúvida o melhor Reigns desde o fim dos shield.
    Quanto à storyline entre ele e a Autoridade,acho que deveria terminar na WrestleMania, com um combate entre Reigns e HHH na WrestleMania, que deve fazer com que a Autoridade termine.
    Feliz Natal!!!!

  6. RFBM - há 12 meses

    Bom artigo, acabo por concordar com todos os aspetos.

  7. No meio de tudo isto, a única coisa que eu não consigo entender é o porquê de tanto ódio contra o Sheamus da parte dos fãs da WWE.

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador