Smoke and Mirrors #238 – The Phenomenal Clash

Em semana de Slammiversary decidi falar de alguém cujo nome está ligado à história da TNA: AJ Styles. Durante quase uma década o nome AJ Styles era sinónimo de TNA, dada a sua importância no desenvolvimento da companhia seja na X-Division ou no main-event. É inegável a sua importância no passado da TNA, mas o seu nome não é exclusivamente relevante nessa companhia.

Nos últimos dois anos depois de sair da TNA, Styles voltou a fazer impacto no circuito independente, e em companhias como a ROH ou a NJPW, aliás no Japão dominou completamente a competição com o auxílio do Bullet Club. E graças a parte desse Clube( Anderson e Gallows) ele tem sido motivo de um dos principais temas de debate por parte dos fãs da WWE.

Alguns acreditam que a WWE está a apostar nele, e que essa aposta como main-eventer é seria e que irá continuar depois da Brand Split, enquanto outros acreditam que a WWE irá por dissipar essa aposta depois da rivalidade. É verdade que o passado do Cena com Stables poderá levantar algumas dúvidas, mas quero acreditar que é possível proteger Styles no final desta rivalidade tal como aconteceu na rivalidade com Roman Reigns.

Aliás, essa aposta tem surpreendido muitos fãs que julgavam que ele não teria este tipo de oportunidade na WWE. Eles acreditavam que o seu favorito seria apenas mais um na companhia poucos meses depois de se ter estreado, contudo a WWE tem surpreendido bastante pela forma como conseguiu sempre protegê-lo mesmo quando ainda não venceu nenhuma rivalidade.

E sem dúvida que isso é a principal conquista que AJ Styles teve até agora, porque poderia ser fácil para a WWE ignorar o dinheiro que investiu para o contratar e deixar de apostar nele como main-eventer depois das derrotas com o Jericho e o Reigns. E embora essa fosse a escolha mais confortável sobretudo se tivermos em conta o padrão de booking da WWE nos últimos anos, é inegável que neste momento a companhia acredita no Styles e no Club para serem das principais figuras do processo de divisão do roster.

Claro que não serão as caras de uma brand até porque esse lugar será para um Reigns ou um Cena, contudo se vamos dividir o plantel ao meio e criar competição exclusiva para cada um dos programas então é preciso que esses nomes de topo tenham concorrência à altura e credível. E é nesse campo que a WWE deverá apostar em nomes como o AJ Styles para ser dos principais vilões de uma das Brands, porque os campeões de topo não podem estar numa ilha onde surgem com um estatuto muito superior e os restantes adversários a serem vistos como incapazes de os derrubar.

E neste momento é fundamental que a WWE comece catapultar novos nomes para o main-event( Cesaro, Kevin Owens, Ambrose, Rusev, e o próprio Styles). Por outras palavras, não quero entrar naquele discurso que acha que a nova geração não tem potencial para main-eventer, pelo contrário. Eu acho que tem mas a WWE não pode continuar a fabricar apenas um main-eventer por ano ( Rollins e Reigns nos últimos dois anos), isso é um numero muito escasso, dai achar que tudo o que seja feito para apresentar novos nomes é positivo.

E apesar de serem veteranos é nesse campo que se insere o Styles e o seu Club, eles são elementos novos na programação da WWE, mesmo que Gallows já tenha tido anteriores passagens pela companhia ela aparentemente apagou-as da sua história, ou pelo menos não as refere. Em todo o caso, desde do momento em que Styles foi apresentado no Rumble até agora a companhia preocupou-se sempre em protege-lo mesmo nas derrotas, e apresentou-o sempre como um grande nome.

Ora vejamos apresenta-lo enquanto face foi inteligente porque fez com que os fãs criassem uma ligação empática com ele, e esse trabalho foi feito de forma muito eficaz durante a rivalidade com o Jericho. Contudo e vendo à distancia acho que ele devia ter vencido a rivalidade com o Jericho na Wrestlemania, sobretudo para o proteger a sua credibilidade para futuras rivalidades.

Não que não considere que aquela derrota o tenha descredibilizado, porque acabou por se tornar num candidato ao título principal muito forte. Claro que não venceu o título, nem foi tramado pelos seus amigos, mas a verdade é que a companhia protegeu-o sempre no decorrer daquela que foi a melhor rivalidade por um título principal em anos.

Se esta protecção me surpreendeu? Sem dúvida, mas ainda bem que assim aconteceu. Não tenho dúvida alguma que o projecto The Club será algo que a WWE não derrubará assim tão facilmente, por mais que os fãs tenham receio que o resultado final da rivalidade com o Cena seja a mesma que muitos outras: o fim da aposta na Stable.

Contudo a iminência da Brand Split faz-me crer que os planos para esta rivalidade podem ser um pouco diferentes dos habituais. Aliás a referência de AJ Styles ao enterro de talentos por parte do Cena não me pareceu inocente, e talvez tenha impacto na decisão final da rivalidade. Contudo o que poderá decidir a mesma é a entrada de um possível segundo título mundial na equação.

Não que ele seja certo, mas caso exista o regresso do Título Mundial (com o mesmo ou com um novo look) tenho quase a certeza que ele irá voltar nesta rivalidade, porque é sem dúvida aquela que melhor se enquadra para esse tipo de disputa. Ou seja, se querem mesmo que esse título seja visto como importante e credível o primeiro campeão no regresso do mesmo tem que se enquadra numa rivalidade com impacto. E neste momento a rivalidade Cena e Styles é aquela que nos poderá oferecer essa sensação, e oferecer um combate por um “Novo” título de altíssima qualidade.

E se o facto de o Cena estar envolvido na rivalidade a torna imediatamente relevante, introduzir o novo título mundial da Smackdown no decorrer da mesma poderá servir o propósito de elevar a mesma. Não que ela precise de um título para ser um sucesso e trabalhar Styles enquanto main-eventer, mas ele pode colocar o nível em patamares mais elevados e oferecer-nos um campeão mundial credível e isso é importante caso avancem com a ideia de termos um título principal por Brand.

Além disso esse factor aumenta exponencialmente a possibilidade de Styles sair por cima da rivalidade com ajuda do Club, num momento que faria parte do processo de colocar o Club a dominar todos os títulos que puderem. E terem o seu líder como campeão mundial seria o coroar de uma sequência que deverá ter inicio com a conquista dos títulos de equipa por parte de Gallows e Anderson.

Seja como for e mesmo que o Styles já tenha provado que consegue ser um competidor relevante a solo, penso que poderá beneficiar bastante deste turn e desta Stable. Tal como ele referiu talvez ela possa ser aquele factor que o irá ajudar a sobreviver e conquistar vitórias em rivalidade enquanto heel.

Até porque as mesmas são fundamentais para que ele se consolide enquanto main-eventer, algo que ele merece ser pelo seu talento dentro de ringue, e mesmo pela forma como tem conseguido aguentar-se de modo eficaz nas promos, algo que podia ser considerado o seu ponto mais fraco. E isso só pode ser considerado um aspecto positivo, e por certo que servirá como instrumento auxiliar no seu confronto com o Cena.

E desse modo espero que os próximos meses não nos tragam a destruição deste trabalho com o Styles, e por isso quero acreditar que no final desta rivalidade( possivelmente Summerslam) existam hipóteses do Styles vencer a mesma, ou pelo menos não sair mal da mesma. Uma vez que será determinante para perceber o seu futuro e relevância na Brand em que ficar colocado no Draft.

Mas até lá resta-nos aproveitar esta rivalidade, e viver a electricidade será gerada pelo confronto entre ambos no Money in The Bank. Despeço-me referindo que a próxima edição será dedicada à antevisão do referido PPV.

Sobre o Autor

- Escritor do artigo “Smoke and Mirrors”.

15 Comentários

  1. Reigns one versus all - há 6 meses

    Bom artigo,José.

    Pessoalmente gosto mais do Styles como heel do que como face.
    Acho-o muito mais confortavel nas promos e fazer parte de uma Stable,neste caso,os The Club,ajuda-o a ser um ótimo heel.
    O que esperar do futuro do AJ?
    Acho que ele irá sair por cima,a WWE esta a apostar nele e nos The Club.
    No caso de haver novo título com a Brand Split,acho que aí ele vencerá para consolidar os The Club como os top heels da sua Brand.

    • José Sousa - há 6 meses

      Muito Obrigado. Eu quero acreditar que essa será a opção da WWE, mas nunca se sabe. Mas espero mesmo que o seja.

  2. Best in the World - há 6 meses

    Excelente artigo José. Espero que esta rivalidade com o Cena o leve para o Main Event que é onde merece estar.

  3. 434 Days - há 6 meses

    Excelente artigo José.

    Tenho gostado bastante de ver o AJ Styles na WWE nestes últimos meses e agora como ele heel e no Club, ele terá tudo para atingir o sucesso no main event. Totalmente de acordo em relação ao papel que o regresso do título mundial pode ter nesta feud, já que colocava as duas brands com grandes feuds pelos títulos principais. Esperemos que a WWE cumpra.

    • José Sousa - há 6 meses

      Eu também espero que esta seja a porta de entrada do título mundial. Acho que seria uma bela forma de o reintroduzir com relevância.

  4. Artur - há 6 meses

    Excelente artigo José, um dos melhores que já li teu. Nada mais a dizer, assino em tudo o que falou.

  5. Anónimo - há 6 meses

    “… porque os campeões de topo não podem estar numa ilha onde surgem com um estatuto muito superior e os restantes adversários a serem vistos como incapazes de os derrubar.”
    Já estão, meu amigo, já estão… Cena e Reigns estão nessa ilha há muito tempo.

  6. José Sousa - há 6 meses

    Peço desculpa ao utilizador que acidentalmente eliminei o comentário. Não foi de todo intencional, e espero que não o considere desse modo.

  7. Denis - há 6 meses

    Eu tenho uma duvida alguém poderia me responder, por favor?
    É que eu vi falarem que o The Club seria na verdade chamado de Balor Club e que o Lider seria o Finn balor, só que o balor ainda anda pelo nxt, então quer dizer que não vai mais ter balor club e nem o finn balor vai ser o lider? porque seria muito melhor pra mim o balor club com o balor lider que nem no japão.

    • José Sousa - há 6 meses

      Não se deverá chamar Bálor Club. É melhor que se chame The Club permite que seja uma entidade com maior duração.Agora se o Bálor acabará ou não por ser parte da stable é a questão que se coloca, mas é bem possivel que sim. Embora não exista certezas sobre isso.

  8. Será inevitável um novo titulo mundial ou a brand split não faz qualquer sentido. O Styles e o Samoa Joe mostram o fim do paradigma de contratação de talentos ex-TNA para desaparecerem no card, como aconteceu por exemplo com o R- Truth. A WWE viu que tinha ali grandes talentos e aposta neles sem preconceitos, o que é bom.

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador